Thiago Virgílio rebate Magal: "Mentiroso"
30/06/2015 | 06h20

O vereador Thiago Virgílio (PTC), que na última quarta-feira foi acusado pelo vereador Jorge Magal (PR) de armar um golpe (aqui), usou a tribuna nesta terça-feira (30) para rebater o parlamentar. "Ele disse que, ao lado do companheiro Wladimir, armei um golpe contra o vereador Paulo Hirano. Trata-se de uma mentira. Gostaria que ele estivesse aqui para falar com ele presente. A verdade é que houve uma articulação. E desde quando articular é dar um golpe? Na minha opinião golpe é tentar negociar com empreiteiros para aprovar projetos, ou algum tipo de verba. Condicionar desta forma que é dar golpe. E isso eu não faço. Respeito o vereador Magal, mas ele não vai chegar aqui, apontar dedo e achar que ficarei calado. Sei que a população não quer esse tipo de chumbo trocado e que as situações dos bastidores devem ficar nos bastidores, mas não vou me calar. Se quiser resolver com calma, tudo bem. Se escolher outro caminho, posso ir, também", disse Virgílio.

Wladimir também comentou sobre a acusação de Magal: aqui 

Comentar
Compartilhe
“Rolo compressor” com agenda em Búzios
25/06/2015 | 01h02

Um atento colaborador do blog informa que uma van saiu de Campos com vereadores da bancada governista para uma agenda em Búzios.

Os rosáceos vão participar “XII Encontro dos Legislativos Municipais”, organizado pela União dos Vereadores do Brasil (UVB). O presidente do Legislativo campista, Edson Batista (PTB), será empossado como superintendente da UVB no Estado do Rio de Janeiro.

Em Búzios, além da agenda política, os rosáceos devem aproveitar para relaxar após as tensas sessões desta semana.

Comentar
Compartilhe
Lava Jato: Lula diz aos aliados que será o próximo alvo
20/06/2015 | 12h18
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse a aliados que a prisão dos presidentes da Odebrecht e da Andrade Guiterrez é uma demonstração de que ele será o próximo alvo da operação Lava Jato. Lula também reclamou ontem (19) do que chamou de inércia da presidente Dilma Rousseff para contenção dos danos causados pela investigação. Ainda segundo seus interlocutores, Lula se queixa da atuação do ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio Mercadante, que teria convencido Dilma a minimizar o impacto político da operação. Nas conversas, ele se mostra preocupado pelo fato de não ter foro privilegiado, podendo ser chamado a depor a qualquer momento. Por isso, expressa insatisfação que o caso ainda esteja sob condução do juiz Sérgio Moro. Para petistas, os desdobramentos podem afetar o caixa do partido e por em xeque a prestação de contas da campanha da presidente. A detenção de Marcelo Odebrecht e Otávio Azevedo colocou a cúpula do PT em "estado de alerta" e preocupa o Palácio do Planalto pelos efeitos negativos na economia. Para assessores do ministro Joaquim Levy (Fazenda), o "ritmo da economia, que já está fraco, ficará mais lento". No entanto, a estratégia adotada pelo partido e pelo governo foi a de afirmar que, dada influência das duas empreiteiras, a investigação atingirá as demais siglas, incluindo o PSDB. Nessa linha, um ministro citou o nome da operação "Erga Omnes" (expressão em latim que significa "para todos") para afirmar que não só o PT será afetado. Durante a campanha presidencial de 2014, segundo esses interlocutores do governo, ambos executivos fizeram chegar reservadamente ao Planalto a sua intenção de votar na oposição. Ontem (19), Lula manteve sua agenda: um almoço com o ministro da Educação, Renato Janine, e o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, além do secretário municipal de Educação, Gabriel Chalita. Segundo participantes, ele exibia bom humor. Apesar do argumento de que outros partidos serão afetados, a tensão é maior entre petistas. Desde o fim de 2014, a informação, que circulava no meio empresarial e político, era de que Marcelo Odebrecht não "cairia sozinho" caso fosse preso. A empresa sempre negou ameaças. Entre executivos e políticos, contudo, as supostas ameaças eram vistas como um recado ao PT dada a proximidade entre a Odebrecht e Lula –a empresa patrocinou viagens do ex-presidente ao exterior, para tentar fomentar negócios na África e América Latina. Um dos presos é Alexandrino Alencar, diretor da Odebrecht que acompanhava Lula nessas viagens patrocinadas pela empreiteira. Integrantes dizem que "querem pegar Lula". Lula também se encontrou com executivos da Odebrecht no exterior. Fonte: Folha da S. Paulo
Comentar
Compartilhe
Picciani quer Pudim no PMDB e na disputa pela Prefeitura
27/06/2015 | 02h48

Fiel escudeiro do secretário de Governo, Anthony Garotinho (PR), o deputado estadual Geraldo Pudim  (PR) está cheio de moral com o cacique do PMDB, Jorge Picciani, presidente da Alerj. Em sua coluna publicada ontem (26) na Folha , o empresário Murillo Dieguez revela que Pudim é uma "noiva" cobiçada pelo PMDB. "Em Sapucaia, Picciani disse que confia em Pudim. E mais: gostaria de ver o deputado no PMDB. Caso isso venha acontecer, Pudim teria todo o apoio dele para disputar a Prefeitura no ano que vem".

O governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), em conversas reservadas, também já avisou que gostaria de ver Pudim no PMDB.

Na última quinta-feira (25), ao lado do deputado estadual Papinha, presidente do PP em Campos, Pudim bateu um papo com Gil Vianna (PR), membro do bloco "independente" e outro pré-candidato à Prefeitura. Para bom entendedor, essas articulações dizem muito sobre o cenário político da planície.

Pudim já entrou duas vezes na disputa pela Prefeitura de Campos: em 2004 e na eleição suplementar de 2006. Na duas vezes venceu no primeiro turno e foi derrotado no segundo. Primeiro para Carlos Alberto Campista e depois para Alexandre Mocaiber. De lá pra cá, Pudim foi deputado federal e está em seu segundo mandato na Alerj. Em abril, ele comentou sobre a possibilidade. “Acredito que tenho os requisitos para entrar na disputa. Estou vivendo o melhor momento de maturidade política da minha vida. Avancei muito e aprendi muito nos últimos anos”, frisou.

Comentar
Compartilhe
Deu no "Extra"
08/06/2015 | 12h22
[caption id="attachment_33661" align="aligncenter" width="422"] Reprodução/Berenice Seara - Extra [/caption]
Comentar
Compartilhe
Em tempos de crise, Prefeitura aluga trios elétricos, vans e caminhões para eventos
03/06/2015 | 10h20

Como diz aquela música do grupo Fundo de Quintal, "o show tem que continuar".

Se por um lado a Prefeitura resolveu adiar o Carnaval fora de época e deixar os carnavalescos com prejuízos, por outro o governo prevê a realização de eventos e começa a se preparar. 

Foram publicados no Diário Oficial desta quarta-feira (03) diversos contratos firmados com empresas que auxiliam a realização de eventos, como Afonson (trios elétricos), Alves Empreendimentos (caminhão Baú para transportar equipamentos), J. Gete Locações e Transportes (van com 15 lugares para eventos culturais e artísticos) e Rio Brasil Eventos e Produções Artísticas (carga e descarga de cenários).

Somando todos os alugueis, o "pacote" saiu por R$ 150 mil.

Em março, a Prefeitura gastou R$ 180 mil com trio elétrico e buffet (aqui).

Comentar
Compartilhe
Ninguém sabe, ninguém viu
12/06/2015 | 11h10

O vereador José Carlos (PSDC), que em outubro do ano passado se declarou oposicionista (aqui), não participou da polêmica sessão que sacramentou a segunda parte da "venda" dos royalties. Em uma votação apertada, cada voto faz muita diferença e, nessas horas, sumiços geram as mais variadas especulações.

Galinha do Papinha - Em 2010, o então vereador Vieira Reis (PRB) não compareceu a uma polêmica sessão que reelegeu Nelson Nahim como presidente da Câmara. Na época, o motivo da ausência virou piada. Ele alegou ter passado mal após comer uma galinha preparada pelo então vereador Papinha (aqui). "Comi a galinha do Papinha e acabei passando mal na manhã seguinte", informou.

Será que Papinha mandou a galinha para José Carlos?

Comentar
Compartilhe
PM campista vai soltar a voz no programa do Gugu
03/06/2015 | 03h17

No último dia 28 o blog "Em Tempo", do jornalista Cilênio Tavares publicou nota (aqui) sobre o sucesso da PM na internet e destacou que ela é de Campos. O vídeo, publicado na fan page da Polícia Militar no Facebook, contou com mais de um milhão de visualizações e 40 mil compartilhamentos.

Na última segunda-feira (01) mais um vídeo foi publicado no Facebook (aqui). Dessa vez a canção escolhida foi One, da banda U2.

Comentar
Compartilhe
Dona Penha: "Não fomos eleitos para criticar, nem para abrir CPI"
23/06/2015 | 11h11

A vereadora Dona Penha (DEM) também entrou no debate sobre a abertura de CPIs.

Porém, na visão da vereadora isso não é função de vereador. "Não fomos eleitos para criticar, nem para abrir CPI. O povo não quer isso. O povo quer saber dos mil que foram demitidos e não voltaram", disse Dona Penha, que se assustou com a hora da sessão. "Já passou das 22h e estou aqui. Isso é hora de viúva estar em casa descansando. Mas estou aqui defendendo o povo", disse,  ressaltando que os vereadores ganham "R$ 13 mil para trabalhar quatro horinhas, duas vezes por semana". "O salário é muito bom. Essa Casa é de respeito, não pode virar gandaia, com agressão ao presidente".

Comentar
Compartilhe
Rafael Diniz enquadra Edson: "Levante a cabeça e honre esta cadeira"
23/06/2015 | 06h27
[caption id="attachment_34031" align="aligncenter" width="400"] Reprodução/Blog Ricardo André[/caption]

Após a manobra que aprovou o regime de urgência para a tramitação do projeto de resolução que limita o número de CPIs, o vereador Rafael Diniz (PPS) não poupou críticas ao presidente da Câmara de Campos, Edson Batista (PTB). "Esta Casa não é uma secretaria do Governo e o presidente não é secretário de Governo. Não adianta ficar de cabeça baixa, seguindo as recomendações do seu assessor jurídico. Levante a cabeça e honre esta cadeira", disparou Rafael.

Frio, como sempre, o presidente ficou em silêncio e deu prosseguimento a sessão.

Atualização às 1h10 - Abdu Neme defende Edson - Membro da Mesa Diretora da Câmara, o vereador Abdu Neme (PR), que é o primeiro secretário, saiu em defesa do presidente. "Não vou aceitar calado. Vereador não pode apontar dedo e agir com arrogância e prepotência", disse Abdu, se dirigindo ao vereador Rafael Diniz. "Desse jeito arrogante, apontando dedo e dizendo que encara qualquer um, vossa excelência não vai a lugar algum", disse Abdu.

Rafael: "Triste é ser submisso e fazer o que o governo manda" - Após ser apontado pelo vereador Abdu Neme como "arrogante", o vereador Rafael Diniz usou a tribuna e disparou, olhando para o governista. "Se apontar dedo, vou apontar de volta. Respeito vossa excelência e seus filhos, mas se falar, vai ter resposta. Quem me conhece pode julgar se sou arrogante. Mas uma coisa é certa. Antes arrogante do que submisso. Triste mesmo é ser submisso e fazer o que o governo manda", alfinetou Rafael.

Comentar
Compartilhe
Lula ataca petistas: "Hoje a gente só pensa em cargo"
22/06/2015 | 03h40

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu uma mudança no Partido dos Trabalhadores (PT) durante seminário nesta segunda-feira, em São Paulo. Segundo Lula, é preciso fazer uma revolução no partido e colocar pessoas mais jovens no PT. No sábado, O GLOBO informou que o ex-presidente, em tom de desabafo, criticou duramente a presidente Dilma Rousseff em reunião no instituto que leva o seu nome. Para Lula, “Dilma está no volume morto, o PT está abaixo do volume morto” e ele próprio está no volume morto. "Eu acho que o PT perdeu um pouco a utopia. Eu lembro como é que a gente acreditava nos sonhos, como a gente chorava quando a gente mesmo falava, tal era a crença. Hoje nós precisamos construir isso porque hoje a gente só pensa em cargo, a gente só pensa em emprego, a gente só pensa em ser eleito e ninguém hoje mais trabalha de graça", disse Lula nesta segunda-feira.

O ex-presidente também ressaltou a necessidade de construir uma nova utopia e promover uma “revolução interna” no PT. "Tenho 69 anos, já estou falando as mesmas coisas que falava em 1980. Fico pensando se não está na hora de fazer uma revolução neste partido, uma revolução interna, colocar gente nova, mais ousada, com mais coragem. Temos que decidir se nós queremos salvar a nossa pele e os nossos cargos, ou queremos salvar nosso projeto. E acho que nós precisamos criar um novo projeto de organização partidária nesse país", afirmou. Lula participou da conferência “Novos desafios da democracia”, seguida de debate com o ex-presidente do Governo da Espanha, Felipe González. No evento, realizado em parceria com as Fundações Friedrich Ebet e Perseu Abramo, o ex-presidente afirmou que o maior legado deixado por seu governo foi o exercício da democracia. "Nunca antes na história do Brasil o povo exerceu tanto a democracia e participou tanto das decisões do meu governo como o povo participou quando o PT chegou ao governo", disse.

Lula voltou a criticar a imprensa e acusou os veículos de comunicação de “fazer oposição pelo editorial”. Lula disse que é preciso saber usar melhor as redes sociais e a internet do que pedir entrevista.  "Aqui no Brasil nós reclamamos muito da mídia. A oposição aqui é a imprensa. Em alguns jornais, eles fazem oposição pelo editorial. Ao invés de brigar com isso, temos que melhor saber usar a internet, melhor saber usar as redes sociais", disse Lula.

Ele falou ainda da regulação da mídia. "O Brasil está defasado. A regulação é de 1962, no tempo que ligar do Rio Grande do Sul para Brasília, segundo o Brizola (Leonel Brizola), levava seis horas. Não tinha nem fax. E na era da TV Digital, ainda tem nove famílias que controlam toda a comunicação do país", declarou Lula.

Fonte: O Globo 
Comentar
Compartilhe
Se bater, vai levar
10/06/2015 | 03h41

O secretário de Governo Anthony Garotinho (PR) pode até obter uma vitória durante a sessão desta quarta-feira (10), com a aprovação do "cheque especial" em torno de R$ 1 bilhão. Porém, os cinco vereadores que foram "cutucados" e apontados como autores de uma "manobra", devem reagir e mostrar as garras. O grupo pode propor, nos próximos dias, ao lado da oposição, uma CPI do Rombo, com o objetivo de apurar o prejuízo de R$ 109 milhões, apontado por uma auditoria. Com o apoio da oposição, as assinaturas necessárias para abrir a CPI já estão garantidas.

Coisas da política - Veja como a política é dinâmica. Em junho de 2014 o líder rosáceo liderava as pesquisas e encarava um grupo formado por Pezão, Cabral, Picciani e Eduardo Cunha. Agora, um ano depois, é ameaçado por rebeldes rosáceos e corre risco de se machucar.

Em maio, o blog publicou nota  (aqui) e avisou que o líder ia pagar caro pela falta de oxigenação do grupo e por ter montado uma máquina com o auxílio de tropas mercenárias.

Comentar
Compartilhe
SJB: Prefeitura prevê pequena queda na arrecadação para 2016
01/06/2015 | 05h24

A Câmara de São João da Barra vai realizar no próximo dia 9, a partir das 17h, uma audiência pública para discutir o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2016. A matéria encontra-se nas Comissões de Justiça e Redação e de Finanças e Orçamento para receber os pareceres. A previsão orçamentária para o próximo ano é de R$ 451 milhões. Toda a população está convidada a participar. Técnicos da Prefeitura estarão na audiência para apresentar o projeto e tirar possíveis dúvidas do público e dos vereadores.

Queda - No ano passado a Prefeitura de SJB previu um orçamento de R$ 470 milhões para este ano. Ou seja, mesmo com a crise, a Prefeitura de São João da Barra não acredita em perdas muito grandes para o próximo ano. A previsão é de uma queda de cerca de 4% em relação ao orçamento deste ano.

A LDO visa definir as diretrizes para a elaboração da Lei Orçamentária Anual (LOA). Estão entre as metas e prioridades da Prefeitura para o exercício financeiro de 2016: cobertura de quadras esportivas no valor de R$ 2,3 milhões, pavimentação asfáltica com drenagem em diversas localidades (R$ 2 milhões), urbanização de diversas localidades (R$ 9,4 milhões), obras e instalações em cemitérios (R$ 500 mil), obras e instalações de rede de águas pluviais (R$ 2 milhões), instalações de manutenção de rede coletora de esgoto no valor de R$ 3 milhões.

O blog do jornalista Arnaldo Neto publicou nota sobre a audiência pública: aqui 

Comentar
Compartilhe
Wladimir rebate Magal: "Siga seu rumo, mas não minta"
25/06/2015 | 04h35

O ex-presidente do PR em Campos, Wladimir Garotinho, comentou nesta quinta-feira (25) sobre o desabafo do vereador Jorge Magal (PR), que durante a sessão de ontem disparou: "Wladimir e Thiago Virgílio armaram um golpe para derrubar Hirano na disputa pela presidência da Câmara" (aqui).

Segundo Wladimir, Magal estava "cavando uma briga há muito tempo". "Ele anda revoltado desde a eleição de 2012, quando todos achavam que seria o mais votado e quase ficou de fora, sendo eleito na sobra. Quem acompanha os bastidores já havia notado que ele estava cavando essa briga faz muito tempo. Que siga o rumo dele, mas não pode pegar mentira", diz Wladimir.

Ainda de acordo com Wladimir, em momento algum ele e Thiago Virgílio armaram um golpe. "Na época em que se discutia a eleição da Mesa, fui chamado para uma reunião e descobri que um grupo não queria eleger Paulo Hirano, que tinha um acordo com o meu pai. Possuo uma boa relação com alguns vereadores e tentei intervir. Quando estava conversando com o vereador Thiago Virgílio, Gil Vianna ligou e pude ouvir qual era o plano dele. Tanto ele, como Magal, queriam assumir a presidência para dar um golpe no governo. Gil, por exemplo, dizia na ligação que desejava tomar a Câmara, que era o momento. Eu simplesmente entrei, articulei a candidatura de Genásio para enfraquecer essa corrente, e Dr. Edson acabou vencendo a eleição. Em momento algum conspirei contra o vereador Paulo Hirano. Minha articulação foi para ajudar a manter a Câmara ao lado do governo, evitando que um grupo assumisse a Casa para fazer jogo, ou se vingar por alguma frustração eleitoral", frisou Wladimir.

Thiago promete "revelações bombásticas" - Tudo indica que na próxima semana a Câmara vai contar com mais um round entre rosáceos e ex-rosáceos. “Na próxima sessão vou revelar muitos detalhes dos bastidores não só da eleição da Mesa Diretora, mas também dessa votação da antecipação de receitas. Teve vereador que procurou empreiteiro, teve pedido de partido "independente" por pasta na Prefeitura e também por recursos. Já falaram muito, agora chegou a vez de ouvir”, avisou o "pit bull rosáceo".

Comentar
Compartilhe
Hora de aceitar a realidade
29/06/2015 | 01h17

Oficialmente os rosáceos vão atacar o instituto Pro4 para tentar desqualificar a pesquisa divulgada ontem (28) pela Folha. Porém, internamente, eles sabem que o governo Rosinha vive o seu pior momento. Falta dinheiro, comprometimento, aliados pularam do barco, áreas essenciais vão mal e existe uma grande dificuldade para elaborar uma agenda positiva. Ao mesmo tempo, os principais articuladores rosáceos sabem que nem tudo está perdido. Em 2014 o governador Sérgio Cabral (PMDB) tinha uma rejeição recorde e, mesmo assim, o seu candidato (Pezão) venceu a eleição.

Mal acostumados - O líder rosáceo sabe que é hora de aparar arestas e fazer política, mas esbarra em um sério problema. Nos últimos anos o seu grupo se acostumou a atuar em tempos de "vacas gordas". Agora, com a "vaca" indo para o brejo, falta aos aliados criatividade, competência e disposição para fazer política sem recursos. Isso sem falar nos eleitores, que ficaram bem "viciados".

Leão solitário - É inegável a habilidade do ex-governador Anthony Garotinho (PR) para atuar na selva política. O problema é que ele se tornou um "leão solitário". Enquanto os outros “leões” cultivaram parcerias e caçaram em grupo, Garotinho quis ser "rei". Julgou, condenou e arrumou briga com os mais variados "animais". Agora, de volta a sua terra natal, já com a "juba" branca, anda de um lado para o outro sem proteção e já não se "alimenta" tão bem como antes. Se ficar fraco e desidratado, pode virar uma presa fácil. E sabe quem serão os primeiros a atacá-lo? As hienas e urubus que andavam ao lado dele.

Comentar
Compartilhe
Edson Batista: "Ser chamado de Fidel Castro foi uma honra"
11/06/2015 | 10h36

O vereador Edson Batista (PTB), presidente da Câmara de Campos, participou na manhã desta quinta-feira (11) do programa de rádio comandado pelo secretário de Governo, Anthony Garotinho (PR), na Educativa FM. Indagado sobre a sua frieza durante a sessão de ontem (10), mesmo após ser chamado de ditador e Fidel Castro, Batista: "Sou cirurgião, não tomo decisões precipitas e sei manter a calma. Não fiquei nervoso ao ser chamado de Fidel Castro. Na verdade, foi uma grande honra, uma homenagem. O que não gostaria é de ser chamado de José Dirceu", afirmou.

O chefe gostou - Segundo Garotinho, a postura de Edson durante a sessão merece elogios. "São nessas horas que a gente vê as virtudes das pessoas", afirmou.

Protestos - Para os vereadores da oposição e os ex-aliados do governo, a posição de Edson durante a sessão foi "vergonhosa". "Ele agiu o tempo todo como um ditador. Rasgou o regimento da Casa, cortou a palavra dos vereadores e deixou o interesse do seu líder falar mais alto do que os interesses da população", diz o vereador Dayvison Miranda (PRB).

Comentar
Compartilhe
Rosinha publica "pacotão de nomeações"
16/06/2015 | 09h45

Duas semanas após exonerar os aliados que ocupavam cargos comissionados, a prefeita Rosinha Garotinho (PR) começa a montar novamente o seu time, com a publicação de um "pacotão de nomeações". No Diário Oficial desta terça-feira (16) é possível acompanhar nomeações de integrantes dos mais variados cargos. DAS 1, DAS 2, DAS 3, DAS 4 e DAS 7. Ao todo, foram mais de 60 nomeações. Veja no D.O.: aqui . Ontem (15), a prefeita já havia nomeado mais de 80 aliados.

Entre as principais mudanças está a exoneração de Thiago Ferrugem da presidência da Fundação Municipal da Infância e Juventude (FMIJ). Quem assume o comando da FMIJ é  Rodrigo Nogueira de Carvalho, que era assessor especial da mesma Fundação.

Thiago Ferrugem agora responde apenas pela secretaria Municipal de Desenvolvimento Humano e Social, cargo que ele assumiu após a saída do médico Geraldo Venâncio, que agora é presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS).

Nesta etapa a prefeita nomeou aliados para as secretarias de Desenvolvimento Humano e Social, Controle Orçamentário e Auditoria, Desenvolvimento Econômico, Saúde, Infraestrutura e Educação.

Comentar
Compartilhe
Clarissa divulga lista e coloca Feijó no "fogo"
26/06/2015 | 01h12

Em política não tem essa história de aliviar o amigo. Quando o desejo de se destacar é grande, pouco importa a necessidade de colocar um companheiro no "fogo".

Nesta sexta-feira (26) a deputada federal Clarissa Garotinho (PR) voltou a comentar sobre a votação da emenda que  garante a todas as aposentadorias o mesmo índice de aumento do salário mínimo. Em sua página no Facebook, a filha do casal Garotinho divulgou uma lista com os parlamentares do estado do Rio que votaram contra os aposentados. E quem aparece na lista? Feijó, seu companheiro de partido.

Canibalismo - Aos poucos, a "nova geração" do grupo rosáceo começa a tentar engolir os nomes mais experientes que são ligados ao ex-governador Garotinho. A ideia é minar as forças da "velha guarda" e fortalecer novos nomes já nas eleições de 2016 e 20018. Se em Brasília Clarissa já "cutuca" Feijó, no Rio existe uma queda de braço entre Wladimir e Pudim.

Ação e reação - Mas engana-se quem pensa que a "velha guarda" vai aceitar em silêncio. Políticos experientes do grupo já estão dialogando com outras correntes e prometem duelar com a nova geração.

Comentar
Compartilhe
Líder reúne "rolo compressor"
08/06/2015 | 04h50

O secretário de Governo Anthony Garotinho (PR) participa neste momento de uma reunião na sala da presidência da Câmara de Campos com os membros do "rolo compressor" rosáceo. Entre os temas em debate deve estar o projeto que permite a antecipação de receitas, apontado pela oposição como a segunda parte da "venda" dos royalties. Dessa vez, o governo deve obter um empréstimo na casa de R$ 1,2 bilhão.

Nos corredores da Câmara teve vereador que se surpreendeu ao notar que os dois parlamentares do PRB (Dayvison e Tô Contigo) foram convidados e participam da reunião.

Como precisa de 17 votos para aprovar a antecipação dos royalties, o líder rosáceo não quer correr riscos.

Porém, tem vereador que vai aproveitar o encontro para lembrar promessas antigas que não teriam sido cumpridas. Como diz aquela velha máxima: "Quem deseja rir, tem que fazer rir".

Comentar
Compartilhe
Carnavalescos levaram calote: quem tem culpa?
06/06/2015 | 11h42
[caption id="attachment_33642" align="aligncenter" width="512"] Cepop, que custou R$ 100 milhões, não vai ter samba em 2015[/caption]

Neste sábado (06) o blog foi informado sobre uma reunião do líder rosáceo com um grupo de carnavalescos. Sem dinheiro para realizar a festa, o nosso sábio Garotinho teve uma ideia. Resolveu incitar os carnavalescos contra os setores da imprensa que não rezam a cartilha rosácea. Sem pensar nas consequências e disposto a usar os carnavalescos como massa de manobra, ele teria estimulado até uma manifestação.

Em contato com o blog, alguns carnavalescos me pediram para tomar cuidado.  Mas afinal, quem tem motivos para se preocupar? Foi a imprensa que detonou um Orçamento de R$ 2,5 bilhões e ainda precisou pegar um empréstimo de R$ 300 milhões no final de 2014? Foi a imprensa que fez promessas, marcou e desmarcou a folia? Foi a imprensa que torrou milhões no verão e deixou o Carnaval em segundo plano?

Fica nítido que o líder rosáceo se transformou no que ele tanto criticava no início da carreira. Um senhor grisalho, poderoso, que se acha capaz de usar e abusar da ingenuidade alheia.
O azar dele é que os tempos são outros. Antes das redes sociais e dos blogs os coronéis davam as cartas e raramente eram contestados. Mas agora é diferente. Com o auxílio da internet é possível matar a cobra, mostrar o pau e ainda colocar os links.

Afinal, será que a imprensa tem culpa pelo calote nos carnavalescos? 

Foi a imprensa que, em tempos de crise, pagou um aditivo de R$ 1,2 milhão para a Imbeg? (aqui)

Foi a imprensa que pagou um aditivo de R$ 23,5 milhões para duplicação da RJ 216? (aqui)

Foi a imprensa que gastou R$ 20,2 milhões com “despesas judiciais”? (aqui)

Foi a imprensa que, em tempos de crise,  gastou R$ 150 mil por trio elétricos, vans e caminhões para eventos? (aqui)

Foi a imprensa que, em tempos de crise, gastou R$ 180 mil com trio elétrico e buffet? (aqui).

Foi a imprensa que, em tempos de crise, pagou a Working R$ 225 mil por banheiros químicos, R$ 200 mil por obra e R$ 690 mil por “manutenção”? (aqui)

Foi a imprensa que pagou um complemento de R$ 6 milhões para a obra da Cidade da Criança? (aqui)

Foi a imprensa que pagou R$ 164 mil por Rodeio? (aqui)

Foi a imprensa que pagou R$ 233 mil por um show do Luan Santana? (aqui)

Foi a imprensa que gastou mais de meio milhão com eventos de MMA? (aqui)

Foi a imprensa que anulou verbas de projetos culturais e colocou na farra dos shows? (aqui)

Foi a imprensa que, em tempos de crise, gastou mais de R$ 1,3 milhão com shows nacionais? (aqui)

Comentar
Compartilhe
Dicas da Rosinha
22/06/2015 | 06h35
Enquanto isso, no Facebook:

 

Comentar
Compartilhe
SJB: Neco fala sobre terceirizações e aponta "manipulação"
07/06/2015 | 03h47

Na última semana a ex-prefeita de São João da Barra, Carla Machado (PT), usou seu perfil no Facebook (aqui) para criticar contratos de terceirização realizados na gestão do atual prefeito, Neco (PMDB). Segundo Carla, “acontece um show de terceirizações em SJB” e o caso “deve ser investigado pelos Ministérios Públicos Estadual, Federal e do Trabalho e pela Câmara Municipal”. A ex-prefeita cita valores de contratos com três empresas, mais uma Organização Social de Saúde (OSS) responsável pelo Centro de Emergência, que, segundo Neco e a secretária de Saúde Denise Esteves, transformará o local “praticamente em um hospital”. Carla cita as terceirizações que teriam ocorrido no ano passado e afirma que os contratos, somados, giram em torno de R$ 70 milhões.  Veja no blog do Arnaldo Neto: aqui 

Neste domingo (07), o prefeito Neco usou o Facebook para publicar uma Nota de Esclarecimento. Confira:

Nota de Esclarecimento a toda População de São João da Barra

Gostaria de informar a população de São João da Barra, que estão divulgando nas redes sociais supostamente valores contratados das terceirizações, tudo isso sendo feito para tentar manipular as pessoas e esconder a verdade. Quero deixar bem claro que desde o inicio do meu Governo, venho lutando e continuarei lutando por todos os servidores, sejam eles efetivos de modo geral ou contratos pelo regime especial.

No inicio do meu Governo tive que assinar um Termo de Compromisso de Ajustamento de Conduta - TAC firmado nos autos do Inquérito Civil nº 161/2013 do Ministério Público Estadual ao qual determinava o desligamento de todos os contratados de forma temporária (sob pena de responsabilidade e aplicação de multa pessoal diária no valor de R$ 10.000,00 reais) e estabelecia as seguintes ações:

- Que deveríamos abrir Edital de Licitação para contratação de empresa para realizar o Concurso Público para Educação, Saude e Fiscais (processo que já vinha tramitando na Prefeitura a anos e sendo protelado para cair em minha Administração);

- Contratações temporárias somente poderiam ser admitidas por processo seletivo simplificado (Lei 274/2013);

- Desligamentos dos contratados de forma temporária, e em virtude da essencialidade irrestrita e continuidade dos serviços e além de visar atender a Lei de Responsabilidade Fiscal - LRF, o Município poderia fazer contratações na área da Saude, seguindo as diretrizes traçadas pelo Estado do Rio de Janeiro na Condução da política de Saude com as Unidades de Pronto Atendimento - UPA`s com a celebração de um Contrato de Gestão com Organização Social - OS, devidamente qualificada, voltada ao gerenciamento, alocação e substituição dos recursos humanos necessários á prestação de serviços de qualidade a toda à População.

- Como também o Município poderia promover a contratação de empresa (s) para prestação dos Serviços equivalentes a atividade - meio, ou seja, fazer as TERCEIRIZAÇÕES para Vigias, Maqueiros, Auxiliar de Serviços Gerais, Serventes, Motoristas, Atendentes, Merendeiras.

Tudo isso, hoje custa três vezes mais para os cofres públicos, pois são funcionários que tem todos os seus direitos trabalhistas garantidos através da assinatura de sua Carteira de Trabalho, como também o direito ao Cartão Alimentação. E isso incomoda, pois são funcionários que nunca tiveram essa oportunidade. E agora, alguns querem a todo o custo deturpar os fatos e me criticar.

Enquanto essas pessoas que não possuem compromisso com o Povo, e não tem o que fazer a não ser atacar a Administração e ficam a todo o tempo me perseguindo e me atacando com MENTIRAS e CALÚNIAS, eu busco sempre de maneira séria, tranquila e responsável, trabalhar para a população que quer uma cidade com uma Limpeza de excelência, Iluminação Pública de qualidade, Salários dos Servidores em dia, Lutas por grandes Projetos e acima de tudo Investimentos planejados na SAUDE e EDUCAÇÃO.

O meu objetivo é Lutar pelo meu Município, é Lutar pelo meu Povo. Um abraço, Juntos Somos Mais.

Comentar
Compartilhe
Rafael Diniz: "Hospital João Viana recebe pouco e com atraso"
19/06/2015 | 05h56
Enquanto isso, nesta mesma cidade, a Prefeitura aluga trios elétricos, vans e caminhões para fazer festa: aqui
Comentar
Compartilhe
Fábio Ribeiro solicita desconto na remuneração por faltas
19/06/2015 | 01h49
O vereador Fábio Ribeiro (PR) protocolou no gabinete da presidência da Câmara de Campos um memorando solicitando desconto em sua remuneração. "Acabei de protocolar na Presidência e na Contabilidade da Câmara Municipal de Campos, memorando solicitando o devido desconto na minha remuneração, das duas sessões que não compareci, por motivo de foro íntimo", informou Fábio Ribeiro no Facebook.
Ponto Final - Esta semana, a coluna "Ponto Final", da Folha, publicou notas sobre o "sumiço coletivo" dos vereadores da bancada governista e informou que os vereadores recebem cerca de R$ 430 por dia. Sobre o caso de Fábio Ribeiro, a coluna lembrou que, durante sua atuação como secretário, ele sugeriu que fossem cortados os dias dos professores grevistas e afirmou que os salários dos educadores eram pagos pela população. Como os salários dos vereadores também são pagos pelo povo, Fábio foi coerente ao solicitar que as faltas sejam devidamente descontadas.
Fonte: Blog do Ralfe Reis 
Comentar
Compartilhe
SJB: mais um partido no "rolo compressor" de Neco
18/06/2015 | 04h01
[caption id="attachment_33906" align="aligncenter" width="461"] Prefeito fechou aliança com o PT do B - Foto de Paulo Pinheiro[/caption]

Em reunião na tarde desta quinta-feira (18), no Rio, entre o prefeito de São João da Barra, José Amaro Martins de Souza – Neco (PMDB), o vereador Kaka (PT do B) e o presidente regional do PT do B, Vinícius Cordeiro, foi sacramentado o apoio do partido para as eleições de 2016. No final de maio o blog já havia colocado o PT do B no bloco do prefeito: aqui 

A legenda se une aos seguintes partidos: PC do B, PSC, PEN, PSDB, PDT, PRB, PSDC, Solidariedade e ao próprio PMDB, que fazem parte de um "rolo compressor" articulado pelo prefeito Neco. Além disso, PP, PSB e PSD também estão com diálogo avançado. A meta é superar a marca de 2012, quando a coligação vitoriosa contou com 14 partidos.

Na última terça-feira (16), conforme foi publicado no blog do jornalista Arnaldo Neto (aqui), o prefeito Neco fechou com o PSC.

Para Kaká, que deixou a oposição e virou aliado do governo, o prefeito Neco vem demonstrando capacidade de gestão, mesmo em tempos de crise. “Estamos juntos porque acredito na atual administração. Neco já provou que é um gestor público preocupado com as questões coletivas e trabalha com responsabilidade e planejamento. Em momento de crise, onde todo o Estado está parado, Neco consegue dar reajuste salarial, pagar metade do décimo terceiro salário e ainda vai lançar um pacote de obras”, frisa.

A informação sobre o novo integrante do "rolo compressor" foi publicada no site Quotidiano.

Comentar
Compartilhe
Rosinha troca presidente do Previcampos em edição especial do D.O.
16/06/2015 | 07h16
Do blog "Eu Penso que"/Ricardo André Vasconcelos (aqui)
Uma edição suplementar do Diário Oficial passou a circular, de forma on line, no início da tarde de hoje com apenas dois atos da prefeita Rosinha Garotinho: portaria 928/2015 exonerando, a pedido, Renato Queiroz Alvarenga Martins, da presidência do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Campos dos Goytacazes e a portaria 929/2015, designando o servidor de carreira, Ricardo Pessanha Gomes, conhecido pelos funcionários mais antigos como "Ricardinho", para ocupar a vaga.
Não dava para esperar pela edição de amanhã?

 

 

Página única da edição suplementar do Diário Oficial da Prefeitura Municipal de Campos dos Goytcazes 16/06/2015

Comentar
Compartilhe
"Independentes" rebatem ameaças de Garotinho e sessão é encerrada após confusão
24/06/2015 | 07h30

No último sábado (20) o secretário de Governo, Anthony Garotinho (PR), usou o seu programa de rádio para disparar na direção dos vereadores que integram o "bloco independente" (aqui). Segundo Garotinho, os parlamentares teriam arquitetado um golpe para ficar com a presidência da Câmara no final do ano passado. Ele também afirmou que os ex-aliados iriam "pagar caro pela traição".

Hoje (24), durante a sessão da Câmara de Campos, os "independentes" resolveram encarar o ex-líder e avisaram: "se bater, vai levar". O clima esquentou tanto que o presidente da Casa resolveu encerrar a sessão.

Gil Vianna: "Não sou moleque" - Na tribuna, o vereador Gil Vianna (PR) comentou sobre declarações do secretário de Governo, Anthony  Garotinho (PR) e mandou um recado: "Não sou moleque. Tenho família. Se quiser levar para o campo político, pode levar. Se quiser ir para o lado pessoal, vamos também. O que não posso é ficar calado diante de acusações. Se bater, vai levar", avisou Gil, que foi além: "Nunca fui traidor. Estou muito tranquilo e votei consciente contra o empréstimo. Disseram que vamos pagar caro. O que tentou dizer com isso?", indagou Gil.

Magal: "Golpe na Câmara foi articulado por Wladimir e Thiago Virgílio"  - Quem também desabafou foi o vereador Jorge Magal (PR). Segundo o ex-aliado do governo, em momento algum os "independentes" tentaram armar um golpe. Querem saber a verdade? O golpe foi articulado por Wladimir e Thiago Virgílio. Não quero envolver mais gente, mas se perguntar a vereadora Cecília quem ligou, ela vai falar. O candidato de Garotinho era o vereador Paulo Hirano. Wladimir tentou montar um bloco. E agora quer dizer que eu fiz alguma coisa? Foi o filho de Garotinho que derrubou Paulo Hirano. Havia um compromisso. Retirar a candidatura de deputado estadual e ele seria presidente da Câmara. Mas passaram por cima disso", afirmou Magal.

Magal também avisou que está disposto a encontrar com o ex-líder para "responder qualquer coisa". "Me coloco a disposição para participar daquele programa que é uma entrevista combinada. Estou me oferecendo para explicar. Posso participar no próximo sábado. Posso sentar lá e responder qualquer pergunta que o secretário de Governo queira fazer. O que perguntar, respondo", enfatizou.

Albertinho: "Muita gente vai chorar na cama" - Já o vereador Albertinho usou a tribuna para rebater uma matéria publicada pelo jornal "O Diário". De acordo com a reportagem, ele teria pedido para um ex-funcionário da Câmara pegar um empréstimo. "Em hora algum eu atestei empréstimo para este cidadão. Como é de praxe, esse jornal só joga para um lado. Tenta denegrir a imagem. É o que Garotinho gosta de fazer: denegrir. Mas vou ao Rio levar uma série de documentos e vamos ver quem é que está devendo. Muita gente vai chorar na cama", disse o ex-aliado do governo. Segundo Albertinho, "Garotinho deve ter perdido a humildade". "Ele diz que me tirou da lama. Mas não se lembra de uma época em que o Natal da casa dele estava vazio, porque estava todo mundo com Arnaldo, e me pediram para levar duas vans de Guarus com o povo carente. Fui com meu chinelo e chamei as pessoas. Ele também deve se esquecer da época que montei os caixotes para ele em Guarus. Eu continuo humilde, mas ele deve ter perdido a humildade", completou.

Genásio aponta retaliação e pede: "Batam em mim" - Quem também desabafou na tribuna foi o vereador Genásio. "Um rapaz trabalhador, que foi nomeado, sofreu uma retaliação após a minha postura aqui na Câmara, quando votei contra o empréstimo. Fizeram ele escolher entre o meu partido, o PSC, e o governo. Quem abordou foi o Jorge Rangel. Ele optou por ficar ao meu lado. Mas avise a prefeita (olhando para Mauro Silva) que fizeram isso com um rapaz de bem, que tem um filho cadeirante. Uma grande covardia. Não me curvo e as pessoas que trabalham comigo também não se curvam. Mas se quiser resolver alguma diferença, que venham falar comigo. Meus princípios não serão vendidos", disparou.

Sessão encerrada - Após ser citado pelo vereador Magal como "articulador do golpe", o vereador Thiago Virgílio foi ao microfone para rebater, mas o clima esquentou. De longe, Magal respondeu e passou a bater boca com o vereador Neném (PTB), que gritava: "Deixe ele (Thiago) falar, deixe falar". Neste momento guardas municipais entraram no plenário para evitar uma confusão maior e o presidente da Casa, Edson Batista (PTB), encerrou os trabalhos.

Em contato como blog, Thiago prometeu rebater. “Na próxima sessão vou mostrar revelar detalhes dos bastidores não só da eleição da Mesa, mas dessa votação do empréstimo. Teve vereador que procurou empreiteiro, teve pedido por pasta na Prefeitura e também por recursos”, avisou.

Comentar
Compartilhe
Ocorreu a extinção de cargos públicos efetivos na Câmara de Campos?
25/06/2015 | 10h54
Do blog "Campos em Debate"/Cleber Tinoco (aqui)
Um dos motivos alegados pelo atual Presidente da Câmara Municipal – Dr. Edson Batista – para não convocar os aprovados no concurso de 2012 é de que os cargos teriam sido extintos.  As vagas anunciadas foram para os cargos previstos na Lei nº 7.949, de 21 de novembro de 2007, com a redação dada pela Lei nº 8.263, de 25 de novembro de 2011, que alterou a nomenclatura e criou alguns cargos, estabelecendo a nova estrutura do plano de cargos e carreiras da Câmara:

A lei, como se percebe, discriminou as vagas disponíveis, ensejando a abertura de concurso público para que pudessem ser preenchidas.

Sucede que sobreveio a Lei nº 8.486, de 29 de outubro de 2013, cujo art. 44 revogou expressamente a Lei n.º 7.949/2007: “Art. 44 - Esta Lei revoga a Lei nº 7.949, de 21 de novembro de 2007 e seus anexos, bem como o Decreto Legislativo nº 398 de 26 de março de 2008.”

Da interpretação isolada do dispositivo acima, especialmente da expressão“esta lei revoga a Lei n.º 7.949...”, passou a Presidência da Câmara a sustentar que os cargos efetivos foram extintos e, por isso, estaria impedida de convocar os aprovados.

A revogação de uma lei por outra, vale lembrar, pode ser parcial (derrogação) ou total (ab-rogação).

Sobre o tema, ensina CARLOS MAXIMILIANO que: “Quando cessa em parte a autoridade da lei, ou do costume, dá-se aderrogação; quando se extingue totalmente, é o caso de ab-rogação. Um termo genérico – revogação abrange uma e outra hipótese.”(Hermêutica e Aplicação do Direito, 19ª ed., Forense, p. 291).

Dada a falta de clareza da norma quanto à extensão da revogação, não se pode presumir que tenha ocorrido a revogação total, aliás, como adverte o próprio CARLOS MAXIMILIANO, a ab-rogação(revogação total da lei) “precisa ser provada com argumentos sólidos”. Ou seja, milita em favor da Lei n.º 7.949/2007 a presunção de vigência parcial, cujo afastamento impõe demonstração de incompatibilidade absoluta e formal com Lei n.º 8.486/2013.

Sem embargo desse ônus probatório, a confrontação dos referidos diplomas permite inferir que os cargos efetivos previstos na Lei n.º 7.949/2007 foram mantidos.

Com efeito, se tivesse havido a revogação total e, com isso, a extinção dos cargos efetivos, teríamos que admitir que todos os cargos atualmente ocupados pelos servidores de carreira teriam sido extintos. Algo impensável, absurdo, que conduziria a um quadro de inconstitucionalidade, onde só existiriam cargos comissionados na Câmara e todos os atuais ocupantes seriam postos em disponibilidade, conforme previsão do art. 28, do Estatuto dos Funcionários Públicos do Município de Campos: “Art. 28 - Extinto o cargo ou declarada a sua desnecessidade, o servidor estável ficará em disponibilidade remunerada, até seu adequado aproveitamento em outro cargo.”

Evidentemente, fosse esse o desejo da lei, haveria ela de disciplinar esta situação, esclarecendo os motivos para a extinção dos cargos. Não foi essa a intenção da lei, tanto que os atuais ocupantes continuam no quadro permanente de pessoal da Câmara, cuja página na internet, inclusive, divulga a listagem nominal dos servidores e seus respectivos cargos e vencimentos. Note-se, a propósito, que tais cargos têm a mesma denominação daqueles oferecidos no concurso, denotando, assim, que nem os cargos ocupados, nem os vagos foram extintos.

Desse modo, a tese de que os cargos foram extintos evidencia contradições insolúveis e, portanto, o não atendimento do interesse público (desvio de finalidade).

Comentar
Compartilhe
Para aprovar "cheque especial", governo envia Fábio Ribeiro à Câmara
10/06/2015 | 05h29

A prefeita Rosinha Garotinho (PR) publicou, online, uma edição extraordinária do Diário Oficial com a exoneração do secretário de Gestão e Contratos, Fábio Ribeiro (PR). Com a manobra, Fábio volta à Câmara e Kellinho assume a cadeira do vereador Paulo Hirano (PR), que teria enviado, nesta quarta-feira (10), um requerimento solicitando licença do mandato para tratar de "assuntos particulares". A meta do governo com a articulação é obter 13 votos para aprovar o "cheque especial" de R$ 1 bilhão, que compromete receitas futuras.

O requerimento de Hirano gerou polêmica, já que uma licença médica de 90 dias havia sido aprovada em abril e teria validade até julho. "Estão rasgando o regimento desta Casa. É uma vergonha, já que a licença médica seria encerrada em julho. Isso tudo vai ser questionado na Justiça. Com ele troca uma licença médica de 90 dias por uma outra para assuntos particulares, de 30 dias?", disse Fred Machado (SD).

Na tribuna, o vereador Alexandre Tadeu (PRB) disse que o requerimento não partiu de Hirano. "Sabemos o que o vereador Paulo Hirano está passando e ele nos disse que voltaria ao Legislativo após o recesso de julho. Isso não partiu do vereador", disse Tadeu.

Segundo Magal, o requerimento de Hirano "é muito estranho". "Ele está se tratando fora do país e conversamos hoje. Ele disse que jamais faria isso. Não estou entendendo nada. Essa sessão está uma bagunça, sem assinatura no livro de presença, sem presença eletrônica no painel", afirmou Magal.

O vereador Marcão (PT) protestou: "Como podemos aprovar a licença de um vereador que já está licenciado. É um absurdo. O que está havendo é uma manobra para permitir a presença de um secretário, uma linha auxiliar para interferir nos trabalhos do Legislativo. O painel não estava com defeito. O que não tinha era o nome de Fábio Ribeiro.

Porém, na visão do líder do governo, vereador Mauro Silva (PT do B), não existe nada ilegal. "Não existe nada ilegal. Quem quiser pode acessar o Diário Oficial online. Não adianta tentar confundir a opinião pública. Dr. Paulo Hirano entrou com uma licença para assuntos particulares. Estamos na era da informática. Ele fez tudo por e-mail. É legítimo e esta Casa é soberana. Quem tem maioria vota", disse Mauro, para o delírio da "claque", que gritou: "Chupa, oposição".

Rafael Diniz: "Haja rivotril para o líder" - Segundo Rafael, a manobra mostra a cara do governo. "Fazem de tudo para conseguir alcançar os objetivos. Esse líder está completamente desesperado. Haja rivotril para o líder. Um grupo que está aqui hoje aplaudindo, vai ver o que foi reservado para o futuro. Desperdiçaram milhões e agora querem vender o futuro dos nossos filhos e netos", disse Rafael.

Albertinho: "Armaram para tirar o mandato de Hirano" - Na tribuna, o vereador Albertinho revelou que membros do grupo estariam armando para tirar o mandato de Hirano. "Queriam colocar um suplente na marra e um grupo protegeu o Dr. Paulo Hirano. Nós fomos firmes para ajudá-lo e agora nos deparamos com esse requerimento. É uma vergonha", disse.

O blog "Na Curva do Rio", da jornalista Suzy Monteiro, publicou nota sobre o "retorno relâmpago" de Fábio Ribeiro: aqui 

Atualização às 19h15 - Mesmo sem os votos de seis integrantes, o "rolo compressor" rejeitou a emenda modificativa do vereador Marcão, que pretendia exigir o pagamento de todas as parcelas até o fim de 2016, quando o mandato chega ao fim. "Não queremos barrar a alienação de ativos. O que temos é responsabilidade e desejamos preservar as futuras gestões. Não podemos deixar que este governo inviabilize futuras gestões. Pode ser que as gestões futuras sejam prejudicadas. O mandato é até 31 de dezembro de 2016. Não podemos comprometer o futuro do município", disse Marcão.

Porém, a bancada governista rejeitou. "O valor não pode comprometer 10% dos royalties e participações especiais. Não fere a Lei de Responsabilidade Social. São palavras difíceis para confundir a opinião pública. Senadores do PT aprovaram, o senador Crivella, do PRB, aprovou, e a senadora Rose, do PMDB, também. Essa emenda é para tirar o brilho da articulação que salva municípios e estados", disse Mauro Silva.

Fábio bate boca com Marcão - Disposto a defender o governo com unhas e dentes, o vereador Fábio Ribeiro usou a tribuna para atacar o PT. "Tem gente que fala em responsabilidade fiscal e defende o governo do PT, que não tem responsabilidade alguma", disse. Neste momento, ele foi aplaudido, de forma irônica, pelo vereador Marcão. Foi o bastante para gerar um bate boca. "Não tenho medo, sou tão vereador quanto vossa excelência. Não vai me intimidar. Quero respeito", disse Fábio, visivelmente irritado. Por sua vez, Marcão rebatia: "Respeito? Quer respeito? Então se dê ao respeito".

Daqui a pouco, mais informações.

Comentar
Compartilhe
Ministro defende Lula e cita Jesus
26/06/2015 | 09h44

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, fez coro na noite desta quinta-feira em São Paulo com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que defendeu esta semana uma revolução e renovação no PT. Após encontro com movimentos sociais do campo, do qual também participou o ministro Miguel Rossetto, da Secretaria Geral da Presidência da República, Patrus comparou o momento necessário de mudança na legenda à encíclica divulgada na última semana pelo papa Francisco, conclamando por renovação da Igreja. "O Partido dos Trabalhadores tem um saldo muito positivo. Temos uma história de conquistas no Brasil e tenho muito orgulho dos meus 35 anos de militância. Eu penso que agora, 35 anos depois, precisamos rever, sim. Acho um momento de reflexão. Todos nós seres humanos e nossas instituições precisamos permanentemente sacudir a poeira", ressaltou o ministro do Desenvolvimento Agrário.

Ao dizer que não faria comentários sobre as declarações de Lula, por respeito e amizade ao ex-presidente, Patrus citou Jesus Cristo numa reflexão sobre poder e dinheiro. "O PT tem uma militância histórica, bonita, generosa. Nós sabemos que o poder, principalmente o poder político, o poder econômico, os dois juntos são perigosos. Jesus de Nazaré, que sabia muito bem das coisas, chamou a atenção para isso. As duas grandes tentações humanas estão no dinheiro, no poder econômico, e também no poder político quando ele disse: 'quem quiser ser o maior, que seja o menor e o servo de todos'. Uma instituição milenar como a Igreja, já que estamos falando de Jesus, de dois mil anos, um homem como o papa Francisco está dando um novo alento e novos horizontes a essa instituição", afirmou.

Fonte: O Globo 

Comentar
Compartilhe
CPI: "rolo compressor" manobra para mudar regra e gera tumulto
23/06/2015 | 05h52

Como este blog informou mais cedo, a trupe rosácea estava disposta a fazer malabarismo com o regimento da Casa com o intuito de evitar uma investigação séria sobre o “rombo” de R$ 109 milhões (aqui). Agora, durante a sessão, foi debatido um projeto de resolução, assinado pelos vereadores governistas, com o objetivo de impedir que mais de duas Comissões Parlamentares de Inquérito (CPI) sejam abertas. A manobra irritou a bancada de oposição e gerou tumulto na Câmara.

Durante a fala do vereador José Carlos (PSDC), que protestava contra o projeto, alguém gritou na plateia: "Vereador de merda". Após a agressão, o vereador José Carlos cobrou uma postura firme do presidente da Casa, Edson Batista (PTB). "Não vou aceitar calado", disse José Carlos.

Visivelmente irritado, o vereador Marcão (PT) desabafou: "Quem chamou o vereador de merda é porque defende um governo de merda", disparou o petista, que pediu a retirada do projeto da pauta. "Precisamos de mais tempo para analisar esse projeto, que chegou na hora da sessão. Ninguém conseguiu nem ler o projeto", afirmou.

Thiago dá "dica" - Durante o tumulto, o vereador Thiago Virgílio (PTC) sugeriu, baixinho, ao presidente: "Ameace encerrar a sessão que todo mundo vai parar de gritar".

"Já começou a bagunça" - Ao ver a reação da plateia, que aplaudia e vaiava, o vereador Abdu Neme (PR) resmungou: "Ih, já começou a bagunça".

"Temos muitas CPIs protocoladas" - Confirmando uma manobra que havia sido adiantada pela coluna "Ponto Final", o presidente da Câmara, Edson Batista informou que já existem muitas CPIs protocoladas na Casa. Com a movimentação, a CPI do Rombo fica em último lugar da fila, como já havia dito o vereador Thiago Virgílio no Facebook.

Dona Penha: “Não fomos eleitos para criticar, nem para abrir CPI”: aqui 

Neymar ganha moção de aplausos: aqui 

Rafael Diniz enquadra Edson: “Levante a cabeça e honre esta cadeira”: aqui 

Comentar
Compartilhe
SJB: mais um partido no "rolo compressor" de Neco
18/06/2015 | 04h01
[caption id="attachment_33906" align="aligncenter" width="461"] Prefeito fechou aliança com o PT do B - Foto de Paulo Pinheiro[/caption]

Em reunião na tarde desta quinta-feira (18), no Rio, entre o prefeito de São João da Barra, José Amaro Martins de Souza – Neco (PMDB), o vereador Kaka (PT do B) e o presidente regional do PT do B, Vinícius Cordeiro, foi sacramentado o apoio do partido para as eleições de 2016. No final de maio o blog já havia colocado o PT do B no bloco do prefeito: aqui 

A legenda se une aos seguintes partidos: PC do B, PSC, PEN, PSDB, PDT, PRB, PSDC, Solidariedade e ao próprio PMDB, que fazem parte de um "rolo compressor" articulado pelo prefeito Neco. Além disso, PP, PSB e PSD também estão com diálogo avançado. A meta é superar a marca de 2012, quando a coligação vitoriosa contou com 14 partidos.

Na última terça-feira (16), conforme foi publicado no blog do jornalista Arnaldo Neto (aqui), o prefeito Neco fechou com o PSC.

Para Kaká, que deixou a oposição e virou aliado do governo, o prefeito Neco vem demonstrando capacidade de gestão, mesmo em tempos de crise. “Estamos juntos porque acredito na atual administração. Neco já provou que é um gestor público preocupado com as questões coletivas e trabalha com responsabilidade e planejamento. Em momento de crise, onde todo o Estado está parado, Neco consegue dar reajuste salarial, pagar metade do décimo terceiro salário e ainda vai lançar um pacote de obras”, frisa.

A informação sobre o novo integrante do "rolo compressor" foi publicada no site Quotidiano.

Comentar
Compartilhe
Políticos apoiam casamento gay
26/06/2015 | 11h54

A presidente Dilma Rousseff, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o o governador do estado do Rio, Luiz Fernando Pezão, postaram nesta sexta-feira (26) em seus perfis nas redes sociais fotos com as cores do arco-íris após a Suprema Corte dos Estados Unidos liberar o casamento gay em todo o país. Além deles, outros políticos como o senador Lindberg Farias (PT), o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ), o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL) e o secretário de Direitos Humanos de São Paulo, Eduardo Suplicy, alteraram as fotos de suas páginas.

Nesta sexta, a Suprema Corte do país legalizou o casamento entre pessoas do mesmo sexo em todo o país. Os 13 estados que ainda proibiam não podem mais barrar os casamentos entre homossexuais, que passam a ser legalizados em todos os 50 estados americanos. A decisão veio por cinco votos contra quatro. O casamento tem sido uma instituição central na sociedade desde os tempos antigos, afirmou o tribunal, "mas ele não está isolado das evoluções no direito e na sociedade".

Após a aprovação pela Suprema Corte, o Facebook disponibilizou ferramenta na qual o usuário da rede social pode alterar a foto de seu perfil e utilizar as cores do arco-íris. O fundador da página, Mark Zuckerberg, também atualizou a foto de sua página.

Ao comentar a decisão, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou que liberar o casamento gay no país foi "vitória para a América". Em um pronunciamento poucas horas depois do anúncio da aprovação, ele disse também que a decisão histórica oferecerá a todos os americanos a dignidade de poder ter um casamento.

Fonte: G1

Comentar
Compartilhe
Campos: passivo milionário e “juros” de R$ 300 milhões/ano
15/06/2015 | 01h44

Em seu perfil no Facebook, o economista Ranulfo Vidigal comentou sobre a situação financeira da Prefeitura de Campos. “Com base nos dados contábeis publicados pelo poder público de Campos - relativos ao período janeiro/ abril de 2015, o passivo de curto prazo que envolve atrasos com fornecedores e empreiteiras atingia quase R$ 165 milhões em fins de abril último. Considerando-se que em maio, o repasse do valor da participação especial da produção de petróleo foi decepcionante, podemos aferir/supor que esse passivo subiu mais”, publicou Ranulfo.

“Juros” - Sobre o empréstimo, o economista afirmou que os “juros” podem girar em torno de R$ 300 milhões por ano. “O empréstimo idealizado pelo poder público local é de 1 bilhão de reais e deve custar, no barato, cerca de 30% ao ano. ou seja R$ 300 milhões só de encargos, já a partir desse ano a todos nós contribuintes da cidade”, completou.

Trecho da matéria publicada pela Folha no último domingo (aqui).
Comentar
Compartilhe
Saúde: Audiência pública foi adiada
01/06/2015 | 04h09

A Câmara de campos realizaria nesta segunda-feira (01) duas audiências públicas tendo a Saúde como foco principal. A primeira seria para a apresentação de um relatório por parte dos gestores e, a segunda, solicitada pelo vereador Jorge Magal (PR), possibilitaria um debate sobre a área, apontada como o "calcanhar de Aquiles" do governo Rosinha. Porém, tendo em vista o falecimento da mãe do vereador Neném (PRB) (aqui), as discussões ficaram para a próxima quarta-feira (03).

Entre as autoridades convidadas estão o vice-prefeito e secretário municipal de Saúde, Francisco Oliveira (Doutor Chicão),o presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Geraldo Venâncio, diretores de hospitais, entre outros. “Vamos debater a saúde como um todo. Mostrar o que já foi feito de positivo pelo governo, mas também abordar a questão das filas para marcação de consultas, atendimento prestado pelos hospitais conveniados à prefeitura, saúde mental, entre outros”, explicou o vereador.

Atualização às 17h -  Por problemas de agenda, as audiências  acontecerão na quarta-feira (3). A prestação de contas com a presença do secretário de Saúde, Dr Chicão, será às 15h e a audiência pública às 16h. A informação foi publicada no blog "Na Curva do Rio", da jornalista Suzy Monteiro (aqui).

Comentar
Compartilhe
Miséria no Norte e Noroeste é destaque no jornal "O Globo"
02/06/2015 | 01h07
[caption id="attachment_33564" align="aligncenter" width="440"] Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo[/caption]

Num Rio de disparidades superlativas, cabe um Brasil inteiro. Se o Norte e Noroeste fluminense têm municípios com indicadores sociais que se aproximam do Norte e Nordeste do país, o estado também tem seu Sul maravilha, na região do Médio Paraíba, além de uma área metropolitana adensada e cheia de desafios, que se assemelha ao Sudeste brasileiro.

Entre São Francisco de Itabapoana, num dos extremos do estado, e Resende, na outra ponta do território fluminense, a distância é muito maior do que sugerem os 480 quilômetros que separam os dois municípios. Enquanto a cidade do Norte Fluminense tem, segundo o Ministério do Desenvolvimento Social, 15,6% de seus moradores na extrema pobreza — o pior índice do estado, comparável aos do Nordeste —, a do Médio Paraíba registra 1,6% de miseráveis — percentual igual ao de Santa Catarina, que tem a menor taxa entre as 27 unidades da federação. A segunda reportagem da série “Os miseráveis” revela os contrastes de um Rio desigual.

Como O GLOBO na reportagem deste domingo, o estado tem 3,77% de sua população (565.135 pessoas) vivendo na pobreza extrema, de acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Já o Ministério do Desenvolvimento Social, que dispõe de dados sobre os 92 municípios fluminenses, utiliza critérios diferentes dos do Ipea e contabiliza 1,74% de miseráveis, ou 283 mil pessoas.

Perto do petróleo, que na última década alavancou a economia do estado, mas longe da prosperidade vivida por cidades como Macaé e Campos — hoje afetadas pela crise no setor —, São Francisco de Itabapoana tem 41.354 habitantes (Censo 2010), sendo 6.452 extremamente pobres, segundo o Ministério do Desenvolvimento Social. E não é difícil entender por que tantos vivem na penúria. De acordo com números do Ministério do Trabalho, no início deste ano, havia apenas 1.878 empregos formais na cidade. O que resta é a informalidade, na qual imperam salários de, no máximo, R$ 200, como o da empregada Jocilene Melo, que não tem carteira assinada nem sonha com os direitos assegurados pela PEC das Domésticas.

Na localidade do Valão Seco, o machadeiro Almir Alves Pereira segue a mesma profissão que garantia o sustento do avô, no século passado. Cata madeira seca no mato e a entrega na casa de quem usa fogão a lenha para economizar gás. O trabalho rende R$ 50 por mês: "Pego água para beber na torneira do banheiro de uma venda. Não tenho energia elétrica, nem vela em casa. Acordo com o sol e durmo quando anoitece".

São Francisco e Cardoso Moreira entre os cinco municípios com pior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): aqui 

Leia a matéria completa: aqui 

Comentar
Compartilhe
Magal: "Ameaçaram me expulsar do PR"
10/06/2015 | 08h15

O vereador Jorge Magal (PR) revelou agora, na tribuna da Câmara, que o vereador Kellinho, presidente do PR em Campos, e o subsecretário de Governo, Thiago Godoy, teriam feito ameaças na noite de ontem. "O presidente do PR em Campos, Kellinho, e o subsecretário Thiago Godoy fizeram ameaças. Uma delas era a expulsão do partido, caso eu não votasse pela liberação do empréstimo. Vou votar de acordo com a minha consciência, sem medo. Se quiser, pode me expulsar", afirmou, ressaltando que o vereador Gil Vianna (PR) também teria sido ameaçado.

Ao comentar sobre a declaração de Magal, Kellinho disse que o vereador apenas foi informado sobre as "possíveis consequências".

Comentar
Compartilhe
Obra com "força total" no Centro Cultural Anthony Garotinho
12/06/2015 | 12h43

Se muitas obras da Prefeitura de Campos estão paradas há tempo, o mesmo não pode ser dito em relação ao Centro Cultural Anthony Garotinho (CCAG). Em seu perfil no Facebook, uma aliada do secretário informa: "Você que gosta de arte e cultura, em breve o Centro Cultural Anthony Garotinho será reinaugurado com força total (...) Quem foi rei nunca perde a majestade".

Lacrado -  Com o objetivo de "prevenir práticas assistencialistas", a fiscalização do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ) lacrou, em agosto do ano passado, o Centro Cultural Anthony Garotinho. O nome do político também foi coberto pelos fiscais na fachada do prédio.   A determinação de fechar o local partiu da juíza Daniela Barbosa Assumpção de Souza, que decretou que o Centro fosse lacrado depois de receber uma denúncia anônima de que, durante propaganda eleitoral no rádio, no dia 20 de agosto, uma mulher agradecia o enxoval doado pelo candidato.

Material - Também em agosto do ano passado, fiscais da coordenadoria estadual de fiscalização de propaganda apreenderam, no Centro Cultural, cerca de 100 fraldas, 350 calendários com a foto do candidato e família, pastas, cartões de visita e blocos da Câmara dos Deputados, além de um caderno com fichas de grávidas e data provável do parto. Foram encontrados, ainda, 46 DVDs sobre o candidato ao governo (PR) e cinco faixas. Um documento com o logotipo “Missão Palavra de Paz” relaciona itens como fraldas, cadeira de rodas e 'enxoval', sob o título “Protocolo de Saída”.

Comentar
Compartilhe
Hora de aumentar o limite do "cheque especial"
06/06/2015 | 12h26

No final de 2014, mesmo com um Orçamento na casa dos R$ 2,5 bilhões, a Prefeitura de Campos "vendeu" parte dos royalties para obter um empréstimo de R$ 300 milhões junto ao Banco do Brasil. Como os bancos nunca jogam para perder, o governo municipal já começou a pagar, com o nosso dinheiro, R$ 50 milhões de "juros".

Como um cidadão que se atola e precisa de novos empréstimos para arcar com as dívidas anteriores, o governo Rosinha trabalha agora para aumentar o limite do "cheque especial" e sonda as melhores taxas de juros em bancos nacionais e internacionais.

Se no final de 2014 o governo antecipou R$ 300 milhões, a ideia agora é pegar um empréstimo de até R$ 1,2 bilhão.

Agora imagine o tamanho do abacaxi que está sendo plantado para o próximo gestor...

 
Comentar
Compartilhe
Lava Jato: STJ autoriza quebra de sigilo telefônico de Cabral e Pezão
03/06/2015 | 08h48

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) determinou nesta quarta-feira a quebra do sigilo telefônico do governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) e do ex-chefe da Casa Civil Regis Fichtner. Os três são suspeitos de receber dinheiro desviado da Petrobras. O STJ autorizou a devassa nas contas do governador, do ex-governador e do ex-secretário com base em pedido do Ministério Público Federal e da Polícia Federal.

Em um dos depoimentos da delação premiada, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa disse que repassou R$ 30 milhões para o caixa dois da campanha eleitoral de Cabral em 2010. O dinheiro seria proveniente de propina de contratos de empresas responsáveis por obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj).

Segundo o delator, as empreiteiras Odebrecht, OAS e UTC, que formavam o consórcio Compar, teriam repassado à campanha de Cabral R$ 15 milhões. Outros R$ 15 milhões teriam como origem os caixas da Skanska e Alusa, entre outras empresas. "Cada empresa deu contribuição no total de R$ 30 milhões", afirmou Paulo Roberto. Ex-vice-governador de Cabral, Pezão teria sido um dos beneficiários dos repasses.

Ainda de acordo com a delação de Costa, coube ao secretário capitanear os pedidos de propina para a campanha em 2010, inclusive com a marcação da reunião num quarto de hotel com representantes de empresas contratadas para o Comperj.

Procurado, Cabral respondeu por intermédio de sua assessoria que "respeita o processo judicial e reitera o seu repúdio e a sua indignação às mentiras ditas pelo delator Paulo Roberto Costa.

O ex-secretário disse, por meio de assessores, que "diante das inverdades ditas pelo delator Paulo Roberto Costa, cabe à Justiça investigar os fatos. A quebra de sigilo telefônico, diante disso, é natural e servirá apenas para demonstrar que jamais falei com ele ao telefone sobre qualquer assunto."

Pezão deve divulgar uma nota ainda hoje sobre o assunto.

Fonte: O Globo 

Comentar
Compartilhe
Magal: "Ameaçaram me expulsar do PR"
10/06/2015 | 08h15

O vereador Jorge Magal (PR) revelou agora, na tribuna da Câmara, que o vereador Kellinho, presidente do PR em Campos, e o subsecretário de Governo, Thiago Godoy, teriam feito ameaças na noite de ontem. "O presidente do PR em Campos, Kellinho, e o subsecretário Thiago Godoy fizeram ameaças. Uma delas era a expulsão do partido, caso eu não votasse pela liberação do empréstimo. Vou votar de acordo com a minha consciência, sem medo. Se quiser, pode me expulsar", afirmou, ressaltando que o vereador Gil Vianna (PR) também teria sido ameaçado.

Ao comentar sobre a declaração de Magal, Kellinho disse que o vereador apenas foi informado sobre as "possíveis consequências".

Comentar
Compartilhe
Rafael Diniz enquadra Edson: "Levante a cabeça e honre esta cadeira"
23/06/2015 | 06h27
[caption id="attachment_34031" align="aligncenter" width="400"] Reprodução/Blog Ricardo André[/caption]

Após a manobra que aprovou o regime de urgência para a tramitação do projeto de resolução que limita o número de CPIs, o vereador Rafael Diniz (PPS) não poupou críticas ao presidente da Câmara de Campos, Edson Batista (PTB). "Esta Casa não é uma secretaria do Governo e o presidente não é secretário de Governo. Não adianta ficar de cabeça baixa, seguindo as recomendações do seu assessor jurídico. Levante a cabeça e honre esta cadeira", disparou Rafael.

Frio, como sempre, o presidente ficou em silêncio e deu prosseguimento a sessão.

Atualização às 1h10 - Abdu Neme defende Edson - Membro da Mesa Diretora da Câmara, o vereador Abdu Neme (PR), que é o primeiro secretário, saiu em defesa do presidente. "Não vou aceitar calado. Vereador não pode apontar dedo e agir com arrogância e prepotência", disse Abdu, se dirigindo ao vereador Rafael Diniz. "Desse jeito arrogante, apontando dedo e dizendo que encara qualquer um, vossa excelência não vai a lugar algum", disse Abdu.

Rafael: "Triste é ser submisso e fazer o que o governo manda" - Após ser apontado pelo vereador Abdu Neme como "arrogante", o vereador Rafael Diniz usou a tribuna e disparou, olhando para o governista. "Se apontar dedo, vou apontar de volta. Respeito vossa excelência e seus filhos, mas se falar, vai ter resposta. Quem me conhece pode julgar se sou arrogante. Mas uma coisa é certa. Antes arrogante do que submisso. Triste mesmo é ser submisso e fazer o que o governo manda", alfinetou Rafael.

Comentar
Compartilhe
José Carlos aponta "desespero de Linda Mara"
20/06/2015 | 06h44

Em contato com o blog, o vereador José Carlos (PSDC) desmentiu a assessora especial Linda Mara, que na manhã deste sábado comentou sobre uma suposta conversa com o vereador da oposição (aqui). "Em momento algum falei com Linda Mara que votaria a favor daquele empréstimo. Vejo essa atitude como desespero de Linda Mara para fazer média com o líder dela", disse José Carlos.

Segundo o vereador, sua viagem estava marcada há três semanas, o que impediu a participação nas polêmicas sessões que "venderam" os royalties. "Tinha um compromisso em Brasília representando a Comissão de Transportes da Câmara. Mas quem me acompanha sabe que votaria contra", garantiu.

Comentar
Compartilhe
Apertem os cintos, o "rolo compressor" sumiu
16/06/2015 | 07h13

Dos 14 vereadores que almoçaram com a prefeita Rosinha Garotinho (PR) na última quinta-feira (11) (aqui), apenas Thiago Virgílio (PTC) apareceu hoje (16) na Câmara.

Os outros 13 não passaram pelo Legislativo na hora marcada para a sessão. Seria uma indigestão coletiva após o almoço? Uma manobra para escapar da oposição e dos "independentes"? Uma estratégia para não encontrar os carnavalescos, que protestam no Legislativo? Ou seria antecipação das "férias", já que o recesso começa em julho?

Dispostos a bater de frente com o "rolo compressor", dez vereadores estavam no plenário e protestaram contra a falta de sessão. Eram eles: Albertinho (Pros), Gil Vianna (PR), Jorge Magal (PR), Dayvison Miranda (PRB), Alexandre Tadeu (PRB), Rafael Diniz (PPS), Marcão (PT), Fred Machado (SD), José Carlos (PSDC) e Nildo Cardoso (PMDB). "É um absurdo. A cidade em crise, com tantos assuntos importantes para debater, e ninguém da bancada governista aparece. Isso não tem cabimento", disparou Nildo Cardoso, que chegou a fazer uma chamada.

Protesto - Após serem "empurrados com a barriga" pelo governo Rosinha, que por diversas vezes prometeu auxiliar na organização do Campos Folia, dezenas de carnavalescos ocuparam a Câmara e protestaram. O grupo cobra uma posição do governo sobre o evento e apontam prejuízos. "O governo pagou com traição quem sempre lhe deu a mão", disse um carnavalescos, parodiando a música "Vou Festejar", famosa na voz da sambista Beth Carvalho.

Mais sobre o sumiço do "rolo compressor" na edição de amanhã da Folha.

Comentar
Compartilhe
Na mira de investigação, Edafo recebe mais R$ 52 mil
17/06/2015 | 12h01

A empresa Edafo, que ficou famosa após apreensão de material de campanha do PR na eleição do ano passado (aqui), com direito a revelação sobre um suposto “laranja” no comando, recebeu mais R$ 52 mil da Prefeitura de Campos. O pagamento se refere a uma parcela pela construção de Creche Escola. Porém, no Portal da Transparência não é possível conferir o valor total do contrato, nem a localização da obra. O pagamento foi feito na última sexta-feira (12).

Em fevereiro o blog revelou (aqui) que a empresa assinou um termo aditivo de R$ 445 mil durante o período eleitoral. O contrato inicial foi assinado em 2012, outro ano eleitoral. O extrato do 4º termo aditivo, de julho, foi publicado na edição do dia 25 de fevereiro do Diário Oficial.

No dia 07 de janeiro a empresa recebeu R$ 211 mil (aqui).

Uma ação movida pela Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) relata que um galpão da empresa Edafo teria sido usado para guardar material de campanha do PR e automóveis para distribuí-lo.

A “Bomba” envolvendo a Edafo foi revelada em setembro do ano passado pelo blog “Ponto de Vista”, do Christiano Abreu Barbosa (aqui , aqui e aqui). No dia 14 de setembro do ano passado, matérias publicadas pela Folha da Manhã (aqui) e pelo jornal O Globo (aqui) mostram os detalhes de uma investigação iniciada pela Justiça Eleitoral e que teria desdobramentos na Polícia Federal.

Oposição tentou abrir uma CPI no Legislativo - Na primeira sessão da Câmara após as denúncias do escândalo envolvendo a Edafo e a Prefeitura de Campos se tornarem públicas, o vereador Marcão Gomes (PT) sugeriu a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o caso. Porém, sem o número necessário de assinaturas, não foi possível iniciar a investigação.

De acordo com a matéria publicada pelo jornal “O Globo”, o galpão da empreiteira Edafo Construções, com contratos de R$ 8 milhões com a Prefeitura de Campos, funcionaria como bunker da campanha do ex-governador Anthony Garotinho ao governo do estado e de candidatos do PR. A Edafo Construções, dona do imóvel em Campos, está no centro de uma investigação. A confissão de um “laranja” (DJ Júlio Cossolosso) revelou uma teia de relações entre a gestão municipal, comandada pela prefeita Rosinha Garotinho, a empreiteira e a campanha eleitoral. Confira o info publicado pelo “O Globo”, que mostra os personagens e a ligação entre eles:

[caption id="attachment_33868" align="aligncenter" width="677"] Info/O Globo[/caption]

Comentar
Compartilhe
Prefeitura quer pagar R$ 15 milhões para levantar "recolhimento indevido"
09/06/2015 | 01h28
Do Blog Eu Penso Que/Ricardo André Vasconcelos (aqui):
Na página 2 do Diário Oficial que circula nesta terça-feira (09), a Prefeitura de Campos procura empresa especializada em serviços de realização de análise financeira e tributária nas contas do município para "levantamento e planilhamento de eventuais créditos decorrentes do recolhimento indevido de contribuições".
Pelo valor que a Prefeitura de Campos se propõe a pagar - R$ 15 milhões - a expectativa é de que há muito, muito mais a receber.
O edital pode ser retirado pelos interessados até 27 de julho, na sede da PMCG.
Abaixo, o edital:
Comentar
Compartilhe
Venda do futuro: quem é a favor?
24/06/2015 | 11h26
Enquete no site da Folha (aqui) mostra que, tirando os vereadores rosáceos, o casal que governa a cidade e seus aliados mais próximos, poucas campistas defendem a venda dos royalties para antecipar receitas.  
Comentar
Compartilhe
Wladimir rebate Magal: "Siga seu rumo, mas não minta"
25/06/2015 | 04h35

O ex-presidente do PR em Campos, Wladimir Garotinho, comentou nesta quinta-feira (25) sobre o desabafo do vereador Jorge Magal (PR), que durante a sessão de ontem disparou: "Wladimir e Thiago Virgílio armaram um golpe para derrubar Hirano na disputa pela presidência da Câmara" (aqui).

Segundo Wladimir, Magal estava "cavando uma briga há muito tempo". "Ele anda revoltado desde a eleição de 2012, quando todos achavam que seria o mais votado e quase ficou de fora, sendo eleito na sobra. Quem acompanha os bastidores já havia notado que ele estava cavando essa briga faz muito tempo. Que siga o rumo dele, mas não pode pegar mentira", diz Wladimir.

Ainda de acordo com Wladimir, em momento algum ele e Thiago Virgílio armaram um golpe. "Na época em que se discutia a eleição da Mesa, fui chamado para uma reunião e descobri que um grupo não queria eleger Paulo Hirano, que tinha um acordo com o meu pai. Possuo uma boa relação com alguns vereadores e tentei intervir. Quando estava conversando com o vereador Thiago Virgílio, Gil Vianna ligou e pude ouvir qual era o plano dele. Tanto ele, como Magal, queriam assumir a presidência para dar um golpe no governo. Gil, por exemplo, dizia na ligação que desejava tomar a Câmara, que era o momento. Eu simplesmente entrei, articulei a candidatura de Genásio para enfraquecer essa corrente, e Dr. Edson acabou vencendo a eleição. Em momento algum conspirei contra o vereador Paulo Hirano. Minha articulação foi para ajudar a manter a Câmara ao lado do governo, evitando que um grupo assumisse a Casa para fazer jogo, ou se vingar por alguma frustração eleitoral", frisou Wladimir.

Thiago promete "revelações bombásticas" - Tudo indica que na próxima semana a Câmara vai contar com mais um round entre rosáceos e ex-rosáceos. “Na próxima sessão vou revelar muitos detalhes dos bastidores não só da eleição da Mesa Diretora, mas também dessa votação da antecipação de receitas. Teve vereador que procurou empreiteiro, teve pedido de partido "independente" por pasta na Prefeitura e também por recursos. Já falaram muito, agora chegou a vez de ouvir”, avisou o "pit bull rosáceo".

Comentar
Compartilhe
Lula ataca petistas: "Hoje a gente só pensa em cargo"
22/06/2015 | 03h40

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu uma mudança no Partido dos Trabalhadores (PT) durante seminário nesta segunda-feira, em São Paulo. Segundo Lula, é preciso fazer uma revolução no partido e colocar pessoas mais jovens no PT. No sábado, O GLOBO informou que o ex-presidente, em tom de desabafo, criticou duramente a presidente Dilma Rousseff em reunião no instituto que leva o seu nome. Para Lula, “Dilma está no volume morto, o PT está abaixo do volume morto” e ele próprio está no volume morto. "Eu acho que o PT perdeu um pouco a utopia. Eu lembro como é que a gente acreditava nos sonhos, como a gente chorava quando a gente mesmo falava, tal era a crença. Hoje nós precisamos construir isso porque hoje a gente só pensa em cargo, a gente só pensa em emprego, a gente só pensa em ser eleito e ninguém hoje mais trabalha de graça", disse Lula nesta segunda-feira.

O ex-presidente também ressaltou a necessidade de construir uma nova utopia e promover uma “revolução interna” no PT. "Tenho 69 anos, já estou falando as mesmas coisas que falava em 1980. Fico pensando se não está na hora de fazer uma revolução neste partido, uma revolução interna, colocar gente nova, mais ousada, com mais coragem. Temos que decidir se nós queremos salvar a nossa pele e os nossos cargos, ou queremos salvar nosso projeto. E acho que nós precisamos criar um novo projeto de organização partidária nesse país", afirmou. Lula participou da conferência “Novos desafios da democracia”, seguida de debate com o ex-presidente do Governo da Espanha, Felipe González. No evento, realizado em parceria com as Fundações Friedrich Ebet e Perseu Abramo, o ex-presidente afirmou que o maior legado deixado por seu governo foi o exercício da democracia. "Nunca antes na história do Brasil o povo exerceu tanto a democracia e participou tanto das decisões do meu governo como o povo participou quando o PT chegou ao governo", disse.

Lula voltou a criticar a imprensa e acusou os veículos de comunicação de “fazer oposição pelo editorial”. Lula disse que é preciso saber usar melhor as redes sociais e a internet do que pedir entrevista.  "Aqui no Brasil nós reclamamos muito da mídia. A oposição aqui é a imprensa. Em alguns jornais, eles fazem oposição pelo editorial. Ao invés de brigar com isso, temos que melhor saber usar a internet, melhor saber usar as redes sociais", disse Lula.

Ele falou ainda da regulação da mídia. "O Brasil está defasado. A regulação é de 1962, no tempo que ligar do Rio Grande do Sul para Brasília, segundo o Brizola (Leonel Brizola), levava seis horas. Não tinha nem fax. E na era da TV Digital, ainda tem nove famílias que controlam toda a comunicação do país", declarou Lula.

Fonte: O Globo 
Comentar
Compartilhe
PSB com novo comando em Campos
14/06/2015 | 10h50
No dia 20 de abril o blog publicou nota informando que o diretório estadual do PSB, presidido pelo senador Romário, decidiu por uma intervenção em todos os diretórios municipais (aqui).

Em Campos, o vereador Altamir Bárbara, que presidia o diretório permanente, chegou a cogitar uma queda de braço, mas prevaleceu a decisão da regional. Inclusive, o diretório teria problemas na prestação de contas e não alcançou a cláusula de barreira, o que influenciou na mudança.

No site do TRE já é possível acompanhar quem são os novos membros da comissão provisória.

Planos para 2016 -  Na última eleição municipal o PSB foi o partido que mais cresceu. O partido elegeu 440 prefeitos e teve um aumento de 42% em relação às últimas eleições majoritárias, em 2008, quando foram eleitos 310 prefeitos da legenda. Para 2016, de acordo com as lideranças do partido, a meta é continuar crescendo, sobretudo nas cidades com mais de 200 mil habitantes, como é o caso de Campos.

Atualização às 11h20 - Em contato com o blog, o vereador Altamir Bárbara, que respondia pela presidência, disse que o caso vai parar na Justiça. "Fui eleito e toda a documentação foi registrada. Tudo dentro do que determina o estatuto. Sou filiado ao PSB há 9 anos e vou levar todos os documentos ao Judiciário e vamos ver qual vai ser o desfecho deste caso", afirmou.

Comentar
Compartilhe
Homenagem
05/06/2015 | 12h37
  [caption id="attachment_33623" align="aligncenter" width="556"] Facebook/Dinalva Romão[/caption]

Mesmo em tempos de crise, o diretório do PR em Campos, presidido atualmente pelo vereador Kellinho, fez questão de colocar a mão no bolso para homenagear o secretário de Governo Anthony Garotinho. Em outdoors espalhados pela cidade, o partido diz que "Campos, o estado do Rio e o Brasil agradecem. A vitória pertence aos grandes líderes". A homenagem se refere a aprovação do texto substitutivo do Projeto de Resolução (PR) 15/2015, sugerido por Garotinho. Pela proposta, estados e municípios produtores podem obter empréstimos como antecipação de receitas.

No ano passado o governo Rosinha já obteve um empréstimo de R$ 304 milhões, junto ao Banco do Brasil, com pagamento de R$ 50 milhões de juros.

Salvador da Pátria? - Para a oposição, Garotinho está longe de ser um herói nacional. "Querem transformar o causador do caos no salvador da pátria. A Prefeitura contou com mais de R$ 2,5 bilhões em 2014, ano eleitoral, e ainda precisou vender os royalties, pagando R$ 50 milhões de juros. Agora, vão em busca de novos empréstimos para tentar amenizar o caos que foi gerado por incompetência e falta de planejamento. Estão superfaturando a crise", diz o vereador Rafael Diniz (PPS).

Comentar
Compartilhe
Hora de aumentar o limite do "cheque especial"
06/06/2015 | 12h26

No final de 2014, mesmo com um Orçamento na casa dos R$ 2,5 bilhões, a Prefeitura de Campos "vendeu" parte dos royalties para obter um empréstimo de R$ 300 milhões junto ao Banco do Brasil. Como os bancos nunca jogam para perder, o governo municipal já começou a pagar, com o nosso dinheiro, R$ 50 milhões de "juros".

Como um cidadão que se atola e precisa de novos empréstimos para arcar com as dívidas anteriores, o governo Rosinha trabalha agora para aumentar o limite do "cheque especial" e sonda as melhores taxas de juros em bancos nacionais e internacionais.

Se no final de 2014 o governo antecipou R$ 300 milhões, a ideia agora é pegar um empréstimo de até R$ 1,2 bilhão.

Agora imagine o tamanho do abacaxi que está sendo plantado para o próximo gestor...

 
Comentar
Compartilhe
Câmara aprova projeto e libera nova “venda” dos royalties
10/06/2015 | 08h41

Sem a adesão de seis membros da bancada governista e quatro da oposição, o projeto que libera a antecipação de receitas foi aprovado com 13 votos. Esta foi a votação mais apertada dos últimos anos. Agora, a prefeita Rosinha Garotinho (PR) parte em busca de um "empréstimo" que pode girar em torno de R$ 1 bilhão. E como bancos não jogam para perder, o governo terá que pagar juros. Porém, o projeto aprovado pelos 13 vereadores não informa o custo da operação financeira.

Votaram a favor: Fábio Ribeiro (PR), Kellinho (PR), Abdu Neme (PR), Mauro Silva (PT do B), Miguelito (PP), Dona Penha (DEM), Álvaro César (PMN), Neném (PTB), Ozéias (PTC), Thiago Virgílio (PTC), Altamir Bárbara (PSB), Cecília Ribeiro Gomes (PT do B) e Auxiliadora Freitas (PHS).

Votaram contra: Gil Vianna (PR), Magal (PR), Genásio (PSC), Albertinho (Pros), Dayvison Miranda (PRB), Alexandre Tadeu (PRB), Rafael Diniz (PPS), Marcão (PT), Fred Machado (SD) e Nildo Cardoso (PMDB).

Segundo Marcão, o regimento da Câmara "foi rasgado". "Nada disso tem valor e vamos questionar na Justiça. O vereador Fábio Ribeiro está impedido", disse.

Saiba mais sobre a votação: aqui 

Comentar
Compartilhe
Internauta desabafa: "escolas estão parecendo aviões sem pilotos"
02/06/2015 | 09h56

Em seu "pacote de exonerações", a prefeita Rosinha Garotinho (PR) incluiu as diretoras de diversas escolas do município. Muita gente imaginou que, assim como ocorreu com as chefias das Unidades de Saúde, as diretoras retornariam imediatamente, já que a Educação é uma área prioritária. Porém, não foi o que ocorreu. Mesmo eleitas, as diretoras estão fora do governo. Diante deste cenário, uma internauta usou o exemplo da escola Professor Walter Siqueira e desabafou. Confira:

 
Comentar
Compartilhe
Após ganhar "cheque especial", prefeita vai dar almoço aos vereadores
11/06/2015 | 11h11
[caption id="attachment_33760" align="aligncenter" width="512"] Uma das especialidades da prefeita Rosinha na cozinha é o escondidinho de frango / Facebook - Rosinha[/caption]

A prefeita Rosinha Garotinho (PR) acompanhou atentamente a sessão de ontem (10) e comemorou a aprovação do projeto que autoriza o município a “contratar operação de alienação de ativos”.

Com o "cheque especial", o governo poderá antecipar até R$ 1 bilhão, deixando como garantia parte dos royalties e participações especiais de hoje, amanhã e das próximas gerações. Como forma de agradecimento aos vereadores que votaram a favor do projeto, a prefeita vai oferecer daqui a pouco, em seu gabinete, um almoço caprichado. Como a bancada agora conta com 14 parlamentares, já que 6 se declaram "independentes" e votaram contra, vai ter comida de sobra para os convidados. Nos bastidores, já tem aliado comemorando: "Finalmente, chegou a hora de comer!".

Como não poderia ser diferente, a conta vai ficar com a população de Campos.

Comentar
Compartilhe
Após ganhar "cheque especial", prefeita vai dar almoço aos vereadores
11/06/2015 | 11h11
[caption id="attachment_33760" align="aligncenter" width="512"] Uma das especialidades da prefeita Rosinha na cozinha é o escondidinho de frango / Facebook - Rosinha[/caption]

A prefeita Rosinha Garotinho (PR) acompanhou atentamente a sessão de ontem (10) e comemorou a aprovação do projeto que autoriza o município a “contratar operação de alienação de ativos”.

Com o "cheque especial", o governo poderá antecipar até R$ 1 bilhão, deixando como garantia parte dos royalties e participações especiais de hoje, amanhã e das próximas gerações. Como forma de agradecimento aos vereadores que votaram a favor do projeto, a prefeita vai oferecer daqui a pouco, em seu gabinete, um almoço caprichado. Como a bancada agora conta com 14 parlamentares, já que 6 se declaram "independentes" e votaram contra, vai ter comida de sobra para os convidados. Nos bastidores, já tem aliado comemorando: "Finalmente, chegou a hora de comer!".

Como não poderia ser diferente, a conta vai ficar com a população de Campos.

Comentar
Compartilhe
Garotinho: "Detesto quem usa o nome de Deus em vão"
11/06/2015 | 07h01

Durante o seu programa de rádio na manhã desta quinta-feira (11), o secretário de Governo, Anthony Garotinho (PR), comentou sobre políticos que usam o nome de Deus em vão. "Detesto quem usa o nome de Deus em vão. Isso não se faz. A pessoa tem que assumir suas posições, sem misturar um assunto com outro".

Um dos vereadores teria alegado "interferência divina" para votar contra.

Ao comentar sobre os vereadores da base que votaram contra o governo, ele afirmou: "Esses são os cavaleiros do apocalipse. Quando tudo ficar em dia, eles vão se arrepender".

Comentar
Compartilhe
CPI do Rombo vai sair do papel?
22/06/2015 | 12h22

A Câmara de Campos, que na semana passada não realizou sessões por conta do sumiço coletivo da bancada rosácea, deve contar com debates quentes nesta semana. Nos bastidores, vereadores a oposição e do bloco independente se preparam para abrir uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) com a missão de investigar o "rombo" de R$ 109 milhões auditado pelo governo Rosinha Garotinho (PR) em 2013 e que teria sido gerado durante sua primeira administração municipal, entre 2009 e 2012.

Além dos cinco vereadores da oposição (Rafael, Fred, Marcão, Nildo e José Carlos), pelo menos cinco "independentes" (Gil Vianna, Magal, Albertinho, Dayvison e Alexandre Tadeu ), estariam dispostos a assinar. Vale lembrar que são necessárias nove assinaturas.

Aliado da prefeita quer ser relator - De olho na polêmica e disposto a entrar no "jogo", o vice-presidente da Câmara de Campos, Thiago Virgílio (PTC), comentou sobre a CPI no Facebook e informou que deseja ser o relator. Porém, o alvo de Virgílio, mais uma vez, é o ex-vereador Nelson Nahim (PSD). "Também vou assinar, e quero ser o relator. Já tenho vários indícios que comprovam que foi na época do prefeito interino Nelson Nahim", comenta Virgílio.

Nahim fez desafio: Em abril, quando o secretário de Governo, Anthony Garotinho, insinuou que o "rombo" teria sido gerado na gestão do seu irmão, Nahim fez um desafio: “Faço um desafio ao secretário Garotinho: prove, com documentos, que eu autorizei alguma transação com recursos públicos. O secretário precisa ir além das palavras. Espero que ele apresente documentos ligando o meu nome a a qualquer operação financeira deste tipo. Além disso, espero também que ele comprove que eu tenha solicitado que fossem feitas essas transações. Se não provar nada, vamos ter que levar a discussão para o campo judicial”, afirmou Nahim, sem obter uma resposta do irmão, que optou pelo silêncio.

Tática dos rosáceos - Na semana passada a coluna "Ponto Final" informou que os articuladores do governo já manobravam para impedir que opositores e independentes abrissem a CPI. "A ideia é se adiantar e propor CPIs antes da oposição, enchendo a pauta e deixando a CPI da oposição no fim da fila", informou a coluna na última terça-feira (16). Ontem (21), o vereador Thiago Virgílio já avisou que a tática foi colocada em prática. "Tem que entrar na fila. Têm cinco pedidos de CPI na frente".

Comentar
Compartilhe
Revoltado
16/06/2015 | 01h18

Se por um lado tem vereador "independente" flertando com o governo (aqui), por outro já tem parlamentar da base governista revoltado. O vereador Neném (PTB), que foi fundamental para garantir a aprovação da "venda" dos royalties, não ficou nada satisfeito com algumas decisões tomadas pelo líder político. Ao que tudo indica, mais uma vez, algumas promessas não foram cumpridas. Por conta disso, o vereador já teria avisado que vai rever sua postura.

Nos últimos meses, mesmo na base governista, o vereador Neném vem se posicionando com firmeza na tribuna da Câmara. Em abril, após a prefeita Rosinha Garotinho (PR) vetar um projeto de sua autoria, alegando inconstitucionalidade, o vereador disparou: "invente outra desculpa" (aqui).

Comentar
Compartilhe
Metamorfose ambulante
20/06/2015 | 02h54

O vereador José Carlos (PSDC), que não apareceu durante a polêmica votação que liberou a "venda" dos royalties, usou o Facebook para apontar a proposta do governo como um "humilhante empréstimo de 1 bilhão de reais onde vão se pagar juros de 300 milhões anuais". Ao alegar sua ausência, o vereador informou que estava em Brasília, como presidente da Comissão de Transportes da Câmara, para tratar de assuntos importantes.

Mudou? - Hoje (20),durante programa de rádio, a assessora especial Linda Mara revelou uma conversa com o vereador da oposição. "Encontrei com o vereador José Carlos e ele disse que tinha gente pedindo para ele voltar de sua viagem. Queriam que ele votasse contra este importante projeto para Campos. Mas ele manteve a viagem". Ele teria dito que, se estivesse em Campos, votaria a favor. Saiba mais no blog do jornalista Fernando Leite: aqui 

Esta não seria a primeira mudança de opinião do vereador. Em abril ele votou contra o projeto que dava poder aos superintendentes e afirmou que a proposta era uma “sacanagem” (aqui). Depois, em, maio, mudou de posição e votou ao lado dos governistas. “Descobri que tinha votado errado e votei favorável. Mas não mudei por acordo algum. Não virei político para fazer acordo”, garantiu.

Comentar
Compartilhe
Em quatro dias, Rosinha nomeia mais de 400 comissionados
18/06/2015 | 02h02

O Diário Oficial desta quinta-feira (18) trouxe mais uma etapa do "pacotão de nomeações". Dessa vez, mais de 150 aliados foram nomeados para os mais variados cargos comissionados (DAS 2, DAS 3, DAS 4, DAS 5, DAS 6 e DAS 7). Muitos retornam sem terem saídos, já que o governo exonerou todos os comissionados no início da reforma administrativa (aqui) e, agora, volta a montar o seu time. Só esta semana a prefeita Rosinha Garotinho (PR) nomeou mais de 400 comissionados. Ao todo, a máquina deve voltar a contar com mais de mil cargos comissionados. Enquanto isso, os terceirizados, que recebem bem menos, protestam por conta de salários atrasados (aqui).

Para conferir as publicações, basta acessar o Diário Oficial: aqui 

Comentar
Compartilhe
Dona Penha: "Não fomos eleitos para criticar, nem para abrir CPI"
23/06/2015 | 11h11

A vereadora Dona Penha (DEM) também entrou no debate sobre a abertura de CPIs.

Porém, na visão da vereadora isso não é função de vereador. "Não fomos eleitos para criticar, nem para abrir CPI. O povo não quer isso. O povo quer saber dos mil que foram demitidos e não voltaram", disse Dona Penha, que se assustou com a hora da sessão. "Já passou das 22h e estou aqui. Isso é hora de viúva estar em casa descansando. Mas estou aqui defendendo o povo", disse,  ressaltando que os vereadores ganham "R$ 13 mil para trabalhar quatro horinhas, duas vezes por semana". "O salário é muito bom. Essa Casa é de respeito, não pode virar gandaia, com agressão ao presidente".

Comentar
Compartilhe
Bonitinho, mas fedorento
23/06/2015 | 12h05
[caption id="attachment_34001" align="aligncenter" width="620"] Arcos são iluminados durante toda noite (Foto: Divulgação/ Sup. Comunicação)[/caption]

Do G1 (aqui) - Matéria de Stella Freitas

O Canal Campos-Macaé, inaugurado em 1861, possui grande importância histórico-cultural para Campos pelas cidades por onde ele passa, como Quissamã, Carapebus e Macaé, todas no Norte Fluminense. Há cerca de três anos o canal recebeu, através da Prefeitura, nova estrutura com projeto paisagístico, sinalização, vias e iluminação, no Centro. Mas apesar do investimento, moradores continuam reclamando do mau cheiro, provocado pela falta de limpeza do local, segundo especialistas.

A Prefeitura de Campos alega que durante as obras, entregues em 2011, o sistema de drenagem foi recuperado, mas especialistas discordam. Além disso, a obra dificulta a limpeza do canal, segundo o historiador ambiental Aristides Arthur Sofiatti. “Aqueles arcos não deveriam ter sido colocados ali. Eles dificultaram o trabalho de limpeza. É melhor um lugar limpo do que bonito”, aponta Sofiatti.

O canal tem 109 km de extensão e, conforme o Mapa de Cultura do Estado, é o segundo maior canal artificial do mundo, construído durante 17 anos por escravos. O objetivo da construção foi facilitar o escoamento da produção açucareira do século 19, que teve fim com a construção da Estrada de Ferro ligando os dois municípios.

Para moradores das proximidades da Beira-Valão, como é conhecida a Avenida José Alves de Azevedo, cortada pelo canal, o mau cheiro é uma agressão ao campista. “É um descaso com a população campista, sobretudo com a história da cidade. O valão teve enorme importância no processo de construção dessa cidade e agora ele é apenas um depósito de dejetos, uma distração para os olhos e uma agressão ao olfato. Ele só vai ser ponto turístico quando explorarem o turismo dele”, analisa a moradora Livia Tó.

De acordo com Sofiatti, a melhor opção para sanar de vez o problema do mau cheiro é a Prefeitura buscar meios de resgatar o canal através da limpeza das águas e não somente das bases, além de evitar o despejo direto de esgoto. “A saída que tem para esse canal é fazer a limpeza dele, bombear a água do [Rio] Paraíba quando ele tiver com com um nível alto para renovar a água do canal. Não lançar mais esgoto, não lançar mais lixo”.

Através de nota enviada ao G1, o secretário municipal de Desenvolvimento Ambiental, Jorge Rangel, informou que a limpeza ao longo do Canal Campos-Macaé está sendo feita desde a última semana. Segundo ele, está sendo realizada a roçagem de taludes do valão, a retirada de lixo e de material inservível lançado no canal, poda de árvores da margem e, posteriormente, será realizada panfletagem com a população para conscientizá-la da importância de não descartar lixo e material no canal.

Prefeitura diz que população é culpada pelo mau cheiro - A Prefeitura alegou ainda que o mau cheiro é proveniente do acúmulo de objetos lançados no canal pela população e que à medida que o trabalho de conscientização for feito, de forma gradativa, o problema será solucionado. Ainda de acordo com a Prefeitura de Campos, a Defesa Civil informou que uma balsa fica permanentemente sob a ponte Leonel Brizola, com duas bombas de capacidade de 1400 litros/min cada, que realizam diariamente o bombeamento de água para o Canal Campos-Macaé.

Comentar
Compartilhe
"Independentes" rebatem ameaças de Garotinho e sessão é encerrada após confusão
24/06/2015 | 07h30

No último sábado (20) o secretário de Governo, Anthony Garotinho (PR), usou o seu programa de rádio para disparar na direção dos vereadores que integram o "bloco independente" (aqui). Segundo Garotinho, os parlamentares teriam arquitetado um golpe para ficar com a presidência da Câmara no final do ano passado. Ele também afirmou que os ex-aliados iriam "pagar caro pela traição".

Hoje (24), durante a sessão da Câmara de Campos, os "independentes" resolveram encarar o ex-líder e avisaram: "se bater, vai levar". O clima esquentou tanto que o presidente da Casa resolveu encerrar a sessão.

Gil Vianna: "Não sou moleque" - Na tribuna, o vereador Gil Vianna (PR) comentou sobre declarações do secretário de Governo, Anthony  Garotinho (PR) e mandou um recado: "Não sou moleque. Tenho família. Se quiser levar para o campo político, pode levar. Se quiser ir para o lado pessoal, vamos também. O que não posso é ficar calado diante de acusações. Se bater, vai levar", avisou Gil, que foi além: "Nunca fui traidor. Estou muito tranquilo e votei consciente contra o empréstimo. Disseram que vamos pagar caro. O que tentou dizer com isso?", indagou Gil.

Magal: "Golpe na Câmara foi articulado por Wladimir e Thiago Virgílio"  - Quem também desabafou foi o vereador Jorge Magal (PR). Segundo o ex-aliado do governo, em momento algum os "independentes" tentaram armar um golpe. Querem saber a verdade? O golpe foi articulado por Wladimir e Thiago Virgílio. Não quero envolver mais gente, mas se perguntar a vereadora Cecília quem ligou, ela vai falar. O candidato de Garotinho era o vereador Paulo Hirano. Wladimir tentou montar um bloco. E agora quer dizer que eu fiz alguma coisa? Foi o filho de Garotinho que derrubou Paulo Hirano. Havia um compromisso. Retirar a candidatura de deputado estadual e ele seria presidente da Câmara. Mas passaram por cima disso", afirmou Magal.

Magal também avisou que está disposto a encontrar com o ex-líder para "responder qualquer coisa". "Me coloco a disposição para participar daquele programa que é uma entrevista combinada. Estou me oferecendo para explicar. Posso participar no próximo sábado. Posso sentar lá e responder qualquer pergunta que o secretário de Governo queira fazer. O que perguntar, respondo", enfatizou.

Albertinho: "Muita gente vai chorar na cama" - Já o vereador Albertinho usou a tribuna para rebater uma matéria publicada pelo jornal "O Diário". De acordo com a reportagem, ele teria pedido para um ex-funcionário da Câmara pegar um empréstimo. "Em hora algum eu atestei empréstimo para este cidadão. Como é de praxe, esse jornal só joga para um lado. Tenta denegrir a imagem. É o que Garotinho gosta de fazer: denegrir. Mas vou ao Rio levar uma série de documentos e vamos ver quem é que está devendo. Muita gente vai chorar na cama", disse o ex-aliado do governo. Segundo Albertinho, "Garotinho deve ter perdido a humildade". "Ele diz que me tirou da lama. Mas não se lembra de uma época em que o Natal da casa dele estava vazio, porque estava todo mundo com Arnaldo, e me pediram para levar duas vans de Guarus com o povo carente. Fui com meu chinelo e chamei as pessoas. Ele também deve se esquecer da época que montei os caixotes para ele em Guarus. Eu continuo humilde, mas ele deve ter perdido a humildade", completou.

Genásio aponta retaliação e pede: "Batam em mim" - Quem também desabafou na tribuna foi o vereador Genásio. "Um rapaz trabalhador, que foi nomeado, sofreu uma retaliação após a minha postura aqui na Câmara, quando votei contra o empréstimo. Fizeram ele escolher entre o meu partido, o PSC, e o governo. Quem abordou foi o Jorge Rangel. Ele optou por ficar ao meu lado. Mas avise a prefeita (olhando para Mauro Silva) que fizeram isso com um rapaz de bem, que tem um filho cadeirante. Uma grande covardia. Não me curvo e as pessoas que trabalham comigo também não se curvam. Mas se quiser resolver alguma diferença, que venham falar comigo. Meus princípios não serão vendidos", disparou.

Sessão encerrada - Após ser citado pelo vereador Magal como "articulador do golpe", o vereador Thiago Virgílio foi ao microfone para rebater, mas o clima esquentou. De longe, Magal respondeu e passou a bater boca com o vereador Neném (PTB), que gritava: "Deixe ele (Thiago) falar, deixe falar". Neste momento guardas municipais entraram no plenário para evitar uma confusão maior e o presidente da Casa, Edson Batista (PTB), encerrou os trabalhos.

Em contato como blog, Thiago prometeu rebater. “Na próxima sessão vou mostrar revelar detalhes dos bastidores não só da eleição da Mesa, mas dessa votação do empréstimo. Teve vereador que procurou empreiteiro, teve pedido por pasta na Prefeitura e também por recursos”, avisou.

Comentar
Compartilhe
Edson Batista: "Ser chamado de Fidel Castro foi uma honra"
11/06/2015 | 10h36

O vereador Edson Batista (PTB), presidente da Câmara de Campos, participou na manhã desta quinta-feira (11) do programa de rádio comandado pelo secretário de Governo, Anthony Garotinho (PR), na Educativa FM. Indagado sobre a sua frieza durante a sessão de ontem (10), mesmo após ser chamado de ditador e Fidel Castro, Batista: "Sou cirurgião, não tomo decisões precipitas e sei manter a calma. Não fiquei nervoso ao ser chamado de Fidel Castro. Na verdade, foi uma grande honra, uma homenagem. O que não gostaria é de ser chamado de José Dirceu", afirmou.

O chefe gostou - Segundo Garotinho, a postura de Edson durante a sessão merece elogios. "São nessas horas que a gente vê as virtudes das pessoas", afirmou.

Protestos - Para os vereadores da oposição e os ex-aliados do governo, a posição de Edson durante a sessão foi "vergonhosa". "Ele agiu o tempo todo como um ditador. Rasgou o regimento da Casa, cortou a palavra dos vereadores e deixou o interesse do seu líder falar mais alto do que os interesses da população", diz o vereador Dayvison Miranda (PRB).

Comentar
Compartilhe
Câmara de Campos vai debater redução da maioridade penal
21/06/2015 | 02h13
[caption id="attachment_33967" align="aligncenter" width="366"] Vereadora Auxiliadora Freitas vai presidir a audiência pública[/caption]

Por iniciativa da vereadora Auxiliadora Freitas (PHS), a Câmara de Campos realiza amanhã (22), a partir das 10h, audiência pública para debater a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos, que é objeto de Projeto de Emenda à Constituição (PEC) em tramitação no Congresso Nacional.

Auxiliadora apresentou o requerimento em abril, a pedido de um grupo de jovens que manifestaram interesse de que o legislativo local colocasse o tema em discussão. O requerimento também contou com a assinatura do vereador Rafael Diniz (PPS), presidente da Comissão de Defesa da Juventude. Auxiliadora presidirá a sessão, que contará com participação de especialistas em direito e ciências sociais, além da presença de diversas autoridades públicas, tanto do município como do Estado do Rio de Janeiro.

Saiba a diferença entre as propostas do Congresso sobre a maioridade: aqui 

Fonte: Ascom/Auxiliadora 

Comentar
Compartilhe
Working recebe mais R$ 690 mil por “manutenção preventiva”
29/06/2015 | 09h05

Como este blog informou em maio (aqui), a empresa Working, que tem mil e uma utilidades, continua faturando alto mesmo em tempos de crise. Naquele mês, em apenas uma semana, por conta de contratos para aluguel de banheiros, obra e manutenção, a empresa recebeu mais de R$ 1 milhão.

Mais R$ 696 mil - Agora, na última quarta-feira (24), a empresa recebeu mais R$ 696 mil por "manutenção preventiva e corretiva". Porém, o nosso moderno Portal da Transparência não dá mais detalhes sobre a "manutenção".

Essa "manutenção" da Working deve ser muito importante. Isso porque, neste mesmo governo, talvez por conta da crise, a prefeita Rosinha cortou R$ 300 mil do Programa de Assistência Domiciliar (PAD). De acordo com postagem do advogado Cláudio Andrade, no Facebook,o governo municipal retirou R$ 177 mil do fornecimento de leite especial e R$ 115 mil da verba dos remédios adquiridos mediante processo administrativo e judicial.

Comentar
Compartilhe
SJB: Neco fala sobre terceirizações e aponta "manipulação"
07/06/2015 | 03h47

Na última semana a ex-prefeita de São João da Barra, Carla Machado (PT), usou seu perfil no Facebook (aqui) para criticar contratos de terceirização realizados na gestão do atual prefeito, Neco (PMDB). Segundo Carla, “acontece um show de terceirizações em SJB” e o caso “deve ser investigado pelos Ministérios Públicos Estadual, Federal e do Trabalho e pela Câmara Municipal”. A ex-prefeita cita valores de contratos com três empresas, mais uma Organização Social de Saúde (OSS) responsável pelo Centro de Emergência, que, segundo Neco e a secretária de Saúde Denise Esteves, transformará o local “praticamente em um hospital”. Carla cita as terceirizações que teriam ocorrido no ano passado e afirma que os contratos, somados, giram em torno de R$ 70 milhões.  Veja no blog do Arnaldo Neto: aqui 

Neste domingo (07), o prefeito Neco usou o Facebook para publicar uma Nota de Esclarecimento. Confira:

Nota de Esclarecimento a toda População de São João da Barra

Gostaria de informar a população de São João da Barra, que estão divulgando nas redes sociais supostamente valores contratados das terceirizações, tudo isso sendo feito para tentar manipular as pessoas e esconder a verdade. Quero deixar bem claro que desde o inicio do meu Governo, venho lutando e continuarei lutando por todos os servidores, sejam eles efetivos de modo geral ou contratos pelo regime especial.

No inicio do meu Governo tive que assinar um Termo de Compromisso de Ajustamento de Conduta - TAC firmado nos autos do Inquérito Civil nº 161/2013 do Ministério Público Estadual ao qual determinava o desligamento de todos os contratados de forma temporária (sob pena de responsabilidade e aplicação de multa pessoal diária no valor de R$ 10.000,00 reais) e estabelecia as seguintes ações:

- Que deveríamos abrir Edital de Licitação para contratação de empresa para realizar o Concurso Público para Educação, Saude e Fiscais (processo que já vinha tramitando na Prefeitura a anos e sendo protelado para cair em minha Administração);

- Contratações temporárias somente poderiam ser admitidas por processo seletivo simplificado (Lei 274/2013);

- Desligamentos dos contratados de forma temporária, e em virtude da essencialidade irrestrita e continuidade dos serviços e além de visar atender a Lei de Responsabilidade Fiscal - LRF, o Município poderia fazer contratações na área da Saude, seguindo as diretrizes traçadas pelo Estado do Rio de Janeiro na Condução da política de Saude com as Unidades de Pronto Atendimento - UPA`s com a celebração de um Contrato de Gestão com Organização Social - OS, devidamente qualificada, voltada ao gerenciamento, alocação e substituição dos recursos humanos necessários á prestação de serviços de qualidade a toda à População.

- Como também o Município poderia promover a contratação de empresa (s) para prestação dos Serviços equivalentes a atividade - meio, ou seja, fazer as TERCEIRIZAÇÕES para Vigias, Maqueiros, Auxiliar de Serviços Gerais, Serventes, Motoristas, Atendentes, Merendeiras.

Tudo isso, hoje custa três vezes mais para os cofres públicos, pois são funcionários que tem todos os seus direitos trabalhistas garantidos através da assinatura de sua Carteira de Trabalho, como também o direito ao Cartão Alimentação. E isso incomoda, pois são funcionários que nunca tiveram essa oportunidade. E agora, alguns querem a todo o custo deturpar os fatos e me criticar.

Enquanto essas pessoas que não possuem compromisso com o Povo, e não tem o que fazer a não ser atacar a Administração e ficam a todo o tempo me perseguindo e me atacando com MENTIRAS e CALÚNIAS, eu busco sempre de maneira séria, tranquila e responsável, trabalhar para a população que quer uma cidade com uma Limpeza de excelência, Iluminação Pública de qualidade, Salários dos Servidores em dia, Lutas por grandes Projetos e acima de tudo Investimentos planejados na SAUDE e EDUCAÇÃO.

O meu objetivo é Lutar pelo meu Município, é Lutar pelo meu Povo. Um abraço, Juntos Somos Mais.

Comentar
Compartilhe
Rosinha prevê orçamento de R$ 1,6 bilhão para 2016
30/06/2015 | 07h46
[caption id="attachment_34177" align="aligncenter" width="480"] Foto: Sup de Comunicação/Prefeitura[/caption]

Durante a sessão desta terça-feira (30) o vereador Marcão (PT) comentou sobre a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) encaminhada pela prefeita Rosinha Garotinho (PR) à Câmara de Campos. Segundo Marcão, a prefeita previu um orçamento de R$ 1,6 bilhão para 2016. "Já estamos com a LDO e podemos ver que a prefeita estipula em R$ 1,6 bilhão o orçamento para 2016. Mesmo com a queda, é uma fortuna que faz inveja a mais de cinco mil municípios do Brasil. Será que não é possível fechar as contas com esse orçamento bilionário? Tem cabimento o governo buscar mais R$ 1 bilhão, comprometendo receitas futuras?", indagou Marcão.

Para este ano a prefeita previu um orçamento de R$ 2,1 bilhões. Porém, ao listar as perdas nos primeiros seis meses deste ano, o secretário de Governo, Anthony Garotinho (PR) chegou a dizer que o valor pode ficar em torno de R$ 1,5 bilhão.

A audiência pública para debater a LDO está marcada para o dia 06 de julho, às 15h, na Câmara.

Comentar
Compartilhe
Garotinho: "Detesto quem usa o nome de Deus em vão"
11/06/2015 | 07h01

Durante o seu programa de rádio na manhã desta quinta-feira (11), o secretário de Governo, Anthony Garotinho (PR), comentou sobre políticos que usam o nome de Deus em vão. "Detesto quem usa o nome de Deus em vão. Isso não se faz. A pessoa tem que assumir suas posições, sem misturar um assunto com outro".

Um dos vereadores teria alegado "interferência divina" para votar contra.

Ao comentar sobre os vereadores da base que votaram contra o governo, ele afirmou: "Esses são os cavaleiros do apocalipse. Quando tudo ficar em dia, eles vão se arrepender".

Comentar
Compartilhe
Apertem os cintos, o "rolo compressor" sumiu
16/06/2015 | 07h13

Dos 14 vereadores que almoçaram com a prefeita Rosinha Garotinho (PR) na última quinta-feira (11) (aqui), apenas Thiago Virgílio (PTC) apareceu hoje (16) na Câmara.

Os outros 13 não passaram pelo Legislativo na hora marcada para a sessão. Seria uma indigestão coletiva após o almoço? Uma manobra para escapar da oposição e dos "independentes"? Uma estratégia para não encontrar os carnavalescos, que protestam no Legislativo? Ou seria antecipação das "férias", já que o recesso começa em julho?

Dispostos a bater de frente com o "rolo compressor", dez vereadores estavam no plenário e protestaram contra a falta de sessão. Eram eles: Albertinho (Pros), Gil Vianna (PR), Jorge Magal (PR), Dayvison Miranda (PRB), Alexandre Tadeu (PRB), Rafael Diniz (PPS), Marcão (PT), Fred Machado (SD), José Carlos (PSDC) e Nildo Cardoso (PMDB). "É um absurdo. A cidade em crise, com tantos assuntos importantes para debater, e ninguém da bancada governista aparece. Isso não tem cabimento", disparou Nildo Cardoso, que chegou a fazer uma chamada.

Protesto - Após serem "empurrados com a barriga" pelo governo Rosinha, que por diversas vezes prometeu auxiliar na organização do Campos Folia, dezenas de carnavalescos ocuparam a Câmara e protestaram. O grupo cobra uma posição do governo sobre o evento e apontam prejuízos. "O governo pagou com traição quem sempre lhe deu a mão", disse um carnavalescos, parodiando a música "Vou Festejar", famosa na voz da sambista Beth Carvalho.

Mais sobre o sumiço do "rolo compressor" na edição de amanhã da Folha.

Comentar
Compartilhe
Apareceu
01/06/2015 | 12h59
[caption id="attachment_33545" align="aligncenter" width="470"] Prefeita participou de plantio de árvore durante o "Viver Feliz" - Foto: Secom[/caption]

Após 15 dias sem aparições públicas, a prefeita Rosinha Garotinho (PR) participou, no último sábado (30), da edição semanal do programa Viver Feliz, realizado no Condomínio Recanto das Personalidades Campistas, que reúne 370 casas construídas pelo Programa Morar Feliz, no bairro da Penha.

Como o blog adiantou (aqui), a prefeita ficará apenas com agendas positivas, sem entrar em negociações polêmicas e articulações políticas. Esse trabalho continua por conta do secretário de Governo Anthony Garotinho (PR).

Palavra de Paz - No Facebook, a prefeita tem aproveitado para atuar como auxiliar na venda de bíblias e outros artigos evangélicos, da empresa Palavra de Paz, que pertence a família. Ontem (31), a prefeita indicou um "Kit Dia dos Namorados: 5 produtos por apenas R$ 49,90 (...) Agenda de Oração Permanente; Bíblia Fonte de Bênçãos ARC - Capa Marrom Grife; CD Recados do Coração; DVD Onde Anda o seu Coração; Livro Parceiros ou Rivais".

Comentar
Compartilhe
Enquanto isso, no mundo real
23/06/2015 | 12h40
Se no mundo cor de rosa vai tudo bem, no mundo real uma senhora de 82 anos sofre em busca de um leito de UTI. Confira a postagem do jornalista Fernando Leite: [caption id="attachment_34008" align="aligncenter" width="501"] Reprodução/Blog do Fernando Leite[/caption]
Comentar
Compartilhe
Albertinho anuncia saída da base e rasga jornal
10/06/2015 | 09h05

O vereador Albertinho (Pros), que fazia parte da bancada governista desde 2009, chegando a ser apontado como o "homem bomba" de Garotinho, resolveu bombardear o governo. "Não posso ficar calado. Votei contra o projeto porque até hoje não sabemos o que foi feito com o empréstimo anterior. Tem terceirizado passando fome, tem gente sem Cheque Cidadão há quase quatro meses. Ao invés de dialogar, explicar, o que vimos foi um jornal publicar a foto de vereadores e insinuar que somos contra os programas sociais. Quero avisar que o Pros está fora da bancada e só me deixaram essa opção", disse Albertinho, que rasgou a edição de hoje do jornal "O Diário".

Vendo que o vereador Albertinho poderia ampliar o protesto, o seu microfone foi cortado pelo presidente da Casa.

Comentar
Compartilhe
Professores: Câmara aprova aumento de 100% da regência
02/06/2015 | 07h27

A Câmara de Campos aprovou neste terça-feira (02), por unanimidade, o Projeto de Lei que dispõe sobre a alteração de dispositivos da Lei 8471, de 27/09/2013, que trata do reajuste de 100% da Gratificação por Regência de Classe e o Projeto de Lei que institui o novo Plano Municipal de Educação.

Pelo projeto, os professores que estão em sala de aula passarão a ganhar R$ 300,00 de gratificação. A proposta visa incentivar os profissionais, assim como valorizar a categoria. Cerca de 47% de todo o quadro dos profissionais da educação serão beneficiados. Essa é uma das medidas que compõem a revisão do Plano de Cargos e Salários da categoria, implantado em 2009. "Sabemos que ainda existem questionamentos, mas entendo que se trata de um avanço. Vivemos hoje uma crise gerada pelo governo federal e, mesmo assim, a prefeita Rosinha tem feito o possível para atender a categoria. Quem me conhece sabe da minha luta pela valorização dos professores. A Educação tem o poder de libertar", disse a vereadora Auxiliadora Freitas (PHS), ressaltando que solicitou ao Executivo a alteração das regras que regulamentam a progressão e promoção dos profissionais do magistério da Educação Básica Municipal. A alteração solicitada por Auxiliadora pretende garantir mais direitos aos profissionais do magistério, bem como estender o enquadramento aos servidores inativos. O principal ponto a ser alterado, segundo a solicitação, seria a redução do prazo de interstício mínimo entre uma promoção horizontal e outra. Atualmente, a regra estabelece o período de quatro anos. Auxiliadora entende que o prazo deve ser de dois anos.

Oposição - A bancada oposicionista votou a favor do projeto, mas não deixou de fazer críticas. "Hoje a oposição mostrou que, quando a matéria é importante, se posiciona ao lado do governo. Mas não podemos deixar de fazer algumas ponderações. Esta é uma vitória parcial dos educadores que lutaram por seus direitos. O governo só enviou este projeto após os protestos. Se deixasse por conta da prefeita, não haveria avanço algum", disse Rafael Diniz (PPS), que foi além. "O wue eu vejo é que esse governo está superfaturando a crise. Se não podem atender todas as reivindicações dos professores, a culpa é da crise. Mas este mesmo governo não deixa de repassar quantias bem altas para algumas empresas. Infelizmente, a Educação nunca foi uma prioridade deste grupo", completou Rafael.

Já o vereador Marcão lembrou que a pauta de reivindicações vai muito além da gratificação. "Os professores cobram uma melhor estrutura nas escolas, uma merenda de melhor qualidade, porteiros, vigias, merendeiras, plano de saúde, uniformes e a reposição salarial anual. Além do material escolar, que deveria ser escolhido após debate com os professores, e não comprado por R$ 40 milhões a uma empresa de Curitiba. E este mesmo governo, que não consegue solucionar esses problemas, pagou R$ 54 milhões de juros após vender os royalties do petróleo", disparou Marcão.

Mais informações na edição de amanhã (03) da Folha.  

Comentar
Compartilhe
Em tempos de crise, ONG recebe R$ 650 mil
18/06/2015 | 02h25

Pode faltar leite especial, vigias porteiros, merendeiras, plano de saúde, reposição salarial anual, salários dos terceirizados da Limpeza, recursos para obras e itens básicos para médicos e dentistas, mas ninguém pode dizer que o governo Rosinha deixa de pagar as parcelas do Centro Brasileiro de Ações Sociais para a Cidadania (Cebrac), responsável pela administração de Vilas Olímpicas. No último dia 09 a ONG, do Rio de Janeiro, recebeu R$ 324 mil, referente a parcela de número XV. Dois dias depois, no dia 11, a organização recebeu mais R$ 324 mil. A soma das duas parcelas gira em torno de R$ 650 mil.

De acordo com informações publicadas em 2014 no blog do jornalista Ricardo André Vasconcelos (aqui), a ONG assinou contrato de R$ 12 milhões para administrar duas Vilas Olímpicas.

Escândalo envolvendo ONGs já levou o líder rosáceo à greve de fome - Alegando perseguição e sem espaço para se defender das denúncias, Garotinho fez greve de fome em 2006. Confira um apanhado das matérias sobre a greve de fome no blog do jornalista Ricardo André: aqui 

Comentar
Compartilhe
Rosinha publica "pacotão de nomeações"
16/06/2015 | 09h45

Duas semanas após exonerar os aliados que ocupavam cargos comissionados, a prefeita Rosinha Garotinho (PR) começa a montar novamente o seu time, com a publicação de um "pacotão de nomeações". No Diário Oficial desta terça-feira (16) é possível acompanhar nomeações de integrantes dos mais variados cargos. DAS 1, DAS 2, DAS 3, DAS 4 e DAS 7. Ao todo, foram mais de 60 nomeações. Veja no D.O.: aqui . Ontem (15), a prefeita já havia nomeado mais de 80 aliados.

Entre as principais mudanças está a exoneração de Thiago Ferrugem da presidência da Fundação Municipal da Infância e Juventude (FMIJ). Quem assume o comando da FMIJ é  Rodrigo Nogueira de Carvalho, que era assessor especial da mesma Fundação.

Thiago Ferrugem agora responde apenas pela secretaria Municipal de Desenvolvimento Humano e Social, cargo que ele assumiu após a saída do médico Geraldo Venâncio, que agora é presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS).

Nesta etapa a prefeita nomeou aliados para as secretarias de Desenvolvimento Humano e Social, Controle Orçamentário e Auditoria, Desenvolvimento Econômico, Saúde, Infraestrutura e Educação.

Comentar
Compartilhe
Vladimir Palmeira e Dirceu: um ficou preso ao passado e o outro virou preso político
01/06/2015 | 12h05

Por Fernando Molica/O Dia: 

Semana passada, um senhor de bermuda, barrigudo, meio desgrenhado, aguardava a vez de ser atendido na fila de uma lotérica do Humaitá. Era o ex-deputado Vladimir Palmeira, figura marcante das manifestações de 1968 contra a ditadura. Orador irônico, implacável, brilhante, fazia uma espécie de dupla com José Dirceu. Os dois, um no Rio, outro em São Paulo, transformaram-se em símbolos do movimento estudantil. Acabaram presos — seriam soltos ao mesmo tempo, estavam entre os 15 libertados em troca do embaixador norte-americano sequestrado por grupos guerrilheiros.

Fui até ele, o cumprimentei e lembrei que, há uns 20 anos, ele ganhara uma bolada — cerca de R$ 3 milhões — na loto. A maior parte da grana foi gasta em atividades políticas, como na compra de um caminhão de som. Ao PT, ele doou 10% do prêmio. O destino do dinheiro virou piada — era a segunda vez que o sujeito decidira abrir mão de uma fortuna (a primeira vez foi quando rejeitou a herança de sua família, dona de usinas no Nordeste). Vladimir, veja só, perdeu dinheiro com a política.

Os destinos de Vladimir e de Dirceu ajudam a contar um pouco da história recente da esquerda brasileira, em particular a do PT. Aos 70 anos, o primeiro não abandonou o jeitão de estudante revoltado, de quem desconfia de qualquer poder. O outro, a partir dos anos 1990, lançaria as bases que permitiriam ao PT chegar à Presidência da República. A contradição ficaria evidente em 1998, quando, para evitar a candidatura de Vladimir ao governo do Rio e forçar uma aliança com Garotinho, a direção nacional petista fez uma intervenção no diretório fluminense do partido. Ficou evidente que, para crescer e conquistar aliados, o PT não abriria mão de práticas da política brasileira que tanto havia condenado.

A prisão domiciliar de Dirceu, que não parece ter problemas de dinheiro, e a presença do antigo companheiro na fila da loteria são complementares, sintetizam agruras petistas. Revoltado com o PT, Vladimir, que tanto gosta de apostar nos números, trocou o 13 pelo 40 do PSB — pelos novos rumos da legenda, deverá descartar esta outra dezena. Defensores de Dirceu podem alegar que o jogo que ele decidiu jogar viabilizou a ascensão do PT e a implantação de políticas que diminuíram a pobreza, resgatarão a história da necessidade de quebrar ovos para fazer omeletes. O pessoal que se identifica com Vladimir responderá que muitos dos ovos eram de ouro e acabaram furtados por raposas que cercavam o galinheiro. Deu certo, e também deu errado. Deu no que deu.

Fonte: O Dia 
Comentar
Compartilhe
CPI: "rolo compressor" manobra para mudar regra e gera tumulto
23/06/2015 | 05h52

Como este blog informou mais cedo, a trupe rosácea estava disposta a fazer malabarismo com o regimento da Casa com o intuito de evitar uma investigação séria sobre o “rombo” de R$ 109 milhões (aqui). Agora, durante a sessão, foi debatido um projeto de resolução, assinado pelos vereadores governistas, com o objetivo de impedir que mais de duas Comissões Parlamentares de Inquérito (CPI) sejam abertas. A manobra irritou a bancada de oposição e gerou tumulto na Câmara.

Durante a fala do vereador José Carlos (PSDC), que protestava contra o projeto, alguém gritou na plateia: "Vereador de merda". Após a agressão, o vereador José Carlos cobrou uma postura firme do presidente da Casa, Edson Batista (PTB). "Não vou aceitar calado", disse José Carlos.

Visivelmente irritado, o vereador Marcão (PT) desabafou: "Quem chamou o vereador de merda é porque defende um governo de merda", disparou o petista, que pediu a retirada do projeto da pauta. "Precisamos de mais tempo para analisar esse projeto, que chegou na hora da sessão. Ninguém conseguiu nem ler o projeto", afirmou.

Thiago dá "dica" - Durante o tumulto, o vereador Thiago Virgílio (PTC) sugeriu, baixinho, ao presidente: "Ameace encerrar a sessão que todo mundo vai parar de gritar".

"Já começou a bagunça" - Ao ver a reação da plateia, que aplaudia e vaiava, o vereador Abdu Neme (PR) resmungou: "Ih, já começou a bagunça".

"Temos muitas CPIs protocoladas" - Confirmando uma manobra que havia sido adiantada pela coluna "Ponto Final", o presidente da Câmara, Edson Batista informou que já existem muitas CPIs protocoladas na Casa. Com a movimentação, a CPI do Rombo fica em último lugar da fila, como já havia dito o vereador Thiago Virgílio no Facebook.

Dona Penha: “Não fomos eleitos para criticar, nem para abrir CPI”: aqui 

Neymar ganha moção de aplausos: aqui 

Rafael Diniz enquadra Edson: “Levante a cabeça e honre esta cadeira”: aqui 

Comentar
Compartilhe
Sobreviveu
23/06/2015 | 12h29

Em 2010 o então vereador Papinha (PP) se colocou como pré-candidato a deputado estadual. Mobilizou aliados, se movimentou, mas acabou desistindo para apoiar Roberto Henriques, que na época fazia parte do grupo rosáceo (aqui).

Dois anos depois, em 2012, Papinha tentou se reeleger vereador. Mesmo com 2.861 votos, não conseguir manter sua cadeira na Câmara. Na época, quem acompanhou os bastidores percebeu que ele foi "degolado" pelo próprio grupo, já que o líder investiu muito mais em Miguelito (PP), para atrapalhar Nelson Nahim (PSD), e em Ozéias (PTC), que é de Travessão e tirou votos de Papinha.

Revoltado, Papinha abandonou o grupo rosáceo e foi tentar a vida distante da máquina municipal. Em 2014, foi candidato a deputado estadual e caminhou ao lado da chapa vitoriosa na disputa pelo governo estadual: Luiz Fernando Pezão (PMDB) e Francisco Dornelles (PP). Obteve 7.262 votos, ficou com a segunda suplência do PP, e conseguiu assumir uma cadeira na Alerj.

Agora, assumiu a presidência do PP em Campos e surge como pré-candidato à Prefeitura.

Nos bastidores do grupo rosáceo, Papinha vem sendo apontado como exemplo para os rebeldes.

Para os aliados que estão pensando em mudar de lado, Papinha é a prova de que existe vida sem o casal Garotinho.

Comentar
Compartilhe
PF prende os presidentes da Odebrecht e da Andrade Gutierrez
19/06/2015 | 11h24
[caption id="attachment_33918" align="aligncenter" width="489"] Da esquerda para direita, os presidentes da Andrade Gutierrez, Otavio Azevedo, e Marcelo Odebrecht - Arquivo/Montagem/O Globo[/caption]

O cerco começa a se fechar até para os "peixes" grandes.

A Polícia Federal prendeu na manhã desta sexta-feira os presidentes da Odebrecht - maior empreiteira do país -, Marcelo Odebrecht, e Otávio Azevedo, da Andrade Gutierrez, na 14ª fase da Operação Lava-Jato, batizada de "Erga Omnes". No total, estão sendo cumpridos 59 mandados judiciais – 38 mandados de busca e apreensão, 9 mandados de condução coercitiva, 8 mandados de prisão preventiva e 4 mandados de prisão temporária em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Cerca de 220 policiais federais participam da ação. Entre os presos estão também os executivos Márcio Farias e Rogério Araújo, da Odebrecht, e Paulo Dalmaso e Elton Negrão, da Andrade Gutierrez. Todos eles serão levados à Superintendência da PF, em Curitiba. O nome que deu origem à operação da PF é um termo jurídico em latim que significa que uma norma ou decisão terá efeito vinculante, ou seja, valerá para todos. Por exemplo, a coisa julgada erga omnes vale contra todos, e não só para as partes em litígio.

Os investigadores pediram a prisão dos executivos da Odebrecht com base em indícios de que a empresa pagou propina ao ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, entre outros, no exterior. Em depoimentos da delação premiada, Paulo Roberto disse ter recebido mais de US$ 23 milhões da Odebrecht na Suíça. O suborno teria sido pago por intermediários. Procuradores e delegados suspeitam também que executivos da empreiteira estariam tentando destruir provas e se desvincular de empresas que teriam sido usadas para movimentar o dinheiro da propina.

Durante a coletiva na sede da PF, em Curitiba, a força-tarefa justificou a prisão dos executivos. "Os presidentes das empresas sabiam de tudo. Apareceram indícios concretos comprovando que eles tiveram contato ou participações diretas em atos que levaram a formação de cartel",  disse o procurador Carlos Fernando Lima.

A Odebrecht, maior empreiteira do País, afirmou à Polícia Federal, em petição entregue no último dia 28 de maio à Polícia Federal em Curitiba, que “não participa de esquemas ilícitos, menos ainda com a finalidade de pagar vantagens indevidas a servidores públicos ou executivos de empresas estatais”. Na petição, a empresa negou com veemência suspeitas sobre contratos com a Petrobras.

Em nota, a Andrade Gutierrez confirmou que presta apoio a seus executivos. “A Andrade Gutierrez informa que está acompanhando o andamento da 14ª fase da Operação Lava-Jato e prestando todo o apoio necessário aos seus executivos neste momento. A empresa informa ainda que está colaborando com as investigações no intuito de que todos os assuntos em pauta sejam esclarecidos o mais rapidamente possível. A Andrade Gutierrez reitera, como vem fazendo desde o início das investigações, que não tem ou teve qualquer relação com os fatos investigados pela Operação Lava-Jato, e espera poder esclarecer todas os questionamentos da Justiça o quanto antes”.

Fonte: O Globo

Comentar
Compartilhe
Dayvison: "O caos já reina em nossa cidade desde a eleição para o governo do estado"
10/06/2015 | 08h33

Ontem (09), logo após a Câmara de Campos não votar o projeto de lei que autoriza operações de antecipação de crédito, o chamado "cheque especial" (aqui), o secretário de Governo Anthony Garotinho (PR) já deixou claro qual será a estratégia caso a proposta não seja aprovada. Ele avisou que "o povo ficará sabendo quem pode ter sido responsável pela interrupção de programas como o da passagem de ônibus a R$ 1,00, o do Cheque Cidadão, das casas populares, das creches e escolas modelos, da construção de hospitais e UBS". A declaração foi dada ao jornal "O Diário", que publicou as fotos dos vereadores Gil Vianna (PR), Jorge Magal (PR), Albertinho (Pros), Alexandre Tadeu (PRB) e Dayvison Miranda (PRB) e apontou os parlamentares como responsáveis, ao lado da oposição, por uma "manobra" para adiar a votação do projeto.

Como toda ação conta com uma reação, o vereador Dayvison Miranda, ex-aliado do governo, usou o Facebook para desabafar. "Já começou a manobra do governo de Campos para querer colocar em nossa conta o descaso financeiro que nos últimos meses vem tomando conta da cidade. Vale ressaltar que o problema não virá se não aprovarmos a venda dos Royalties em troca de empréstimos e sim o caos já reina em nossa cidade desde as eleições para governo do Estado. Posso citar aqui alguns deles: o cheque cidadão já amarga 3 meses de atraso, ou seja, já está cortado, as empresas de ônibus estão com os repasses atrasados e não nós que vamos acabar com a passagem social, existem UBS como a de Ururai que está caindo aos pedaços a tempo e não somos nós que vamos acabar com a construção de posto de saúde, obras de reforma de creches paradas há mais de 6 meses, a exemplo à Creche Maria Lúcia e não somos nós, vereadores, que vamos fazer parar o que já está. Professores sem plano de saúde há mais de 8 meses por falta de pagamento da prefeitura e são os vereadores que vamos acabar com o plano, escolas, hospitais, creches, vilas olímpicas e limpeza pública com atendimento precário por falta de funcionários contratados que foram demitidos há 6 meses e não foram os vereadores que mandaram os trabalhadores embora", disparou Dayvison, que foi além:  "Vale salientar, que há 6 meses já foram vendido os royalties em troca de financiamento que não resolveu as dívidas da prefeitura na atual gestão e agora querem fazer o mesmo. Querem deixar dívidas para o futuro prefeito pagar e pedem que nós aprovemos essa tal autorização sem ao menos dizer o que será feito com esse empréstimo? A prefeitura já está afundada em dívidas faz tempo e agora a culpa da má administração é nossa! Lamentavelmente é isso que o governo quer insinuar. Vale o dito popular 'papagaio come milho periquito leva a fama'. Estamos ao lado do povo e vamos votar com responsabilidade e não acabar com o que já está acabado. O povo não é mais bobo, aprendeu a pensar", completou.

Albertinho: "O verdadeiro líder não usa a força bruta para corrigir seus liderados" - Também no Facebook, o vereador Albertinho deixou uma reflexão no ar: "O verdadeiro líder não usa a força bruta para corrigir seus liderados a ponto de humilhá-los. Ele usa geralmente sua sapiência a fim de corrigi-los e orientá-los. Corrija sem ofender e oriente sem humilhar, é pré-requisito para ser um líder admirado, pois senão será um líder odiado pelos seus liderados e pela população".

Filho de Gil Vianna elogia postura do pai - Quem também usou o Facebook para se manifestar foi Bruno Vianna, filho do vereador Gil Vianna. Ele compartilhou a matéria que aponta a suposta manobra e comentou: "É por causa de atitudes como essa que tenho orgulho de ser seu filho, mesmo nesse mundo sujo que é a política, rodeado de pessoas falsas e maldosas .Você consegue se destacar e fazer o certo , Parabéns Gil Vianna! #?orgulho? ?#?deixafalar?".

Atualização às 10h30 - Alexandre Tadeu se posiciona - O vereador Alexandre Tadeu também usou as redes sociais para se posicionar sobre o projeto. Segundo o Tô Contigo, ele e o seu partido, o PRB, desejam uma explicação detalhada sobre a aplicação dos recursos que serão obtidos com a antecipação de receitas. "Esse empréstimo gira em torno de R$ 1 bilhão. E esse recurso pertence ao cidadão de Campos e deve ser utilizado, exclusivamente, em benefício da população. Para autorizar, o PRB exige uma explicação sobre o que será feito com esse dinheiro. Não serei irresponsável a ponto de autorizar que R$ 1 bilhão do povo de Campos seja retirado dele e entregue a alguém que não justifica o que será feito", afirmou.

Comentar
Compartilhe
Nelson Rodrigues e a licença de Paulo Hirano
12/06/2015 | 02h47

Após a polêmica sessão da última quarta-feira (10) surgiram as mais variadas opiniões sobre a manobra que deu um "cheque especial" ao governo rosáceo. Alguns apontaram o secretário de Governo Anthony Garotinho (PR) como um jogador virtuoso, capaz de encontrar brechas para fazer valer a sua vontade e atropelar os adversários. Para os admiradores do ex-governador, a volta de Fábio Ribeiro ao Legislativo foi fundamental para deixar de depender dos rebeldes e garantir os 13 votos necessários.

Essa jogada foi boa e Garotinho é realmente um jogador habilidoso, mas pouca gente parou para pensar em uma sórdida jogada. O que realmente fez a diferença na quarta-feira foi a manobra que fez o ex-líder do governo e ex-secretário de Saúde, Paulo Hirano (PR), trocar uma justa licença médica, com validade até julho, por uma licença para tratar de "assuntos particulares", que o afastou temporariamente da Câmara deixou a vaga para Kellinho, que votou com o governo.

Resumindo: Paulo Hirano, mesmo doente, foi atropelado pelo "rolo compressor" que ele liderava até o final do ano passado.

Para conseguir liberar a "venda" dos royalties, o líder do grupo mostrou que não existe constrangimento, amizade, nem bons sentimentos quando o poder está em jogo. Agora é fácil dizer que a ideia partiu de Hirano, mas existem muitas conversas no Whatsapp que mostram qual era a verdadeira opinião do médico.

Esse episódio lamentável me fez lembrar de uma frase do jornalista e escritor Nelson Rodrigues. Ele dizia: "Muitas vezes é a falta de caráter que decide uma partida. Não se faz literatura, política e futebol com bons sentimentos..."

Comentar
Compartilhe
Obra com "força total" no Centro Cultural Anthony Garotinho
12/06/2015 | 12h43

Se muitas obras da Prefeitura de Campos estão paradas há tempo, o mesmo não pode ser dito em relação ao Centro Cultural Anthony Garotinho (CCAG). Em seu perfil no Facebook, uma aliada do secretário informa: "Você que gosta de arte e cultura, em breve o Centro Cultural Anthony Garotinho será reinaugurado com força total (...) Quem foi rei nunca perde a majestade".

Lacrado -  Com o objetivo de "prevenir práticas assistencialistas", a fiscalização do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ) lacrou, em agosto do ano passado, o Centro Cultural Anthony Garotinho. O nome do político também foi coberto pelos fiscais na fachada do prédio.   A determinação de fechar o local partiu da juíza Daniela Barbosa Assumpção de Souza, que decretou que o Centro fosse lacrado depois de receber uma denúncia anônima de que, durante propaganda eleitoral no rádio, no dia 20 de agosto, uma mulher agradecia o enxoval doado pelo candidato.

Material - Também em agosto do ano passado, fiscais da coordenadoria estadual de fiscalização de propaganda apreenderam, no Centro Cultural, cerca de 100 fraldas, 350 calendários com a foto do candidato e família, pastas, cartões de visita e blocos da Câmara dos Deputados, além de um caderno com fichas de grávidas e data provável do parto. Foram encontrados, ainda, 46 DVDs sobre o candidato ao governo (PR) e cinco faixas. Um documento com o logotipo “Missão Palavra de Paz” relaciona itens como fraldas, cadeira de rodas e 'enxoval', sob o título “Protocolo de Saída”.

Comentar
Compartilhe
Reajuste dos professores da rede estadual está em risco
21/06/2015 | 11h44
[caption id="attachment_33964" align="aligncenter" width="491"] Em maio, integrantes da coordenação do Sepe participaram de reunião com o governador Pezão Foto: André Mourão/O DIA[/caption]

Professores da rede estadual têm que torcer muito para que empresas multadas pelo estado aceitem entrar no plano do governo que prevê redução de cerca de metade de suas dívidas, que chegam a R$ 14 bilhões. Isto, em troca do pagamento do débito. No Palácio Guanabara, a receita com o pagamento dos débitos é vista como a única capaz de viabilizar a concessão, neste ano, de reajuste salarial para o magistério. O governo não tem conseguido sequer honrar compromissos com fornecedores.

Em maio, o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) prometeu conceder reajuste salarial este ano para os profissionais da Educação. Ele não apresentou oficialmente um índice de aumento, durante reunião com a coordenação do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação (Sepe), no Palácio Guanabara, mas informou que acreditava na melhoria da arrecadação do estado, principalmente após aprovação de projetos de lei que vão tratar especificamente dos devedores do governo.

A direção do Sepe apresentou a reivindicação de 20% relativos à perda salarial da categoria e data base em primeiro de maio.

Fonte: Fernando Molica/O Dia

Comentar
Compartilhe
Rosáceos defendem "empréstimo" e divulgam campanha
29/06/2015 | 07h38

Nesta segunda-feira (29) os aliados do governo Rosinha Garotinho (PR) compartilharam na internet algumas montagens com as seguinte frases: "Campos precisa! Antecipação dos Royalties", "Agricultura Precisa!", "Nossos filhos precisam", "A Saúde Precisa!", "A Educação Precisa!", "O Comércio Precisa!", e por aí vai. O plano é tentar mostrar que a "venda" dos royalties é fundamental para a manutenção de pastas importantes do governo Rosinha e até do equilíbrio da economia.

É bom lembrar que esse "empréstimo" pode chegar a R$ 1,2 bilhão e deixar uma conta salgada para as próximas gerações. De acordo com o economista Ranulfo Vidigal, os "juros" podem girar em torno de R$ 300 milhões/ano.

Outra campanha - Na contramão do apelo rosáceo, o Observatório Social de Campos lançou, em rede social, a campanha “Royalties. Não venda meu futuro”. Na próxima quinta-feira, a campanha ganha as ruas, com evento no Centro da cidade. Mais informações no blog "Na Curva do Rio", da jornalista Suzy Monteiro: aqui e na edição de amanhã da Folha.

Comentar
Compartilhe
Rosáceos não obedecem Garotinho e "empréstimo" sai da pauta
09/06/2015 | 08h27

Vereadores da base governista manobraram nos bastidores e o projeto que pretende antecipar receitas, em torno de R$ 1 bilhão, foi retirado da pauta durante a sessão desta terça-feira (09). Deixando a submissão de lado e dispostos a peitar o líder, um bloco avisou que não aprovaria o projeto sem uma ampla discussão sobre quais seriam os pagamentos realizados com o empréstimo. Correndo contra o tempo, os articuladores do governo tentaram reunir pelo menos 13 parlamentares, o que garantiria a aprovação, mas o risco era grande e o governo recuou.

Os articuladores do governo não tinham certeza sobre o posicionamento dos seguintes membros da bancada rosácea: Gil Vianna (PR), Albertinho (Pros), Jorge Magal (PR), Dayvison Miranda (PRB) e Alexandre Tadeu (PRB) e Genásio (PSC). Além disso, já eram dados como certos os cinco votos contrários da oposição (Nildo, Rafael, Marcão, Fred e José Carlos). Para completar, o governo ainda não conta com vereador Paulo Hirano (PR), que está de licença médica.

Em busca de 13 votos para aprovar o "cheque especial", os articuladores partiram em busca da vereadora Auxiliadora Freitas (PHS), que por recomendação médica estava em casa, de repouso, após uma crise hipertensiva na noite de ontem. Porém, o repouso teve que ser interrompido e a vereadora foi convocada as pressas para votar. O problema é que nessa altura do campeonato o governo já não tinha certeza se contaria com 13 votos. Sendo assim, o presidente encerrou a sessão e as discussões ficaram para amanhã.

Emenda - No início da sessão o vereador Marcão (PT) informou que irá apresentar uma emenda ao projeto que pretende liberar o "empréstimo". Segundo Marcão, o governo deve dar garantias de que os próximos gestores não ficaram responsáveis por prestações. "Tem que quitar tudo até o fim de 2016", diz Marcão.

Articuladoras - Nos corredores da Câmara, as irmãs Linda Mara e Dinalva, que possuem um canal direto com o líder e a prefeita, tentavam de todas as formas viabilizar a votação.

Em maio, "rolo' enguiçou - Esta não é a primeira vez que o "rolo compressor" enguiça. No dia 04 de maio a Câmara de Campos realizaria uma sessão extraordinária para votação, em segundo turno, do Projeto que transformava os superintendentes em ordenadores de despesas.  Porém, por conta de desfalques no “rolo compressor”, que colocavam a aprovação do projeto em risco, a sessão foi adiada. Posteriormente, após uma conversa com o líder, o "rolo" aprovou a matéria.

Fogo de palha? - Resta saber se o grupo que "peitou" o líder vai continuar cobrando um amplo debate sobre o "cheque especial" de R$ 1 bilhão, ou esse bloco "independente" irá deixar o embate de lado em troca de um "carinho" do líder.

Desespero - Nos bastidores, os principais nomes do grupo rosáceo não escondem que, sem o "cheque especial", a Prefeitura entra em estado de falência. Sem o dinheiro, além da paralisação de todas as obras, programas como Cheque Cidadão e Campos Cidadão sobem no telhado.

Comentar
Compartilhe
"Quem discorda deve devolver o mandato ao PR e buscar novos rumos"
11/06/2015 | 01h01
[caption id="attachment_33769" align="aligncenter" width="393"] Subsecretário de Governo, Thiago Godoy, mandou recado - Foto de Rodolfo Lins[/caption]

Citado ontem (10) pelo vereador Jorge Magal (PR), que alegou ameaças (aqui), o subsecretário de Governo da Prefeitura de Campos, Thiago Godoy, deixou claro que os parlamentares estão realmente na mira. Segundo Godoy, que atua em sintonia com o secretário de Governo, Anthony Garotinho (PR), o vereador Kellinho encaminhou a votação indicando a bancada do PR que votasse a favor do projeto de lei. "Sendo assim, aqueles que estão no partido da própria prefeita Rosinha e votaram contra devem sim ter a sua conduta avaliada, isso porque na vida partidária tem que haver disciplina. A Justiça já decidiu que o mandato pertence ao partido e não a pessoa que se elegeu por ele. Por isso, aqueles que discordam da posição ideológica, das diretrizes dos dirigentes e das ações de um governo do seu próprio partido, deveriam devolver o mandato ao Partido da República e buscarem novos rumos", diz Godoy, que ainda manda o seguinte recado: "Medidas duras devem ser tomadas com aqueles que agirem com infidelidade partidária".

Ontem, além de Magal, o vereador Gil Vianna, do PR, também votou contra o projeto.

Atualização às 15h20 - Inclusão de imagem

Comentar
Compartilhe
Miséria no Norte e Noroeste é destaque no jornal "O Globo"
02/06/2015 | 01h07
[caption id="attachment_33564" align="aligncenter" width="440"] Foto: Márcia Foletto / Agência O Globo[/caption]

Num Rio de disparidades superlativas, cabe um Brasil inteiro. Se o Norte e Noroeste fluminense têm municípios com indicadores sociais que se aproximam do Norte e Nordeste do país, o estado também tem seu Sul maravilha, na região do Médio Paraíba, além de uma área metropolitana adensada e cheia de desafios, que se assemelha ao Sudeste brasileiro.

Entre São Francisco de Itabapoana, num dos extremos do estado, e Resende, na outra ponta do território fluminense, a distância é muito maior do que sugerem os 480 quilômetros que separam os dois municípios. Enquanto a cidade do Norte Fluminense tem, segundo o Ministério do Desenvolvimento Social, 15,6% de seus moradores na extrema pobreza — o pior índice do estado, comparável aos do Nordeste —, a do Médio Paraíba registra 1,6% de miseráveis — percentual igual ao de Santa Catarina, que tem a menor taxa entre as 27 unidades da federação. A segunda reportagem da série “Os miseráveis” revela os contrastes de um Rio desigual.

Como O GLOBO na reportagem deste domingo, o estado tem 3,77% de sua população (565.135 pessoas) vivendo na pobreza extrema, de acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Já o Ministério do Desenvolvimento Social, que dispõe de dados sobre os 92 municípios fluminenses, utiliza critérios diferentes dos do Ipea e contabiliza 1,74% de miseráveis, ou 283 mil pessoas.

Perto do petróleo, que na última década alavancou a economia do estado, mas longe da prosperidade vivida por cidades como Macaé e Campos — hoje afetadas pela crise no setor —, São Francisco de Itabapoana tem 41.354 habitantes (Censo 2010), sendo 6.452 extremamente pobres, segundo o Ministério do Desenvolvimento Social. E não é difícil entender por que tantos vivem na penúria. De acordo com números do Ministério do Trabalho, no início deste ano, havia apenas 1.878 empregos formais na cidade. O que resta é a informalidade, na qual imperam salários de, no máximo, R$ 200, como o da empregada Jocilene Melo, que não tem carteira assinada nem sonha com os direitos assegurados pela PEC das Domésticas.

Na localidade do Valão Seco, o machadeiro Almir Alves Pereira segue a mesma profissão que garantia o sustento do avô, no século passado. Cata madeira seca no mato e a entrega na casa de quem usa fogão a lenha para economizar gás. O trabalho rende R$ 50 por mês: "Pego água para beber na torneira do banheiro de uma venda. Não tenho energia elétrica, nem vela em casa. Acordo com o sol e durmo quando anoitece".

São Francisco e Cardoso Moreira entre os cinco municípios com pior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH): aqui 

Leia a matéria completa: aqui 

Comentar
Compartilhe
Hoje tem marmelada?
23/06/2015 | 01h09

Tudo indica que a Câmara de Campos vai contar com mais um espetáculo circense nesta terça-feira (23).

Após ensaiar com o líder, a trupe rosácea promete manobras radicais, truques e malabarismo com o regimento interno da Casa. Tudo para desviar o foco e evitar uma investigação séria sobre o "rombo" de R$ 109 milhões. Além disso, sedentos por aplausos, os aliados do governo já teriam solicitado a presença das "palmas oficiais", com direito a animador de auditório e tudo. Pelo lado dos "independentes", não vai ser muito diferente. Como faziam parte do grupo rosáceo, os ex-aliados vão usar truques semelhantes. Nessa hora muita gente deve se perguntar: e os palhaços?

Comentar
Compartilhe
Gratificação dos professores na pauta da Câmara
02/06/2015 | 12h57
O vereador José Carlos (PSDC) usou o seu perfil no Facebook para informar que está na pauta da sessão desta terça-feira (02), que começa às 17h, o Projeto de Lei que dispõe sobre a alteração de dispositivos da Lei 8471, de 27/09/2013, que trata da Gratificação por Regência de Classe e o Projeto de Lei que institui o novo Plano Municipal de Educação. "Como se trata de uma matéria que interessa diretamente os educadores, convido a classe para comparecer ao Legislativo e acompanhar a sessão de perto", diz o vereador. Confira a justificativa do projeto que dobra a regência dos professores:

   
Comentar
Compartilhe
Macaé: aliança entre passado e presente
22/06/2015 | 01h30

O ex-governador Leonel Brizola dizia que "em política não existe nunca, nem para sempre". Em Macaé, na última sexta-feira (19), o prfeito Dr. Aluízio anunciou publicamente a sua aproximação com o ex-prefeito Sílvio Lopes (PSDB) e com o ex-deputado Glauco Lopes (PSDB). Segundo o prefeito, que se elegeu prometendo ser uma via alternativa aos antigos nomes da política macaense, o momento é de "reconciliação". "Fazer política é, acima de tudo, se colocar no lugar dos outros. O processo política precisa ter uma visão humana. Vamos continuar reconstruindo Macaé, com nossos erros, que não são poucos. Quero agradecer por tudo que o Seu Silvio fez na história de Macaé, na história política do estado e isso não é novidade para ninguém. O meu vínculo afetivo também não é novidade para ninguém. Não é só um momento político partidário, mas é um momento público de reencontro. E é isso que a cidade quer. A singularidade é muito pequena diante das nossas necessidades", disse o prefeito.

Nos bastidores especula-se que o ex-deputado Glauco Lopes, filho do ex-prefeito Silvio Lopes, seria o mais cotado para a vaga de vice na chapa encabeçada pelo prefeito, que vai buscar a reeleição no ano que vem.

[caption id="attachment_33981" align="aligncenter" width="403"] Vice-prefeito fez desabafo no Facebook[/caption]

Vice-prefeito dispara: "É a volta dos que não foram" - Se agora o prefeito de Macaé flerta com os tucanos, em 2012 ele contava em sua chapa com o então petista Danilo Funke. Diante da aliança com o PSDB, o vice-prefeito de Macaé fez um desabafo no Facebook. "Sabemos que nos meandros da política acontecem composições, acordos, reaproximações para se buscar um projeto de poder. Guardados os limites morais poucos vistos na política, não posso querer ser maior que o sistema. Mas o que se faz hoje na cidade de Macaé é uma verdadeira 'volta dos que não foram'. Erro meu achar que quem já esteve no 'ninho' por pintar de outra cor o 'bico', iria se tornar diferente do que nasceu (...)  Isso tudo me remete a uma frase de Winston Churchill para tentar elucidar a interrogação que se criou no imaginário popular 'sacolejado' nesse fim de semana: 'A política é quase tão excitante como a guerra e não menos perigosa. Na guerra a pessoa só pode ser morta uma vez, mas na política diversas vezes'. A partir de íntima reflexão, tenho que reconhecer a força emblemática dessa figura da política macaense que sempre fiz oposição mas que volta a me surpreender. Para quem achou que o ex-prefeito estava "morto", na verdade nunca se foi. Quando não estava no poder, na verdade estava escondido atrás das cortinas mexendo as cordas para controlar as marionetes que vieram no jogo de poder depois dele. Tenho que tirar o 'chapéu' que é o que me cabe; porque as 'máscaras' estão caindo", afirmou o vice-prefeito.

Comentar
Compartilhe
Dayvison: "O caos já reina em nossa cidade desde a eleição para o governo do estado"
10/06/2015 | 08h33

Ontem (09), logo após a Câmara de Campos não votar o projeto de lei que autoriza operações de antecipação de crédito, o chamado "cheque especial" (aqui), o secretário de Governo Anthony Garotinho (PR) já deixou claro qual será a estratégia caso a proposta não seja aprovada. Ele avisou que "o povo ficará sabendo quem pode ter sido responsável pela interrupção de programas como o da passagem de ônibus a R$ 1,00, o do Cheque Cidadão, das casas populares, das creches e escolas modelos, da construção de hospitais e UBS". A declaração foi dada ao jornal "O Diário", que publicou as fotos dos vereadores Gil Vianna (PR), Jorge Magal (PR), Albertinho (Pros), Alexandre Tadeu (PRB) e Dayvison Miranda (PRB) e apontou os parlamentares como responsáveis, ao lado da oposição, por uma "manobra" para adiar a votação do projeto.

Como toda ação conta com uma reação, o vereador Dayvison Miranda, ex-aliado do governo, usou o Facebook para desabafar. "Já começou a manobra do governo de Campos para querer colocar em nossa conta o descaso financeiro que nos últimos meses vem tomando conta da cidade. Vale ressaltar que o problema não virá se não aprovarmos a venda dos Royalties em troca de empréstimos e sim o caos já reina em nossa cidade desde as eleições para governo do Estado. Posso citar aqui alguns deles: o cheque cidadão já amarga 3 meses de atraso, ou seja, já está cortado, as empresas de ônibus estão com os repasses atrasados e não nós que vamos acabar com a passagem social, existem UBS como a de Ururai que está caindo aos pedaços a tempo e não somos nós que vamos acabar com a construção de posto de saúde, obras de reforma de creches paradas há mais de 6 meses, a exemplo à Creche Maria Lúcia e não somos nós, vereadores, que vamos fazer parar o que já está. Professores sem plano de saúde há mais de 8 meses por falta de pagamento da prefeitura e são os vereadores que vamos acabar com o plano, escolas, hospitais, creches, vilas olímpicas e limpeza pública com atendimento precário por falta de funcionários contratados que foram demitidos há 6 meses e não foram os vereadores que mandaram os trabalhadores embora", disparou Dayvison, que foi além:  "Vale salientar, que há 6 meses já foram vendido os royalties em troca de financiamento que não resolveu as dívidas da prefeitura na atual gestão e agora querem fazer o mesmo. Querem deixar dívidas para o futuro prefeito pagar e pedem que nós aprovemos essa tal autorização sem ao menos dizer o que será feito com esse empréstimo? A prefeitura já está afundada em dívidas faz tempo e agora a culpa da má administração é nossa! Lamentavelmente é isso que o governo quer insinuar. Vale o dito popular 'papagaio come milho periquito leva a fama'. Estamos ao lado do povo e vamos votar com responsabilidade e não acabar com o que já está acabado. O povo não é mais bobo, aprendeu a pensar", completou.

Albertinho: "O verdadeiro líder não usa a força bruta para corrigir seus liderados" - Também no Facebook, o vereador Albertinho deixou uma reflexão no ar: "O verdadeiro líder não usa a força bruta para corrigir seus liderados a ponto de humilhá-los. Ele usa geralmente sua sapiência a fim de corrigi-los e orientá-los. Corrija sem ofender e oriente sem humilhar, é pré-requisito para ser um líder admirado, pois senão será um líder odiado pelos seus liderados e pela população".

Filho de Gil Vianna elogia postura do pai - Quem também usou o Facebook para se manifestar foi Bruno Vianna, filho do vereador Gil Vianna. Ele compartilhou a matéria que aponta a suposta manobra e comentou: "É por causa de atitudes como essa que tenho orgulho de ser seu filho, mesmo nesse mundo sujo que é a política, rodeado de pessoas falsas e maldosas .Você consegue se destacar e fazer o certo , Parabéns Gil Vianna! #?orgulho? ?#?deixafalar?".

Atualização às 10h30 - Alexandre Tadeu se posiciona - O vereador Alexandre Tadeu também usou as redes sociais para se posicionar sobre o projeto. Segundo o Tô Contigo, ele e o seu partido, o PRB, desejam uma explicação detalhada sobre a aplicação dos recursos que serão obtidos com a antecipação de receitas. "Esse empréstimo gira em torno de R$ 1 bilhão. E esse recurso pertence ao cidadão de Campos e deve ser utilizado, exclusivamente, em benefício da população. Para autorizar, o PRB exige uma explicação sobre o que será feito com esse dinheiro. Não serei irresponsável a ponto de autorizar que R$ 1 bilhão do povo de Campos seja retirado dele e entregue a alguém que não justifica o que será feito", afirmou.

Comentar
Compartilhe
Rosáceos não obedecem Garotinho e "empréstimo" sai da pauta
09/06/2015 | 08h27

Vereadores da base governista manobraram nos bastidores e o projeto que pretende antecipar receitas, em torno de R$ 1 bilhão, foi retirado da pauta durante a sessão desta terça-feira (09). Deixando a submissão de lado e dispostos a peitar o líder, um bloco avisou que não aprovaria o projeto sem uma ampla discussão sobre quais seriam os pagamentos realizados com o empréstimo. Correndo contra o tempo, os articuladores do governo tentaram reunir pelo menos 13 parlamentares, o que garantiria a aprovação, mas o risco era grande e o governo recuou.

Os articuladores do governo não tinham certeza sobre o posicionamento dos seguintes membros da bancada rosácea: Gil Vianna (PR), Albertinho (Pros), Jorge Magal (PR), Dayvison Miranda (PRB) e Alexandre Tadeu (PRB) e Genásio (PSC). Além disso, já eram dados como certos os cinco votos contrários da oposição (Nildo, Rafael, Marcão, Fred e José Carlos). Para completar, o governo ainda não conta com vereador Paulo Hirano (PR), que está de licença médica.

Em busca de 13 votos para aprovar o "cheque especial", os articuladores partiram em busca da vereadora Auxiliadora Freitas (PHS), que por recomendação médica estava em casa, de repouso, após uma crise hipertensiva na noite de ontem. Porém, o repouso teve que ser interrompido e a vereadora foi convocada as pressas para votar. O problema é que nessa altura do campeonato o governo já não tinha certeza se contaria com 13 votos. Sendo assim, o presidente encerrou a sessão e as discussões ficaram para amanhã.

Emenda - No início da sessão o vereador Marcão (PT) informou que irá apresentar uma emenda ao projeto que pretende liberar o "empréstimo". Segundo Marcão, o governo deve dar garantias de que os próximos gestores não ficaram responsáveis por prestações. "Tem que quitar tudo até o fim de 2016", diz Marcão.

Articuladoras - Nos corredores da Câmara, as irmãs Linda Mara e Dinalva, que possuem um canal direto com o líder e a prefeita, tentavam de todas as formas viabilizar a votação.

Em maio, "rolo' enguiçou - Esta não é a primeira vez que o "rolo compressor" enguiça. No dia 04 de maio a Câmara de Campos realizaria uma sessão extraordinária para votação, em segundo turno, do Projeto que transformava os superintendentes em ordenadores de despesas.  Porém, por conta de desfalques no “rolo compressor”, que colocavam a aprovação do projeto em risco, a sessão foi adiada. Posteriormente, após uma conversa com o líder, o "rolo" aprovou a matéria.

Fogo de palha? - Resta saber se o grupo que "peitou" o líder vai continuar cobrando um amplo debate sobre o "cheque especial" de R$ 1 bilhão, ou esse bloco "independente" irá deixar o embate de lado em troca de um "carinho" do líder.

Desespero - Nos bastidores, os principais nomes do grupo rosáceo não escondem que, sem o "cheque especial", a Prefeitura entra em estado de falência. Sem o dinheiro, além da paralisação de todas as obras, programas como Cheque Cidadão e Campos Cidadão sobem no telhado.

Comentar
Compartilhe
Rafael Diniz: "Hospital João Viana recebe pouco e com atraso"
19/06/2015 | 05h56
Enquanto isso, nesta mesma cidade, a Prefeitura aluga trios elétricos, vans e caminhões para fazer festa: aqui
Comentar
Compartilhe
Clarissa divulga lista e coloca Feijó no "fogo"
26/06/2015 | 01h12

Em política não tem essa história de aliviar o amigo. Quando o desejo de se destacar é grande, pouco importa a necessidade de colocar um companheiro no "fogo".

Nesta sexta-feira (26) a deputada federal Clarissa Garotinho (PR) voltou a comentar sobre a votação da emenda que  garante a todas as aposentadorias o mesmo índice de aumento do salário mínimo. Em sua página no Facebook, a filha do casal Garotinho divulgou uma lista com os parlamentares do estado do Rio que votaram contra os aposentados. E quem aparece na lista? Feijó, seu companheiro de partido.

Canibalismo - Aos poucos, a "nova geração" do grupo rosáceo começa a tentar engolir os nomes mais experientes que são ligados ao ex-governador Garotinho. A ideia é minar as forças da "velha guarda" e fortalecer novos nomes já nas eleições de 2016 e 20018. Se em Brasília Clarissa já "cutuca" Feijó, no Rio existe uma queda de braço entre Wladimir e Pudim.

Ação e reação - Mas engana-se quem pensa que a "velha guarda" vai aceitar em silêncio. Políticos experientes do grupo já estão dialogando com outras correntes e prometem duelar com a nova geração.

Comentar
Compartilhe
Governo Rosinha deve R$ 350 milhões
20/06/2015 | 12h37
[caption id="attachment_33949" align="aligncenter" width="403"] Valor "represado" foi revelado por Garotinho na manhã deste sábado[/caption]

O secretário de Governo da Prefeitura de Campos, Anthony Garotinho (PR) voltou a defender, na manhã deste sábado (20), durante o seu programa de rádio, a antecipação dos royalties. Após disparar forte na direção dos ex-aliados que votaram contra o "cheque especial", o líder do grupo rosáceo comentou sobre as dívidas do governo Rosinha. Para não dizer que o governo está devendo, Garotinho achou melhor usar o termo "represado". "Hoje o governo tem cerca de R$ 350 milhões represados. São pendências de custeio com fornecedores, obras, comércio. Tivemos que represar para conseguir pagar os funcionários e dia", explicou Garotinho, voltando a declarar que a antecipação de recursos será importante para quitar todos esses débitos.

Desespero de Alair - Ainda durante o programa, Garotinho leu um e-mail enviado pelo prefeito de Cabo Frio, Alair Corrêa (PP). "O prefeito de Cabo Frio, que nem me apoio, veio pedir ajuda. Ele perguntou sobre esse projeto que permite a antecipação de receitas. O prefeito está completamente desesperado, a luz da Prefeitura de lá foi cortada. É bom lembrar que em Cabo Frio até a oposição votou a favor do projeto", afirmou.

"Eu garanto" - Sobre algumas obras que estariam em ritmo lento, Garotinho revelou que empresários já pensavam em parar completamente. Porém, ele mandou tocar as obras. "Eu cheguei para um empresário e disse: pode continuar que eu garanto. Foi isso que eu fiz, mandei tocar a obra".

"Vão pagar caro" - Sobre os vereadores que eram da base governista e votaram contra, o secretário mandou um recado: "Eles vão pagar caro. Não é preciso expulsar do partido. Eles serão expulsos da Câmara pelo povo", disse Garotinho.

Comentar
Compartilhe
Será que vai dar samba?
09/06/2015 | 12h27
Comentar
Compartilhe
Câmara Federal aprova "janela da infidelidade"
18/06/2015 | 02h19
[caption id="attachment_33889" align="aligncenter" width="489"] Deputados aprovam emenda que cria janela para que o políticos possam mudar de partido sem risco de perder o mandato - Ailton de Freitas[/caption]

A Câmara encerrou, na noite desta quarta-feira, a votação, em primeiro turno das emendas constitucionais da reforma política. Um dia depois de aprovar a inclusão da regra da fidelidade partidária na Constituição Federal, o plenário da Câmara acatou outra emenda que, na contramão da fidelidade, cria uma janela" de 30 dias para o troca-troca partidário. Por 317 votos sim, 139 votos não e 6 abstenções, a emenda foi aprovada em primeiro turno. A emenda beneficiará deputados federais, estaduais e vereadores. Os deputados acreditam que, se promulgada, a emenda provocará mudanças nas bancadas de alguns partidos da Casa, especialmente PTB, PROS e partidos menores.

De acordo com a emenda, apresentada pelo líder do PTB, Jovair Arantes (GO), o detentor de mandato eletivo poderá se desligar do partido pelo qual foi eleito, sem perder o mandato, nos 30 dias após a promulgação da emenda pelo Congresso. A emenda deixa claro, no entanto, que o deputado que trocar de partido não levará com ele a parcela do fundo partidário e o tempo de tempo de rádio e TV da propaganda eleitoral e partidária.

A pressão maior para aprovação da emenda veio da bancada do PTB. Formada por 25 deputados, a bancada está dividida, com parte dos deputados querendo manter o apoio ao governo Dilma Rousseff e outros a postura de independência e mesmo de oposição. Se a mudança for aprovada pelo Congresso, a estimativa da presidente do PTB, deputada Cristiane Brasil (RJ) é de que Jovair e outros sete ou oito deputados da legenda deixem o partido.

Entre os partidos maiores, PT e PSDB também liberaram suas bancadas, mas o PMDB encaminhou a favor e o PSD contra. Partidos menores e ideológicos, como PC do B, PPS, PV e PSOL criticaram a emenda. "Com essa emenda está aberta a temporada do troca-troca partidário. É espúrio, coroa a pseudo reforma política que essa Casa está aprovado", criticou o líder do PSOL, Chico Alencar (RJ).

Fonte: O Globo 

Comentar
Compartilhe
Para aprovar "cheque especial", governo envia Fábio Ribeiro à Câmara
10/06/2015 | 05h29

A prefeita Rosinha Garotinho (PR) publicou, online, uma edição extraordinária do Diário Oficial com a exoneração do secretário de Gestão e Contratos, Fábio Ribeiro (PR). Com a manobra, Fábio volta à Câmara e Kellinho assume a cadeira do vereador Paulo Hirano (PR), que teria enviado, nesta quarta-feira (10), um requerimento solicitando licença do mandato para tratar de "assuntos particulares". A meta do governo com a articulação é obter 13 votos para aprovar o "cheque especial" de R$ 1 bilhão, que compromete receitas futuras.

O requerimento de Hirano gerou polêmica, já que uma licença médica de 90 dias havia sido aprovada em abril e teria validade até julho. "Estão rasgando o regimento desta Casa. É uma vergonha, já que a licença médica seria encerrada em julho. Isso tudo vai ser questionado na Justiça. Com ele troca uma licença médica de 90 dias por uma outra para assuntos particulares, de 30 dias?", disse Fred Machado (SD).

Na tribuna, o vereador Alexandre Tadeu (PRB) disse que o requerimento não partiu de Hirano. "Sabemos o que o vereador Paulo Hirano está passando e ele nos disse que voltaria ao Legislativo após o recesso de julho. Isso não partiu do vereador", disse Tadeu.

Segundo Magal, o requerimento de Hirano "é muito estranho". "Ele está se tratando fora do país e conversamos hoje. Ele disse que jamais faria isso. Não estou entendendo nada. Essa sessão está uma bagunça, sem assinatura no livro de presença, sem presença eletrônica no painel", afirmou Magal.

O vereador Marcão (PT) protestou: "Como podemos aprovar a licença de um vereador que já está licenciado. É um absurdo. O que está havendo é uma manobra para permitir a presença de um secretário, uma linha auxiliar para interferir nos trabalhos do Legislativo. O painel não estava com defeito. O que não tinha era o nome de Fábio Ribeiro.

Porém, na visão do líder do governo, vereador Mauro Silva (PT do B), não existe nada ilegal. "Não existe nada ilegal. Quem quiser pode acessar o Diário Oficial online. Não adianta tentar confundir a opinião pública. Dr. Paulo Hirano entrou com uma licença para assuntos particulares. Estamos na era da informática. Ele fez tudo por e-mail. É legítimo e esta Casa é soberana. Quem tem maioria vota", disse Mauro, para o delírio da "claque", que gritou: "Chupa, oposição".

Rafael Diniz: "Haja rivotril para o líder" - Segundo Rafael, a manobra mostra a cara do governo. "Fazem de tudo para conseguir alcançar os objetivos. Esse líder está completamente desesperado. Haja rivotril para o líder. Um grupo que está aqui hoje aplaudindo, vai ver o que foi reservado para o futuro. Desperdiçaram milhões e agora querem vender o futuro dos nossos filhos e netos", disse Rafael.

Albertinho: "Armaram para tirar o mandato de Hirano" - Na tribuna, o vereador Albertinho revelou que membros do grupo estariam armando para tirar o mandato de Hirano. "Queriam colocar um suplente na marra e um grupo protegeu o Dr. Paulo Hirano. Nós fomos firmes para ajudá-lo e agora nos deparamos com esse requerimento. É uma vergonha", disse.

O blog "Na Curva do Rio", da jornalista Suzy Monteiro, publicou nota sobre o "retorno relâmpago" de Fábio Ribeiro: aqui 

Atualização às 19h15 - Mesmo sem os votos de seis integrantes, o "rolo compressor" rejeitou a emenda modificativa do vereador Marcão, que pretendia exigir o pagamento de todas as parcelas até o fim de 2016, quando o mandato chega ao fim. "Não queremos barrar a alienação de ativos. O que temos é responsabilidade e desejamos preservar as futuras gestões. Não podemos deixar que este governo inviabilize futuras gestões. Pode ser que as gestões futuras sejam prejudicadas. O mandato é até 31 de dezembro de 2016. Não podemos comprometer o futuro do município", disse Marcão.

Porém, a bancada governista rejeitou. "O valor não pode comprometer 10% dos royalties e participações especiais. Não fere a Lei de Responsabilidade Social. São palavras difíceis para confundir a opinião pública. Senadores do PT aprovaram, o senador Crivella, do PRB, aprovou, e a senadora Rose, do PMDB, também. Essa emenda é para tirar o brilho da articulação que salva municípios e estados", disse Mauro Silva.

Fábio bate boca com Marcão - Disposto a defender o governo com unhas e dentes, o vereador Fábio Ribeiro usou a tribuna para atacar o PT. "Tem gente que fala em responsabilidade fiscal e defende o governo do PT, que não tem responsabilidade alguma", disse. Neste momento, ele foi aplaudido, de forma irônica, pelo vereador Marcão. Foi o bastante para gerar um bate boca. "Não tenho medo, sou tão vereador quanto vossa excelência. Não vai me intimidar. Quero respeito", disse Fábio, visivelmente irritado. Por sua vez, Marcão rebatia: "Respeito? Quer respeito? Então se dê ao respeito".

Daqui a pouco, mais informações.

Comentar
Compartilhe
"Quem discorda deve devolver o mandato ao PR e buscar novos rumos"
11/06/2015 | 01h01
[caption id="attachment_33769" align="aligncenter" width="393"] Subsecretário de Governo, Thiago Godoy, mandou recado - Foto de Rodolfo Lins[/caption]

Citado ontem (10) pelo vereador Jorge Magal (PR), que alegou ameaças (aqui), o subsecretário de Governo da Prefeitura de Campos, Thiago Godoy, deixou claro que os parlamentares estão realmente na mira. Segundo Godoy, que atua em sintonia com o secretário de Governo, Anthony Garotinho (PR), o vereador Kellinho encaminhou a votação indicando a bancada do PR que votasse a favor do projeto de lei. "Sendo assim, aqueles que estão no partido da própria prefeita Rosinha e votaram contra devem sim ter a sua conduta avaliada, isso porque na vida partidária tem que haver disciplina. A Justiça já decidiu que o mandato pertence ao partido e não a pessoa que se elegeu por ele. Por isso, aqueles que discordam da posição ideológica, das diretrizes dos dirigentes e das ações de um governo do seu próprio partido, deveriam devolver o mandato ao Partido da República e buscarem novos rumos", diz Godoy, que ainda manda o seguinte recado: "Medidas duras devem ser tomadas com aqueles que agirem com infidelidade partidária".

Ontem, além de Magal, o vereador Gil Vianna, do PR, também votou contra o projeto.

Atualização às 15h20 - Inclusão de imagem

Comentar
Compartilhe
O fim do 'grande demais para ser preso'
19/06/2015 | 11h38

A operação Erga Omnes (aqui) mostra que os investigadores da Lava-Jato não acham que exista alguém que seja grande demais para ser preso. Marcelo Odebrecht, presidente da Odebrecht, é talvez o mais importante empresário do país hoje. A empreiteira tem operações no Brasil e no exterior há três gerações, e não apenas obras das quais se fala muito ultimamente, como o porto de Mariel, mas até o aeroporto de Miami. Segundo os investigadores, a empresa teria pago propina a Paulo Roberto Costa.

No primeiro depoimento de Alberto Youssef, cujo áudio chegou a vazar pela internet, no ano passado, ele fala especificamente de reuniões com Carlos Farias, executivo da empreiteira que também está preso.

O presidente da Andrade Gutierrez, Octavio Azevedo, comandou a empresa e foi presidente do conselho de administração da Telemar, hoje Oi.

A operação Erga Omnes chegou à elite do empresariado brasileiro e se torna, desde a manhã de hoje, a mais profunda tentativa de combater a corrupção e é o fim da ideia de que uma pessoa pelo seu tamanho constrangeria a Justiça e a Polícia Federal.

Comentar
Compartilhe
Diálogo
02/06/2015 | 10h15

Na noite de ontem (01), o presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Geraldo Venâncio, reuniu-se, por mais de duas horas, com o representante regional do Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio (Cremerj), Makhoul Moussallem, com o presidente do Sindicato dos Médicos de Campos, José Roberto Crespo, e com a presidente da Sociedade Fluminense de Medicina e Cirurgia (SFMC), Vanda Terezinha. Na pauta, a rede de atendimento à emergências.

A ideia é estreitar a relação, evitar novos atritos com os médicos e focar na emergência. Como já foi secretário de Saúde, presidente de Fundação, diretor do HGG e também tem experiência no campo político, Venâncio sabe que a melhor alternativa no momento é o diálogo franco e transparente com os médicos.

Amanhã (03), a Saúde, que é o "calcanhar de Aquiles" do governo rosáceo, estará na pauta da Câmara de Campos. Primeiro, com a apresentação do relatório de gestão, e depois com uma audiência pública, solicitada pelo vereador Jorge Magal (PR).

Comentar
Compartilhe
Em três anos, Rosinha gastou R$ 1,4 milhão com passagens aéreas
29/06/2015 | 12h27

Em 2013 o blog do jornalista Ricardo André Vasconcelos publicou nota informando que a Prefeitura gastou R$ 585 mil com passagens aéreas. Posteriormente, em 2014, através do Processo número: 2014.019.000595-8, a Prefeitura contratou empresa especializada em fornecimento de passagens aéreas para atender as necessidades da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima. Valor: R$ 200 mil.

Agora, só nos três primeiros meses de 2015, a Prefeitura gastou mais de R$ 140 mil com passagens aéreas.

Para completar, foi publicado no Diário Oficial de hoje (29), conforme o blog "Na Curva do Rio" mostrou (aqui), um novo contrato de R$ 460 mil com a empresa L.M Viagens e Turismo. O prazo do contrato é de 12 meses. Ou seja, prevê um gasto mensal de R$ 38 mil. E tudo isso em tempos de crise.

Somando os contratos dos anos de 2013, 2014 e 2015, a Prefeitura de Campos já gastou cerca de R$ 1,4 milhão com passagens aéreas.

[caption id="attachment_34141" align="aligncenter" width="512"] Com essa média de gastos com passagens, a Prefeitura de Campos poderia ter comprado um jatinho para chamar de seu. E ainda sobrava troco. Um Cessna Aircraft - Citation 550 Bravo, ano 1997, com muito conforto, podendo levar oito passageiros, está disponível na internet por R$ 955 mil[/caption]

Comentar
Compartilhe
Pezão aperta o cerco contra os devedores do estado
25/06/2015 | 10h34

O governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) resolveu apertar o cerco contra os devedores do estado que estão sendo cobrados na Justiça. Mandou para a Assembleia Legislativa (Alrj) projeto que prevê a venda das dívidas — um total de R$ 66 bilhões — para bancos, que passariam a cobrá-las. Com a aprovação da proposta, o governo receberia de uma instituição financeira parte do valor total do débito. Para o Palácio Guanabara, é melhor embolsar logo um valor menor do que ficar anos e anos na espera. Calcula que, em 2015, as transações renderiam até R$ 5 bilhões.

Procuradores - O projeto enfrenta resistência de procuradores do estado, que têm direito a receber parte do que é arrecadado. Mas, para o governo, muitos deles não se esforçam o suficiente para apressar as cobranças — avalia que os advogados dos bancos serão mais eficientes e duros.

Negociação - A proposta não inviabiliza o desconto no valor de multas aplicadas pelo governo e que somam R$ 14 bilhões. Essas dívidas, que estão sendo negociadas, não chegaram à Justiça.

Fonte: Fernando Molica/O Dia 

Comentar
Compartilhe
Neymar ganha moção de aplausos
23/06/2015 | 06h44

E quando você pensa que já viu de tudo, a Câmara de Campos consegue te surpreender. Após debates acalorados entre oposição, situação e independentes, a Casa teve tempo para aprovar, por unanimidade, uma moção de aplausos para o jogador Neymar. “Ele é um grande jogador, mas a essa moção de aplausos é pela faixa que ele usou. Ele mostrou para o mundo todo o tamanho do Deus que serve. Recebeu críticas em emissoras de TV, mas foi aplaudido por Deus. Parabéns pela coragem ao assumir o Deus que ele serve”, disse o vereador Jorge Magal (PR), autor do requerimento.

Comentar
Compartilhe
Sem salários
30/06/2015 | 12h55

Diversos trabalhadores da Prefeitura de Campos que recebem por Recibo de Pagamento Autônomo (RPA) estariam há três meses sem ver a cor do dinheiro. Mesmo assim, muitos deles continuam indo normalmente e torcem por uma definição.

No Facebook, o ex-vereador Marcos Bacellar comentou sobre o drama dos funcionários. "A prefeita despreparada esta sem pagar o pessoal que presta serviço à Prefeitura de Campos dos Goytacazes por RPA há três meses. Qual a conclusão com esta covardia? Desrespeito ao ser humano... Voltamos aos tempos da escravidão em Campos ou estes profissionais foram indicados por algum dos 'independentes' e estão sendo castigados por Chucky? Seria para justificar mediante a população o cheque em branco recebido da Câmara Campos? E o salário da prefeita Rosinha e de seu Secretário de Governo, estão atrasados?", indagou Bacellar.

Comentar
Compartilhe
Prefeitura quer pagar R$ 15 milhões para levantar "recolhimento indevido"
09/06/2015 | 01h28
Do Blog Eu Penso Que/Ricardo André Vasconcelos (aqui):
Na página 2 do Diário Oficial que circula nesta terça-feira (09), a Prefeitura de Campos procura empresa especializada em serviços de realização de análise financeira e tributária nas contas do município para "levantamento e planilhamento de eventuais créditos decorrentes do recolhimento indevido de contribuições".
Pelo valor que a Prefeitura de Campos se propõe a pagar - R$ 15 milhões - a expectativa é de que há muito, muito mais a receber.
O edital pode ser retirado pelos interessados até 27 de julho, na sede da PMCG.
Abaixo, o edital:
Comentar
Compartilhe
Ainda bem que é ficção
13/06/2015 | 11h40
Do blog "Eu penso que/Ricardo André Vasconcelos (aqui)
Na "Babilônia" de Gilberto Braga tem um personagem que sonha  chegar ao Palácio da Guanabara e à Presidência da República. Ele é Aderbal Pimenta, prefeito da fictícia Jatobá, uma cidade do interior do Estado do Rio de Janeiro que enriqueceu por conta do petróleo.  Pimenta (Marcos Palmeira) vive às voltas com obras mirabolantes e tenebrosas transações com empreiteiras. Já pôs fogo na rodoviária, só para justificar a construção de uma nova, e agora projeta uma arena multiuso, tipo o célebre Coliseu romano, orçado em R$ 200 milhões. Dias atrás, numa reunião com representantes da empreiteira em que ficou acertado o valor da obra, os personagens da novela combinaram os "aditivos"  e fixaram em 10%, ou seja, R$ 20 milhões, a comissão que vai, em dinheiro, para os bolsos do prefeito.  Além de corrupto,  Aderbal é evangélico de araque.
Anos atrás, uma cidade verdade - Campos dos Goytacazes - construiu uma obra, também de verdade, o CEPOP, pela metade do preço e provavelmente dentro dos mais rigorosos preceitos legais. O orçamento original (reveja aqui) era de R$ 69 milhões, mais vieram os aditivos...
Ainda bem que ficção é ficção e realidade é realidade.
Comentar
Compartilhe
Líder reúne "rolo compressor"
08/06/2015 | 04h50

O secretário de Governo Anthony Garotinho (PR) participa neste momento de uma reunião na sala da presidência da Câmara de Campos com os membros do "rolo compressor" rosáceo. Entre os temas em debate deve estar o projeto que permite a antecipação de receitas, apontado pela oposição como a segunda parte da "venda" dos royalties. Dessa vez, o governo deve obter um empréstimo na casa de R$ 1,2 bilhão.

Nos corredores da Câmara teve vereador que se surpreendeu ao notar que os dois parlamentares do PRB (Dayvison e Tô Contigo) foram convidados e participam da reunião.

Como precisa de 17 votos para aprovar a antecipação dos royalties, o líder rosáceo não quer correr riscos.

Porém, tem vereador que vai aproveitar o encontro para lembrar promessas antigas que não teriam sido cumpridas. Como diz aquela velha máxima: "Quem deseja rir, tem que fazer rir".

Comentar
Compartilhe
José Carlos aponta "desespero de Linda Mara"
20/06/2015 | 06h44

Em contato com o blog, o vereador José Carlos (PSDC) desmentiu a assessora especial Linda Mara, que na manhã deste sábado comentou sobre uma suposta conversa com o vereador da oposição (aqui). "Em momento algum falei com Linda Mara que votaria a favor daquele empréstimo. Vejo essa atitude como desespero de Linda Mara para fazer média com o líder dela", disse José Carlos.

Segundo o vereador, sua viagem estava marcada há três semanas, o que impediu a participação nas polêmicas sessões que "venderam" os royalties. "Tinha um compromisso em Brasília representando a Comissão de Transportes da Câmara. Mas quem me acompanha sabe que votaria contra", garantiu.

Comentar
Compartilhe
Alerj: proibição de armas brancas na pauta da semana
07/06/2015 | 11h35

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) irá votar na próxima quarta-feira (10) o projeto de lei que proíbe o porte de armas brancas, como facas e punhais, em todo o estado do Rio de Janeiro. De autoria do deputado Geraldo Pudim (PR), a proposta prevê multa de R$ 2.400 a R$ 24 mil para quem for flagrado portando um desses objetos. "O que queremos é criar uma medida preventiva, que vai dar à polícia um instrumento para ajudar a coibir esse tipo de violência", afirmou Geraldo Pudim.

Autor de duas das sete emendas, o deputado Carlos Minc (PT) defende a aprovação do projeto, mas acredita ser necessário especificar as exceções. “Não podemos banalizar. Uma pessoa que esteja indo fazer um churrasco, com facas dentro de uma maleta, não pode ser alvo da multa”, explica.

Caso seja aprovado, o projeto será enviado ao governador Luiz Fernando Pezão, que irá analisar o texto, e dentro de 15 dias, terá que aprovar ou rejeitar a proposta.

Comentar
Compartilhe
Câmara: R$ 144 mil para manutenção de jardim
03/06/2015 | 09h57

EXTRATO DE CONTRATO Processo nº 057/2015 Contrato nº 040/2015

Convite: 010/2015

Objeto: contratação de empresa especializada em serviço de conservação e manutenção do jardim da sede da CMCG.

Contratada: ESTAÇÃO DAS PLANTAS SERVIÇOS E COMÉRCIO LTDA - ME CNPJ: 39.905.617/0001-91

Valor: R$ 144.158,40 (cento e quarenta e quatro mil e cento e cinquenta e oito reais e quarenta centavos)

Vigência: 08(oito) meses a partir de 14/05/2015 a 14/01/2016

Data de assinatura: 14/05/2015

Como o contrato dura oito meses, a Câmara vai pagar R$ 18 mil por mês para cuidar do jardim. 

Irrigação por R$ 73,6 mil - Em março deste ano (aqui) a Câmara firmou contrato com a empresa Estação das Plantas Serviços e Comércio Ltda no valor de R$ 73,6 mil para “irrigação dos jardins no entorno da sede da Câmara e jardins da Escola Municipal de Gestão Pública do Legislativo (Emugle)”.

Comentar
Compartilhe
Pezão vai adotar novas tecnologias para aumentar receita do estado
02/06/2015 | 11h28

O governo do estado vai adotar novas tecnologias para aprimorar o processo de arrecadação. De acordo com o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), as ferramentas devem começar a ser utilizadas em dois meses. "Vamos tomar grandes medidas, nos próximos 60 dias, em relação a arrecadação do estado. Estamos fazendo um grande trabalho com tecnologia de informação, modernizando a receita. Esperamos enfrentar essa crise, contribuindo também para que o empresariado pague seus impostos", disse o governador.

Pezão também confirmou uma operação planejada pela Secretaria de Estado de Fazenda para securitizar a dívida ativa do estado, estimada em R$ 66 bilhões. A medida tem o objetivo de amenizar o impacto da crise econômica ocasionada, principalmente, pela desaceleração no setor do petróleo e queda na arrecadação de royalties e participações especiais. Um projeto de lei autorizando o modelo será encaminhado à Alerj. "Vamos vender a dívida ativa neste segundo semestre. É mais uma medida criativa e planejada para que possamos atravessar o ano, superando todas as dificuldades econômicas do Rio e do Brasil. Estou na torcida para que o país, a partir deste segundo semestre, comece a recuperar a sua economia", afirmou Pezão

O governo já reduziu o custeio em mais de R$ 1,7 bilhão desde o início do ano.

Fonte: SRZD

Comentar
Compartilhe
Já tem “independente” flertando com o governo
16/06/2015 | 11h29

O vereador Genásio (PSC), que na última semana votou contra a "venda" dos royalties, andou conversando com o vereador Thiago Virgílio (PTC) e o deputado estadual Bruno Dauaire (PR). A ideia é aproximar o parlamentar novamente do governo e começar a enfraquecer o bloco “independente”.

Inclusive, Genásio já avisou que não vai poder participar da sessão desta terça-feira (16). Ele estaria com uma reunião marcada no Rio de Janeiro e a ideia é voltar com uma sinalização do diretório estadual do PSC, indicando a volta do parlamentar ao ninho rosáceo.

Na última terça-feira (09) a mudança de postura de Genásio, que teria alegado uma "intervenção divina", impediu a aprovação da “venda” dos royalties e acabou forçando uma manobra mais complicada, com a volta de Fábio Ribeiro (PR) e a nova licença de Paulo Hirano (PR). Na ocasião, o secretário de Governo Anthony Garotinho (PR) teria ficado muito irritado. Inclusive, um dia depois, desabafou no rádio: “Detesto quem usa o nome de Deus em vão”.

Mensagem otimista - No Facebook, Genásio deixou uma mensagem otimista para os amigos: “Se você pensa que está tudo terminado e que tudo acabou, uma coisa eu te digo nesta hora, que a última palavra é do Senhor. Grandes coisas estão por vir!”.

Comentar
Compartilhe
Resolvido
15/06/2015 | 01h38

Em janeiro de 2012, o dentista Carlos Augusto Drumond Coutinho enviou mensagem ao blog cobrando melhor iluminação e uma torre de celular em Barra do Itapaboana  (São Francisco de Itabapoana) (aqui).

Agora, três anos e cinco meses depois, ele entra novamente em contato para relatar que os moradores atendidos pelo atual prefeito Pedrinho Cherene, juntamente com o secretário de Agricultura de SFI, Edmar Henriques, e o vereador Marcelo Garcia.

A torre de celular já está sendo instalada.

[caption id="attachment_33819" align="aligncenter" width="461"] Torre, que vai garantir sinal de qualidade, já está sendo instalada[/caption]
Comentar
Compartilhe
Deu no "Extra"
08/06/2015 | 12h22
[caption id="attachment_33661" align="aligncenter" width="422"] Reprodução/Berenice Seara - Extra [/caption]
Comentar
Compartilhe
O fim do 'grande demais para ser preso'
19/06/2015 | 11h38

A operação Erga Omnes (aqui) mostra que os investigadores da Lava-Jato não acham que exista alguém que seja grande demais para ser preso. Marcelo Odebrecht, presidente da Odebrecht, é talvez o mais importante empresário do país hoje. A empreiteira tem operações no Brasil e no exterior há três gerações, e não apenas obras das quais se fala muito ultimamente, como o porto de Mariel, mas até o aeroporto de Miami. Segundo os investigadores, a empresa teria pago propina a Paulo Roberto Costa.

No primeiro depoimento de Alberto Youssef, cujo áudio chegou a vazar pela internet, no ano passado, ele fala especificamente de reuniões com Carlos Farias, executivo da empreiteira que também está preso.

O presidente da Andrade Gutierrez, Octavio Azevedo, comandou a empresa e foi presidente do conselho de administração da Telemar, hoje Oi.

A operação Erga Omnes chegou à elite do empresariado brasileiro e se torna, desde a manhã de hoje, a mais profunda tentativa de combater a corrupção e é o fim da ideia de que uma pessoa pelo seu tamanho constrangeria a Justiça e a Polícia Federal.

Comentar
Compartilhe
Câmara Federal aprova "janela da infidelidade"
18/06/2015 | 02h19
[caption id="attachment_33889" align="aligncenter" width="489"] Deputados aprovam emenda que cria janela para que o políticos possam mudar de partido sem risco de perder o mandato - Ailton de Freitas[/caption]

A Câmara encerrou, na noite desta quarta-feira, a votação, em primeiro turno das emendas constitucionais da reforma política. Um dia depois de aprovar a inclusão da regra da fidelidade partidária na Constituição Federal, o plenário da Câmara acatou outra emenda que, na contramão da fidelidade, cria uma janela" de 30 dias para o troca-troca partidário. Por 317 votos sim, 139 votos não e 6 abstenções, a emenda foi aprovada em primeiro turno. A emenda beneficiará deputados federais, estaduais e vereadores. Os deputados acreditam que, se promulgada, a emenda provocará mudanças nas bancadas de alguns partidos da Casa, especialmente PTB, PROS e partidos menores.

De acordo com a emenda, apresentada pelo líder do PTB, Jovair Arantes (GO), o detentor de mandato eletivo poderá se desligar do partido pelo qual foi eleito, sem perder o mandato, nos 30 dias após a promulgação da emenda pelo Congresso. A emenda deixa claro, no entanto, que o deputado que trocar de partido não levará com ele a parcela do fundo partidário e o tempo de tempo de rádio e TV da propaganda eleitoral e partidária.

A pressão maior para aprovação da emenda veio da bancada do PTB. Formada por 25 deputados, a bancada está dividida, com parte dos deputados querendo manter o apoio ao governo Dilma Rousseff e outros a postura de independência e mesmo de oposição. Se a mudança for aprovada pelo Congresso, a estimativa da presidente do PTB, deputada Cristiane Brasil (RJ) é de que Jovair e outros sete ou oito deputados da legenda deixem o partido.

Entre os partidos maiores, PT e PSDB também liberaram suas bancadas, mas o PMDB encaminhou a favor e o PSD contra. Partidos menores e ideológicos, como PC do B, PPS, PV e PSOL criticaram a emenda. "Com essa emenda está aberta a temporada do troca-troca partidário. É espúrio, coroa a pseudo reforma política que essa Casa está aprovado", criticou o líder do PSOL, Chico Alencar (RJ).

Fonte: O Globo 

Comentar
Compartilhe
Alerj votará projeto que proíbe porte de armas brancas no Estado do Rio
01/06/2015 | 03h39

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) votará amanhã (02) em regime de urgência o Projeto de Lei 435/2015 de autoria do Primeiro-Secretário da Casa, deputado Geraldo Pudim (PR) que proíbe o porte de armas brancas em todo território do estado do Rio de Janeiro.

Segundo dados do Instituto de Segurança Pública só em 2014 foram registradas 225 mortes por crimes cometidos com armas brancas. Armas brancas também foram utilizadas em 391 tentativas de homicídio, 13 latrocínios, 115 tentativas de lesões corporais e 1.440 casos de lesões corporais.

De acordo com o texto do projeto “fica proibido o porte de facas, punhal, e similares com lâminas maiores de 10 centímetros em todo o território do Rio, salvo em circunstâncias que justifiquem o uso desses objetos”. De acordo com Primeiro-Secretário, se aprovado, portar armar será considerado infração com multa que pode variar entre 20 (vinte) a 200 (duzentas) UFERJ (R$2.400 a R$24.000) a critério da autoridade policial. “Espero que o projeto seja aprovado sem grandes dificuldades. O PL 435 além criar o ato de infração para porte de armas brancas também cria o amparo legal para que a autoridade policial possa conduzir o infrator à delegacia para uma apuração mais profunda, visto que o secretário de segurança pública vem justificando a não ação das forças de segurança por falta de amparo legal”, analisou o parlamentar.

Comentar
Compartilhe
Internauta desabafa: "escolas estão parecendo aviões sem pilotos"
02/06/2015 | 09h56

Em seu "pacote de exonerações", a prefeita Rosinha Garotinho (PR) incluiu as diretoras de diversas escolas do município. Muita gente imaginou que, assim como ocorreu com as chefias das Unidades de Saúde, as diretoras retornariam imediatamente, já que a Educação é uma área prioritária. Porém, não foi o que ocorreu. Mesmo eleitas, as diretoras estão fora do governo. Diante deste cenário, uma internauta usou o exemplo da escola Professor Walter Siqueira e desabafou. Confira:

 
Comentar
Compartilhe
Rosinha já questionou moral de Abdu Neme
25/06/2015 | 10h50

O mundo político é muito dinâmico. Em 2010 o vereador Jorge Magal (PR) era líder do governo e defendia com unhas e dentes a prefeita Rosinha Garotinho (PR). Naquela época, o vereador Abdu Neme era um forte opositor e fazia críticas duras e fundamentadas. Agora, cinco anos depois, Magal ataca o governo e Abdu defende com unhas e dentes.

Dando um pulinho no passado é possível encontrar uma postagem do jornalista Saulo Pessanha (aqui) com duras críticas da prefeita ao vereador Abdu Neme. Na época, após Abdu apontar falta de gestão na Saúde, Rosinha acusou o então adversário de engavetar uma CPI. Além disso, questionou a moral do parlamentar.

Rosinha lembrou que, durante o governo Mocaiber, Abdu "não concluiu a CPI e sumiu com ela". "Quem mudou? Nós ou ele? O que ele fez com a CPI? Que tipo de acordo ele pode ter feito para sumir com a CPI, depois de ter revelado que iria tornar público tantas falcatruas daquele governo?'", indagou Rosinha.

Durante entrevista, Rosinha questionou: “É esse o vereador (Abdu) que quer me atacar? Ele tem moral para isto?"

Ainda bem que na política não existe espaço para ressentimentos.

Comentar
Compartilhe
LDO já está na Câmara
29/06/2015 | 07h07
[caption id="attachment_34152" align="aligncenter" width="497"] Câmara vai marcar audiência pública para debater LDO[/caption]

A Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), que tem como objetivo nortear a Lei Orçamentária Anual (LOA) para o exercício de 2016, será debatida na Câmara de Campos até o dia 10 de julho. Em maio, a Câmara chegou a marcar a audiência pública, mas a prefeita Rosinha Garotinho (PR) alegou "incerteza econômica" e solicitou que a LDO voltasse ao Executivo (aqui). Agora, após adequações, o projeto está de volta ao Legislativo. "Todos os vereadores receberão a LDO e poderão analisar a proposta antes da audiência pública. Posteriormente, iremos convocar representantes da sociedade civil organizada para um amplo debate", diz o presidente da Câmara de Campos, Edson Batista (PTB), que pretende realizar a audiência até o dia 10 de julho. Ainda segundo o presidente, os parlamentares terão "importantes trabalhos internos durante o recesso parlamentar". "Vamos reformular o Regimento Interno da Câmara, que precisa de diversas adequações. Hoje, com 25 vereadores, são necessários ajustes para tornar as sessões mais dinâmicas e produtivas, reduzindo o número de agressões. Nossa meta é apostar em um debate democrático e duro, mas ao mesmo tempo fraterno. É possível discordar em alto nível", afirma o presidente.

A LDO é uma lei elaborada pelo Poder Executivo, que estabelece as despesas e as receitas que serão realizadas no próximo ano, ao passo que na LOA o governo define as prioridades contidas no Plano Plurianual (PPA) e as metas que deverão ser atingidas no exercício do ano seguinte, disciplinando todas as ações do governo.

Na Câmara, os vereadores discutem nas respectivas comissões, a proposta enviada pelo Executivo, fazem as modificações que julgam necessárias por meio das emendas e votam o projeto. Depois de aprovado, será sancionado pela prefeita Rosinha Garotinho, que o transforma em lei.

Em 2014, otimismo era grande -Há um ano, a Câmara de Campos realizou audiência pública para debater a LDO de 2015 com um clima completamente diferente do atual. Na ocasião, o líder do grupo rosáceo liderava a corrida pelo governo do Rio e as previsões para 2015 eram excelentes. O então subsecretário de Orçamento e Auditoria, José Alves de Azevedo Neto, destacou o crescimento da receita própria. Agora, um ano depois, tudo indica que o debate será sobre as sombrias previsões para 2016.

Comentar
Compartilhe
Aliado de Tô Contigo cutuca e Thiago Virgílio rebate
18/06/2015 | 02h11

A guerra começou. No Facebook, Jefferson Silva, que atua no time do vereador Alexandre Tadeu (PRB), publicou uma montagem chamando os vereadores faltosos de “vagabundos” que “ganham R$ 15 mil e não comparecem a sessão a mando do governo Rosinha”.

Conhecido como “pit bull rosáceo”, o vereador Thiago Virgílio (PTC) rosnou:

Comentar
Compartilhe