Wladimir com o apoio de Witzel para 2020?
14/12/2018 | 07h33
As relações entre o deputado federal eleito Wladimir Garotinho (PRP) e o futuro governador Wilson Witzel (PSC) estão bem estreitas. A proximidade política dos dois projeta para a eleição de 2020, quando Wladimir deverá receber o apoio de Witzel na disputa em Campos.
A versão sobre a preferência de Witzel pelo nome de Wladimir corre entre pessoas próximas à família Garotinho — hipótese que alijaria as pretensões do coronel bombeiro Paulo Rodrigues em disputar a Prefeitura com a sinalização do futuro governador.
O que se sabe, também, é que o PSC em Campos pode não mais continuar sob o comando de Genásio. É que na eleição para governador, o vereador, da base do prefeito Rafael Diniz na Câmara Municipal, teria abraçado a candidatura de Eduardo Paes.
Compartilhe
Vale como troféu
13/12/2018 | 10h20
Um amigo do blog ganhou, há muitos anos, de uma namorada, que não é a atual esposa, uma garrafa de um vinho, cujo preço (pelo valor alto) é até difícil avaliar na moeda atual. O vinho está no bar do seu apartamento. Vale como troféu. O amigo resiste em tomá-lo.
Aliás, seja pelo valor sentimental, ou mesmo pelo preço, há vinho que deveria ser degustado quem sabe de colherinha — um Romanée-Conti, por exemplo. Exageros à parte, viva o bom vinho.
A propósito, o político Paulo Maluf (um milionário) coleciona vinho. Mais da metade das safras da coleção tem 30 anos ou mais. O caçula deles é de 1995. Está cotado a US$ 21 mil. O mais antigo, de 1929, a US$ 26 mil.
Compartilhe
De que lado estarão os irmãos Garotinho na Câmara dos Deputados?
12/12/2018 | 07h00
Qual será a posição de Wladimir (PRP), eleito deputado federal, e Clarissa (PROS), reeleita, ambos com o sobrenome Garotinho, em relação ao governo Jair Bolsonaro (PSL)? A posição deles certamente estará em sintonia com a dos partidos pelos quais ganharam os seus mandatos.
A Folha de S.Paulo fez matéria citando que o centrão — agrupamento de siglas médias como PP, PR, PSD, PTB, entre outras, mais o MDB, DEM e o PSDB articulam a criação de um bloco que reuniria, formalmente, 314 deputados, cerca de 60% da Câmara.
Ocorre que o PRP e o PROS não estão relacionados na matéria, mesmo com a citação do PP, PR, PSD, MDB, DEM, PSB, PDT, PC do B, PSDB, Solidariedade, PPS, PV, PSC, PHS e PTB como os partidos que negociam a formação do blocão.
Daí que sem o conhecimento da posição do PROS e do PRP, em relação ao futuro governo, não dá para dizer se os irmãos Garotinho caminharão ou não no apoio a Jair Bolsonaro ou se ficarão na trincheira da oposição.
Por ora, até porque Clarissa e Wladimir também não se manifestaram publicamente, dá para arriscar, só no palpite, que os dois não ficarão contra o governo. É que há uma expectativa que o PRP e o PROS vão integrar o blocão.
Compartilhe
No trânsito de Campos motos causam um barulho infernal
10/12/2018 | 07h40
Quando se fala em mobilidade urbana, a circulação de motocicletas, sem que os seus condutores atendam regras mínimas de trânsito, figura na lista dos pontos negativos. É muita moto e muito motociclista (irresponsável) circulando pelas ruas de Campos.
 A poluição sonora causada pelas motos se arrasta com prejuízo para a população e sob a vista grossa da Guarda Civil Municipal. A corporação prestaria um grande serviço se fizesse a coibição da descarga aberta.
Infelizmente, não é o que acontece. Dia desses, em um sinal, ao lado de uma viatura da Guarda Civil, um motoqueiro ficou acelerando a sua moto, gerando muito barulho. Nada aconteceu e a figura foi em frente.
 
 
Compartilhe
Vai fechar as portas
08/12/2018 | 05h30
Duas filiais da Drogaria Isalvo Lima estão em contagem regressiva para encerrar as atividades: as que ficam na Pelinca e na Conselheiro Otaviano. Os endereços vão ser ocupados pelas Drogarias Tamoio, grupo que já possui três lojas em Campos.
A Isalvo Lima já fechou as lojas que ficavam na Rua Lacerda Sobrinho (antiga Sacramento) e no Turfe-Centro Shopping.
Compartilhe
Fátima Pacheco obtém vitória no TRE-RJ
06/12/2018 | 22h03
Por seis votos a um, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ) negou provimento ao recurso que pedia a cassação da prefeita de Quissamã, Fátima Pacheco, interposto pela coligação do candidato derrotado nas eleições de 2016, Armando Carneiro.
No recurso, Armando, que tem como advogado sua esposa, a vereadora Alexandra Carvalho Moreira, mais Jonas Lopes de Carvalho Neto, entre outros, alegava abuso do poder econômico por uso indevido de um veículo de comunicação.
Fátima Pacheco recebeu a notícia da vitória no TRE-RJ com muita tranquilidade: "Fizemos uma campanha limpa e com poucos recursos. O povo de Quissamã escolheu no voto a mudança. Não será no tapetão que a vontade do povo será desrespeitada"
Compartilhe
Polo gastronômico em Atafona
05/12/2018 | 07h41
A praia de Atafona poderá ganhar um polo gastronômico, ao lado do Balneário. A reivindicação foi encaminhada pelo presidente da Câmara de Vereadores, Aluizio Siqueira, à prefeita de São João da Barra, Carla Machado.
Compartilhe
Mais uma farmácia
03/12/2018 | 10h41
Sabe o prédio que sediou o tradicional Café e Restaurante Monte Líbano? O endereço, na área do Calçadão, está ganhando uma farmácia — mais uma no centro de Campos.
Compartilhe
Garotinho vai lançar livro sobre a gangue dos guardanapos
01/12/2018 | 19h41
O ex-governador Anthony Garotinho (PRP), que enviou ao Ministério Público Federal denúncias que ajudaram a embasar a prisão de Sérgio Cabral e de outros integrantes da administração estadual, pretende lançar o livro 'A gangue dos guardanapos e a vingança' em março do ano que vem.
Só que, para tentar tornar a publicação comercial, a editora responsável pediu ao político que reduza a quantidade de folhas, hoje distribuídas em mais de mil páginas. Com a prisão do governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (MDB), na Operação Boca de Lobo, Garotinho tem dito que pretende lançar um segundo volume.
Inicialmente, o livro seria lançado em dezembro deste ano, para tentar surfar na onda do Natal. Só que a editora e o próprio político avaliaram que o conteúdo não combina muito com o clima natalino.
Fonte: Extra
Compartilhe
Aliado de Witzel já de olho na Prefeitura de Campos
28/11/2018 | 21h13
A eleição de 2020 já movimenta os bastidores políticos em Campos. E o que se sabe é que o ex-comandante do 5º GBM (Grupamento de Bombeiro Militar), coronel Paulo Rodrigues, pode surgir na condição de candidato à sucessão do prefeito Rafael Diniz (PPS).
Paulo Rodrigues é um aliado de primeira hora do governador eleito. Os dois faziam campanha juntos, em janeiro, no Rio, quando Wilson Witzel, então com apenas 1% nas pesquisas, falou: “vou me eleger e vou elegê-lo prefeito de Campos”.
Hoje, Paulo Rodrigues participa da equipe de transição de Witzel. Ainda sem filiação partidária, deve ingressar no PRB, partido pelo qual disputaria a Prefeitura de Campos.
Além de comandar o 5º GBM, Paulo Rodrigues já esteve à frente da Coordenadoria Regional de Defesa Civil (Redec 5), que abrange as áreas do Norte e Noroeste Fluminense.
Compartilhe
Sobre o autor

Saulo Pessanha

[email protected]