Debate nacional acontece na FDC
Aldir Sales - Atualizado em 08/11/2017 09:41
Faculdade Direito de Campos
Faculdade Direito de Campos / Folha da Manhã
Com a aproximação da eleição presidencial em 2018 e a efervescência dos embates entre grupos políticos, a Faculdade de Direito de Campos (FDC) do Centro Universitário Fluminense (Uniflu) abre as portas nesta quarta-feira (8), a partir das 18h30, para o debate “Diálogos entre visões de esquerda e direita”. Mediado pelo jornalista e diretor de redação da Folha da Manhã, Aluysio Abreu Barbosa, o encontro terá a participação da cientista social Vanessa Henriques, do jornalista e servidor federal Ricardo André Vasconcelos, do bacharel em administração Igor Franco e do advogado e publicitário Gustavo Alejandro Oviedo. Para Aluysio, o evento “é um esforço coletivo para qualificar o debate com posições divergentes”.
— A discussão sobre o assunto ganhou força no blog, onde 11 colaboradores se revezam quinzenalmente para comentarem um assunto fixo escolhido coletivamente. E, há algumas semanas, o tema eleito foi “avanço da direita no Brasil”. A partir daí, o assunto cresceu e deu origem a uma série de reportagens aos domingos no jornal. O mérito todo pelo debate é do Igor, que sempre está engajado em discussões, em debates, e também do professor da FDC e advogado Rafael Crespo, que abraçou a ideia. Estarão presentes dois representantes das correntes de ideias de esquerda e outros dois da direita — disse Aluysio.
O evento será aberto ao público e Rafael Crespo ressaltou a importância do debate para a formação do senso crítico dos alunos de Direito. “As pessoas deixaram o debate e partiram para os ataques pessoais, principalmente nas redes sociais, o que não contribui para a formação da democracia. O objetivo principal é uma discussão equilibrada, de forma polida, para dar um exemplo aos alunos. Além da formação técnica da faculdade, é preciso buscar a formação do senso crítico deles e esse debate contribui para isso”, relatou o professor e advogado.
Para Igor, a expectativa pela iniciativa extremamente positiva. “Vivemos um momento de crise ética e moral com o exemplo bem próximo do Governo do Estado do Rio de Janeiro. Temos poucos debates com verdadeiramente com visões antagônicas. O que prevalece são os ‘comentaristas de televisão’, que pouco divergem e analisam superficialmente. Temos como objetivo elevar o nível do debate, levando novas visões de mundo”, declarou.
Oviedo, por sua vez, disse que espera que os espectadores se questionem. “Espero que o debate ajude as pessoas a se questionarem sobre as correntes políticas existentes, analisar o momento, o que funciona e o que não funciona, saber os prós e contras de cada lado. Por isso é importante o confronto de ideias”, argumentou.
Cientista social, Vanessa acredita que pontos em comum podem ser encontrados. “Vemos hoje alguns movimentos de ódio ganhando força. E o debate é importante para mostrarmos que, independente do direcionamento político, alguns temas em comum precisam ser defendidos, como direitos humanos e a democracia”, opinou.
Por fim, Ricardo André chamou a atenção para a importância do alto nível. “Pelo conhecido compromisso dos debatedores com a honestidade intelectual e espírito público, o encontro será uma oportunidade de aprendermos todos: nós debatedores, uns com os outros, e o público que vai participar. Maior que as diferenças é a certeza de estarmos nos esforçando para tentar construir um país melhor”, finalizou.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS