Edson garante: "Câmara tem menor gasto per capita da Bacia de Campos"
31/03/2015 | 23h58

Disposto a mostrar que não há gastança no Legiaslativo goitacá, o presidente da Câmara de Campos, Edson Batista (PTB) destacou nesta terça-feira (31) que a Casa é uma das que detém menor gasto per capita (por habitante) entre as Câmaras municipais fluminenses. Com um orçamento de R$ 27,4 milhões e um gasto de R$ 57,61 por habitante, o Legislativo campista aparece na 67ª  posição, segundo publicação da Revista Finanças dos Municípios Fluminenses. Com esta colocação, a a Casa de Leis está entre as 25 Câmaras de menor despesa per capita do Estado, sendo a primeira dos municípios da Bacia de Campos com menor gasto per capita.

Os dados são de 2013, segundo a revista, que fez o estudo com base em números de órgãos oficiais como a Secretaria Nacional do Tesouro, IBGE, sistemas de informações e órgãos de controle. Para o presidente da Câmara, Edson Batista, o resultado é fruto da política de austeridade implantada após assumir o comando do Legislativo. “Fizemos isso com o apoio de todos os vereadores, aprovando uma reforma administrativa que permitiu inclusive arcar com uma dívida de R$ 500 mil da gestão anterior. Também criamos mecanismos de participação e acesso à informação da sociedade, como as audiências públicas constantes, o Portal da Transparência, a Escola Municipal Gestão Pública e a TV Câmara, entre outras ações”, explicou.

De acordo com Edson Batista, outro mecanismo de controle dos gastos tem sido o registro de preços, modalidade que reduz em 20% os custos dos insumos e serviços de manutenção do Legislativo. “A Câmara não tem depósito ou almoxarifado para guardar essas mercadorias, então optamos pela compra através do registro de preços, que permite a aquisição por preços mais em conta, evitando maiores gastos”, explicou.

Entre os municípios do interior com maior gasto per capita destacam-se Porto Real, no Sul Fluminense (R$ 712,22), Macuco (R$ 276,09), Mangaratiba (R$ 270,64) todos com gastos superiores a R$ 200 per capita.

O anuário Finanças dos Municípios Fluminenses reúne números referentes a receitas, despesas, resultado orçamentário, quota-parte municipal no ICMS, FPM, Royalties, ISS, IPTU, ITBI, taxas, pessoal, custeio, investimentos, juros e amortização da dívida, despesas e contas de legislativos municipais, educação, saúde e assistência social.

A edição está disponível para consulta pelo link: http://www.aequus.com.br/anuarios_rj.html.

Fonte: Secom/Câmara

Gastos "turbinados" em tempo de crise - Matéria do jornalista Mario Sérgio Junior, publicada no último domingo (29), mostra que no período entre novembro de 2013 a 27 de março de 2014, a Câmara de Campos fez contratos para serviços variados que somados dão o valor de R$ 3,2 milhões. Já no período entre novembro de 2014 a 27 de março de 2015, o Legislativo campista fez contratos no total de R$ 3,6 milhões. Se comparado ambos os períodos, entre o final de 2014 e o início deste ano, em um momento visto como de crise econômica, a Câmara gastou R$ 439.438,43 a mais do que entre o final de 2013 e início de 2014, quando ainda não se falava em crise. A equipe de reportagem coletou os dados dos contratos e termos aditivos no Diário Oficial do município. Veja a matéria completa: aqui 

Comentar
Compartilhe
Em SJB, Neco visita escolas e abre diálogo com profissionais
31/03/2015 | 23h41
[caption id="attachment_32205" align="aligncenter" width="491"] Foto: Secom/SJB[/caption]

O prefeito de São João da Barra, José Amaro Martins de Souza, Neco (PMDB), visitou nesta terça-feira, 31, a Escola Municipal João Flávio Batista, a Creche Municipal Aldair Coutinho Machado, ambas em Cajueiro, e o Ciep 265 Municipalizado Professora Gladys Teixeira, na Sede.  O objetivo do encontro foi debater com os diretores e funcionários sobre as condições estruturais das respectivas unidades de ensino.

Para Neco, é de suma importância que haja uma integração entre os profissionais que atuam nas escolas e a secretaria de Educação para que os problemas sejam solucionados e assim os alunos tenham, cada vez mais, um melhor aprendizado. “Temos que trabalhar em conjunto, ouvindo as reivindicações de todos os setores, seja do pessoal da limpeza, seja dos que preparam a merenda, dos professores ou dos diretores. Os nossos alunos e seus pais esperam o melhor da escola e nós estamos aqui para oferecer exatamente isso”, ressaltou.

O encontro também objetiva aproximar a comunidade do Poder Executivo. As visitas nas escolas e instituições devem prosseguir nos próximos dias, a fim de esclarecer as dúvidas dos alunos, professores e funcionários em geral. Para a secretária de Educação e Cultura, Leide Cristina Soares, a reunião entre o prefeito e os funcionários corrobora para uma Educação de qualidade. “Tenho certeza que estes encontros servirão cada vez mais para estreitar os laços entre a Escola e Poder Executivo. Para atender a nossa rede de ensino temos que entender suas necessidades. As reuniões viabilizam esse contato com quem recebe os nossos serviços e podem fazer importantes considerações do que podemos melhorar. Esse é o nosso planejamento, atuar cada vez mais junto aos nossos alunos para dar mais qualidade de ensino a eles”, disse.

Fonte: Secom/SJB

Comentar
Compartilhe
PDT convida Crivella para ser candidato à prefeitura do Rio
31/03/2015 | 16h35

Para ter um nome de peso nas eleições para a prefeitura em 2016 e para o governo do estado em 2018, o PDT convidou o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) para compor seus quadros, numa mostra de que o rompimento do partido com o PMDB é iminente. A ideia partiu do presidente pedetista Carlos Lupi, que se encontrou duas vezes com o senador, segundo colocado nas eleições para o governo do Rio em 2014.  Nos planos de Lupi, Crivella é a “prioridade” para os próximos pleitos. O senador seria responsável pela ampliação das bases do PDT.

O argumento usado pelo comandante do partido nas conversas era de que a excessiva ligação do senador com a Igreja Universal do Reino de Deus e com seu líder, bispo Edir Macedo, gera rejeição e prejudica as votações. Mas o senador não se animou com a perspectiva de ficar de fora da disputa pela Prefeitura do Rio em 2016, desejo que começou a manifestar e anunciar tão logo foi derrotado pelo governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) no segundo turno do ano passado. A maioria dos pedetistas defende o apoio do partido ao candidato lançado pelo PMDB e creem que Crivella “não tem o perfil” do PDT.

Lupi negou, ao ser perguntado, se o convite a Crivella é prova de que PDT está perto de deixar o amplo arco de alianças dos governos do PMDB. “Cada sofrimento terá o seu tempo”, respondeu o presidente pedetista. Crivella afirmou apenas que se sentiu “honrado” com o convite feito pelo PDT, mas sinalizou que deve continuar no PRB. Pelo menos até as eleições de 2016.

Fonte: O Dia 

Campos - Em Campos, o PDT também pensa na disputa pela Prefeitura. O ex-prefeito Arnaldo Vianna, presidente do partido em Campos, já avisou que pretende disputar novamente o governo municipal. Porém, já avisou que só entra na disputa sem pendências jurídicas (aqui). Nos bastidores, políticos da oposição e da situação não acreditam que Arnaldo conseguirá o registro. Por conta disso, o ex-vereador Paulo César Martins se filiou ao PDT e quer entrar na briga.

Comentar
Compartilhe
Alerj vota hoje o empréstimo de R$ 6 bilhões do TJ ao governo Pezão
31/03/2015 | 12h29
[caption id="attachment_32199" align="aligncenter" width="391"] Segundo Jorge Picciani, presidente da Alerj, o empréstimo vai garantir o pagamento dos aposentados do Rioprevidência[/caption]

O Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) aprovou na última segunda-feira (24) a polêmica liberação de R$ 6 bilhões do fundo de depósito judicial para o pagamento de inativos e pensionistas do governo do estado, pagos pelo Rioprevidência. A proposta foi encaminhada à Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e está na pauta da sessão desta terça-feira, que começa às 15h. Em grave crise financeira, a administração do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) aposta as fichas nos recursos dos depósitos judiciais para cobrir o rombo de R$ 5 bilhões nas contas da previdência estadual até dezembro.

A proposta, que permite o uso de 37,5% da verba dos depósitos exclusivamente para o Fundo Único de Previdência Social do Estado (Rioprevidência), recebeu 31 emendas parlamentares na semana passada. O projeto é assinado pelo governador Luiz Fernando Pezão e pelo presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ), Luiz Fernando Ribeiro de Carvalho, que defendem a transferência para manter a capacidade de investimento do Governo em outras áreas. Na justificativa do texto, Pezão e Carvalho explicam que não há risco para quem tenha feito depósitos judiciais, já que, no caso de falta de recursos, o fundo será imediatamente ressarcido pelo Tesouro Estadual.

Fonte: Alerj 

Comentar
Compartilhe
Câmara: Garotinho vai debater sobre fundo de recomposição
31/03/2015 | 11h53

Se não adiar mais uma vez, o secretário de Governo da Prefeitura de Campos, Anthony Garotinho (PR), vai participar da sessão desta terça-feira (31) da Câmara de Campos, marcada para às 17h. De acordo com o "Gabinete Virtual" do vereador Mauro Silva (PT do B), Garotinho vai aproveitar a ocasião para apresentar aos vereadores o projeto para a criação de um fundo de recomposição das perdas de estados e municípios com os royalties de petróleo. Segundo Garotinho, a proposta "vai ajudar a tirar o Estado da falência, sem precisar pegar o dinheiro dos contribuintes".

A proposta visa alterar a resolução 43 da Comissão de Assuntos Econômico do Senado. Com a alteração, passa a ser autorizada a antecipação de receitas de royalties, com operação de crédito por até 20 anos, desde de que as parcelas não ultrapassem 10% e que os recursos sejam para Fundo que recomponha perdas de arrecadação com a receita petróleo, usando os anos de 2013 e 2014 como base para cálculo.

O projeto foi apresentado ao senador Marcelo Crivella (PRB) na última semana, em Brasília. De acordo com a coluna "Extra, Extra", da jornalista Berenice Seara, Crivella já protocolou a proposta, que deve ser votada ainda esta semana. Inclusive, o senador já acertou os ponteiros com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB).

Como é um projeto de resolução, não precisa passar pela Câmara, só depende da aprovação de 41 senadores e dispensa até a sanção da presidente Dilma Rousseff (PT).

Por falar em fundo - No início de 2014, quando a Prefeitura de Campos ainda ostentava um orçamento superior aos R$ 2,4 bilhões e não falava em crise financeira, o vereador Marcão (PT) apresentou na Câmara de Campos um projeto para a criação de um Fundo de Reserva dos Royalties (FRR). Pelo projeto, que dorme nas gavetas da Câmara, o município passaria a aplicar 10% de tudo recebido em royalties e participação especial na produção de petróleo. Agora, um ano depois, com a Prefeitura passando por dificuldades financeiras, o vereador Marcão dispara: “Se o projeto tivesse saído da gaveta a Prefeitura já teria alguns milhões aplicados e, quem sabe, não teria a necessidade de vender os royalties e pagar mais de R$ 40 milhões de juros".

Comentar
Compartilhe
68% dos cariocas reprovam o governo Dilma Roussef
31/03/2015 | 11h20

Pesquisa do instituto Gerp na cidade do Rio de Janeiro preocupa os petistas locais: 68% dos entrevistados reprovam o governo da presidente Dilma Rousseff, 26% aprovam e 6% não sabem responder. A pesquisa mostra como o humor do carioca mudou nos últimos cinco meses. No segundo turno da eleição presidencial, em outubro do ano pasado, Dilma obteve 50,8% dos votos válidos na capital fluminense. O instituto também sondou a conjuntura econômica. Entre os cariocas ouvidos, 51% dizem que a situação do país está regular, 43% afirmam que está ruim ou péssima e 7% avaliam como ótima ou boa. Sobre o poder de consumo, 48% dizem que o momento é ruim ou péssimo para fazer compras, 47% classificam a conjuntura como razoável e só 5% avaliam a situação como boa para desembolsar uma grana.

Fonte: Época 

Comentar
Compartilhe
Câmara prevê gastos de R$ 38,9 mil com “serviços de fotocópia”
31/03/2015 | 11h02
[caption id="attachment_32178" align="aligncenter" width="342"] Imagem meramente ilustrativa[/caption]

O Diário Oficial desta terça-feira traz o extrato do contrato firmado entre a Câmara de Campos e a empresa L.R. CRESPO CÓPIAS E SERVIÇOS ME. O objeto do contrato é a prestação de serviços de fotocópia para o Legislativo.

Valor: R$ 38.900,00 (trinta e oito mil e novecentos reais) Vigência: 06 (seis) meses (média de R$ 6,4 mil por mês) Escultura e Busto - O Diário Oficial também trouxe nesta terça-feira um aviso de licitação para a aquisição de escultura artística de José do Patrocínio e busto do Capitão Ricardo João Kirk.
Comentar
Compartilhe
Após abastecer em posto do genro, Feijó vai devolver R$ 165 mil aos cofres públicos
31/03/2015 | 00h33

No dia 23 de fevereiro Lúcio Big publicou postou um vídeo em seu canal no Youtube e no dia seguinte, um artigo no "Canal do Otário" denunciando um ato praticado pelo deputado federal Paulo Feijó (PR/RJ). Ele abastecia veículos de seu gabinete no posto de combustíveis de propriedade de seu genro. Esta ação é ilegal, conforme o Ato da Mesa 43/2009, Art. 4º §13º.

Após algumas tentativas frustradas de sensibilizar o parlamentar para a necessidade urgente de devolver aos cofres públicos uma quantia superior a R$ 165 mil (montante de todos os abastecimentos realizados pelo parlamentar no referido posto, desde 2009), no último dia 26 Lúcio recebeu um telefonema do próprio parlamentar. Com muita educação e cordialidade, Feijó reconheceu o erro que, segundo ele, foi ocasionado por um lapso. Ainda segundo o parlamentar, o referido posto de combustíveis é utilizado por ele há vinte anos e que, em 2007, o sócio minoritário do estabelecimento casou-se com sua filha.

Sem perceber que, a partir daquele momento, não seria mais permitido abastecer seus veículos naquele posto com o dinheiro público da CEAP, ele continuou com a prática, que encerrou-se neste mês graças ao trabalho da OPS (Operação Política Supervisionada). "Dedico esta vitória aos auditores da OPS que, mesmo sem receber um único centavo de pagamento pelos excelentes trabalhos desenvolvidos, continuam contribuindo para que façamos o controle social das atividades parlamentares. Dedico também a todos os patrões, colaboradores e divulgadores da OPS e também ao Otário Annonymous por acreditar e apoiar o trabalho", disse Lúcio Big.
O deputado ainda reconheceu a importância do controle social ser exercido por cidadãos comuns: “...você foi um guerreiro e tem que ser assim. Eu tenho que reconhecer que por um lapso eu cometi esse erro, mas vou ressarcir. Esse trabalho que você faz eu tenho que reconhecer que é importante”. Segundo Feijó, será feito um parcelamento do valor. Veja o vídeo: aqui
Comentar
Compartilhe
Jornal Nacional mostra os efeitos da crise em Macaé
31/03/2015 | 00h12

Trabalhadores do setor de petróleo estão sofrendo as consequências da crise na Petrobras. Muita gente perdeu o emprego em empresas que tinham contratos com estatal. No Norte do estado do Rio, a cidade que tinha se tornado a capital nacional do petróleo começou a encolher. Na alegria ou na tristeza. O primeiro teste do casal veio antes mesmo da cerimônia. “A gente vai fazer o básico, porque a gente já tinha pago o cartório, mas a festa não rola, não vai ter”, conta Taygra Gonçalves, comerciante. Na semana passada, Lucas Martins perdeu o emprego. A segunda fonte de renda do casal também secou. “Eu e meu pai, a gente tem um comércio bem pequeno, mas com essa crise o efeito cascata é muito forte”, explicou Taygra. “Quem sabe a gente faça a festa de bodas de prata”, comenta Lucas.

Adiar os sonhos para não sei quando é uma exigência da vida cada vez mais comum em Macaé. A cidade é a capital nacional do petróleo. O título que só dava orgulho virou motivo de preocupação. Em 40 anos, o que era pouco mais do que uma vila de pescadores, se tornou um centro mundial de exploração de petróleo. Depois de décadas seguidas de crescimento, em poucos meses Macaé se transformou de novo. E agora, a terra da prosperidade exibe os sinais da crise. E quanto mais o carimbo trabalha, mais falta trabalho em Macaé. O sindicato dos trabalhadores em sondas e plataformas ficou pequeno. A sede não foi planejada para homologar tantas demissões ao mesmo tempo. “Foram mais de 12 plataformas em menos de seis meses que perderam o contrato. Isso é um baque violento na economia. Igual a esse nunca vi em 30 anos de petróleo”, diz Amaro Luiz Alves da Silva presidente do Sindicato dos Trabalhadores Off Shore.

A indústria do petróleo não abre vagas enquanto espera por novos leilões de campos de exploração, que ainda devem demorar. “O fato também da Petrobras ser operadora única causa essa distorção uma vez que ela, não tendo campos a explorar futuramente, cessa contratos de sondas de perfuração e toda a cadeia que depende dessa atividade acaba sofrendo em conjunto”, aponta Marcelo Campos, diretor de Óleo e Gás da Abimaq. No ano passado, a bacia de campos tinha 12 sondas explorando petróleo. Agora, esse número caiu pela metade. Cada sonda que vai embora deixa sem emprego torristas, plataformistas, sondadores, controladores de lastro. Especialistas no trabalho em alto mar, que ganham no mínimo R$ 4 mil. Em terra firme, quem tiver a sorte de encontrar emprego, vai ganhar menos da metade. “Fiz pelo menos uns dez cursos para estar e chegar onde cheguei. Agora você tem que caminhar e voltar, dar um passo atrás, começar do zero”, conta Janires Rodrigues Rocha Santos, homem de área.

Nos últimos seis meses, 5 mil trabalhadores foram dispensados por empresas que não renovaram contratos com a Petrobras. “Esse desemprego ele vem em cadeia, ele vem em rede. Ele sai do engenheiro, do técnico e vai atingir a padaria da última rua, do último bairro de uma região inteira”, diz Aluízio dos Santos Júnior, prefeito de Macaé.

Em 2015, a prefeitura de Macaé vai deixar de arrecadar R$120 milhões em royalties. Na cidade, “aluga-se” e não há inquilinos. “Vende-se” e não há compradores. A crise é tão traiçoeira que às vezes vem disfarçada de boa notícia. O trânsito melhorou. “Hoje eu cheguei no meu local de trabalho em 10 minutos, coisa que eu fazia em quase meia hora. Isso significa que está havendo um esvaziamento do município”, comenta um trabalhador.

Bruno está de partida. Depois de seis anos trabalhando em plataformas, só tem pela frente um futuro incerto, com uma filha para sustentar na Bahia. “Gosto muito daqui, uma cidade próspera para emprego, mas que infelizmente está passando por esse momento crucial e fica essa sensação de tristeza, a verdade é essa. Você vai ter que ir embora? Com certeza, hoje mesmo”, diz Bruno Ribeiro de Oliveira, assistente de torrista.

Na rodoviária, o clima pesado das viagens sem volta. E a sensação de que a cada despedida, Macaé tem um habitante a menos.

Fonte: Jornal Nacional (aqui)

Comentar
Compartilhe
Temer, Cunha e Renan: a nova junta governativa
30/03/2015 | 23h15

Por Sylvio Costa/Congresso em Foco:  Numa das fases mais obscuras da ditadura militar que infernizou o Brasil entre 1964 e 1985, o país foi governado por uma junta militar, integrada pelos comandantes de cada uma das três Forças Armadas. No Brasil mais ou menos democrático de hoje, estamos sob a batuta de outro trio: Temer, Cunha e Renan. Eles são um grande problema para Dilma. Mas também são seu maior trunfo. Veja o vídeo com a análise do jornalista  Sylvio Costa sobre os personagens que dão as cartas em nosso país: [caption id="attachment_32152" align="aligncenter" width="410"] CLIQUE PARA ABRIR O VÍDEO[/caption]  
Comentar
Compartilhe
PT alega "perseguição" e fala em "enfrentar a maré conservadora"
30/03/2015 | 23h03
[caption id="attachment_32147" align="aligncenter" width="445"] Lula e Rui Falcão participaram de reunião com executivas do PT[/caption]

Os representantes regionais do PT aprovaram, durante a reunião, nesta segunda-feira (30), o Manifesto dos Diretórios Regionais em defesa do partido. No texto, o partido reforça a importância do 5º Congresso Nacional do PT para o fortalecimento da sigla, diz que é hora de a legenda "assumir responsabilidades", "sair da defensiva" e "corrigir rumos". No documento, os dirigentes estaduais da sigla defendem dez bandeiras tradicionais da esquerda para reaproximar o partido, e consequentemente, o governo da presidente Dilma Rousseff (PT), da base social da legenda. As principais propostas são a orientação da bancada petista no Congresso Nacional a aprovar proposta de taxação de grandes fortunas, que sofre resistências de setores do governo federal, a aprovação das reformas política e tributária e a ampliação dos direitos trabalhistas, na contramão do ajuste fiscal elaborado pelo ministro Joaquim Levy (Fazenda).

Os dirigentes estaduais afirmam ainda que os setores da oposição "querem fazer do PT bode expiatório da corrupção nacional e de dificuldades passageiras da economia". As lideranças petistas comparam os ataques sofridos pelo partido, em meio às investigações do esquema de corrupção na Petrobras, ao sequestro do empresário Abílio Diniz, em 1989, que, segundo eles, foi "imputado ao PT". Os dirigentes estaduais dizem que o partido é alvo de uma campanha de "cerco" e "aniquilamento" e setores da oposição que tentam "criminalizar" o PT. “O momento não é de pessimismo, é de reavivar as esperanças. A hora não é de recuo, é de avançar com coragem e determinação”, reforça.

Leia a íntegra do Manifesto:

“Manifesto dos DRs

Nunca como antes, porém, a ofensiva de agora é uma campanha de cerco e aniquilamento. Como já propuseram no passado, é preciso acabar com a nossa raça. Para isso, vale tudo. Inclusive, criminalizar o PT — quem sabe até toda a esquerda e os movimentos sociais.

Condenam-nos não por nossos erros, que certamente ocorrem numa organização que reúne milhares de filiados. Perseguem-nos pelas nossas virtudes. Não suportam que o PT, em tão pouco tempo, tenha retirado da miséria extrema 36 milhões de brasileiros e brasileiras. Que nossos governos tenham possibilitado o ingresso de milhares de negros e pobres nas universidades.

Não toleram que, pela quarta vez consecutiva, nosso projeto de País tenha sido vitorioso nas urnas. Primeiro com um operário, rompendo um preconceito ideológico secular; em seguida, com uma mulher, que jogou sua vida contra a ditadura para devolver a democracia ao Brasil.

Maus perdedores no jogo democrático, tentam agora reverter, sem eleições, o resultado eleitoral. Em função dos escândalos da Petrobrás, denunciados e investigados sob nosso governo -– algo que não ocorria em governos anteriores –, querem fazer do PT bode expiatório da corrupção nacional e de dificuldades passageiras da economia, em um contexto adverso de crise mundial prolongada.

Como já reiteramos em outras ocasiões, somos a favor de investigar os fatos com o maior rigor e de punir corruptos e corruptores, nos marcos do Estado Democrático de Direito. E, caso qualquer filiado do PT seja condenado em virtude de eventuais falcatruas, será excluído de nossas fileiras.

O PT precisa identificar melhor e enfrentar a maré conservadora em marcha. Combater, com argumentos e mobilização, a direita e a extrema-direita minoritárias que buscam converter-se em maioria todas as vezes que as 2 mudanças aparecem no horizonte. Para isso, para sair da defensiva e retomar a iniciativa política, devemos assumir responsabilidades e corrigir rumos. Com transparência e coragem. Com a retomada de valores de nossas origens, entre as quais a ideia fundadora da construção de uma nova sociedade.

Ao nosso 5º Congresso, já em andamento, caberá promover um reencontro com o PT dos anos 80, quando nos constituímos num partido com vocação democrática e transformação da sociedade – e não num partido do “melhorismo”. Quando lutávamos por formas de democracia participativa no Brasil, cuja ausência, entre nós também, é causa direta de alguns desvios que abalaram a confiança no PT.

Nosso 5º Congresso, cuja primeira etapa será aberta, a fim de recolher contribuições, críticas e novas energias de fora, deverá sacudir o PT. A fim de que retome sua radicalidade política, seu caráter plural e não- dogmático. Para que desmanche a teia burocrática que imobiliza direções em todos os níveis e nos acomoda ao status quo.

O PT não pode encerrar-se em si mesmo, numa rigidez conservadora que dificulta o acolhimento de novos filiados, ou de novos apoiadores que não necessariamente aderem às atuais formas de organização partidária.

Queremos um partido que pratique a política no quotidiano, presente na vida do povo, de suas agruras e vicissitudes, e não somente que sai a campo a cada dois anos, quando se realizam as eleições.

Um PT sintonizado com nosso histórico Manifesto de Fundação, para quem a política deve ser “ atividade própria das massas, que desejam participar, legal e legitimamente, de todas as decisões da sociedade”.

Por isso, “o PT deve atuar não apenas no momento das eleições, mas, principalmente, no dia-a-dia de todos os trabalhadores, pois só assim será possível construir uma 3 nova forma de democracia, cujas raízes estejam nas organizações de base da sociedade e cujas decisões sejam tomadas pelas maiorias”.

Tal retomada partidária há de ser conduzida pela política e não pela via administrativa. Ela impõe mudanças organizativas, formativas, de atitudes e culturais, necessárias para reatar com movimentos sociais, juventude, intelectuais, organizações da sociedade – todos inicialmente representados em nossas instâncias e hoje alheios, indiferentes ou, até, hostis em virtude de alguns erros políticos cometidos nesta trajetória de quase 35 anos.

Dar mais organicidade ao PT, maior consistência política e ideológica às direções e militantes de base, afastar um pragmatismo pernicioso, reforçar os valores da ética na política, não dar trégua ao “cretinismo” parlamentar – tudo isso é condição para atingir nossos objetivos intermediários e estratégicos.

Em concordância com este manifesto, nós, presidentes de Diretórios Regionais de 27 Estados, propomos:

1. Desencadear um amplo processo de debates, agitação e mobilização em defesa do PT e de nossas bandeiras históricas;

2. Defesa do nosso legado político-administrativo e do governo Dilma;

3. Participar e ajudar a articular uma ampla frente de partidos e setores partidários progressistas, centrais sindicais, movimentos sociais da cidade e do campo, unificados em torno de uma plataforma de mudanças, que tenha no cerne a ampliação dos direitos dos trabalhadores, da reforma política, da democratização da mídia e da reforma tributária;

4. Apoiar o aprofundamento da reforma agrária e do apoio à agricultura familiar;

5. Orientar nossa Bancada a votar o imposto sobre grandes fortunas e o projeto de direito de resposta do senador Roberto Requião, ambos em tramitação na Câmara dos Deputados;

6. Apoiar iniciativas para intensificar investimentos nas grandes e médias cidades, a fim de melhorar as condições de saneamento, habitação e mobilidade urbana;

7. Buscar novas fontes de financiamento para dar continuidade e fortalecimento ao Sistema Único de Saúde;

8. Apoiar uma reforma educacional que corresponda aos objetivos de transformar o Brasil numa verdadeira Pátria Educadora;

9. Levar o combate à corrupção a todos os partidos, a todos os Estados e Municípios da Federação, bem como aos setores privados da economia;

10. Lutar pela integração política, econômica e cultural dos povos da América, por um mundo multipolar e pela paz mundial. O momento não é de pessimismo; é de reavivar as esperanças. A hora não é de recuo; é de avançar com coragem e determinação. O ódio de classe não nos impedirá de continuar amando o Brasil e de continuar mudando junto com nosso povo. Esta é a nossa tarefa, a nossa missão. É só querer e, amanhã, assim será!

São Paulo, 30 de março de 2015?

Fonte: Brasil 247

Comentar
Compartilhe
Auxiliadora: "Sei o que é ficar sem pagamento"
30/03/2015 | 20h13

Uma servidora da Prefeitura de Campos usou o Facebook para cobrar explicações do Siprosep sobre o reajuste salarial. Em busca de respostas, ela marcou em sua postagem a vereadora governista Auxiliadora Freitas (PHS). Diante da "cobrança virtual", Auxiliadora informou que não participou da negociação com os servidores. Além disso, fez questão de dizer que é professora do estado e sabe o que "é ficar sem pagamento". "Eu não participei de nada disto. Agora eu estou muito preocupada com a crise imposta pelo governo federal ao país. Sou professora do estado e já foi ventilado que só veremos pagamento até abril. Até passar esta crise prefiro meu salário do mês. Sei o que é ficar sem pagamento. Infelizmente, o governo federal está impondo ao nosso país pela incompetência e corrupção um momento crítico ao povo. Solicite do sindicato uma explicação mais precisa. Não participei das negociações", afirmou Auxiliadora na rede social.

Comentar
Compartilhe
Eduardo Paes tentou se aproximar da família Garotinho
30/03/2015 | 18h39
[caption id="attachment_32132" align="aligncenter" width="406"] Em 2012, o prefeito Eduardo Paes se encontrou com a família Garotinho e elogiou Clarissa: "Essa é a melhor da família" - (Foto de Débora Agualuza)[/caption]

O prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), tentou uma aproximação com a família Garotinho e almoçou com a deputada Clarissa recentemente. Ouviu que é impossível uma aliança em 2016. Trata-se de mais um movimento de aproximação com possíveis adversários do deputado Pedro Paulo Carvalho (PMDB), pré-candidato à Prefeitura do Rio. Se o PR, por enquanto, não quer saber de "namoro", outras legendas como PRB, DEM e PSB já abriram conversas com o PMDB.

Paes não gosta de ser chamado de exterminador de oposição, mas sutilmente vai montando de novo um amplo arco para o ano que vem.

Em 2012, durante a manifestação contra a redistribuição dos royalties, Eduardo Paes se encontrou com o casal Garotinho, que estava ao lado da deputada Clarissa Garotinho. Em clima de descontração, Paes apontou para Clarissa e comentou: "Essa é a melhor da família".

Cutucada - Ontem (29), em seu blog, Garotinho comentou sobre a possível candidatura de Paes à presidência da República, em 2018.  "Só se comer na mão de Eduardo Cunha, Renan Calheiros, Sarney (sim, ele ainda tem força no partido) e companhia. E qualquer candidato atrelado a essa turma dá para imaginar em 2018 o julgamento que a opinião pública fará. Ou Paes acha que só vai se falar das Olimpíadas do Rio? Paes na verdade quer ser candidato a governador. Joga para a galera essa história de ser candidato a presidente, afinal vai que cola?".

Por Lauro Jardim

Comentar
Compartilhe
Paciente desabafa: "Entrei com uma dor e saí com duas"
30/03/2015 | 17h10
Do Facebook: 

Comentar
Compartilhe
Lava Jato: 40% das doações de PT, PSDB e PMDB vieram de investigadas
30/03/2015 | 14h04

Empresas investigadas na Operação Lava Jato foram responsáveis, em média, por 40% das doações privadas recebidas pelos diretórios nacionais do PT, do PSDB e do PMDB no período de 2007 a 2013. Segundo levantamento do jornal O Estado de S.Paulo, os três principais partidos políticos do país receberam, no período, R$ 557 milhões de 21 empresas apontadas como participantes do esquema de cartel e corrupção da Petrobras.

O partido que recebeu a quantia dessas empreiteiras foi o PT (R$ 321,9 milhões), seguido do PSDB (R$ 137,9 milhões) e do PMDB (R$ 97,6 milhões). Esse valor corresponde a 41% das contribuições privadas declaradas pelo diretório nacional petista, a 42% do montante informado pelo PSDB e por 35% do total registrado pelo PMDB.

A Operação Lava Jato apontou a existência de um cartel composto por quase todas as grandes empresas de construção do país. Investigadores e delatores sustentam que contratos com a Petrobras eram superfaturados, mediante pagamento de propina a funcionários, agentes políticos e partidos.

De acordo com o Estadão, os maiores repasses foram feitos pela Andrade Gutierrez (R$ 136,3 milhões), pela Queiroz Galvão (R$ 103,7 milhões), pela Camargo Corrêa (R$ 73,4 milhões), pela Odebrecht (R$ 58 milhões) e pela OAS (R$ 57,2 milhões). Essas empresas foram responsáveis por 77% das doações feitas pelas empreiteiras investigadas aos três partidos entre 2007 e 2013.

Há duas semanas, na votação da proposta orçamentária, o Congresso decidiu triplicar, passando de R$ 290 milhões para R$ 868 milhões, o montante de recursos do chamado fundo partidário, distribuído às siglas, sobretudo, conforme a votação obtida por cada uma na eleição para deputado federal.

Leia a reportagem no Estadão

Atualização às 19h40 - O blog "Opiniões", do jornalista Aluysio Abreu Barbosa, que acompanha os escândalos nacionais em tempo real, publicou ontem (29) uma nota sobre as doações das empresas aos três partidos: aqui 

Comentar
Compartilhe
Câmara: Prestação de Contas da Saúde começa só com Rafael Diniz e Edson Batista
30/03/2015 | 11h11

Começou por volta das 11h desta segunda-feira (30) uma audiência pública na Câmara de Campos com a presença do vice-prefeito e secretário de Saúde, Chicão Oliveira (PP). O objetivo da audiência é apresentar uma prestação de contas sobre as ações do governo Rosinha Garotinho (PR) na área da Saúde.

Para a surpresa de quem compareceu ao Legislativo, a audiência pública, sobre um tema tão importante, conta apenas com as presenças do presidente da Câmara de Campos, Edson Batista (PTB), e do vereador oposicionista Rafael Diniz (PPS).

Atualização às 12h20 - Na tribuna, o vereador Rafael Diniz fez questionamentos sobre o programa "Emergência em Casa", a demora para a conclusão da reforma no Hospital São José, descaso nos canis do CCZ, falta de estrutura no Caps III e apontou a diferença entre a "propaganda oficial" e o relato de quem acompanha de perto. "Os médicos plantonistas assinaram um manifesto e relataram falta de material de consumo, instalações físicas inadequadas, população se multiplicou e a estrutura nos prontos socorros não mudou", disse Rafael, que citou um trecho do Plano de governo da chapa Rosinha/Chicão na eleição de 2008: "Vocês disseram que a população de Campos elegeu a Saúde como prioridade, devido ao péssimo atendimento que recebiam, à desordem que imperava no setor, com falta de médicos, remédios e até mesmo produtos básicos como esparadrapo para um simples curativo. E agora, com uma arrecadação de R$ 11 bilhões nos últimos seis anos, o que mudou? Só vemos uma 'Saúde nota 10' na propaganda paga pela equipe da Comunicação", disse Diniz.

Na defesa do governo, Chicão afirmou que o programa "Emergência em Casa" vai além do Samu, que disponibilizaria apenas uma ambulância. Ele informou que novos veículos já estarão circulando em breve e lembrou que foi aberto um inquérito administrativo para apurar a suposta demora no atendimento de uma senhora que faleceu na última semana. Sobre o Hospital São José, o secretário alegou que não tem um prazo para a entrega, e que a secretaria de Obras poderia informar melhor. Em relação ao CCZ, o secretário alegou ter tomado conhecimento após a denúncia (aqui) e ressaltou que as devidas providências foram tomadas. Sobre o Caps III, Chicão comentou que os problemas (aqui) eram pontuais e que o governo avançou muito no tratamento de pacientes com transtornos mentais. Segundo Chicão, que preferiu não dar uma nota para a atuação do governo na área da Saúde, o governo Rosinha avançou muito e trata a área como prioridade.

Comentar
Compartilhe
Mauro, Chicão e a lição de Frank Underwood
29/03/2015 | 19h15
[caption id="attachment_32099" align="aligncenter" width="491"] Durante solenidade que marcou a abertura das festividades de comemoração do aniversário da cidade, Mauro e Chicão se posicionaram estrategicamente - Foto: Gerson Gomes / Secom[/caption]

Na primeira temporada da série "House Of Cards", o sagaz e maquiavélico Frank Underwood, interpretado por Kevin Spacey, disse que “poder é muito parecido com o mercado imobiliário. Tudo se resume a localização, localização, localização. Quanto mais próximo estiver da fonte, mais valiosa é sua propriedade”.

Em Campos, quem tem acompanhado as últimas solenidades já notou que o vice-prefeito e secretário de Saúde, Chicão Oliveira (PP), e o vereador Mauro Silva (PT do B), líder do governo na Câmara de Campos, andam valorizando muito a “localização”. Sempre ao lado do casal Garotinho, Chicão e Mauro demonstram que estão dispostos a ocupar a “área” mais cobiçada pelos políticos da planície goitacá.

Comentar
Compartilhe
Governo Rosinha gastou R$ 20,2 milhões com "despesas judiciais"
29/03/2015 | 18h42
[caption id="attachment_32096" align="aligncenter" width="384"] Ranulfo comentou sobre Balanço Orçamentário e deixou pergunta no ar[/caption]

Em artigo publicado neste domingo, que pode ser lido no blog "Opiniões" (aqui), do jornalista Aluysio Abreu Barbosa, os economistas Ranulfo Vidigal e Wilson Diniz comentaram sobre o Balanço Orçamentário da Prefeitura de Campos e apontou um "caos financeiro". Segundo o economista, é possível notar que o governo Rosinha gastou muito com despesas judiciais.  "A dotação inicial orçada foi de R$ 3,7 milhões. Atualizada, passou para R$ 20,2 milhões, sendo R$ 11,1 milhões, liquidadas no primeiro semestre no início da campanha eleitoral para governo do estado. A conta abre espaço para os auditores e a sociedade civil de classes questionarem: quais os advogados e os processos judiciais que justifiquem um aumento de R$ 16,5 milhões de reais alocados nestas despesas? Será que foi só com ações da Prefeitura sem cunho político de campanha eleitoral para defender o secretário de Governo?", indagou.

Comentar
Compartilhe
Apertem os cintos: o piloto do Brasil sumiu
29/03/2015 | 17h07

Não há antídoto contra a loucura de quem pilota um avião ou um país. Podemos submeter um piloto de Airbus ou o presidente de uma nação a avaliações psicológicas e físicas periódicas, para tentar assegurar um certo equilíbrio e coerência nas decisões tomadas na cabine de comando. Mas nada é 100% garantido. Crises de depressão ou egocentrismo são especialmente perigosas para quem controla a vida de centenas de passageiros ou milhões de habitantes.

Vivemos uma situação de descontrole total na cabine de comando do Planalto. A queda do país é abrupta em todos os níveis – e já era esperada por quem não se deixou iludir em 2014. Está claro que a recessão começou no ano das mentiras. Desemprego sobe, renda tem a maior queda em dez anos, preços aumentam 7,9%. Trabalhadores são assaltados nos metrôs, nos pontos de ônibus, nas vias expressas congestionadas, nos túneis. Os Estados estão quebrados, os aliados voam como baratas tontas e moscas azuis, a “comandanta” é chamada de agiota por prefeitos muy amigos.

Só não sabemos ainda quem são hoje o piloto e o copiloto do Brasil – e qual deles é mais propenso a ataques de pânico ou de autoritarismo. Temos apenas duas certezas: uma é que tem gente demais empoleirada no comando, posando de bonzinho, mas querendo derrubar o Brasil de encontro às montanhas, estilhaçar qualquer possibilidade de ajuste de expectativas. A outra certeza é que nós somos os trancados do lado de fora, reféns de um bando de loucos mal-intencionados.

Quem são o piloto e os copilotos hoje responsáveis por nossa vida e a de nossos filhos e netos? Está difícil enxergar Dilma Rousseff sentada na poltrona de quem aperta os botões e define a direção e a velocidade do jumbo Brasil. Se traçarmos um paralelo com a tragédia do Airbus que provocou luto e estupor no mundo, Dilma hoje se parece mais com aquele que foi ao banheiro em hora imprópria, de aterrissagem, e não conseguiu retornar.

Ninguém escuta mais as broncas de Dilma, que estão virando sussurros. Ela pegou o machado para decepar a lei de novembro passado, que aliviava as dívidas dos prefeitos. O machado voltou como bumerangue. Não importa mais o partido político na hora em que o bolso aperta. Pode ser Eduardo Paes (PMDB-RJ) ou Fernando Haddad (PT-SP). Paes já entrou com ação contra Dilma. Haddad já disse que não vai deixar barato. Os calotes se ampliam nos Estados. A irresponsabilidade fiscal compromete o ajuste fiscal prometido pelo ministro da Fazenda, Joaquim Levy. Trocando em miúdos, os únicos que precisam pagar as contas em dia somos nós, os contribuintes. Ao enfrentar um clima adverso, nuvens negras e trovoadas, o pior conselheiro é a solidão – por isso, é tão crucial ter “alguém” com experiência, honestidade e credibilidade ao lado do comandante. Quem será?

O jumbo Brasil precisa do tecnocrata Levy como copiloto. Mas lhe faltam experiência e autoridade políticas para lidar com os abutres ou aplacar disputas. Quem teria de enfrentar as rebeliões dos aliados seria a “presidenta”. Não foi ela quem ganhou nas urnas? Só que Dilma foi ao banheiro e não conseguiu voltar, não abrem a porta para ela, não há mais cavalheiros, só cavaleiros do apocalipse, até em seu próprio partido, o PT. O que parecia inacreditável aconteceu. Quem apoia hoje medidas de austeridade da presidente, quem é contra o impeachment, quem é a favor da governabilidade para não espatifar o Brasil no Planalto Central é uma das instituições mais criticadas por Lula, Dilma e sua turma: a imprensa.

O jumbo Brasil está sem rumo. E quem está aboletado na cabine de comando são os amotinados do PMDB, a dupla caipira Renan Calheiros e Eduardo Cunha, um alagoa­no e um carioca com milhares de fios de cabelos implantados e muitos delírios de Poder na cabeça. Ambos odeiam um tripulante da nave Brasil com fama de oportunista, Gilberto Kassab. A manobra de Kassab para criar mais um partido, o PL, é chamada por Renan de “molecagem” e por Cunha de “alopragem”.

Sob a pressão de moleques, aloprados e loucos, Dilma é a primeira refém da armadilha que Lulalá e ela criaram. Já não lhe compete demitir ou nomear. Dilma hoje é torpedeada até quando tenta acertar. Mas é impossível ter pena. Se a hora é de arrocho, Dilma, dê o exemplo, ceda à jogada do novo PMDB e comece a cortar seus 39 ministérios e seus 22 mil cargos de confiança. Porque é imoral o tamanho dessa máquina e das boquinhas públicas. Confiança se ganha devagar e se perde muito rápido. Poucos de seus eleitores embarcariam hoje num avião pilotado pela senhora. Os maiores reféns somos nós. Apertem os cintos.

Fonte: Ruth de Aquino/Época 

Comentar
Compartilhe
"Águas do Paraíba": Magal volta a falar em "cafezinho" e Edson Batista rebate
28/03/2015 | 12h10

Em junho de 2013, um simples "cafezinho" gerou uma troca de farpas na Câmara entre os vereadores Jorge Magal (PR) e Mauro Silva (PT do B). Na época, conforme pode ser visto no blog "Na Curva do Rio" (aqui), da jornalista Suzy Monteiro, o vereador Magal disse, durante uma audiência pública, que Mauro teria ido tomar um "cafezinho" com representantes da concessionária "Águas do Paraíba". Segundo Magal, Mauro Silva teria contribuído com uma parte do vídeo institucional da Águas do Paraíba (a parte em que a prefeita Rosinha aparece falando de parceria com a empresa).

Após a "cutucada" de Magal, Mauro Silva disparou: “Tire esse ódio do coração. De prático o senhor não apresentou nada. Como se eu tivesse domínio sobre o que a prefeita fala. O plenário não pode ser usado para fazer politicagem”, disse, acrescentando que Magal havia faltado com a verdade.

Agora, quase dois anos depois, uma nova audiência pública será realizada na próxima sexta-feira (03). E a polêmica do "cafezinho" voltou. Ontem (27), durante participação no programa "Expressão Absoluta", da rádio Absoluta AM, Magal afirmou que a Câmara debateu várias vezes sobre uma CPI para investigar denúncias contra a concessionária "Águas do Paraíba", mas as assinaturas são retiradas "após cafezinho na empresa".

Ciente da crítica de Magal, o presidente da Câmara de Campos, vereador Edson Batista (PTB), participou ao vivo do programa e afirmou que não tomou cafezinho com os representantes da concessionária, nem negociou retirada de assinaturas para a abertura de CPI. "Não tomei café algum, nem solicitei retirada de assinaturas. Cada vereador responde pelos seus atos e tudo na Câmara é feito de forma democrática e transparente", disparou Edson.

* Com informações do Ururau

Comentar
Compartilhe
Governo Pezão tem dívidas com obras e fornecedores de R$ 2,9 bilhões
28/03/2015 | 01h25

Um levantamento feito no Sistema de Acompanhamento Financeiro do Estado (Siafem) pelo deputado estadual Luiz Paulo Corrêa da Rocha (PSDB) mostra que a dívida do estado é de R$ 2,9 bilhões — sendo R$ 1 bilhão com restos a pagar do ano passado e R$ 1,9 bilhão com serviços já executados nos três primeiros meses deste ano, mas que ainda não foram pagos. O governo estima que a previsão do déficit de caixa até dezembro será de R$ 13,5 bilhões e anunciou uma série de medidas para tapar o buraco, como o uso de R$ 6,2 bilhões do Fundo de Depósito Judicial. A proposta que autoriza a utilização do recurso foi aprovada na última quinta-feira (26), na Assembleia Legislativa (Alerj).

Na área de segurança, por exemplo, faltam recursos até mesmo para a alimentação de presos. O governo pagou um pouco mais da metade dos R$ 27 milhões que deve a fornecedores. A inadimplência também tem prejudicado o atendimento nas delegacias, segundo o Sindicato dos Empregados das Empresas de Asseio e Conservação. A entidade diz que 800 trabalhadores que fazem limpeza e o atendimento nas delegacias estão sem receber há dois meses. De acordo com o deputado Zaqueu Teixeira, que também é delegado, policiais têm assumido a função de atendentes devido à falta de pagamento dos funcionários terceirizados.

Em nota, o governador Luiz Fernando Pezão informa que o estado tem feito todos os esforços para regularizar a situação com seus fornecedores. Ele diz que em breve os prestadores de serviço terão uma definição mais clara sobre o cronograma de quitação dos débitos. “Os atuais débitos com seus fornecedores refletem uma situação econômica extremamente difícil para o país e, especialmente, para o estado”, informou Pezão, na nota. Ainda segundo o texto, a queda nos preços do barril do petróleo, a desaceleração do crescimento e a crise da Petrobras estão afetando as finanças do estado.

Para arcar com os compromissos, o governador conta receber de seus devedores cerca de R$ 8 bilhões. Também pretende fazer cortes no custeio e nas despesas do governo. "Estamos negociando permanentemente com os nossos devedores. Assim como o estado deve quase R$ 1 bilhão, temos mais de R$ 8 bilhões para receber de devedores. Só nessa semana, nós fizemos uma negociação para receber R$ 1,5 bilhão de um devedor. Já sentei com mais de 20, propondo uma negociação. Eu tenho certeza que a gente vai repor esse déficit", disse o governador. 

Fonte: Extra 
Comentar
Compartilhe
Consultorias de Palocci teriam sido usadas para desviar R$ 100 milhões ao PT
28/03/2015 | 01h10

A pedido da Procuradoria Geral da República está em curso na Justiça Federal do Paraná uma investigação sobre a participação do ex-ministro da Fazenda e da Casa Civil, Antônio Palocci Filho, no esquema do Petrolão. Entre os alvos principais do processo estão contratos feitos entre a Projeto – consultoria financeira pertencente ao ex-ministro – e empresas que fizeram direta ou indiretamente negócios com a Petrobras. Com base em delações premiadas, documentos apreendidos e até na prestação de contas feitas pelos partidos, procuradores e delegados da Operação Lava Jato calculam que consultorias feitas por Palocci possam ter sido usadas para desviar cerca de R$ 100 milhões do Petrolão para os cofres do PT. “Vamos demonstrar que, assim como o ex-ministro José Dirceu, Palocci trabalhou para favorecer grupos privados em contratos feitos com a Petrobras e canalizou ao partido propinas obtidas a partir de recursos desviados da estatal”, disse um dos procuradores na tarde da quarta-feira 25.

Até a semana passada, os procuradores observavam com lupa seis contratos da empresa de Palocci e nas próximas semanas deverão recorrer ao juiz Sérgio Moro para que autorize a quebra dos sigilos bancário e fiscal do ex-ministro. Os documentos e depoimentos que mais têm despertado a atenção de delegados e procuradores dizem respeito às relações do ex-ministro com a WTorre Engenharia e com o Estaleiro Rio Grande. De acordo com os relatos feitos por procuradores da Lava Jato, em 2006, após deixar o governo Lula acusado de violar o sigilo bancário do caseiro Francenildo dos Santos Costa (leia quadro na pág. 38), Palocci teria intermediado a aquisição do Estaleiro Rio Grande pela WTorre. Meses depois da negociação e sem nenhuma expertise no setor naval, a empresa venceu uma concorrência para arrendamento exclusivo do estaleiro à Petrobras. Em seguida, a estatal fez uma encomenda para a construção de oito cascos de plataformas marítimas, em um contrato de aproximadamente US$ 6,5 bilhões. “Não é comum que uma empresa sem nenhum histórico no setor vença uma concorrência bilionária”, afirma um dos procuradores da Lava Jato. Os indícios encontrados pelo Ministério Público, porém, vão além do simples estranhamento.

Investigações promovidas pela Operação Lava Jato indicam que, por orientação de Palocci, o Estaleiro Rio Grande buscou parcerias internacionais para poder cumprir o contrato com a Petrobras. Uma das empresas procuradas para tanto foi a holandesa SBM, já relacionada como uma das mais fortes pagadoras de propinas no esquema do Petrolão. Os documentos em poder da Operação Lava Jato mostram que, no início do ano passado, um ex-executivo da SBM, Jonathan Taylor, procurou a Receita e o Ministério Público da Holanda e revelou que empresa destinara US$ 102 milhões para o pagamento de propinas no Brasil, em troca de contratos para o fornecimento de navios e plataformas a Petrobras.
Fonte: IstoÉ
Para ler a matéria completa, clique aqui 
Comentar
Compartilhe
Pra ser ruim de verdade, tem que ser ruim pra todo mundo
27/03/2015 | 23h47

Já ensinava Nicolau Maquiavel: “Quando fizer o bem, faça-o aos poucos. Quando for praticar o mal, faça de uma vez só”. 

Nos últimos meses, talvez seguindo a cartilha de Maquiavel, o governo Rosinha Garotinho (PR) conseguiu se desgastar, de uma vez só, com as mais variadas classes. De forma democrática, a prefeita dividiu o seu "pacote de maldades" com todos os campistas. Vamos listar alguns exemplos:

Os servidores municipais não estão nada felizes. Após sonhar com reajuste de 18% e Plano de Cargos e Salários, a classe teve que escolher entre uma coisa ou outra. E olhe lá!

Pais de alunos e professores apontam deficiências e riscos em escolas municipais.

Pacote de Maldades: Reajustes do IPTU e Taxa de Iluminação foram muito acima da inflação. Prefeitura também reajustou tarifas de água e esgoto.

"Remédio Amargo": Projetos enviados pela prefeita e aprovados pela bancada governista cortaram parte das gratificações concedidas aos servidores. De acordo com os governista, trata-se de um "remédio amargo e necessário".

Terceirizados demitidos, após a eleição, não estão nada satisfeitos.

Permissionários do Shopping Popular Michel Haddad apontam prejuízos e cobram promessas do governo.

Pacientes listam problemas estruturais em postos e hospitais.

Carnavalescos vivem indefinição sobre Carnaval fora de época.

Funcionários que recebem por RPA reclamam sobre constantes atrasos.

Empresários sofrem para receber por serviços prestados.

Veículos de comunicação que divulgam a propaganda oficial têm notas atrasadas desde setembro do ano passado.

Cargos de confiança se preparam para a “degola”.

Vereadores rosáceos choramingam pelos cantos.

E agora, para completar, 21 mil famílias vão ficar, este mês, sem o Cheque Cidadão.

Comentar
Compartilhe
Com suspeita de AVC, Dirceu faz exames em Brasília
27/03/2015 | 18h58

Condenado no processo do mensalão, o ex-ministro José Dirceu está, na tarde desta sexta-feira, em um hospital de Brasília passando por uma bateria de exames após suspeita de que tenha sido vítima de um AVC (Acidente Vascular Cerebral). Ao longo da semana, ao detectar vermelhidão em um dos olhos, o ex-ministro procurou um médico acreditando estar com um problema de visão. No entanto, exames de imagem detectaram uma pequena marca no cérebro que pode apontar para um AVC de pequena proporção.

Dirceu está no hospital para refazer os exames e confirmar o diagnóstico. Fontes próximas do ex-ministro disseram ao GLOBO que ele está consciente e ainda não sabe se ficará internado para tratar da doença. O nome do hospital não foi divulgado.

Após exames na última segunda-feira, José Dirceu foi orientado pelo médico que o acompanha a fazer exames mais detalhados. O ex-ministro teria sido internado para exames nesta sexta-feira no início da tarde. A assessoria de imprensa de Dirceu informa apenas que ele faz exames de rotina. A amigos, demonstrou tensão nos últimos dias.

O petista estava no regime semiaberto e migrou para o domiciliar em 4 de novembro do ano passado, depois de cumprir um sexto da pena.

Fonte: O Globo 
Comentar
Compartilhe
Prefeitura de Quissamã: "Octávio se mantém firme e desconhece denúncias"
27/03/2015 | 18h49

Na tarde de ontem o blog publicou nota (aqui) informando que o prefeito de Quissamã, Octávio Carneiro (PP) é alvo de uma Comissão Processante (CP) aprovada pela Câmara. De acordo com os parlamentares, existem diversas denúncias que serão apuradas. A vereadora Kitiely Freitas (PR), ex-líder do governo na Câmara, chegou a cogitar a possibilidade do prefeito ser cassado.

Nesta sexta-feira (27), a Prefeitura de Quissamã encaminhou uma nota e garantiu que o prefeito "se mantém firme". Confira: Nota da Prefeitura de Quissamã

O prefeito de Quissamã, Octávio Carneiro, não tem conhecimento do teor da suposta denúncia até o presente momento, pois não foi notificado de absolutamente nada, e portanto, desconhece o que está sendo imputado à sua pessoa. O Chefe do Executivo quissamaense se mantém firme, já que sua conduta sempre foi pautada na probidade administrativa, e responderá tranquilamente a todos os questionamentos que lhe forem requeridos. No caso de ser instaurada qualquer ação contra ele, Octávio aguardará a notificação e tomará as medidas de direito que forem pertinentes.

Comentar
Compartilhe
Carnaval em junho, com corte de 25%
27/03/2015 | 18h05

Os carnavalescos de Campos já foram informados sobre o novo plano do governo Rosinha para o Carnaval fora de época. Como o blog adiantou (aqui), a ideia é deixar a folia para junho. De acordo com fontes do blog, o Carnaval pode ser realizado de 12 a 14 de junho. Por conta da crise, as escolas e blocos receberiam repasses com um corte de 25% em relação ao ano passado. Com a mudança, a Prefeitura ganha tempo para tentar conseguir patrocínios. O problema é que um DVD com os desfiles do ano passado não empolgou muito os possíveis patrocinadores. Apenas seis agremiações, entre escolas e blocos, teriam apresentado um desfile satisfatório.

Chegaram a cogitar empurrar o Carnaval fora de época para julho ou agosto, mas a maioria das agremiações não teria aceitado. Inclusive, cogitou-se a possibilidade de protestos.

Ela prometeu -  Em seu plano de governo na disputa eleitoral de 2008 a então candidata Rosinha prometeu: "restruturar o Carnaval em moldes e regulamento que proporcionem a participação de toda a sociedade envolvida com essa manifestação cultural". Além disso, garantiu que "ampla discussão com as entidades carnavalescas e instituições que possam contribuir para a revitalização".

Comentar
Compartilhe
Pesquisa CNI/Ibope: números ainda piores de popularidade do governo
27/03/2015 | 14h22

Já está circulando na CNI a pesquisa encomendada ao Ibope para medir o pulso do país – e mais especificamente a popularidade do governo.

A pesquisa deve ser divulgada a qualquer momento entre hoje e segunda-feira. Antes, claro, Robson Andrade, o presidente da CNI, vai cumprir o ritual de comunicar antecipadamente o resultado ao Palácio do Planalto.

A tendência é que os números sejam piores para o governo do que os registrados pelo Datafolha na semana passada.

Por Lauro Jardim

Comentar
Compartilhe
No Facebook, Rosinha anuncia promoção da "Palavra de Paz"
27/03/2015 | 13h53

A prefeita Rosinha Garotinho (PR) usou o Facebook para compartilhar uma postagem da empresa "Palavra de Paz", que pertence ao seu marido. Na postagem, ela informa sobre a promoção de uma Bíblia de Estudos com "preço imbatível" e que pode ser parcelada em 3x no cartão. Confira:

"O primeiro Campeão de vendas é a Bíblia" - Em 2010, em uma gravação divulgada pela imprensa, Garotinho comentou sobre os lucros da empresa "Palavra de Paz". "Você está aqui numa empresa, que é a 'Palavra de Paz'. Que é a maior distribuidora de produtos evangélicos do Brasil, e a nossa especialidade é o catálogo. Se eu não me engano, são vendidas 420.000 Bíblias (...) Eu pago R$ 180.000 por mês de imposto. Só não pago mais porque Bíblia é isenta, livro isenta imposto. O primeiro Campeão de vendas é a Bíblia, Segundo é CD, Terceiro é livro, quarto é camisa. Camisa é 18% (de imposto), CD 25 (%), DVD 25 (%)". A transcrição completa está disponível no blog do advogado Cláudio Andrade: aqui 

Comentar
Compartilhe
Em jantar com Dilma, Clarissa critica medida "indigesta" do governo
27/03/2015 | 10h26

A presidente Dilma Rousseff aproveitou o jantar na noite de quarta-feira com ministras, deputadas e senadoras da bancada feminina para fazer uma defesa da ex-presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, na véspera de seu depoimento à CPI da Petrobras. O evento, no mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, teve pouca pauta de gênero e ficou centrado em temas áridos como a dificuldade para aprovação do ajuste fiscal, a corrupção na Petrobras e o cenário econômico adverso.

Mesmo em meio à avalanche de crises pela qual passa o governo, a presidente Dilma aparentava tranquilidade. Sua preocupação maior foi externada ao falar das Medidas Provisórias 664 e 665, que endurecem as regras para concessão de benefícios trabalhistas, como seguro-desemprego, pensão por morte e abono salarial.

A deputada Clarissa Garotinho (PR-RJ), que ficou na mesma mesa que Dilma, disse que a presidente estava muito preocupada com a implementação das medidas de ajuste, mas disse que entendia que o Congresso faria o debate e as mudanças sobre o tema. "Questionei alguns pontos do ajuste e disse que são muito difíceis de serem votados. Ouvi muitas deputadas comentarem isso no jantar, que no momento de crise é quando mais pessoas são demitidas, então não dá para restringir acesso a direitos como o seguro-desemprego", disse Clarissa.

Sonhar não custa nada - No dia do jantar com a presidente Dilma, Clarissa Garotinho publicou foto diante do Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência do Brasil, com a seguinte legenda: "Quem sabe um dia... Rs!"

Fonte: O Globo 

Comentar
Compartilhe
Garotinho na Câmara
27/03/2015 | 10h14

O secretário de Governo da Prefeitura de Campos, Anthony Garotinho (PR), agendou visita à Câmara de Campos nesta sexta-feira (27), às 15h. Na ocasião, Garotinho deve comentar sobre a reforma administrativa e responder perguntas dos vereadores. A participação ocorreria no último dia 18, mas por conta de uma indisposição o secretário seguiu orientações médicas e ficou de repouso.

No dia 24 de fevereiro, quando o secretário esteve na Casa e transformou a sessão em “Show do Garotinho” (aqui), ficou definido que a participação seria mensal. “Estarei na Câmara, uma vez por mês, para responder perguntas referentes ao governo municipal”, disse Garotinho, que na ocasião prometeu levar outros secretários.

Chicão- Na próxima segunda-feira (30) será a vez do vice-prefeito e secretário de Saúde, Chicão Oliveira (PP). Ele vai participar de audiência pública com o objetivo de prestar contas sobre as ações na área da Saúde.

Atualização às 11h30 - A participação do secretário foi adiada. De acordo com fontes do blog, a visita deve ficar para a próxima terça-feira (31), às 17h.

Atualização Às 15h - Por meio de ofício, o presidente da Câmara de Campos, Edson Batista (PTB), solicitou que a participação de Garotinho ficasse para o dia 31.

Comentar
Compartilhe
Álvaro César faz ponte entre governo do estado e Prefeitura
27/03/2015 | 10h01
[caption id="attachment_32023" align="aligncenter" width="430"] Vereador Álvaro César firmou a parceria com o secretário estadual de Agricultura, Christino Áureo, e com a presidente da Emater, Stella Romanos[/caption]

O vereador Álvaro César (PMN) nunca escondeu que, apesar de fazer parte da bancada rosácea, mantém boas relações com o governo estadual, principalmente com o secretário de Agricultura Christino Áureo (PSD). Agora, com o governo municipal passando por dificuldades financeiras, o vereador sugeriu um convênio para facilitar a vida dos produtores rurais de Campos. “Falei com o secretário de Governo, Anthony Garotinho, sobre essa possibilidade e ele apoiou a ideia. Estamos trazendo uma Patrulha Mecanizada do estado que ficará a disposição dos produtores rurais de Campos. Inclusive, o governador ficou de visitar o município e demonstrar todo o seu empenho nesta parceria”, diz Álvaro, ressaltando que o momento não é briga. “As disputas a gente deixa para as eleições. Depois, temos que nos unir e trabalhar juntos. Quem ganha com isso é a populalação”, afirmou.

Comentar
Compartilhe
Pezão: "O PT não vai entrar no governo agora"
27/03/2015 | 09h47

O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, descartou a entrada de petistas em seu governo. Os presidentes do PMDB do Rio, Jorge Picciani, e do PT fluminense, Washington Quaquá, estavam negociando uma reaproximação. “O PT não vai entrar no governo agora. O PT não foi da minha aliança. Eu tenho um profundo respeito pelo Partido dos Trabalhadores, mas, aqui no Rio, eles foram oposição”, afirmou Pezão, na inauguração de uma agulha na Rodovia Presidente Dutra, em São João de Meriti. Ele, no entanto, sinalizou que o partido pode voltar ao governo em algum outro momento.

Os dois partidos romperam uma aliança de anos após decisão do senador Lindbergh Farias de se candidatar ao governo do Estado.

Fonte: Brasil 247

Comentar
Compartilhe
Pai de santo procura Dilma e tenta alertar sobre "encosto"
26/03/2015 | 19h27

Depois do deputado Cabo Daciolo (leia mais aqui), hoje foi a vez de um pai de santo dirigir-se à portaria do Palácio do Planalto e pedir para falar com a presidente Dilma Rousseff. Dizia ter uma carta para entregar.

Sabe-se lá por quê, o pai de santo foi encaminhado à Secretaria de Relações Institucionais, comandada por Aloízio Mercadante. Foi recebido por uma secretária. Explicou o pai de santo, apontando para a Praça dos Três Poderes:

- Dilma tem que se proteger. Vim aqui falar isso com ela. Todo mundo aqui faz batuque.

Diante da surpresa da secretária, o pai de santo destacou o principal perigo:

- A Dilma tem que se proteger do Eduardo Cunha.

No entendimento do pai de santo, Dilma não pode perder tempo.

Assustada, a secretária interrompeu a conversa e, discretamente, telefonou para a segurança. Oito homens subiram até o quarto andar, onde fica a SRI, a Casa Civil e a Secretaria-Geral. Gentilmente, o pai de santo foi convidado a se retirar.

A secretária fez um apelo aos seguranças, indagando por que o pai de santo foi autorizado a subir. Eles tentaram tranquilizá-la, dizendo que já havia um alerta contra ele no terceiro piso, andar onde fica o gabinete de Dilma.

Ou seja: nenhum alerta no quarto andar. Te cuida, Mercadante.

Fonte: Lauro Jardim/Radar on-line

Comentar
Compartilhe
Quissamã: Câmara cria Comissão Processante para investigar governo Octávio
26/03/2015 | 17h39
[caption id="attachment_32010" align="aligncenter" width="443"] O vereador Marcos Silva (PROS) preside a Comissão Processante, tendo como vice-presidente Isabel Pessanha (PMDB), e Jorge Rodrigues (PPS) como relator[/caption]

A Câmara Municipal de Quissamã criou nesta quinta-feira (26) uma Comissão Processante (CP) para apurar supostas irregularidades no governo Octávio Carneiro (PP). Após uma série de requerimentos de informação, convocações de secretários municipais, o Poder Legislativo decidiu apurar fatos com fortes indícios de irregularidades, a partir de denúncias que chegaram ao Legislativa. O vereador Marcos Silva (PROS) preside a Comissão Processante, tendo como vice-presidente Isabel Pessanha (PMDB), e Jorge Rodrigues (PPS) como relator. A conclusão das investigações pode resultar na cassação do prefeito.

A CP deve concluir no prazo de 30 a 60 dias, a apuração de todos os atos denunciados na carta denúncia enviada ao Poder Legislativo pelo servidor municipal Amaro José do Patrocínio, acatado pelos vereadores. Muitas das acusações já discutidas em plenário, assunto de requerimentos de informações e questionamento dos vereadores.

Pesam sobre o prefeito de Quissamã acusações de que em 2013, quando assumiu o governo, teria decretado situação de emergência no município e, posteriormente ao período de seis meses, prorrogado tal Decreto, para se valer do direito de contratações de bens e serviços com dispensas de licitações. Contratos em valores considerados exorbitantes no serviço de coleta de lixo e contratações de ambulâncias foram realizados neste período. No caso das ambulâncias, já existe denúncia do Ministério Público Estadual (processo nº0001511-82.2014.8.19.0084).

A legalidade do Decreto 1725/2013, a celebração de Aditivos ilegais com o Instituto Vida e Saúde (INVISA), que inclusive já é investigado em ação do Ministério Público como ato de improbidade administrativa – Ação Civil Pública nº 0000852-73.2014.8.19.0084 proposta pela Tutela Coletiva de Macaé também segue na carta de acusações.

Dívida com o município de Campos - Também deverá ser investigada a inadimplência com o Município de Campos em função da quebra contratual por falta de investimento do Consórcio do Complexo Logístico e Industrial Farol-Barra do Furado.

Logo depois da votação os vereadores recepcionaram um grupo de manifestantes, que também foram as ruas cobrar direitos e benefícios que não estariam sendo concedidos pelo governo municipal.

Fonte: Ascom/Câmara de Quissamã 

Comentar
Compartilhe
Não foi por falta de aviso
26/03/2015 | 17h28

Em novembro de 2013 o médico sanitarista Erik Schunk (PSOL) divulgou algumas imagens que mostram a situação do Colégio 29 de Maio, a maior escola da rede municipal. “Falta de calçamento dentro de pátio, a instalação elétrica é um risco constante à integridade dos alunos e funcionários, há infiltração de água em teto e paredes com mofo nesses locais com risco de alergias e infecções respiratórias. Lixeiras, cadeiras e portas de salas quebradas completam o quadro de abandono em que se encontra escola. Até quando Dona Rosinha?”, pergunta Schunk.

Na época, o blog divulgou as imagens: aqui 

Quase um ano e meio depois, professores, alunos e pais de alunos relatam que, o que já era ruim, conseguiu ficar ainda pior. Agora, além dos problemas na estrutura, também faltam porteiros, vigilantes e inspetores. Matéria publicada pela Folha nesta quinta-feira (26) (aqui) mostra a revolta dos professores diante do descaso. Eles reivindicam melhorias na escola, que, segundo disseram, estaria sem porteiro, sem vigilante e sem inspetor. “Com o nosso movimento, hoje (quarta) chegou uma pessoa informando que é inspetora, mas não vimos contrato. E como uma inspetora dará conta de cerca de 1.000 alunos? Agora temos dois funcionários na limpeza. Estamos sem porteiro”, disse uma professora.

Os professores relataram ainda portas quebradas, salas mofadas, banheiros com problemas e goteiras. Eles reclamaram também da violência que teria aumentado na escola. Recentemente, uma briga entre alunos quase terminou em tragédia. "Um aluno teve a cabeça chutada várias vezes e um professor teve que separar a briga, já que não havia vigia nem inspetor. Será que o governo está esperando ocorrer uma tragédia? Estamos completamente desamparados", indagou.

Comentar
Compartilhe
Ponto final — Quem não tem dinheiro conta história
26/03/2015 | 11h44
 

Quem não tem dinheiro... (I)

O personagem Paulinho Gogó, do humorístico “A Praça é Nossa”, tem um bordão que diz: “Quem não tem dinheiro conta história”. Em tempos de vacas magras, com queda de arrecadação, já tem político tentando resolver tudo na base do “gogó”. Nos últimos dias, o governo Rosinha tentou dialogar com servidores, dialogou com médicos, prometeu conversar com professores e vai conversar amanhã com os vereadores.

Quem não tem dinheiro... (II)

Com a volta ao município de um especialista na arte de usar o “gogó”, o grupo tenta criar fatos para ganhar tempo e evitar um desgaste ainda maior. Porém, nem o melhor orador do mundo é capaz de limpar a barra de um governo com sérios problemas nas áreas da Educação, Saúde, obras paradas e mal planejadas, além da ausência de bons quadros técnicos. Ou seja, é hora de usar menos o gogó e mais a cabeça, mudando peças e oxigenando o governo.

Publicado hoje na Folha da Manhã

Comentar
Compartilhe
Carnaval em junho?
26/03/2015 | 00h56

 

Para ganhar tempo e buscar patrocínios, a Prefeitura de Campos estaria pensando em mudar a data do Carnaval fora de época. Por enquanto, a folia está marcada para maio, mas poderá ficar para o mês de junho.

Na última semana, conforme o blog “Na Curva do Rio” informou (aqui), a Prefeitura de Campos publicou no Diário Oficial um “chamamento público com o objetivo de captar recursos financeiros” para a realização do Carnaval fora de época.

Quanto custa? - No ano passado, um levantamento feito pelo blog mostrou que, somente com as escolas e blocos de Campos, shows nacionais e escolas de samba do Rio de Janeiro, os gastos com o Carnaval fora de época ficaram em torno de R$ 1,5 milhão. Isso sem contar iluminação, som, buffet, telões, premiações e cachês de Milton Cunha e Viviane Araújo. Será que a Ambev vai bancar isso tudo?

Nas escolas e blocos o clima não é de animação. Em recente relato no Facebook, replicado pelo blog do José Paes Neto (aqui), Humberto Moreira Rangel, membro do Conselho de cultura de Campos, do Instituto Histórico e Geográfico de Campos e conselheiro do Bloco “Os Psicodélicos”, disse : “Carnaval é uma grande fonte de receitas. Só quem não vê esta realidade é o pessoal de plantão na Prefeitura de Campos. A cidade de Vitória, sem quase nenhuma tradição na festa, realizando os desfies uma semana antes para fugir da concorrência do Rio, o desfile na Passarela, rendeu cerca de 5 milhões, gerando 2.500 empregos diretos. Em Campos, com tanta tradição em carnaval, enquanto esse grupo estiver aí e esta mulher na Fundação Cultural, nada de bom acontecerá..."

Comentar
Compartilhe
Renan: "O país quebrou. Eles quebraram o país"
25/03/2015 | 17h14

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB), estava com a corda toda numa reunião na presidência do Senado hoje de manhã. Tendo como plateia alguns senadores, discutia o adiamento para a semana que vem a votação do projeto de renegociação das dívidas de estados e municípios e a ida de Joaquim Levy para uma reunião da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado na terça-feira, quando explodiu: "O país quebrou. Eles quebraram o país. É preciso que o governo apresente um plano econômico com começo, meio e fim. Um plano que faça cortes na máquina do governo e não um que aumente impostos. Agora, o Levy tem um fim de semana para elaborar esse plano e nos mostrar", disparou.

Por Lauro Jardim/Radar on-line

Comentar
Compartilhe
O fim das carroças nas ruas de Campos?
25/03/2015 | 16h28
[caption id="attachment_31979" align="aligncenter" width="559"] A turma do “Enquanto isso em Campos” mostrou no Facebook um exemplo de mobilidade urbana na planície. O cidadão sai de casa com carroça e ainda carrega um barquinho - Foto de Roberto Jóia[/caption]

O vereador Fred Machado (SD) protocolou em maio do ano passado, na Câmara de Campos, uma indicação legislativa com o objetivo de "proibir o trânsito de veículos de tração animal e criar um Fundo Municipal para a reinserção na atividade produtiva de catadores e carroceiros".

Agora, quase um ano depois, após a criação de um Grupo de Trabalho para colaborar na elaboração do Plano Municipal de Mobilidade Urbana, presidido pelo vereador Mauro Silva (PT do B), a proposta de Fred ganhou destaque e, ao que tudo indica, o fim das carroças pode estar bem próximo. "Nossa meta não é prejudicar os carroceiros, mas oferecer alternativas. É hora de modernizar e evitar que animais sejam maltratados", explicou Fred, lembrando que a Câmara deve receber representantes dos carroceiros para debater sobre o fim dos veículos de tração animal.

Líder da oposição na Câmara, o vereador Nildo Cardoso (PMDB) disse que "já passou da hora deste assunto ser debatido". "No Centro da cidade, por exemplo, as ruas ficaram mais estreitas e os carroceiros continuam passando por lá. Recentemente, na subida da ponte, vi um animal sem condições de andar, tendo em vista o peso da carroça. Tem cabimento, carroças nas áreas centrais em pleno ano de 2015?", indagou.

Segundo o presidente da Câmara, vereador Edson Batista (PTB), será estabelecido um calendário com a discussão de diferentes aspectos da mobilidade urbana.  “A mobilidade urbana é um tema complexo, que comporta vários aspectos. Essas diferentes vertentes serão discutidas em cada audiência. A sociedade será chamada a discutir o assunto, como essa Câmara sempre faz. Cabe a ela definir o que será feito. O tráfego de carroças é passível de discussão, sim, mas precisamos buscar alternativas para o pessoal que trabalha com esse tipo de transporte”, afirmou Batista.

Comentar
Compartilhe
"O Globo" aponta obras "desaceleradas" em Campos
25/03/2015 | 13h13

O jornal "O Globo" iniciou uma série com matérias sobre o andamento de obras em diversos municípios do estado. Nesta quarta-feira (25) (aqui) foram destacadas obras que andam em ritmo lento na terra goitacá, como a Vila Olímpica do Alphaville e o Hospital São José, além da precariedade do Museu Olavo Cardoso. Vale lembrar que, nos últimos meses, a Folha da Manhã visitou dezenas de obras e constatou que a desaceleração vai muito além da Vila Olímpica e do Hospital São José. Confira a matéria publicada pelo Globo:

[caption id="attachment_31968" align="aligncenter" width="699"] Vila Olímpica, só no papel. A obra, no Alphaville,  está parada e já tem estrutura enferrujada - Scorza / Antônio Scorza[/caption]

Em Campos, com recursos federais e municipais, as obras de construção da Vila Olímpica do Alphaville, cercadas por tapumes de zinco, estão paralisadas e já com as estruturas de ferro enferrujadas. Parados também estão os serviços de pavimentação, urbanização e drenagem de 11 vias do bairro. Uma placa, com dados sobre a implantação da Vila Olímpica, desapareceu. A outra, sobre as demais intervenções, está apagada, mas informa que as obras custam R$ 10,2 milhões. "Colocaram o teto da quadra e há alguns meses só vejo seguranças. É uma pena que a pouco mais de um ano das Olimpíadas interrompam a construção de um espaço para estimular o esporte", lamenta o policial Luiz Fernando Figueiredo, que mora no Alphaville.

A ampliação do Hospital São José, no distrito de Goitacazes, iniciada em 2012, está em ritmo lento. A prefeita Rosinha Matheus (PR) também está deixando o Museu Olavo Cardoso, tombado e doado ao município, se deteriorar. Parte do teto da varanda desabou, há rachaduras nas paredes externas, madeiras apodrecidas e escoras apoiando a parte superior.

Rosinha responde a pelo menos três ações por improbidade administrativa. Numa delas, foi condenada, no fim de 2013, pela 14ª Vara de Fazenda Pública (cabe recurso) por ato praticado quando foi governadora do Rio, por ter firmado contrato sem licitação com a Fundação Euclides da Cunha e não ter provado que as 254 salas de informática previstas foram montadas. A assessoria da prefeitura não respondeu ao jornal "O Globo".

Fonte: O Globo 

O blogs da jornalista Suzy Monteiro (aqui) e do advogado Cláudio Andrade (aqui), também repercutiram a notícia.

Atualização às 12h30 - A empresa responsável pelas obras de pavimentação, urbanização e drenagem de 11 vias no bairro Alphaville enviou mensagem ao blog e informou que as obras não estão paradas. Foram encaminhadas imagens com operários trabalhando na manhã desta quinta-feira (26). Confira:

Comentar
Compartilhe
Câmara: Virgílio já tem assinaturas para debater redução das cadeiras
25/03/2015 | 13h00

O vereador Thiago Virgílio (PTC), autor de proposta que pretende reduzir de 25 para 17 o número de vereadores em Campos (aqui), usou o seu perfil no Facebook para informar que o debate deve ir ao plenário nos próximos dias. "Gostaria de agradecer aos colegas Vereadores Genásio, Neném, Abdu Neme, Gil Viana, Albertinho, Altamir Barbara, Miguelito, Magal, Kelinho,Dona Penha, Nildo Cardoso e o Líder do Governo, Mauro Silva por terem assinado a nossa Proposta de Emenda que reduz o número de cadeiras na Câmara Municipal de Campos.  Com essas assinaturas, na próxima Sessão Ordinária, entregarei ao Presidente da Câmara, Dr Edson Batista para que possa ser discutida em Plenário.  Eram necessárias 09 assinaturas e conseguimos 13. Agora iremos ouvir a População. Será que realmente é necessário a quantidade de 25 vereadores como temos hoje? Ou 17 vereadores já seria suficiente?", postou Virgílio.

Presidente do PV é contra - Também no Facebook, o presidente do PV em Campos, Gustavo Matheus, demonstrou ser contra a redução das cadeiras. "A medida, na minha opinião, tende a piorar o cenário político na cidade. Com a queda das coligações proporcionais e a possível entrada do 'distritão', os poderosos reinarão. Assim, Garotinho elegerá quem ele quiser e o Legislativo seguirá cachorrinho da Prefeitura. Essa história de que o povo sabe o que quer, que o voto é soberano, não se aplica quando a população não entende o novo contexto eleitoral e se vê cada vez mais corrupta, até mesmo que os próprios políticos. A Câmara deveria parar de tentar jogar para galera e entender que antes de perder os dedos, ela deveria abrir mão de seus anéis. Então, que diminuam os seus subsídios, as licitações caríssimas de serviços fúteis e lanches, aumentem a carga de trabalho e, acima de tudo, que os eleitores acompanhem de perto, cobrando dos seus representantes", opinou.

Comentar
Compartilhe
Mauro Silva prega "união e criatividade" para enfrentar a crise
25/03/2015 | 12h43

Em artigo publicado nesta quarta-feira (25), no jornal "O Dia", o vereador Mauro Silva, líder do governo na Câmara, sugeriu parcerias e criatividade para enfrentar a crise. Na visão do fiel escudeiro do casal Garotinho, é hora de apresentar "propostas inovadoras e de baixo custo". Confira:

Comentar
Compartilhe
Magal: "A população está de saco cheio da classe política"
24/03/2015 | 23h54
[caption id="attachment_31954" align="aligncenter" width="270"] Foto: Blog da Marcinha Lemos[/caption]

Durante a sessão desta terça-feira (24), após o vereador Thiago Virgílio (PTC) solicitar o apoio dos colegas para a sua proposta, que pretende reduzir de 25 para 17 o número de cadeiras na Câmara (aqui), o vereador Jorge Magal (PR) disse que a população já está “de saco cheio” da classe política. “Se fizer uma pesquisa nas ruas de Campos vamos descobrir que a população vai querer, no máximo, uns três vereadores nesta Casa. A verdade é que as pessoas estão de saco cheio. A classe política está em baixa e precisa repensar diversos pontos. Um deles é o número de cadeiras nos Legislativos. Para que 513 deputados federais? Será que eles vão reduzir despesas?”, indagou Magal.

* Mais informações sobre a sessão da Câmara na edição de amanhã da Folha 

Comentar
Compartilhe
Dona Penha defende moções de aplausos: "Quem não gosta de elogios?"
24/03/2015 | 19h57

Durante a sessão desta terça-feira (24), após o vereador Fred Machado (SD) criticar o grande número de moções de aplausos para secretários municipais, a vereadora Dona Penha (DEM) voltou a dizer que é "mais importante elogiar do que criticar". "Aplausos são muito bons, minha gente. Quem não gosta de elogios? Sempre voto favorável e acho que isso incentiva as pessoas. Já votei favorável até as moções de aplausos para pessoas insignificantes, que não fizeram grandes coisas pelas cidade. Mas faço para incentivar", disse Dona Penha, ao votar favorável em uma moção de aplausos para o secretário de Obras, Edílson Peixoto.

Porém, na visão de Fred, é hora de plaudir menos e trabalhar mais. "Não tenho nada contra o secretário, mas prefiro me abster. Vamos ficar aqui aplaudindo um secretário por estar fazendo o trabalho dele? Assim não dá", criticou Fred.

Comentar
Compartilhe
Neném defende projeto e cutuca: "o que não pode é ter secretário visando questões financeiras"
24/03/2015 | 19h07

O vereador Neném (PTB) usou a tribuna durante a sessão de hoje (24) para comentar sobre a importância de projetos para as pessoas que possuem necessidades especiais. "Vou lutar muito pelas emendas impositivas que foram aprovadas aqui na Câmara. Inclusive, destinei recursos para um importante projeto de Equoterapia (método terapêutico que utiliza cavalos na busca pelo desenvolvimento biopsicossocial de pessoas com deficiência e/ou com necessidades especiais)", disse Neném, ressaltando que  para colocar este tipo de projeto para andar é preciso deixar de lado questões financeiras. "O que não pode é ter secretário vislumbrando questões financeiras", disparou.

Comentar
Compartilhe
"Doença holandesa" na rua do Gás
24/03/2015 | 17h01
[caption id="attachment_31939" align="aligncenter" width="390"] Charge - José Renato/Folha da Manhã[/caption]

No final do ano passado, ao comentar no Facebook sobre a dependência dos royalties e a falta de diversificação econômica, o economista Ranulfo Vidigal lembrou que sociedades com forte dependência de uma única atividade para financiar seus gastos orçamentários são vulneráveis ao que se denomina de “maldição dos recursos naturais abundantes”. Ele também citou a chamada “doença holandesa”, fenômeno ocorrido no século passado na Holanda, quando houve descoberta de gás e outros setores acabaram enfraquecidos e a política embaralhada.

O caso do Goytacaz, que em tempos de "vacas gordas" contou com o apoio de poder público e de figuras ligadas ao governo rosáceo, mostra muito bem como a "doença holandesa" contamina. Sem andar com as próprias pernas, mesmo tendo uma forte e apaixonada torcida, o clube ficou dependendo de favores e não pensou em andar com as próprias pernas. Agora, em tempos de crise, sem vitórias em três rodadas da série B, o técnico André Pimpolho e o presidente Márcio Rocha abandonaram o barco. Ao sair, o ex-técnico resumiu a dificuldade: "Não posso fazer milagres".

Hora da reforma - No mesmo embalo da Prefeitura de Campos, o Goyta publicou na tarde desta terça-feira (aqui) um comunicado prometendo "reformas administrativas".

Comentar
Compartilhe
Servidor desabafa: "Garotinho não é um político... ele é um verdadeiro ator"
24/03/2015 | 14h34
[caption id="attachment_31924" align="aligncenter" width="480"] Facebook/Wladimir Garotinho[/caption]

O servidor municipal Bira Santiago usou o seu perfil no Facebook para comentar sobre a reunião do secretário de Governo da Prefeitura de Campos, Anthony Garotinho, com os servidores municipais, na noite de ontem (23), na sede do Siprosep.

Confira alguns trechos da postagem do servidor:

Atuação do secretário: "Representação digna de um Oscar... O Secretário de Governo Anthony Garotinho não é um politico...ele é um verdadeiro ator".

Rio Card: "Esta mesmo cancelado e o valor referente a passagem continuará sendo colocado em contra cheque (...) não mencionou nada sobre os colegas que residem em outros municípios. Eu particularmente sugiro que todos procurem a justiça e façam valer seus direitos referente a lei FEDERAL do vale transporte e com valores retroativos".

Plano de Saúde: "Será criada (ele não mencionou quando) a caixa do servidor para que possamos nos consultar com qualquer médico e hospital o qual escolhermos. Eu particularmente tenho minhas dúvidas quanto a isso, ainda mais das palavras vindas de um verdadeiro ator".

Auxílio Social: "Será concedido aos aposentados e pensionistas o mesmo valor do auxílio alimentação recebidos por nós funcionários da ativa que hoje encontra-se no valor de R$ 200,00. Eu particularmente acho mais do que justo essa atitude a qual o SIPROSEP solicitou. Lembrando que este valor encontra-se atualmente em R$ 200,00 porque o irmão do secretário de governo, Nelson Nahim, aumentou quando respondia interinamente pela prefeitura na ausência da prefeita, quando ela foi cassada em seu primeiro mandato de governo".

Plano de Cargos Carreira e Salários (PCCS) e o reajuste anual: "O secretário com estratégia maquiavélica fez a indagação e deixou em mesa para ser votado pelos servidores presentes o que não fora negociado em reuniões com o mesmo junto a direção do SIPROSEP, a Prefeitura concederia o reajuste do INPC ou o PCCS (...)  Eu particularmente gostaria de saber do secretário de governo e ator Antony Garotinho o destino dos R$ 304 milhões solicitados no ano passado por sua esposa e prefeita do município Rosinha, com a finalidade exclusiva para implantação do PCCS dos servidores públicos (...) Pode-se negar o reajuste anual ou barganhar o mesmo?"

Imóveis financiados pela Caixa - "Para finalizar a trama da novela que não é global, mas municipal, foi mencionado que em conjunto a CEF seriam construídos 120 apartamentos no terreno ao lado do clube do SIPROSEP, no KM 8, em Guarus, para os servidores com o desconto em folha de pagamento. É bom lembrar que os descontos em folha não podem ultrapassar 30% de seu vencimento. Sendo assim, quem tiver desconto com empréstimo estará fora deste financiamento".

____________________________________________________________________________________

Versão da Prefeitura: 

O secretário levou aos servidores quatro propostas:   1- Casa Própria para servidores da Prefeitura com valor subsidiado e financiamento especial 2- Criação da Caixa de Assistência para substituir o atual Plano de Saúde 3 - Definição pela implantação de Cargos e Salários ou reajuste salarial 4 - Definição de data base para o dissídio coletivo do funcionalismo, por lei, em maio.

Em sua página no Facebook, o ex-presidente do PR em Campos, Wladimir Garotinho, que esteve na reunião, destacou a capacidade do governo em dialogar com os servidores. "Prefeitura e trabalhadores estão dialogando para juntos chegar em um entendimento de como atender às demandas de plano de cargos e salários e reajustes da categoria".

Atualização às 15h50 - Garotinho comenta sobre o diálogo com os servidores. "Ontem compareci à sede do Sindicato dos Servidores Municipais representando a Prefeita Rosinha Garotinho. Como podem ver a reunião estava lotada. Apesar da grande dificuldade que o município de Campos vem atravessando com perda estimada de R$ 1 bilhão de receitas em relação ao ano passado, a prefeitura está promovendo o seu ajuste sem prejudicar os trabalhadores concursados do município e os programas sociais. Diferente de outros governo, que querem fazer ajuste botando os trabalhadores para pagarem a conta, Rosinha determinou que o diálogo seja total com o funcionalismo, no sentido de atender a realização do seu grande sonho, o Plano de Cargos e Salários para todos os servidores municipais, ativos e inativos. Além disso, Rosinha também já disse que vai manter a passagem a R$ 1. Enquanto a maioria dos políticos faz gracinhas para empresários e donos de empresas de ônibus, a Prefeita Rosinha Garotinho demonstra seu compromisso com os trabalhadores e os mais humildes", disse o deputado em seu blog.

Comentar
Compartilhe
SJB: transparência continua "congelada" em 2014
24/03/2015 | 11h36

Em fevereiro o blog do jornalista Ricardo André Vasconcelos publicou nota (aqui) informando que o Portal da Transparência da Prefeitura de São João da Barra estava "congelado" desde setembro do ano passado. Agora, mais de um mês depois, foram publicadas as receitas e despesas dos meses de outubro e novembro de 2014. No entanto, a transparência ainda não entrou em 2015.

Comentar
Compartilhe
Em Casimiro de Abreu, prefeito corta 90% dos comissionados
24/03/2015 | 11h26
[caption id="attachment_31913" align="aligncenter" width="397"] Prefeito Antônio Marcos passou o "facão" e cortou 90% da carne[/caption]

A Prefeitura de Casimiro de Abreu vai exonerar mais de 90% dos funcionários em cargos comissionados. O município estima perda de R$ 60 milhões este ano por conta da queda dos royalties de petróleo. "Este é um momento muito triste para todos nós. Desde quando assumimos a Prefeitura, sempre valorizamos o funcionalismo. Até o momento, mesmo com a crise nos royalties, não deixamos de honrar com as nossas obrigações. Nem todas as medidas já adotadas para redução foram suficientes para evitar que o nosso orçamento corresse o risco de ficar comprometido", disse o prefeito Antônio Marcos.

Campos - Já no município de Campos, que possui cerca de 1.500 comissionados, o corte deve atingir 20% dos DAS.

 
Comentar
Compartilhe
Como enfrentar o desgaste?
24/03/2015 | 01h29

Acuado pela manifestação do dia 15 e já prevendo um novo ato no dia 12 de abril, o alto comando petista reuniu-se para discutir a crise em que o partido, o governo e o país estão metidos. Mais uma vez, a culpada de tudo foi a comunicação do governo. Convocados por Lula, Antonio Palocci, Luiz Marinho, Luiz Dulci, Edinho Silva, Alexandre Padilha, Emidio de Souza e Rui Falcão bradaram contra a “direita” e os “golpistas”, e lamentaram não ter apoiado Eduardo Cunha à presidência da Câmara, o que evitaria um desgaste do governo recém-instalado.

A estratégia de reação que saiu dali é a de sempre: grudar nos movimentos sociais, trabalhar colado aos blogueiros chapas-branca e partir para o ataque aos “conservadores”.

Fonte: Radar on-line

Campos - Na terra goitacá não é muito diferente. Para enfrentar o desgaste gerado pela queda de arrecadação, falta de planejamento, demissões e desaceleração de diversas atividades, a ordem é melhorar a comunicação e atacar a oposição. Para isso, a ideia é usar os espaços na mídia para desviar o foco e "colar" os membros da oposição ao governador Pezão. Se não funcionar, a turma deve partir para o jogo sujo, com perfis falsos no Facebook, fofocas e baixarias.

Comentar
Compartilhe
Rosinha vai enviar ofício ao STF contra transposição do Paraíba
24/03/2015 | 00h51
[caption id="attachment_31903" align="aligncenter" width="525"] Foto: Gerson Gomes/Secom[/caption] A prefeita Rosinha Garotinho anunciou nesta segunda-feira (23) que vai encaminhar nesta terça-feira (24), um ofício ao Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, se colocando contrária à transposição das águas do Rio Paraíba do Sul. Ela alertou que a transposição poderá fazer com que um terço da população fluminense sofra com problemas de abastecimento de água em um futuro bem próximo. "Poderemos ter sérios problemas com o abastecimento de água. Por isso, vou encaminhar esse ofício ao Ministro Fux, dizendo que sou contra a transposição das águas do Paraíba", destacou Rosinha Garotinho. A transposição poderá fazer com que mais de 12 milhões de moradores de 26 municípios fluminenses fiquem sem água. Recentemente pesquisadores do Laboratório de Hidrologia e Estudos de Meio Ambiente (Coppetec) da Universidade Federal do Rio de Janeiro apresentaram ao governo do estado do Rio, relatórios mostrando que a transposição das águas do Paraíba prejudicará o abastecimento do Rio de Janeiro em tempos de seca e pode até aumentar o custo da energia. A transposição das águas do Rio Paraíba do Sul é defendida pelo governo de São Paulo e tem por objetivo levar cinco metros cúbicos de água do Rio Paraíba por segundo, para suprir os reservatórios do Sistema Cantareira, responsável por abastecer a região metropolitana do Estado. Fonte: Secom/Prefeitura
Comentar
Compartilhe
Siprosep troca protesto por reunião com Garotinho
23/03/2015 | 13h45
[caption id="attachment_31897" align="aligncenter" width="491"] Na semana passada, presidente do sindicato esteve com os secretários e listou as principais reivindicações / Facebook/Siprosep[/caption]

Em fevereiro o Sindicato dos Profissionais Servidores Públicos Municipais de Campos (Siprosep) prometeu uma grande manifestação nesta segunda-feira (23), às 8h, na sede da Prefeitura de Campos. Porém, os representantes do sindicato optou por uma conversa no lugar do protesto. Hoje, às 20h, haverá uma reunião com os secretários de Governo (Garotinho) e Administração (Fábio Ribeiro), às 20h, na sede do Siprosep.

Na pauta de reivindicações estão temas como: Vale-Transporte, Plano de Cargos e Salários e Plano de Saúde. Além disso, os servidores irão reivindicar um reajuste salarial de 12%. “A defasagem dos últimos cinco anos da correção dos salários dos servidores, usando o paradigma do reajuste do salario minimo, aponta uma perda de 45% nominais”, diz o Siprosep. O reajuste do Vale Alimentação também será debatido.

No Facebook, servidores sentem "cheiro de pizza" - Logo após o Siprosep informar, no Facebook, sobre a conversa com o secretários de Governo e Administração, servidores não demonstraram muita animação. "Já sei que isso vai acabar em pizza,como também acho que essa manifestação já estava marcada a meses e foi desmarcada... isso sim é uma falta de respeito com o servidor (...) Essa conversa com o garotinho não vai dar em nada", disse Leonardo Netto Suisso.
Para Aline Grad Branca a reunião foi uma forma de "colocar mel na boca dos servidores". "O Senhor Secretario de Governo quer nos abafar para que não haja manifestação".
Cristiano Lima dos Santos também protestou: "Me desculpe, mas um ato que já estava programado há mas de um mês e a prefeitura ... e andou com sempre fez pelos servidores... Pois agora marca uma reunião para o mesmo dia do ato, sendo que mas tarde. Acho que o sindicato esta perdido", opinou.
Comentar
Compartilhe
Pudim: "Não há acordo com Picciani"
23/03/2015 | 12h34

O jornal "O Dia" publicou nesta segunda-feira (23) uma entrevista com o deputado estadual Geraldo Pudim (PR), que precisou se aliar a antigos adversários políticos para conseguir a vaga de primeiro secretário da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). No início deste ano, ele fez aliança com o atual presidente da Casa, Jorge Picciani (PMDB), que já viveu às turras com o ex-governador Anthony Garotinho (PR), de quem Pudim é amigo e aliado político.

Em entrevista ao DIA , Pudim garantiu que continua na oposição, fez duras críticas ao governo de Luiz Fernando Pezão, e definiu sua atual missão na Casa como “desgastante”. Até o fim de abril, ele terá a árdua tarefa de apresentar relatório sugerindo cortes de, no mínimo, 10% nos contratos feitos na gestão anterior, de Paulo Melo (PMDB).

O DIA: Como é a vida do primeiro secretário de uma Casa tão agitada como a Alerj?

GERALDO PUDIM: É uma novidade. Já fui vereador, deputado federal, mas é a primeira vez na Mesa Diretora. E está sendo bastante complicado, por conta do momento que vivemos: a crise econômica não é privilégio do Rio, está no Brasil, em vários estados, nos municípios. E é desgastante porque, neste cenário, precisamos enxugar a máquina.

O primeiro ato da Mesa Diretora foi a exoneração de mais de 500 funcionários. O que explica esse alto número de cortes?

Tudo dentro da normalidade. Não há perseguição a ninguém que tenha feito parte da administração Paulo Melo, por quem tenho respeito. Alguns voltaram, outros não. Quando troca o administrador, exonera-se. É rotina do serviço público. Esse número de funcionários exonerados não foi excessivo.

Foto:  Carlo Wrede / Agência O Dia
Foto:  Carlo Wrede / Agência O Dia

A Câmara dos Deputados aprovou um pacote de benesses para os deputados federais. A Alerj irá fazer o mesmo?

Não há ambiente nenhum para falar em benefício para deputado. A palavra de ordem é economizar, porque a situação da crise é muito dramática aqui no Rio. Como a gente vai falar em benesse se o Estado não tem dinheiro para pagar inativos e pensionistas do Rio Previdência e pediu dinheiro emprestado ao Judiciário?

Nas eleições, o senhor apoiou Garotinho, que não nutre simpatia pelo Picciani, atual presidente da Alerj, e a quem o senhor se aliou para garantir a primeira secretaria. A quem o senhor é leal?

Primeiro, é necessário fazer uma distinção entre o que é governo do estado e o que é a Alerj. Tenho severas críticas ao governo e suas políticas públicas, mas o PR faz oposição responsável. O partido tentou formar uma chapa de oposição para presidência da Alerj. Tínhamos oito deputados, e precisávamos de um total de 13 para indicar um nome. Procuramos os cinco do Psol, os do PRB e uma dissidência do PT, demos ao Psol a prerrogativa de indicar a cabeça de chapa, mas eles não quiseram se misturar. O que restou foi decidir entre Paulo Melo, que acabou desistindo da disputa, e Picciani, e ver quem iria respeitar a proporcionalidade partidária e dar a primeira secretaria ao PR. Então, não há acordo com Picciani, estamos juntos para resgatar a credibilidade do Legislativo.

Isso significa que o Paulo Melo fez a Alerj perder credibilidade?

A Alerj foi vítima de injustiça em 2013, por exemplo, quando virou alvo de ataques. Mas, num momento de crise, os deputados se acastelaram, e isso gerou crise política. Tamanha foi a crise que, pela primeira vez na história, o governador eleito teve menos votos que o número de brancos, nulos, abstenções e o segundo colocado somados.

Já que o senhor falou de eleições: por que o Garotinho, que chegou a liderar as pesquisas, não foi para o segundo turno?

Todos nós achávamos que ele iria, e um somatório de fatores o tirou da disputa. Houve um cerco da mídia, nossa campanha não tinha recursos, e a máquina do PMDB era muito forte: tinham 60 prefeituras, 18 partidos políticos, e, mesmo assim, não levaram no primeiro turno.

O Fernando Peregrino deixou o partido colocando a culpa da derrota na deputada federal Clarissa Garotinho.

A análise dele não reflete a realidade. Se fosse isso, Clarissa teria sido um desastre nas eleições para Câmara. Foi o preconceito, principalmente da Zona Sul, que tirou Garotinho do segundo turno, por exemplo.

Não é reflexo da administração dele?

Vamos analisar: ele foi governador e elegeu a sucessora (Rosinha) no primeiro turno. Nas eleições de 2002, ele foi presidenciável e Lula só ganhou no Rio, no segundo turno, quando Garotinho subiu no palanque dele. A derrota de 2014 não foi culpa da administração.

O senhor disse que tem “respeito” pelo Paulo Melo. E terá, agora, que cortar 10% dos contratos da gestão dele. Mas em 2013, protocolou no Ministério Público uma notícia-crime contra ele. Como é a relação de vocês?

Não há revanchismo, tenho ótima relação com ele. Nunca agi contra ele, apenas reagi. Em 2013, apareceu um rapaz (Anderson Harry) dizendo que tinha sido contratado pelo Paulo Melo e pelo deputado petista André Ceciliano para incriminar Garotinho, Clarissa e eu como responsáveis pelas manifestações com atos de vandalismo no Rio, para comprometer o PR. Não me restou alternativa, se não garantir meus direitos: uma pessoa entra, nos acusa, e depois diz que foi contratado por políticos. É abominável, mas quero olhar para frente.

Não ficou nenhuma rusga, então?

Paulo Melo me disse que o cara era um pilantra e o desqualificou. Dei o episódio politicamente como encerrado, mas tramita na Justiça ainda. Lá que vão dizer se o tal cara era pilantra. Fiquei assustado, foi difícil para mim, mas isso é assunto encerrado, já passei a borracha. O objetivo de tudo isso eram as eleições de 2014: perdeu a motivação, para eles e para mim. Precisamos colocar as diferenças de lado e enfrentar a crise.

E a crise econômica do Rio? O que a Alerj pode fazer para ajudar a resolvê-la?

A hora é de abrir as portas para sociedade. E é preciso dizer que tudo o que está acontecendo é fruto da irresponsabilidade do ex-governador Sérgio Cabral. O grande problema da economia do Rio é que mentiram para população o tempo inteiro, mas passou a eleição e não tem mais como enganar. O problema da água, por exemplo: a caixa preta da Cedae precisa ser aberta, e alguém tem que ser responsabilizado pela crise, não só São Pedro.

Fonte: O Dia 
Comentar
Compartilhe
Goteiras no HGG: de quem é a culpa? (II)
22/03/2015 | 22h56

No último dia 04 o blog divulgou o desabafo do DJ Cacau Rocha (aqui), que usou o seu perfil no Facebook para compartilhar imagens do Hospital Geral de Guarus (HGG) após uma forte chuva. De acordo com o internauta, por conta das goteiras, consultas teriam sido canceladas.

Hoje (22), o jornalista Fernando Leite publicou (aqui) uma imagem do corredor do HGG alagado. De acordo com a postagem, após a chuva de hoje o HGG ficou com os corredores (que estavam repletos de pacientes) completamente alagados. Além disso, a UTI teria ficado com o sistema de climatização inoperante.

[caption id="attachment_31884" align="aligncenter" width="272"] Corredor do HGG alagado - /Blog do Fernando Leite[/caption]
Quem conhece o HGG sabe que as goteiras não são novidade. Em abril do ano passado o blog mostrou o Centro Cirúrgico alagado: aqui. Em julho, o corredor do Ferreira Machado alagou e a Folha Online mostrou: aqui Afinal de conta, de quem é a culpa? Arnaldo? Mocaiber? Terrorismo? Blogueiros? São Pedro? Sabotagem? Pezão? Cabral?
Comentar
Compartilhe
Campistas organizam novo protesto contra Dilma
22/03/2015 | 22h48

Foi criado no Facebook (aqui) um evento intitulado “Manifestação pelo IMPEACHMENT DA DILMA - Campos RJ - Parte 2”. Assim como em outras partes do Brasil, o protesto foi marcada para o dia 12 de abril. Na descrição do evento, que será realizado na Praça São Salvador, a partir das 15h, os organizadores informam que "a luta ainda não acabou".

Virtual X Real - No último dia 15, mais de quatro mil internautas de Campos usaram o Facebook para confirmar presença no protesto. Porém, a diferença entre o real e o virtual foi grande, já que a manifestação da terra goitacá contou com 800 pessoas (aqui).

Comentar
Compartilhe
Para 84% dos brasileiros, Dilma sabia do Petrolão
22/03/2015 | 12h33

Eleitores de Dilma ou de Aécio, não importa: a grande maioria dos brasileiros acha que a presidente sabia do gigantesco esquema de corrupção que acontecia dentro da Petrobras. É o que mostra pesquisa realizada pelo instituto Datafolha e publicada no jornal Folha de S.Paulo neste domingo. De cada dez brasileiros, oito (84%) acreditam que a presidente Dilma Rousseff tinha conhecimento da corrupção que acontecia na maior empresa estatal do país. Os dados mostram ainda que a maioria dos entrevistados (61%) acredita que Dilma não apenas tinha conhecimento da corrupção como "deixou" que os crimes ocorressem na Petrobras. Outros 23% dizem que, apesar de saber, Dilma "não poderia fazer nada" para impedir.

Entre os eleitores que declararam voto na petista no segundo turno das eleições presidenciais, em outubro do ano passado, 74% acham que ela sabia do esquema - outros 19% acreditam que ela não tinha conhecimento e 8% não souberam responder. Já para os entrevistados que declararam voto no tucano Aécio Neves, 94% têm convicção de que Dilma sabia do petrolão; 3% acham que ela não sabia; outros 3% não souberam responder à pergunta. Os resultados são parecidos entre os entrevistados de todas as divisões socioeconômica, faixas etárias e preferências partidárias.

A pesquisa também perguntou se os brasileiros acreditam que o esquema revelado pela Operação Lava Jato, deflagrado pela Polícia Federal, vai prejudicar a Petrobras. A maioria, 51%, acredita que a empresa será prejudicada "por muito tempo", e isso "coloca o futuro da empresa em risco". Os que acreditam, em menor ou maior grau, que a petroleira foi prejudicada pelo escândalo somam 88%. Apenas 6% acreditam que a Petrobras não será prejudicada pelo esquema de corrupção; 7% não souberam ou não opinaram sobre a pergunta.

A pesquisa foi realizada com 2.842 entrevistas em 172 municípios, entre os dias 16 e 17 de março. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou menos.

Fonte: Veja 

Comentar
Compartilhe
"Lamparão" vence mais uma no UFC
22/03/2015 | 12h18
[caption id="attachment_31870" align="aligncenter" width="483"] Léo Santos festeja a finalização sobre Tony Martin no segundo round do UFC Rio 6, no Maracanãzinho (Foto: André Durão)[/caption]

Com o nome da cidade de Campos na camisa e na bermuda, o lutador Léo Santos faturou mais uma vitória no UFC. Na madrugada deste domingo, no UFC Rio 6, ele finalizou o estadunidense Tony Martin com um mata-leão. O golpe, aplicado no segundo round, elevou para oito a sua sequência invicta, somando 14 vitórias em 18 lutas na carreira, duas delas no UFC, principal evento de MMA do mundo. Já Martin sofreu a terceira derrota em 12 lutas na carreira. "Não posso deixar de mandar um abraço para todos os amigos de Campos dos Goytacazes. O Lamparão venceu mais uma", comemorou Léo Santos, que morou em Campos e participa de projeto na cidade.

A luta começou com Léo Santos buscando os chutes baixos e na linha de cintura, enquanto Martin se movimentava e tentava golpear na curta distância e sair do raio de ação do brasileiro. Com dois minutos de luta, o americano buscou levar Léo Santos para a grade, e, ao ser derrubado, caiu por cima do brasileiro. Os dois voltaram a lutar em pé, novamente na grade, e a luta ficou truncada e sem muita movimentação, forçando o árbitro John McCarthy a separar os atletas e retomar a luta no centro do octógono. Os dois voltaram à grade após trocarem poucos golpes, e ficaram lá até o intervalo.

No segundo round Léo Santos voltou tentando acertar dois overhands seguidos em Tony Martin, mas o americano conseguiu desviar-se. Na sequência, o brasileiro conseguiu aplicar uma linda queda, indo para a montada e buscando as costas logo em seguida. Com o cadeado fechado na cintura, o faixa-preta da Nova União buscou o pescoço do americano e aplicou o mata-leão, finalizando Tony Martin de forma clássica.

* Com informações do Sportv Combate

Comentar
Compartilhe
Quem vai bancar o Carnaval fora de época?
21/03/2015 | 16h44

Na última terça feira (17), conforme o blog "Na Curva do Rio" informou (aqui), a Prefeitura de Campos publicou no Diário Oficial um "chamamento público com o objetivo de captar recursos financeiros" para a realização do Carnaval fora de época, que será realizados entre os dias 1 a 3 de maio, no Cepop.

Faltado um mês e dez dias para o evento e diante de uma crise que atinge não só o governo municipal, mas também o setor privado, fica uma pergunta no ar: Quem vai bancar o Carnaval fora de época?

Hoje (21), o secretário de Governo da Prefeitura de Campos, Anthony Garotinho, que chegou a cogitar a suspensão da folia (aqui), informou que a Ambev estaria interessada em patrocinar parte da festa. "Soube que a Ambev estaria interessada. Não sou contra o Carnaval, mas na minha opinião a festa só poderia acontecer com patrocínio", comentou.

Quanto custa? - Nos últimos anos a oposição tentou, por diversas vezes, obter informações sobre os valores que são gastos para bancar o Carnaval fora de época. Porém, todos os requerimentos foram negados pelo "rolo compressor" governista. No ano passado, um levantamento feito pelo blog mostrou que, somente com as escolas e blocos de Campos, shows nacionais e escolas de samba do Rio de Janeiro, os gastos ficaram em torno de R$ 1,5 milhão. Isso sem contar iluminação, som, buffet, telões, premiações e cachês de Milton Cunha e Viviane Araújo. Será que a Ambev vai bancar isso tudo?

Comentar
Compartilhe
Banho de água fria
21/03/2015 | 11h52

O empresário Juca Pinto usou o seu perfil no Facebook para comentar sobre um episódio inusitado que ocorreu na noite de ontem (20), na Praça São Salvador. Quando muitas famílias se divertiam no local, inclusive com a presença de crianças, um funcionário de uma empresa que presta serviços à Prefeitura chegou com uma mangueira e, sem cerimônia, expulsou as pessoas com um "banho de água fria". Teve gente que precisou correr para não se molhar.

Se a ideia é revitalizar o Centro da cidade, com a volta das famílias ao local, não seria melhor mudar o horário da limpeza?

Para ver a postagem no Facebook, com o vídeo, clique aqui 

Comentar
Compartilhe
Documentos reforçam suspeitas de que Youssef foi sócio oculto da Petrobras
20/03/2015 | 15h33

Investigadores da força-tarefa da Operação Lava-Jato encontraram novos indícios que reforçam as suspeitas de que o doleiro Alberto Youssef foi sócio oculto da BR Distribuidora, subsidiária da Petrobras, na construção de uma usina termelétrica em Pernambuco. A usina Suape II começou a ser erguida em 2008 e ficou pronta em 2013, após investimentos de R$ 600 milhões, por um consórcio formado pela BR e duas empresas controladas indiretamente por Youssef: Ellobras e Genpower.

Documentos apreendidos pela Polícia Federal e anexados nas investigações em fevereiro revelam uma série de empréstimos entre a CSA Project Finance Ltda, empresa de fachada do doleiro, com Nelson Luiz Belloti sócio da Ellobras Infra-Estrutura e Participações. As transações somam R$ 929 mil e ocorreram durante o período de licitação da Usina, entre 2007 e 2008.

O doleiro ainda teria intermediado a venda da participação das duas empresas no consórcio formado pela BR Distribuidora, MPE Montagens e Projetos Especiais, Genrent Participação Ltda, Genpower e Ellobras. Um negócio de R$ 35 milhões.

  [caption id="attachment_31853" align="aligncenter" width="489"] Documentos apreendidos pela PF e anexados nas investigações em fevereiro revelam uma série de empréstimos entre a CSA Project Finance Ltda, empresa de fachada do doleiro, com Nelson Luiz Belloti sócio da Ellobras Infra-Estrutura e Participações - Relatório da PF.[/caption]

Os investigadores afirmam que a Ellobras e a Genpower são controladas pela CSA, empresa de que já foi comandada pelo ex-deputado José Janene, morto em 2010, e estava sob o domínio de Youssef. As duas tinham 40% das cotas do consórcio. As outras três tinham 20% cada, incluindo a BR.

Quando venderam a sua parte, a Ellobras e Genpower pagaram a CSA 3% do valor da transação. Em 2011, a Petrobrás assumiu o controle da termelétrica, depois de o consórcio ter deixado o controle da concessão.

Fonte: O Globo 
Comentar
Compartilhe
Dilma, Lula e o “ódio” ao PT
20/03/2015 | 15h03

Um ministro de Dilma revelou recentemente que o governo encomendou pesquisas qualitativas para entender as razões da queda de popularidade da presidente e “o ódio de São Paulo” – o carro-chefe dos protestos realizados no domingo em todo o país. Nesta altura do campeonato, já deve estar pronta também a pesquisa nacional encomendada pelo PT no final do ano passado, para identificar as causas e possíveis soluções para o antipetismo crescente no país.

Se o governo e o PT olhassem para dentro de casa, em vez de procurar razões externas para explicar a rejeição popular, provavelmente não precisariam recorrer aos institutos de pesquisa. Pelo que se pode captar do grito das ruas, a rejeição a Dilma, ao governo e ao PT não tem a ver só com a ideologia esquerdista do partido. Está ligada também ao desprezo e à arrogância que Dilma, o PT e seus líderes demonstram pela inteligência alheia.

Para tentar vencer a “batalha da comunicação”, como diz Dilma, ou “desconstruir” o discurso da oposição, como preferem os marqueteiros, vale tudo. Essa estratégia ainda pode fazer sucesso entre as milícias petistas, que já estariam alinhadas com o partido de qualquer maneira, e entre os eleitores menos informados. Mas, entre os eleitores da classe média para cima, com maior nível de escolaridade, já não produz um resultado positivo. Ao contrário. Só estimula o aumento da rejeição por Dilma, pelo governo e pelo PT.

Confira abaixo uma lista com cinco pontos que explicam, em boa medida, essa percepção negativa, especialmente nas regiões sul, sudeste e centro-oeste do país.

1.A traição aos ideais do partido - Quando surgiu, em 1980, o PT pretendia ser um partido político não apenas diferente, mas melhor que os outros. Hoje, 35 anos depois, o PT se tornou igual ou pior que os outros, para decepção de muita gente que acreditou nas boas intenções do partido. Depois de Lula afirmar que, no Congresso Nacional, havia “uma maioria de 300 picaretas que defendem apenas seus próprios interesses”, o PT criou o mensalão, para aprovar os projetos de interesse do governo, e o petrolão, para financiar o partido com propinas arrecadadas na Petrobras. Na campanha de 2014, Dilma garantiu que não adotaria o programa de ajuste defendido por Aécio, considerado "neoliberal", para equilibrar as contas públicas. Disse que geraria recessão e desemprego. Mas, depois de empossada, fez exatamente o contrário do que havia dito.

2. O envolvimento em casos de corrupção – Antes de assumir o poder, em 2003, o PT se colocava como um arauto da ética e da moralidade. Hoje, 12 anos depois, o PT pode se vangloriar de um feito: “nunca antes na história desse país”, como diria Lula, um partido conseguiu desenvolver uma tecnologia tão sofisticada de desvio de recursos públicos para seus líderes e para financiar as campanhas eleitorais de seus candidatos. Contra todas as evidências apuradas até agora, o PT e seus líderes teimam em questionar a credibilidade das investigações. Embora o propinoduto fosse institucionalizado, de acordo com os depoimentos colhidos até agora na operação Lava Jato, o PT poderá "sacrificar" João Vaccari Neto, seu tesoureiro, acusado de ser o operador do esquema, para tentar salvar o partido, envolvido até a medula no petrolão. Apesar de nada ter sido provado contra Dilma até agora, muita gente boa por aí considera que ele pode ser co-responsabilizada no escândalo da Petrobras, ocorrido durante a sua gestão e a de Guido Mantega, ex-ministro da Fazenda, na presidência do conselho de administração da companhia.

3. A mentira e a negação de problemas – Para evitar que ações desastradas do governo respinguem em sua popularidade, Dilma e o PT constroem, com apoio de seus marqueteiros, um discurso fantasioso. Tentam transformar seus fracassos em sucessos. Como Joseph Goebbels, o temido ministro nazista de propaganda, a máquina de comunicação petista basear-se no princípio de que “uma mentira repetida diversas vezes transforma-se numa verdade”. Talvez nada seja mais emblemático neste quesito do que a propaganda do PT na campanha de 2014, quando a candidata Marina Silva foi acusada de querer tirar a comida da mesa do povo e acabou perdendo apoio dos eleitores. A tal da “contabilidade criativa” – um expediente usado por Dilma para esconder “esqueletos” nas contas públicas – também ilustra com perfeição esse ponto.

4. A recusa em assumir os erros – Em vez de seguir a máxima de que a melhor atitude é sempre reconhecer os próprios erros e assumir a responsabilidade por eles, Dilma e o PT preferem atribuir a culpa a terceiros. Já virou meme nas redes sociais a mania que o PT e seus líderes têm de atribuir todos os problemas do país ao ex-presidente Fernando Henrique sempre que eles se veem numa situação desconfortável. Ainda hoje Lula e o PT continuam a negar que líderes do partido tenham se envolvido no mensalão. Afirmam, no Brasil e no exterior, que o tempo mostrará que foi um “processo político” para prejudicar o PT. No caso do petrolão, não é diferente. Dilma, por seu turno, continua a negar que a economia brasileira tenha descido a ladeira por causa de sua gestão desastrada no primeiro mandato. Ela insiste até hoje que a paradeira geral da economia do país é um reflexo da crise global, ocorrida no final de 2008.

5. O “nós” conta “eles” – Em vez de agir como presidente de todos os brasileiros, Dilma, Lula e o PT estimulam o antagonismo entre as classes sociais. Como os comunistas de outrora, eles se colocam como se fossem os únicos e legítimos porta-vozes do "povo brasileiro". Qualquer opositor é tratado como inimigo a ser exterminado, para não ameaçar o projeto de poder do partido. Para eles, só pode estar contra o governo do PT quem é da “zelite“ e quer manter seus privilégios. Não conseguem entender que muita gente, pobres e ricos, pensa diferente e quer ver o Brasil seguir outros caminhos.

Comentar
Compartilhe
Romário assume PSB-RJ e campista será secretário geral
20/03/2015 | 11h47

[caption id="attachment_31843" align="aligncenter" width="353"] Clique para ampliar[/caption]

Como o primeiro passo para a candidatura de Romário à prefeitura do Rio no ano que vem, a direção nacional do PSB escalou o senador para a presidência do diretório do partido no estado do Rio. O deputado federal Glauber Braga, que respondia pela presidência, chegou a travar uma queda de braço com o Baixinho, mas optou por compor e ficou com a vice-presidência. O campista Sergio Barcelos, braço direito de Romário, assumiu a secretaria geral do partido no estado e será um dos principais articuladores da legenda.

Nesta sexta-feira (20), a Executiva Nacional do PSB se reúne para definir um plano para os próximos quatro anos, e o projeto 2018 passa pela ocupação de prefeituras de grandes cidades, com o lançamento de Romário, no Rio, e da senadora Marta Suplicy (PT), que deve migrar para a legenda para ser a candidata do partido em São Paulo.

Campos - Em Campos, o PSB é comandado atualmente pelo vereador Altamir Bárbara. Se depender de Altamir, o partido vai continuar ao lado do grupo liderado pelo deputado federal Anthony Garotinho (PR). Porém, já existem movimentos no sentido de fortalecer o partido em Campos, com a chegada de novos quadros. A ideia é deixar de ser coadjuvante e passar a atuar como protagonista, podendo inclusive disputar a Prefeitura.

Comentar
Compartilhe
Daqui não saio
19/03/2015 | 18h12

 

O ex-jogador de vôlei Pampa, que assumiu a Fundação Municipal de Esportes no início de 2013, parece embalado por uma antiga marchinha carnavalesca que diz: “daqui não saio, daqui ninguém me tira”. No final do ano passado, muita gente imaginou que o grupo do vereador Neném (PTB) iria voltar a dar as cartas na Fundação, mas ao que tudo indica o atual presidente da Fundação não quer nem pensar em se levantar da cadeira.

Para se manter na Fundação, Pampa tem feito de tudo para agradar a “comissão técnica”.

Agora resta saber se o treinador vai levantar a “plaquinha” e indicar uma substituição ou manter o “jogador” na quadra.

Comentar
Compartilhe
Em SJB, roupa suja se lava no Facebook
19/03/2015 | 15h33

O prefeito Neco (PMDB), de São João da Barra, tem usado o Facebook para lavar roupa suja. Na última terça-feira (17), conforme o blog do jornalista Arnaldo Neto informou (aqui), ele publicou uma nota na rede social disparando forte na direção de figuras que foram exoneradas do seu governo. Na postagem, Neco diz que não tolera "pessoas viciadas em vantagens ou em desvio". De acordo com ele, os exonerados só queriam atrapalhar a sua gestão.

E não parou por aí. Nesta quinta-feira ele usou a rede social para disparar forte na direção do jornalista Leonardo Ferreira, proprietário do Portal OZK. "Não posso deixar de mostrar a minha indignação a um chantagista proprietário de um portal no nosso município que faz tudo por dinheiro. Há dois meses estava me abordando na rua e nas escadas da prefeitura. Onde me encontrava dizia que queria um valor por mês para não falar mal do governo. Eu como não tenho nada a temer, não fiz o que ele queria e me deparei com um monte de comentários sem nenhum fundamento. Aí que pude ver o caráter deste cidadão", disse Neco, que publicou uma foto do jornalista ao lado da ex-prefeita Carla Machado (PT).

Comentar
Compartilhe
Nada é tão ruim que não possa piorar
19/03/2015 | 12h04

Tem como piorar? (I)

Dizem que “nada é tão ruim que não possa piorar”. Além de conviver com uma taxa de rejeição de 62%, a mais alta desde setembro de 1992, véspera do impeachment de Collor, a presidente Dilma Rousseff (PT) ainda teve que administrar  um “barraco” na Câmara Federal. Ontem, o então ministro da Educação, Cid Gomes, esteve no Congresso e s"soltou os bichos" para cima do presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB).

Tem como piorar? (II)

Dispostos a ouvir um pedido de desculpas do ministro da Educação, que havia revelado a existência de “400 ou 300 achacadores” na Câmara Federal, os deputados sabatinaram Cid Gomes, que não “afrouxou” e manteve suas críticas à base aliada do governo Dilma. Para completar, apontou o dedo para Eduardo Cunha e disparou: “Eu fui acusado de ser mal educado. Eu prefiro ser acusado por ele [Eduardo Cunha] do que ser como ele, acusado de achaque”.

Tem como piorar? (III)

Um velho ditado iugoslavo ensina: “diga a verdade e saia correndo”. Ontem, ficou comprovado que a máxima faz sentido. Após desabafar na Câmara Federal, Cid Gomes correu até o Palácio do Planalto e descobriu que, no país dos caciques peemedebistas, encarar Eduardo Cunha pode custar caro. Após uma rápida pressão, Cid Gomes pediu demissão.

A cara do Brasil

Não é preciso passar pelo Congresso Nacional para encontrar políticos que se acham acima do bem e do mal. Por aqui, pertinho, em Itaperuna, o vereador Francisco José da Fonseca (PR) usou o Facebook para criticar uma blitz da Polícia Militar (PM) nas proximidades de uma festa organizada pela sua filha. Segundo o vereador, a blitz “prejudicou amigos”.

Pegou mal

Logo após a publicação do vereador contra a blitz da PM, que teria atrapalhado a festinha de sua filha, dezenas de internautas criticaram a atitude. Mas engana-se quem pensa que o parlamentar recuou. Em novas postagens ele voltou a criticar a PM. Inclusive, avisou que vai entrar com um processo administrativo e indagar o Comando Geral da PM. Será que em Itaperuna a PM tem que pedir permissão ao vereador para trabalhar? Era só o que faltava...

Publicado hoje na Folha da Manhã
Comentar
Compartilhe
Parque Tecnológico une forças
19/03/2015 | 11h51
Uma solenidade histórica, visando a implantação do Parque Tecnológico do Norte Fluminense, foi realizada ontem (18) na Câmara de Campos. Durante a sessão solene, reitores e dirigentes de entidades do setor produtivo assinaram um protocolo de intenções para a estruturação e implantação do Parque. O presidente da Câmara de Campos, vereador Edson Batista (PTB), solicitou aos vereadores que cedessem os assentos à esquerda da plenária para os reitores e dirigentes das entidades do setor produtivo e de entidades sociais. Ele destacou que não se tratava de uma sessão da Câmara, mas um ato histórico das entidades que representam toda sociedade, num entendimento institucional de que todas as entidades se situam no mesmo plano em busca do Parque Tecnológico, que tem a missão de promover o desenvolvimento de Campos e da região, apostando na diversificação da economia, o que tornará as cidades menos dependentes dos royalties. Neste sentido, as instituições acadêmicas, como a Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf), Instituto Federal Fluminense (IFF), Universidade Federal Fluminense (UFF), Universidade Candido Mendes, Faetec, IseCensa, Uniflu, Faculdade de Medicina de Campos, Faculdade Redentor e diversas entidades do setor produtivo, como Firjan, dentre outras, inclusive ligadas à área da saúde, como a Fundação Benedito Pereira Nunes, vão promover a infraestrutura, fomentar a inteligência e os serviços necessários para o crescimento e o fortalecimento das empresas de conteúdo tecnológico. A Fundação Estadual do Norte Fluminense (Fenorte), que nos últimos anos somou forças para a implantação do Parque, também esteve presente. O presidente da Fenorte, Amaro Luiz dos Santos Rangel, destacou a importância da união. "A Fenorte faz parte deste sonho desde o início, e hoje estamos aqui vendo que é possível somar forças em busca do desenvolvimento da região. O governador Luiz Fernando Pezão é um grande incentivador e já deixou claro que a Fenorte será o braço do governo estadual para contribuir no processo de implantação do Parque", frisou Amaro. Nas cidades brasileiros que já possuem Parques Tecnológicos é possível ver, a médio e longo prazo, a formação de cadeia produtiva de alto valor agregado, como resultado do conhecimento acumulado decorrente das pesquisas das universidades, e no caso do Norte Fluminense, será estartado pela Uenf/Fenorte, somado às experiências do setor produtivo, representado pela Firjan e outras entidades da classe empresarial e sindical, como a Acic e Sindicato dos Metalúrgicos. O presidente da Câmara, Edson Batista (PTB), ressaltou o espírito de união em prol da implantação do PTNF. “É um marco histórico para Campos, com a abertura de novos caminhos que levarão ao desenvolvimento da cidade”, disse, destacando o esforço do professor Ronaldo Paranhos, diretor da Agência Uenf de Inovação, para implementação do Parque de Alta de Tecnologia. Assinaram o documento, o reitor da Uenf, Silvério de Paiva Freitas; o secretário de Petróleo, Energias Alternativas e Inovação Tecnológica, Macelo Neves, que representou a prefeita Rosinha Garotinho; o presidente da Câmara, Edson Batista; o diretor da Agência Uenf de Inovação, Ronaldo Paranhos; o reitor do IFF, Luiz Augusto Caldas; o diretor da UFF/Campos, Armando Hermand; o reitor da Ucam Campos, Rodrigo Lira; o presidente da Firjan/NF, Geraldo Hayen Coutinho; o presidente da Fenorte, Amaro Luiz dos Santos Rangel; o presidente da Fundenor, José Carlos Menezes; coordenador do Polo Avançado Faetec Norte/Noroeste Etevaldo Pessanha; a diretora do IseCensa, Elizabeth Landim; o coordenador regional do Sebrae, Gilberto Soares; o diretor da FBPN, Nélio Artiles; e a diretora do Uniflu, Anelise Batista. Fonte: Secom/Prefeitura de Campos / Foto de Gerson Gomes
Comentar
Compartilhe
Linda Mara vai comandar "Viver Feliz"
19/03/2015 | 11h34
[caption id="attachment_31795" align="aligncenter" width="420"] Foto: Rodolfo Lins[/caption] Os 18 condomínios Morar Feliz vão receber as ações do projeto Viver Feliz, criado pela Prefeitura de Campos, e que será coordenado pela secretária Particular, Linda Mara Silva (Pros). A primeira reunião foi realizada ontem (17) com a presença de diversas secretarias. Ficou definido que o primeiro Morar Feliz a receber o projeto será o do Parque Esplanada, no sábado (28), dia em que Campos comemora 180 anos de elevação à categoria de cidade. "A proposta é prestar serviço aos condomínios. As ações do projeto Viver Feliz serão constantes nos condomínios", disse Linda Mara. No dia da ação no condomínio serão realizados serviços, como atendimentos na área de saúde, orientação jurídica, isenção de taxa para a 2ª via da carteira de identidade, esporte e lazer, plantio de árvores, confecção de currículos, divulgação de cursos no Balcão de Empregos, recreação infantil, corte de cabelo e vacinação de animais. As ações ocorrerão quinzenalmente, sempre aos sábados, das 8h às 14h. Ganho eleitoral - O projeto "Viver Feliz" lembra o "Prefeitura em Ação", lançado no início da década de 90 durante o primeiro governo de Garotinho e mantido nas outras gestões. Na volta do grupo ao poder, no início de 2009, o nome mudou para "Prefeitura Presente". O contato direto com os moradores deve dar mais força eleitoral a Linda Mara, fiel escudeira da prefeita Rosinha Garotinho (PR). Em 2009, Rosinha não escondeu que o seu voto seria em Linda Mara e fez campanha ao lado da amiga. Porém, a vitória bateu na trave. Linda Mara obteve 1.846 votos e ficou como primeira suplente da coligação PT do B/PRTB.
Comentar
Compartilhe
Câmara: quem defende a redução das cadeiras?
19/03/2015 | 01h44

A proposta do vereador Thiago Virgílio (PTC) de reduzir o número de cadeiras na Câmara de Campos começa a ganhar adeptos (aqui). O blog apurou que, além de Thiago, os vereadores Altamir Bárbara (PSB), Neném (PTB), Genásio (PSC), Gil Vianna (PR), Albertinho (Pros) e Jorge Magal (PR), topam assinar a proposta e levar o debate para o plenário.

Líder do governo na Câmara, o vereador Mauro Silva (PT do B) também avisa que a redução pode muito bem ser discutida. Porém, na visão de Mauro, a Casa não pode perder a sua representatividade. “Acho que a Casa pode ficar com 23 cadeiras”, diz Mauro.

O vereador Albertinho pensa de forma parecida. “Creio que a redução de oito cadeiras pode ser um exagero. Mas podemos discutir sobre 21 ou 23 cadeiras”, opina.

Já a bancada de oposição prefere aguardar. “Vamos deixar a bancada governista, que é maioria, trazer o debate para o plenário”, diz o líder da oposição na Câmara, vereador Nildo Cardoso.

Comentar
Compartilhe
Luiz Inácio avisou: "são trezentos picaretas"
19/03/2015 | 01h31

Em 1993, quando sonhava com a presidência da República e estava longe de ser o "Paz e Amor", Luiz Inácio Lula da Silva disse: “Há no Congresso uma minoria que se preocupa e trabalha pelo país, mas há uma maioria de uns trezentos picaretas que defendem apenas seus próprios interesses”. A fala de Lula inspirou música da banda Paralamas do Sucesso. A letra de "Luiz Inácio (300 picaretas)" diz: Luís Inácio falou, Luís Inácio avisou. São trezentos picaretas com anel de doutor (...) Eles ficaram ofendidos com a afirmação que reflete na verdade o sentimento da nação. É lobby, é conchavo, é propina e jeton. Variações do mesmo tema sem sair do tom. Brasília é uma ilha, eu falo porque eu sei. Uma cidade que fabrica sua própria lei".

Ao que tudo indica, o aviso não surtiu muito efeito. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, com "O Príncipe" de Maquiavel na cabeceira, conviveu oito anos com os "soldados mercenários". O próprio Lula também tratou de manter a turma bem alimentada. Saiba mais pesquisando sobre o Mensalão (aqui). E com a presidente Dilma Rousseff não é diferente. O então ministro da Educação, Cid Gomes, disse que existem "300 ou 400 achacadores" na Câmara Federal. E o qual foi a postura de Dilma? Demitiu o ministro.

Resumo da ópera: não adianta avisar. Os 300 picaretas estão aí e vão continuar.

 
Comentar
Compartilhe
Câmara: redução das cadeiras é voz das ruas ou manobra?
18/03/2015 | 11h41

“Jogo para a galera?" (I)

O vice-presidente da Câmara de Campos, vereador Thiago Virgílio (PTC), apresentou durante a sessão de ontem (17) uma proposta que pretende reduzir de 25 para 17 o número de vereadores na terra goitacá. Atualmente, com cada vereador custando cerca de R$ 100 mil por mês, seria uma baita economia. Além dos vereadores, a mudança incluiria também o corte de pelo menos 40 assessorias. Com o corte, a Câmara economizaria com telefone, passagens aéreas, água, luz, cartuchos para impressoras e lanche, por exemplo. Segundo Virgílio, a ideia é ouvir "a voz das ruas".

“Jogo para a galera?" (II)

Porém, quem conhece os bastidores da política sabe que o debate sobre a “voz das ruas” na Câmara pode ser uma estratégia para desviar o foco da Prefeitura, que sofre o maior desgaste dos últimos anos, mesmo com um orçamento de R$ 2,5 bilhões em 2014, que até hoje ninguém explicou como acabou e o governo ainda precisou de um "cheque especial". A tática do líder seria esticar o debate sobre o corte das cadeiras, tirar um pouco o foco da Prefeitura e, lá na frente, manter tudo como está.

Carnaval fora de época

Um mês após o Carnaval oficial, a Prefeitura de Campos já começa a se preparar para realizar o seu Carnaval fora de época, no Cepop. Mesmo em tempos de crise, o evento será realizado entre os dias 1º e 3 de maio. Para amenizar os gastos, a Prefeitura quer contar com patrocínios de empresas privadas, assim como ocorreu com o Verão da Família. Mas é bom lembrar que, até agora, o governo municipal não informou os valores arrecadados com os patrocínios do verão. Só com cachês nacionais a nossa “pobre” Prefeitura gastou R$ 1,3 milhão.

Voz das ruas

Pesquisa realizada pelo instituto PRO4 no final do ano passado mostrou que o Campos Folia não empolga muito a população. Ao todo, 59,2% dos entrevistados opinaram pelo fim da folia fora de época. Outros 30,3% defenderam a manutenção do evento e 10,6 % não souberam ou não responderam. No ano passado, somente com as escolas e blocos de Campos, escolas e shows nacionais, os gastos ficaram em torno de R$ 1,5 milhão. Isso sem contar iluminação, som, buffet e telões. Será que, nesses dias difíceis, vão aparecer empresários dispostos a bancar a festa?

Publicado hoje na Folha da Manhã

Comentar
Compartilhe
Barbosa: "Não acredito mais nesse grupo"
18/03/2015 | 11h25
[caption id="attachment_31787" align="aligncenter" width="220"] Foto: Campos 24 Horas[/caption]

Na última sexta-feira (13) o blog publicou nota (aqui) informando que a rádio Campos Difusora saiu na frente dos outros veículos e recebeu parte das notas atrasadas. Em contato com o blog, o radialista Barbosa Lemos avisou que "não existe a mínima possibilidade da Difusora mudar o tom" e garantiu que os atrasos continuam.  "Não teve pagamento nos últimos dias. As notas estão atrasadas desde agosto do ano passado. Mas pagando ou não pagando, a Difusora vai continuar com a mesma pegada. Não acredito mais nesse grupo", disse Barbosa.

Comentar
Compartilhe
Prefeitura gasta mais R$ 29 mil com passagens aéreas
18/03/2015 | 11h06
[caption id="attachment_31784" align="aligncenter" width="400"] Imagem meramente ilustrativa[/caption]

A Prefeitura de Campos gastou mais R$ 29 mil com passagens aéreas. Quem recebeu, no dia 20 de fevereiro,  foi a empresa L.M. Viagens e Turismo Ltda.

No dia 30 de janeiro o gasto com passagens aéreas foi de R$ 45 mil (aqui).

A informação está disponível no Portal da Transparência.

Porém, não é possível saber quem usou os serviços, para onde foram as viagens, nem quantas passagens foram compradas.

Comentar
Compartilhe
Para defender 25 cadeiras, vereador sugere "trabalhar sem salário"
18/03/2015 | 00h40

Durante a sessão de ontem (18), após o vereador Thiago Virgílio propor a redução de cadeiras para a próxima legislatura, como o blog havia adiantado (aqui), o vereador Álvaro César (PMN) usou a tribuna para anunciar que discorda da mudança. Durante sua argumentação, ele chegou a dizer que toparia até ficar sem salário. "Sou amigo do vereador Thiago Virgílio, mas não vou votar favorável. Não quero ficar com peso na consciência pela derrota de algum colega. Se o plano é cortar, acho que o vereador pode até não ter salário", comentou.

Além de Álvaro, o vereador Jorge Magal (PR) também não vê a redução com bons olhos. “Eu sou contra. A cidade fica melhor representada com os 25 vereadores. E os cortes podem ser feitos de outras maneiras. Cortem as assessorias, salários e gastos da Câmara”, sugeriu Magal.

Para a matéria ser votada no plenário são necessárias nove assinaturas. "Tenho seis assinaturas e acredito que esse debate será importante. Inclusive. Vamos chamar a sociedade para opinar”, adiantou.

Líder da oposição, o vereador Nildo Cardoso (PMDB) disse que a bancada oposicionista vai seguir o “rolo compressor”. “Somos apenas cinco contra 20 da situação. Quem vai definir essa história é a bancada governista. Vamos aguardar e respeitar. Mas na hora certa não deixaremos de opinar”, comentou.

 Mais informações na edição desta quarta-feira (18) da Folha 
Comentar
Compartilhe
Siprosep com Papinha
18/03/2015 | 00h20
[caption id="attachment_31773" align="aligncenter" width="393"] Facebook/Papinha[/caption] O presidente do Sindicato dos Profissionais Servidores Públicos Municipais de Campos (Siprosep) esteve ontem (17) na Alerj com o deputado estadual Papinha (PP). Na pauta, as principais reivindicações dos servidores municipais. "É hora de somar forças. Estou ao lado dos servidores nessa luta", disse Papinha, que nesta quarta-feira (18) vai se reunir com pescadores da região. Manifestação - Está marcada para a próxima segunda-feira (23), às 8h, na sede da Prefeitura de Campos, a manifestação dos servidores municipais.

De acordo com o diretor do Siprosep, Fábio Almeida, que também esteve na Alerj com Papinha, os principais questionamentos serão: Vale-Transporte, Vale-Alimentação, Plano de Cargos e Salários e Plano de Saúde. Além disso, os servidores irão reivindicar um reajuste salarial de 12%. “A defasagem dos últimos cinco anos da correção dos salários dos servidores, usando o paradigma do reajuste do salario minimo, aponta uma PERDA de 45% nominais”, diz o Siprosep.

Comentar
Compartilhe
Garotinho na Câmara
17/03/2015 | 17h46

 

O secretário de Governo da Prefeitura de Campos, Anthony Garotinho (PR), vai participar da sessão de amanhã (18) da Câmara de Campos, marcada para às 15h.

No dia 24 de fevereiro, quando o secretário esteve na Casa e transformou a sessão em "Show do Garotinho" (aqui), ficou definido que a participação seria mensal. "Estarei na Câmara, uma vez por mês, para responder perguntas referentes ao governo municipal", disse Garotinho.

Atualização às 19h45 - Não foi — O secretário de Governo deixou a sua participação para uma outra ocasião. Por conta de uma indisposição, ele obedeceu os médicos e ficou de repouso nesta quarta-feira (18).

Comentar
Compartilhe
Bruno Dauaire quer barrar mensagem subliminar na publicidade oficial
17/03/2015 | 14h50

Se depender do deputado estadual Bruno Dauaire (PR) a propaganda dos órgãos públicos do governo do Estado do Rio de Janeiro não poderá mais usar símbolos, imagens, marcas ou slogan que procurem a promoção pessoal do gestor. A Proposta de Emenda Constitucional, que já começou a tramitar na Alerj, no último dia 10, pretende dar uma nova redação ao parágrafo terceiro do artigo 77 da Constituição do Estado. Se aprovada, a nova redação relativa a publicidade dos atos e programas, obras e serviços, somente poderá ser feita em caráter educativo, de orientação social, ficando restrito ao uso do brasão e o nome completo da unidade da federação.

O deputado justificou a proposta alegando que o objetivo é impedir que seja quebrado, de forma subliminar, o princípio da impessoalidade, que se deve revestir a administração pública. "A utilização pura e simples do brasão do estado e o nome completo da unidade federativa dão a publicidade necessária aos atos de interesse coletivo sem, contudo ferir os demais princípios basilares da administração”, explica o parlamentar. Dauaire acredita que a PEC da impessoalidade pode gerar uma contenção nos gastos publicitários e, com isso, aumentar investimentos nas áreas da Educação, Saúde e Segurança Pública, além de evitar utilização posterior em campanhas eleitorais.

Fonte: Ascom/Bruno Dauaire

Comentar
Compartilhe
Alerj debate reutilização de água e Câmara de Campos gasta R$ 73,6 mil para irrigar jardins
17/03/2015 | 14h12

Enquanto a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) vai debater um projeto que prevê mecanismos de reutilização daquela água que pinga do ar-condicionado e também pensa na captação de água de chuva nas edificações do estado, a Câmara de Campos parece não estar muito ligada na sustentabilidade. A Casa firmou contrato com a empresa Estação das Plantas Serviços e Comércio Ltda no valor de R$ 73,6 mil para "irrigação dos jardins no entorno da sede da Câmara e jardins da Escola Municipal de Gestão Pública do Legislativo (Emugle)".

Na legislatura passada o então vereador Rogério Matoso (PPS) chegou a propor a instalação de um sistema para captar água de chuva e utilizar na irrigação dos jardins. Porém, ao que tudo indica, a atual legislatura optou pela contratação de uma empresa, por R$ 73,6 mil.

Atualização às 20h15 - Em contato com o blog o presidente da Câmara de Campos, vereador Edson Batista (PTB) explicou que a Câmara contra com sistema de captação de água de chuva, "mas que devido a escassez de chuvas nos últimos meses o reservatório não tem água suficiente para a irrigação". O presidente também explicou que a Casa conta com um gerador com a missão de reduzir a conta de luz do legislativo. "Também estamos estudando a colocação de placas para captação de energia solar", completou.

O blog do advogado Cláudio Andrade publicou nota sobre a irrigação: aqui 

Comentar
Compartilhe
Thiago Virgílio propõe redução de oito cadeiras na Câmara
17/03/2015 | 13h05

O vereador Thiago Virgílio (PTC), que é vice-presidente da Câmara de Campos, publicou, em seu perfil no Facebook, uma nota que deve render acalorados debates no Legislativo. Com foco na crise, que pede "cortes na carne", o parlamentar informou que irá apresentar durante a sessão desta terça-feira (17) uma Proposta de Emenda ao parágrafo segundo do artigo sexto da Lei Orgânica do município, que fixa a quantidade de cadeiras de Vereadores na Câmara de Campos "A nossa proposta é que a Câmara Municipal volte à contar com 17 vereadores e não mais 25 vereadores, como hoje.  Uma de nossas preocupações é a atual crise que o nosso país passa", explica Thiago, que durante a sessão deve dar mais informações sobre a proposta.

O aumento de 17 para 25 cadeiras foi aprovado no final da legislatura anterior e contou com o total apoio do "rolo compressor" rosáceo.

Com o corte das oito cadeiras, tendo em vista o número de assessores para cada parlamentar, a Câmara também poderia extinguir 40 cargos comissionados. Além disso, o Legislativo economizaria com telefone, passagens aéreas, água, luz, cartuchos para impressoras e lanche, por exemplo.

Quanto custa cada um? - Em recente análise, publicada no Facebook, o economista Ranulfo Vidigal informou que "cada vereador em Campos custa mensalmente ao cofres públicos, portanto, pagos com os impostos do munícipes (IPTU,ISS,royalties) cerca de 100 mil reais".

Câmara de Nova Iguaçu terá menos oito cadeiras - No final do ano passado foi aprovada pela Câmara de Vereadores de Nova Iguaçu uma alteração à Lei Orgânica que diminui para 21 o número de vereadores a partir da próxima legislatura, que começa em 2017. Atualmente, a cidade conta com 29 parlamentares.

Comentar
Compartilhe
Cofre aberto: Rosinha paga R$ 814 mil por publicidade
17/03/2015 | 11h39

A turma responsável pela divulgação da propaganda rosácea, que andava resmungando pelos cantos por conta de atrasos de até seis meses, deve respirar um pouco aliviada. Na última sexta-feira (13) as três agências responsáveis por fazer a ponte entre Prefeitura e veículos de comunicação receberam R$ 814 mil.

Propaganda no rádio e TV - Na última semana a Prefeitura de Campos lançou uma nova campanha no rádio e na TV. A ideia é mostrar que o dinheiro que o contribuinte paga o IPTU é bem utilizado. Na telinha, uma cidadã diz que o atendimento na área da Saúde foi "nota 10". Já a avó de uma aluna comenta que "a creche parece até particular".

Saiu na frente - Na semana passada quem saiu na frente e recebeu parte das notas atrasadas foi a rádio Campos Difusora (aqui), de Barbosa Lemos. Quem acompanhava a programação da Difusora podia notar que a pancada era forte no governo rosáceo. O áudio do Ronaldo Caiado (aqui) era usado como se fosse a "música mais pedida".

R$ 2 milhões - Em novembro, quando a prefeita Rosinha Garotinho (PR) já falava em "fechar as torneiras", a Prefeitura gastou R$ 2 milhões com publicidade: aqui 

Comentar
Compartilhe
TRE aponta abuso da Record e pune Marcelo Crivella
16/03/2015 | 22h38

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) acaba de cassar o registro da candidatura de Marcelo Crivella (PRB) ao governo do Rio de Janeiro. A decisão não tem nenhum efeito imediato – só teria se Luiz Fernando Pezão (PMDB) fosse cassado e, então, Crivella não poderia assumir. O senador não foi tornado inelegível, portanto.

A Justiça Eleitoral considerou indevida a atuação da Record durante a campanha. Nos programas evangélicos da igreja Universal, os pastores faziam o sinal com o número dez – justamente o utilizado pelo PRB. A CNT também apresentou programas semelhantes. Durante a campanha, a Record também levou ao ar várias reportagens negativas contra Pezão e o PMDB.

Por Lauro Jardim/Radar on-line

Comentar
Compartilhe
Alerj: Bancada do PR vai atuar em 14 das 18 Comissões
16/03/2015 | 20h06

O deputado estadual Geraldo Pudim (PR) comentou nesta segunda-feira (16), em sua página no Facebook, sobre uma reunião da bancada do PR na Alerj. O parlamentar, que é o primeiro secretário da Casa, lembrou que o partido está presente em 14 das 18 Comissões já instaladas. "A bancada do Partido da República se reuniu na tarde de hoje para organizar as ações da nossa sigla na Alerj. O PR é um partido de posição e tem um norte político. Posto isso discutimos os melhores caminhos para atuar nas 14, das 18 Comissões já instaladas, das quais o PR faz parte sempre com foco na união e no trabalho em conjunto. Atualmente o PR tem assento, seja como membro titular ou suplente, nas comissões de Constituição e Justiça (1 Titular, 1 suplente), Saúde (Presidente), Segurança Pública (vice-presidente), Agricultura (vice-presidente, 1 titular, 1 suplente), Segurança Alimentar (1 titular, 1 suplente), Orçamento (1 suplente), Esporte e Lazer (2 suplentes), Indústria e Comércio (1 suplente), Direitos da Mulher (1 suplente), Defesa da Pessoa Portadora de Deficiência (1 titular, 1 suplente), Defesa Civil (1 titular), Seguridade Social (1 titular), Criança, Adolescente e Idoso (1 titular, 1 suplente) e Minas e Energia (1 suplente)", explicou Pudim.

 
Comentar
Compartilhe
Eduardo Cunha: "O PT não tem amigos, tem súditos”
16/03/2015 | 16h11

O presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha (PMDB), começa a mostrar as suas garras. Ele disse nesta segunda-feira (16) que “a corrupção não está no Legislativo, está no Executivo”. Ele se reuniu na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) com um grupo de cerca de 160 empresários, para quem reservadamente, durante o encontro, ainda disse que o “PT não tem opositores, tem inimigos; o PT não tem amigos, tem súditos”.

Ao comentar os protestos de ontem, Cunha afirmou que o Poder Executivo é responsável por permitir que a corrupção tenha avançado. "Quando falam que as ruas estão contra o Parlamento, quero dizer que nós somos representantes do povo e vamos fazer (reformas), tomamos posse agora apenas há 40 dias e temos que andar em consonância com eles. É bom deixar claro que a corrupção não está no Poder Legislativo, a corrupção está no Executivo. Se eventualmente alguém no Poder Legislativo se aproveitou da situação para dar suporte politico em troca de benefícios indevidos é porque esses benefícios existiram pela falta de governança do Poder Executivo, que permitiu que a corrupção avançasse", disse Cunha.

O presidente da Câmara é um dos 34 parlamentares que integra a lista de políticos que respondem a inquérito Supremo Tribunal Federal (STF) pela Operação Lava-Jato.

Atualização às 19h15 - Dilma rebate Cunha - A presidente Dilma Rousseff disse na tarde desta segunda-feira, em entrevista coletiva, em Brasília, que vai procurar abrir diálogo com humildade, com quem quer que seja. A afirmação da petista foi feita após ela ser questionada por um jornalista sobre a das declarações de Eduardo Cunha.

Dilma ressaltou (aqui) que é necessário ter “vigilância”. "A corrupção não nasceu hoje. Ela é uma senhora idosa, e pode estar em qualquer lugar, não poupa ninguém. Ela pode estar, inclusive, no setor privado. Não vamos achar que tem qualquer segmento acima de qualquer suspeita. O combate à corrupção começa também através de um processo educacional. O fato de você não querer tirar vantagem em tudo na sua vida", afirmou a presidente.

Fonte: O Globo 

Comentar
Compartilhe
Começou o "pacote de exonerações"
16/03/2015 | 12h25

Após os terceirizados, que foram os primeiros a entrar na "degola" rosácea, agora é a vez dos cargos de confiança. Nesta segunda-feira (16) o Diário Oficial do Município de Campos trouxe um "pacote" com dez exonerações de aliados que tinham DAS e Funções Gratificadas na Prefeitura.

Foram exoneradas algumas diretoras e vice-diretoras de escolas municipais, coordenador de Clube da Terceira Idade e gerente de convênios, contratos e captação de recursos da Fundação Municipal de Esportes.

Este é apenas o começo.

Ao todo, mais de 300 donos de cargos de confiança serão dispensados.

Comentar
Compartilhe
Após protestos, Dilma se reúne com Temer e nove ministros
16/03/2015 | 12h09

Um dia depois dos protestos contra o governo federal realizados em diversas capitais do País, a presidente Dilma Rousseff convocou em seu gabinete no Palácio do Planalto, na manhã desta segunda-feira (16), o vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), e nove ministros de sua equipe. Entre os ministros reunidos, estão os que fazem parte do novo núcleo de articulação política do governo.

Os convocados são, além do assessor especial da presidente Gilles Azevedo, os ministros Miguel Rossetto (Secretaria-Geral), José Eduardo Cardozo (Justiça), Aloizio Mercadante (Casa Civil), Jaques Wagner (Defesa), Gilberto Kassab (Cidades), Eliseu Padilha (Aviação Civil), Eduardo Braga (Minas e Energia), Aldo Rebelo (Ciência e Tecnologia) e Pepe Vargas (Relações Institucionais).

Ontem (15), os ministros Cardozo e Rossetto anunciaram, em entrevista coletiva para falar dos protestos, que a presidente Dilma apresentará novas medidas contra a corrupção "nos próximos dias". Ela também se reuniu com ministros ontem, no Palácio da Alvorada.

Fonte: Brasil 247

 
Comentar
Compartilhe
Ministros falam sobre manifestações contra Dilma e prometem "pacote anticorrupção"
15/03/2015 | 19h15
[caption id="attachment_31687" align="aligncenter" width="620"] Foto: G1[/caption]

Os ministros José Eduardo Cardozo (Justiça) e Miguel Rosseto (Secretaria-Geral da Presidência da República) concedem, neste momento, uma entrevista coletiva sobre os protestos que aconteceram neste domingo (15) em todo o Brasil. Confira trechos da entrevista:

O ministro José Eduardo Cardozo disse que há um momento em que "temos de ser maiores que nossas divergências". Ele fez a afirmação em resposta a uma indagação sobre a dificuldade de diálogo do governo com o Congresso e o Supremo Tribunal Federal. "O compromisso do nosso governo é governar para 200 milhões de brasileiros, para aqueles que nos aplaudem e aqueles que nos criticam".

O jornalista Gerson Camarotti, do G1 e da GloboNews, perguntou se houve surpresa com o número de pessoas que foi às ruas neste domingo. "Não é surpresa. Há uma dinâmica eleitoral muito próxima da memória das pessoas", afirmou Miguel Rossetto. Segundo ele, a maior parte dos participantes das manifestações são pessoas que não votaram em Dilma.

O ministro Miguel Rossetto disse que há uma "inquietude" entre a população devido ao tempo entre o surgimento de denúncias de corrupção e o julgamento dessas denúncias. Rossetto também defendeu o fim do financiamento empresarial. "Ao mesmo tempo em que a sociedade aguarda o julgamento desse processo [de corrupção], ela também espera que sejam votadas normas que interrompam esse processo.

Os ministros, que estiveram com Dilma na tarde deste domingo, foram indagados sobre como a presidente reagiu aos protestos. José Eduardo Cardozo disse que a posição que ele e Rossetto estão expressando capta a posição da presidente Dilma.

O ministro José Eduardo Cardozo afirmou que as medidas de combate à corrupção serão enviadas ao Congresso muito antes da promessa de Dilma na posse de que as enviaria em seis meses. "Há questões que exigem uma pactuação entre poderes distintos. Segundo ele, é uma proposta que exigiu um debate de aperfeiçoamento técnico e redacional.

Cardozo afirmou que democracia "exige tolerância". "Sou contra qualquer discurso de ódio", disse. Por isso, segundo ele, mandou retirar um texto sobre esse tema na página do Facebook do ministério.

Cardozo criticou "posições extremistas e autoritárias". "Não considero que exista nenhuma fragilização do governo", declarou. Segundo o ministro, o surgimento de posturas autoritárias se dá em todo mundo, não somente no Brasil. "Felizmente, é uma minoria de brasileiros que defende esse tipo de postura", afirmou. O ministro Miguel Rossetto disse que faz parte do ato de governar "conviver com situações como essas". "Nós estamos seguros da agenda que estamos desenvolvendo", afirmou. Segundo ele, essa agenda é orientada para todos os programas que trazem qualidade de vida. "Estamos seguros de que no segundo semestre deste ano a economia reagirá", declarou.

Panelaços -  Durante o pronunciamento de ministros sobre as manifestações deste domingo, o G1 recebeu relatos de "panelaços" nos bairros: Vila Leopoldina, Perdizes, Saúde, Cambuci, Itaim Bibi, Santana, Pinheiros, Vila Madalena e Paraíso.

Fonte: G1

Comentar
Compartilhe
Marina: "Não há como desconhecer ou minimizar a manifestação"
15/03/2015 | 18h15

A ex-senadora Marina Silva, que disputou a presidência da República no ano passado e obteve 22 milhões de votos, usou o Facebook para comentar sobre as manifestações deste domingo (15). Na visão da ex-senadora, o Brasil espera uma fala sincera da presidente Dilma Rousseff, sem a ajuda dos marqueteiros. "A sociedade brasileira foi hoje às ruas e promoveu a maior manifestação contra um governo na história do país. Pacífica e democrática, a gigantesca expressão de indignação ultrapassou em muito qualquer expectativa e também qualquer desejo de controle dos grupos e correntes políticas organizadas. Foi livre e autoral, descentralizada, autoconvocada. Reeditou as jornadas de junho de 2013, agora com objetivo claro e explícito: contra o governo e contra a corrupção. Não há como desconhecer ou minimizar a manifestação. O povo brasileiro exige uma posição da presidente da República em resposta aos seus justos e legítimos reclames. Esta, sim, é a hora de falar e dizer a verdade. Reconhecer os erros, assumir a responsabilidade por seus atos, propor soluções para os problemas, nada mais e nada menos que isso. Uma fala da presidente, não do marketing. O Brasil falou e agora é todo ouvidos", comentou.

Comentar
Compartilhe
Dilma faz com Cardozo primeira avaliação sobre as manifestações
15/03/2015 | 17h26

A presidente Dilma Rousseff permaneceu durante todo o domingo no Palácio da Alvorada. Dilma recebeu, no início da tarde, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. Segundo interlocutores, os dois discutiram medidas de combate à corrupção e fizeram uma primeira avaliação das manifestações. Pelos cálculos, mais de 1,5 milhão de brasileiros protestaram neste domingo. Para o governo, nas manifestações, houve pedido de impeachment, mas elas não se resumiram a isso, houve também cobrança por combate à corrupção e também mudanças no sistema político. Nova avaliação deverá ser feita por Dilma com ministros no final da tarde. Cardozo foi ao Alvorada sem o carro com a placa oficial do ministério. O veículo que deixou o ministro estava acompanhando de um batedor e tinha apenas uma placa branca.

Fonte: O Globo 

Comentar
Compartilhe
Aécio comemora resultado das manifestações
15/03/2015 | 17h21
[caption id="attachment_31668" align="aligncenter" width="405"] Clique para ver o vídeo no Facebook[/caption]

Depois de aparecer na janela do seu apartamento em Ipanema usando as cores que predominaram nas ruas neste domingo, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) publicou vídeo nas redes sociais comemorando as manifestações que tomaram conta das ruas de diversas cidades do país. O ex-candidato à Presidência da República justificou sua ausência nos protestos e pediu que os brasileiros continuem a ocupar as ruas: "Depois de refletir muito, eu optei por não estar nas ruas neste domingo, para deixar muito claro quem é o grande protagonista destas manifestações. E ele é o povo brasileiro, o povo cansado de tantos desmandos, de tanta corrupção. Mas o caminho só está começando a ser trilhado. Por isso, não vamos nos dispersar!", afirmou no vídeo.

O senador reafirmou que este dia 15 ficará marcado na história: "Esse 15 de março vai ficar lembrado para sempre como o Dia da Democracia. O dia em que os brasileiros se vestiram de verde e amarelo e foram para as ruas se reencontrar com as suas virtudes, seus valores, seus sonhos".

A Executiva do PSDB apoia as manifestações, mas o candidato derrotado nas eleições de outubro decidiu, na semana passada, não comparecer. O temor era de que a presença do tucano pudesse dar munição e fortalecer o discurso dos governistas e do PT de que ele estaria estimulando um terceiro turno.

Fonte: O Globo 

Comentar
Compartilhe
De verde e amarelo, campistas protestam contra Dilma
15/03/2015 | 13h18

Em Campos, o ato contra a presidente Dilma Rousseff (PT)  reuniu, de acordo com a Polícia Militar (PM), cerca de 800 pessoas e transcorreu de forma pacífica. Vestidos de verde e amarelo, os manifestantes se concentraram na Praça São Salvador, caminharam pela Avenida Alberto Torres, passaram pela Beira Valão e encerraram os protestos na Pelinca. Confira algumas imagens do ato na planície goitacá:

[caption id="attachment_31634" align="aligncenter" width="502"] Foto de Michelle Richa[/caption] [caption id="attachment_31636" align="aligncenter" width="502"] Foto de Michelle Richa[/caption]

[caption id="attachment_31637" align="aligncenter" width="502"] Foto de Michelle Richa[/caption] [caption id="attachment_31638" align="aligncenter" width="502"] Foto de Michelle Richa[/caption] [caption id="attachment_31644" align="aligncenter" width="463"] Foto de Michelle Richa[/caption] [caption id="attachment_31645" align="aligncenter" width="463"] Foto de Michelle Richa[/caption] [caption id="attachment_31646" align="aligncenter" width="463"] Foto de Michelle Richa[/caption] [caption id="attachment_31647" align="aligncenter" width="463"] Foto de Michelle Richa[/caption] [caption id="attachment_31649" align="aligncenter" width="518"] Facebook/Acic Campos[/caption] [caption id="attachment_31650" align="aligncenter" width="518"] Facebook/Acic Campos[/caption] [caption id="attachment_31651" align="aligncenter" width="518"] Facebook/Acic Campos[/caption] [caption id="attachment_31653" align="aligncenter" width="518"] Facebook/Rodrigo Paes[/caption] [caption id="attachment_31655" align="aligncenter" width="518"] Facebook/Acic Campos[/caption]

Atualização às 16h50 - 

Por volta das 10h, a concentração para a manifestação contava com cerca de 200 pessoas. Neste momento, representantes da indústria e do comércio, como Acic e CDL, exibiram faixas contra a política econômica da presidente Dilma Rousseff. Posteriormente, por volta das 11h30, com a chegada de jovens, a maioria da chamada "pedra", a manifestação ganhou mais corpo. Na saída, de acordo com a PM, cerca de 800 pessoas seguiram o mini-trio elétrico até o final da Pelinca. Durante o percurso, por conta do calor, pelo menos 200 manifestantes deixaram o ato. Na página do ato no Facebook, 4,7 mil internautas haviam confirmado presença.

No trio elétrico, Igor Franco, Roger Azevedo e Fabrício Lírio usaram o microfone para protestar e puxar gritos de guerra como: "Fora, PT", "Povo nas ruas, Dilma a culpa é sua", "De verde e amarelo, sem foice nem martelo". Os manifestantes também alfinetaram os manifestantes pró-Dilma, que teriam recebido R$ 80 para participar de ato no Rio (aqui). "Aqui ninguém recebeu R$ 80 para protestar. Estamos lutando pelo nosso país, sem bandeira partidária, usando verde e amarelo", diziam os manifestantes que estavam no trio.

Provocação (I) - Durante o protesto, um eleitor da presidente Dilma exibiu bandeira com o nome da presidente na varanda de um luxuoso apartamento próximo ao Palácio da Cultura. A provocação foi recebida com bom humor pelos manifestantes, que rebateram mostrando bandeiras do Brasil.

Provocação (II) - Após a manifestação nas ruas, o debate esquentou nas redes sociais. Simpatizantes do PT e da presidente Dilma debocharam sobre o número de campistas no ato. "Quando eu ia na praça trocar figurinhas da Copa, tinha mais gente!", ironizou Sandre Antunes.

Comentar
Compartilhe
Manifestações anti-Dilma em 22 estados
15/03/2015 | 12h58
[caption id="attachment_31625" align="aligncenter" width="496"] Num dia nublado, as areias de Copacabana praticamente vazias contrastam com as pistas tomadas por manifestantes (Foto: Rodrigo Gorosito/ G1)[/caption] [caption id="attachment_31658" align="aligncenter" width="478"] Avenida Paulista[/caption] [caption id="attachment_31659" align="aligncenter" width="454"] Protesto no Rio[/caption]

Os protestos desde domingo começam a tomar forma em várias cidades do Brasil. Pelo menos 15 mil pessoas, segundo a Polícia Militar, se reuniram na altura do Posto 5 na praia de Copacabana, na zona sul do Rio, para dar início à passeata contra a presidente Dilma Rousseff. Além da presidente, os manifestantes também protestam contra a corrupção e por melhorias na segurança, saúde e educação. A maior parte das pessoas veste verde e amarelo e algumas levam bandeiras do Brasil. Nas ruas do Rio, segundo relatos, apenas uma minoria pede o impeachment da presidente. De acordo com a GloboNews, há protestos em dezesseis Estados e no Distrito Federal.

Em Brasília, a Esplanada dos Ministérios já está ocupada por manifestações contra a corrupção e contra o governo liderado por Dilma. Os manifestantes estão concentrados em dois pontos no início da Esplanda - em frente a Catedral Metropolitana de Brasília e ao Museu da República. O lado sul do Eixo Monumental já está tomado e a saída dos manifestantes em direção ao Congresso Nacional é aguardada para qualquer momento. A maioria dos presentes veste camisas nas cores da bandeira do Brasil ou com frases contra o governo e a corrupção. Há ainda muitas bandeiras nacionais, cartazes com pedido de impeachment e carros de som. O trânsito já começa a ficar complicado na região central da cidade, com congestionamentos no Eixo Monumental antes da chegada na Esplanda.

Belo Horizonte - Mais de 12.000 e pessoas, segundo a Polícia Militar, ocupam a Praça da Liberdade, em Belo Horizonte (MG), para protestar contra o governo federal. Assim, como ocorre em outros protestos de hoje, a maioria está vestida com camisetas verde e amarelas e há também apitos e panelas. Há várias crianças, idosos e famílias em volta do coreto da praça. Há um carro de som pelo qual manifestantes dizem que este domingo é o segundo grito de independência do país. "Não vamos pintar a bandeira do país de vermelho", gritavam. Há pouco, cantaram o Hino Nacional. Depois, disseram um coro: "1, 2, 3, 4, 5, mil. Ou para a roubalheira ou paramos o Brasil". Também tocavam as músicas "Vem pra rua", de O Rappa, e "Que país é esse?", da Legião Urbana.

Lula' e 'Dilma' atrás das grades em São Paulo - O Movimento Endireita Brasil, que está próximo ao prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), colocou pessoas com máscaras de Lula e Dilma atrás de uma "cela" montada num carro de som. Manifestantes gritavam: "Lula, ladrão, seu lugar é na prisão", enquanto tiravam fotos e selfies.
O Movimento Endireita Brasil, que está próximo ao prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), colocou pessoas com máscaras de Lula e Dilma atrás de uma "cela" montada num carro de som. Manifestantes gritavam: "Lula, ladrão, seu lugar é na prisão", enquanto tiravam fotos e selfies. Mais de 1,5 milhão de pessoas, segundo estimativas da Polícia Militar (PM), participaram de protestos neste domingo contra a administração da presidente Dilma Rousseff e pelo combate à corrupção. As manifestações acontecem em 22 estados e no Distrito Federal. São eles: Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraíba, Pernambuco, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe, São Paulo e Tocantis. Ao todo, pelo menos 1.317 milhão pessoas foram às ruas de acordo com o somatório dos balanços divulgados pela PM. Brasileiros no exterior também se manifestaram contra o governo: em Nova York, cerca de 100 pessoas se reuniram apenas na Union Square; em Paris, 20 pessoas se encontraram na praça da Reine Astrid, a poucos metros da embaixada brasileira. Atualização às 16h25 - Alteração no título e inclusão de informações 
Fontes: Veja, G1 e Globo 
Comentar
Compartilhe
Partido Ecológico monta sua base em Campos
14/03/2015 | 19h44
[caption id="attachment_31620" align="aligncenter" width="410"] PEN: Paulo Moraes, Felipe Pereira e Chiquinho[/caption]

O presidente estadual do Partido Ecológico Nacional (PEN), Francisco de Assis da Silva, o Chiquinho, esteve neste sábado (14) em Campos, ao lado do secretário geral da legenda, Paulo Moraes, fincar e fortalecer sua base em Campos. A comissão provisória do partido será presidida por Felipe Pereira, que também vai responder pela coordenação do PEN em toda a região Norte Fluminense.

Questionado sobre o posicionamento do partido em Campos e região, o presidente da comissão provisória afirmou que o momento é de estruturação. "A política em nosso país vive um momento de transição. O PEN é um partido novo com ideias novas e com foco na sustentabilidade. Nossa primeira meta é agregar representantes dos mais variados segmentos e, depois disso, vamos discutir, de forma democrática, sobre o melhor caminho", comentou Felipe Pereira.

O PEN conta atualmente com 15 deputados estaduais e dois deputados federais.

Aprovado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 2012, o PEN vai participar de sua primeira eleição municipal em 2016.

Exemplo - Em Campos, o plano é seguir o exemplo do PTC que, mesmo sendo apontado como um partido pequeno, ficou em segundo lugar na eleição proporcional de 2012 na planície goitacá, superando legendas como PT, PMDB, PSDB e PSB, por exemplo. "A ideia é trazer novas lideranças e oxigenar o ambiente político", diz Felipe Pereira.

Comentar
Compartilhe
Alexandre Tadeu: "Seres humanos inescrupulosos são capazes de tudo"
14/03/2015 | 11h57

O vereador Alexandre Tadeu (PRB) usou o seu perfil no Facebook para comentar sobre um e-mail que circula nas redes sociais. De acordo com a mensagem, o secretário de Governo da Prefeitura de Campos, Anthony Garotinho (PR), estaria "mexendo os pauzinhos" para tirar o apresentador do programa "Balanço Geral". Confira a postagem do "Tô Contigo":

[caption id="attachment_31611" align="aligncenter" width="508"] Reprodução/Facebook[/caption]

Versão rosácea - Em seu blog, o gerente da secretaria de Educação, Ralfe Reis diz que "o vereador Alexandre Tadeu utiliza um email enviado por um fake (falso) para pressionar a Rede Record a renovar seu contrato. Pior disso tudo é querer atribuir sua possível demissão ao ex-governador Garotinho". Ainda segundo o blogueiro, os vereadores do PRB (Tô Contigo e Dayvison Miranda) "deveriam refrescar a memória, pois só foram eleitos por QP (Quociente Partidário), graças à coligação com o PR. Mas é bom segurar o pé. Com o fim das coligações é bem provável que não eleja ninguém nas próximas eleições".

 
Comentar
Compartilhe
Uenf: Papinha vai levar reivindicações ao governador
14/03/2015 | 11h47

Na manhã de ontem (13) o deputado estadual Papinha (PP) foi recebido por um grupo formado por professores e alunos da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) na Sede Cultural da Associação dos Docentes da Uenf (Aduenf). Após manifestações de vários presentes sobre a situação da universidade, o deputado usou a palavra e reafirmou sua disposição em fazer uma ponte entre os sindicatos e o governo estadual.

Papinha informou que esteve na última quinta-feira (12) com o vice-governador Francisco Dornelles (PP) e adiantou a pauta da Uenf. Segundo Papinha, já está sendo agendada uma audiência com o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) para debater sobre as reivindicações. "A Uenf é um patrimônio da nossa região e o vice-governador Francisco Dornelles já avisou que vai nos ajudar nesta luta. Esta audiência com o governador será importante para debater soebre as reivindicações e buscar soluções", comentou Papinha.
Fonte: Notícias da Aduenf (aqui).
[caption id="attachment_31606" align="aligncenter" width="410"] Papinha esteve com o presidente da Fenorte / Foto de José Armando Barreto[/caption]
 Na Fenorte - Durante sua passagem pela Uenf, o deputado Papinha também se reuniu com o presidente da Fundação Estadual do Norte Fluminense (Fenorte), Amaro Luiz dos Santos Rangel. "O deputado destacou a importância da Fenorte como um braço do governo do estado na região", comentou Amaro.
Na visão do deputado, a Fenorte tem a capacidade de contribuir muito para o desenvolvimento da região. "Tanto o governador como o vice-governador entendem que a Fenorte tem um papel muito importante na região, ao auxiliar, com seu quadro técnico, gestores dos municípios e produtores rurais, além de trazer o setor acadêmico para as discussões", comentou.
Comentar
Compartilhe
Pezão insinua que denúncia contra ele foi articulada por Lindberg
14/03/2015 | 11h01

Aliado do governo federal, o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), suspeita que a denúncia contra ele feita pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e que deu origem a uma investigação no Superior Tribunal de Justiça (STJ) tenha motivações políticas articuladas pelo senador petista Lindberg Farias. Em entrevista à Reuters, Pezão negou que tenha se beneficiado do esquema de desvio de recursos da estatal. Ele será investigado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro após abertura de inquérito do STJ. "Começo a achar que é uma denúncia política. Ele (Costa) foi coordenador de campanha do Lindberg; foi arrecadador da campanha dele. Só pode ser política", afirmou Pezão à Reuters por telefone.

Lindberg foi candidato ao governo do Rio no ano passado, e no segundo turno apoiou o candidato Marcelo Crivella (PRB), adversário do governador eleito Pezão. Procurado, o senador petista não foi encontrado para comentar o assunto.

Lindberg está entre os 47 políticos denunciados pela Procuradoria-Geral da República (PGR) ao Supremo Tribunal Federal (STF) suspeitos de terem se beneficiado do esquema de desvio de recursos da Petrobras, desvendado pela Operação Lava Jato, da Polícia Federal. A denúncia que deu origem à abertura de investigação no STJ foi feita pelo ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa que, em delação premiada, disse que o ex-governador do Estado Sérgio Cabral (PMDB) e o atual governador, Pezão, teriam recebido 30 milhões de reais desviados da Petrobras para abastecer a campanha eleitoral de 2010. Na época, Cabral foi reeleito e Pezão era o vice.

As acusações foram negadas por ambos. Pezão afirmou que está tranquilo, mas "chateado" com a acusação que deu origem à investigação. "Meu sentimento é de ter sido julgado e condenado sem ter o direito de me defender. Depois que eu vi a delação e recebi em mãos, é algo muito estranho, já que veio de um cara que foi coordenador de campanha do meu adversário", declarou ele. "Vejo um movimento político. Estou sendo enxovalhado por conta de uma reunião que não houve", completou.

Pezão é aliado do governo federal desde o mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O acordo previa apoio do PMDB fluminense ao governo que, em troca, abriria mão da candidatura própria nas eleições locais. No ano passado, o PT do Rio de Janeiro "rompeu" a aliança ao lançar a candidatura de Lindberg, mas mesmo assim Pezão manteve apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff. A estratégia de defesa de Pezão começou a ser construída nesta sexta-feira com base em consultas feitas ao seu partido, procuradores do Estado e os demais acusados --Cabral e o ex-chefe da Casa Civil estadual Régis Fichtner. "Estou vendo com eles o que fazer. Não tenho nem advogado... não tenho ideia se posso ter advogado separado ou se tem que ser uma defesa tríplice", disse Pezão.

Pessoas próximas à campanha do petista revelaram que Costa participou de reuniões abertas em que se discutiu o plano de governo para o setor de energia, mas não confirmaram a atuação do ex-diretor da Petrobras como arrecadador ou coordenador da campanha.

Fonte: Exame 

Atualização às 15h20 -  Assessores de Lindberg dizem que Pezão pode ter confundido PP com PT - Em resposta à declaração do governador Luiz Fernando Pezão, que afirmou que o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa era captador de recursos da campanha do seu adversário em 2014, Lindbergh Farias, do PT, a assessoria do senador afirmou que Lindbergh não fará pronunciamentos em respeito à Procuradoria-Geral da República, em função das investigações que estão sendo feitas. Alguns assessores comentaram no entanto "que, num momento de descontrole emocional - absolutamente natural nesta situação - o governador Luiz Fernando Pezão poderia ter confundido o PP, partido que o apoiou na campanha de 2014, inclusive fazendo parte de seu governo, com o PT. Assessores destacam também Paulo Roberto Costa sequer foi visto na campanha de Lindbergh".

Leia mais sobre a Operação Lava Jato no blog Opiniões, do jornalista Aluysio Abreu Barbosa (aqui) e no blog do Arnaldo Neto (aqui).

Comentar
Compartilhe
"Meu bichinho"
13/03/2015 | 19h33

Na última sexta-feira (06) a Staff Comunicação recebeu R$ 138 mil da Prefeitura de Campos pela prestação de "serviços de publicidade". Com muitos veículos aliados na fila, ficou a dúvida sobre quem receberia primeiro, já que tem gente com notas pendentes de setembro, outubro, novembro, dezembro do ano passado.

Para a surpresa geral, a rádio Campos Difusora, que anda dando fortes pancadas no governo, teria saído frente. Esse "meu bichinho" é fogo.

 
Comentar
Compartilhe
Ângelo Rafael foi nomeado superintendente de captação de recursos
13/03/2015 | 09h21
[caption id="attachment_31590" align="aligncenter" width="443"] Reprodução/Facebook[/caption]

O ex-subsecretário de Governo da Prefeitura de Campos, Ângelo Rafael, exonerado da função em fevereiro (aqui), para a entrada do advogado Thiago Godoy, foi nomeado ontem (12), pela prefeita Rosinha Garotinho (PR), como Superintendente de Captação de Recursos da secretaria de Administração e Gestão de Pessoas.

Como o blog “Na Curva do Rio” informou em fevereiro (aqui), Ângelo é aliado antigo do grupo rosáceo. Ano passado, foi citado durante uma ação do Tribunal Regional Eleitoral no galpão de uma empreiteira, em Campos, noticiada em primeira mão no blog Ponto de Vista aquiaqui e aqui.

Comentar
Compartilhe
Cultura: Das promessas de 2008 ao descaso em 2015
12/03/2015 | 12h35

Em 2008, a então candidata Rosinha prometeu uma revolução na Cultura de Campos. Durante reuniões em vários pontos da cidade, a candidata distribuiu um livro com o seu plano de governo. Já sabendo que a memória de muitas pessoas seria curta, guardei o livrinho e divido com vocês algumas promessas de 2008.

Rosinha (em 2008): “Com uma Cultura riquíssima, diversificada e reconhecida no cenário nacional e internacional do século XIX até os dias atuais, Campos vive, hoje, um momento histórico de baixa-estima e estagnação dos movimentos culturais (…) Diante deste quadro desalentador , Rosinha assume o compromisso de desenvolver projetos e criar ações imediatas para recuperar e preservar o patrimônio histórico/cultural e incentivar todas as manifestações culturais do nosso povo”.

Algumas promessas de 2008:

Mostras regionais e nacionais de cinema

Aproveitar as estações ferroviárias do interior (a exemplo de Goitacazes e Conselheiro Josino)

Construção de Concha Acústica

Democratizar os espaços públicos para que sejam usados por artistas das mais diversas áreas

Criação do Museu do Açúcar

Reestruturar o Carnaval de Campos

Relançar obras antológicas como “A Terra Goitacá”, de Alberto Lamego, “O Homem e a Restinga”, “O Homem e o Brejo”, de Lamego Filho, dentre muitas outras.

Criação da Escola Municipal de Música

_____________________________________________________________________________________________________________________________

Anulações - Sete anos após as promessas, a prefeita Rosinha suplementou verba para o “Verão da Família” e anulou recursos previstos para do Museu Histórico de Campos, Bibliotecas, Festival de Curtas, eventos folclóricos, cursos de qualificação para educadores, publicação de livros e manutenção da Casa de Cultura Olavo Cardoso... Ontem (11), durante a sessão da Câmara, o vereador Rafael Diniz (PPS) comentou sobre as anulações: aqui 

[caption id="attachment_31583" align="aligncenter" width="390"] Museu Olavo Cardoso, que teve parte de sua verba "anulada" e encaminhada ao "Verão da Família", está caindo aos pedaços / Foto: Folha da Manhã[/caption]

Cultura de sucateamento - Matéria publicada na Folha Dois desta quinta-feira (12) mostra o descaso do poder público. "O que está acontecendo com os prédios onde funcionam o Palácio da Cultura e o Museu Olavo Cardoso, e com o funcionamento do Arquivo Público Municipal de Campos, representa um suicídio de uma comunidade, segundo a historiadora Sylvia Paes, que integra o Instituto Histórico e Geográfico de Campos. A cultura, na cidade do petróleo, vem passando por um sucateamento, e quem estaria assinando isso é o governo municipal", diz a matéria.

Comentar
Compartilhe
Dona Penha: "Temos que agradecer mais e criticar menos"
12/03/2015 | 00h41

A vereadora Dona Penha (DEM), que está em seu quinto mandato no Legislativo campista, sempre atuando na base governista, revelou a sua fórmula para evitar confrontos. "É lógico que existem problemas e podemos criticar, mas sempre digo que é melhor agradecer pelo que foi feito do que ficar reclamando do que está errado. É simples: temos que agradecer mais e criticar menos".

Segundo Dona Penha, a prefeita Rosinha Garotinho (PR) merece elogios pela chegada dos novos ônibus. "Não ando de ônibus, mas já notei que a população está feliz da vida com esses veículos novos que chegaram. Mais um ponto para a prefeita Rosinha", comentou.

Comentar
Compartilhe
Rafael: "Prefeita anulou verbas de projetos culturais e colocou na farra dos shows"
11/03/2015 | 19h17

Durante a sessão desta terça-feira (11) o vereador Rafael Diniz (PPS) usou a tribuna da Câmara de Campos para comentar sobre uma publicação do Diário Oficial desta quarta-feira (11). "No Diário Oficial de hoje é possível encontrar uma suplementação de R$ 319 mil para eventos do 'Verão da Família'. Para bancar essa farra, o governo anulou verbas que eram previstas para do Museu Histórico de Campos, Bibliotecas, Festival de Curtas, eventos folclóricos, cursos de qualificação para educadores, publicação de livros e manutenção da Casa de Cultura Olavo Cardoso", comentou Rafael, que foi além: "Vocês estão vendo o que é prioridade para este desgoverno? Gastam R$ 93 mil com o cantor Tomate, mais R$ 147 mil com Munhoz e Mariano e R$ 160 mil com Cheiro de Amor. Só com shows nacionais os gastos superam R$ 1,3 milhão. Ao mesmo tempo, este governo anula as verbas para ações culturais importantes e que podem fazer a diferença para as futuras gerações. É por essa e por outras que a cidade está nos últimos lugares no ranking do Ideb", comentou Rafael.

Marcão: "Em 2014 a Prefeitura gastou R$ 26 milhões com essa farra" - Ao apartear Rafael Diniz, o vereador Marcão (PT) apresentou um levantamento com os gastos da Fundação Jornalista Oswaldo Lima (FCJOL) em 2014. "A previsão inicial era de um orçamento em torno de R$ 12 milhões. Porém, essa farra com shows foi muito além da dotação inicial. Fiz um levantamento de descobri que os gastos foram em torno de R$ 26 milhões. Será que alguém pode explicar como o governo gastou isso tudo com festas e shows?", comentou Marcão.

Comentar
Compartilhe
Após diálogo com médicos, Câmara aprova gratificação especial e complementação
11/03/2015 | 18h37

A Câmara de Campos aprovou durante a sessão desta quarta-feira (11) a gratificação especial para os médicos e complementação salarial para os servidores cedidos pela secretaria estadual de Saúde. Os projetos foram enviados pela Prefeitura após diálogo com a categoria, que chegou a pensar em paralisação.

Ontem (10), a Folha da Manhã informou (aqui) que, em assembleia na noite da última segunda-feira (09), os médicos do Hospital Ferreira Machado (HFM), Hospital Geral de Guarus (HGG) e secretaria de Saúde decidiram suspender a o estado de greve, que acontecia desde o final de janeiro, e acataram a proposta da Prefeitura em retornar com a gratificação da categoria, porém com o corte de 20%. O benefício foi extinto no dia 25 de fevereiro pela Câmara de Campos, a pedido da Prefeitura.

Segundo o vereador Mauro Silva (PT do B), líder do governo na Câmara, a atitude da prefeita Rosinha Garotinho (PR) demonstra a capacidade do governo em dialogar. "A prefeita mostrou que o governo sabe dialogar e, ao encaminhar os projetos ao Legislativo, demonstrou sua nobreza. Sobre a complementação salarial para os servidores cedidos pelo governo estadual, é importante destacar que essa complementação é necessária porque os rendimentos pagos pela Prefeitura são maiores do que os que são pagos pelo governo estadual", disse Mauro.

Na tribuna, o vereador Rafael Diniz (PPS), que votou favorável aos projetos, lembrou que a oposição havia feito um alerta quando os cortes foram aprovados. "Votamos contra os cortes e fizemos um alerta. Agora, após reivindicações dos  médicos, que ameaçaram uma greve, a prefeita teve que voltar atrás. Se houvesse diálogo com a classe antes, nada disso seria necessário", disparou Rafael.

Comentar
Compartilhe
Em Quissamã, Câmara reprova contas de Octávio Carneiro
11/03/2015 | 17h00

A Câmara Municipal de Quissamã rejeitou por seis votos a três, as contas da gestão financeira da Prefeitura de Quissamã no ano de 2013, executadas pelo prefeito Octávio Carneiro (PP). A votação ocorreu na sessão ordinária desta quarta-feira (11), no plenário da Câmara Municipal. Com o voto dos vereadores Jorge Rodrigues (PPS), Marcos Silva (PROS), Ronaldo Costa (PROS), Kitiely Freitas (PR), Márcio Pessanha (PSD) e o presidente Luiz Carlos Fonseca Lopes (Pros), a Câmara aprovou o Decreto de Rejeição as contas.

Os parlamentares que votaram pela rejeição das contas argumentam que o processo foi aprovado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), mas consideram graves as ressalvas, como por exemplo, do Poder Executivo não ter consultado o Conselho Municipal de Saúde, na realização de vários termos aditivos na parceria entre o Município e o Instituto Vida & Saúde (Invisa)As Contas da Secretaria Municipal de Saúde foram reprovadas pelo próprio Conselho nas semana passada.

O presidente da Câmara de Quissamã, Luiz Carlos Fonseca Lopes destacou que foi deixado de observar o que prevê a legislação, o que caracteriza improbidade administrativa, gerando inquérito do Ministério Público Estadual. “O Tribunal, que é o órgão técnico que avalia as contas, aprovou o processo com ressalvas, e como ressalva grave foi a falta do parecer do Conselho Municipal de Saúde. Outras contas já foram até aprovadas com ressalva aqui nesta Casa, mas não com esta gravidade que estamos lendo aqui”, afirmou o presidente da Casa Legislativa, que durante a sessão esteve com o processo do Ministério Público nas mãos, com 387 páginas.

Os vereadores Marcelo Batista (PV), Isabel Pessanha (PMDB) e Jorge Silva (PMDB) defendiam a aprovação das contas, por entender que o Tribunal de Contas já havia aprovado. Porém os três votos a favor do prefeito não foram o bastante para impedir que o processo do TCE 2066300/14 fosse rejeitado pelo plenário.

Fonte: Ascom/Câmara de Quissamã 

Em janeiro o blog informou que um "bloco independente" estava dando as cartas na Câmara de Quissamã: aqui 

Comentar
Compartilhe
Acic e CDL repudiam reajuste de 42% da Ampla
11/03/2015 | 16h41

Na última quinta-feira (05) o blog publicou nota (aqui) informando que a Ampla havia solicitado à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) que o reajuste tarifário deste ano nas contas de luz de 2,5 milhões de unidades consumidoras de 66 municípios fluminenses atendidos pela concessionária seja de 56,05%. Cinco dias depois, na terça-feira (10), foi decidido um reajuste médio de 42,19%, a partir do próximo domingo (15). Para clientes residenciais, o aumento médio será de 36,41%. Para a indústria, porém, ele será maior: 56,15%, também na média.Em sua manchete desta quarta-feira (aqui) a Folha lembra que a Ampla é considerada a pior concessionária de energia do Sudeste e a quinta pior do país em pesquisa da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Agora, após a decisão sobre o reajuste, a Associção Comercial e Industrial de Campos e a Câmara de Dirigentes Lojistas de Campos (CDL) divulgaram nota repudiando o reajuste. De acordo com as entidades, o reajuste foi decidido "sem transparência ou participação da sociedade".

Comentar
Compartilhe
Rosinha vetou IPTU Verde
11/03/2015 | 12h35

Em 2013, antes da crise hídrica que gera preocupações e tem feito muita gente pensar em alternativas, a prefeita Rosinha Garotinho (PR) vetou um projeto que apostava na sustentabilidade. De acordo com a proposta, de autoria do vereador Thiago Virgílio (PTC), os proprietários de imóveis de Campos que adotassem medidas sustentáveis poderiam obter vantagens na hora de pagar o IPTU. As casas com acessibilidade nas calçadas, árvores plantadas, áreas com gramados ou jardins, energia solar, sistema de reuso de água da chuva, entre outros recursos, teriam descontos de até 20% no valor do imposto. Sem muitas explicações, o projeto, aprovado pela Câmara, foi vetado pela prefeita Rosinha.

Vale lembrar que o projeto do IPTU Verde começou a ser discutido na legislatura passada pelo então vereador Rogério Matoso (PPS).

Após o veto, a Prefeitura poderia ter feito alterações para colocar a proposta em prática, mas optou por armazenar o projeto em uma confortável gaveta.

ICMS - Na Alerj, o deputado estadual Bruno Dauaire (PR) apresentou projeto de Lei que autoriza a redução do ICMS para materiais e equipamentos destinados à captação da água da chuva. Um nota sobre a proposta foi publicada no Informe do Dia (aqui), do jornal "O Dia" e compartilhada pelo blog do Arnaldo Neto (aqui).

Atualização às 16h - A assessoria do vereador Fred Machado (SDD) informa que projetos apresentados pelo parlamentar, que também defendem ações sustentáveis, também "dormem" nas gavetas. Confira:

Projeto de autoria do vereador Fred Machado, aprovado por unanimidade na Câmara em dezembro de 2014, encaminhado à prefeita e ainda sem resposta da mesma.”Dispõe sobre a obrigatoriedade dos postos de combustíveis, lava-rápidos, transportadoras e empresas de ônibus urbanos municipais e intermunicipais localizados no Município de Campos dos Goytacazes, a instalarem equipamentos de tratamento e reutilização da água usada na lavagem de veículos".

Projeto para captação de água de chuva em escolas,entre outros sobre reuso de água,de autoria do vereador Fred Machado, estão protocolados na secretaria da Câmara desde o ano passado e ainda não foram colocados em pauta .

Comentar
Compartilhe
Ficou na promessa?
11/03/2015 | 11h28

No dia 17 de janeiro, antes de ser nomeado secretário de Governo, o então deputado Anthony Garotinho (PR) informou (aqui) que  “a prefeita Rosinha tem boas surpresas para a população nas áreas da Saúde e Educação”. Durante a sua participação em um programa de rádio ele disse que tem informações privilegiadas e seria o primeiro a anunciar o "pacote de bondades". “Sou radialista, mas também sou primeiro-consorte e durmo com a prefeita. Por isso tenho mais informações do que qualquer jornalista da cidade”, comentou Garotinho, que prometeu ser o primeiro a divulgar as novidades.

A promessa era séria ou se tratava de uma "Pegadinha do Mallandro"?

Comentar
Compartilhe
Mauro Silva defende "união para enfrentar dificuldades"
11/03/2015 | 00h24

Novo líder do governo na Câmara, o vereador Mauro Silva (PT do B) já garantiu que não vai evitar o confronto direto com a oposição. Porém, o grupo político também aposta no seu estilo conciliador, sobretudo neste momento de crise. "Não vamos fugir do debate. Se quiserem debater, vamos debater sem problemas. Mas independente de partido ou posicionamento político, precisamos entender que a união será fundamental para que possamos enfrentar e superar as dificuldades. Não é hora de apostar na crítica pela crítica. Se tem um questionamento, que apresente também uma alternativa viável. Temos em Campos políticos que são parceiros dos governos estadual e federal e podem muito bem desenvolver novos projetos em nossa cidade. É hora de se movimentar mais, arregaçar as mangas e trabalhar. Vou participar diretamente de um movimento para unir forças do nosso município", disse o vereador Mauro Silva, frisando que "as divergências são positivas quando o objetivo final é o bem de todos". "Assim é o princípio da democracia. Não exite unanimidade, mas a é preciso ter serenidade para pensar de forma ampla, visando o coletivo", completou.

Comentar
Compartilhe
Rafael Diniz: "Servidores públicos estão abandonados"
10/03/2015 | 19h14

O vereador Rafael Diniz (PPS) usou a tribuna durante a sessão desta terça-feira (10) para cobrar uma posição do governo sobre o Plano UH Saúde. "Até quando a Prefeitura de Campos vai deixar os servidores sem um tratamento de saúde digno? Isso é um absurdo. Os servidores estão abandonados e aguardam promessas que não são cumpridas. Salvo engano, de acordo com o Portal da Transparência, o Plano UH recebeu R$ 8 milhões da Prefeitura. E os serviços? Alguém da Prefeitura fiscalizou, cobrou? Não podemos mais ficar parados vendo os servidores perderem seus direitos. Os governos passam e os servidores permanecem. É lamentável ouvir o relato de um marido que me procurou para contar que a sua esposa, servidora, não estava sendo tratada com dignidade. Este é apenas mais um absurdo deste governo que não ouve, não vê e não raciocina", frisou Rafael.

Comentar
Compartilhe
Nildo Cardoso homenageia Rosinha
10/03/2015 | 18h21

Na tarde de ontem (09), ao comunicar que continuaria no comando da Prefeitura de Campos, a prefeita Rosinha Garotinho (PR) disse: "Tem gente torcendo pela minha doença (...) Não vou tirar licença, isso é invenção da oposição". Nesta terça-feira (10), o líder da bancada de oposição na Câmara de Campos, vereador Nildo Cardoso (PMDB), afirmou que os oposicionistas não desejam mal a ninguém. "Ninguém aqui torce por doença. Queremos a prefeita saudável e governando até o fim do seu mandato. Quero inclusive incluir a prefeita Rosinha em minha moção de congratulações pelo Dia Internacional da Mulher", comentou Nildo.

Comentar
Compartilhe
Rosinha: "Vou desacelerar a agenda por duas semanas"
10/03/2015 | 13h39

A prefeita Rosinha Garotinho (PR) concedeu entrevista ao programa "Em Cima da Hora", comandado pelo secretário de Governo, Anthony Garotinho (PR), na rádio Educativa FM, e informou que vai desacelerar sua agenda por duas semanas. "Vou fazer uma agenda restrita e interna com os secretários que eu achar que devo me reunir". Segundo Rosinha, caso fique impossibilitada de atender alguém, um substituto será indicado. "Se eu não puder, agora nessas duas semanas, eu vou indicar quem vai atender pra mim, de acordo com o tema. Pode ser o vice-prefeito, pode ser você (Garotinho), pode ser o secretário de Controle, pode ser o Procurador. Aí eu vou indicar para onde eu vou direcionar as audiências ou os assuntos que possam aparecer durante essas duas semanas. Na verdade eu só estou desacelerando a minha agenda por uma questão de saúde. Mas vou voltar com a corda toda para terminar o meu governo", comentou.

Crise - Durante o programa a prefeita não explicou sobre os gastos em 2014, quando teve um orçamento de R$ 2,5 bilhões e, mesmo assim, ainda precisou "vender" os royalties para obter um adiantamento de R$ 250 milhões junto ao Banco do Brasil. Segundo Rosinha, a crise vem de fora. "Crise, sim. Mas não por conta da minha administração, não por conta da minha gestão, mas por conta da crise internacional do barril de petróleo, que despencou o preço, fora a crise nacional de recessão que vamos ter no país. Seria uma irresponsabilidade minha permanecer a Prefeitura do tamanho que era e depois não poder pagar as pessoas e os serviços. Aí sim seria uma irresponsabilidade. Me corta o coração tomar medidas duras, mas eu não posso ser irresponsável", afirmou.

O áudio com um trecho da entrevista foi publicado no "Gabinete Virtual" do vereador Mauro Silva (PT do B): aqui 

Entenda - Na última sexta-feira (06), ciente da necessidade da prefeita em "desacelerar" o blog informou que estaria sendo cogitava uma licença. Na ocasião, o vice-prefeito Chicão Oliveira (PP) já teria sido comunicado sobre a possibilidade de assumir interinamente o cargo. No domingo (08), durante reunião na praia do Farol de São Thomé, o secretário de Governo, Anthony Garotinho revelou que a prefeita passava por um tratamento de saúde e precisaria tirar 15 dias de licença. A informação, publicada no site Campos 24 Horas, foi compartilhada por diversos veículos, inclusive os bem simpáticos ao governo rosáceo. Porém, diante da repercussão negativa, já que a licença poderia ser interpretada como uma "fuga" durante um momento de crise, a prefeita apareceu e trocou "licença" por "agenda desacelerada".

Assim como ocorreu em 2012, quando pensou em desistir e depois resolveu disputar a reeleição, a prefeita Rosinha fez o movimento que o principal jogador do tabuleiro esperava.

Comentar
Compartilhe
Café com Dornelles
10/03/2015 | 12h07

A ex-prefeita de São João da Barra, Carla Machado (PT) publicou foto no Facebook informando que teve, na manhã desta terça-feira (10), "uma conversa e café regado a sabedoria" com o vice-Governador Francisco Dornelle (PP). sem poupar elogios, Carla se referiu ao vice de Pezão como "exemplo de político e um ser humano maravilhoso!".

Disposta a voltar ao comando do município de São João da Barra, a ex-prefeita vem articulando com lideranças de diversos partidos que dão as cartas no estado.

Neco em Brasília - Conforme o blog do jornalista Arnaldo Neto publicou (aqui), o prefeito de São João da Barra, Neco (PMDB), está nesta terça-feira em Brasília. Segundo o prefeito, o objetivo é buscar parcerias para o desenvolvimento de projetos no município sanjoanense. A agenda conta com encontros com deputados do Rio de Janeiro, além de visitas a ministérios.

Comentar
Compartilhe
Terceirizações: Prefeitura paga mais R$ 1,6 milhão
10/03/2015 | 11h48

Mesmo com o freio de mão puxado, com demissões de terceirizados que atuavam em diversas secretarias, a Prefeitura ainda mantém contratos para serviços em alguns órgãos. Nos últimos dias, de acordo com o Portal da Transparência, a prefeita Rosinha Garotinho (PR) pagou R$ 806 mil pelos "serviços terceirizados" da Claer Serviços Gerais Ltda e mais R$ R$ 825 mil a empresa Biomedico Center Ltda, por "serviços de auxiliar de turma".

 
Comentar
Compartilhe
Câmara prevê gastos de R$ 328 mil com ornamentação, comendas e aluguel de ônibus
10/03/2015 | 11h22

Conforme o blog informou ontem (10) (aqui), a Câmara de Campos inicia neste mês de março o seu calendário de eventos. Serão diversas sessões especiais, homenagens e exposições. Ontem, foram publicados no Diário Oficial dois extratos de contratos para serviços de cerimonial (R$ 48 mil) e cobertura fotográfica (25 mil). Hoje (11) foi a vez dos serviços de ornamentação (R$ 45 mil), comendas (R$ 72 mil) e aluguel de ônibus executivo (R$ 211 mil). Ao todo, somando cerimonial, fotografia, ornamentação, comendas e ônibus, a previsão dos gastos já está na casa dos R$ 400 mil.

 
Comentar
Compartilhe
FHC: "Tirar a presidente da República não adianta nada"
10/03/2015 | 02h26

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) afirmou ontem (09) que um eventual impeachment da presidente Dilma Rousseff "não adiantaria nada". "Tirar a presidente da República não adianta nada. O que vai fazer depois?", questionou o tucano durante um seminário no Instituto FHC, na capital paulista.

O tucano deu a declaração um dia depois do panelaço contra Dilma no qual manifestantes xingaram a petista e também pediram sua renúncia durante a transmissão do pronunciamento oficial da presidente na TV. Durante o seminário, o ex-presidente realizou uma análise sobre o cenário político e econômico do País e teceu uma série de críticas ao modelo de gestão do PT na Presidência.

"Presidencialismo de cooptação" - FHC afirmou que o modelo de presidencialismo de coalizão, chamado pelo tucano como de "presidencialismo de cooptação", está exaurido. Para o tucano, o sistema político está "totalmente espatifado". "Um Congresso que tem 20 e poucos partidos e um governo que tem 40 e poucos ministérios é receita para não dar certo. Não pode funcionar", afirmou ele. "Esse modelo está exaurido. E não é de coalizão. É de cooptação. Isso se arrebentou. Não tem mais Tesouro para sustentar essa farra toda. O sistema político está totalmente espatifado".

Fonte:  Exame 

Comentar
Compartilhe
Bruno Dauaire inicia trabalho na Comissão de Segurança Pública
10/03/2015 | 02h04
[caption id="attachment_31488" align="aligncenter" width="491"] Parlamentares: Flávio Bolsonaro, Marta Rocha e Bruno Dauaire[/caption]

Será realizada amanhã (11) a primeira reunião da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). O deputado Bruno Dauaire (PR), ao assumir a vice-presidência da Comissão, já deixou claro que vai colaborar com a presidente Marta Rocha (PSD) no combate à violência no estado. "A deputada Marta Rocha é uma aliada em causas como a Delegacia Especializada de Homicídios", explica Dauaire, destacando também o apoio do deputado Flávio Bolsonaro (PP), membro titular da Comissão.

Segundo Bruno, já foram iniciadas três ações na área de segurança. Além da Delegacia Especializada em Homicídios, Bruno quer trazer de volta os policiais do interior que estão nas UPPS e também já cobrou do governo estadual  implantação da Companhia da Polícia Militar para o município de São João da Barra. "É uma promessa antiga de seu antecessor", esclareceu o deputado. De acordo com o deputado, colocando em prática a política da polícia de aproximação, o mais correto é que os policiais trabalhem perto de onde moram. "Perto de casa eles estão próximos da cultura e costumes da sua comunidade. Eles conhecem e são conhecidos e o trabalho pode ser mais produtivo do que nas UPPS da capital, onde tudo é desconhecido para eles no enfrentamento a criminalidade", completou o parlamentar.

Fonte: Ascom/Bruno 

Comentar
Compartilhe
Picciani na mira do MP
10/03/2015 | 01h28

O presidente da Assembleia Legislativa (Alerj), Jorge Picciani, do PMDB, vai ter que prestar contas ao Ministério Público Estadual. O objetivo é apurar suposto enriquecimento ilícito do parlamentar com recursos que teriam desviados dos cofres públicos sob o manto de comercializar bens de origem animal. No dia 21 de janeiro, a 8ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Defesa da Cidadania encaminhou inquérito civil público à Subprocuradoria-Geral de Justiça de Assuntos Institucionais e Judiciais.

Isso porque o deputado tem foro especial, ou seja, só pode ser investigado sob a batuta do procurador-geral de Justiça, Marfan Martins Vieira. O procedimento é resultado do desmembramento dos inquéritos civis 3.989 e 3.990. Em 2005, Picciani também foi alvo de investigação, mas o caso foi arquivado pelo então procurador Marfan, que hoje ocupa o mesmo cargo.

Fonte: O Dia 

Comentar
Compartilhe
Após Garotinho confirmar, Rosinha diz que licença "é invenção"
09/03/2015 | 19h50

Menos de 24 horas  após o secretário de Governo, Anthony Garotinho (PR) informar sobre uma licença de 15 dias da prefeita Rosinha Garotinho (PR), em reunião na praia do Farol de São Thomé (aqui), com repercussão nos principais blogs, emissoras de rádio, sites e jornais da região, a prefeita Rosinha resolveu interromper o silêncio e escolheu o jornal "O Diário" para dizer que "tem fé em Deus que vai ficar boa" e afastou a possibilidade de se licenciar do cargo. Mais cedo, o próprio jornal "O Diário" havia publicado matéria confirmando que Rosinha deixaria a Prefeitura por 15 dias.

Rosinha confirmou, no entanto, que está se submetendo a um tratamento médico e por isso tem tido uma agenda mais reservada e menos intensa, por recomendações médicas.

Mais informações na edição de amanhã (10) da Folha 

Comentar
Compartilhe
Delator diz que arrecadou R$ 30 milhões para ‘caixa dois’ de campanha de Cabral e Pezão em 2010
09/03/2015 | 17h07

O ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa afirmou em depoimento de sua delação premiada que arrecadou R$ 30 milhões em recursos para “caixa dois” da campanha de Sérgio Cabral para governador e Luiz Fernando Pezão para vice, ambos do PMDB. Pezão é o atual governador, sucedendo Cabral.

Segundo o delator, os recursos vieram de empresas que atuavam na obra do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj). Ainda de acordo com Costa, o consórcio Compar, formado pelas empreiteiras OAS, Odebrecht e UTC, contribuiu com R$ 15 milhões. O restante foi pago por outras empresas, como Skanska, Alusa e UTC, disse o delator. O ex-diretor afirma que os pagamentos eram “propina”. “Cada empresa deu ‘contribuição’, no total de R$ 30 milhões. O Consórcio Compar ‘pagou’ R$ 15 milhões; o restante foi dividido entre as outras empresas, entre elas Skanska, Alusa e UTC”, diz resumo do termo de declaração 4 de Costa.

Para Cabral, denúncia é "mentira". Para Pezão, "absurda"  

Em nota, o ex-governador Sérgio Cabral declarou que a denúncia é "mentirosa". "É mentirosa a afirmação do delator Paulo Roberto Costa. Essa reunião jamais aconteceu. Nunca solicitei ao delator apoio financeiro à minha reeleição ao governo do Estado do Rio. Todas as eleições que disputei tiveram suas prestações aprovadas pelas autoridades competentes. Reafirmo o meu repúdio e a minha indignação a essas mentiras", afirmou Cabral.

Pezão classificou a denúncia como "absurda" e disse que as afirmações precisam ser comprovadas. "Continuo a reafirmar que nunca tive essa conversa sobre a qual ele fala. Isso nunca existiu. Sinceramente acho um absurdo. As pessoas com delação premiada têm de ter mecanismos que comprovem as acusações que fazem. Não podem jogar um negócio assim no ar", afirmou, acrescentando que aguardará a continuidade das investigações.

De acordo com o depoimento de Paulo Roberto Costa, o então secretário da Casa Civil de Cabral, Régis Fichtner, foi quem fez a “operacionalização” dos repasses. Costa contou que teve uma reunião no primeiro semestre de 2010 com Cabral, Pezão e Fitchner para tratar das contribuições à campanha. Posteriormente, o ex-diretor pediu às empreiteiras que fizessem doações para o “caixa dois” de Cabral.

Este depoimento do ex-diretor foi encaminhado ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), foro dos governadores de estado. O Ministério Público Federal pedirá abertura de inquérito contra Pezão no STJ. Fonte: O Globo  
Comentar
Compartilhe
Câmara prevê gastos de R$ 73 mil com cerimonial e fotografia
09/03/2015 | 13h42

A Câmara de Campos inicia neste mês de março o seu calendário de eventos. Serão diversas sessões especiais, homenagens e exposições.

Para a "festa" ficar bonita, a Casa sondou preços de rosas e orquídeas, placas, coquetel, coffee break, brunch, kit lanches e brindes. Foram publicados na edição do dia 11 de fevereiro (páginas 10 e 11) do Diário Oficial, o "registro de preços para eventual  e futura contratação de serviços sob demanda para realização de eventos e pequeno e médio portes". Na ocasião, o blog do jornalista Ricardo André Vasconcelos informou que em tempos de crise a Câmara pretendia comprar cinco mil rosas e três mil canetas (aqui).

Hoje (09), o Diário Oficial traz os extratos dos contratos para a prestação de serviços de cerimonial (R$ 48 mil) e cobertura fotográfica (25 mil).

 
Comentar
Compartilhe
Garotinho confirma: Rosinha vai se licenciar
08/03/2015 | 22h14
[caption id="attachment_31454" align="aligncenter" width="473"] Garotinho falou sobre a licença durante reunião na praia do Farol / Foto: Rodolfo Lins/Secom[/caption]

Na última sexta-feira (06) o blog publicou nota (aqui) informando que a prefeita Rosinha Garotinho (PR) cogitava uma licença e o vice-prefeito, Doutor Chicão (PP), se preparava para assumir interinamente a Prefeitura. Na ocasião, alguns rosáceos chegaram a insinuar que se tratava de "fofoca".

Porém, neste domingo (08), o secretário de Governo da Prefeitura de Campos, Anthony Garotinho (PR), informou, durante reunião na praia do Farol de São Thomé, que "a prefeita Rosinha Garotinho pedirá licença do cargo para se submeter a um tratamento médico". Segundo Garotinho, a licença será de 15 dias e deve se iniciar nos próximos dias.

A licença teria sido sugerida por médicos que submetem Rosinha à uma reposição hormonal. Durante o período de licença, o vice-prefeito e secretário de Saúde, Doutor Chicão, ocupará interinamente o cargo.

A matéria, com a declaração de Garotinho, foi publicada no site Campos 24 Horas. O blog "Na Curva do Rio", da jornalista Suzy Monteiro, também postou sobre o assunto: aqui 

Atualização às 16h40 - Chicão entra? - Após a declaração de Garotinho, ninguém ligado ao governo comentou sobre a licença. De acordo com a Lei Orgânica, se a prefeita se afastar por 14 dias, não haveria necessidade do vice-prefeito assumir.

Comentar
Compartilhe
Dilma defende ajustes, rebate críticas, cita Petrolão e faz propaganda
08/03/2015 | 21h21

A presidente Dilma Rousseff (PT) usou seu pronunciamento em rede nacional, na noite deste domingo (08), Dia Internacional da Mulher, para defender o ajuste fiscal, que vem sendo implementado pelo ministro Joaquim Levy, cutucar a imprensa, rebater críticas e listar avanços do seu governo. Durante o pronunciamento, ela também fez uma rápida menção ao escândalo que envolve a Petrobras.

Confira alguns trechos:

Medidas econômicas - "O que tenho de mais importante a garantir, hoje, vou resumir agora. Primeiro: o esforço fiscal não é um fim em si mesmo. É apenas a travessia para um tempo melhor, que vai chegar rápido e de forma ainda mais duradoura. Segundo: não vamos trair nossos compromissos com os trabalhadores e com a classe média, nem deixar que desapareçam suas conquistas e seus direitos. Terceiro: não estamos tomando estas medidas para voltarmos a ser iguais ao que já fomos. Mas, sim, para sermos muito melhores. Quarto: durante o tempo que elas durarem, o país não vai parar. Ao contrário, vamos continuar trabalhando, produzindo, investindo e melhorando".

"O Brasil não está vivendo uma crise nas dimensões que dizem alguns" - "O Brasil passa por um momento diferente do que vivemos nos últimos anos. Mas nem de longe está vivendo uma crise nas dimensões que dizem alguns. Passamos por problemas conjunturais, mas nossos fundamentos continuam sólidos. Muito diferente daquelas crises do passado que quebravam e paralisavam o país. Nosso povo está protegido naquilo que é mais importante: sua capacidade de produzir, ganhar sua renda e de proteger sua família".

Breve menção ao Petrolão -  "Com coragem e até sofrimento, o Brasil tem aprendido a praticar a justiça social em favor dos mais pobres, como também aplicar duramente a mão da justiça contra os corruptos. É isso, por exemplo, que vem acontecendo na apuração ampla, livre e rigorosa nos episódios lamentáveis contra a Petrobras".

Expectativa de reação - "Como temos fundamentos sólidos e as dificuldades são conjunturais, esperamos uma primeira reação já no final do segundo semestre deste ano. Mais importante, no entanto, do que a duração destas medidas será a longa duração dos seus resultados e dos seus benefícios. Que devem ser perenes no combate à inflação e na garantia do emprego".

Propaganda do governo -  "O Brasil tem hoje mais qualificação profissional, mais infraestrutura, mais oportunidades de estudar e mais empreendedores. Somos a sétima economia do mundo. Temos 371 bilhões de dólares de reservas internacionais. 36 milhões de pessoas saíram da miséria e 44 milhões foram para a classe media. Quase dez milhões de brasileiras e brasileiros são hoje micro e pequenos empreendedores. E continuamos com os melhores níveis de emprego e salário da nossa história".

Cutucada na imprensa -  "Todos sabemos que há um longo caminho entre sentir e entender plenamente. É preciso, sempre, compartilharmos nossa visão dos fatos. Os noticiários são úteis, mas nem sempre são suficientes. Muitas vezes até nos confundem mais do que nos esclarecem. As conversas em casa, e no trabalho, também precisam ser completadas por dados que nem sempre estão ao alcance de todas e de todos".

Lei do Feminicídio - "Vou sancionar, amanhã, a Lei do Feminicídio que transforma em crime hediondo, o assassinato de mulheres decorrente de violência doméstica ou de discriminação de gênero. Com isso, este odioso crime terá penas bem mais duras. Esta medida faz parte da política de tolerância zero em relação à violência contra a mulher brasileira".

Comentar
Compartilhe
Hilux é coisa do passado (II)
08/03/2015 | 14h34

Em agosto do ano passado o blog publicou nota (aqui) sobre a discussão entre um crítico e um defensor do governo rosáceo. Ao apontar as diferenças entre o atual governo e as gestões passadas, o defensor afirmou: “Antes tinha uma Hilux em cada esquina. Agora, acabou essa farra”, afirmou. Sem pensar duas vezes, o crítico disparou: “Agora, tem obra que só o aditivo supera a casa dos R$ 20 milhões. Hilux é coisa do passado! Essa turma milionária a gente nem vê. Eles gastam os nossos royalties bem longe e só andam de helicóptero e jatinho”.

Voar, voar - Neste domingo (08), o blog "Estou Procurando o que Fazer" publicou nota (aqui) informando que  um abastado empreiteiro da cidade, não satisfeito com o helicóptero que já possui, comprou outro "brinquedinho" por R$ 8 milhões.

Comentar
Compartilhe
Arquivaram a "sabotagem"
08/03/2015 | 14h22

Ao que tudo indica, a ideia de colocar a queda e má conservação dos semáforos na conta de terroristas e sabotadores (aqui) não colou. Ontem (07), o diretor de Projetos Viários do IMTT, Paulo Dias, informou que a empresa responsável pelos semáforos está fazendo "toda a manutenção sem custos para a Prefeitura". Segundo Paulo Dias, as críticas são exageradas. Ele garante que, mesmo aparentando estarem soltos, os parafusos estão bem cravados no chão.

Improviso - É bom lembrar ao IMTT, conforme alertou o jornalista Cilênio Tavares no blog "Em Tempo" (aqui), que, no cruzamento da Arthur Bernardes com a 28 de Março, um sinal já está improvisado desde janeiro.

Comentar
Compartilhe
Zacarias: "Tem médico que quer ganhar muito e trabalhar pouco"
07/03/2015 | 01h21

O secretário de Meio Ambiente da Prefeitura de Campos, Zacarias Albuquerque, resolveu jogar mais um pouco de lenha na fogueira que se transformou a relação do governo Rosinha com os médicos.

Em seu perfil no Facebook o secretário contou que esteve no Hospital Geral de Guarus (HGG), acompanhando uma pessoa da família, e viu de perto a reclamação de uma médica. "A médica que nos atendeu logo começou a reclamar da Prefeitura. Reclamou que não tinha banheiro privativo! Aí eu vi que na sala onde houve a consulta tinha um banheiro e perguntei: E esse banheiro? 'Tem de ser privativo, outros funcionários usam', respondeu. Que absurdo! Descobri que na verdade sua insatisfação era porque o cerco apertou e a mesma tinha que cumprir plantão! Tem médico que quer ganhar muito e trabalhar pouco", disparou o secretário.

Atualização às 15h20 - Após a divulgação da sua postagem, o secretário Zacarias Albuquerque fez novos relatos sobre sua passagem pelo HGG. "Já que meu desabafo ganhou repercussão no blog do Bastos, vou relatar mais sobre médica do HGG, que anda reclamando muito porque estão cobrando muito: que se cumpra o horário do plantão. A médica também falou da alimentação do HGG. Que não é boa, que funcionários acabam saindo para lanchar no entorno do HGG, come lanche ruim lá fora e passam mal. Quanta baboseira! Quase perguntei se ela queria lanche Mc Donalds ou Bobs. Mas não sou aquele Vereador que chega no HGG, agredindo a todos, na sua grandiosa falta de educação.Ontem, conversando com um funcionário do HGG, o mesmo avaliou como a melhor alimentação. Alimento ideal, quando quero, eu levo da minha casa para o setor onde trabalho. Vocês, médicos, não trabalham para a prefeita Rosinha Garotinho ou qualquer outro prefeito, vocês são pagos para servir ao público. Encerro aqui meu desabafo", frisou.

Médico rebate // - O médico André Luiz Neto Fontoura usou o seu perfil no Facebook para rebater as declarações do secretário de Rosinha. "Rapaz é muito difícil! Até o secretário de meio ambiente Zacarias insinuou que os médicos querem ganhar muito e trabalhar pouco. Os médicos querem trabalhar, senhor, com condições e salários justos, ainda mais em uma cidade com o sexto orçamento nacional. As estruturas em saúde apresentam uma vergonha nacional. Existe lei de acesso à informação e muitos médicos deveriam perguntar sobre as licitações na secretaria de meio ambiente, aditivos, DAS, horas extras, quem assina o ponto e não trabalha e quem está em cabide de emprego de políticos. As forças ocultas da política. É muito difícil porque quem ganha muito e trabalha pouco são os médicos que fazem parte do staff do seu governo. Espero que reflita sobre o que disse. Mas faz parte, para se manter nesse governo tem que aparecer do lado deles é até orar na mesma igreja", comentou o médico.

Comentar
Compartilhe
Lista do petrolão reúne cúpula do Congresso e cinco partidos
06/03/2015 | 21h05

Depois de uma semana de muita tensão em Brasília, o ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), divulgou na noite desta sexta-feira a temida lista dos políticos que serão investigados por suspeita de envolvimento com o propinoduto que sangrou os cofres da Petrobras. Zavascki determinou a abertura de processos de investigação. São deputados federais, senadores e outras pessoas sem mandato que agora passam a responder inquéritos no Supremo no âmbito da Operação Lava Jato da Polícia Federal.

Zavascki também determinou o arquivamento das denúncias contra os senadores Delcídio Amaral (PT-MS) e Aécio Neves (PSDB)-MG) e o ex-presidente da Câmara dos Deputados Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN).

A temida lista elaborada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, atinge em cheio a base a presidente Dilma Rousseff no Congresso, envolvendo políticos dos três principais partidos governistas: PT, PP, PMDB, além do senador aliado Fernando Collor, do PTB. Da oposição, o senador Antonio Anastasia, do PSDB de Minas Gerais, foi relacionado. Tanto no caso de Collor quanto no de Anastasia, os inquéritos já foram abertos e as diligências autorizadas.

As duas principais autoridades do Congresso Nacional integram a lista: o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). A relação de senadores contém dois importantes ex-ministros do primeiro mandato de Dilma Rousseff: Edison Lobão (PMDB-MA), que comandava a pasta de Minas e Energia, e Gleisi Hoffmann (PT-PR), ex-chefe da Casa Civil.

A presidente Dilma Rousseff foi citada nas investigações, mas o procurador-geral da República informou que não tem competência para investigá-la, conforme determina a Constituição. Dilma foi citada no mesma investigação na qual aparece o ex-ministro Antonio Palocci Filho, cujo caso foi remetido ao juiz Sérgio Moro, responsável pela Lava Jato em Curitiba.

A maior parte dos indícios contra parlamentares suspeitos de se beneficiarem do assalto à estatal foi recolhida a partir dos depoimentos do doleiro Alberto Yousseff e do ex-diretor de Abastecimento da petroleira Paulo Roberto Costa. Os dois fizeram acordos de delação premiada e colaboraram com os investigadores em troca de benefícios judiciais.

Confira a lista dos nomes (ainda em atualização): Renan Calheiros Aníbal Ferreira Gomes Roseana Sarney Edison Lobão João Pizzolati Vander Loubert Candido Vaccarezza Lindbergh Farias Gleisi Hoffmann Humberto Costa Simão Sessim Arthur Lyra Benedito de Lyra José Mentor Eduardo Cunha José Otávio Germano Luis Fernando Farias Roberto Sérgio Ribeiro Coutinho Teixeira Nelson Meurer Eduardo da Fonte Agnaldo Ribeiro Aline Corrêa Carlos Magno Ramos Ciro Nogueira Dirceu Esperafico Gladson Cameli Jerônimo Goergen João Filipe de Souza Leão Luis Argôlo Sandes Junior Afonso Hann José Linhares da Ponte José Olímpio Silveira Moraes Lazaro Botelho Martins Luiz Carlos Reinzi Mario Negromonte Pedro Correa Pedro Henry Renato Molling Renato Balestra Roberto Pereira de Brito Romero Jucá Valdir Raupp Vilson Covatti Valdir Maranhão Fonte: Veja  Entre os blogs locais, o jornalisra Arnaldo Neto divulgou a lista primeiro: aqui 
Comentar
Compartilhe
Rosinha cogita licença e Chicão "aquece" para entrar em campo
06/03/2015 | 15h47
[caption id="attachment_31418" align="aligncenter" width="239"] Prefeita diminuiu o número de aparições em público e pode "dar um tempo" Foto: Esdras[/caption]

Nos últimos 13 anos, entre 2002 e 2015, a prefeita Rosinha Garotinho (PR) disputou e venceu três eleições. Foi governadora e se elegeu prefeita de Campos duas vezes. Entre campanhas e mandatos, Rosinha teve apenas um ano de “folga” do mundo político. Foi em 2007, quando encarou um novo desafio e comandou o programa “Simplesmente Rosinha”, na Band. Porém, em 2008, teve que abrir mão do projeto pessoal e embarcou novamente em um projeto político.

Agora, no terceiro ano do seu segundo mandato como prefeita de Campos, Rosinha diminuiu consideravelmente suas aparições públicas. No verão deste ano, ao contrário dos anteriores, não cantou com os artistas e interagiu pouco em público. Optou por atividades mais intimistas, como a pintura e o artesanato, por exemplo. Inclusive, fontes do blog informam que a prefeita estaria cogitando a possibilidade de "dar um tempo" e abrir espaço para o seu vice, o médico Chicão Oliveira (PP), que atualmente é secretário de Saúde.

A mudança deve ocorrer junto com a reforma administrativa.

Mais informações na edição de amanhã (07) da Folha 

Comentar
Compartilhe
Entre 99 e 2015, Campos recebeu R$ 16,8 bilhões com royalties e participações especiais
06/03/2015 | 13h19

Do Blog do Zé Alves (aqui):

Após a bancarrota do ciclo do açúcar no município de Campos. A sorte em 1999, do século XX, sorriu novamente para o povo campista. Surgiu assim o expressivo ciclo do petróleo, "Ouro Negro", cobiçado por todos no mundo inteiro. Entre 1999 e 2015, conforme a tabela abaixo, em mais de uma década e meia, o município de Campos recebeu R$16,869 bilhões oriundos de royalties e participações especiais. Nada desprezível! 

Fonte: infoRoyalties, a partir da Agência Nacional do Petróleo e IBGE
Ano Royalties Part. Especiais Valor Corrente Valor Real
1999 R$ 48.460.781,43 R$ 8.588.696,90 R$ 57.049.478,33 R$ 141.202.301,22
2000 R$ 87.092.941,18 R$ 70.777.500,99 R$ 157.870.442,17 R$ 369.078.110,02
2001 R$ 118.236.702,35 R$ 82.024.509,03 R$ 200.261.211,38 R$ 455.771.204,41
2002 R$ 172.779.346,92 R$ 175.481.598,00 R$ 348.260.944,92 R$ 677.517.767,88
2003 R$ 229.727.268,73 R$ 245.454.908,81 R$ 475.182.177,54 R$ 837.632.720,53
2004 R$ 257.505.841,52 R$ 292.101.469,46 R$ 549.607.310,98 R$ 900.732.121,25
2005 R$ 321.301.169,81 R$ 357.124.401,86 R$ 678.425.571,67 R$ 1.065.116.513,81
2006 R$ 403.784.930,05 R$ 448.780.920,87 R$ 852.565.850,92 R$ 1.315.334.438,61
2007 R$ 386.812.955,63 R$ 393.286.227,58 R$ 780.099.183,21 R$ 1.145.592.236,85
2008 R$ 559.005.735,26 R$ 609.636.764,19 R$ 1.168.642.499,45 R$ 1.646.078.330,42
2009 R$ 419.628.508,95 R$ 573.538.770,16 R$ 993.167.279,11 R$ 1.288.138.110,56
2010 R$ 482.061.749,01 R$ 533.960.122,71 R$ 1.016.021.871,72 R$ 1.293.867.055,66
2011 R$ 559.270.670,18 R$ 672.370.704,58 R$ 1.231.641.374,76 R$ 1.475.369.594,56
2012 R$ 631.856.471,33 R$ 722.376.842,14 R$ 1.354.233.313,47 R$ 1.552.641.288,62
2013 R$ 630.384.833,22 R$ 672.888.138,32 R$ 1.303.272.971,54 R$ 1.415.666.992,63
2014 R$ 632.820.616,41 R$ 575.445.205,33 R$ 1.208.265.821,74 R$ 1.249.618.280,43
2015 R$ 40.621.895,13 R$ 0,00 R$ 40.621.895,13 R$ 40.621.895,13
Total R$ 5.981.352.417,11 R$ 6.433.836.780,93 R$ 12.415.189.198,04 R$ 16.869.978.962,59
Comentário do blog: Com todo esse dinheiro a cidade de Campos se tornou referência em alguma coisa? Educação? Saúde? Inovação Tecnológica? Formação de atletas? Agricultura? Turismo? 
Comentar
Compartilhe
Dilma já estuda "pacto político" com tucanos
06/03/2015 | 11h43

Contra o agravamento da crise econômica, a presidente Dilma Rousseff pode buscar um pacto político que incluiria até o PSDB. Segundo a colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, a ideia, já discutida com dirigentes do PT, teria sido encorajada por setores empresariais e financeiros, temendo a recessão - só o setor de máquinas e equipamentos prevê demitir 30 mil neste ano.

Governadores tucanos, como Beto Richa (Paraná) e Geraldo Alckmin (SP), que enfrentam revoltas populares contra a apropriação do fundo previdenciário e a crise da água, respectivamente, também defenderiam a união de forças.

O senador José Serra e o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso também são vistos como possíveis interlocutores de um diálogo emergencial.

Fonte: Brasil 247

* Estado do Rio - No Rio, o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) também já sinalizou que o momento é de união entre todas as correntes políticas. Na Alerj, a bancada de oposição já acenou com uma "bandeira branca" até o clima se acalmar.

Comentar
Compartilhe
Protesto e tensão na Prefeitura
06/03/2015 | 11h21

Moradores da Margem da Linha voltaram a protestar, na manhã desta sexta-feira (06), na porta da Prefeitura de Campos. Na última quarta-feira (04) um grupo chegou a invadir as casas do Conjunto Habitacional Morar Feliz Ururaí II (aqui). Revoltados, os moradores alegam que a Prefeitura já iniciou a mudança das famílias, no entanto, algumas casas da comunidade estariam sendo “puladas” enquanto outras já estão sendo transferidas para o Conjunto Habitacional Popular Tapera III.

Outra reclamação dos moradores, que estão visivelmente irritados, é a falta de água na comunidade. Segundo os manifestantes, desde novembro do ano passado, quando foi feita a primeira transferência, a única forma de conseguir água é recorrendo às torneiras e encanamentos das casas que foram demolidas.

Na quarta-feira um grupo foi recebido pelos secretários de Governo (Anthony Garotinho) e de Família e Assistência (Geraldo Venâncio). “O planejamento inicial era de entregar as casas 900 casas do Morar Feliz de Ururaí em três etapas, com a entrega de mais 200 em maio. No entanto, as famílias cadastradas que aguardam o benefício na comunidade estão preocupadas e, em consideração à situação de vulnerabilidade delas, o governo municipal acordou com a construtora a entrega de lotes menores, para que o condomínio de Ururaí, antes mesmo de ser concluído, não seja invadido,” explicou Venâncio.

Comentar
Compartilhe
Shows em SJB: Anitta (R$ 130 mil) e Mumuzinho (R$ 80 mil)
06/03/2015 | 01h38

[caption id="attachment_31392" align="aligncenter" width="404"] Cachê da cantora foi de R$ 130 mil[/caption]

A "poderosa" Anitta recebeu R$ 130 mil para cantar em Grussaí, no dia 03 de janeiro. A informação sobre o valor do cachê, pago pela Prefeitura de São João da Barra, foi publicado na edição de ontem (05) do Diário Oficial.

[caption id="attachment_31396" align="aligncenter" width="336"] O talentoso Mumuzinho recebeu R$ 80 mil[/caption]

Já o cantor de pagode Mumuzinho, que se apresentou no mesmo dia 03 de janeiro, no Açu, faturou R$ 80 mil.

Na última segunda-feira (02) o blog do jornalista Arnaldo Neto publicou nota informando que a Prefeitura de SJB pagou mais de meio milhão pelos três shows do réveillon (aqui).

Somando apenas os três shows do dia 31 com as apresentações de Anitta e Mumuzinho, no dia 03, o valor dos cachês chega a R$ 720 mil.

Comentar
Compartilhe
Campista na Seleção
05/03/2015 | 17h18
[caption id="attachment_31388" align="aligncenter" width="405"] Foto: Antônio Leudo/Secom[/caption]

Convocado mais uma vez para integrar a Seleção Brasileira de Basquete de Cadeirantes, o campista Daniel Machado, que é beneficiado pelo Programa Bolsa Atleta, da Fundação Municipal de Esportes, treina forte para uma competição internacional no final deste mês, no Canadá. Os treinamentos vêm sendo realizado as segundas, quartas e sextas-feiras, sempre no período da noite, no Ginásio Olavo Cardoso, do Automóvel Clube Fluminense, junto à equipe da Ong Sem Fronteiras. "Esta vai ser a minha primeira competição fora da América do Sul, depois de ter conquistado o Parapan Juvenil na Argentina e o vice-campeonato em Santiago do Chile. A expectativa é grande para voltar com mais um título, apesar da força das equipes adversárias", declarou o jogador de 20 anos.

Ele se tornou cadeirante em 2007, ao cair de uma árvore. Conheceu o basquete em cadeira de rodas dois anos após o acidente, quando procurava uma atividade física para praticar e hoje se destaca nacionalmente no esporte.

O jogador já faz planos para os Jogos Paralímpicos de 2016, no Rio de Janeiro.

Fonte: Secom/Prefeitura de Campos

Comentar
Compartilhe
Descontentamento geral
05/03/2015 | 16h37

Além dos médicos, professores, sindicato dos servidores ex-terceirizados, o governo Rosinha Garotinho (PR) agora também enfrenta protestos dos empresários. O reajuste do Imposto Sobre Serviços (ISS), que em alguns casos passou de 1% para 5%, não agradou a categoria. Na sessão da última terça-feira (03), mesmo fazendo parte da bancada rosácea, o vereador Neném (PTB)m, que também é empresário, optou pela abstenção. “Não posso votar a favor de algo que pode prejudicar ainda mais os empresários”, comentou Neném.

Comentar
Compartilhe
Contas da Ampla podem aumentar 56%
05/03/2015 | 12h46

A Ampla solicitou à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) que o reajuste tarifário deste ano nas contas de luz de 2,5 milhões de unidades consumidoras de 66 municípios fluminenses atendidos pela concessionária seja de 56,05%. O Índice de Reajuste Tarifário (IRT) pleiteado, no entanto, será discutido pelos conselheiros da agência reguladora numa reunião na próxima terça-feira, dia 10. Na ocasião, o órgão baterá o martelo sobre o percentual de reajuste a ser aplicado já a partir do dia 15 de março. O município de Campos é um dos 66 atendidos pela concessionária. Os campistas também vão ter que pagar mais caro pela Taxa de Iluminação. O reajuste, proposto pela prefeita Rosinha Garotinho (PR) e aprovado pela Câmara, foi de 31,5% (aqui).

Na manhã da última terça-feira (03), a Aneel divulgou em seu site que a Ampla havia pedido um aumento de 20,8%. À tarde, porém, o pleito foi alterado na página da agência. Acredita-se que a alteração tenha sido feita porque a Ampla não foi contemplada na revisão extraordinária concedida na última sexta-feira pela Aneel a outras concessionárias, como a Light. Com essa revisão, o aumento médio das contas de luz no país será de 23,4%. No Rio, clientes da Light vão arcar, agora, com uma correção de 22,5%. Esta, porém, também terá seu reajuste tarifário anual aplicado em novembro.

Hoje, a tarifa residencial da Ampla custa R$ 0,38931 por quilowatt-hora (kWh) e não contempla tributos e outros cálculos que fazem parte da conta de luz, como a taxa de iluminação pública. Se o reajuste de 56,05% for aceito, a tarifa subirá para R$ 0,60449 por kWh. Assim, na casa de uma família que gasta, em média, 100kWh por mês, a conta subiria de R$ 38,93 para R$ 60,44.

No ano passado, o reajuste dos consumidores atendidos pela Ampla foi adiado de março para abril, para que a empresa e a Aneel tivessem mais tempo para discutir o Decreto 8.203, que destinou R$ 1,2 bilhão do governo às distribuidoras para neutralizar os custos das empresas com a compra extra de energia, devido ao alto consumo.

Em abril, ficou decidido que os clientes atendidos pela concessionária teriam redução de 0,74% em suas contas. O percentual, porém, foi bem abaixo dos -6,51% propostos pela diretoria Aneel, no fim de 2013, numa audiência pública.

Fonte: Extra 

Comentar
Compartilhe
"Exército" da Igreja Universal chega ao Rio
05/03/2015 | 01h09
Por Gabriel Sabóia/O Dia: 
Rio - Homens de até 26 anos marchando fardados, calçados de coturnos e com cabelos batidos, no estilo militar, batem continência para um líder. Esta cena não se passa em um dos quartéis do Exército Brasileiro. Mas dentro de templos da Igreja Universal do Reino de Deus. São os ‘Gladiadores do Altar’. O grupo jovem de evangelização, que vem gerando polêmica na internet, já reúne dezenas de adeptos no Rio de Janeiro.
Movimento criado em janeiro deste ano gera polêmica - Foto:  Reprodução

Unidades da Universal em bairros como Recreio e Tijuca ostentam imagens dos cultos em suas páginas na internet. Numa delas, homens perfilados exibem camisetas com a sigla “C.A.” transfixada por uma espada, símbolo de luta do grupo na Catedral Mundial da Fé, em Del Castilho.  A Universal informou que o projeto conta hoje com 4.300 participantes em todo país. De acordo com uma nota, “os eventos estimulam o debate e a reflexão sobre aspectos do texto bíblico.” Além disso, segundo a assessoria da Universal, os jovens são pessoas que tentam retribuir a ajuda que receberam em momentos de dificuldades. No entanto, não foi informado o motivo da exclusão de alguns vídeos ou a necessidade da vestimenta alusiva ao militarismo. Em montagens compartilhadas e comentadas por ‘gladiadores’, mensagens religiosas são entremeadas por imagens de guerra e disparos de armas de fogo.

A prática provocou crítica de líderes de outras correntes evangélicas. Embora reitere o respeito pela Igreja Universal do Reino de Deus, o pastor Fábio Inácio, da Igreja Cristã Contemporânea, acredita que continências ao altar e a um líder religioso podem desvirtuar o propósito religioso. “Acaba havendo uma distorção.”  Os vídeos do movimento — que já tomou conta de várias cidades do Brasil e encontram ramificações em templos de países como Argentina e Colômbia — têm sido compartilhados aos milhares nas redes sociais e alimentado a pergunta: “Afinal, contra o que marcha este exército?”

A indagação, feita em uma rede social pelo deputado federal Jean Wyllys (Psol-RJ) após ver imagens de um evento do grupo, gerou nota de repúdio por parte da Universal. O deputado Jean Wyllys cobra explicações quanto à criação do movimento que pretende formar novos pastores. “O militarismo se constitui na presença de um inimigo. Afinal, quem é esse inimigo? Será que a prática atenta contra a diversidade sexual e religiosa?”, questiona o parlamentar.

Movimento foi criado em janeiro - As imagens difundidas nas redes sociais, de acordo com a Igreja Universal, fizeram parte de uma série de apresentações da corrente religiosa em algumas capitais brasileiras. As marchas de grupos entoando frases de efeito teriam sido realizadas em diversos eventos, com coreografia ensaiada para marcar festivamente essas ocasiões.  Os integrantes da igreja, ainda segundo seus representantes, foram apresentados diante de milhares de pessoas. Muitas delas eram parentes e amigos dos jovens. Fundado em janeiro, o projeto Gladiadores do Altar estaria ligado à Força Jovem Nacional. No entanto, a Universal nega estar formando um exército fundamentalista. Apesar do gestual feito pelos jovens em vídeos divulgados na internet, que lembram saudações nazistas, a direção da igreja também desmentiu qualquer alusão à práticas armadas e extremistas.

Ontem (04), o blog "Opiniões", do jornalista Aluysio Abreu Barbosa, publicou nota informando que "Na terra da Iurd, PT não é a única seita pronta para a guerra" (aqui).

Comentar
Compartilhe
Goteiras no HGG: de quem é a culpa?
04/03/2015 | 21h19
O DJ Cacau Rocha usou o seu perfil no Facebook para compartilhar imagens do Hospital Geral de Guarus (HGG). De acordo com o internauta, consultas teriam sido canceladas. [caption id="attachment_31358" align="aligncenter" width="508"] Facebook/Cacau Rocha[/caption] Quem conhece o HGG sabe que as goteiras não são uma novidade. Em abril do ano passado o blog publicou nota que mostrava o Centro Cirúrgico alagado: aqui Em julho, o corredor do Ferreira Machado alagou e a Folha Online mostrou: aqui Mas afinal de contas... De quem é a culpa? Arnaldo? Mocaiber? Terrorismo? São Pedro? Sabotagem? Pezão? Cabral? FHC?

Comentar
Compartilhe
Edson Batista descarta convocação imediata de Thiago Ferrugem
04/03/2015 | 12h31

O presidente da Câmara de Campos, Edson Batista (PTB) comentou na manhã desta quarta-feira (04) sobre possíveis mudanças na Câmara por conta da ausência do vereador Paulo Hirano (PR), que passa por tratamento de saúde. "Temos um prazo de 90 dias, que não conta o tempo em que a Casa estava em recesso. Temos informações dando conta de que o vereador poderá retornar dentro deste prazo. Estamos cumprindo o que determina o regimento e torcendo pela volta do vereador", explica Edson Bastista, descartando a convocação imediata do presidente da Fundação Municipal da Infância e Juventude, Thiago Ferrugem (PR), que atualmente é o primeiro suplente da coligação PR/PRB. "Como eu disse, ainda existe um prazo e todas as ausências estão sendo justificadas, já que o vereador passa por tratamento médico", frisou.

O blog também entrou em contato com o presidente da FMIJ, Thiago Ferrugem. Ele afirmou que, no momento, o foco é na sua atuação no Executivo. "Estou focado na Fundação e aguardando a reforma administrativa. Sobre a Câmara, não tenho conhecimento sobre o que diz o regimento interno em relação a este caso específico. Sei que sou o próximo suplente e, caso seja convocado, estarei a disposição e irei me posicionar", informou Ferrugem, ressaltando que torce pelo retorno do vereador Paulo Hirano. "Torço muito pela recuperação do vereador Paulo Hirano. Espero que ele retorne e volte a ser líder do governo na Casa", comentou Thiago Ferrugem.

Nos bastidores, membros da ala mais jovem do grupo rosáceo têm um entendimento diferente. Na visão deste grupo, Thiago Ferrugem já deveria ter assumido a cadeira. Alguns, inclusive, apontam uma teoria conspiratória contra Ferrugem, que foi apoiado pelo ex-presidente do PR em Campos, Wladimir Garotinho.

 Na última segunda-feira o blog "Eu Penso que", do jornalista Ricardo André Vasconcelos, publicou nota informando que a licença de Hirano já movimentava os bastidores. Veja aqui 
Comentar
Compartilhe
Um “rolo compressor” mais ativo
04/03/2015 | 00h34

No final do ano passado o vereador Abdu Neme (PR) afirmou que, em 2015, a bancada governista seria mais ativa. “Cada vereador aliado vai ter que estudar e subir na tribuna para rebater”, prometeu Abdu (aqui).

Demorou, mas após as conversas individuais com o secretário de Governo, Anthony Garotinho, parece que o “rolo compressor” pegou no tranco. Durante a sessão de ontem (03), os vereadores Álvaro César (PMN), Albertinho (Pros) e Altamir Bárbara (PSB) fizeram defesas do governo com mais intensidade.

Porém, ainda falta muito para o "rolo" funcionar com força total. Dos 19 governistas que estão frequentando a sessão, pelo menos 10 só aparecem para votar ao lado do governo, sem defesas em público.

Comentar
Compartilhe
Oposição aponta novo "pacote de maldades"
03/03/2015 | 20h06

Durante a sessão desta terça-feira (03) foram aprovados novos projetos enviados pela prefeita Rosinha Garotinho (PR). A maior polêmica ficou por conta de uma proposta que reajusta o Imposto Sobre Serviços (ISS). "Empresas que antes pagavam 1% agora irão pagar 5%. Exemplo: obras de construção civil, reparação conservação e reforma de edifícios, limpeza, conservação e manutenção de vias e outros", explicou o vereador Marcão (PT), ressaltando que  "ano passado a prefeita reteve valores do PreviCampos e não repassou no prazo. Ela pagava multa de até 20% pelo atraso. Agora ela reduz a multa para 2%, facilitando a inadimplência dela. Enquanto o contribuinte paga a Prefeitura altas multas: 10% até 30 dias após o vencimento, 20% até 60 dias, 30% até 90 dias e 40% a partir de 90 dias, + 1% ao mês", comentou Marcão.

O vereador Rafael Diniz (PPS) também entrou no debate. "Se atrasaram o repasse quando a multa era de 20%, fico imaginando agora, que ela reduziu para 2%", frisou Diniz.

Em defesa do governo, a vereadora Auxiliadora Freitas (PHS) disse que "a prefeita não gostaria de estar fazendo isso, mas é necessário". "As pessoas gostam de criticar, mas se esquecem que o governo investiu 17% em infraestrutura, enquanto prefeituras da região investem em média 5%. Estamos vivendo um momento diferenciado que requer certas atitudes", disse Auxiliadora.

O vereador Mauro Silva (PT do B) defendeu os projetos enviados pela prefeita e afirmou que "a oposição pinta as informações de acordo com seus interesses". "Não existe essa história de maldade. A prefeita vem fazendo o possível para manter projetos importantes e continuar investindo em nosso município", disse Mauro, que destacou a aprovação, por unanimidade do Programa de Recuperação Fiscal (Refis/Campos 2015). "Com o Refis/Campos 2015 os descontos de juros e multas vão de 20% a 100%.  O valor mínimo da parcela será R$ 50,00  para pessoa física e R$ 150,00  para pessoa jurídica, e vai beneficiar contribuintes com dívidas contraídas com o município até 30 de junho de 2014, inscritas ou não na dívida ativa', explicou Mauro, que durante a sessão desta terça-feira foi anunciado como líder do governo na Casa.

Mais informações na edição de amanhã (04) da Folha 

 
Comentar
Compartilhe
Rosinha oficializa Mauro Silva como líder do governo na Câmara
03/03/2015 | 18h01

A prefeita Rosinha Garotinho (PR) enviou ofício à Câmara de Campos informando que o vereador Mauro Silva (PT do B) é o novo líder do governo na Câmara de Campos. "O vereador Mauro Silva reúne as qualidades necessárias para manter uma relação sadia entre os poderes Legislativo e Executivo", disse Rosinha.

Mauro assume a função que era do vereador Paulo Hirano (PR). No momento, Hirano passa por tratamento de saúde e se encontra afastado dos trabalhos na Casa. “Agradeço pela confiança depositada em mim, mas não posso deixar de lembrar do brilhante trabalho realizado pelo vereador Paulo Hirano”, disse Mauro.

O vereador Fred Machado (SDD), da bancada de oposição, elogiou a escolha da prefeita. “Fico feliz ao saber que o vereador Mauro Silva já está disposto a dialogar com a oposição em busca de respostas sobre diversos questionamentos”, disse Fred, que também elogiou o trabalho de Hirano como líder do governo.

Comentar
Compartilhe
Professora desabafa: "continuamos 'amontoados' e sem segurança"
03/03/2015 | 17h30
[caption id="attachment_31317" align="aligncenter" width="390"] Foto: Héllen Souza/Folha da Manhã[/caption]

Após mais de dois anos em obras, a professora Luciana Soares Marques, que atua há oito na Escola Municipal Jacques Richer, em Campo Novo, denunciou, por diversas vezes, supostas irregularidades nas intervenções da instituição. Segundo a educadora, a obra foi iniciada em 12 de julho de 2012, mas de forma muito morosa. Em março do ano passado, as intervenções pararam e foram retomadas seis meses depois, mas, com outra empresa responsável. A Folha acompanhou a "novela" com a publicação de diversas matérias: aqui aqui, aquiaqui e aqui 

Diante da obra interminável, a professora encaminhou ao blog mais um desabafo:

"Há um mês preciso, vocês fizeram uma matéria sobre a situação das escolas Jacques Richer e João Goulart, que compartilham o mesmo prédio pelo 4º ano consecutivo. Após reportagem, foi 'prometido' que a E.M.João Goulart seria inaugurada no término de fevereiro, o que não aconteceu. Continuamos 'amontoados' sem conforto, sem segurança, enfim sem o 'olhar carinhoso' prometido pelo atual Secretário de Educação em seus últimos discursos. Há de se entender que somos prioridade, visto ser o 4º ano consecutivo. Porém,tamanho é o descaso que não sabemos mais a quem recorrer. Sinceramente, tenho pensado em até fazer um jejum (de oração), porque agora só DEUS PARA NOS SOCORRER. Infelizmente, há autoridades que conseguem manipular eleitores de cabeça fraca em época de eleições prometendo 'mundos e fundos' em nome de Deus, mas ser verdadeiramente honesto com suas propostas e fazer-se valer, aí são outras questões que daria um artigo. Sinto-me cada vez mais desacreditada, são 21 anos como educadora, lutando pelas duas comunidades Venda Nova e Campo Novo, observo também que há outra escola, a E. M. Campo Novo, que funciona em uma casa alugada esses anos todos e que sempre serviu de curral eleitoreiro, pois é conhecida com escolinha do Dr Jorge Rangel, esse edil (ou melhor, vereador) que prima em dizer que faz pela localidade. Faz tanto que não conseguiu esses anos todos que as comunidades tivessem escola descente. Foi preciso o CONAE, Conferência Nacional da Educação 'batesse o martelo' com os municípios dando prazo para que escolas ditas de ponta/referência fossem construídas, para que agora/nos dias de hoje, o citado edil, fale pelos cantos da comunidade que a escola é algo de sua 'luta'. Francamente! Verdadeiramente queria que o fosse, mas bem sabemos que não é por aí... São anos e muitos anos de descaso sim!!E eu como educadora insistente, venho mesmo sofrendo injúrias, ameaças, disse e me disse, etc,procurando de todos os meios e maneiras conseguir um BASTA nesse DESCASO. É por ser incansável, que retorno solicitando uma nova reportagem, mas sugiro que busquem informações com os comerciantes de ambas comunidades, não só com os pais mas também com alguns ex alunos.Por favor, façam uma matéria bem rica de fatos, nossa comunidade merece auxílio. Desde já agradeço.  Professora Luciana Soares Marques ( Há 21 anos LUTANDO POR EDUCAÇÃO DIGNA E IGUALITÁRIA PARA SEUS EDUCANDOS)"

Comentar
Compartilhe
Águas de Março
03/03/2015 | 16h48
Finalmente os campistas viram uma chuva de verdade, algo raro nos últimos meses. Porém, como era de se esperar, as águas de março alagaram diversas ruas do município. Nas redes sociais, internautas mostraram o resultado da chuva em locais variados: [caption id="attachment_31311" align="aligncenter" width="415"] Facebook/Douglas Bensi[/caption] [caption id="attachment_31304" align="aligncenter" width="384"] Facebook/Stella Freitas[/caption] [caption id="attachment_31305" align="aligncenter" width="381"] Facebook/Lais Monteiro[/caption] [caption id="attachment_31306" align="aligncenter" width="369"] Facebook/Nathalia Toledo Dutra[/caption] [caption id="attachment_31308" align="aligncenter" width="323"] Facebook/Gabriel Siqueira[/caption] [caption id="attachment_31332" align="aligncenter" width="415"] Facebook/Renato Batista[/caption] [caption id="attachment_31334" align="aligncenter" width="389"] Facebook/Luís Sérgio[/caption] Mais informações no site da Folha: aqui  Em novembro do ano passado uma matéria no site da Prefeitura (aqui) informou que "o alagamento acabou em cerca de 70% dos pontos do município que inundavam com chuvas fortes, resultado da implantação de aproximadamente 104 quilômetros de rede de macrodrenagem".
Comentar
Compartilhe
Juntos e misturados
03/03/2015 | 11h29
[caption id="attachment_31291" align="aligncenter" width="296"] Carla Machado prestigiou a festa de aniversário de João Peixoto, no último dia 22[/caption]

O deputado estadual João Peixoto (PSDC) e a ex-prefeita de São João da Barra, Carla Machado (PT), já começam a se movimentar visando as eleições de 2016. Enquanto Carla vai tentar voltar à Prefeitura de SJB, Peixoto se coloca como pré-candidato à Prefeitura de São Francisco de Itabapoana. Na eleição do ano passado, em SFI, João Peixoto foi o segundo mais votado, com 3.058 votos, seguido por Carla Machado, a terceira mais votada, com 2.228 votos. O prefeito Pedrinho Cherene apostou suas fichas em Bruno Dauaire (PR), que recebeu 5.152 votos. Nos bastidores, há quem aposte na força de Peixoto, com o apoio de Carla, para encarar Pedrinho, que vai buscar a reeleição.

Veja aqui a votação de todos os candidatos nas eleições 2014 em São Francisco de Itabapoana.

Comentar
Compartilhe
Lava-Jato: procurador-geral diz que "quem tiver que pagar, vai pagar"
03/03/2015 | 01h43

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou na noite desta segunda-feira que quem cometeu irregularidades na Petrobras deverá ser devidamente punido. Janot disse ainda que as investigações sobre o caso estão apenas começando. O procurador fez às declarações a um grupo de ativistas durante uma manifestação de apoio a ele e às investigações da Operação Lava-Jato, na sede da Procuradoria-Geral da República. "Vamos trabalhar com tranquilidade, com equilíbrio. Quem tiver que pagar, vai pagar. Nós vamos apurar. Isso é um processo longo. Está começando agora. Vamos até o final dessa investigação", disse Janot, em vídeo, para os manifestantes do movimento "Vem pra rua Brasil".

Janot conversou com o grupo por volta das 20h, depois de passar o dia revisando os pedidos de inquérito que fará ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra políticos suspeitos de envolvimento com as fraudes em contratos de empreiteiras com a Petrobras. O procurador-geral deverá encaminhar os pedidos ao STF nesta terça-feira (03). As investigações da Lava-Jato começaram em março do ano passado.

Sigilo em debate -O relator da Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Teori Zavascki, deve derrubar o sigilo das investigações contra autoridades suspeitas de integrar o esquema de desvios de dinheiro da Petrobras. Após encaminhar à mais alta corte do país os pedidos de abertura de inquérito, Rodrigo Janot também vai pedir o fim do segredo de Justiça, tornando as apurações públicas. Zavascki deve seguir a recomendação, mas a decisão deverá levar alguns dias. Portanto, quando os pedidos de abertura de inquérito chegarem ao STF, os casos continuarão ocultos. Hoje o tribunal guarda a sete chaves 42 petições com o conteúdo das delações premiadas feitas pelo doleiro Alberto Youssef e pelo ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa. As petições estão protegidas pelo mais alto grau de sigilo e não são sequer mencionadas no andamento processual do tribunal na internet.

[caption id="attachment_31295" align="aligncenter" width="596"] Clique na imagem para ver o vídeo [/caption] Fonte: O Globo 
Comentar
Compartilhe
"Torcedor nº 1 do Goytacaz" banca o Americano na disputa da série B
02/03/2015 | 23h40

Em abril de 2012 o então deputado federal Anthony Garotinho (PR) foi recebido cheio de pompa do estádio Ary de Oliveira e Souza e ganhou o diploma de "Torcedor nº 1 do Goytacaz" (aqui). Na ocasião, vestiu a camisa do Goyta e prometeu que faria de tudo para colocar o clube novamente na série A. Porém, apesar de contar com uma boa estrutura e o apoio do político, o Goytacaz não subiu. Na época, teve gente no Americano que fez cara feia, já que o clube disputava a primeira divisão e não recebia, digamos, o mesmo "carinho". Mas nada como um dia após o outro. Agora, com Americano e Goytacaz na série B, os dois clubes vão receber o carinho do Garotinho. Além disso, o estádio Ary de Oliveira e Souza será dividido entre os dois, como informa a Folha da Manhã (aqui).

Presidente do Americano: "Vamos para a disputa graças ao auxílio do ex-deputado Anthony Garotinho" - De acordo com o atual presidente do Americano, o ex-jogador Luciano Viana, na noite do último sábado (28), quando o clube pensava em desistir da série B, já que não havia conseguido grandes patrocínios, o "salvador da pátria" apareceu.  "O ex-governador Anthony Garotinho em reunião comigo, Luciano Viana, presidente do Americano, colocou-se à disposição para solucionar o nosso problema. A sua intervenção assegura assim a nossa participação no Campeonato Estadual de forma tranquila, onde poderemos mostrar o melhor do nosso futebol. Dessa forma, mesmo com a negativa de centenas de empresários de Campos, já que estamos nessa busca por recursos desde outubro, nós vamos para a disputa graças ao auxílio do ex-deputado Anthony Garotinho", comentou o presidente. O agradecimento especial, com foto e tudo, foi publicado no site do Americano: aqui 

Comentar
Compartilhe
Rosinha recebe bancada do PR e encaminha pauta ao governo Pezão
02/03/2015 | 17h40
[caption id="attachment_31279" align="aligncenter" width="491"] Foto/Divulgação[/caption]

A prefeita Rosinha Garotinho (PR) elaborou uma pauta de cinco itens endereçada ao governo do Estado do Rio. Para dar agilidade e tratamento de caráter institucional às reivindicações, o encaminhamento do documento será feito através da bancada do PR, seu partido, na Assembléia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). O documento foi entregue pela prefeita nesta segunda-feira (02) durante reunião com os deputados Renato Cozzolino, Geraldo Pudim, Jair Bittencourt, Nivaldo Mulim, Márcia Jeovani, Bruno Dauaire e Rogério Lisboa.

Também participaram da reunião o vice-prefeito Chicão Oliveira (PP), o secretário de Governo, Anthony Garotinho, o presidente da Câmara de Campos, Edson Batista (PTB) e o deputado federal Paulo Feijó (PR).

Em entrevista coletiva a prefeita Rosinha falou detalhadamente sobre os cinco itens da pauta. Alguns são referentes a assuntos específicos de Campos, mas outros de interesse de outros municípios. A prefeita solicita providências para impedir a transposição do Rio Paraíba do Sul em São Paulo, para evitar afetar abastecimento de 1/3 dos municípios fluminenses; retorno da proposta original da Lei Rosinha, tendo em vista que a alteração feita em 2010 impede que diversas empresas tenham acesso ao benefício; pagamentos de ICMS aos municípios fluminenses relativos à negociação de precatórios, que representa dívida do Estado com municípios de quase R$ 500 milhões, retidos pela Secretaria de Fazenda do Estado. Consta, ainda, na pauta, a municipalização do Centro Integrado de Educação Pública (Ciep) Wilson Batista, no Parque Guarus; Permanência do compartilhamento da Escola Leôncio Pereira Gomes, em São Sebastião e providências para limpeza dos canais que, segundo a prefeita, "estão abandonados pelo Estado". "São assuntos importantes que precisamos tratar no âmbito estadual e, por isso, vamos encaminhar como pedido de bancada do nosso partido, o PR", comentou a prefeita.

Na Câmara - Além da reunião com a prefeita Rosinha , o deputado federal Paulo Feijó e os deputados estaduais Geraldo Pudim e Bruno Dauaire, participaram de um encontro na Câmara com o presidente da Casa, Edson Batista. Durante o encontro, Batista solicitou o apoio dos deputados a fim de unir forças para vencer a crise econômica e buscar investimentos necessários para o crescimento da região. “As forças políticas da região se unem para estabelecer uma pauta mínima para diminuir os efeitos da crise e estabelecer as necessidades da região para que possamos voltar a crescer”, disse Batista, ao entregar aos deputados a Carta do Parlamento Regional, elaborada durante a primeira reunião do órgão em 2015, ocorrida na última semana.

Fontes: Secom/Prefeitura e Ascom/Câmara 

Comentar
Compartilhe
Porta dos Fundos
02/03/2015 | 17h39

Quem prestou atenção no uniforme do Rio Claro durante o empate sem gols contra o São Paulo, na tarde de ontem (01), notou que havia um patrocinador novo na parte de trás do calção dos jogadores. E o local escolhido pelo "Porta dos Fundos" foi estratégico. O canal de vídeos humorísticos fez um trocadilho com o próprio nome e colocou a propaganda na "porta dos fundos".

Em seu Twitter, o grupo de humoristas anunciou: "para quem sempre quis ver a gente na Globo, hoje é o dia. Estamos lá! Na porta dos fundos do time do Rio Claro".

O acordo do Porta dos Fundos com o Rio Claro foi pontual para o jogo contra o São Paulo, que foi a partida do Campeonato Paulista transmitida na TV aberta.

Comentar
Compartilhe
Mauro Silva destaca importância do Refis/2015
02/03/2015 | 14h43
[caption id="attachment_31261" align="aligncenter" width="400"] Arquivo/Secom[/caption]

Presidente da Comissão de Legislação, Justiça e Redação Final da Câmara de Campos, o vereador Mauro Silva (PT do B) comentou em seu Gabinete Virtual (aqui) sobre o Projeto de Lei encaminhado pela prefeita Rosinha Garotinho (PR), que institui o Programa de Recuperação Fiscal (Refis/Campos 2015). "Como presidente da Comissão, também composta pelos vereadores Albertinho e Cecília Ribeiro Gomes, apreciei e dei parecer favorável ao Projeto", informa Mauro, ressaltando que a prefeita Rosinha atendeu a uma reivindicação dos dirigentes do comércio e da indústria.

Com o Refis/Campos 2015, os descontos de juros e multas vão de 20% a 100%.  O valor mínimo da parcela será R$ 50,00 (cinquenta reais) para pessoa física e R$ 150,00 (cento e cinquenta reais) para pessoa jurídica, e vai beneficiar contribuintes com dívidas contraídas com o município até 30 de junho de 2014, inscritas ou não na dívida ativa.

Comentar
Compartilhe
Rosinha exonera secretário de Justiça
02/03/2015 | 10h23
[caption id="attachment_31255" align="aligncenter" width="518"] Facebook/Ricardo André[/caption]

A prefeita Rosinha Garotinho (PR) exonerou, a pedido, o advogado Gilmar Barbosa Lemos, que comandava a secretaria de Justiça e Assistência Judiciária desde 2009.

Gilmar é irmão do radialista Barbosa Lemos, que nos últimos meses tem feito duras críticas ao governo municipal.

Tudo indica que, com a reforma administrativa, a secretaria de Justiça se juntar ao Procon. Sendo assim, um nome cotado para a pasta seria Rosângela Tavares, que atualmente responde pela secretaria de Defesa do Consumidor (Procon).

Comentar
Compartilhe
Alerj: Papinha será empossado amanhã
02/03/2015 | 10h19

O ex-vereador Papinha (PP) será empossado como deputado estadual amanhã, às 14h30, na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). Com a nomeação do deputado eleito José Luiz Anchite (PP) para a secretaria estadual de Desenvolvimento Regional, Abastecimento e Pesca, e a ida do primeiro suplente, vereador Marcelo Queiroz (PP), para a secretaria de Administração da Prefeitura do Rio, Papinha, que ficou com a segunda suplência, será deputado. O ex-vereador de Travessão recebeu 7.262 votos e caminhou ao lado do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB). Além de Papinha, Campos também conta na Alerj com João Peixoto (PSDC) e Geraldo Pudim (PR). A bancada da região ainda conta com Bruno Dauaire (PR), de SJB, e Jair Bittencourt (PR), de Itaperuna.

Antes mesmo de assumir a cadeira, Papinha já pensa em projetos que serão apresentados. Ele não esconde que vai ter um olhar especial pelo distrito de Travessão, na região norte de Campos, onde reside.

Em Campos, Papinha ganhou visibilidade como vereador quando presidiu a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Campos Luz (empresa pública extinta pelo atual governo). Na época, documentos foram encaminhados para os órgãos responsáveis e o então vereador disse que a “CPI não acabou em pizza”.

Comentar
Compartilhe
"Vai ter que ser no amor"
01/03/2015 | 22h13

O secretário de Governo Anthony Garotinho (PR) já começou a conversar, de forma individual, com os 20 vereadores da bancada governista na Câmara. O ex-deputado já sinalizou que deseja manter os 20 na bancada rosácea, mas os aliados terão que entender "o momento diferenciado".

Cabisbaixo, o assessor de um rosáceo resumiu como vai ser daqui pra frente: "Vai ter que ser no amor".

Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Alexandre Bastos

[email protected]