Probióticos e Seu Fígado
19/05/2019 | 08h28
entergermina
O uso regular de probióticos tem sido alardeado em todo o mundo científico, já há algumas décadas. Pesquisadores japoneses e chineses são particularmente dedicados a essa seara.
Um grupo de pesquisa chinês publicou no fim do ano passado, um estudo onde demonstra que o consumo de probióticos melhora vários marcadores de esteatose hepática.
Os probióticos são microorganismos benéficos, que se ingeridos regularmente alteram a composição da nossa microbiota intestinal (antiga flora bacteriana intestinal) para melhor. 
Os impactos na saúde humana são vários e vão desde redução no risco de câncer de intestino, redução do mau colesterol (LDL), melhora na função imunológica, dentre outros.
A esteatose hepática é um quadro onde o fígado fica infiltrado com gordura. Há vários artigos correlacionando a esteatose hepática com outras doenças hepáticas como a cirrose. 
Muitos fatores podem levar à esteatose...consumo de álcool, obesidade, consumo de carboidratos simples e/ou processados (doces) em excesso, fatores genéticos, dietas radicais, etc.
Segundo Won-Gyeong e sua equipe o consumo de probióticos diariamente (como suplementação) é capaz de reduzir marcadores de inflamação hepática, bem como a infiltração gordurosa no fígado. 
Os resultados se devem provavelmente ao retorno de uma função intestinal saudável, com a presença de bactérias benéficas em alta proporção em todo o intestino grosso.
A relação não surpreende quem é da área...pois cada vez mais descobre-se relação entre nossos intestinos e nossa imunidade, nosso sistema nervoso, principalmente memória, comportamento e humor...
Como curiosidade, a cultura popular conhece bem a relação entre um intestino muito lento e o mau humor. E não é mito. Estudos descrevem essa correlação.
No entanto, contrariando os saberes populares, o termo enfezado não vem de fezes, mas do latim "infensare": ficar raivoso com, ser hostil com. 
Compartilhe
Mate x Chá Verde
12/05/2019 | 07h11
taek
Um artigo científico publicado no Nutrition Journal este mês, comparou os efeitos do consumo de chá mate e chá verde na saúde humana. 
 142 pessoas de ambos os sexos foram divididas em três grupos: o grupo 1 ingeriu chá mate, o grupo 2 ingeriu chá verde e o grupo 3 consumiu chá de maçã. 
Todos beberam 1 litro ao dia dos referidos chás por 8 semanas.
Após esse período avaliou-se parâmetros de metabolismo, de ação antioxidante (pela enzima PON-1) e controle de apetite (produção de leptina), além do Índice de Massa corporal (IMC).
Os resultados surpreenderam os pesquisadores:
_O consumo de chá mate aumentou a enzima que combate radicais livres (PON-1) e o bom colesterol (HDL), além de aumento na produção de leptina (hormônio que reduz o apetite). Também houve redução no IMC dos participantes;
_O uso de chá verde reduziu a enzima que combate radicais livres (PON-1), não alterou os níveis de HDL ou Leptina nem o IMC.
_O chá de maçã foi usado como controle e não afetou, como esperado, nenhum dos parâmetros analisados.
Resumindo:
segundo o estudo o chá mate tem bem mais efeitos positivos sobre o metabolismo e saciedade do que o tão festejado chá verde.
Um estudo anterior comparando o chá de hibisco com chá mate também foi favorável à erva mate (Ilex paraguariensis), seja quente ou gelado, com ou sem limão. 
E obviamente devemos evitar os industrializados...
Compartilhe
Catchup Saudável!
05/05/2019 | 08h43
proteste
Não que um catchup caseiro*, sem conservantes não seja saudável, mas alunos da Universidade Federal do Ceará melhoraram ainda mais o produto:
No lugar dos tomates, acerola! Isso mesmo. Abóbora e beterraba são outros ingredientes utilizados por pesquisadores de engenharia de alimentos da UFC na elaboração do "Natchup".
O nome de batismo desse catchup rico em vitamina C dentre outros antioxidantes sugere um catchup natural.
As vantagens seriam que a acerola não requer praticamente defensivos agrícolas e o uso de beterraba e abóbora confere cor e textura ao produto sem adição alguma de conservantes, corantes ou espessantes artificiais. 
*Receita de catchup caseiro (com tomates mesmo):
1 lata de extrato ou massa de tomate
1/2 lata de vinagre (utilize a lata de extrato ou massa de tomate como medida)
2 tomates sem sementes
1 colher (sopa) de açúcar (pode ser substituída por adoçante em pó, fica Diet).
1 colher (chá) de sal
1/2 colher (chá) de molho de pimenta
noz-moscada a gosto
Difícil é o preparo...
bata tudo em liquidificador e guarde em um pote bem fechado no refrigerador. Deve ser consumido em uma semana, uma vez que não há o uso de conservantes artificiais.
 
 
Compartilhe
Congele o Atum
27/04/2019 | 06h43
Segundo pesquisas da Secretaria de Abastecimento de São Paulo, deve-se congelar o atum antes de consumi-lo cru. 
A Biomédica Eliana Pinheiro, pesquisadora de sanidade de pescados, afirma que mais de 10% das amostras de atum vendidos em São Paulo estavam contaminadas por Campylobacter jejuni
Essa enterobactéria pode causar quadros de gastroenterites, que podem ser graves em idosos, crianças e pessoas com alguma condição debilitante. 
Indivíduos que consumam o pescado cozido, grelhado ou frito não precisam se preocupar, uma vez que a bactéria é susceptível ao calor. 
Mas aqueles que o consomem cru, devem congelar, degelar e só e então fazer o consumo. O C. Jejuni é sensível ao frio e o processo de congelamento evita a sua proliferação no pescado.
Dicas na compra:
_os olhos do atum fresco ocupam todo o espaço da órbita e com a perda da sanidade, os olhos tendem a "afundar e encolher" deixando espaços na órbita ocular.
_Os atuns são peixes de muito pouca escama, que são pequenas e se concentram na cabeça do peixe. Se estiverem soltando com facilidade, não compre.
_A coloração das brânquias deve oscilar entre rosa e vermelho e a carne deve ser firme ao toque.
Além desses cuidados deve-se evitar ofertar alimentos de origem animal in natura crus a crianças menores de 6 anos, sob o risco de toxinfecções alimentares graves.
E outra questão...já vi em supermercados da região "atuns" em gôndolas, que na verdade eram parentes como bonito-do-atlântico, albacora ou bonito-serra...peixes com valor comercial e paladar bem inferiores, mas aparência similar.
O atum mais valorizado para consumo é o azul, que custa fortunas seguido pelo yellowfin:
googlesearch
 
 
 
Compartilhe
Ovos e Diabetes
16/04/2019 | 07h35
olhardireto
Pesquisadores da Universidade da Colúmbia Britânica publicaram um artigo este mês, onde sugerem alterações na dieta de diabéticos e candidatos à essa desordem metabólica.
Segundo o estudo o café da manhã ideal para muitos indivíduos, com torradas, frutas e cereais pode ser uma péssima escolha para diabéticos. 
A questão é que esses alimentos fornecem uma taxa razoavelmente elevada de carboidratos. Pessoas com diabetes tipo II, podem ser prejudicadas por esse consumo regular.
O estudo indica que abrir o dia com uma alimentação com bem poucos carboidratos seria o ideal nesses casos. 
O uso de ovos, leites, iogurtes (sem açúcar) e queijos pareceu ser o mais adequado no desjejum de diabéticos tipo II.
100% dos indivíduos acompanhados pelo estudo mostrou importante melhora nas taxas de glicose sanguínea durante o dia, utilizando maior teor de gorduras e proteínas com redução de carboidratos.
O estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition defende, que a redução de carboidratos no café da manhã a menos de 10% do total de nutrientes é mais importante que reduzir moderadamente carboidratos durante todo o dia.
_na minha época o foco maior era no jantar...
Compartilhe
Tomate e Câncer de Próstata
05/04/2019 | 14h53
googlesearch
Vários artigos tem sido publicados sobre a relação inversa entre o consumo regular de tomate e o desenvolvimento de câncer de próstata.
Os últimos dados sugerem fortemente, que comer um tomate e meio por dia, reduz em até 30% o risco de surgimento dessa temível patologia.
Os primeiros estudos consideraram dados epidemiológicos:
"os países onde há menor incidência de câncer de próstata são os que mais valorizam o tomate na alimentação diária" afirmam pesquisadores do INCA. 
Grécia e Turquia lideram as estatísticas positivas. E o consumo médio de tomates fica em torno de 3 tomates por dia/habitante do sexo masculino.
No Brasil a estimativa é de um tomate a cada 3 dias...mas convenhamos os preços recentes do fruto não ajudam...
O licopeno é o provável fator protetor presente nos tomates, bem como em outros frutos vermelhos e roxos. No entanto pesquisas indicam que o licopeno do tomate apresenta absorção mais eficaz. 
Principalmente o licopeno presente em molhos, pois o aquecimento moderado parece melhorar a disponibilidade do licopeno. 
E não trata-se apenas de câncer de próstata; mamas e ovários também estariam beneficiados.  
Uma dica: faça molho de tomates caseiro!
Basta refogar 2 dentes de alho amassados, duas cebolas médias picadas em 3 colheres de sopa de azeite extravirgem (não deixe fazer fumaça), uma colher de chá rasa de sal marinho, duas folhas de manjericão.
Acrescente 1 kg de tomates maduros picados sem sementes e meio copo de água (100 ml). Após 15 minutos em fogo brando está pronto.  
Pode-se usar uma colher de chá rasa de açúcar mascavo para reduzir a acidez. 
Os molhos industrializados também apresentam o licopeno, mas no extrato de tomates encontra-se as maiores concentrações: 18 mg de licopeno em 3 colheres de sopa rasas.
Agora vamos torcer para o preço cair...7,00 reais o quilo é complicado...
Compartilhe
Falecimento de Rafael Henzel
27/03/2019 | 08h23
areavip
Já fiz uma postagem sobre o tema, mas diante do falecimento de Rafael Henzel, voltamos ao assunto...
Para quem desconhece, Rafael Henzel é o repórter que sobreviveu ao acidente trágico com o time da Chapecoense...
O mesmo disputava uma partida de futebol com amigos no dia de ontem e foi acometido por um infarto agudo do miocárdio. Apesar dos excelentes hospitais na maior parte do sul do Brasil, veio a óbito.
O que gostaria de salientar é que isso ocorre com maior frequência que imaginamos.
O preparo cardiovascular para se praticar uma atividade física um pouco mais intensa, depende de tempo e dedicação. Os chamados atletas de fim de semana são particularmente sensíveis à esforços, muitas vezes incompatíveis com a sua condição física.
Principalmente por tratar-se de modalidades que geram engajamento...quem não se empolga em uma "pelada" com os amigos? Ou uma remada mais longa rio acima com os parceiros?
Pois é...em muitos casos as condições que levariam ao infarto, ou outra desordem vascular grave se consolidaram durante anos ou mesmo décadas....o estopim pode muito bem ser o esforço desmedido, em um organismo despreparado...
Procure um bom Professor de Educação Física! E respeite seus limites.
Compartilhe
Salmão de Cativeiro X Salmão Selvagem
23/03/2019 | 06h48
googlesearch
Um tema polêmico, que surge com frequência entre pessoas buscando alimentação saudável é a questão do salmão de cativeiro x salmão selvagem.
Cerca de 80 % do salmão consumido no Brasil é de criação em fazendas marinhas ou cativeiro como queiram. A imensa maioria no Chile de onde importamos 80 toneladas/ano.
Os salmões de origem selvagem são naturais do litoral do Pacífico e Atlântico Norte, comumente nascem em rios e migram aos oceanos. Retornam aos rios para reprodução.
A alimentação selvagem baseia-se em krill e camarões maiores, mas também consome pequenos peixes. A sua carne é riquíssima em ômega-3 e apresenta coloração intensa e marcante.
O salmão criado sob confinamento apresenta teores menores de ômega-3, pois a sua dieta baseia-se em ração e, sim recebem antibióticos misturados à ração para controle de infecções parasitárias.
No entanto segundo Dr. José Eurico Possebon Cyrino, especialista do setor de piscicultura da Escola Superior de Agricultura da USP, não há motivos para alarde.
Segundo o pesquisador as mudanças envolvem a composição nutricional apenas. De forma que o salmão capturado na costa do Canadá apresenta composição distinta do capturado na Europa...
_em peixes a máxima “você é o que come” é extremamente verdadeira.
De acordo com pesquisadores da EMBRAPA a ração utilizada é de ótima qualidade, produzida a partir de peixes desidratados e não traz absolutamente nenhum risco à saúde humana ou dos peixes.
São utilizados corantes para acentuar a tonalidade da carne sim.
Mas segundo Dr Vitti Moro (Supervisor da área de Pesca e Aquicultura da Embrapa em Palmas, TO), são produzidos a partir de leveduras naturalmente e pertencem à família dos carotenoides (pré-vitamina A, como na cenoura) e não fazem nenhum mal à saúde.
Enfim, gostaria de colocar que se a criação de salmões em cativeiro (salmonicultura) não fosse desenvolvida no mundo todo, as reservas naturais desse pescado estariam certamente sob ameaça de extinção. 
Infelizmente vivemos em uma época, em que polemizar traz muito mais "audiência", que simplificar e esclarecer. 
Sigo sugerindo maior consumo de sardinhas...até pelo custo...ômega-3 em doses altas e ainda proliferam natural e abundantemente nos oceanos.
Compartilhe
Abuso de Suplementos II
20/03/2019 | 07h51
Overweight man eating plate full of pills
Overweight man eating plate full of pills
Segundo o FDA (Food and Drug Administration) órgão americano que exerce o papel da nossa ANVISA, o consumo de suplementos nutricionais cresceu mais de 130% na última década nos EUA. 
O fato não é exclusivo dos Estados Unidos, uma vez que vários outros países apresentaram dados semelhantes, como Inglaterra, França e Espanha. 
No Brasil o aumento no uso de suplementos cresceu vertiginosos 225% segundo fabricantes e a própria ANVISA. 
O engajamento em atividades físicas é o lado positivo desses dados. Mais pessoas buscam qualidade de vida e saúde. Dessa forma mais atletas amadores e profissionais tem surgido a cada dia no Brasil.
Mas seria necessário consumir tantos produtos suplementares?
Na minha humilde opinião não (escorado no ombro de gigantes como Drauzio Varella, Conselho Federal de Nutrição e da Sociedade Internacional de Endocrinologia, por exemplo).
Há sim suplementos muito interessantes na promoção da saúde em geral, não só de atletas, mas crianças e idosos. Um exemplo é a proteína do soro do leite (whey protein).
Inicialmente condenada, hoje recomenda-se o uso para reduzir a perda de massa muscular em idosos e melhorar o perfil nutricional de enfermos. 
A nossa crítica aqui é a utilização de muitos, mas muitos suplementos por pessoas saudáveis e com alimentação abundante.
Comum atendermos pacientes que utilizam mais de 8 suplementos diferentes...whey protein, creatina, BCAA, Leucina, cafeína, taurina, diuréticos, etc...
Como seria de se esperar, há casos desastrosos devido a esses abusos e, nas emergências hospitalares tem se tornado cada vez mais comum, pessoas que deveriam ser saudáveis, precisarem de diálise devido a estresse renal...
Ou alterações de pressão arterial pelo uso de "termogênicos" com doses cavalares de estimulantes...
Recebi várias mensagens digamos "contrariadas" por assim dizer. Muita gente leiga, que lê meia página de sites duvidosos e tece verdadeiros compêndios sobre suplementação...
A Nutrição humana e animal é uma ciência e dessa forma deve ser pautada em artigos científicos de fato, com metodologia e rigor científico... 
 
Compartilhe
Alho e Cebola Contra Câncer de Cólon
10/03/2019 | 06h54
stockphotos
Um artigo publicado por pesquisadores chineses este mês, defende firmemente que o consumo de alho e cebola reduz em muito a incidência e progressão de câncer colorretal.
_833 pacientes com esse tipo de câncer foram comparados a 833 indivíduos sem a doença. Vários parâmetros foram analisados, incluindo perfil dietético. 
A conclusão foi que um dos principais fatores envolvidos na progressão menos agressiva da doença no grupo de pacientes foi o consumo regular de cebola e alho. 
Os indivíduos sem a patologia, que consumiam maiores quantidades desses vegetais, exibiram uma mucosa intestinal mais saudável e com função mais dinâmica. 
Vários dados sugerem que a cebola e alho melhoram o perfil da microbiota intestinal (antiga flora intestinal) e reduzem em muito o padrão inflamatório no intestino. Diretamente associado a risco aumentado de diverticulites e câncer colorretal.
_O consumo desses alimentos crus é mais indicado, no entanto o uso após refogar mantem muitas das suas propriedades prebióticas. 
A inulina é provavelmente a substância responsável pela ação positiva na nossa microbiota intestinal.
Outra informação relevante: a carga calórica desses alimentos é muito reduzida, de forma que induzem saciedade sem somar muitas calorias às refeições.
Compartilhe
Sobre o autor

Leonardo Gama

[email protected]