Feliz ano novo!
22/01/2017 | 15h36
feliz-ano-novo-2017 Desejo aos amigos e leitores do blog um feliz ano novo!

Que em 2017 gente tenha a capacidade de entender que um ano só é realmente novo quando colocamos novos aprendizados em prática, corrigimos nossos erros e mudamos atitudes. Como diria o poeta Carlos Drummond de Andrade: “Para ganhar um ano novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre”.

Comentar
Compartilhe
Governo do Estado: ano vai começar com greve na Saúde
22/01/2017 | 15h36

pezao-triste1432160579

A situação do governo do Rio só piora. Servidores da Secretaria de Sáude do estado aprovaram, em assembleia, greve a partir de segunda-feira (02). A paralisação, segundo documento assinado, seguirá até pelo menos o dia 5 de janeiro, quando haverá nova assembleia.

Em documento enviado à Secretaria, entre os motivos listados para a realização da greve está o fato de que, "até a presente data, não existe previsão oficial do pagamento dos salários de novembro de 2016, e do 13º salário referente ao exercício de 2016".

Fonte: Lauro Jardim

Comentar
Compartilhe
Aposentou
22/01/2017 | 15h36
edson-posse

O vereador Edson Batista (PTB), que presidiu a Câmara de Campos durante a atual legislatura, encerra sua carreira política demonstrando ser mesmo um soldado fiel dos rosáceos. Nas últimas semanas ele seguiu todas as determinações do líder.

Sem disputar a reeleição, Batista avisou que se aposentaria da política no final deste ano.

Porém, tudo indica que ele será lembrado em 2017.

Funcionários da Câmara afirmam que a Casa descontou o INSS e não repassou.

Comentar
Compartilhe
Carla Machado: "município virou um verdadeiro pandemônio"
22/01/2017 | 15h36

A prefeita eleita de São João da Barra, Carla Machado (PP) usou o Facebook para fazer um desabafo em relação a situação da Saúde no município. Em sua postagem ela diz que a Saúde é "caso de polícia". carla

Comentar
Compartilhe
Na última semana, Rosinha troca Henrique Oliveira por Ângelo Rafael
22/01/2017 | 15h36

exoneracao

O Diário Oficial desta terça-feira (27) traz a exoneração de Henrique Oliveira da secretaria de Desenvolvimento Humano e Social.

Até domingo, quando o governo Rosinha chega ao fim, a pasta será comandada por Ângelo Rafael.

A secretaria, responsável pelos programas sociais, vem sendo investigada nos últimos meses por conta de um "escandaloso esquema" envolvendo o Cheque Cidadão.

Comentar
Compartilhe
Transição: o exemplo de Zezé Barbosa
22/01/2017 | 15h36

zeze

O jornalista Fernando Leite, que fez parte do movimento Muda Campos, divulgou em seu blog uma matéria jornalística publicada pelo "Monitor Campista" logo após a eleição de 1988.

Naquele pleito, o então prefeito Zezé Barbosa viu o seu candidato (Jorge Renato Pereira Pinto) ser derrotado pelo jovem Anthony Garotinho.  Capaz de ouvir a voz das ruas, Zezé Barbosa se reuniu com o prefeito eleito e "prontificou-se a prestar todas as informações e dados necessários".

Agora, quase três décadas depois, o político que venceu em 1988 parece um habitante da "Terra do Nunca", onde as crianças nunca crescem e o escapismo prevalece.

Após ver o seu candidato ser derrotado no primeiro turno, ele esperneia, organiza manobras e tenta de todas as formas inviabilizar a futura gestão.

Comentar
Compartilhe
Prioridades
22/01/2017 | 15h36

Em 2012 a Prefeitura de Campos anunciou a reforma e ampliação do Hospital São José, na Baixada Campista. Valor da reforma: R$ 6,4 milhões.

Quatro anos depois, na última semana do governo, a obra não foi entregue.

Enquanto isso, nesta reta final do governo, uma empreiteira recebeu mais de R$ 6 milhões por "obras de recuperação e pavimentação", como mostra o blog "Na Curva do Rio" (aqui).

 
Comentar
Compartilhe
R$ 2,5 milhões na conta da Câmara
22/01/2017 | 15h36
camara-campos-768x510okk1

A Câmara de Campos pode até estar parada, por conta da polêmica envolvendo os três vereadores afastados, mas a verba mensal não parou de entrar.

Na última terça-feira (20) foram depositados pela Prefeitura de Campos R$ 2,5 milhões.

Em 2016 o orçamento da Câmara superou R$ 30 milhões.

Durante este ano teve aluguel de veículos (aqui), bustos, medalhas e troféus (aqui), garçom e copeiragem por R$ 156 mil (aqui), passagens aéreas (R$ 120 mil), eventos (R$ 235 mil) e fotocópia (R$ 60 mil) (aqui), entre outros gastos.

Comentar
Compartilhe
Ironia do destino
22/01/2017 | 15h36

rio_secreatarios

Em agosto de 1971, o então guerrilheiro Cesar Benjamin, foi preso, aos 17 anos, numa praça de Salvador durante uma missão do Centro de Informações da Marinha (Cenimar). Integrante da organização MR-8, que lutava contra a ditadura, ele estaria levando uma mala de dinheiro para Carlos Lamarca quando foi capturado por militares. Entre seus captores estaria Paulo Cesar Amêndola, que, em 2011, falou ao GLOBO sobre a operação. Com riquezas de detalhes, ele afirmou que foi enviado à Bahia numa ação confidencial, e que só chegando lá descobriu quem era o alvo. A prisão teria ocorrido numa emboscada, e, na versão de Amêndola, coube a ele desarmar Benjamin, que tentou escapar do cerco.

Quarenta e cinco anos depois, numa ironia da História, os dois voltam a se cruzar. Agora, nos corredores do Executivo municipal. Ontem, o prefeito eleito Marcelo Crivella anunciou seu secretariado e, entre os nomes, estão o de Benjamin, para a pasta de Educação, Esporte e Lazer, e o de Amêndola, para a Ordem Pública. Em 2011, após Amêndola dar sua versão para o episódio, o GLOBO procurou Cesar Benjamin, que não quis encontrar o militar nem tocar no assunto.

Fonte: O Globo

Comentar
Compartilhe
CPIs foram esquecidas?
22/01/2017 | 15h36

duvida-emprego

No início de junho o presidente da Câmara de Campos, Edson Batista (PTB), anunciou a abertura de duas CPIs. As CPIs teriam a missão de investigar o Trabalho Infantil e Violência no entorno das escolas.

Na época, a oposição afirmou que as duas comissões foram criadas para evitar a abertura da CPI da Lava Jato, protocolada com as assinaturas necessárias. A meta era investigar o bilionário contrato da Odebrecht em Campos. Porém, por conta de um resolução aprovada pelos aliados do governo, só duas CPIs podem funcionar de cada vez.

Agora, seis meses após a abertura das CPIs, pouco se sabe sobre o andamento das comissões e se houve um relatório final. Ou seja, a manobra para evitar a CPI da Lava Jato funcionou.
Comentar
Compartilhe

BLOGS - MAIS LIDAS