Quissamã: novo prefeito será empossado amanhã
09/04/2015 | 04h33
[caption id="attachment_32411" align="aligncenter" width="393"] Nilton Furinga assume a Prefeitura amanhã[/caption]

A Câmara Municipal de Quissamã vai realizar a sessão de posse de Nilton Pinto (PR), o Furinga, amanhã (10), às 9h. O vice-prefeito assume o cargo no lugar do prefeito Octávio Carneiro (PP), que enviou requerimento ao Poder Legislativo, nesta quinta-feira (09), solicitando licença para tratamento médico, pelo período de 60 dias (aqui). O requerimento chegou à Casa Legislativa em pedido de Regime de Urgência Especial, sendo apreciado, votado e aprovado por todos os vereadores.

Apesar da licença para tratamento de saúde, aprovada pelo Legislativo, Octávio Carneiro segue sendo investigado pela Comissão Processante, instaurada na Casa Legislativa da cidade, desde o dia 26 de março. Octávio foi notificado pela comissão na última segunda-feira (6), e tem um prazo de dez dias para apresentar a defesa por escrito, apontando as provas que pretende produzir, e relacionando até dez testemunhas em sua defesa. O prefeito licenciado é investigado por possíveis infrações políticas administrativas e crimes contra a administração pública.

A Comissão Processante aguarda o prazo de defesa, para dar continuidade aos trabalhos. Depois dos dez dias, o presidente da Comissão, vereador Marcos Silva (Pros), a vice-presidente Isabel Pessanha(PMDB) e o relator Jorge Rodrigues (PPS), voltam a se reunir para definir os próximos passos da CP.

Rachou - No início do governo, a relação de Octávio com Nilton Furinga era de paz. Inclusive, o vice participava do governo em uma pasta estratégica: a secretaria de Fazenda. Porém, durante a sua gestão, Furinga dizia que as contas não fechavam e fazia críticas internas ao prefeito. A relação foi se desgastando e, no final de 2014, o vice foi exonerado.

Atualização às 19h20 - Octávio: "O guerreiro precisa de pausa para se revigorar" - De acordo com nota publicada no site da Prefeitura de Quissamã, Octávio está há dois anos em tratamento oncológico, e já havia sido recomendado por seu médico a se licenciar, mas até então se recusava, pois não queria deixar de estar à frente do município, principalmente, no momento de crise que a cidade atravessa. “Jamais gostaria de me afastar, especialmente agora nesse momento difícil para a cidade que ajudei a construir. Fiz um grande esforço, mas só Deus sabe de todas as coisas, e diante do tratamento que faço, fui obrigado a me licenciar temporariamente. O guerreiro precisa de pausa para se revigorar”, declarou. Esse é o quarto mandato do prefeito, que foi o primeiro a governar o município em 1990.

Comentar
Compartilhe
Pudim fala sobre nova etapa do "Muda Campos" e lista nomes para 2016
24/04/2015 | 11h42

O deputado estadual Geraldo Pudim (PR), primeiro secretário da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e vice-presidente estadual do PR, participou ontem (23) do programa “Balanço Geral”, da rádio Record, e comentou sobre o passado, o presente e o futuro do grupo político liderado pelo deputado federal Anthony Garotinho (PR).

Membro do grupo desde o início, Pudim participou, na década de 80, do movimento “Muda Campos”, que acabou com a hegemonia do ex-prefeito Zezé Barbosa. “Éramos jovens e tínhamos planos bem definidos. Hoje, quase trinta anos depois, é possível notar que atingimos muitas metas do Muda Campos, como o importante resgate social. Agora é o momento de partir para uma nova etapa”, disse Pudim, que também falou em renovação. “As pessoas envelhecem. Hoje estou com 55 anos, o Garotinho também. Precisamos abrir espaço para as novas gerações”, disse.

Segundo Pudim, a meta do novo “Muda Campos” é criar uma sintonia entre a “pedra” e as áreas mais afastadas. “É preciso inserir as novas gerações em um novo contexto. Com esporte, cultura, lazer e mobilidade urbana. Essas novas gerações estão mais conectadas e podem voar bem mais alto do que as gerações anteriores”, disse.

Nomes para 2016 – Sobre a eleição de 2016, Pudim disse que, além de reescrever um projeto para Campos, o grupo não deve “pensar em nomes que sejam apenas viáveis eleitoralmente”. “Existem vários casos de políticos que são viáveis eleitoralmente e se tornam péssimos gestores, destroem a cidade. Temos que nos perguntar: quem seria o melhor intérprete para este novo projeto? Quem seria o melhor executor, o melhor gestor? Temos grandes nomes que estão se colocando, como o nosso vice-prefeito, Doutor Chicão (PP), o vereador Mauro Silva (PT do B), a vereadora Auxiliadora (PHS) e o Fábio Ribeiro (PR)”, listou.

Vai entrar no páreo? - Fiel escudeiro do casal Garotinho, Pudim já entrou duas vezes na disputa pela Prefeitura de Campos: em 2004 e na eleição suplementar de 2006. Na duas vezes venceu no primeiro turno e foi derrotado no segundo turno, primeiro para Carlos Alberto Campista e depois para Alexandre Mocaiber. De lá pra cá, Pudim foi deputado federal e está em seu segundo mandato na Alerj. “Acredito que tenho os requisitos para entrar na disputa. Estou vivendo o melhor momento de maturidade política da minha vida. Avancei muito e aprendo muito nos últimos anos. Mas se o partido entender que não precisa de mim, que tem outro melhor, estarei no palanque com o mesmo entusiasmo”, frisou.

 
Comentar
Compartilhe
Quem são os prefeitáveis?
06/04/2015 | 11h34

O blog do jornalista Nino Bellieny iniciou em fevereiro (aqui) uma série com os prefeitáveis de várias cidades da região. Mesclando as informações de Nino com apurações de jornalistas como Mário Sérgio Junior, Arnaldo Neto e Michelle Gomes, a Folha publicou no último domingo uma matéria (aqui) com os nomes cogitados em diversas cidades. Confira a lista com os prefeitáveis de Campos, SJB, SFI, Macaé, Itaperuna e Italva. Na próxima etapa o blog volta com os nomes cogitados em Quissamã, Cardoso, Cambuci e São Fidélis.

Campos - Em Campos, pelo lado governista, os mais cotados seriam: o vereador Mauro Silva (PT do B), o vice-prefeito Dr. Chicão, o deputado estadual Geraldo Pudim (PR), deputado federal Paulo Feijó (PR), os vereadores Edson Batista (PTB) e Gil Vianna (PR), e os secretários Suledil Bernardino (PR), Fábio Ribeiro (PR) e Geraldo Venâncio (PR). O vereador Alexandre Tadeu (PRB), que neste momento está entre governo e oposição, também estaria disposto a entrar na briga. Já no grupo oposicionista os possíveis prefeitáveis são: o ex-prefeito Arnaldo Vianna (PDT), os vereadores Rafael Diniz (PPS), Marcão (PT) e Nildo Cardoso (PMDB), os deputados João Peixoto (PSDC) e Papinha (PP), o ex-deputado Roberto Henriques (PSD), o médico Makhoul Moussallem, a professora Odete Rocha (PCdoB), o médico sanitarista Erik Schunk (PSOL), o ex-deputado Paulo César Martins (PDT) e Fabrício Lírio (PRP).

São João da Barra - Em SJB, a disputa tem dois pré-candidatos já declarados: o prefeito Neco e sua antecessora, Carla Machado. Aliados na campanha de 2012, Neco e Carla já fazem um embate nas redes sociais. Além do duelo entre os ex-aliados, o PR caminha para lançar candidato próprio e o PCdoB, também sinalizou no mesmo sentido. O PR cogitou lançar o deputado estadual Bruno Dauaire. Ainda existem outras duas opções para os republicanos: Betinho Dauaire, ex-prefeito do município, e o do vereador Franquis Areas. Já o PC do B ainda articula um nome. O PSDB, que em 2012 disputou a Prefeitura com o empresário Murilo da Karol, também se movimenta. Ao lado do ex-presidente da Câmara de SJB, Gersinho Crispim, Murilo esteve no Rio articulando com o presidente estadual do PSDB, deputado Luiz Paulo Correa da Rocha.

São Francisco de Itabapoana - Em SFI, o prefeito Pedrinho Cherene (PSC), eleito em 2012, deve buscar a reeleição e já se movimenta em busca de aliados. Se ma última eleição o seu principal adversário foi Frederico Barbosa Lemos (PR), tudo indica que em 2016 ele pode ter um novo adversário de peso. Trata-se do deputado estadual João Peixoto (PSDC), que teria o apoio do governador Pezão e de outras forças de SFI e da região. O ex-prefeito Barbosa Lemos, amigo pessoal de João Peixoto, ainda não se posicionou sobre a disputa em SFI.

Macaé - Em Macaé, além do atual prefeito Dr. Aluízio (PV) e do vice Danilo Funke (PT), que rompeu com o governo, os nomes dos vereadores Igor Sardinha (PT) e Maxwell Vaz (SD), do deputado estadual Christino Áureo (PSD) e do empresário da área offshore André Longobardi (PR) também aparecem entre os cotados. Este último estreante em uma disputa eleitoral. A expectativa é que algumas alianças e mudanças de partidos tragam novidades até o pleito. Há quem acredite que Dr. Aluizio se filie ao PMDB e com isso traga o apoio do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) e, consequentemente, do deputado Christino Áureo. Suposição até agora não confirmada.

Itaperuna - Os cogitados são: Jéferson Leite (PRB); Adilson Ribeiro (PR); Nelma Lemos (PDT); Dr. Marcus Vinícius (PT); Luiz Leite Araújo (PSDB); Alexandre da Auto-Escola (PP); Alfredão (PP); Marcelo Poeys (PR); Zé Egydio Tinoco (PDT); Zé Carlos Melo (PTB); Jair Bittencourt (PR); Péricles Olivier de Paula (PP); entre outros.

Italva - Já em Italva, os possíveis nomes são: o atual prefeito Leonardo Guimarães (DEM); o atual vice Glycério (PSDB); o presidente da Câmara Wilson Nogueira (SD); Lúcio do Banco (PV); Marcos Protético (PT), entre outros. O assunto chegou a ser abordado no blog do Nino Bellieny, hospedado na Folha Online.
Atualização às 16h - Inclusão do deputado estadual Papinha (PP).
Comentar
Compartilhe
Pesquisa: desgaste já chegou ao ex-presidente Lula
04/04/2015 | 10h31

Decorridos apenas cinco meses desde o segundo turno das eleições de 2014 e apenas três meses desde o início do segundo mandato de Dilma, o desgaste do PT e do governo é evidente. Segundo um levantamento exclusivo realizado para a revista "Época" pelo instituto Paraná Pesquisas, criado há 23 anos, o senador Aécio Neves (PSDB) seria eleito presidente da República se as eleições fossem hoje, mesmo que o candidato do PT fosse Lula.

De acordo com os dados da pesquisa, Aécio teria 51,5% dos votos e Lula, 27,2%.  Do total de entrevistados, 11,1% disseram que não votariam em nenhum dos dois candidatos e 10,3% afirmaram não saber em quem votariam.  Se a eleição incluísse a candidata Marina Silva, Aécio também seria o vencedor. Ele teria 37,1% dos votos e Marina Silva, 24,3%. Lula, com 17,9%, ficaria em terceiro lugar. Se a disputa fosse entre Aécio e Dilma a vitória do candidato da oposição seria ainda maior. Aécio teria 57,2% dos votos e Dilma, apenas 19,4% (confira os gráficos abaixo).

A pesquisa, registrada no Conselho Regional de Estatística da 3º Região sob nº 6288/10, foi realizada entre os dias 26 e 31 de março. Foram entrevistados 2.022 eleitores, em 152 municípios de 26 estados e no Distrito Federal.  Segundo o diretor da Paraná Pesquisas, Murilo Hidalgo Lopes de Oliveira a amostra oferece um grau de confiança de 95% e o resultado tem uma margem de erro de 2%, para mais ou para menos.

Além das questões ligadas à eleição de 2018, a Paraná Pesquisas também pediu aos entrevistados para fazer uma avaliação de Dilma e do governo.  De acordo com a pesquisa, 74% dos eleitores afirmaram desaprovar a administração de Dilma e 75% disseram que a vida vai piorar ou ficar igual em 2015.

Dilma e Lula sabiam? - Em relação à corrupção no país, 78,3% afirmaram que Dilma e Lula sabiam do propinoduto da Petrobras e 71,1% consideraram que o crescimento de escândalos nos governos do PT se deve a um efetivo aumento da corrupção e não a uma atuação mais efetiva e livre da Polícia Federal e do Ministério Público, como diz o governo.

Filma mentiu? Sobre a crise econômica, 79% declararam que Dilma mentiu durante a campanha eleitoral.

Luz Vermelha - Na última terça-feira, reunido em São Paulo com um grupo de políticos do PT, Lula disse que seu futuro está ligado ao de Dilma para o bem ou para o mal. Se ele estiver certo, a pesquisa Ibope, que só veio confirmar o que a pesquisa do instituto Datafolha antecipara (aqui), acendeu a luz vermelha no Instituto Lula. A informação sobre o estado de alerta no Instituto Lula foi publicada pelo jornalista Ricardo Noblat e repercutida pelo blog Opiniões, do jornalista Aluysio Abreu Barbosa (aqui).

[caption id="attachment_32263" align="aligncenter" width="470"] Info/Blog do Fucs[/caption] Fonte: Blog do Fucs/Época 
Comentar
Compartilhe
Família se ‘perpetua’ há dois séculos no Congresso
20/04/2015 | 07h49
[caption id="attachment_32689" align="aligncenter" width="384"] Bonifácio: “Vai passando de pai para filho, né? É como a casa do carpinteiro"[/caption] [caption id="attachment_32690" align="aligncenter" width="319"] José Bonifácio, o Patriarca da Independência, é o nome mais famoso do clã Andrada[/caption]

De pai para filho, de filho para neto, de neto para bisneto, e assim sucessivamente. A saga de um clã político parece não ter fim no Parlamento brasileiro. Desde 1821, antes mesmo de D. Pedro I proclamar a Independência do Brasil, a família Andrada se perpetua no Congresso. E parece ter fôlego para manter o sobrenome por mais gerações. Em seu décimo mandato na Câmara, Bonifácio de Andrada (PSDB-MG) representa a quinta geração de uma família que já teve outros 14 representantes no Parlamento brasileiro nos últimos 194 anos. O precursor dessa história e o famoso deles é José Bonifácio de Andrada e Silva, conhecido como o “patriarca da Independência”.

Aos 85 anos, Bonifácio de Andrada é o mais idoso entre os 594 congressistas e só perde em número de legislaturas para Miro Teixeira (Pros-RJ), que está em sua décima-primeira. Mas nenhum o supera em número de mandatos políticos: são 15, somados os deputado estadual e vereador. Em 2009, ele chegou a anunciar a aposentadoria na política e a passagem do bastão a um de seus filhos. Porém, desistiu da ideia. Desde 1954, quando o então presidente Getúlio Vargas acabou com a própria vida em meio a uma grave crise política, o mineiro nunca passou um ano sequer sem exercer cargo eletivo. Enquanto o país se comovia com o suicídio de Getúlio, Bonifácio era vereador em Barbacena (MG), sua cidade natal e reduto eleitoral. “Sou um homem cheio de entusiasmo ainda, para disputar as eleições a essa altura dos acontecimentos”, conta Bonifácio, dono de uma faculdade e professor universitário aposentado.

Aristocracia portuguesa - Bonifácio diz considerar “curiosa” a perpetuação hereditária e fala com orgulho do início desta história familiar, que tem raízes na monarquia portuguesa. Os Andrada desembarcaram no Congresso Nacional antes mesmo de ele existir. Era a época das Cortes Portuguesas, em 1821, o legislativo do Brasil Colônia. Nos últimos 194 anos, produziu 15 deputados e senadores, quatro presidentes da Câmara, oito ministros de Estado e dois ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), além de governadores, prefeitos e vereadores. Ao todo, rendeu mais de 20 políticos e ocupantes de altos cargos públicos.

O tucano é filho do ex-presidente da Câmara Zezinho Bonifácio, neto do ex-deputado e diplomata José Bonifácio de Andrada e Silva. Uma tradição iniciada pelos irmãos José Bonifácio, Antônio Carlos e Martim Andrada. Na Câmara desde 1979, o deputado tucano diz que o país precisa reformar seu sistema político para renovar as práticas políticas. “Hoje, o Brasil é outro. É preciso renovar as exposições políticas, para se adaptar aos novos tempos”, afirmou, comparando ao período em que entrou para a política. O deputado começou sua trajetória política na conservadora UDN, de Carlos Lacerda. Durante a ditadura militar, tomou partido do regime, filiando-se à Arena, legenda de sustentação do governo. Seu pai foi líder do governo do general Ernesto Geisel na Câmara.

Desde 1894, não houve uma única legislatura em que os herdeiros do “patriarca” não estivessem presentes no Congresso. A sucessão da dinastia chegou a ficar ameaçada nas eleições de 2010, quando o próprio Bonifácio de Andrada ficou na segunda suplência. E só voltou ao Congresso porque o então governador de Minas e atual senador Antonio Anastasia, seu colega de partido, chamou dois deputados para seu secretariado, garantindo o prosseguimento da série histórica da família.

Para o parlamentar, as críticas sobre a longevidade do clã no poder não procedem. Ele admite haver famílias, no Congresso, que usam o poder para se locupletar e manter a influência em seus redutos eleitorais. “Existem essas família? Existem. Mas, no nosso caso, não, porque ao longo desse tempo todo, em várias oportunidades fomos oposição, e fomos todos perseguidos”, argumentou, citando até casos de prisão de seus familiares.

Grande Família - O clã Andrada chama atenção pela longevidade no Legislativo. Mas não está só. O Congresso Nacional é dominado por grupos familiares. Na legislatura passada, dois terços dos senadores tinham parentes na política, situação que se repetia na Câmara, onde mais da metade dos deputados (eram quase 300) também tinham familiares em outros cargos políticos, como mostra levamento do Congresso em Foco.

Fonte: Congresso em Foco 

Comentar
Compartilhe
SJB: Betinho alfineta "politização da tradição"
05/04/2015 | 11h59

Se em Campos muita gente respira política, em São João da Barra o clima é muito mais quente e acirrado. A eleição de 2016, por exemplo, já começou faz tempo.

Ontem (04), Sábado de Aleluia, o ex-prefeito Betinho Dauaire (PR) compartilhou no Facebook a nota publicada no blog do jornalista Arnaldo Neto sobre os "Judas" que representavam o prefeito Neco (PMDB) e o radialista Emilson Amaral. Porém, ao invés de aproveitar o embalo para malhar os adversários, Betinho criticou a politização da tradição e insinuou que o protesto foi estratégico. Segundo o ex-prefeito,  a “Malhação do Judas ” não tem mais nada a ver com a antiga tradição da Semana Santa "e já vem algum tempo temperada pela politica partidária em SJB" . "Quanto aos bonecos, os achei bem feitos (Coxinhas), semelhantes um com o outro ao ponto das letras que identificam seus nomes me parecerem idênticas. Acho que deve ter sido feito por um único artista mas com uma bela assessoria de visibilidade para fixar os bonecos em pontos chaves", opinou Betinho.

Outro fato curioso em São João da Barra foi a falta de registros dos "Judas" sendo malhados.

Prefeito comentou - Em seu perfil no Facebook, Neco comentou sobre os "Judas": “(Vou) Pedir a Deus que abençoe e de sabedoria a estas pessoas que por desespero colocaram eu e o radialista Emilson Amaral como Judas, quero dizer para vocês que nada disso me abala eu tenho Deus no meu coração e só ele sabe o quanto eu amo São João da barra e vou trabalhar todos os dias juntamente com toda minha equipe para o crescimento e organização do nosso município e me coloco a disposição de todos no momento que vocês precisarem de mim, principalmente se for problema de saúde como estou passando neste momento com meu irmão. Um abraço fiquem todos com Deus. Juntos somos mais!”.

Comentar
Compartilhe
Pezão sanciona lei que autoriza utilização dos depósitos judiciais
01/04/2015 | 08h20

O governador Luiz Fernando Pezão sancionou a lei complementar nº 163/15 que autoriza a integração de até 62,5% dos depósitos judiciais e extrajudiciais do Fundo de Reserva, sob administração do Banco do Brasil, ao orçamento do estado. De acordo com a lei, que foi publicada nesta quarta-feira (01/04) no Diário Oficial, até 25% dos depósitos podem ser destinados para a conta vinculada ao pagamento de precatórios e de requisições judiciais de pequeno valor, como determina a Constituição Federal.

Outros 37,5% serão utilizados exclusivamente para a capitalização do Fundo Único de Previdência Social do Estado do Rio de Janeiro (Rioprevidência).

A lei, aprovada ontem na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), é uma sinalização positiva para o caixa do Estado nesse momento em que enfrenta grandes dificuldades, provocadas pela queda no preço do petróleo, a crise na Petrobras e a desaceleração do crescimento econômico do País.

Fonte: JB

Comentar
Compartilhe
Lupi diz que PT 'roubou demais' e já 'se esgotou'
26/04/2015 | 06h26

Ex-ministro dos governos Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff e um dos “faxinados” do mandato passado, o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, disse que os petistas “roubaram demais” e que o partido deles “se esgotou”. “O PT exauriu-se, esgotou-se. Olha o caso da Petrobrás. A gente não acha que o PT inventou a corrupção, mas roubaram demais. Exageraram. O projeto deles virou projeto de poder pelo poder”, disse Lupi um dia após a Petrobrás divulgar que a perda da estatal com a corrupção chegava a R$ 6,2 bilhões.

A declaração foi feita durante um encontro com correligionários na quinta-feira, em São Paulo. O jornal "Estado de S. Paulo" teve acesso à fala de Lupi, que foi confirmada pelo próprio dirigente pedetista. Na conversa, o presidente do partido fez ressalvas a programas simbólicos dos governos petistas, como o Bolsa Família. “Tirou milhões da miséria, isso é bom para caramba. O Nordeste é outro (avanço), é verdade. Quem não vê isso é mentiroso, nojento. Eu tenho raiva deles. Mas (o governo) criou também uma dependência. Eu vejo gente que não quer trabalhar para manter o Bolsa Família, isso está errado. O programa tem que ser instrumento para tirar da miséria, não para manter na miséria.”

Aos correligionários, Lupi também reclamou do tratamento dado pelo PT ao PDT desde que as duas legendas formalizaram a aliança em 2006, quando o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva disputava a reeleição. “A conversa com o PT, com o meu amigo Lula e com a presidente Dilma, é qual o naco de poder que fica com cada um. Para mim, isso não basta. Eu não quero um pedaço de chocolate para brincar como criança que adoça a boca. Eu quero ser sócio da fábrica, eu quero ajudar a fazer o chocolate.”

Em um momento de autocrítica, o presidente do PDT disse que o partido se “acomodou” por estar no poder, mas que, diante da insatisfação demonstrada pela população nas ruas, o partido precisa começar a buscar novos caminhos ou sofrerá as consequências no futuro. “Se a gente não acordar para isso, daqui a pouco a população vai fazer como juiz de futebol: vai dar cartão vermelho para gente. Para muitos, já está dando”, disse Lupi. De acordo com aliados do dirigente pedetista, esse tem sido o tom usado por ele durante as reuniões com as Executivas estaduais do PDT desde o início do ano.

Fonte: Estadão 

Comentar
Compartilhe
Pezão: "Déficit está em torno de R$ 9,5 bilhões"
06/04/2015 | 03h18

 

O governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) comentou na manhã desta segunda-feira (06), na rádio CBN, sobre a situação financeira do estado. Segundo Pezão, as medidas econômicas tomadas nos três primeiros meses do ano teriam reduzido a previsão de déficit para este ano. Segundo o governador, em dezembro de 2014, o déficit deste ano era calculado em R$ 13 bilhões. No entanto, ele disse que já conseguiu reduzir esse valor em R$ 9,5 bilhões e que, por isso, acredita que será possível cumprir o orçamento. "Tenho nove meses para correr atrás e manter o orçamento de 2015. Vejo boas perspectivas e acredito que vamos cumprir bem o orçamento de 2015. Estou muito otimista e continuo negociando com quem o estado deve, mas principalmente estamos cobrando de quem deve ao estado", afirmou. Dívida e Déficit de caixa - Um levantamento feito no Sistema de Acompanhamento Financeiro do Estado (Siafem) pelo deputado estadual Luiz Paulo Corrêa da Rocha (PSDB) mostra que a dívida do estado é de R$ 2,9 bilhões — sendo R$ 1 bilhão com restos a pagar do ano passado e R$ 1,9 bilhão com serviços já executados nos três primeiros meses deste ano, mas que ainda não foram pagos. O governo estima que a previsão do déficit de caixa até dezembro será de R$ 13 bilhões e anunciou uma série de medidas para tapar o buraco, como o uso de R$ 6,2 bilhões do Fundo de Depósito Judicial. A proposta que autoriza a utilização do recurso foi aprovada na Assembleia Legislativa (Alerj) e sancionada pelo governador.
Comentar
Compartilhe
Clarissa pede a volta dos voos de Campos para o Santos Dumont
23/04/2015 | 03h04
[caption id="attachment_32742" align="aligncenter" width="491"] Crédito da foto: Cadu Gomes/Comissão de Viação e Transportes[/caption]

A presidente da Comissão de Viação e Transportes (CVT) da Câmara dos Deputados, Clarissa Garotinho (PR-RJ), está trabalhando pela volta dos voos entre os aeroportos Bartolomeu Lisandro, em Campos dos Goytacazes, e Santos Dumont, no Rio de Janeiro. A companhia aérea Azul, a única que faz a ligação dos dois municípios, já admite essa possibilidade.

 Nesta quinta-feira (23), em Brasília, Clarissa recebeu a diretoria da Azul para tratar do assunto. O deputado federal Paulo Feijó (PR-RJ), o secretário de Agricultura da prefeitura de Campos, Eduardo Crespo, e o presidente da Câmara Municipal de Campos, vereador Edson Batista (PTB), acompanharam o encontro.
A empresa transferiu a operação dos voos entre Campos e Rio para o aeroporto internacional Tom Jobim (Galeão) há mais de cinco meses. "O problema é que a maioria viaja de Campos rumo ao centro do Rio, que é próximo ao Santos Dumont. Quem desembarca no Galeão leva até duas horas para chegar ao Centro", disse a deputada. "Se estamos errados, vamos conversar", respondeu a diretora de relações institucionais da Azul, Patrizia Xavier. Ficou acertada uma nova reunião para buscar uma solução, desta vez na prefeitura de Campos, dentro de 15 dias.
Segundo Clarissa, a sociedade e o empresariado de Campos querem que a Azul reverta sua decisão. Em novembro passado, uma nota de repúdio à empresa foi publicada por várias entidades locais, com apoio da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan).
Comentar
Compartilhe
Dornelles quer Papinha no comando do PP de Campos
15/04/2015 | 01h12
[caption id="attachment_32565" align="aligncenter" width="470"] Facebook/Papinha[/caption]

O vice-governador Francisco Dornelles, homem forte do Partido Progressista (PP), está disposto a mudar o comando da legenda em Campos. Entrosado com o deputado estadual Papinha (PP), Dornelles quer ver o parlamentar na presidência do diretório municipal. Além disso, o PP teria planos para entrar na briga pela Prefeitura, em 2016.

Atualmente, o partido é comandado em Campos pelo vice-prefeito Chicão Oliveira, que já é apontado como "prefeitável". Além disso, o partido também conta com o vereador Miguelito.

Nada satisfeito - Quem conhece Dornelles garante que ele não anda nada feliz com o ex-governador Anthony Garotinho (PR). Tudo porque Garotinho andou alfinetando o vice-governador no blog, com insinuações sobre a operação Lava Jato. Além disso, esta semana, Garotinho voltou a "cutucar" Dornelles, com uma nota sobre a Operação Zelotes. Agora, com a eleição de 2016 se aproximando, o cacique do PP estaria disposto a colocar um ponto final na aliança com o grupo rosáceo, que já dura sete anos.

[caption id="attachment_32564" align="aligncenter" width="461"] Facebook/Papinha[/caption]

Na presidência - Com um mês de mandato na Alerj, o deputado Papinha já até presidiu uma sessão. Na última semana, ele comentou no Facebook sobre a missão. "Tive a honra de ser presidente durante a sessão plenária da Alerj, um dos parlamentos mais importante do Brasil. Agradeço a Deus hoje e sempre", disse Papinha.

Solicitações - Na tribuna, ele também fez um balanço sobre o primeiro mês na Casa. "Tive a oportunidade de fazer diversas solicitações para o distrito de Travessão. Solicitamos uma Clínica da Família, uma Escola com cursos profissionalizantes, construção de uma quadra poliesportiva na escola estadual Nelson Pereira Rebel", disse Papinha, que também pediu a reforma da escola Nilo Peçanha, e pavimentação asfáltica nas RJs 224, 194, 196, 204, 178, além da criação de um posto avançado do Detran em Guarus.

Comentar
Compartilhe
Marcão: "Também sei chutar na canela"
08/04/2015 | 04h18

Durante a sessão de ontem (07), que teve momentos de "sessão do descarrego", o vereador Marcão (PT) mandou um recado para os rosáceos: "Soube que citaram nomes de vereadores da oposição durante um evento da Prefeitura. A ideia era dizer quem votou contra ou a favor de um projeto. Quero avisar que se começar com esse tipo de jogo, vai ter troco. Também sei chutar na canela", avisou Marcão.

Um pouco antes, o vereador Rafael Diniz (PPS) havia citado uma "cutucada" do vereador Genásio (PSC). "O vereador Genásio esteve em um evento da Prefeitura e disse que votei contra um projeto, mas na verdade eu nem estava participei desta votação. É preciso pensar um pouco antes de sair por aí dizendo certas cosias", disse Rafael.

 Jogada ensaiada - Durante o lançamento do programa Viver Feliz no Parque Esplanada o vereador Genásio foi instigado pela prefeita Rosinha Garotinho (PR) a listar os vereadores da oposição que teriam votado contra um projeto que concede títulos de posse. Meio sem graça e ao lado do secretário de Governo, Genásio disse que os vereadores da oposição "falam sobre o que não conhecem" e afirmou que "Marcão não aceita o progresso". Por fim, destacou que a população precisa saber separar "o joio do trigo". "Quando os vereadores vierem ao Esplanada eles vão oferecer o que não podem cumprir e ainda atrapalham o que o governo quer fazer", frisou.

Comentar
Compartilhe
Mauro, Garotinho e a "dança do passinho"
10/04/2015 | 10h56
[caption id="attachment_32457" align="aligncenter" width="518"] Facebook/Mauro Silva[/caption] [caption id="attachment_32458" align="aligncenter" width="518"] Facebook/Mauro Silva[/caption]

Na última quarta-feira (08) o vice-prefeito e secretário de Saúde, Dr. Chicão (PP), mostrou entrosamento com o secretário de Governo, Anthony Garotinho (PR), durante uma partida de Ping Pong (aqui). Agora, nesta sexta-feira (10), foi a vez do vereador Mauro Silva (PT do B), líder do governo na Câmara, se divertir ao lado do líder da tropa rosácea.

Durante evento no Trianon, para o acolhimento dos 300 novos membros do programa Jovens pela Paz, Mauro Silva e Garotinho entraram no clima da "dança do passinho". Depois, os dois ainda fizeram malabarismo com uma bola de basquete.

Dilma já dançou - Em setembro do ano passado, durante a campanha eleitoral, a presidente Dilma Rousseff (PT) também entrou na onda da "dança do passinho" (aqui).

Comentar
Compartilhe
Câmara aprova projeto que dá poder aos superintendentes e subsecretários
20/04/2015 | 11h54

A Câmara de Campos aprovou na manhã desta segunda-feira (20), em primeiro turno, o Projeto de Emenda à Lei Orgânica do Município nº 0067/2015, que dá aos secretários municipais o poder de delegar  a ordenação de despesas aos subsecretários ou cargos equivalentes (superintendentes e diretores).

Oposição votou contra - Na tribuna, os cinco vereadores da bancada de oposição se posicionaram contra a aprovação. "Primeiro a prefeita entregou as chaves ao Garotinho. Agora, além dos secretários, os subsecretários e cargos equivalentes também serão ordenadores de despesas. Ou seja, esses 'cargos equivalentes' vão ficar responsáveis por movimentações, em muitos casos, de cifras milionárias", disse Marcão.

"Isso vai gerar uma briga feia" - Sem meias palavras, o vereador José Carlos (PSDC) disse que o projeto é "uma sacanagem". "Quer saber o que eu penso? É uma sacanagem. Fizeram uma reforma e colocaram secretários como responsáveis por diversas superintendências, mas não vão dar poder. Ou seja, os superintendentes vão continuar com a caneta. E ainda vamos ter subsecretários fictícios. Que mudança é essa, se os ex-secretários vão continuar com a caneta, manuseando os recursos? Pode anotar, isso vai gerar um choque entre esses superintendentes e os secretários. Nos bastidores a briga já começou", disparou José Carlos.

Rafael Diniz: "Esse município não é a casa dos Garotinhos" - Para o vereador Rafael Diniz (PPS), o município merece mais respeito. "Estamos vendo um grupo fazer modificações por decreto, como foi no caso da mudança do organograma. Agora, fazem outras modificações para dar poder aos 'subsecretários e cargos equivalentes'. Eles vão mudando sem dar grandes satisfações e ainda falam em transparência. É bom avisar que esse município não é a casa dos Garotinhos. Nossa cidade tem história e merece respeito", frisou.

Líder do governo fala em "descentralização do poder" - O vereador Mauro Silva (PT do B), líder do governo na Câmara, criticou o posicionamento da oposição. Segundo o líder, a proposta é um sinal de modernidade. "A Prefeitura de Curitiba, apontada em todo o país como um modelo a ser seguido, dá poder aos subsecretários, diretores e superintendentes desde o ano de 2005. Trata-se de uma proposta para descentralizar o poder e dar mais celeridade aos trabalhos da Prefeitura. Todos os profissionais estão capacitados. Além disso, cabe lembrar novamente que a reforma administrativa vai gerar uma economia anual de R$ 14 milhões", afirmou.

Quem tem coragem? - Nos bastidores, uma ala "independente" da bancada governista chegou a cogitar uma manobra para travar a votação do projeto. Porém, mais uma vez, os rosáceos compareceram e votaram em silêncio.

Ausências - Além do vereador Paulo Hirano (PR), de licença médica, os vereadores Alexandre Tadeu (PRB) e Neném (PTB) não participaram da sessão.

Rosinha enxugou secretarias e criou 20 superintendências - Na última sexta-feira (17) o blog publicou (aqui) o novo organograma da Prefeitura. Por um lado, a prefeita Rosinha Garotinho (PR) enxugou as secretarias, mas por outro criou 20 superintendências, que deverão ser ocupadas por ex-secretários e ex-presidentes de Fundações. Agora, com a aprovação do projeto nesta segunda-feira, fica nítido que os ex-secretários perderam as pastas, mas continuam com suas respectivas canetas.

Comentar
Compartilhe
Com um pé no PSB
10/04/2015 | 02h33

O vereador Gil Vianna (PR) está com um pé no PSB. Entrosado com o novo diretório do partido no estado do Rio, Gil também foi convidado para coordenar a reformulação da legenda em todos os municípios das regiões Norte e Noroeste. A ideia é ver o partido como protagonista na eleição de 2016.

[caption id="attachment_32439" align="aligncenter" width="369"] O campista Sergio Barcelos, braço direito do senador Romário, assumiu a secretaria Geral do PSB no estado do Rio[/caption]

Ontem (09), em Brasília, o novo diretório do PSB no estado do Rio foi empossado. No comando do time está o senador Romário, que assumiu a presidência. O campista Sergio Barcelos, braço direito de Romário, assumiu a secretaria geral do partido no estado e será um dos principais articuladores da legenda.

Destituição – Com o objetivo de oxigenar o partido no estado, todos os diretórios municipais serão destituídos. A ideia de Romário é trazer novos quadros e fortalecer o partido para disputar Prefeituras estratégicas em 2016.

Altamir Bárbara: “Fui eleito e segui o estatuto” - Em Campos, o partido tem como presidente o vereador Altamir Bárbara, que não deve entregar a chave do diretório com facilidade. Filiado ao PSB desde 2006, Altamir garante que foi eleito e o seu mandato vai até 2017. “Fui eleito e toda a documentação foi registrada no STF, TRE e Cartório. Tudo dentro do que determina o estatuto. Nosso diretório não é provisório”, garante Altamir, que é aliado do governo Rosinha e já afirmou que o partido vai continuar caminhando ao lado do governo.

Comentar
Compartilhe
Cena de uma cidade sem plano de mobilidade
24/04/2015 | 04h05
[caption id="attachment_32754" align="aligncenter" width="491"] Facebook/Anderson Tavares[/caption]

O internauta Anderson Tavares publicou na manhã desta sexta-feira (24), no Facebook, uma imagem que retrata o drama de um animal ao não suportar o peso dos sacos de cimento. Revoltado, o cidadão desabafou: "Até quando isso vai acontecer aqui em Campos dos Goytacazes?" O caso ocorreu na saída do depósito de uma loja de materiais de construção, na Avenida Tarcísio Miranda.

Na Câmara, o debate sobre o fim das carroças teve início em maio do ano passado, mas empacou. Há um ano, o vereador Fred Machado (SD) protocolou uma indicação legislativa com o objetivo de “proibir o trânsito de veículos de tração animal e criar um Fundo Municipal para a reinserção na atividade produtiva de catadores e carroceiros”. Porém, o tema ficou engavetado. Agora, no dia 11 de maio, Fred Machado presidirá uma audiência pública sobre a circulação dos veículos de tração animal (carroças). "Não podemos continuar presenciando o drama desses animais. Além disso, o fim das carroças tem o objetivo de contribuir na questão da mobilidade urbana", diz Fred.

Mobilidade - Terminou, no último dia 13 de abril, o prazo para que os municípios brasileiros com mais de 20 mil habitantes elaborassem seus Planos de Mobilidade Urbana. Porém, a despeito do que determina a Lei 12587/2012, a Prefeitura de Campos não apresentou o seu e perdeu acesso a recursos do Governo Federal. A matéria completa sobre o esquecimento pode ser lida na Folha Online: aqui 

Comentar
Compartilhe
José Carlos: "Não tenho paciência para aturar o Pinóquio"
09/04/2015 | 10h07

Após a vereadora Auxiladora Freitas (PHS) sugerir, na tribuna da Câmara de Campos, que os questionamentos da oposição sejam feitos durante as visitas mensais do secretário de Governo, Anthony Garotinho (PR), o vereador José Carlos (PSDC) chutou o pau da barraca: "Olha, quero avisar que não tenho mais paciência para aturar o Pinóquio. Se for para ficar aqui ouvindo um monte de mentiras, prefiro ficar em casa", disse José Carlos.

No mesmo embalo, o vereador Fred Machado (SD) disparou: "É hora de trocar as palavras oficiosas por documentos oficiais".

Comentar
Compartilhe
Na mira da Operação Lava Jato
30/04/2015 | 10h32
[caption id="attachment_32822" align="aligncenter" width="420"] Foto: Antônio Cruz/ Agência Brasil[/caption] O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), deverá ser incluindo nas investigações da Operação Lava Jato. Os procuradores anexaram dois requerimentos de informação de empresas ligadas ao esquema de desvios na Petrobras impressos a partir de um dos computadores do gabinete do deputado, em 2011. Cunha defende que os requerimentos teriam sido feitos pela ex-deputada Solange Almeida (PMDB-RJ), que atualmente responde pela prefeitura de Rio Bonito. Mas no registro de origem do requerimento, aparece a inscrição "dep. Eduardo Cunha". "Aquilo é um indício bastante razoável", disse um dos investigadores, segundo reportagem do Globo. O doleiro Alberto Youssef disse, em depoimento de delação premiada, que os requerimentos faziam parte de uma manobra de Cunha para forçar o pagamento de propina ao lobista Fernando Soares, o Fernando Baiano. O dinheiro, segundo as investigações, seria destinado a políticos do PMDB, incluindo o próprio Eduardo Cunha. O parlamentar negou as acusações. Segundo os investigadores, o registro dos arquivos reforça o depoimento feito pelo doleiro. Fonte: Brasil 247
Comentar
Compartilhe
Poucos campistas participam de ato contra Dilma
12/04/2015 | 05h10
[caption id="attachment_32495" align="aligncenter" width="604"] No Jardim do Liceu, manifestantes usaram máscaras de Dilma e Lula[/caption]

Cerca de 80 campistas compareceram ao Jardim do Liceu para protestar contra o governo Dilma Rousseff (PT) na tarde deste domingo. Vestidos de verde e amarelo, os poucos manifestantes levaram cartazes e gritaram: "Fora PT". A adesão foi bem menor do que a registrada no dia 15 de março, quando 800 campistas participaram da manifestação que teve início na Praça São Salvador (aqui) e terminou na Pelinca.

Para os organizadores do ato, o importante é continuar protestando, independente da adesão. "Cidadania começa em casa. As coisas não vão mudar do dia para a noite. Temos que continuar mostrando a nossa indignação", discursou Marcelo Amoy, um dos organizadores.

Entidades como Acic e CDL, que aderiram ao ato realizado em março, não compareceram.

[caption id="attachment_32498" align="aligncenter" width="581"] Foto de Rodrigo Silveira[/caption] [caption id="attachment_32499" align="aligncenter" width="574"] Foto de Rodrigo Silveira[/caption]

Comentar
Compartilhe
IBGE: em 12 meses, conta de luz já acumula alta de 60,42%
08/04/2015 | 12h43

Com os reajustes extras para compensar o custo do uso de usinas térmicas, a energia elétrica já acumula alta de 60,42% em 12 meses até março. É um forte avanço na comparação com a taxa registrada no fim de 2014, quando o item encerrou o ano em 17,06%, já influenciado pela crise energética vivida pelo país. "Isso significa que, há 12 meses, se a gente pagava R$ 100, hoje paga R$ 160 pela conta de luz", explica Eulina Nunes, coordenadora de índice de preços do IBGE.

Em março, com aumento médio de 22,08%, a conta de luz mais cara foi responsável por mais da metade do IPCA do mês. O item energia elétrica representou 53,79% do IPCA, com impacto de 0,71 ponto percentual.

No Rio, esse peso da alta da conta de luz foi maior, chegando a 61,3%. Segundo os dados divulgados nesta quarta-feira pelo IBGE, o serviço registrou alta de 23,34% no mês passado, contribuindo com 0,87 ponto da inflação carioca de 1,35%, acima da média nacional. O resultado foi principalmente influenciado pelo reajuste de 34,91% da Ampla, recentemente revisado para baixo pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A alta foi autorizada em 15 de março, mas já apareceu no resultado do mês.

Alimentação e Bebidas - Seguindo a tendência nacional, o grupo de alimentação e bebidas respondeu pelo segundo maior impacto do mês no Rio de Janeiro, com alta de 0,95% e peso de 17%. O vilão entre os produtos alimentícios foi o alho que, segundo o IBGE, é fortemente impactado pelo dólar alto, já que é importado. Também pesou no bolso do consumidor a alta da cebola (12,14%) e, em mês pré-Páscoa, os pescados, que subiram 6,75%.

Remédios - Enquanto a energia pode dar uma trégua, o índice de abril deve ser pressionado por outras altas. No Rio, pesará sobre o resultado o reajuste de 5,71% do metrô, em vigor desde o último dia 2. E, em todo o país, os aumentos nos preços de medicamentos, de 1,02% a 5,68%, válidos desde o dia 1º. "Remédio é que tem mais impacto, porque pega o Brasil inteiro. O impacto dos (preços) monitorados no mês de abril tende a ser menos expressivo do que o que ocorreu em março",  adianta Eulina.

Fonte: O Globo

Comentar
Compartilhe
Garotinho lança a "dança do piãozinho"
13/04/2015 | 10h11

Após ensaiar a "dança do passinho" (aqui) na última sexta-feira (10), ao lado do vereador Mauro Silva (PT do B), o secretário de Governo Anthony Garotinho (PR) se empolgou e repetiu a dose no sábado (11), durante o programa "Viver Feliz". O vídeo com a performance do ex-governador bombou no WhatsApp e foi compartilhado por muitos internautas. Mas há quem diga que ele criou uma nova tendência: a "dança do piãozinho", tendo em vista o número de giros.

Agora é assim, quando a prefeita não aparece para cantar, Garotinho entra em cena e dança.

E na plateia, para não entrar na "degola", tem muito comissionado que aplaude de pé, com gritos eufóricos.

Para ver o vídeo, clique na imagem abaixo:

[caption id="attachment_32535" align="aligncenter" width="517"] CLIQUE PARA VER O VÍDEO[/caption] * O vídeo, disponível no YouTube, foi publicado no site "Notícia Urbana".  
Comentar
Compartilhe
Pudim fala sobre nova etapa do "Muda Campos" e lista nomes para 2016
24/04/2015 | 11h42

O deputado estadual Geraldo Pudim (PR), primeiro secretário da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e vice-presidente estadual do PR, participou ontem (23) do programa “Balanço Geral”, da rádio Record, e comentou sobre o passado, o presente e o futuro do grupo político liderado pelo deputado federal Anthony Garotinho (PR).

Membro do grupo desde o início, Pudim participou, na década de 80, do movimento “Muda Campos”, que acabou com a hegemonia do ex-prefeito Zezé Barbosa. “Éramos jovens e tínhamos planos bem definidos. Hoje, quase trinta anos depois, é possível notar que atingimos muitas metas do Muda Campos, como o importante resgate social. Agora é o momento de partir para uma nova etapa”, disse Pudim, que também falou em renovação. “As pessoas envelhecem. Hoje estou com 55 anos, o Garotinho também. Precisamos abrir espaço para as novas gerações”, disse.

Segundo Pudim, a meta do novo “Muda Campos” é criar uma sintonia entre a “pedra” e as áreas mais afastadas. “É preciso inserir as novas gerações em um novo contexto. Com esporte, cultura, lazer e mobilidade urbana. Essas novas gerações estão mais conectadas e podem voar bem mais alto do que as gerações anteriores”, disse.

Nomes para 2016 – Sobre a eleição de 2016, Pudim disse que, além de reescrever um projeto para Campos, o grupo não deve “pensar em nomes que sejam apenas viáveis eleitoralmente”. “Existem vários casos de políticos que são viáveis eleitoralmente e se tornam péssimos gestores, destroem a cidade. Temos que nos perguntar: quem seria o melhor intérprete para este novo projeto? Quem seria o melhor executor, o melhor gestor? Temos grandes nomes que estão se colocando, como o nosso vice-prefeito, Doutor Chicão (PP), o vereador Mauro Silva (PT do B), a vereadora Auxiliadora (PHS) e o Fábio Ribeiro (PR)”, listou.

Vai entrar no páreo? - Fiel escudeiro do casal Garotinho, Pudim já entrou duas vezes na disputa pela Prefeitura de Campos: em 2004 e na eleição suplementar de 2006. Na duas vezes venceu no primeiro turno e foi derrotado no segundo turno, primeiro para Carlos Alberto Campista e depois para Alexandre Mocaiber. De lá pra cá, Pudim foi deputado federal e está em seu segundo mandato na Alerj. “Acredito que tenho os requisitos para entrar na disputa. Estou vivendo o melhor momento de maturidade política da minha vida. Avancei muito e aprendo muito nos últimos anos. Mas se o partido entender que não precisa de mim, que tem outro melhor, estarei no palanque com o mesmo entusiasmo”, frisou.

 
Comentar
Compartilhe
José Carlos: "Não tenho paciência para aturar o Pinóquio"
09/04/2015 | 10h07

Após a vereadora Auxiladora Freitas (PHS) sugerir, na tribuna da Câmara de Campos, que os questionamentos da oposição sejam feitos durante as visitas mensais do secretário de Governo, Anthony Garotinho (PR), o vereador José Carlos (PSDC) chutou o pau da barraca: "Olha, quero avisar que não tenho mais paciência para aturar o Pinóquio. Se for para ficar aqui ouvindo um monte de mentiras, prefiro ficar em casa", disse José Carlos.

No mesmo embalo, o vereador Fred Machado (SD) disparou: "É hora de trocar as palavras oficiosas por documentos oficiais".

Comentar
Compartilhe
Prefeitura gasta mais R$ 70 mil com passagens aéreas
10/04/2015 | 03h48

A Prefeitura de Campos gastou mais R$ 70 mil com passagens aéreas. Quem recebeu, na última terça-feira (07),  foi a empresa L.M. Viagens e Turismo Ltda.

No dia 20 de fevereiro a Prefeitura pagou R$ 29 mil por passagens de avião (aqui)

No dia 30 de janeiro o gasto com passagens aéreas foi de R$ 45 mil (aqui).

As informações estão disponíveis no Portal da Transparência.

Porém, não é possível saber quem usou os serviços, para onde foram as viagens, nem quantas passagens foram compradas.

Comentar
Compartilhe
Rosinha veta projeto e Neném protesta: "invente outra desculpa"
07/04/2015 | 05h55

O vereador Neném (PTB), membro da bancada governista, usou a tribuna durante a sessão desta terça-feira (07) para protestar contra o veto da prefeita Rosinha Garotinho ao projeto que autorizava a criação do Clube do Servidor. "Aprovamos o projeto aqui na Câmara e ele foi vetado. A Procuradoria argumentou que o projeto é inconstitucional. Porém, é bom lembrar que se tratava de uma Lei Autorizativa e existe, inclusive, uma posição do ministro Luiz Fux, sobre o tema. Em um caso semelhante, em Belo Horizonte, o ministro do STF deixou claro que no caso da Lei Autorizativa não existe usurpação de competência. Ou seja, a justificativa da Procuradoria carece de uma base jurídica sólida" disparou Neném, que foi além: "A prefeita poderia fazer hoje, ano que vem, ou nunca. Só não vou aceitar essa desculpa de que a proposta é inconstitucional. Invente outra desculpa", frisou Neném.

Logo após o discurso, Neném cobrou uma postura firme da Câmara. "Aprovamos o projeto e peço que todos me ajudem a derrubar esse veto", pediu.

O vereador Nildo Cardoso (PMDB), líder da oposição na Câmara, ficou ao lado do governista. "Trata-se de um projeto que vai de encontro aos anseios dos servidores públicos e podemos derrubar esse veto", comentou.

Diante da polêmica, o vereador Álvaro César (PMN) pediu a palavra e solicitou que a análise sobre o veto ficasse para uma outra ocasião. "Peço que retire da pauta para uma avaliação no prazo de 48 horas", disse Álvaro, que teve a sua solicitação aprovada.

Agora, a Câmara deve decidir na próxima terça-feira (14) se derruba ou não o veto da prefeita Rosinha.

Comentar
Compartilhe
Quissamã: Furinga assume Prefeitura e prega união para enfrentar a crise
10/04/2015 | 10h19
[caption id="attachment_32444" align="aligncenter" width="442"] Foto - Andre Motta[/caption]

O novo prefeito de Quissamã Nilton Pinto (PR), o Furinga, assinou o termo de posse na manhã desta sexta-feira (10), em sessão realizada pela Câmara de Vereadores. Em seu discurso, Nilton solicitou duas semanas para obter detalhes da gestão, mas já anunciou que terá amplo diálogo com a Casa Legislativa para enfrentar a crise. Ele assumiu o cargo após Octávio Carneiro (PP) pedir licença para tratamento médico, pelo prazo de 60 dias. O plenário da Casa foi lotado por servidores municipais, lideranças políticas e comunitárias.

Para Nilton Pinto, a missão de governar Quissamã neste momento é uma tarefa árdua. “Tenho todo direito do mundo, menos de errar. Assumo um boing 747 em pleno voo, em meio a turbulência e com pouco combustível”, afirmou o novo prefeito do município produtor de petróleo, se referindo a crise financeira em função da constante queda de arrecadação. Ele afirma que o melhor lugar para discutir soluções para a crise que atinge o país, e principalmente os municípios produtores é a Câmara.

Os vereadores Marcelo Batista (PV), Isabel Pessanha (PMDB), Jorge Silva (PMDB), Jorge Rodrigues (PPS), Ronaldo Costa (PROS), Marcos Silva (PROS) e Kitiely Freitas (PR) também participaram da sessão de posse, e fizeram discursos pautados pelo desejo de soluções para as dificuldades em que o Município atravessa.

Atualização às 15h30 para inclusão de foto e alteração no texto 

Comentar
Compartilhe
Após chamar Renan de "inimigo do Rio" e "ditador", Clarissa confia na ajuda do senador
08/04/2015 | 04h41
[caption id="attachment_32368" align="aligncenter" width="419"] Foto: Cadu Gomes/Comissão de Viação e Transportes[/caption] “Renan não é digno de receber homenagens da Alerj. Ele é inimigo do Rio de Janeiro”, disse a deputada Clarissa Garotinho (PR) em 2013.

Porém, como todos nós sabemos, o mundo político é dinâmico e não há espaço para ressentimentos. Nesta quarta-feira (08) o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), prometeu acelerar a tramitação do projeto que pretende criar alternativas de antecipação das receitas decorrentes da exploração de petróleo e gás natural para a recuperação das economias de estados e municípios afetados pela queda dos royalties, provocada pela baixa no preço do barril.

O compromisso de Renan foi firmado durante a visita da prefeita Rosinha Garotinho, e de sua filha, a deputada Clarissa. Elas foram pedir apoio ao projeto de resolução 15/2015, de autoria dos senadores Marcelo Crivela (PRB-RJ) e Rose de Freitas (PMDB-ES). As medidas permitirão que projetos e gastos públicos nas áreas de saúde e educação, principalmente, não sejam prejudicados enquanto os municípios estiverem buscando outras fontes de receita nos próximos anos. Renan espera que a proposta seja votada pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado já na próxima semana.

O projeto foi apresentado por sugestão do secretário de Governo da Prefeitura de Campos, Anthony Garotinho. A proposta cria uma espécie de adiantamento dos royalties para os municípios que enfrentam a crise. A intenção é calcular, em média, quanto cada cidade recebeu nos últimos anos. Depois, fazer uma projeção do que ela tem a embolsar neste ano e em 2016. Se aprovado, o projeto autoriza o prefeito a pegar emprestado, na Caixa Econômica ou no Banco do Brasil, o valor da diferença. Exemplo: se um município recebia, em média, R$ 20 milhões por ano, e a previsão de repasse para 2015 caiu para R$ 8 milhões, os bancos oficiais emprestariam os R$ 12 milhões para completar o valor.

Rusga anterior - Em 2013, como deputada estadual, Clarissa apresentou um Projeto de Resolução para cancelar a Medalha Tiradentes, que a Alerj concedeu, no ano de 2006, ao Senador Renan Calheiros (aqui). Indignada com a atuação do senador na condução da Sessão que derrubou o veto da presidente Dilma à Lei dos Royalties, a deputada Clarissa Garotinho afirmou que o senador agiu como "ditador, rasgou o regimento interno e maculou a Constituição Federal". “Renan não é digno de receber homenagens da Alerj. Ele é inimigo do Rio de Janeiro”, disse.

O blog do jornalista Arnaldo Neto publicou nota sobre o encontro desta quarta-feira: aqui 

Atualização às 19h - Clarissa: "Sustento o que disse sobre Renan Calheiros em 2013"  - A deputada federal Clarissa Garotinho (PR) enviou uma resposta ao blog e deixou claro que o seu forte posicionamento de 2013 não tem nada a ver com a articulação de 2015. Confira:

"A bem da verdade, os fatos precisam ser colocados em perspectiva, principalmente quando os contextos são diferentes. Em 2013, quando propus o cancelamento da Medalha Tiradentes concedida sete anos antes ao senador Renan Calheiros pela Assembleia Legislativa do estado do Rio de Janeiro, não o fiz sem motivo. Na época, a atitude do senador merecia repúdio, uma vez que ele conduziu a sessão para derrubar o veto da presidente Dilma Roussef à Lei dos Royalties. Isso iria prejudicar o estado do Rio de Janeiro. Afinal, o modelo defendido por Renan redistribuiria os royalties fluminenses entre outros estados. A posição dele era injusta e inconstitucional. Agiu, portanto, como um inimigo do Rio.

Hoje, a realidade é diferente. A discussão sobre o modelo de partilha dos royalties do petróleo não está mais no âmbito do Congresso Nacional. O que precisamos, agora, é de urgência na tramitação do projeto de resolução que vai ajudar os municípios que perderam receitas com a queda dos royalties, fruto da baixa no preço do barril. Nós defendemos uma proposta que cria alternativas para os municípios fluminenses sem afetar a economia de outros estados. Isso está muito claro. Não se deve confundir a relação institucional com a posição política.

Eu sustento o que disse sobre Renan Calheiros em 2013. No entanto, jamais poderei me furtar à defesa dos interesses do povo do meu estado. E isso inclui procurar autoridades que possam apoiar iniciativas de socorro aos municípios que enfrentam a crise. A aprovação do projeto que tramita no Senado vai permitir às prefeituras dos municípios produtores de petróleo a manutenção de serviços essenciais, especialmente nas áreas de Saúde e Educação, até que sejam encontradas outras fontes de receita. É meu papel, como deputada federal, ser agente efetiva deste processo na busca por soluções. Como diria o cronista esportivo Juarez Soares: 'Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa'".

Comentar
Compartilhe
Auxiliadora sobre a Prefeitura: "quem sabe esta missão não chega?"
17/04/2015 | 11h48

A vereadora Auxiliadora Freitas (PHS) resolveu usar o Facebook para divulgar uma enquete (aqui) sobre a disputa pela Prefeitura de Campos. Sem cerimônia e demonstrando empolgação, a professora pediu para que os seus amigos votem na enquete e fez até um discurso de "pré-candidata". "Já que estou na lista. ... Quem sabe...Então pela educação. Cultura. Saúde. Não a corrupção e Sim ao bem comum. Vamos na luta. Se Deus e vcs quiserem quem sabe esta missão não chega.???!!", postou a parlamentar, que faz parte da "velha guarda rosácea". Nas reuniões, os membros deste grupo lembram que "no início cabia todo mundo em uma Kombi".

Aos poucos os aliados começam a botar as asinhas de fora. Por enquanto, os nomes mais ventilados do grupo são: vice-prefeito Dr. Chicão (PP), vereador Mauro Silva (PT do B), deputado federal Paulo Feijó, deputado estadual Geraldo Pudim (PR), vereadores Edson Batista (PTB) e Abdu Neme (PR) e os secretários Fábio Ribeiro (PR) e Suledil Bernardino (PR).

 
Comentar
Compartilhe
Perícia contábil: Rosinha diz que não deve e não teme
08/04/2015 | 01h23

Após a Prefeitura de Campos recorrer contra uma perícia contábil com a missão de apurar um suposto rombo de R$ 600 milhões, apontado pelo jornal Terceira Via, a prefeita Rosinha Garotinho (PR) resolveu mudar de ideia. “Quem quer a verdade sou eu. Em Campos criou-se essa mania de fomentar mentiras sem depois ter como provar. Quero a perícia para provar quem são os mentirosos”, disse a prefeita Rosinha ao Campos 24 Horas.

Rosinha disse ainda: “Quem não deve não teme. Quem tem que provar a mentira é o mentiroso. O meu governo não pactua com corrupção ou com qualquer irregularidade e quem fizer acusações vai ter que provar”.

A perícia contábil nas contas do governo municipal foi determinada pelo juiz Cláudio Cardoso França em audiência de conciliação ocorrida no dia 19 de março.

Segundo o Departamento Jurídico do Jornal Terceira Via, a perícia determinada pelo juiz não foi limitada a uma mera conferência na contabilidade. Os quesitos que ainda serão apresentados pelas partes teriam finalidade de demonstrar eventual desvio de recursos para a campanha do então candidato ao governo do estado, Anthony Garotinho (PR).

 
Comentar
Compartilhe
Marcão: "Também sei chutar na canela"
08/04/2015 | 04h18

Durante a sessão de ontem (07), que teve momentos de "sessão do descarrego", o vereador Marcão (PT) mandou um recado para os rosáceos: "Soube que citaram nomes de vereadores da oposição durante um evento da Prefeitura. A ideia era dizer quem votou contra ou a favor de um projeto. Quero avisar que se começar com esse tipo de jogo, vai ter troco. Também sei chutar na canela", avisou Marcão.

Um pouco antes, o vereador Rafael Diniz (PPS) havia citado uma "cutucada" do vereador Genásio (PSC). "O vereador Genásio esteve em um evento da Prefeitura e disse que votei contra um projeto, mas na verdade eu nem estava participei desta votação. É preciso pensar um pouco antes de sair por aí dizendo certas cosias", disse Rafael.

 Jogada ensaiada - Durante o lançamento do programa Viver Feliz no Parque Esplanada o vereador Genásio foi instigado pela prefeita Rosinha Garotinho (PR) a listar os vereadores da oposição que teriam votado contra um projeto que concede títulos de posse. Meio sem graça e ao lado do secretário de Governo, Genásio disse que os vereadores da oposição "falam sobre o que não conhecem" e afirmou que "Marcão não aceita o progresso". Por fim, destacou que a população precisa saber separar "o joio do trigo". "Quando os vereadores vierem ao Esplanada eles vão oferecer o que não podem cumprir e ainda atrapalham o que o governo quer fazer", frisou.

Comentar
Compartilhe
Os partidos que mais receberam doações de empreiteiras da Lava Jato
28/04/2015 | 02h12
[caption id="attachment_32804" align="aligncenter" width="660"] 28 dos 32 partidos políticos oficialmente instituídos no Brasil receberam dinheiro de empresas investigadas na Operação Lava Jato.[/caption] As empreiteiras investigadas na Operação Lava Jato destinaram 70% das doações que declararam à Justiça eleitoral em 2010 e 2014 a candidaturas do PT, do PSDB e do PMDB. Dos R$ 930 milhões (em valores atualizados pelo IPCA/IBGE) repassados por essas empresas, R$ 660 milhões bancaram candidatos dessas três legendas. O PT ficou com R$ 308 milhões (33%), o PSDB com R$ 189 milhões (20%) e o PMDB com R$ 162 milhões (17%). Essas construtoras financiaram, ainda, outras 25 legendas com R$ 270 milhões. Ou seja, dos 32 partidos registrados no Tribunal Superior Eleitoral, 28 (87%) foram financiados nas duas últimas eleições gerais por empreiteiras acusadas pelo Ministério Público Federal de integrar um cartel para desviar recursos da Petrobras, o chamado “clube do bilhão”. Apenas o Psol, o PCB, o PSTU e o PCO – legendas de esquerda e extrema-esquerda, não foram beneficiadas pelo grupo. Só no ano passado, PT, PSDB e PMDB tiveram um auxílio de R$ 306 milhões dos grupos Andrade Gutierrez, Camargo Corrêa, Engevix, Odebrecht, OAS, Queiroz Galvão, Galvão Engenharia, Toyo Setal e UTC Engenharia. Dessas, só a Toyo não doou a esses três partidos em 2010. Naquele ano, além das oito construtoras citadas anteriormente, também contribuíram a IESA, a Mendes Junior e a Promon. Juntas, essas 11 empresas repassaram R$ 276 milhões (R$ 353 milhões em valores atualizados) para candidaturas petistas, tucanas e peemedebistas. O levantamento considera as quantias declaradas à Justiça eleitoral. Veja abaixo quanto cada partido recebeu das empreiteiras da Lava Jato (valor total referente às eleições de 2010 e 2014): PT R$ 273.267.851 PSDB R$ 165.833.020 PMDB R$ 143.560.020 PSB R$ 62.188.881 PP R$ 34.504.000 PR R$ 26.917.500 DEM R$ 26.236.300 PDT R$ 21.725.025 PTB R$ 11.742.978 PCdoB R$ 9.655.015 PSD* R$ 9.044.081 PPS R$ 6.227.751 PSC R$ 6.161.556 PV R$ 6.110.000 SD* R$ 5.210.000 PRB R$ 3.985.000 Pros* R$ 1.520.000 PRTB R$ 1.483.000 PTN R$ 1.355.000 PMN R$ 1.133.030 PEN* R$ 1.117.880,00 PTdoB R$ 1.065.774 PTC R$ 831.400 PSL R$ 537.840 PHS R$ 280.000 PSDC R$ 253.901 PRP R$ 89.000 PPL* R$ 55.000 Total 822.090.803 Valores corrigidos 930.315.101,61 *SD, Pros, PEN e PPL foram criados após 2010. Os valores que esses partidos receberam dizem respeito as eleições de 2014. Fonte: Pragmatismo Político
Comentar
Compartilhe
Cheque Cidadão — Garotinho: "Tinha gente com dez e até vinte cartões na mão"
02/04/2015 | 11h46
[caption id="attachment_32246" align="aligncenter" width="551"] Em 2004, Garotinho esteve em Campos para entregar pessoalmente o Cheque de número 5.000 / O Diário[/caption]

Ao justificar a necessidade do recadastramento do Cheque Cidadão, que deixou as famílias sem o repasse no mês de março, o secretário de Governo, Anthony Garotinho (PR), disse, durante programa de rádio (aqui), que foram descobertas pessoas "sem dó e respeito pelo dinheiro público". De acordo com o secretário, tinha gente com 10 e até 20 cartões. "Nós encontramos pessoas, que a gente não sabe como, tinham 10, 20 cartões na mão. E passavam aquilo no banco, R$ 200,00, você pega uma pessoa com 10 cartões, são R$ 2 mil. Isso é um absurdo, uma escândalo, uma vergonha", comentou o secretário.

O "Blog da Coluna" publicou nota (aqui) sobre a afirmação de Garotinho e cobrou a apresentação dos envolvidos no suposto esquema. Até porque, se houve realmente essa fraude, tudo isso foi bancado com o meu, o seu, o nosso dinheiro.

Programa Campos Cidadão - Em outubro de 2011, após suspeita de irregularidades no uso do cartão cidadão (passagem a R$ 1,00), principalmente quanto a utilização excessiva dos mesmos, como o apontamento de um único cartão ter sido usado mais de 20 vezes em um mesmo dia, a Prefeitura suspendeu, por 84 dias, os repasses até que fosse realizada uma auditoria. Na época, a Prefeitura contratou, por R$ 715 mil, a empresa Planum Planejamento e Consultoria Urbana Ltda, de Belo Horizonte, com a missão de promover auditoria sobre os repasses do Programa. O prazo para que a empresa fornecesse um relatório da sindicância expirou no dia 21 de janeiro de 2013. E o resultado? O vereador Fred Machado (SD) cobrou informações em 2013, mas não obteve respostas.

Comentar
Compartilhe
"Rolo compressor" atropela informações sobre patrocínio do "Verão da Família"
08/04/2015 | 06h15

O vereador Rafael Diniz (PPS) buscou durante a sessão desta quarta-feira (08) informações sobre os patrocinadores do "Verão da Família". "O secretário de Governo esteve aqui e disse que os shows foram bancados com patrocínios. Por isso, protocolei um requerimento para obter informações sobre esses contratos. Afinal, quanto o governo recebeu para bancar os shows do verão em tempos de crise?", indagou Rafael.

Novo líder do "rolo compressor", o vereador Mauro Silva (PT do B) solicitou que a bancada governista votasse contra o requerimento de Rafael Diniz. Segundo Mauro, "tudo foi feito de forma transparente". "Este foi o verão mais barato dos últimos tempos. Patrocinadores contribuíram e todas as informações estão disponíveis no Portal da Transparência e foram publicadas no Diário Oficial. Por isso, solicito o voto contrário", disse Mauro.

Após o posicionamento de Mauro, Rafael fez um apelo: "Se as informações estão disponíveis, por que negar o requerimento? A minha assessoria não viu os contratos, nem os assessores dos vereadores Fred Machado e Marcão. Prove que estou errado. Quem não deve, não teme", afirmou. Rafael.

O apelo não surtiu efeito. O requerimento foi atropelado pelo "rolo compressor", com os votos contrários dos vereadores Rafael Diniz, Marcão (PT), Fred Machado (SD) e José Carlos (PSDC).

"Pergunte ao Garotinho" - Na tribuna, a vereadora Auxiliadora Freitas (PHS), que votou contra, disse que os vereadores podem perguntar ao secretário de Governo, Anthony Garotinho (PR). "A pergunta pode ser feita diretamente ao secretário de Governo Anthony Garotinho. Em sua próxima visita ele pode responder. Na minha opinião esses pedidos têm caráter eleitoreiro", disse Auxiliadora.

Sobre a sugestão de Auxiliadora, Rafael comentou: "Ouvir o secretário? Me desculpe, mas a palavra dele é como nota de R$ 3,00. Quero documentos oficiais", frisou.

Comentar
Compartilhe
Dilma chegou ao ‘fundo do poço’ e não deve afundar mais, diz diretor do Datafolha
14/04/2015 | 06h56
[caption id="attachment_32549" align="aligncenter" width="286"] Para Mauro Paulino, manifestantes podem ser enquadrados em dois grandes grupos: "refratários" e "frustrados"[/caption]

A presidenta Dilma Rousseff (PT) já bateu no fundo do poço e, ao que tudo indica, não afundará mais. A avaliação é do diretor do Instituto Datafolha, Mauro Paulino. Para ele, a redução no número de manifestantes nas ruas no último domingo (12), em comparação com os protestos de 15 de março, indica que a rejeição à presidenta estancou, mas não confirma que o cenário melhorou para o PT. Com base em pesquisa feita pelo instituto, Paulino afirma que a crise do governo atinge até o ex-presidente Lula. “Dessa vez Lula não saiu incólume”, declarou o diretor do Datafolha em entrevista ao Valor Econômico.

Paulino cita simulação feita pelo instituto que mostra que o ex-presidente petista perderia hoje para o tucano Aécio Neves em uma eventual disputa presidencial: 29% a 33%. Ele também destaca que tem diminuído a cada pesquisa o percentual de brasileiros que consideram o petista o melhor presidente da história do país. “Essa taxa já chegou a mais de 70%, em 2010, e vem caindo. Agora está em 50%”, observa.

O diretor do Datafolha acredita que a iniciativa de ir às ruas para protestar é mais emocional do que racional. “É mais um sentimento de raiva”, avalia. Ele entende que os manifestantes se dividem em dois grandes grupos: os “refratários”, que não votaram na petista, não se conformam com a derrota e rejeitam fortemente o governo, e os “frustrados”, que se arrependeram de ter votado em Dilma pelo não cumprimento de promessas de campanha.

Mauro Paulino ressalta que há uma “forte dose de desinformação” entre os manifestantes. Segundo o Datafolha, apenas 12% dos apoiadores do impeachment de Dilma sabem que seu sucessor, em um eventual processo de perda de mandato, seria o vice-presidente, Michel Temer (PMDB). Para ele, as manifestações de 15 de março tiveram um ingrediente a mais como motivador para levar às ruas mais de 2 milhões de pessoas, segundo as polícias militares: o pronunciamento de Dilma uma semana antes, no Dia Internacional da Mulher. Enquanto a presidenta discursava em cadeia de rádio e TV, em diversas capitais brasileiras manifestantes protestavam com um panelaço.

Veja mais no Valor Econômico
Comentar
Compartilhe
Coordenação política não é distribuição de “cargos e boquinhas”, diz Renan
30/04/2015 | 03h19
[caption id="attachment_32818" align="aligncenter" width="580"] Renan destacou que PMDB não pode deixar que coordenação política do governo seja administração de recursos humanos. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil[/caption]   O presidente do Senado Renan Calheiros (PMDB) disse hoje que a coordenação política do governo, atualmente comandada pelo vice-presidente da Republica, Michel Temer, não pode se transformar em uma “articulação de RH [recursos humanos]”. “O PMDB não pode transformar a coordenação política, sua participação no governo, em uma articulação de RH, para distribuir cargos e boquinhas. Eu acho que isso tudo faz parte de um passado do Brasil que cada vez mais nós temos que deixar para trás”, afirmou o parlamentar. Em entrevista, ele ressaltou que não indicará cargos ao Executivo. “Eu sou governo, [mas]o que eu não quero é participar do Executivo, eu não vou indicar cargo no Executivo porque esse papel é incompartível com um Senado independente”. Renan Calheiros disse que prefere manter a coerência de ter um Senado independente do que participar de indicações de cargos para o governo. Para ele , o papel do PMDB é qualificar a coalizão dando um fundamento programático a ela. “O pior papel que o PMDB pode fazer é substituir o que o PT tem de pior que é o aparelhamento do Estado”, disparou o presidente do Senado. O senador minimizou os desentendimentos com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que se intensificaram após declarações contrárias ao projeto de lei que regulamenta a terceirização na atividade fim da empresa. A matéria já foi aprovada pelos deputados e agora tramita no Senado. Fonte: Agência Brasil
Comentar
Compartilhe
De olho em 2016, PR começa a reunir lideranças
13/04/2015 | 10h54
[caption id="attachment_32529" align="aligncenter" width="491"] Pudim já começou a conversar com lideranças de vários municípios[/caption]

O diretório estadual do Partido da República (PR) já começa a preparar as suas peças para a eleição de 2016. Em postagem no Facebook, o deputado estadual Geraldo Pudim, que é vice-presidente do PR no estado, publicou nota informando que o "aquecimento" para o jogo já começou. "O Partido da República começou oficialmente a reunir as lideranças municipais com vistas às eleições de 2016. Este é um processo importante no qual abrimos um diálogo mais ampliado com os presidentes dos diretórios municipais do PR, bem como lideranças políticas que tenham perfil e queiram colaborar com projeto do partido para os municípios (...) Para nós é sempre muito empolgante este tipo de atividade, pois aguça nosso olhar sobre as perspectivas para 2016 ao passo que conseguimos nos aprofundar no estudo técnico-político das cidades", disse Pudim, ressaltando que o o ex-governador Anthony Garotinho, presidente estadual do partido, "está conduzindo este processo junto com os membros da bancada federal e estadual".

Campos - Em recente entrevista ao blog (aqui), a deputada federal Clarissa Garotinho (PR) disse que o partido continua sendo a principal força em Campos. "Em 2016, o PR só precisa escolher o candidato certo: que o una o partido e dialogue com a sociedade".

SJB - O ex-prefeito de São João da Barra, Betinho Dauaire (PR), já avisou que as articulações começaram no município. "Entre os nomes para candidato a prefeito do PR está o vereador Franquis Áreas", disse Betinho (aqui). O deputado estadual Bruno Dauaire  também é uma opção do partido em SJB.

Quissamã - Em 2012 o PR caminhou ao lado do prefeito Octávio Carneiro (PP) e indicou o vice, Nilton Furinga, que atualmente atua como prefeito interino e pode ser uma opção para a disputa pela Prefeitura em 2016. Outro nome do PR em Quissamã é o da vereadora Kittiely Freitas.

 
Comentar
Compartilhe
Vereadores visitam creche e encontram "improviso, descaso e desrespeito"
15/04/2015 | 06h42
[caption id="attachment_32587" align="aligncenter" width="482"] Reprodução/Facebook[/caption]  

Comentar
Compartilhe
Ficou no papel
04/04/2015 | 02h28

Em junho do ano passado, após a morte da vendedora Simone Lucas Ferreira, em acidente de trânsito no Parque Imperial, moradores do bairro se uniram e cobraram do secretário de Obras e Urbanismo, Edílson Peixoto, a colocação de quebra molas (redutores de velocidade) dentro do bairro. Na ocasião, a Associação de Moradores do Parque Imperial entregou um abaixo assinado, que teria mil assinaturas, e o secretário prometeu tomar as devidas procidências.

Após muita cobrança, o IMTT atuou e colocou placas com sinalizações. Porém, em contato com o blog, um morador relata que os redutores de velocidade não chegaram. "Apesar de um abaixo assinado com documento recolhido pela associação, entregue em mãos ao secretário Edílson Peixoto, fotografado a fim de comprovação, com ordem da prefeita para a obra ser feita o mais rápido possível, nada ainda foi feito (...) Creio não ser um déficit financeiro para o município a colocação de 20 a 30 quebra-molas, pois os mesmos não representam grandes gastos. Sei que grande parte da culpa é dos condutores, todavia se eles não seguem a lei, que o município utilize um meio de coibir esses problemas que acontecem diariamente, colocando em risco a vida dos nossos quase 10 mil moradores, dentre eles crianças e idosos que possuem mais riscos", diz o morador.

Comentar
Compartilhe
Propaganda X Realidade
19/04/2015 | 08h57
[caption id="attachment_32663" align="aligncenter" width="492"] Imagem da propaganda rosácea[/caption] [caption id="attachment_32664" align="aligncenter" width="474"] Imagem da propaganda rosácea[/caption]

Na propaganda exibida na TV, o governo Rosinha mostra um Hospital Ferreira Machado impecável (aqui). As belas imagens lembram até os cenários de algumas séries médicas famosas como "Grey's Anatomy", "ER" e "House".  Para reforçar a propaganda, uma paciente surge e diz que "a nota é 10".

Porém, quem vê de perto nota algumas diferenças. O blog "Pense Diferente" compartilhou algumas fotos feitas por um leitor e ainda apontou falta de medicamentos, insumos e fraldas geriátricas no Ferreira Machado (aqui). Confira as imagens:

[caption id="attachment_32665" align="aligncenter" width="378"] (Fotos: Leitor do Blog Pense Diferente)[/caption]  
Comentar
Compartilhe
Após desabafo, Chicão visita Juliana e garante atendimento
15/04/2015 | 07h49

Ontem (14), o blog publicou (aqui) o desabafo de uma mãe diante da falta de estrutura para a sua filha.

Hoje (15), o secretário de Saúde Chicão Oliveira (PP) visitou a pequena Juliana e garantiu "atendimento integral".

Confira a nota produzida pela assessoria de Comunicação da secretaria de Saúde:

Doutor Chicão visita e garante atendimento integral à Juliana

O vice-prefeito e secretário de Saúde, Doutor Chicão, determinou prioridade no atendimento à paciente Juliana Faria, 9 anos, com diagnóstico de paralisia cerebral. Ele visitou à menor nesta quarta-feira (15), acompanhado do subsecretário Executivo de Saúde, Sebastião Campista; e da gerente de Serviço Social, Márcia Cristina Ferreira; para levantar as reais demandas da menor, de forma a garantir a integralidade na assistência à mesma. "Assim que tomei conhecimento desse caso, determinei que uma equipe multidisciplinar reavaliasse o quadro da paciente em caráter de urgência. Acompanharei pessoalmente e continuarei cobrando as providências, pois temos trabalhado incessantemente, dia e noite, para garantir a excelência e eficácia na saúde de Campos", disse Doutor Chicão.

Juliana recebe tratamento no Hospital Sarah Kubitschek do Rio de Janeiro, viabilizado pela Secretaria Municipal de Saúde, que fornece transporte para deslocamento pelo Tratamento Fora Domicílio (TFD), em carro exclusivo, e ajuda de custo. Ao longo do ano de 2014, a Secretaria garantiu 17 vezes a viagem da paciente e de seus responsáveis ao Rio.

O vice-prefeito verificou que muitas das queixas apresentadas pela mãe, Flávia Faria, não haviam sido formalizadas junto à Secretaria e, diante do fato, determinou que todas as necessidades fossem reavaliadas com vistas à formulação de projeto terapêutico, identificando as reais necessidades, inclusive fornecimento de meios de locomoção adequados, conforme critérios estabelecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Doutor Chicão salientou que a Secretaria dispõe de diversos setores destinados à assistência de crianças com necessidades especiais, como a Gerência de Nutrição, que beneficia 1.200 pacientes, sendo 800 crianças; Programa de Assistência Domiciliar (PAD); Centro de Reabilitação de Anomalias Congênitas da Face (CRACF); Centros de Referência e Tratamento da Criança e do Adolescente (CRTCA); Programa de Genética, com diagnóstico de doenças raras; Centro Regional de Reabilitação da Fundação Municipal de Saúde (FMS); entre outros.

Comentar
Compartilhe
SJB: PSDB ganha reforços e vai jogar no time de Neco
07/04/2015 | 10h47

O empresário Murilo da Karol, e os ex-presidente da Câmara de SJB, Gersinho, se reuniram ontem (06), no Rio, com o deputado estadual Luiz Paulo Correa da Rocha, presidente estadual do partido. Na ocasião, ficou definida a ida de Gersinho para o ninho tucano. Além disso, o ex-vereador Zezinho Camarão também estaria bem próximo de se filiar ao PSDB. "Vamos mostrar a força do PSDB, que atualmente é o maior partido de oposição do Brasil. Estamos montando uma grande nominata para 2016 e, na majoritária, estaremos ao lado do prefeito Neco. Em breve o nosso presidente estadual estará com o prefeito para sacramentar essa parceria", explica Murilo, que em 2012 disputou a Prefeitura de SJB e agora faz parte do bloco de apoio ao atual prefeito.

Comentar
Compartilhe
Saúde na UTI — mãe desabafa: "Cansei de pedir e implorar, só me resta gritar"
13/04/2015 | 10h56

Em contato com o blog, a Flávia, mãe da pequena Juliana, desabafou: "Me cansei de pedir, de implorar. Agora o que me resta é gritar. Tenho uma filha de 8 anos com paralisia cerebral e estamos sem o home care, cadeira de rodas, cilindro de oxigênio, cadeira de banho e leite especial. Para completar, estive na secretaria de Saúde e o processo da minha filha sumiu. Também ficamos sem o veículo que nos levava até o Sarah Kubitschek, no Rio, onde a minha filha recebia um tratamento completo".

Ao comentar sobre o seu drama, a mãe destacou que, nos últimos meses, teve que travar frequentes batalhas jurídicas para conseguir melhorar a qualidade de vida da sua filha. "As pessoas precisam se colocar um pouco no lugar de quem sofre. Imagine, depois disso tudo, ainda chegar na secretaria e ser informada que o processo desapareceu? Que descaso é esse? Vou gritar e lutar pela minha filha, que está tendo convulsões em casa e tenho que sair correndo para o Ferreira Machado", desabafou a mãe.

Será que os nossos nobres gestores não têm um tempinho para encontrar o processo da Juliana Faria Mendonça e resolver esta situação absurda?

Atualização às 19h25- Durante a sessão desta terça-feira (14) o vereador Fred Machado (SD) comentou sobre o caso da pequena Juliana. "Não podemos aceitar este tipo de situação. Como um processo pode desaparecer? Espero que providências sejam tomadas e vou lutar para que isso ocorra", disse Fred.

O vereador Marcão (PT) também desabafou: "Acho que não cabe mais fazer pedidos. Estamos exigindo que essa situação seja resolvida imediatamente", frisou Marcão.

Primeiro secretário da Câmara e membro da bancada governista, o vereador Abdu Neme (PR) prometeu providências. "Esse processo vai ter que aparecer. A prefeita não aceita uma situação deste tipo. Posso ir junto com o vereador Fred Machado para buscar a solução para este caso", disse Abdu.

Mauro Silva fala em "choque de gestão na Saúde" - Líder do governo na Câmara, o vereador Mauro Silva (PT do B) disse que a prefeita não vai medir esforços para resolver a situação. Ao mesmo tempo, reconheceu que a "Saúde precisa de um choque de gestão". Posteriormente, o parlamentar leu a resposta da assessoria de comunicação da secretaria de Saúde.

O vereador Alexandre Tadeu (PRB), que buscou informações sobre o caso da Juliana, disse que a secretaria de Saúde informou que está "cumprindo os trâmites legais do Ministérios da Saúde". Porém, o parlamentar não se contentou com a resposta: "O problema é que esses trâmites duram quatro, cinco anos. Vidas estão sendo desrespeitadas", disse o Tô Contigo.

Membro da Comissão dos Direitos de Pessoas com Deficiência, o vereador Gil Vianna (PR) declarou estar envergonhado. "Sinto vergonha ao ver esse tipo de situação. O caso da Juliana não é isolado. Existem outros iguais. Quando um processo some, os responsáveis devem ser punidos. Não podemos continuar calados. Uma pessoa disse que nunca antes da história uma legislatura foi tão rejeitada. Isso é culpa de quem? Vamos pensar nisso", disse Gil.

O vereador Albertinho (Pros) também comentou sobre o caso: "Conheço a mãe da Juliana e acompanho este caso de perto. Ninguém vai ser preso se dispensar licitação para salvar uma vida. Nesses casos as burocracias precisam ser atropeladas e as vidas valorizadas", disse Albertinho.

Mais informações na edição de amanhã (15) da Folha 

Comentar
Compartilhe
No Parque Aurora, já tem "Judas" na mira
03/04/2015 | 03h45

Amanhã (04), Sábado de Aleluia, é dia de malhar o Judas. Em diversas partes do país, grupos preparam bonecos e, em clima de festa, espancam o "Judas".

Em Campos, no Parque Aurora, a bola da vez foi o vereador Miguelito. Em seu perfil no Facebook, Amarildo Cabeludo publicou uma foto do boneco, que será malhado amanhã, e comentou: "Se fosse o vereador mudaria de vez do Parque Aurora. O povo te ama, pra não dizer o contrário".

Comentar
Compartilhe
Prefeitura pede que Ampla pague R$ 200 mil mensais por prejuízo
15/04/2015 | 01h07

Não, não foi a Prefeitura de Campos que peitou a Ampla.

A Prefeitura de São Gonçalo entrou na Justiça contra a Ampla ontem (14) para que a Ampla pague pelos R$ 200 mil mensais de prejuízo aos cofres municipais devido aos danos causados pelas manutenções mal feitas pela empresa. A estimativa foi feita com base em um laudo técnico foi montado nos bairros Antonina, Jardim Catarina e Guaxindiba, onde ficaram constatados danos nas lâmpadas, reatores e nos cabos.

A ação pede ainda ressarcimento aos moradores desses bairros que tiveram perdas por causa das falhas do serviço prestado pela Ampla. "Nós realizamos os reparos e a Ampla vai lá e danifica o trabalho", reclamou o secretário municipal de Infraestrutura e Urbanismo, Francisco Rangel.

Fonte: Extra, Extra/Berenice Seara 

Enquanto isso, em Campos, a Ampla continua pintando e bordando tranquilamente. Vale lembrar que a concessionária é a segunda colocada no ranking de reclamações do Procon/Campos. Vive disputando a primeira colocação com a empresa Águas do Paraíba.

Pior do Sudeste - Uma pesquisa divulgada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que avalia a qualidade dos serviços prestados por todas as concessionárias do país apontou que a distribuidora de energia Ampla é considerada a pior da região sudeste e a quinta pior do país.

Comentar
Compartilhe
Brasileiros protestam contra o governo Dilma em dez estados
12/04/2015 | 10h55
[caption id="attachment_32485" align="aligncenter" width="601"] Segundo o Batalhão de Grandes Eventos da PM do Rio, há cerca de 10 mil pessoas na manifestação[/caption]

Já há concentrações e atos em AL, AM, BA, MA, MG, PA, PR, RJ, SC, SP e no DF. O número de manifestantes nesta manhã (242 mil segundo a polícia e 399 mil segundo os organizadores) é menor do que nos atos de 15 de março.

O G1 produziu um mapa com o número de manifestantes em cada cidade. Confira: aqui 

Em Campos, o ato está marcado para às 15h, no Jardim do Liceu.

Macaé: Tem início a passeata em protesto contra o Dilma na orla da Praia dos Cavaleiros, em Macaé. Segundo a organização, cerca de 300 pessoas aderiram ao ato. Os manifestantes gritam frases como "Fora Dilma"e "Fora PT". Viaturas da Guarda Civil Municipal e da PM acompanham o protesto pacífico. Não há confirmação da PM quanto ao número de manifestantes. O protesto seguiu de forma pacífica e terminou por volta das 13h15, na Praia dos Cavaleiros, onde foram entoados o Hino Nacional e "Pra não dizer que não falei das flores", de Geraldo Vandré.

São Paulo: A manifestação em Presidente Venceslau reuniu cerca de 500 pessoas na Praça do Correio, no Centro, segundo os organizadores. A PM não acompanha o protesto.

Rio de Janeiro: No carro de som, organizadores do protesto em Copacabana pedem a saída de Dilma e do PT. Entre os presentes no alto do veículo, está um ativista que se fantasia de Batman.

Distrito Federal: PM já afirma que 3 mil pessoas participam de ato contra o governo em Brasília.

Maranhão: Em São Luís, manifestantes mostram cartazes com ofensas à presidente e pedem a saída de Dilma Roussef do governo. Uma passeata está prevista para 11h, com percurso de 3,5 km do Parquinho da Litorânea até a Praça do Pescador.

[caption id="attachment_32470" align="aligncenter" width="482"] Em Minas, manifestantes defende terceirização dos políticos[/caption] Minas Gerais: Manifestantes cantaram o Hino Nacional na Praça da Liberdade, comandados pelo carro de som. Em Belo Horizonte, alguns manifestantes fazem panelaço e muito barulho na Praça da Liberdade. Muitos cartazes pedem a saída de Dilma Rousseff e de todos do PT do governo. Outros cartazes pedem reforma política.

Alemanha: brasileiros se manifestam contra o governo no Centro de Munique. Cerca de 40 pessoas participaram, segundo os organizadores.

[caption id="attachment_32477" align="aligncenter" width="566"] Gruas erguem um grande cartaz com a frase 'Limpa Brasil' em frente ao Congresso Nacional em Brasília         Charles Sholl/Futura Press/Estadão Conteúdo[/caption]

Fonte: G1 Atualização às 17h10 - Alteração no texto após nova informação sobre o número de manifestantes.
Comentar
Compartilhe
Ponto final — Quem tem medo do rombo?
08/04/2015 | 11h21

Quem tem medo do rombo?

Afinal de contas, quem tem medo do “rombo” de R$ 110 milhões auditado pelo governo Rosinha Garotinho (PR), em 2013, e gerado durante sua primeira administração municipal, entre 2009 e 2012? Inicialmente, os aliados do governo rosáceo tentaram jogar o rombo no colo dos ex-prefeitos Alexandre Mocaiber (PSB) e Arnaldo Vianna (PDT). Depois, o secretário de Governo Anthony Garotinho (PR) passou essa “batata quente” para o próprio irmão, o ex-vereador Nelson Nahim (PSD), que rebateu com um desafio. “Quero que ele (Garotinho) vá além das palavras e prove que eu fiz ou autorizei algo”.

Quem é o dono?

Para tentar achar o dono do “rombo”, que gerou um prejuízo milionário aos cofres públicos, o vereador Marcão (PT) sugeriu, durante a sessão de ontem, uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para desvendar os mistérios das “tenebrosas transações”. Já que o governo garante que não tem dedo rosáceo no rombo, por que os vereadores governistas não topam iniciar uma investigação para ouvir membros dos governos passados, o ex-secretário Francisco Esqueff e o ex-vereador Nelson Nahim? Após a acusação do irmão, Nelson Nahim já avisou que seria um prazer comentar sobre os bastidores da Prefeitura e os segredos do cofre.

Pagou caro

Em entrevista à Folha, o especialista em Gestão Pública, Felipe Quintanilha, já destacou que o relatório da auditoria aponta diversas aplicações financeiras de recursos da Administração Direta, Indireta e da Previcampos. “Não foram só recursos do fundo de previdência, recursos do dia a dia da Prefeitura também foram aplicados no mercado financeiro por meio de corretoras declaradas inidôneas por Tribunais de Contas do país, ou de solidez e credibilidade extremamente duvidosas, e para piorar, segundo o próprio relatório, as compras dos títulos públicos se deram com flagrante sobrepreço”.

O preço do rombo

Nos últimos anos, antes da crise e da eleição de 2014, a Prefeitura de Campos parecia uma socialite emergente e deslumbrada. Construiu o maior palco da América Latina no Cepop, gastou milhões com shows e ainda usou dinheiro público para fazer aplicações arriscadas no mercado financeiro. Para se ter uma ideia do valor do “rombo”, Prefeituras de municípios como Cardoso Moreira, Italva e Itaocara contam com orçamentos anuais em torno de R$ 50 milhões. Já a Prefeitura de Campos perdeu R$ 110 milhões e, até agora, não sabemos o que foi feito para reaver esta fortuna.

Publicado hoje (08) na Folha 

Comentar
Compartilhe
Garotinho lança a "dança do piãozinho"
13/04/2015 | 10h11

Após ensaiar a "dança do passinho" (aqui) na última sexta-feira (10), ao lado do vereador Mauro Silva (PT do B), o secretário de Governo Anthony Garotinho (PR) se empolgou e repetiu a dose no sábado (11), durante o programa "Viver Feliz". O vídeo com a performance do ex-governador bombou no WhatsApp e foi compartilhado por muitos internautas. Mas há quem diga que ele criou uma nova tendência: a "dança do piãozinho", tendo em vista o número de giros.

Agora é assim, quando a prefeita não aparece para cantar, Garotinho entra em cena e dança.

E na plateia, para não entrar na "degola", tem muito comissionado que aplaude de pé, com gritos eufóricos.

Para ver o vídeo, clique na imagem abaixo:

[caption id="attachment_32535" align="aligncenter" width="517"] CLIQUE PARA VER O VÍDEO[/caption] * O vídeo, disponível no YouTube, foi publicado no site "Notícia Urbana".  
Comentar
Compartilhe
Protestos: queda nas ruas e na rede
12/04/2015 | 11h44

Não apenas nas ruas, mas também nas redes sociais, a movimentação em torno dos protestos foi mais modesta.

Um levantamento inédito da consultoria digital Bites revela, por exemplo, que até às 18h30 quando se consideram as expressões “manifestação”, manifestações, protesto e protestos o volume de tuítes caiu de 715 469 no dia 15 de março para 132 413 de hoje – uma queda de 81,5%.

Não só. “Impeachment” também foi menos citado. Passou de 107717 tuítes em março para 15202 hoje – uma queda de 86%. Dilma também foi mais poupada. Em março, foi citada em 44349 tuítes. Hoje em 9.665. Queda de 78,6%.

O governo e o PT, desta vez, reagiram. Conseguiram manter a hashtag #AceitaDilmaVez nos assuntos mais comentados do Twitter.

Foi uma ação bem articulada que produziu até agora 99 817 tuítes e 174 milhões de impressões. Isso significa que cada usuário do Twitter no Brasil foi impactado 7,9 vezes por essa mensagem pró-Dilma.

No campo das impressões no Twitter, a oposição se saiu melhor. As variações de protesto e manifestação impactaram, em média, 45,5 vezes cada usuário do Twitter no Brasil.

Por Lauro Jardim/Radar on-line

Comentar
Compartilhe
Dilma garante que governo vai manter diretos trabalhistas
30/04/2015 | 10h41
  [caption id="attachment_32826" align="aligncenter" width="891"] Foto: Agência Brasil[/caption] A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta quinta-feira que é “necessário” e “urgente” regulamentar a terceirização no país, mas disse que seu governo tem o compromisso de manter as garantias e os direitos trabalhistas. Em reunião com representantes de centrais sindicais, a presidente afirmou ainda que deve haver uma diferenciação para contratação de mão-de-obra terceirizada em atividades-fim e atividades-meio de uma empresa. "O esforço e o compromisso do meu governo é no sentido que ao final desse processo os direitos e as garantias dos trabalhadores sejam mantidos... e tudo faremos para contribuir para isso através do princípio do diálogo", disse a presidente na abertura da reunião, transmitida pela TV oficial do governo NBR. "Eu sei e vocês sabem que é urgente e necessário regulamentar o trabalho terceirizado no Brasil", afirmou, referindo-se a projeto que regulamenta a terceirização recentemente aprovado na Câmara dos Deputados e em tramitação no Senado. "No entanto, a regulamentação do trabalho terceirizado precisa manter, do nosso ponto de vista, a diferenciação entre atividades-fim e atividades-meio nos mais diversos ramos da atividade econômica." Dilma aproveitou a ocasião para anunciar a criação de um fórum multissetorial para discutir políticas de emprego, trabalho e previdência. Dentre os temas a serem abordados pelo grupo estão o fator previdenciário, a idade mínima de aposentadoria, a redução da rotatividade no mercado de trabalho e a formalização das relações trabalhistas. Dilma justificou ainda os ajustes que vem promovendo na economia, que incluem alteração em regras de acesso a benefícios trabalhistas e previdenciários, citando como motivos para interromper as políticas anticíclicas a crise internacional, a queda no preço das commodities e, no campo interno, a uma seca "sistemática". "Tomamos um conjunto de medidas e fizemos esses ajustes primeiro porque nós queremos reduzir a inflação. Segundo, queremos fazer esses ajustes para voltar a crescer em bases sólidas", afirmou. Fonte: Brasil Econômico
Comentar
Compartilhe
Alerj quer informação sobre R$ 70 milhões doados à Segurança
10/04/2015 | 12h20

Em meio à crise que atinge o projeto das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), a Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj) questiona a aplicação dos R$ 70 milhões doados há quase um ano ao governo estadual para investimentos em segurança pública. Em reunião na quinta-feira, 9, com deputados da Comissão de Segurança Pública da Casa, a Secretaria de Segurança se comprometeu a enviar até o dia 14 um relatório detalhado sobre o emprego do dinheiro. Inicialmente, o secretário José Mariano Beltrame disse aos deputados que apenas R$ 27 milhões foram repassados à pasta. "Essa rubrica tinha destino certo: a segurança. É uma pergunta que vai ser colocada para o governo do Estado. Para onde foram os outros R$ 43 milhões?", indagou a deputada Martha Rocha (PSD), que preside a Comissão, após a reunião.

A secretaria de Segurança procurou os deputados à tarde para informar que Beltrame se enganara. Segundo a nova versão, dos R$ 70 milhões repassados, R$ 27 milhões foram investidos em UPPs, R$ 30 milhões nas polícias e R$ 13 milhões na construção de uma escola técnica no Complexo da Maré.

Bruno Dauaire: "É estranho" - Deputados que estiveram no encontro pela manhã demonstraram surpresa com as explicações tardias da secretaria. "Beltrame deixou muito claro que só tinha recebido R$ 27 milhões. Depois a secretaria entrou em contato conosco para fazer a correção. É estranho e certamente será assunto debatido", disse Bruno Dauaire (PR).

Publicada no Diário Oficial do Rio em 22 de maio de 2014, a Lei 6.782/14 estabeleceu a transferência de R$ 70 milhões do Fundo Especial da Alerj para o governo do Estado. Do total, R$ 29 milhões deveriam ser investidos nas UPPs.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentar
Compartilhe
Crivella: a "noiva" mais cobiçada
02/04/2015 | 05h22

O ex-governador do Rio Anthony Garotinho (PR) aterrissou em Brasília, na semana passada, com a tarefa de convidar o senador Marcelo Crivella (PRB) a ingressar em seu partido. O PR tem mais tempo de TV que o PDT — a outra legenda que está de olho no senador, que virou a "noiva" mais cobiçada para a eleição de 2016. Crivella agradeceu, e ficou de estudar o convite. A ideia é ter o senador na disputa pela Prefeitura do Rio.

Aval - O PR concluiu que o capital político de Garotinho aliado a Crivella é muito maior do que o somatório dos dois, se concorrerem separadamente. “Por isso podemos tentar construir um projeto comum”, diz Clarissa Garotinho (PR).

A direção nacional do partido já deu o sinal verde, e receberá Crivella — claro, se ele quiser — de braços abertos.

Fonte: Extra, Extra/Berenice Seara

Campos - Em Campos, o PR também quer contar com o apoio do PRB em 2016. O governo só não sabe se o vereador Alexandre Tadeu, o Tô Contigo, estará neste "pacote". De olho na Prefeitura de Campos, Tô Contigo já vem sendo cobiçado por outros partidos.

Comentar
Compartilhe
Rosinha veta projeto e Neném protesta: "invente outra desculpa"
07/04/2015 | 05h55

O vereador Neném (PTB), membro da bancada governista, usou a tribuna durante a sessão desta terça-feira (07) para protestar contra o veto da prefeita Rosinha Garotinho ao projeto que autorizava a criação do Clube do Servidor. "Aprovamos o projeto aqui na Câmara e ele foi vetado. A Procuradoria argumentou que o projeto é inconstitucional. Porém, é bom lembrar que se tratava de uma Lei Autorizativa e existe, inclusive, uma posição do ministro Luiz Fux, sobre o tema. Em um caso semelhante, em Belo Horizonte, o ministro do STF deixou claro que no caso da Lei Autorizativa não existe usurpação de competência. Ou seja, a justificativa da Procuradoria carece de uma base jurídica sólida" disparou Neném, que foi além: "A prefeita poderia fazer hoje, ano que vem, ou nunca. Só não vou aceitar essa desculpa de que a proposta é inconstitucional. Invente outra desculpa", frisou Neném.

Logo após o discurso, Neném cobrou uma postura firme da Câmara. "Aprovamos o projeto e peço que todos me ajudem a derrubar esse veto", pediu.

O vereador Nildo Cardoso (PMDB), líder da oposição na Câmara, ficou ao lado do governista. "Trata-se de um projeto que vai de encontro aos anseios dos servidores públicos e podemos derrubar esse veto", comentou.

Diante da polêmica, o vereador Álvaro César (PMN) pediu a palavra e solicitou que a análise sobre o veto ficasse para uma outra ocasião. "Peço que retire da pauta para uma avaliação no prazo de 48 horas", disse Álvaro, que teve a sua solicitação aprovada.

Agora, a Câmara deve decidir na próxima terça-feira (14) se derruba ou não o veto da prefeita Rosinha.

Comentar
Compartilhe
Agenda positiva
24/04/2015 | 08h35

Em tempos de crise , a ordem no ambiente político é lançar uma "agenda positiva". Em Campos, o secretário de Governo Anthony Garotinho já jogou ping pong (aqui) e entrou no clima da "dança do passinho"  (aqui). Ontem (24), a prefeita Rosinha Graotinho (PR) publicou um selfie na praia com a sogra e o filho Anthony (aqui).

Lulinha Fitness - Hoje, o ex-presidente Lula deixou a crise de lado e resolveu publicar no Facebook um vídeo fazendo exercícios e dando dicas de malhação (aqui). Entre os usuários da rede social, o vídeo está bombando. Alguns apoiam a postura de Lula."Olha esse Lulinha fitness! Arrasou!", diz um internauta. "Se prepare e fortaleça! Valeu a dica", comenta outro internauta, talvez pensando em 2018. No entanto, muita gente aproveitou para alfinetar o ex-presidente. "Como vou fazer exercícios físicos às 22:00h se o país não tem segurança? Vou ser assaltado", critica um usuário. "Tá treinando pra correr da Polícia Federal?", cutuca outro.

Brinde  - Já a presidente Dilma Rousseff optou por uma agenda positiva de trabalho. Ao receber a primeira mulher eleita presidente da Coreia do Sul, Park Geun-hye, Dilma fez um brinde e disse que os dois países estarão juntos na luta para acabar com os armamentos nucleares da Coreia do Norte. A Coreia do Sul tem investimentos importantes no Brasil. O país colocou dinheiro no Porto do Pecém, no Ceará. Há uma fábrica da Hyundai em Piracicaba (SP) e uma fábrica de semicondutores em São Leopoldo (RS).

Leitoa e galinha ao molho pardo - Sem tocar em crise, o governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) esteve nesta sexta-feira em São Fidélis e fez questão de divulgar no Facebook que, após a inauguração da Clínica da Família, indicação do deputado João Peixoto (PSDC), aproveitou para saborear uma leitoa na casa de um morador e ainda sobrou espaço para uma galinha ao molho pardo, na casa de outro fidelense.

Clarissa com Tiririca - Na última semana a deputada federal Clarissa Garotinho (PR) entrou na onda do Dubsmash, aplicativo de dublagem, e publicou um divertido vídeo (aqui) com a participação especial do deputado federal Tiririca (PR). A brincadeira contou com mais de 5 mil curtidas no Facebook.

Comentar
Compartilhe
Reforma: Rosinha enxugou secretarias e criou 20 superintendências
17/04/2015 | 12h50

O Diário Oficial desta sexta-feira (17) traz o Decreto 080/2015, que dispõe sobre a alteração da estrutura de cargos comissionados e funções gratificadas da Prefeitura de Campos. Na última sexta-feira (10) o blog "Na Curva do Rio", da jornalista Suzy Monteiro, divulgou nota da secretaria de Comunicação sobre as novas pastas (aqui). De lá pra cá, a única mudança foi a manutenção da Fundação Municipal de Infância e Juventude.

Também é possível acompanhar o número de cargos de confiança para cada órgão da nova estrutura administrativa. Mesmo após os cortes, o fato é que a máquina ainda conta com mais de mil cargos comissionados, além das funções gratificadas. Ainda não foram publicados os nomes dos novos comandantes das pastas e superintendências.

Durante o governo Arnaldo Vianna um dos alvos da oposição, na época comandada pelo atual secretário de Governo Anthony Garotinho (PR), era o grande número de gerências vinculadas à secretaria de Planejamento. Agora, 11 anos após o fim do governo Arnaldo, temos poderosas superintendências no lugar de secretarias e Fundações.

[caption id="attachment_32622" align="aligncenter" width="537"] Clique para ampliar[/caption]

Superintendências - Além disso, no Diário Oficial desta sexta-feira é possível conferir quais serão as superintendências. Na prática, o governo transformou secretarias e Fundações em superintendências. Com isso, muitos donos de DAS 1 (secretários e presidentes de Fundações) passaram para o segundo escalão DAS 2.

Superintendência para Relações Institucionais do Gabinete da Prefeita Superintendência de Paz e Defesa Social Superintendência de Postura Superintendência da Empresa Municipal de Habitação Superintendência da Fundação de Esportes Superintendência da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima Superintendência de Iluminação Pública Superintendência do IMTT Superintendência da Igualdade Racial Superintendência de Agricultura Superintendência do Fundecam Superintendência de Pesca e Aquicultura Superintendência de Comunicação Superintendência de Trabalho e Renda Superintendência de Petróleo, Energias Alternativas e Inovação Superintendência de Justiça Superintendência do Procon Superintendência dos Direitos do Idoso Superintendência de Defesa Civil Superintendência de Limpeza Pública Atualização às 10h - Também foi publicada no Diário Oficial a Lei 8.641, que fixa o valor das Funções gratificadas. Confira: Coordenadores de Regiões Administrativas - A nova estrutura mantém 127 "encarregados de localidades administrativas". Os chamados "olheiros" possuem DAS 7 e recebem em torno de R$ 1.800,00.

Super Secretário - O ex-governador Anthony Garotinho (PR) terá uma grande estrutura na secretaria de Governo. Ao todo, a pasta conta com 45 cargos comissionados. São três subsecretários (DAS 2), um chefe de gabinete (DAS 3), diretor de ações governamentais (DAS 3), diretor de mobilização (DAS 3), coordenador especial (DAS 3), nove coordenadores regionais (DAS 3), assessor especial para comunicação comunitária (DAS 4), assessor especial para mobilização social (DAS 4), assessor especial para inaugurações governamentais (DAS 4) e assessor especial de gabinete (DAS 4). Além disso, a secretaria de Governo vai contar com auxiliar especial para assuntos jurídicos, auxiliar especial para as agências de Correio, auxiliar especial para acompanhamento do Morar Feliz, auxiliar especial para acompanhamento do Cheque Cidadão, auxiliar especial para acompanhamento dos programas especiais de governo, auxiliar especial para atendimento comunitário, auxiliar especial para atendimento e capacitação, auxiliar especial para atendimento humanizado nos hospitais, auxiliar especial para relações internas com a secretaria de Saúde, auxiliar especial para relações com a secretaria de Educação e auxiliar especial para relações com a secretaria de Desenvolvimento Humano. A super secretaria também vai contar com mais dois auxiliares especiais de gabinete. Os auxiliares especiais terão DAS 5. Para completar, a pasta ainda conta com mais dez assistentes especiais (DAS 7) e um assessor-chefe do departamento de publicações oficiais (FG).

Nova estrutura - Entenda como ficou a nova arrumação: 

Gabinete da Prefeita (Superintendências de Relações Institucionais, Planejamento, Centro Administrativo, Programas e Projetos, Assessoria Especial, Cidac, Captação de Recursos, Paz e Defesa Social, Postura e Guarda)

Secretaria de Gestão de Pessoas e Contratos (Superintendência de Comunicação)

Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Superintendências do Fundecam, Agricultura, Pesca e Aquicultura, Trabalho e Renda, Petróleo, Energias Alternativas e Inovação)

Secretaria de Desenvolvimento Humano e Social (Superintendências de Justiça e Assistência, Procon, Idoso e Defesa Civil)

Secretaria de Infraestrutura e Mobilidade (Superintendência de Iluminação Pública / ficam vinculadas ainda as superintendências do IMTT e EMHAB)

Secretaria de Educação, Cultura e Esportes (Superintendências de Igualdade Racial / ficam vinculadas as superintendências da Fundação Oswaldo Lima e Fundação de Esportes)

Secretaria de Desenvolvimento Ambiental (Superintendência de Limpeza Pública)

Fundação Municipal de Saúde (ficam vinculados os Hospitais Ferreira Machado e HGG)

Comentar
Compartilhe
"Rolo compressor" atropela informações sobre patrocínio do "Verão da Família"
08/04/2015 | 06h15

O vereador Rafael Diniz (PPS) buscou durante a sessão desta quarta-feira (08) informações sobre os patrocinadores do "Verão da Família". "O secretário de Governo esteve aqui e disse que os shows foram bancados com patrocínios. Por isso, protocolei um requerimento para obter informações sobre esses contratos. Afinal, quanto o governo recebeu para bancar os shows do verão em tempos de crise?", indagou Rafael.

Novo líder do "rolo compressor", o vereador Mauro Silva (PT do B) solicitou que a bancada governista votasse contra o requerimento de Rafael Diniz. Segundo Mauro, "tudo foi feito de forma transparente". "Este foi o verão mais barato dos últimos tempos. Patrocinadores contribuíram e todas as informações estão disponíveis no Portal da Transparência e foram publicadas no Diário Oficial. Por isso, solicito o voto contrário", disse Mauro.

Após o posicionamento de Mauro, Rafael fez um apelo: "Se as informações estão disponíveis, por que negar o requerimento? A minha assessoria não viu os contratos, nem os assessores dos vereadores Fred Machado e Marcão. Prove que estou errado. Quem não deve, não teme", afirmou. Rafael.

O apelo não surtiu efeito. O requerimento foi atropelado pelo "rolo compressor", com os votos contrários dos vereadores Rafael Diniz, Marcão (PT), Fred Machado (SD) e José Carlos (PSDC).

"Pergunte ao Garotinho" - Na tribuna, a vereadora Auxiliadora Freitas (PHS), que votou contra, disse que os vereadores podem perguntar ao secretário de Governo, Anthony Garotinho (PR). "A pergunta pode ser feita diretamente ao secretário de Governo Anthony Garotinho. Em sua próxima visita ele pode responder. Na minha opinião esses pedidos têm caráter eleitoreiro", disse Auxiliadora.

Sobre a sugestão de Auxiliadora, Rafael comentou: "Ouvir o secretário? Me desculpe, mas a palavra dele é como nota de R$ 3,00. Quero documentos oficiais", frisou.

Comentar
Compartilhe
Fogo amigo
14/04/2015 | 02h19

O líder do grupo rosáceo terá uma árdua tarefa pela frente: apagar o fogo amigo e unir a sua tropa para as eleições de 2016.

Se em 2008 e 2012 todos se uniram em torno de um nome que era unanimidade no grupo (Rosinha), para 2016 existem divisões entre diversos blocos. Tem a "ala da juventude", "bloco dos aliados antigos", "turma da saúde" e "bloco da conciliação", "panelinha da Rosinha", entre outros.

Muitos aliados já falam abertamente sobre suas preferências para 2016. Além disso, fazem questão de "queimar" os rosáceos que surgem como pré-candidatos.

Quem é traíra? - O problema é que até o bombeiro gosta de colocar "lenha na fogueira". Ontem (13), durante a inauguração da Praça da Paz, em Goitacazes, o secretário de Governo, Anthony Garotinho (PR) encontrou um comerciante que vende peixes e brincou: "Espero que o senhor venda muitos namorados. Só não recomendo traíra, porque o povo já está de saco cheio de tanta traíra".

 
Comentar
Compartilhe
Mais um semáforo caiu: foi terrorismo, sabotagem, chuva ou vento?
21/04/2015 | 11h39
[caption id="attachment_32703" align="aligncenter" width="545"] Facebook/Victor Montalvão[/caption]

Mais um semáforo caiu em Campos, dessa vez no cruzamento da Avenida 28 de Março com a João Maria.

O blog do jornalista Ricardo André Vasconcelos divulgou a foto postada pelo Victor Montalvão no Facebook.

Comentar
Compartilhe
PSB e PPS anunciam fusão, mas pessebistas fluminenses resistem
30/04/2015 | 10h38
[caption id="attachment_32815" align="aligncenter" width="460"] Ainda sem nome, nova legenda terá a quarta maior bancada da Câmara, com 45 deputados[/caption]   Em conversas desde outubro de 2014, ainda com Eduardo Campos vivo, PSB e PPS anunciaram ontem, durante reunião em Brasília, mais um passo em direção à fusão das duas legendas. No Rio, onde integrantes do PSB contestam a presidência regional do senador Romário Farias, a medida virou outro motivo para discórdia. Juntos, a bancada estadual teria três deputados — dois do PPS e um PSB. Único pessebista na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), Wanderson Nogueira diz ser inaceitável “a desconstrução histórica e programática” da sigla. Faz coro com Nogueira, Roberto Amaral, ex-presidente da legenda, para quem a fusão se trata de “oportunismo enganoso” “Num ato de dignidade histórico-ideológica — não sei se é pedir muito da honestidade ideológica dos atuais dirigentes —, poderia, numa homenagem a João Mangabeira, Miguel Arraes e Jamil Haddad raspar da sigla o ‘S’ de socialismo. Seria oportuno e digno”, provoca Amaral. O nome da nova sigla será debatido em 45 dias. Alinhado à direção nacional, Romário lista os benefícios que a fusão trará à sigla: “A nova legenda será a quarta maior bancada na Câmara, com 45 deputados, atrás do PMDB, PT e PSDB. No Senado, passaremos de seis, para sete senadores, podendo chegar a nove, se confirmadas a migração das senadoras Marta Suplicy e Lúcia Vânia, que estão em conversas avançadas”, defende. O senador afirma ainda que o novo partido manterá posição de independência em relação ao governo Dilma Rousseff — o PPS faz oposição, atuando como linha auxiliar ao PSDB. Também vê com bons olhos a fusão, o presidente do PPS no Rio, o deputado estadual Comte Bittencourt. Para ele, as discordâncias internas do PSB fluminense não serão obstáculos. “Cada partido terá de vencer suas resistências, aparar arestas e dificuldades. Com a reforma política, acho positivo”, disse Bittencourt, acrescentando que tanto o PPS como PSB dividem o mesmo campo ideológico, para ele, à esquerda. “Apesar de nas eleição termos caminhamos com o Aécio Neves (PSDB), nos entenderemos no Rio.”
Fonte: O Dia
 
Comentar
Compartilhe
Saúde na UTI — mãe desabafa: "Cansei de pedir e implorar, só me resta gritar"
13/04/2015 | 10h56

Em contato com o blog, a Flávia, mãe da pequena Juliana, desabafou: "Me cansei de pedir, de implorar. Agora o que me resta é gritar. Tenho uma filha de 8 anos com paralisia cerebral e estamos sem o home care, cadeira de rodas, cilindro de oxigênio, cadeira de banho e leite especial. Para completar, estive na secretaria de Saúde e o processo da minha filha sumiu. Também ficamos sem o veículo que nos levava até o Sarah Kubitschek, no Rio, onde a minha filha recebia um tratamento completo".

Ao comentar sobre o seu drama, a mãe destacou que, nos últimos meses, teve que travar frequentes batalhas jurídicas para conseguir melhorar a qualidade de vida da sua filha. "As pessoas precisam se colocar um pouco no lugar de quem sofre. Imagine, depois disso tudo, ainda chegar na secretaria e ser informada que o processo desapareceu? Que descaso é esse? Vou gritar e lutar pela minha filha, que está tendo convulsões em casa e tenho que sair correndo para o Ferreira Machado", desabafou a mãe.

Será que os nossos nobres gestores não têm um tempinho para encontrar o processo da Juliana Faria Mendonça e resolver esta situação absurda?

Atualização às 19h25- Durante a sessão desta terça-feira (14) o vereador Fred Machado (SD) comentou sobre o caso da pequena Juliana. "Não podemos aceitar este tipo de situação. Como um processo pode desaparecer? Espero que providências sejam tomadas e vou lutar para que isso ocorra", disse Fred.

O vereador Marcão (PT) também desabafou: "Acho que não cabe mais fazer pedidos. Estamos exigindo que essa situação seja resolvida imediatamente", frisou Marcão.

Primeiro secretário da Câmara e membro da bancada governista, o vereador Abdu Neme (PR) prometeu providências. "Esse processo vai ter que aparecer. A prefeita não aceita uma situação deste tipo. Posso ir junto com o vereador Fred Machado para buscar a solução para este caso", disse Abdu.

Mauro Silva fala em "choque de gestão na Saúde" - Líder do governo na Câmara, o vereador Mauro Silva (PT do B) disse que a prefeita não vai medir esforços para resolver a situação. Ao mesmo tempo, reconheceu que a "Saúde precisa de um choque de gestão". Posteriormente, o parlamentar leu a resposta da assessoria de comunicação da secretaria de Saúde.

O vereador Alexandre Tadeu (PRB), que buscou informações sobre o caso da Juliana, disse que a secretaria de Saúde informou que está "cumprindo os trâmites legais do Ministérios da Saúde". Porém, o parlamentar não se contentou com a resposta: "O problema é que esses trâmites duram quatro, cinco anos. Vidas estão sendo desrespeitadas", disse o Tô Contigo.

Membro da Comissão dos Direitos de Pessoas com Deficiência, o vereador Gil Vianna (PR) declarou estar envergonhado. "Sinto vergonha ao ver esse tipo de situação. O caso da Juliana não é isolado. Existem outros iguais. Quando um processo some, os responsáveis devem ser punidos. Não podemos continuar calados. Uma pessoa disse que nunca antes da história uma legislatura foi tão rejeitada. Isso é culpa de quem? Vamos pensar nisso", disse Gil.

O vereador Albertinho (Pros) também comentou sobre o caso: "Conheço a mãe da Juliana e acompanho este caso de perto. Ninguém vai ser preso se dispensar licitação para salvar uma vida. Nesses casos as burocracias precisam ser atropeladas e as vidas valorizadas", disse Albertinho.

Mais informações na edição de amanhã (15) da Folha 

Comentar
Compartilhe
Lupi diz que PT 'roubou demais' e já 'se esgotou'
26/04/2015 | 06h26

Ex-ministro dos governos Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff e um dos “faxinados” do mandato passado, o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, disse que os petistas “roubaram demais” e que o partido deles “se esgotou”. “O PT exauriu-se, esgotou-se. Olha o caso da Petrobrás. A gente não acha que o PT inventou a corrupção, mas roubaram demais. Exageraram. O projeto deles virou projeto de poder pelo poder”, disse Lupi um dia após a Petrobrás divulgar que a perda da estatal com a corrupção chegava a R$ 6,2 bilhões.

A declaração foi feita durante um encontro com correligionários na quinta-feira, em São Paulo. O jornal "Estado de S. Paulo" teve acesso à fala de Lupi, que foi confirmada pelo próprio dirigente pedetista. Na conversa, o presidente do partido fez ressalvas a programas simbólicos dos governos petistas, como o Bolsa Família. “Tirou milhões da miséria, isso é bom para caramba. O Nordeste é outro (avanço), é verdade. Quem não vê isso é mentiroso, nojento. Eu tenho raiva deles. Mas (o governo) criou também uma dependência. Eu vejo gente que não quer trabalhar para manter o Bolsa Família, isso está errado. O programa tem que ser instrumento para tirar da miséria, não para manter na miséria.”

Aos correligionários, Lupi também reclamou do tratamento dado pelo PT ao PDT desde que as duas legendas formalizaram a aliança em 2006, quando o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva disputava a reeleição. “A conversa com o PT, com o meu amigo Lula e com a presidente Dilma, é qual o naco de poder que fica com cada um. Para mim, isso não basta. Eu não quero um pedaço de chocolate para brincar como criança que adoça a boca. Eu quero ser sócio da fábrica, eu quero ajudar a fazer o chocolate.”

Em um momento de autocrítica, o presidente do PDT disse que o partido se “acomodou” por estar no poder, mas que, diante da insatisfação demonstrada pela população nas ruas, o partido precisa começar a buscar novos caminhos ou sofrerá as consequências no futuro. “Se a gente não acordar para isso, daqui a pouco a população vai fazer como juiz de futebol: vai dar cartão vermelho para gente. Para muitos, já está dando”, disse Lupi. De acordo com aliados do dirigente pedetista, esse tem sido o tom usado por ele durante as reuniões com as Executivas estaduais do PDT desde o início do ano.

Fonte: Estadão 

Comentar
Compartilhe
Quissamã: Comissão Processante notifica prefeito
06/04/2015 | 04h24

A Comissão Processante (CP) da Câmara Municipal de Quissamã, depois de duas tentativas na semana passada, conseguiu notificar, na manhã desta segunda-feira (06), o prefeito Octávio Carneiro (PP) sobre o processo investigatório instaurado pelos vereadores. O líder do Executivo foi notificado em seu gabinete na Prefeitura, pelo presidente da Comissão, vereador Marcos Silva (Pros), e a vice-presidente, vereadora Isabel Pessanha (PMDB). Agora, Octávio tem dez dias para apresentar, por escrito, uma defesa prévia com provas que pretende produzir, apresentando até dez testemunhas. A Câmara de Quissamã decidiu pela abertura da CP depois de receber denúncias de um servidor municipal, sobre possíveis irregularidades na gestão do Prefeito Octávio.

A CP tem entre 30 e 60 dias para finalizar os trabalhos de investigação encima das denúncias de contratação de serviços de coleta de lixo e alugueis de ambulâncias, celebração de termos aditivos para pagamento de contrato com a INVISA – Instituto Vida e Saúde sem comunicação prévia ao Conselho de Saúde, e quebra de contrato no consórcio do Complexo Logístico e Industrial Farol-Barra do Furado, com o município de Campos dos Goytacazes. Parte das acusações também são investigadas pela Justiça.

A notificação foi o primeiro passo para o começo da investigação, que pode resultar na cassação da investidura do cargo de prefeito por improbidade administrativa e crimes contra da administração pública. A Comissão ainda não anunciou nomes, mas deve convocar gestores, prestadores de serviço e outros envolvidos para prestar depoimentos. As acusações são voltadas para ações do Governo, em 2013, primeiro ano do mandato.

Fonte: Ascom

Comentar
Compartilhe
Câmara renova contrato de vigilância por R$ 2 milhões/ano
28/04/2015 | 10h10
Do blog "Eu Penso que"/Ricardo André Vasconcelos (aqui):
Informação ao contribuinte:
A Câmara Municipal de Campos renovou, pela segunda vez consecutiva (em forma de 2º aditivo), o contrato com a empresa K-9 VIGILÂNCIA PATRIMONIAL LTDA -ME, para vigilância desarmada das dependências do Poder Legislativo local, a saber: palácio Nilo Peçanha, sede da Câmara, e Escola de Gestão Pública, em funciona um prédio alugado na Rua Barão da Lagoa Dourada.
O valor do contrato é de R$ 2.076.237,12, cerca de R$ 173 mil por mês. A vigência do contrato é de 09/04/2015 a 08/04/2016. Veja abaixo o extrato do contrato publicado na página 37 do Diário Oficial de hoje:
Comentar
Compartilhe
Câmara: Águas do Paraíba tentou adiar audiência pública
08/04/2015 | 07h58

Durante a sessão desta terça-feira (08) o vereador Jorge Magal (PR), informou que a concessionária Águas do Paraíba tentou adiar audiência pública marcada para amanhã na Câmara de Campos. Porém, a manobra da concessionária não funcionou. A Mesa Diretora da casa confirmou o debate para às 16h. "Informaram que o um representante não poderia estar presente e pediram para adiar. Mas isso não vai acontecer. Outras autoridades foram convidadas e confirmaram presença. E espero que a empresa Águas do Paraíba envie alguém. Só faltava essa. Não respeita a população e agora quer desrespeitar a Câmara. Quero deixar bem claro: a Câmara é uma coisa e a Prefeitura é outra", disse Magal.

Dados do ranking Brasil de Saneamento revelam que a empresa fatura em Campos R$ 101 milhões por ano. Além disso, a tarifa é uma das mais caras dentre as 100 principais cidades do Brasil.

No ranking das reclamações de Campos, a empresa aparece atrás apenas a Ampla.

Comentar
Compartilhe
Câmara aluga carros por R$ 66,7 mil e gasta R$ 71,7 mil com terceirizados
13/04/2015 | 11h38

A Câmara de Campos está investindo em sua Escola de Gestão. No Diário Oficial desta segunda-feira (13) é possível visualizar a homologação do Pregão  011/2015, para a locação de veículos, incluindo motorista sem fornecimento de combustível para atender as necessidades da Escola do Legislativo. A vencedora foi a empresa VL Viana Machado Serviços Eireli. Valor: R$ 66,7 mil. Pela publicação não é possível saber quantos carros serão disponibilizados, nem a vigência do contrato.

Terceirizações - Enquanto muitos concursados lutam na Justiça para serem convocados, a Câmara de Campos resolveu terceirizar alguns serviços por três meses. Foi publicado nesta segunda-feira o extrato do contrato com a empresa BRC Ferreira. Objeto: Contratação de empresa para prestação de serviços de recepção, zeladoria e portaria, visando atender as necessidades da Escola de Gestão. Valor: R$ 71,7 mil. Vigência: 90 dias.

Comentar
Compartilhe
As “tenebrosas transações” e o silêncio de Esquef
06/04/2015 | 11h15

Na última terça-feira (31), durante sua passagem pela Câmara de Campos, o secretário de Governo Anthony Garotinho (PR) comentou sobre o resultado de uma auditoria interna que apontou recursos públicos de Campos usados na compra superfaturada de títulos públicos federais, dispensando licitação, em descumprimento da lei nº 8666/93, com a utilização empresas notoriamente inidôneas. Segundo o vereador Marcão (PT), o rombo gira em torno de R$ 110 milhões.

Na defesa do governo, Garotinho disse que “tudo foi feito de forma transparente”. Segundo o secretário, que não citou nomes, as transações ocorreram durante o período em que a prefeita Rosinha estava afastada. “Foi na gestão do prefeito interino. Quando voltou, a prefeita exonerou o secretário de Fazenda. Na época muita gente se perguntou o motivo. Pronto, estou contando agora”, disse, se referindo claramente ao ex-vereador Nelson Nahim e, quem sabe, ao ex-secretário Francisco Esquef, exonerado em 2011 de forma misteriosa.

Nahim já rebateu – Sem perder tempo, Nelson Nahim (PSD) fez um desafio. “Faço um desafio ao secretário Garotinho: prove, com documentos, que eu autorizei alguma transação com recursos públicos. O secretário precisa ir além das palavras. Espero que ele apresente documentos ligando o meu nome a a qualquer operação financeira deste tipo. Além disso, espero também que ele comprove que eu tenha solicitado que fossem feitas essas transações. Se não provar nada, vamos ter que levar a discussão para o campo judicial”, afirmou Nahim.

E Esquef? - O ex-secretário Francisco Esquef, exonerado misteriosamente em 2011, poderia aparecer para dar explicações sobre as “tenebrosas transações”. Seria ele, realmente, o o secretário exonerado após a descoberta sobre as aplicações? Porém, em seu artigo publicado ontem na Folha, Esquef não comentou nada sobre as declarações de Garotinho. Optou por uma mensagem de Páscoa.

Comentar
Compartilhe
Tem que pagar o carnê
06/04/2015 | 11h26

Na manhã desta segunda-feira, na fila do banco, um comissionado resmungou sobre a contribuição mensal que ele tem que dar ao Partido da República (PR). Segundo o aliado do governo, durante um tempo houve um "alívio" e nem todos estavam contribuindo, mas agora o cerco se fechou. "Estão pressionando e vou ter que pagar. Já tive corte de 10% do salário e ainda tenho que pagar mais essa prestação. Daqui a pouco a única opção vai ser pular do barco", comentou.

A contribuição varia de acordo com o cargo. Quanto maior o DAS, a ajuda para o PR é mais "gorda".

Em 2013, reajuste salarial engordou a receita do PR -  No ano de 2013, ao comentar (aqui) sobre o reajuste salarial dos cargos de confiança (DAS), na casa dos 50%, o vereador Marcão (PT) lembrou que as contribuições para o PR também aumentaram. “Cada funcionário nomeado destina parte do salário para o Partido da República. Parte dos R$ 92 milhões que serão pagos em quatro anos vai para o PR. O Wladimir, presidente do PR em Campos deve estar feliz”, disse Marcão, lembrando que, no caso dele, 20% do salário vai direto para o Partido dos Trabalhadores (PT). “Faço essa doação com muito orgulho. No PT isso funciona de forma transparente”, garantiu.

Comentar
Compartilhe
PSB vai destituir todos os diretórios do RJ
20/04/2015 | 09h49
[caption id="attachment_32671" align="aligncenter" width="461"] Novo diretório estadual foi empossado este mês, em Brasília[/caption]

Após reunião, realizada na última sexta-feira (17), o diretório estadual do PSB, presidido pelo senador Romário, decidiu que haverá intervenção nos Diretórios Municipais Permanentes para destituição de todos os membros, assim como a dissolução das Comissões Municipais Provisórias.

Inicialmente, Romário opinou pela manutenção dos Diretórios Municipais Permanentes, haja vista a intenção de composição para restabelecimento das linhas de conversação. Já o secretário geral do partido no estado, Sergio Barcelos, defendeu intervenção em todos os diretórios. "Há um clamor público para uma mudança radical da política no Brasil e o PSB deve seguir tal manifesto para solidificar a sua posição como partido de expressão no Estado do Rio de Janeiro, ao passo que a reformulação política e organizacional do partido é medida que se impõe para alcance do crescimento almejado", disse Sergio. Ele ressaltou que as intervenções e dissoluções se dão pela revelação de que certos Diretórios Municipais estão sendo dirigidos por filiados que, igualmente, possuem cargo diretivo em Diretório de Município distinto, o que é vedado pelo Estatuto do PSB, nos termos do artigo 20, §4º, e, ainda, existem irregularidades nas prestações de contas dos Diretórios e das Comissões Municipais, tornando, assim, o partido sem nenhum controle, razão pela qual o seu voto foi pela destituição de todos Diretórios Permanentes e Comissões Provisórias.

Os argumentos do secretário geral forma levados em consideração e, por maioria, o PSB decidiu intervir em todos os diretórios.

Campos - Em Campos, o PSB conta comum Diretório Permanente e tem como presidente o vereador Altamir Bárbara. Com a decisão da estadual, o diretório deve sofrer intervenção nos próximos dias. O vereador Gil Vianna, atualmente no PR, deve ser o principal articulador do partido em Campos e na região. Resta saber se Altamir vai tentar resistir ou compor com o novo grupo. “Fui eleito e toda a documentação foi registrada no STF, TRE e Cartório. Tudo dentro do que determina o estatuto”, garante Altamir, que é aliado do governo Rosinha.

Comentar
Compartilhe
Em tempos de crise, Neco avisa: "prioridades serão Saúde, Educação e salários em dia"
12/04/2015 | 09h17
[caption id="attachment_32504" align="aligncenter" width="446"] Foto: Secom/SJB[/caption]

Ontem (11), durante discurso na inauguração do primeiro sistema de sinalização por semáforos de São João da Barra, o prefeito José Amaro Martins de Souza, Neco (PMDB), comentou sobre a crise financeira e garantiu que os "ajustes nos dois primeiros anos vão fazer toda a diferença". "Tive pulso firme e enxugamos muitas coisas. Isso será fundamental neste momento de dificuldade", comentou o prefeito. Porém, tendo em vista a queda de arrecadação, ele destacou que é hora de ficar nas prioridades. "Se soubesse que a queda seria tão grande, teria reduzido um pouco os gastos com shows no verão. Mas é bom destacar que a nossa excelente programação saiu bem mais barata do que edições anteriores", disse Neco, que já avisou sobre possíveis cortes dos shows nacionais. "Se essa crise continuar, vamos ter que cortar os shows nacionais do Circuito Junino. Nossas prioridades sempre serão Saúde, Educação e o pagamento dos nossos servidores em dia. Não vamos atrasar salários", frisou Neco.

 
Comentar
Compartilhe
"Justiceiros" agridem e amarram suspeito
22/04/2015 | 06h11
[caption id="attachment_32732" align="aligncenter" width="245"] Vídeo foi compartilhado na internet[/caption]

Um homem suspeito de ter furtado dois celulares foi agredido e amarrado, com o uso de uma corda, em um poste por moradores de Campos. O caso ocorreu na última segunda-feira (20), no Parque Presidente Vargas, e foi filmado. O vídeo, compartilhado nas redes sociais, mostra dezenas de pessoas em volta ao suspeito. Desesperado, o homem chega a confessar o crime: "agi sem pensar, eu sei que eu errei". Em outro momento, ele chega a chamar pela Polícia Militar.

 De acordo com a Polícia Militar, o homem teve que ser levado para o Hospital Ferreira Machado (HFM) devido aos inúmeros hematomas pelo corpo. Ele recebeu atendimento e foi liberado. Em seguida, o suspeito foi encaminhado para a 146ª DP - Guarus, onde foi constatado que contra ele havia um mandado de prisão por roubo, em 2013. Ele foi encaminhado para a Cadeia Pública Dalton Crespo de Castro.
O Delegado Adjunto da 146ª DP, Pedro Emílio Braga, ficou de analisar o vídeo e relatou que se conseguir identificar algum popular que agrediu o suspeito, o mesmo pode ser detido. Pedro Emílio informou que, pessoas que praticam "justiça com as próprias mãos", podem ser enquadradas em crimes como o de lesão corporal ou até mesmo tentativa de homicídio, dependendo da conduta.
Veja o vídeo: aqui 
Orelhão - Em abril do ano passado um jovem foi acorrentado a um orelhão após furtar uma bicicleta no no Turf Clube, em Campos (aqui).
Fonte: G1 
Comentar
Compartilhe
Pezão: "Déficit está em torno de R$ 9,5 bilhões"
06/04/2015 | 03h18

 

O governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) comentou na manhã desta segunda-feira (06), na rádio CBN, sobre a situação financeira do estado. Segundo Pezão, as medidas econômicas tomadas nos três primeiros meses do ano teriam reduzido a previsão de déficit para este ano. Segundo o governador, em dezembro de 2014, o déficit deste ano era calculado em R$ 13 bilhões. No entanto, ele disse que já conseguiu reduzir esse valor em R$ 9,5 bilhões e que, por isso, acredita que será possível cumprir o orçamento. "Tenho nove meses para correr atrás e manter o orçamento de 2015. Vejo boas perspectivas e acredito que vamos cumprir bem o orçamento de 2015. Estou muito otimista e continuo negociando com quem o estado deve, mas principalmente estamos cobrando de quem deve ao estado", afirmou. Dívida e Déficit de caixa - Um levantamento feito no Sistema de Acompanhamento Financeiro do Estado (Siafem) pelo deputado estadual Luiz Paulo Corrêa da Rocha (PSDB) mostra que a dívida do estado é de R$ 2,9 bilhões — sendo R$ 1 bilhão com restos a pagar do ano passado e R$ 1,9 bilhão com serviços já executados nos três primeiros meses deste ano, mas que ainda não foram pagos. O governo estima que a previsão do déficit de caixa até dezembro será de R$ 13 bilhões e anunciou uma série de medidas para tapar o buraco, como o uso de R$ 6,2 bilhões do Fundo de Depósito Judicial. A proposta que autoriza a utilização do recurso foi aprovada na Assembleia Legislativa (Alerj) e sancionada pelo governador.
Comentar
Compartilhe
Cheque Cidadão — Garotinho: "Tinha gente com dez e até vinte cartões na mão"
02/04/2015 | 11h46
[caption id="attachment_32246" align="aligncenter" width="551"] Em 2004, Garotinho esteve em Campos para entregar pessoalmente o Cheque de número 5.000 / O Diário[/caption]

Ao justificar a necessidade do recadastramento do Cheque Cidadão, que deixou as famílias sem o repasse no mês de março, o secretário de Governo, Anthony Garotinho (PR), disse, durante programa de rádio (aqui), que foram descobertas pessoas "sem dó e respeito pelo dinheiro público". De acordo com o secretário, tinha gente com 10 e até 20 cartões. "Nós encontramos pessoas, que a gente não sabe como, tinham 10, 20 cartões na mão. E passavam aquilo no banco, R$ 200,00, você pega uma pessoa com 10 cartões, são R$ 2 mil. Isso é um absurdo, uma escândalo, uma vergonha", comentou o secretário.

O "Blog da Coluna" publicou nota (aqui) sobre a afirmação de Garotinho e cobrou a apresentação dos envolvidos no suposto esquema. Até porque, se houve realmente essa fraude, tudo isso foi bancado com o meu, o seu, o nosso dinheiro.

Programa Campos Cidadão - Em outubro de 2011, após suspeita de irregularidades no uso do cartão cidadão (passagem a R$ 1,00), principalmente quanto a utilização excessiva dos mesmos, como o apontamento de um único cartão ter sido usado mais de 20 vezes em um mesmo dia, a Prefeitura suspendeu, por 84 dias, os repasses até que fosse realizada uma auditoria. Na época, a Prefeitura contratou, por R$ 715 mil, a empresa Planum Planejamento e Consultoria Urbana Ltda, de Belo Horizonte, com a missão de promover auditoria sobre os repasses do Programa. O prazo para que a empresa fornecesse um relatório da sindicância expirou no dia 21 de janeiro de 2013. E o resultado? O vereador Fred Machado (SD) cobrou informações em 2013, mas não obteve respostas.

Comentar
Compartilhe
Neco se reúne com Paulo Melo e debate mobilidade urbana
27/04/2015 | 05h42

O prefeito de São João da Barra, José Amaro Martins de Souza, Neco (PMDB), participou nesta segunda-feira, 27, de uma reunião com o secretário estadual de Governo, Paulo Melo. Na pauta, a mobilidade urbana do município, com destaque para a construção do trecho de estrada de dois quilômetros, com pista dupla e duas rotatórias, entre a BR-356 e a SB-02 – rodovia que liga o Bairro de Fátima ao distrito de Cajueiro. A nova estrada vai desviar o tráfego de veículos de dentro do bairro de Fátima e está incluída no programa Somando Forças, do governo do Estado.

Parceria para enfrentar a crise - Algumas ações destinadas à Saúde também foram debatidas durante o encontro. Segundo Neco, a parceria com o governo do Estado é de suma importância para a superação da crise. “Só unidos conseguiremos sair desse mau momento vivido por todos os municípios. A parceria com o governo do Rio de Janeiro faz parte do processo e tenho certeza que ainda nos trará muitos frutos”, disse Neco.

Fonte: Secom/SJB

Comentar
Compartilhe
Mauro, Garotinho e a "dança do passinho"
10/04/2015 | 10h56
[caption id="attachment_32457" align="aligncenter" width="518"] Facebook/Mauro Silva[/caption] [caption id="attachment_32458" align="aligncenter" width="518"] Facebook/Mauro Silva[/caption]

Na última quarta-feira (08) o vice-prefeito e secretário de Saúde, Dr. Chicão (PP), mostrou entrosamento com o secretário de Governo, Anthony Garotinho (PR), durante uma partida de Ping Pong (aqui). Agora, nesta sexta-feira (10), foi a vez do vereador Mauro Silva (PT do B), líder do governo na Câmara, se divertir ao lado do líder da tropa rosácea.

Durante evento no Trianon, para o acolhimento dos 300 novos membros do programa Jovens pela Paz, Mauro Silva e Garotinho entraram no clima da "dança do passinho". Depois, os dois ainda fizeram malabarismo com uma bola de basquete.

Dilma já dançou - Em setembro do ano passado, durante a campanha eleitoral, a presidente Dilma Rousseff (PT) também entrou na onda da "dança do passinho" (aqui).

Comentar
Compartilhe
Entrosados
10/04/2015 | 12h45
[caption id="attachment_32427" align="aligncenter" width="525"] Foto de Gerson Gomes[/caption]

Na última quarta-feira (08), durante a inauguração a Escola Municipal João Goulart, em Venda Nova, o secretário de Governo Anthony Garotinho (PR) e o vice-prefeito Chicão Oliveira (PP) demonstram entrosamento. Sem a presença da prefeita, que ainda não havia retornado de Brasília, Garotinho e Chicão foram os principais personagens da inauguração. Para completar, os dois ainda "bateram uma bolinha" em uma mesa de Ping Pong.

Para os bons entendedores, um simples jogo de Ping Pong pode dizer muito.

Comentar
Compartilhe
Após chamar Renan de "inimigo do Rio" e "ditador", Clarissa confia na ajuda do senador
08/04/2015 | 04h41
[caption id="attachment_32368" align="aligncenter" width="419"] Foto: Cadu Gomes/Comissão de Viação e Transportes[/caption] “Renan não é digno de receber homenagens da Alerj. Ele é inimigo do Rio de Janeiro”, disse a deputada Clarissa Garotinho (PR) em 2013.

Porém, como todos nós sabemos, o mundo político é dinâmico e não há espaço para ressentimentos. Nesta quarta-feira (08) o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), prometeu acelerar a tramitação do projeto que pretende criar alternativas de antecipação das receitas decorrentes da exploração de petróleo e gás natural para a recuperação das economias de estados e municípios afetados pela queda dos royalties, provocada pela baixa no preço do barril.

O compromisso de Renan foi firmado durante a visita da prefeita Rosinha Garotinho, e de sua filha, a deputada Clarissa. Elas foram pedir apoio ao projeto de resolução 15/2015, de autoria dos senadores Marcelo Crivela (PRB-RJ) e Rose de Freitas (PMDB-ES). As medidas permitirão que projetos e gastos públicos nas áreas de saúde e educação, principalmente, não sejam prejudicados enquanto os municípios estiverem buscando outras fontes de receita nos próximos anos. Renan espera que a proposta seja votada pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado já na próxima semana.

O projeto foi apresentado por sugestão do secretário de Governo da Prefeitura de Campos, Anthony Garotinho. A proposta cria uma espécie de adiantamento dos royalties para os municípios que enfrentam a crise. A intenção é calcular, em média, quanto cada cidade recebeu nos últimos anos. Depois, fazer uma projeção do que ela tem a embolsar neste ano e em 2016. Se aprovado, o projeto autoriza o prefeito a pegar emprestado, na Caixa Econômica ou no Banco do Brasil, o valor da diferença. Exemplo: se um município recebia, em média, R$ 20 milhões por ano, e a previsão de repasse para 2015 caiu para R$ 8 milhões, os bancos oficiais emprestariam os R$ 12 milhões para completar o valor.

Rusga anterior - Em 2013, como deputada estadual, Clarissa apresentou um Projeto de Resolução para cancelar a Medalha Tiradentes, que a Alerj concedeu, no ano de 2006, ao Senador Renan Calheiros (aqui). Indignada com a atuação do senador na condução da Sessão que derrubou o veto da presidente Dilma à Lei dos Royalties, a deputada Clarissa Garotinho afirmou que o senador agiu como "ditador, rasgou o regimento interno e maculou a Constituição Federal". “Renan não é digno de receber homenagens da Alerj. Ele é inimigo do Rio de Janeiro”, disse.

O blog do jornalista Arnaldo Neto publicou nota sobre o encontro desta quarta-feira: aqui 

Atualização às 19h - Clarissa: "Sustento o que disse sobre Renan Calheiros em 2013"  - A deputada federal Clarissa Garotinho (PR) enviou uma resposta ao blog e deixou claro que o seu forte posicionamento de 2013 não tem nada a ver com a articulação de 2015. Confira:

"A bem da verdade, os fatos precisam ser colocados em perspectiva, principalmente quando os contextos são diferentes. Em 2013, quando propus o cancelamento da Medalha Tiradentes concedida sete anos antes ao senador Renan Calheiros pela Assembleia Legislativa do estado do Rio de Janeiro, não o fiz sem motivo. Na época, a atitude do senador merecia repúdio, uma vez que ele conduziu a sessão para derrubar o veto da presidente Dilma Roussef à Lei dos Royalties. Isso iria prejudicar o estado do Rio de Janeiro. Afinal, o modelo defendido por Renan redistribuiria os royalties fluminenses entre outros estados. A posição dele era injusta e inconstitucional. Agiu, portanto, como um inimigo do Rio.

Hoje, a realidade é diferente. A discussão sobre o modelo de partilha dos royalties do petróleo não está mais no âmbito do Congresso Nacional. O que precisamos, agora, é de urgência na tramitação do projeto de resolução que vai ajudar os municípios que perderam receitas com a queda dos royalties, fruto da baixa no preço do barril. Nós defendemos uma proposta que cria alternativas para os municípios fluminenses sem afetar a economia de outros estados. Isso está muito claro. Não se deve confundir a relação institucional com a posição política.

Eu sustento o que disse sobre Renan Calheiros em 2013. No entanto, jamais poderei me furtar à defesa dos interesses do povo do meu estado. E isso inclui procurar autoridades que possam apoiar iniciativas de socorro aos municípios que enfrentam a crise. A aprovação do projeto que tramita no Senado vai permitir às prefeituras dos municípios produtores de petróleo a manutenção de serviços essenciais, especialmente nas áreas de Saúde e Educação, até que sejam encontradas outras fontes de receita. É meu papel, como deputada federal, ser agente efetiva deste processo na busca por soluções. Como diria o cronista esportivo Juarez Soares: 'Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa'".

Comentar
Compartilhe
Em tempos de crise, Neco avisa: "prioridades serão Saúde, Educação e salários em dia"
12/04/2015 | 09h17
[caption id="attachment_32504" align="aligncenter" width="446"] Foto: Secom/SJB[/caption]

Ontem (11), durante discurso na inauguração do primeiro sistema de sinalização por semáforos de São João da Barra, o prefeito José Amaro Martins de Souza, Neco (PMDB), comentou sobre a crise financeira e garantiu que os "ajustes nos dois primeiros anos vão fazer toda a diferença". "Tive pulso firme e enxugamos muitas coisas. Isso será fundamental neste momento de dificuldade", comentou o prefeito. Porém, tendo em vista a queda de arrecadação, ele destacou que é hora de ficar nas prioridades. "Se soubesse que a queda seria tão grande, teria reduzido um pouco os gastos com shows no verão. Mas é bom destacar que a nossa excelente programação saiu bem mais barata do que edições anteriores", disse Neco, que já avisou sobre possíveis cortes dos shows nacionais. "Se essa crise continuar, vamos ter que cortar os shows nacionais do Circuito Junino. Nossas prioridades sempre serão Saúde, Educação e o pagamento dos nossos servidores em dia. Não vamos atrasar salários", frisou Neco.

 
Comentar
Compartilhe
Rosinha aluga ambulâncias por R$ 1 milhão
22/04/2015 | 11h01
O Diário Oficial desta quarta-feira (22) trouxe o extrato do contrato 032/2015, pelo qual a Prefeitura de Campos contrata, por 12 meses, a Prime Administração e  Serviços para locação de ambulâncias, incluindo motorista e sem fornecimento de combustível. Valor do contrato: R$ 1.080.000,00. O número de ambulâncias não foi revelado no extrato. A informação foi publicada no blog do jornalista Ricardo André Vasconcelos (aqui).
Contrato de R$ 13,6 milhões - Este não é o único contrato da Prefeitura com a Prime. Em janeiro deste ano foi assinado um contrato para aluguel de ambulâncias. Valor: R$ 13,6 milhões. 
Mais R$ 1 milhão - Em fevereiro a Prefeitura de Campos republicou no Diário Oficial o extrato de um contrato, com dispensa de licitação, com Prime. O objetivo era contratar ambulâncias, incluindo motoristas, por 30 dias. O valor é R$ 1.138.590,00. O contrato foi assinado dia 23 de dezembro do ano passado e republicado no DO por incorreção. Veja aqui 
Cemitério - Circula nas redes sociais um vídeo, feito nos fundos da Comauto, que mostra um cemitério de ambulâncias. Na última semana, o blog "Na Curva do Rio", da jornalista Suzy Monteiro, publicou nota sobre o tema (aqui). O vereador Rafael Diniz (PPS) esteve no local e constatou que são mais de 80 veículos parados. "Somando as ambulâncias que encontrei nos fundos da Comauto com as que estão paradas nos fundos do HGG, são quase 100 veículos que poderiam estar nas ruas atendendo os cidadãos. Diante dos milhões que já foram gastos com aluguel de ambulâncias, defendemos que a Prefeitura passe a ter sua própria frota", diz o vereador.
Comentar
Compartilhe
No Parque Aurora, já tem "Judas" na mira
03/04/2015 | 03h45

Amanhã (04), Sábado de Aleluia, é dia de malhar o Judas. Em diversas partes do país, grupos preparam bonecos e, em clima de festa, espancam o "Judas".

Em Campos, no Parque Aurora, a bola da vez foi o vereador Miguelito. Em seu perfil no Facebook, Amarildo Cabeludo publicou uma foto do boneco, que será malhado amanhã, e comentou: "Se fosse o vereador mudaria de vez do Parque Aurora. O povo te ama, pra não dizer o contrário".

Comentar
Compartilhe
Enquanto isso, em uma creche escola da Prefeitura...
06/04/2015 | 01h14
[caption id="attachment_32286" align="aligncenter" width="616"] Reprodução/Blog Pense Diferente[/caption]
Comentar
Compartilhe
Câmara rejeitada: de quem é a culpa?
16/04/2015 | 07h20

Os membros do "rolo compressor" se reuniram na manhã desta quinta-feira (16) com o secretário de Governo, Anthony Garotinho (PR). Na pauta, explicações sobre a reforma administrativa e conversas sobre o momento político. Em um determinado momento, ao ser indagado sobre como anda a avaliação do governo Rosinha, o secretário informou que suas pesquisas mostram que a aprovação não está ruim. Porém, teria avisado que aos parlamentares que a Câmara não anda muito bem nas pesquisas. A rejeição estaria bem grande.

Neste momento, teve gente que resmungou e avisou que a Câmara paga o preço dos "pacotes de maldades" enviados pelo governo e aprovados. "Como vamos ficar com a aprovação alta se temos que aprovar medidas que atrapalham a vida das pessoas?", indagou um parlamentar.

Na última terça-feira (14), o vereador Gil Vianna (PR) já havia comentado sobre o assunto. "Dizem que a Câmara nunca esteve tão rejeitada. Temos que botar a mão na consciência e refletir sobre o nosso papel aqui na Casa", disse Gil.

Resta saber se alguém vai ter coragem de desafiar as ordens do chefe e mudar o ritmo do Legislativo.

Por falar em ordem, o governo solicitou uma sessão extraordinária para a próxima segunda-feira (20), às 10h, para aprovar um projeto de emenda à Lei Orgânica.

Comentar
Compartilhe
Verão da Família: show de Jammil custou R$ 130 mil
07/04/2015 | 12h36
[caption id="attachment_32322" align="aligncenter" width="434"] A Banda Jammil e Um Noites foi a primeira atração nacional do Carnaval do Farol (Foto: Maurício Vieira/G1)[/caption]

Na virada de 2013 para 2014 a banda Jammil e Uma Noites recebeu R$ 200 mil e o gordo cachê gerou polêmica. Na época, o blog "Eu Penso que", do jornalista Ricardo André Vasconcelos, publicou diversas notas sobre o assunto (aqui). Na época, a Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima (FCJOL) explicou que os cachês pagos na virada do ano são maiores. Agora, em 2015, a banda voltou a se apresentar na praia do Farol e o valor pago pelo cachê, de acordo com publicação no Diário Oficial desta terça-feira (07), foi de R$ 130 mil. O cachê foi R$ 70 mil menor do que o de 2014, mas não deixa de ser bem alto. Para se ter uma ideia, o Diário Oficial de hoje também trouxe os valores de 10 shows locais. A soma de todos os cachês dos artistas locais ficou em R$ 50 mil. O blog " Na Curva do Rio", da jornalista Suzy Monteiro disponibilizou as publicações: aqui

 Fundo de Cultura (R$ 116 mil) - Só para lembrar, o Fundo de Cultura da Prefeitura de Campos, que tem a missão de estimular e fortalecer a classe artística do município, ficou com R$ 116 mil para todo o ano de 2015. Ou seja, um único show de Jammil supera toda a verba anual do Fundo.

Só com os cachês dos shows nacionais, em um mês e meio, a Prefeitura gastou mais de R$ 1,3 milhão. O último pacote, com os shows de Carnaval, divulgado pelo blog do jornalista Ricardo André Vasconcelos (aqui) e replicado pelo blog “Na Curva do Rio”, da jornalista Suzy Monteiro (aqui), ficou em quase meio milhão.

Comentar
Compartilhe
Vital Engenharia recebeu R$ 8 milhões
28/04/2015 | 10h32
No último dia 24 a Prefeitura de Campos pagou diversas notas da empresa Vital Engenharia, responsável pela coleta de lixo. A soma de todas as notas gira em torno de R$ 8 milhões.  

Comentar
Compartilhe
No Parlamento Mirim, garotada bateu firme
16/04/2015 | 07h00
[caption id="attachment_32614" align="aligncenter" width="482"] Secom/Câmara[/caption]

A Câmara de Campos abriu suas portas à juventude na tarde de ontem (15), com a realização da primeira sessão do Parlamento Mirim. Como numa sessão ordinária, os 25 vereadores mirins, estudantes eleitos por suas escolas, defenderam suas posições, listaram propostas e fizeram discursos. O tema debatido foi “A Educação que Queremos”.

A vereadora mirim  Amanda Cordeiro cobrou mais atenção com os alunos especiais. “Tenho um irmão autista e vejo que as escolas não oferecem uma estrutura para esses alunos. É preciso que haja maior qualificação dos profissionais para tratar estes casos especiais, pois todos merecem um ensino de qualidade”, desabafou.

Em seguida, foi a vez da estudante Ane Marly de Almeida Rangel, que denunciou a falta de estrutura em sua escola. “Na minha escola falta caneta, cadeira e mesa para professor e até giz. Precisamos de boa estrutura também para focar na educação e ter um futuro melhor”, disparou.

O vice-presidente do Parlamento Mirim, Ryan Sardinha, foi o último a discursar e expôs o problema da qualidade do ensino nas escolas públicas. "Eu queria saber por que os alunos de escolas particulares aprenderam no ano passado o que estamos estudando neste ano, sendo que temos a mesma idade. Será que não temos condições de aprender como eles? Queremos direitos iguais”, reclamou o jovem.

* Com informações do site da Câmara e do Terceira Via

Comentar
Compartilhe
Auxiliadora sobre a Prefeitura: "quem sabe esta missão não chega?"
17/04/2015 | 11h48

A vereadora Auxiliadora Freitas (PHS) resolveu usar o Facebook para divulgar uma enquete (aqui) sobre a disputa pela Prefeitura de Campos. Sem cerimônia e demonstrando empolgação, a professora pediu para que os seus amigos votem na enquete e fez até um discurso de "pré-candidata". "Já que estou na lista. ... Quem sabe...Então pela educação. Cultura. Saúde. Não a corrupção e Sim ao bem comum. Vamos na luta. Se Deus e vcs quiserem quem sabe esta missão não chega.???!!", postou a parlamentar, que faz parte da "velha guarda rosácea". Nas reuniões, os membros deste grupo lembram que "no início cabia todo mundo em uma Kombi".

Aos poucos os aliados começam a botar as asinhas de fora. Por enquanto, os nomes mais ventilados do grupo são: vice-prefeito Dr. Chicão (PP), vereador Mauro Silva (PT do B), deputado federal Paulo Feijó, deputado estadual Geraldo Pudim (PR), vereadores Edson Batista (PTB) e Abdu Neme (PR) e os secretários Fábio Ribeiro (PR) e Suledil Bernardino (PR).

 
Comentar
Compartilhe
A charge de Chico Caruso
10/04/2015 | 12h37

Comentar
Compartilhe
Quissamã: Na mira da Câmara, Octávio Carneiro pede licença
09/04/2015 | 11h51

O município de Quissamã amanheceu alvoroçado por conta de uma notícia que mexe com o tabuleiro político. Na mira de uma Comissão Processante (CP), aprovada pela Câmara, que pode gerar a cassação do seu mandato, o prefeito Octávio Carneiro (PP) encaminhou ofício ao Legislativo informando que se licenciará do cargo por 60 dias. A licença médica abre espaço para o vice-prefeito Nilton Furinga (PR), que está rompido politicamente com Octávio.

Cientes do posicionamento do vice-prefeito sobre o atual governo, secretários e assessores diretos de Octávio já começaram a solicitar suas exonerações.

Comissão Processante - A Câmara de Quissamã aprovou no dia 26 de março (aqui) uma Comissão Processante para apurar supostas irregularidades no governo Octávio Carneiro. Após uma série de requerimentos de informação, convocações de secretários municipais, o Poder Legislativo decidiu apurar fatos com fortes indícios de irregularidades, a partir de denúncias que chegaram ao Legislativo. O vereador Marcos Silva (Pros) preside a CP, tendo como vice-presidente Isabel Pessanha (PMDB), e Jorge Rodrigues (PPS) como relator. A conclusão das investigações pode resultar na cassação do prefeito.

De acordo com a assessoria da Câmara Municipal, as suspeitas são de improbidade administrativa, peculato, falsidade ideológica e associação criminosa. A comissão investiga, por exemplo, a contratação de serviços de coleta de lixo e alugueis de ambulâncias com preços supostamente abusivos e celebração de termos aditivos sem comunicação prévia ao Conselho de Saúde.

Na última segunda-feira (06) o prefeito foi notificado (aqui) e  ganhou dez dias para apresentar sua defesa. Porém, optou pela licença médica.
Comentar
Compartilhe
SJB: Betinho alfineta "politização da tradição"
05/04/2015 | 11h59

Se em Campos muita gente respira política, em São João da Barra o clima é muito mais quente e acirrado. A eleição de 2016, por exemplo, já começou faz tempo.

Ontem (04), Sábado de Aleluia, o ex-prefeito Betinho Dauaire (PR) compartilhou no Facebook a nota publicada no blog do jornalista Arnaldo Neto sobre os "Judas" que representavam o prefeito Neco (PMDB) e o radialista Emilson Amaral. Porém, ao invés de aproveitar o embalo para malhar os adversários, Betinho criticou a politização da tradição e insinuou que o protesto foi estratégico. Segundo o ex-prefeito,  a “Malhação do Judas ” não tem mais nada a ver com a antiga tradição da Semana Santa "e já vem algum tempo temperada pela politica partidária em SJB" . "Quanto aos bonecos, os achei bem feitos (Coxinhas), semelhantes um com o outro ao ponto das letras que identificam seus nomes me parecerem idênticas. Acho que deve ter sido feito por um único artista mas com uma bela assessoria de visibilidade para fixar os bonecos em pontos chaves", opinou Betinho.

Outro fato curioso em São João da Barra foi a falta de registros dos "Judas" sendo malhados.

Prefeito comentou - Em seu perfil no Facebook, Neco comentou sobre os "Judas": “(Vou) Pedir a Deus que abençoe e de sabedoria a estas pessoas que por desespero colocaram eu e o radialista Emilson Amaral como Judas, quero dizer para vocês que nada disso me abala eu tenho Deus no meu coração e só ele sabe o quanto eu amo São João da barra e vou trabalhar todos os dias juntamente com toda minha equipe para o crescimento e organização do nosso município e me coloco a disposição de todos no momento que vocês precisarem de mim, principalmente se for problema de saúde como estou passando neste momento com meu irmão. Um abraço fiquem todos com Deus. Juntos somos mais!”.

Comentar
Compartilhe
Dayvison Miranda aponta descaso em colégio estadual
19/04/2015 | 12h03

Membro da bancada governista na Câmara de Campos, o vereador Dayvison Miranda (PRB) visitou o Colégio Estadual Dom Otaviano de Albuquerque, em Ururaí e encontrou problemas bem semelhantes aos apontados pela oposição nas escolas e creches municipais. "Estive na escola após a solicitação de alunos que cobram mais estrutura. Segundo os diretores, o colégio tem aproximadamente 50 anos e nunca ganhou uma reforma. Só fica na promessa. Durante a visita pude ver banheiros sem porta, infiltração nas paredes, refeitório precário, chão com buracos e quadra sem condição alguma para praticar esportes, já que está cheia de lixo", disse o vereador, que vai encaminhar as queixas aos deputados estaduais da região.

Comentar
Compartilhe
Campos: o que muda com o voto distrital?
22/04/2015 | 04h52

Os vereadores de municípios com mais de 200 mil eleitores poderão ser escolhidos por voto distrital. A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou a mudança prevista no projeto PLS 25/2015 nesta quarta-feira (22).  Pela proposta do senador José Serra (PSDB-SP), as cidades deste porte serão divididas em distritos, em número igual ao de vagas na Câmara Municipal. Cada distrito elegerá um vereador por maioria simples (50% dos votos mais um). O candidato mais votado será o eleito.

No caso de Campos, que atualmente possui 25 vereadores,  o município seria dividido em 25 distritos e cada um deles elegeria o seu vereador. O texto prevê que o partido ou coligação pode registrar apenas um candidato por distrito e cada vereador terá um suplente. Os Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) serão responsáveis por definir os distritos, observando a continuidade do território e a igualdade de voto.

Atualmente, adota-se o sistema proporcional para a eleição de vereadores, que leva em conta não só o voto no candidato, mas também no partido ou coligação. Já no sistema distrital, o voto é majoritário, ou seja, é eleito o candidato que recebe mais votos. Se não houver apresentação de recurso para que a matéria seja examinada pelo plenário do Senado, a proposta segue direto para a Câmara dos Deputados. A expectativa é que a proposta seja aplicada já nas eleições de 2016.

A ideia é usar as eleições municipais como um teste para o novo modelo, que pode ser replicado também nas eleições para deputado federal e estadual, em 2018. "Esses noventa e poucos municípios nos quais seria adotado o novo sistema eleitoral abrigam mais de trinta por cento do eleitorado brasileiro, e, por serem capitais e grandes centros, constituem excelente referência para a experimentação e educação política do povo brasileiro", argumentou om senador Eunício Oliveira (PMDB-CE).

Além disso, a troca no sistema de eleição de vereadores não exige mudança na Constituição, ao contrário do debate sobre o voto distrital para parlamentares estaduais e federais. Serra defendia que uma consequência direta da medida deveria ser a extinção do horário eleitoral para vereadores nas cidades com mais de 200.000 eleitores. Mas o relator retirou essa menção do texto, e foi acompanhado pelos colegas de CCJ.

 O blog do jornalista Arnaldo Neto publicou nota sobre a aprovação (aqui). 
Comentar
Compartilhe
É a crise
15/04/2015 | 11h59
Diante da precariedade da Creche Carlos Roberto Nunes de Carvalho, no Parque Angélica, em Campos, a professora Juliana Araujo resolveu usar o Facebook para fazer um apelo a vereadora Auxiliadora Freitas (PHS).  

Logo após a postagem, a internauta Silvia Azeredo Pereira perguntou: "Essa creche não passa na propaganda.... por que sera???"

Imediatamente, a professora revelou que a Creche está longe de ser modelo: "Casa adaptada né. Não é modelo!!!!"

Depois, a vereadora Auxiliadora prometeu "ver", "lutar" e "fazer o que puder": "Vou ver... bjs... Vou lutar. Fazer o que puder".

Mostrando que existem campistas dispostos a contribuir neste momento de crise, a internauta Adriana Melo avisou: "Eu posso doar porem e aquela TV de 29 bastante pesada funcionando perfeitamente!"

 
Comentar
Compartilhe
"Justiceiros" agridem e amarram suspeito
22/04/2015 | 06h11
[caption id="attachment_32732" align="aligncenter" width="245"] Vídeo foi compartilhado na internet[/caption]

Um homem suspeito de ter furtado dois celulares foi agredido e amarrado, com o uso de uma corda, em um poste por moradores de Campos. O caso ocorreu na última segunda-feira (20), no Parque Presidente Vargas, e foi filmado. O vídeo, compartilhado nas redes sociais, mostra dezenas de pessoas em volta ao suspeito. Desesperado, o homem chega a confessar o crime: "agi sem pensar, eu sei que eu errei". Em outro momento, ele chega a chamar pela Polícia Militar.

 De acordo com a Polícia Militar, o homem teve que ser levado para o Hospital Ferreira Machado (HFM) devido aos inúmeros hematomas pelo corpo. Ele recebeu atendimento e foi liberado. Em seguida, o suspeito foi encaminhado para a 146ª DP - Guarus, onde foi constatado que contra ele havia um mandado de prisão por roubo, em 2013. Ele foi encaminhado para a Cadeia Pública Dalton Crespo de Castro.
O Delegado Adjunto da 146ª DP, Pedro Emílio Braga, ficou de analisar o vídeo e relatou que se conseguir identificar algum popular que agrediu o suspeito, o mesmo pode ser detido. Pedro Emílio informou que, pessoas que praticam "justiça com as próprias mãos", podem ser enquadradas em crimes como o de lesão corporal ou até mesmo tentativa de homicídio, dependendo da conduta.
Veja o vídeo: aqui 
Orelhão - Em abril do ano passado um jovem foi acorrentado a um orelhão após furtar uma bicicleta no no Turf Clube, em Campos (aqui).
Fonte: G1 
Comentar
Compartilhe
Paulo Melo conversa com outras legendas e ameaça deixar PMDB
07/04/2015 | 10h24

O PMDB-RJ deve perder um de seus principais quadros. Secretário Estadual de Governo, Paulo Melo tende a voltar para o PSDB, cujo diretório estadual já presidiu. Ele vem conversando também com outras legendas. Deputado estadual, ele anda insatisfeito com a falta de apoio de correligionários. Melo se viu obrigado a desistir de concorrer à reeleição à presidência da Assembleia Legislativa (Alerj) e a uma vaga no Tribunal de Contas do Estado (TCE). Nos dois casos, ele enfrentou Picciani, presidente do PMDB no Rio de Janeiro.

Vitórias  - Picciani conseguiu voltar à presidência da Alerj e transformou o deputado Domingos Brazão (PMDB) no favorito para a cadeira no TCE.

Fica na base - A ida para o PSDB não significaria um rompimento de Melo com o governo, já que os tucanos apoiaram a eleição de Pezão.

Fonte: Informe do Dia/Fernando Molica 

Comentar
Compartilhe
Na Câmara, Garotinho apresenta proposta e debate com a oposição
01/04/2015 | 12h33
[caption id="attachment_32222" align="aligncenter" width="480"] Foto: Gerson Gomes/Secom[/caption]

A Câmara de Campos trocou a sua sessão ordinária desta terça-feira (31) por uma nova apresentação do secretário de Governo Anthony Garotinho (PR), que comandou novamente o seu "show" com um auditório lotado. Durante três horas, o secretário falou sobre sua proposta para salvar estados e municípios, reforma administrativa, auditoria, saúde, servidores, cultura, orçamento, lote legal, desgaste de Dilma, derrota na eleição e tempos de teatro. Entre uma fala e outra, tinha até "animador de auditório", que puxava aplausos para o patrão e vaias para a oposição. Um clima bem diferente da audiência pública da última segunda-feira (30), que contou apenas com a participação do secretário de Saúde, Dr. Chicão (PP) e dos vereadores Edson Batista (PTB) e Rafael Diniz (PPS), além de uns gastos pingados na plateia (aqui).

Proposta - Com o "Baú da Felicidade" em baixa, Garotinho comentou logo no início sobre a sugestão que apresentou ao Senado, alterando a Resolução 43 da Casa. Pela proposta, estados e municípios que sofreram redução de receitas dos royalties poderão antecipá-las nos exercícios de 2015 e 2016. A sugestão do secretário foi encaminhada à Comissão de Assuntos Econômicos (Cae) pelos senadores Marcelo Crivella (RJ) e Rose de Freitas (ES). A alteração da Resolução 43 permitirá que o município vá ao mercado e contraia um empréstimo, desde que o recurso seja buscado em bancos privados, segundo exigência do Ministro da Fazenda, Joaquim Levy. De acordo com Garotinho, o presidente do Cae, senador Delcídio Amaral (PT/MS), informou que logo após a Semana Santa, o projeto de resolução deverá ser apreciado, aprovado e, em seguida, promulgado. "Vamos salvar os municípios sem comprometer o futuro. É uma contribuição importante que Campos está dando e garante aos municípios a continuidade dos investimentos", destacou o secretário de Governo.

Troca de farpas - Após a explanação sobre o projeto, o vereador Rafael Diniz (PPS) pediu a palavra e informou que as regras do debate com o secretário deveriam ser alteradas. "Esta Casa recebe outros secretários e a dinâmica é completamente diferente. Na última vez que o secretário de Governo esteve na Câmara, em respeito ao presidente da Casa, não questionei as regras. Mas precisamos rever. Fomos eleitos e não podemos aceitar que um secretário venha aqui e ainda fique com a palavra final, durante om debate", disse Rafael. Logo após a fala de Rafael, Garotinho disse: "O vereador disse que, em respeito ao presidente, não disse nada da outra vez. Ele pode até não me respeitar, mas eu o respeito", disse Garotinho. Imediatamente, Diniz se levantou e disparou: "Não vou ficar aqui batendo boca com o secretário. Estamos aqui porque fomos eleitos. Vossa senhoria (Garotinho) não foi eleito a nada na última eleição. Não vai ditar as regras aqui", afirmou Diniz. Neste momento, Garotinho reconheceu a derrota, mas citou a sua votação. "Perdi, sim, mas obtive mais de R$ 1,5 milhão de votos. Já vossa excelência se elegeu com pouco mais de quatro mil votos, se não me engano".

E não parou por aí. De volta a tribuna, Rafael Diniz afirmou: "É verdade, o secretário recebeu muitos votos. Ainda estou no início da minha carreira e espero um dia obter grandes votações. Mas uma coisa que não quero nunca é chegar lá na frente e ter que conviver com uma imensa rejeição na minha própria cidade e em todo o estado do Rio".

Mauro coloca panos quentes e elogia o líder - Diante da troca de farpas entre Rafael Diniz e Garotinho, o líder do governo na Câmara, vereador Mauro Silva (PT do B) lamentou: "Fico triste ao ver este tipo de ataque ao ex-governador. Peço desculpas em nome de toda a bancada governista. Temos que parar com essa história de que santo de casa não faz milagre. Tendo em vista o seu trabalho, o secretário merece uma estátua".

Marcão cobra respostas sobre "tenebrosas transações" - Na tribuna, o vereador Marcão (PT) citou o resultado de uma auditoria interna solicitada pela prefeita Rosinha Garotinho (PR), que apontou, entre outras coisas, recursos públicos de Campos usados na compra superfaturada de títulos públicos federais, dispensando licitação, em descumprimento da lei nº 8666/93, com a utilização empresas notoriamente inidôneas, que provocaram prejuízos milionários aos cofres do município. "O prejuízo gira em torno de R$ 110 milhões", citou Marcão. Na defesa do governo, Garotinho disse que "tudo foi feito de forma transparente". Segundo Garotinho, que não citou nomes, as transações ocorreram durante o período em que a prefeita Rosinha estava afastada. "Foi na gestão do prefeito interino. Quando voltou, a prefeita exonerou o secretário de Fazenda. Na época muita gente se perguntou o motivo. Pronto, estou contando agora", disse.

Plano de Saúde - Indagado pelo vereador Rafael Diniz sobre o Plano de Saúde dos servidores, Garotinho informou que a "caixa de assistência já está sendo providenciada". Sobre o UH, Garotinho afirmou: "Um fracasso total". Segundo Rafael, os servidores não podem esperar. "Entendo que o diálogo com o sindicato abriu a possibilidade de uma caixa de assistência. Mas quando começa? Saúde não pode esperar e todos nós sabemos disso", afirmou Diniz.

Hospital São José - Indagado pelo vereador Nildo Cardoso (PMDB) sobre o Hospital São José, Garotinho informou que em 120 dias a obra física estará completa e garantiu que a entrega deve ser feita "até o final do ano". Vale lembrar que a obra começou em 2011.

Hora de enxugar a máquina - O vereador Rafael Diniz lembrou que, na eleição de 2008, a candidata Rosinha prometeu enxugar a máquina. "Essa é uma promessa que foi feita nos palanques em 2008. De lá pra cá, temos no governo mais de 1.500 DAS e uma máquina bem pesada. Será que agora, após seis anos de governo, a promessa será cumprida?". Garotinho informou que "não dava para pegar um avião em alta velocidade e jogar para uma velocidade baixa". Segundo o secretário, os cortes de parte dos cargos de confiança vão gerar uma economia de R$ 14 milhões/ano. Atualmente, os gastos com DAS e Funções Gratificadas gira em torno de R$ 60 milhões/ano.

Pausa no Aeromóvel - Em resposta ao vereador Nildo Cardoso, que indagou sobre os investimentos milionários na implantação do Aeromóvel (R$ 477 milhões), em parceria com o governo federal, Garotinho informou que o projeto vai sofrer uma pausa. "Por conta da crise, vamos tratar de outras prioridades no momento", disse.

* Mais informações na edição desta quarta-feira (01) da Folha. 

Comentar
Compartilhe
Deputados do PSDB vão protocolar pedido de impeachment de Dilma
26/04/2015 | 11h06

A bancada do PSDB na Câmara dos Deputados decidiu que já há elementos para apresentar o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). Em reunião na última sexta-feira (24), os tucanos avaliaram que não há necessidade de aguardar novos fatos ou pareceres jurídicos. Segundo o líder do partido na Casa, deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP), o pedido será apresentado esta semana, “entre terça e quarta-feira”, com base no argumento de que a presidente teria cometido crime de responsabilidade nas chamadas “pedaladas fiscais” e por suposta omissão no esquema de corrupção envolvendo a Petrobras.

O deputado disse que levará o parecer dos parlamentares ao presidente do PSDB, o senador Aécio Neves (MG). “O que vou dizer ao Aécio é que, na visão da bancada, não tem mais o que aguardar. A Câmara é quem decide sobre a abertura do impeachment, então, o protagonismo tem que ser da bancada na Casa. E a decisão já está tomada: o impeachment é cabível e não temos que aguardar mais nenhum parecer”, disse Sampaio. Os tucanos pediram um parecer do jurista Miguel Reale Jr para dar sustentação jurídica ao requerimento de impeachment, mas Sampaio avaliou que já há elementos para tirar a petista do poder. “As motivações dadas tanto no petrolão, com a omissão da presidente, quanto nas pedaladas fiscais, com o comportamento dela, são elementos necessários”, disse o líder do PSDB.

Na semana passada, o senador Aécio Neves (PSDB) subiu o tom das críticas à presidente Dilma e indicou que o partido encabeçaria o movimento pelo impeachment. Mas acabou recuando depois de os também tucanos ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e  ex-governador de São Paulo, hoje senador, José Serra (SP), manifestarem opinião contrária ao pedido de impedimento neste momento. Aécio pediu um prazo maior para elaborar o pedido, que deveria se basear em uma análise técnica sobre o tema.

Sobre a posição contrária do ex-presidente e de outros caciques tucanos, Sampaio ressaltou que a decisão de pedir o impeachment de imediato partiu da bancada da legenda na Câmara e defendeu o movimento dos deputados. “Respeitamos a posição do ex-presidente Fernando Henrique e dos ex-senadores que discordam, mas a Casa que decide é a Câmara. A bancada tem clareza de que o momento enseja o impeachment”, argumentou o parlamentar.

Além do processo de convencimento interno, os tucanos terão que trabalhar também para obter o apoio do presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha (PDMB-RJ), que na semana passada disse não haver elementos para a abertura do processo de impedimento de Dilma. Sampaio aposta na mudança de opinião do peemedebista. “Uma coisa é o Eduardo Cunha afirmar é contrário ao impeachment com base no que ele viu na imprensa. Outra coisa é ele ter que se debruçar sobre uma peça que tem raciocínio lógico e jurídico, com respaldo na doutrina e na jurisprudência”, disse o deputado tucano. Se Cunha autorizar o desenrolar da tramitação do pedido, ele terá que passar também pelo crivo do plenário da Câmara. O processo só é aberto caso tenha apoio de pelo menos dois terços da Casa, ou seja, de 342 dos 513 deputados.

Fonte: Estado de Minas 

Comentar
Compartilhe
Vereadores visitam creche e encontram "improviso, descaso e desrespeito"
15/04/2015 | 06h42
[caption id="attachment_32587" align="aligncenter" width="482"] Reprodução/Facebook[/caption]  

Comentar
Compartilhe
Magal coloca vitória de Bruno Dauaire na conta da máquina
08/04/2015 | 12h40

Seis meses após a vitória do deputado estadual Bruno Dauaire (PR), que recebeu 21.839 votos só na cidade de Campos, tem gente no grupo rosáceo que ainda não engoliu a votação do jovem político. Durante a sessão de ontem (07), durante uma discussão sobre políticos que receberam mais "carinho" da máquina, o vereador Jorge Magal disparou: "Se Albertinho e Gil Vianna tivessem recebido o apoio da máquina, a votação deles seria bem diferente. Gosto do Bruno, mas não podemos deixar de lembrar que ele teve o apoio direto da máquina", afirmou Magal.

Já o vereador oposicionista José Carlos (PSDC) chutou o pau da barraca. "Qual era o trabalho de Bruno em Campos para ter aquela votação toda? Ele trabalhava em algum projeto, tinha um trabalho social, estava ao lado de alguma classe? Nada disso! Temos que parar com essa inversão de valores. Tentar colocar Bruno como herói não tem o mínimo cabimento", disse José Carlos, que é aliado do deputado João Peixoto (PSDC) e insinuou que Bruno estaria flertando com o governo Pezão.

Na defesa de Bruno, o vereador Thiago Virgílio (PTC) disse que não houve apoio da máquina. "Bruno teve apoio de cinco vereadores, mas não houve secretário ao lado dele. A máquina apoiou a candidatura de Pudim. A força de Bruno estava no apoio de Wladimir, que é uma líder jovem, que tem uma excelente relação com lideranças de várias partes da cidade", comentou Thiago. Sobre a insinuação sobre Bruno flertar com Pezão, Thiago rebateu com outra insinuação. "Pode ser que alguém esteja preocupado em perder cargos do estado. Mas pode ficar tranquilo, Bruno está na oposição. No entanto, não pode deixar de votar ao lado de projetos importantes para a população", completou.

Comentar
Compartilhe
Melhorou ou piorou?
27/04/2015 | 12h46

Em 2008, a candidata Rosinha (que não usava Garotinho) apresentou o seu plano de governo na área de Desenvolvimento Social e fez as seguintes promessas:

"Campos vive hoje uma realidade paradoxal: milhares de família vivendo na miséria, contrastando com a riqueza proporcionada pelos royalties do petróleo. Rosinha assume o compromisso de reorganizar programas e implantar ações efetivas imediatas".

Promessas de 2008:  1 - Implantação do programa Cheque Cidadão 2 - Implantação do Restaurante Popular em Guarus e Goitacazes, servindo refeições balanceadas ao preço de R$ 1,00 3 - Implantação da Farmácia Popular com medicamentos, fraldas geriátricas e outros itens por R$ 1,00 4 - Implantação do Programa Reforço Alimentar 5 - Implantar o Cadastro Único do MDS, que permitirá acompanhamento de todas as famílias assistidas pelos programas de assistência social

Quem tem culpa? - Hoje, mais de seis anos depois, Campos ainda vive uma realidade paradoxal. Para completar, estamos acompanhando uma disputa para saber quem tem culpa pela fraude no Cheque Cidadão, apontada pelo secretário de Governo (aqui). Segundo o secretário, os erros vieram dos governos passados. Ou seja, o  governo que prometeu reorganizar tudo em 2008 diz que a fraude de 2015 ainda é um resquício das gestões anteriores.

Comentar
Compartilhe
De quem é a crítica?
16/04/2015 | 11h17

Confira uma crítica sobre a Saúde de Campos e tente adivinhar quem é o autor:  “A saúde tem sido apontada nas pesquisas como o grande problema da população de Campos. Postos de Saúde sem remédios, sem médicos; hospitais desabastecidos; ambulâncias sucateadas ou paradas por estarem quebradas há meses. O povo não quer continuar assistindo a esse filme de terror”.

Será que foi alguém da oposição que disse isso?

Resposta: A análise, que parece bem atual, foi feita em julho de 2008 pelo ex-governador Anthony Garotinho e tinha a missão de atacar o ex-prefeito Arnaldo Vianna e o então prefeito Alexandre Mocaiber.

Veja aqui

Comentar
Compartilhe
Lava Jato: Pezão e Tião Viana negam Caixa Dois e pedem arquivamento de inquéritos
13/04/2015 | 05h20

Os governadores do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), e do Acre, Tião Viana (PT), negaram em ofícios apresentados ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) que suas campanhas tenham sido beneficiadas com dinheiro desviado da Petrobras e pediram arquivamento dos inquéritos abertos contra eles em decorrência da Operação Lava Jato. Os documentos foram enviados ao tribunal no fim de março em resposta ao pedido do relator dos inquéritos no STJ, ministro Luís Felipe Salomão, para que os governadores se manifestassem por escrito sobre o pedido de investigação feito pela Procuradoria Geral da República (PGR).

Os procuradores se basearam nas delações premiadas do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa e do doleiro Alberto Youssef para solicitar a abertura de inquérito contra os governantes do Rio e do Acre. No inquérito de Pezão, também serão investigados o ex-governador do Rio Sérgio Cabral e o ex-chefe da Casa Civil Regis Fichtner. Luiz Fernando Pezão negou ter participado, em 2010, de reunião relatada por Paulo Roberto Costa na qual Sérgio Cabral, à época em que governa o Rio, teria pedido "ajuda" para a campanha à reeleição. Os recursos, segundo a acusação do Ministério Público, teriam beneficiado também o atual governador do estado, vice de Cabral na ocasião. De acordo com o ex-diretor da petroleira, o operador dos repasses foi Regis Fichtner. Os três negam as acusações. "Nunca participei de uma reunião dessa natureza e com esse conteúdo. Nunca presenciei qualquer reunião em que o ex-governador Sérgio Cabral tenha pedido qualquer ajuda de campanha para o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto", escreveu o governador do Rio no ofício enviado ao STJ.

Conforme o ex-diretor da Petrobras, a campanha de Cabral e Pezão recebeu R$ 30 milhões em dinheiro não-contabilizado, o chamado caixa 2. No ofício encaminhado ao STJ, Pezão afirmou diversas vezes que as informações são "mentirosas". "O delator Paulo Roberto não explicita como uma quantia tão vultuosa quanto R$ 30 milhões teria sido incorporada a título de caixa 2 à nossa campanha de 2010. Ele afirmou no seu depoimento que sequer sabia se efetivamente tal pagamento absurdo teria ocorrido. Diz que presumiu que os pagamentos teriam sido feitos porque o ex-governador Sérgio Cabral não teria mais voltado ao assunto com ele. É inacreditável!!!", enfatizou.

Na peça judicial, o governador do Rio ressalta ainda que seria "inverossímil" eventual ajuda da Petrobras à chapa de Cabral em 2010 porque, naquela época, o governo do Rio de Janeiro "se encontrava em rota de colisão com a Petrobras por conta da mudança do modelo de exploração do petróleo no Brasil." Pezão destaca que o pedido de investigação feito pelo Ministério Público "se baseia única e exclusivamente nas declarações do delator Paulo Roberto Costa". O peemedebista diz que "estranha" o fato de o MP afirmar que Youssef corroborou as denúncias, sendo que isso não aconteceu, segundo ele.

Pezão questiona ainda a suspeita da PGR em razão de a campanha ter recebido doações legais das empresas Alusa, Odebrecht, UTC e OAS, todas investigadas pela Lava Jato. O governador afirma que, das quatro empreiteiras, somente a OAS fez doação de R$ 1 milhão para sua chapa. Conforme ele, as demais construtoras doaram para o PMDB, que repartiu doações aos candidatos proporcionais. "Mas daí a se extrair que essa doação [da OAS] teria sido feita com recursos desviados de obras realizadas para a Petrobras no Comperj, é uma ilação, com todo respeito, absurda e completamente despropositada."

O governador do Rio destaca ainda que uma investigação baseada apenas na delação contra uma autoridade "pode injustamente afetar a sua imagem perante a população e a sua legitimidade para governar". "Quando tomei conhecimento dessas declarações do delator Paulo Roberto Costa, fiquei estupefato e totalmente surpreso. Nada do que ele disse em relação a mim e aos meus colegas de governo aconteceu. Essas declarações inverídicas [...] objetivaram, por motivos políticos certamente inconfessáveis, nos inserir em um escândalo com o qual nada temos a ver", disse Pezão no ofício.

Fonte: G1
Comentar
Compartilhe
Em dia de operação do MPF, paciente desabafa: "me sinto um lixo"
20/04/2015 | 11h41
[caption id="attachment_32694" align="aligncenter" width="426"] Reprodução/Inter TV[/caption]   [caption id="attachment_32695" align="aligncenter" width="427"] Reprodução/Inter TV[/caption] [caption id="attachment_32696" align="aligncenter" width="390"] Foto: Danielle Macedo[/caption]

Enquanto os pacientes das propagandas falam em "Saúde nota 10" (aqui), os campistas que frequentam o mundo real têm opiniões bem diferentes. Nesta segunda-feira (20) o Ministério Público Federal (MPF) iniciou uma operação para averiguar possíveis irregularidades na Saúde pública, em Campos. O primeiro local escolhido pelo MPF foi o hospital São José, na Baixada Campista, que está em obras desde 2011. Por lá, a equipe do MPF viu de perto o drama dos pacientes. Entrevistada pela Inter TV, uma senhora desabafou: "Me sinto um lixo".

De acordo com matéria publicada pela Folha (aqui), quando a equipe do MPF chegou ao hospital São José a farmácia estava fechada, o administrador da unidade não foi encontrado, a escala dos plantonistas não estava disponível e o livro de pontos sem as obrigatórias assinaturas.

Nada mudou - Há exatamente um ano, em abril de 2014, o blog replicou matéria da Folha da Manhã sobre o drama vivido pelos pacientes no Hospital São José. Relembre: aqui 

No distrito de Travessão a cena encontrada foi ainda pior. Na unidade de Saúde o MPF constatou a falta de médicos, farmácia fechada e pacientes sem atendimento. Além disso, materiais vinham sendo esterilizados em um banheiro e todo o lixo hospitalar da unidade é depositado na calçada.

Indagada sobre as deficiências, a Prefeitura de Campos informou que vai averiguar os motivos das ausências dos médicos. Sobre os problemas estruturais, alegou que as unidades estão em obras.

O MPF prometeu entregar um relatório à Procuradoria Geral da República, que poderá propor uma ação contra a Prefeitura de Campos.

Para ver a matéria exibida no RJ Inter TV 2ª  Edição, clique aqui

Médicos solicitaram visita do Ministério Público -Em fevereiro deste ano o Sindicato dos Médicos publicou (aqui) nota e informou sobre: "falta de material de consumo bem como de instrumental adequado para o atendimento a pacientes em várias especialidades,  "instalações físicas inadequadas, mal conservadas, comprometendo o atendimento a população" e afirmaram ainda que "a regulação de internações nos hospitais credenciados da rede não dão conta da lotação e demanda causando pletora no pronto socorro". Na ocasião, os médicos solicitaram que o "Ministério Público através dos seus representantes agendasse visitas aos pronto socorros dos hospitais para verificação em loco da situação de funcionamento dos mesmos".

Comentar
Compartilhe
Prefeitura gasta mais R$ 530 mil com a Cidade da Criança
15/04/2015 | 12h39

Crise? Que crise?

De acordo com o Portal da Transparência, a Prefeitura de Campos gastou na última segunda-feira (13) mais de meio milhão com as obras da Cidade da Criança, no Parque Alzira Vargas. A empresa Ribeiro e Azevedo Construções e Serviços recebeu R$ 312 mil e a Maguima Construções ficou com mais R$ 218 mil.

O anúncio da obra foi feito pela prefeita Rosinha Garotinho (PR) em junho de 2012 (aqui). Em agosto de 2012 a Prefeitura publicou matéria sobre o andamento das obras (aqui).

60% mais cara - Em maio do ano passado o jornalista Ricardo André Vasconcelos informou (aqui) que as empresas Projecons Projetos e Construções, Maguima Construções e Ribeiro Azevedo foram contratadas em 2013 para realizar a obra em 180 dias (terminaria em outubro de 2013). O valor da obra era de R$ 10,5 milhões. Porém, no ano passado, além de atrasada, a obra ficou cerca de 60% mais cara. Foi publicado no Diário Oficial do dia 21 de maio de 2014 um aviso de licitação informando sobre a necessidade de uma "complementação da obra" orçada em R$ 6,2 milhões. Tendo em vista o prazo do novo contrato, a obra deveria ter sido concluída em dezembro do ano passado. Ou seja, lá se vão mais quatro meses de atraso. Será que vai precisar de mais uma complementação?

Garotinho respondeu - No dia 24 de fevereiro, após o vereador Fred Machado (SD) questionar o fato da obra ter passado de R$ 10,5 milhões para R$ 16,7 milhões, o secretário de Governo Anthony Garotinho alegou que o Parque Alzira Vargas é considerado um patrimônio histórico e, por conta disso, a obra foi mais cara e delicada do que o previsto. Além disso, informou que durante as obras a prefeita resolveu ampliar o projeto, transformando a “Cidade da Criança” em um Parque Temático.

[caption id="attachment_32574" align="aligncenter" width="494"] Placa com valor de R$ 10,5 milhões - Imagem/Ricardo André Vasconcelos[/caption] [caption id="attachment_32575" align="aligncenter" width="448"] Em 2014, complementação de R$ 6,2 milhões[/caption] [caption id="attachment_32581" align="aligncenter" width="364"] Empresas responsáveis pela obra ganharam a licitação para a complementação e firmaram contrato de mais R$ 6.172.781,14[/caption]
Comentar
Compartilhe
PMDB quer filhos de Cabral e Picciani no comando do partido no Rio
17/04/2015 | 01h08

Iniciou-se o processo de sucessão no PMDB do Rio de Janeiro, diretório peemedebista mais forte do momento. O presidente da Alerj, Jorge Picciani, e o ex-governador Sérgio Cabral querem ver seus filhos no comando. O plano tem duas partes. Uma é colocar o líder do PMDB na Câmara, Leonardo Picciani, na presidência do partido no estado. Outra é fazer do secretário estadual de Esporte, Marco Antônio Cabral, presidente do PMDB da capital.

Fonte: Época 

Comentar
Compartilhe
Pezão quer incentivos para receber R$ 66 bilhões
28/04/2015 | 08h04
[caption id="attachment_32810" align="aligncenter" width="300"] De acordo com Pezão, a dívida dos contribuintes soma aproximadamente R$ 66 bilhões[/caption] O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB), informou que o Executivo vai conceder incentivos para que cidadãos e empresas inadimplentes regularizem seus pagamentos de impostos ao Estado. O objetivo é aumentar a arrecadação financeira, devido à crise econômica que passa o estado. De acordo com Pezão, a dívida dos contribuintes soma aproximadamente R$ 66 bilhões. A iniciativa dos incentivos foi do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que sugeriu uma parceria ao Governo e Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). "Vamos facilitar ao cidadão ficar quite com o estado. Ninguém quer ficar inadimplente. Nós vamos facilitar ao máximo, em uma grande campanha de comunicação, mostrando que quem entrar neste parcelamento não vai ter outro. O estado vai colocar todas as condições para o cidadão e para o empresário ficarem legais", afirmou. Levantamento feito pelo governo aponta que cerca de 100 mil processos cobram na Justiça o pagamento de impostos de empresas e pessoas físicas. Os devedores serão notificados para quitarem seus débitos em um mutirão. Fonte: Brasil 247
Comentar
Compartilhe
Vai ter quórum?
19/04/2015 | 06h39

A Câmara de Campos realiza amanhã (20), às 10h, uma sessão extraordinária para apreciar um Projeto de Emenda à Lei Orgânica do Município nº 0067/2015, que modifica artigos da referida lei. A matéria foi enviada pelo gabinete da prefeita Rosinha Garotinho (PR) e, para a aprovação, são necessários os votos de pelo menos 18 parlamentares.

Resta saber se, nesta semana com clima de feriadão, os rosáceos  vão conseguir o quórum necessário para votar o projeto.

É bom lembrar que, da última vez que a Câmara marcou um evento para segunda-feira pela manhã, apenas dois vereadores apareceram (aqui).

Comentar
Compartilhe
Pesquisa Ibope: Com reprovação de 64%, Dilma já encosta em Collor
01/04/2015 | 11h24

Pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira (1º) mostra que a administração da presidente Dilma Rousseff tem a aprovação de 12% dos entrevistados, no percentual que reúne os que avaliam o governo como “ótimo” ou “bom”. Em dezembro, no último levantamento do Ibope, 40% aprovavam a gestão da petista. Segundo a pesquisa, 24% dos entrevistados disseram ter confiança na presidente Dilma Rousseff; 74% afirmaram não confiar na petista; e 3% não souberam ou não opinaram.

A pesquisa, encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), foi realizada entre os dias 21 e 25 de março e ouviu 2.002 pessoas em 142 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Os que julgam o governo “ruim” ou “péssimo”, segundo o Ibope, são 64%. Para 23%, o governo é “regular”.

Pertinho de Collor - É a mais alta taxa de reprovação de um mandatário desde setembro de 1992, véspera do impeachment do então presidente Fernando Collor de Mello, que era de 68% (ruim e péssimo). Dilma tem 64%. Na pesquisa Datafolha divulgada no último dia 18, no blog "Opiniões", do jornalista Aluysio Abreu Barbosa, Dilma aparecia com 62% de reprovação.

O resultado da pesquisa de avaliação do governo Dilma foi o seguinte:

- Ótimo/bom: 12% - Regular: 23% - Ruim/péssimo: 64% - Não sabe/não respondeu: 1%

Na pesquisa de dezembro, 27% consideravam dos entrevistados avaliaram a administração Dilma "ruim" ou "péssima". Já 32% consideraram a gestão "regular". O nível de confiança da pesquisa é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%.

Maneira de governar - O percentual dos eleitores que aprovam a maneira de governar de Dilma também caiu no levantamento do Ibope: passou de 52% para 19%. Outros 78% dos entrevistados desaprovam a maneira de governar, e 4% não quiseram ou não souberam responder. Conforme a pesquisa, para 76% dos entrevistados, o segundo governo Dilma está sendo pior que o primeiro, enquanto para 18% está sendo igual. Outros 4% consideram a administração no segundo mandato melhor. O levantamento mostra ainda que 14% da população acredita que o restante do segundo governo será ótimo ou bom. Outros 55% consideram que será ruim ou péssimo, 25% acham que será regular e 5% não quiseram ou não souberam responder.

 Fonte: G1

Comentar
Compartilhe
Espaço Aberto: servidor cobra posição da Prefeitura sobre Vale Transporte
06/04/2015 | 03h16

"Prezado Bastos,

Peço que o seu Blog comente sobre a retirada do vale-transporte dos servidores de outros municípios. Estamos esquecidos e tendo que pagar (no caso dos diaristas) cerca de 500 reais por mês de transporte, dependendo da cidade, em certos casos até mais. Peço que enfatize que, no nosso caso, a Prefeitura “retirou” o vale-transporte integralmente. Não foi feito nenhum depósito, e mesmo se fosse feito, ficaria longe do valor necessário para arcar com as passagens.

É bom lembrar que quando fizemos o concurso, o vale-transporte era um direito previsto em edital, pelo fato do mesmo contemplar e destacar a antiga Lei (que abrangia Campos e municípios limítrofes), recentemente alterada, em mais uma manobra deste governo de retirar direitos dos servidores concursados.

Mantenho o meu anonimato por razões de perseguição junto a Prefeitura, mas as informações acima podem ser facilmente confirmadas.

Agradeço a atenção, o espaço e o apoio".

Comentar
Compartilhe
Em dia de operação do MPF, paciente desabafa: "me sinto um lixo"
20/04/2015 | 11h41
[caption id="attachment_32694" align="aligncenter" width="426"] Reprodução/Inter TV[/caption]   [caption id="attachment_32695" align="aligncenter" width="427"] Reprodução/Inter TV[/caption] [caption id="attachment_32696" align="aligncenter" width="390"] Foto: Danielle Macedo[/caption]

Enquanto os pacientes das propagandas falam em "Saúde nota 10" (aqui), os campistas que frequentam o mundo real têm opiniões bem diferentes. Nesta segunda-feira (20) o Ministério Público Federal (MPF) iniciou uma operação para averiguar possíveis irregularidades na Saúde pública, em Campos. O primeiro local escolhido pelo MPF foi o hospital São José, na Baixada Campista, que está em obras desde 2011. Por lá, a equipe do MPF viu de perto o drama dos pacientes. Entrevistada pela Inter TV, uma senhora desabafou: "Me sinto um lixo".

De acordo com matéria publicada pela Folha (aqui), quando a equipe do MPF chegou ao hospital São José a farmácia estava fechada, o administrador da unidade não foi encontrado, a escala dos plantonistas não estava disponível e o livro de pontos sem as obrigatórias assinaturas.

Nada mudou - Há exatamente um ano, em abril de 2014, o blog replicou matéria da Folha da Manhã sobre o drama vivido pelos pacientes no Hospital São José. Relembre: aqui 

No distrito de Travessão a cena encontrada foi ainda pior. Na unidade de Saúde o MPF constatou a falta de médicos, farmácia fechada e pacientes sem atendimento. Além disso, materiais vinham sendo esterilizados em um banheiro e todo o lixo hospitalar da unidade é depositado na calçada.

Indagada sobre as deficiências, a Prefeitura de Campos informou que vai averiguar os motivos das ausências dos médicos. Sobre os problemas estruturais, alegou que as unidades estão em obras.

O MPF prometeu entregar um relatório à Procuradoria Geral da República, que poderá propor uma ação contra a Prefeitura de Campos.

Para ver a matéria exibida no RJ Inter TV 2ª  Edição, clique aqui

Médicos solicitaram visita do Ministério Público -Em fevereiro deste ano o Sindicato dos Médicos publicou (aqui) nota e informou sobre: "falta de material de consumo bem como de instrumental adequado para o atendimento a pacientes em várias especialidades,  "instalações físicas inadequadas, mal conservadas, comprometendo o atendimento a população" e afirmaram ainda que "a regulação de internações nos hospitais credenciados da rede não dão conta da lotação e demanda causando pletora no pronto socorro". Na ocasião, os médicos solicitaram que o "Ministério Público através dos seus representantes agendasse visitas aos pronto socorros dos hospitais para verificação em loco da situação de funcionamento dos mesmos".

Comentar
Compartilhe
Pente fino
27/04/2015 | 01h26

Em tempos de crise, a ordem é passar um pente fino na Prefeitura de Campos para descobrir quem teve mais peso nas indicações para cargos de confiança e terceirizados. Em fevereiro, vazou uma lista (aqui) com com nomes e informações sobre os supervisores que atuam nos bairros de Campos. A primeira etapa do "pente fino" mostrou que muitas indicações eram de vereadores.

Porém, a nova fase do mapeamento apontou que uma turma da "ala jovem" tem muita força em várias partes do governo. Em abril do ano passado o blog chegou a publicar uma nota sobre o "rolo compressor" alternativo, comandado pelo então presidente do PR em Campos, Wladimir Garotinho (aqui).

Acompanhando tudo de perto, o líder do grupo já avisou que muita gente entrou sem ele tomar conhecimento.

"Agora é comigo" - Em outubro do ano passado, após ficar fora do segundo turno na disputa pelo governo do estado, o então deputado Anthony Garotinho realizou uma grande reunião em Campos e mandou um recado: "Quero avisar que agora politicamente é comigo. Não tem Wladimir, não tem Rosinha e não tem vereadores: é comigo”.

Comentar
Compartilhe
Rir pra não chorar
18/04/2015 | 03h17

Após publicar o novo organograma (aqui), o governo Rosinha deve demitir, nos próximos dias, cerca de 300 ocupantes de cargos comissionados. Com a “corda no pescoço”, muitos aliados fazem o possível para não entrar na fatídica lista.

Por conta do aniversário do líder, neste sábado (18), tem gente que começou a cantar parabéns desde a última quarta-feira. Foram muitos bolos, presentes, cartões e abraços. Além disso, quando estão próximos do patrão não poupam risadas e aplaudem até a "dança do passinho".

De acordo com um rosáceo, vale tudo. “Nessa hora a gente tem que rir pra não chorar”.

Conselho - Como já diz um político do grupo: "Podem me chamar de puxa-saco. Não ligo! É melhor puxar saco do que puxar carroça".

Comentar
Compartilhe
Crivella: a "noiva" mais cobiçada
02/04/2015 | 05h22

O ex-governador do Rio Anthony Garotinho (PR) aterrissou em Brasília, na semana passada, com a tarefa de convidar o senador Marcelo Crivella (PRB) a ingressar em seu partido. O PR tem mais tempo de TV que o PDT — a outra legenda que está de olho no senador, que virou a "noiva" mais cobiçada para a eleição de 2016. Crivella agradeceu, e ficou de estudar o convite. A ideia é ter o senador na disputa pela Prefeitura do Rio.

Aval - O PR concluiu que o capital político de Garotinho aliado a Crivella é muito maior do que o somatório dos dois, se concorrerem separadamente. “Por isso podemos tentar construir um projeto comum”, diz Clarissa Garotinho (PR).

A direção nacional do partido já deu o sinal verde, e receberá Crivella — claro, se ele quiser — de braços abertos.

Fonte: Extra, Extra/Berenice Seara

Campos - Em Campos, o PR também quer contar com o apoio do PRB em 2016. O governo só não sabe se o vereador Alexandre Tadeu, o Tô Contigo, estará neste "pacote". De olho na Prefeitura de Campos, Tô Contigo já vem sendo cobiçado por outros partidos.

Comentar
Compartilhe
Pezão e Garotinho voltam a se falar
10/04/2015 | 01h06
Comentar
Compartilhe