Muito mais do que um Pai
12/08/2012 | 04h16

pai e filho

Meu pai nunca foi apenas pai. Foi professor de natação, ciclismo, matemática, atletismo e pescaria. O cara que me fez gostar de ler e, consequentemente, escrever. Alguém que me fez ser um apaixonado por filmes, praia, papo de bar e Botafogo. Era ele que, cantando e contando histórias, me levava para a escola na garupa da bicicleta. Era nos braços dele que eu pulava após as vitórias do Ayrton Senna naqueles domingos mágicos. Foi ele que, ao me apresentar a Maquiavel e Sun Tzu, alertou: “A vida é uma batalha. Esteja preparado para ser atacado e saiba que poucos estarão ao seu lado de verdade”.

Hoje meu pai continua sendo conselheiro, companheiro e parceiro nos diálogos sobre política, esporte, cinema, avanço do mar no Pontal de Atafona e coisas bobas como desenhos do Bob Esponja, Caverna do Dragão e seriados antigos.

Minha primeira lembrança do meu pai é na praia de Atafona, fugindo da areia quente nos braços dele. Atualmente, quando a “areia esquenta”, ele ainda é o primeiro a erguer os braços.

Ao meu pai e aos pais que acompanham este blog, um Feliz dia dos Pais!

Comentar
Compartilhe