Parque da Restinga do Barreto festeja fundação
- Atualizado em 01/12/2017 18:41
Parque Municipal da Restinga do Barreto
Parque Municipal da Restinga do Barreto / Divulgação
O Parque Natural da Restinga do Barreto comemorou um ano de fundação. Para marcar a data, alunos-músicos das escolas municipais Generino Teotônio de Luna, com a banda marcial, e Olga Benário Prestes, cujo coral interpretou o hino de Macaé, encantaram o público. Estiveram presentes cerca de 200 pessoas, incluindo agentes da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) e representantes da Associação de Moradores do São José do Barreto.
O responsável pelo Parque do Barreto, o biólogo da Secretaria de Ambiente e Sustentabilidade, Henrique Abrahão Charles, ficou emocionado com o primeiro aniversário desse espaço. “Ter participado na organização de sua estrutura, criando brinquedos e atuando na sua ordenação e arranjo, de modo a ver sua transformação, me sensibiliza”, comenta.
Para a professora de ciências da escola Generino Teotônio de Luna, Rita Charles, o Parque do Barreto tem muita importância por produzir conhecimento. “Nossos alunos e alunas aprendem sobre o bioma de restinga, sua flora e fauna, a influência do mar, do solo arenoso e também usufruem de lazer”, aponta.
Já a também professora de ciências da escola Olga Benário Prestes, Patrícia Barbosa, disse que seus alunos têm testemunhado o crescimento do parque nesse um ano de existência. “Sua manutenção é necessária para toda a sociedade macaense e a união entre entretenimento e aprendizado valoriza essa área significativamente”, conta.
  • Parque Municipal da Restinga do Barreto

    Parque Municipal da Restinga do Barreto

  • Parque Municipal da Restinga do Barreto

    Parque Municipal da Restinga do Barreto

Segundo as alunas da escola Generino, Josilaine Crespo, de 12 anos, e Evelyn Nascimento, de 11 anos, no Parque do Barreto há a oportunidade de um maior contato com a natureza. Outro ponto destacado é a criatividade dos coordenadores que transformam pneus e madeiras em brinquedos para os visitantes. Lá, túneis, escorregas e mesas para piqueniques enriquecem o ambiente, tornando-o mais confortável para quem frequenta o parque.
Os adolescentes Matheus Souza, de 15 anos, e Wanderson Vinícius, da mesma idade, da escola Olga Benário, gostam das trilhas, das plantas e da paisagem do local, além do campo de futebol.
Restinga — Este ecossistema de restinga caracteriza-se por ser um terreno arenoso, criado pela sedimentação de rios e depósitos marítimos, ao longo de milhares de anos, com forte influência do vento, do sal, do sol e das mudanças das marés. A área possui vegetação típica, com plantas muito resistentes às variações de temperatura e aridez do solo - com cactos, bromélias e pitangueiras. Esta vegetação, capaz de preservar as dunas, é fundamental para conter o avanço do mar e preservar a exuberante fauna local.
Visitação de Escolas
Aberto à visitação de escolas municipais, o parque oferece visita guiada. O agendamento para passeio pode ser feito pelo e-mail [email protected] As visitas guiadas acontecem de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h. Centenas de alunos de instituições de ensino da rede pública de ensino têm curtido o parque, que conta com quase 32 hectares, sendo o segundo maior das Américas, em área exclusiva de restinga. Fica próximo ao Parque Nacional da Restinga de Jurubatiba e sua criação foi motivo de comemoração pela sua finalidade de preservação ambiental.
Fins recreativos
A Secretaria de Ambiente e Sustentabilidade é o órgão gestor responsável pela supervisão, tutela, administração, fiscalização e normatização do parque. Sua meta é preservar a fauna e possibilitar recreação e até empreendimentos voltados para o seu uso adequado. Um parque ecológico permite que as pessoas utilizem a área para fins recreativos, tanto para a contemplação da beleza cênica da natureza, quanto para a educação ambiental. Com proteção da rica fauna local e da flora onde há plantas peculiares, o parque está no percurso de aves migratórias provenientes das regiões Norte e Sul.
Viveiro para reabilitação de animais silvestres
O Parque do Barreto também possui um viveiro para reabilitação de animais silvestres e uma estufa com diversas plantas. A área preserva o ecossistema natural remanescente da restinga da praia e recupera a cobertura vegetal nativa, restaurando a diversidade natural e garantindo a perpetuação de espécies endêmicas, raras ou ameaçadas de extinção. (A.N.)

ÚLTIMAS NOTÍCIAS