Hepatite Tóxica com Chá Verde
11/11/2018 | 09h57
O BBC News trouxe em outubro deste ano, uma reportagem estarrecedora: o relato de um caso de hepatite tóxica pelo uso de chá verde em cápsulas!
Jim McCants era um homem de meia idade saudável e, para auxiliar na redução de peso corporal, passou a fazer o uso regular de chá verde em cápsulas.
Após alguns meses de uso contínuo do suplemento fitoterápico, Jim se viu chocado com o comentário de sua esposa:
_Jim, seus olhos estão amarelos!
Na investigação do quadro, os médicos do Hospital Geral de Dallas, Texas, descartaram o álcool, uma vez que Jim o consumia muito moderadamente. Os medicamentos também foram descartados.
Quando questionado sobre suplementos sem receita, chegou-se à conclusão que o chá verde em cápsulas era o mais provável causador do quadro.
Após vários exames, veio a notícia: "_Jim você necessita de um transplante de fígado com urgência."
Para a boa sorte de Jim McCants logo surgiu um doador e o texano de 52 anos, vive bem com a sua família atualmente.
Segundo o professor Herbert Bonkovsky, diretor de Hepatologia da Escola de Medicina da Universidade Wake Forest, na Carolina do Norte, que acompanha lesões relacionadas a suplementos de chá verde há quase 20 anos, os prováveis causadores das lesões seriam as epigalo-catequinas-6-galato (EGCG). 
Essas substâncias são da classe das catequinas. Substâncias com potencial antioxidante e, que deveriam promover benefícios à saúde. 
No entanto, o uso exagerado de suplementos fitoterápicos em extratos concentrados, pode promover uma ingestão absurda desses compostos, dentre vários outros presentes no chá verde. 
Outro grande problema é o seu uso em jejum. Onde a taxa de absorção de substâncias com efeito farmacológico aumenta muito.
Segundo estudos recentes da Autoridade Europeia de Segurança Alimentar (EFSA, na sigla em inglês), as catequinas encontradas em bebidas a base de chá verde são "geralmente seguras"contudo, a ingestão de concentrados com doses acima de 800 mg torna-se arriscada. 
Claro que há fatores genéticos e ambientais que alteram a tolerância de cada um a qualquer substância, mas fica o alerta.
Principalmente para aqueles que acreditam que "se é natural, não faz mal."
Compartilhe
Azeite ou Enganação?
30/10/2018 | 09h08
thinkstcokphotos
Como já abordamos aqui, azeites são óleos resultantes de processos mecânicos, como a prensagem a quente ou frio, do fruto da oliveira, também conhecido como azeitona.
O processo a quente, fornece um óleo de qualidade, mas que sob efeito do calor perde parte de suas propriedades benéficas, principalmente as chamadas insaturações, que aumentam o chamado 'Bom colesterol'; HDL.
Já os azeites extravirgens são obtidos a frio, mantendo suas qualidades, bem como baixo índice de acidez (até 0,8%). São necessárias cerca de 2000 azeitonas para se produzir 250 ml de azeite extravirgem. Enquanto o rendimento do processo a quente é bem maior, o que explica seu preço mais baixo.
Pois bem, você preocupado com saúde de sua família, entra em um supermercado e procura um produto de maior qualidade e, convicto que comprou o melhor vai preparar suas refeições de consciência tranquila...
Infelizmente não é bem assim...
O PROTESTE divulgou uma pesquisa onde reprova sete marcas de azeites comercializados no Brasil. O teste analisou 60 marcas de azeite e sete foram sumariamente reprovadas:
Barcelona, Porto Valência, Casalberto, Olivenza, Faisão Real, Do Chefe e Borgel. 
As marcas acima apresentaram composição diferente da permitida pela ANVISA, que determina a presença apenas de óleo de oliva, mas o que observou-se foi uma mistura de óleos vegetais, como soja, girassol, entre outros. 
A marca Borgel é reincidente e quem adquiriu essa marca de 'azeite' pode requerer a devolução do valor pago.
_Uma dica, sabe aquele 'ardência'que alguns azeites produzem na garganta? Não é sinal de degradação! Pelo contrário! A chamada picância é resultado de polifenóis presentes no azeite e é indicativo de um azeite de qualidade superior.
Os lotes analisados estão disponíveis abaixo: 
Barcelona (lote 2275/18),
Porto Valência (lote ZP32V18),
Casalberto (lote ZI09E01),
Olivenza (lote 09973),
Faisão Real (lote 001),
Do Chefe (lote 0001)
Borgel (lote 006).
Compartilhe
Aroma de Lavanda contra Ansiedade
25/10/2018 | 06h38
wikifarmer
Pesquisadores da Universidade de Kogoshima, Japão, publicaram um artigo científico onde demonstram, que o aroma de lavanda reduz a ansiedade em camundongos.
Há muito que se considera o aroma de certas plantas relaxante. Na cultura de vários países, o uso de óleos essenciais para produzir relaxamento e bem estar é extremamente difundido.
Segundo a pesquisa, os animais que foram expostos a vapores de lavanda, mostraram até 60% menos de sinais de ansiedade e nervosismo. 
O provável responsável pelo efeito citado é o linalol. A Substância química que gera o odor adocicado característico da lavanda. 
O uso de extrato de lavanda pode vir a ser muito útil em pacientes estressados e relutantes em receber medicações. Principalmente em crianças que necessitem de medicações injetáveis. 
Em termos neurológicos, sabe-se que o olfato é um dos sentidos com maior ligação com a nossa base de memória afetiva e, a área do cérebro responsável pelo processamento de emoções (Sistema Límbico) é ativada de forma marcante com odores tanto agradáveis, quanto desagradáveis.
_nesses tempos de embates políticos acirrados, pode ser interessante usar incensos de lavanda nas sessões eleitorais... 
Compartilhe
Sorvete e Quimioterapia
18/10/2018 | 07h53
googlesearch
Pesquisadoras da Universidade Federal de Santa Catarina desenvolveram um sorvete para auxiliar no tratamento quimioterápico de tumores.
Os efeitos colaterais do tratamento de tumores incluem náuseas, vômitos, aftas, etc e, após uma ampla pesquisa bibliográfica, chegou-se à conclusão que um alimento gelado seria o mais adequado: substâncias gélidas aceleram o esvaziamento gástrico e inibem náuseas.
A partir desses dados uma empresa de Florianópolis passou a produzir sorvetes especiais, com maior teor de proteínas, menos açúcares e mais fibras. 
A aceitação dos pacientes foi excelente e a melhora no desconforto digestório foi evidente. O público infantil, em particular aplaudiu a alternativa alimentar nessa situação tão difícil como um tratamento contra o câncer.
 
Compartilhe
Ômega-3 pode trazer risco Cardíaco!
14/10/2018 | 07h56
abril.com.br
Os ácidos graxos insaturados são uma grande família de moléculas gordurosas (lipídeos), que apresentam propriedades protetoras em termos de saúde vascular em geral. Dentre esses lipídios, o ômega-3, representado na verdade por dois compostos, o DHA e o EPA, é o principal responsável pela boa reputação dessa gorduras.
Diante da notoriedade científica desses nutrientes, o consumo de gorduras boas tem sido estimulado há mais de 30 anos pela comunidade médica em geral. Contudo, como o consumo de alimentos fontes desses lipídios nem sempre é frequente ou viável, o uso de suplementos de ômega-3 apresentou um aumento estrondoso de vendas em todo o mundo, da década de 90 pra cá.
Mas qual seria o real papel desses lipídios? Os dados disponíveis indicam, que apresentam função anti- inflamatória, principalmente ao direcionar a produção de HDL (chamado de bom colesterol) ao invés de LDL (mau-colesterol). 
Tudo muito bem....só que não.
_Infelizmente um artigo publicado na NUTRITION este ano, identificou muitos suplementos de ômega-3 contendo aldeídos. Estes são resultado da oxidação dos ômega-3 nos suplementos, que pode ocorrer pela ação do calor, luz solar, etc. 
O problema é que os aldeídos são substâncias relacionadas ao surgimento de tumores, estresse hepático, além de serem indutores de inflamação...ou seja, aumentam o risco cardiovascular!
Sinuca de bico, como diriam alguns.
A nossa sugestão é que ao buscar um suplemento de ômega-3 escolha-se seguindo algumas dicas simples:
1) Busque produtos com data de produção o mais recente possível, a chance de oxidação aumenta com o prazo;
2) Opte sempre por produtos em embalagens escuras, elas impedem a entrada de luz  e radiação solar;
3) As cápsulas de ômega-3 devem estar soltas. A adesão das mesmas indica presença de umidade (basta agitar levemente);
4) Não fique carregando seu frasco de suplementos com você! A agitação e exposição a variações de temperatura é um fator de oxidação;
5) Procure suplementos com ômega-3 isolado. Há dados sobre Ômega-6 e 9 como não sendo tão benéficos como se pensava...
Enfim, sugiro o consumo de fontes naturais desses lipídios, como peixes de águas geladas...nada como sardinhas frescas para fornecer um ótimo aporte dessas gorduras do bem. Mas mesmo as enlatadas são boa fonte, desde que não estejam amassadas, muito menos enferrujadas. 
Compartilhe
Selênio e Saúde!
08/10/2018 | 07h28
abril.com
O selênio é um não-metal que age como micronutriente essencial aos seres vivos. Pode ser encontrado em pães, carnes, pescados e ovos.
Mas a castanha-do-Pará é considerada a principal fonte desse oligoelemento, apresentando concentrações até 100 vezes maior que as outras fontes citadas. 
No organismo dos mamíferos, o selênio age como antioxidante, inibindo a atividade dos famosos radicais livres. Sempre envolvidos em processos de doenças e envelhecimento. 
A sua carência é muito rara e envolve distúrbios na função da tireóide e redução na capacidade de resposta imunológica. Em casos graves pode levar a esterilidade, principalmente feminina. 
Um adulto deve ingerir cerca de 70 microgramas/dia, quantidade obtida facilmente em um ovo médio.
Mais preocupante que a sua carência, que como colocamos é rara, é o excesso de selênio na alimentação e suplementação. Mais que 400 microgramas já podem ocasionar efeitos tóxicos.  Os sinais e sintomas de excesso de selênio (selenose) incluem artrites, fadiga, halitose, irritabilidade, disfunções renais, desconforto muscular e pele amarelada. 
Apenas uma xícara de castanha-do Pará atinge 600 microgramas de selênio...caso um indivíduo ingira grande quantidade de carnes, ovos, seja fã de castanha-do Pará e ainda use um polivitamínico (a grande maioria contem selênio em sua fórmula), certamente estará ingerindo uma concentração tóxica.
Ás vezes aquele cansaço e mau-humor cotidianos podem ter origem no excesso e não na falta de certos nutrientes...
Compartilhe
Água é o Remédio
02/10/2018 | 07h43
googlesearch
Acredito que não haja uma pessoa sequer, que não saiba que é importante beber água. Pois bem, reforçando aqui as funções desse líquido essencial à vida, espero que após ler esta postagem, as pessoas se conscientizem de fato da importância de uma boa hidratação.
1) A grande maior parte do sangue circulante é composta por água, que age como solvente, mantendo a fluidez do sangue. Uma pessoa desidratada tem 5 vezes mais chance de sofrer uma desordem obstrutiva vascular (Desde varizes a Infarto), que uma bem hidratada.
2) Como solvente universal, a água dissolve toxinas no organismo, tornando a sua excreção mais fácil e reduzindo a sua toxicidade nos tecidos.
3) A excreção urinária depende antes de mais nada de água para carrear as toxinas para fora do organismo. E de longe a maior dica para prevenção de cálculos renais, é uma boa hidratação.
4) O muco da árvore respiratória, em uma pessoa desidratada é de excreção difícil, aumentando em muito o risco de doenças respiratórias (o melhor expectorante é a água). Não adianta se entupir de xaropes, sem boa hidratação. 
5) O principal mecanismo para evitar subida da temperatura corporal é a sudorese. O suor umidifica a pele, que troca de temperatura cerca de 6 vezes mais rápido, que a pele seca.
6) A remoção de partículas da córnea durante a lacrimação e ato de piscar os olhos se torna 10 vezes mais eficaz em um quadro de hidratação adequada. 
7) Um copo de 300 ml de água 10 minutos antes de grandes refeições, reduz o apetite e sugere saciedade ao estômago, sendo um bom auxílio nas dietas de perda de gordura corporal.
Eu poderia permanecer aqui escrevendo por muito mais tempo...
Gostaria de lembrar, que o mecanismo da sede só é ativado quando já estamos com cerca de 15 % a menos de água nos sistemas orgânicos, ou seja, se você bebe um copo de água e ele lhe é agradável, você estava precisando muito mais do que pensava:
_antes de atividades físicas, faça hidratação prévia. Antes de consumir álcool (diurético), beba água (após também).
_Ao acordar beba um copo de água. O trato digestório também precisa ser despertado.    
Quanto de água você precisa no mínimo por dia? A conta é simples: 35 x peso corporal em Kg.
Um indivíduo de 100 kg deve beber no mínimo 3,5 litros de água por dia...sete garrafinhas de água mineral...ou seja, dificilmente atingimos nossa cota diária.
Compartilhe
Manteiga Ghee
27/09/2018 | 07h36
vidaverde
O termo Ayurveda se refere a conhecimentos em áreas médicas estabelecidos há mais de 7000 anos na Índia. E, de acordo com essas práticas, que vão desde massagens a protocolos dietéticos, o organismo pode ser reequilibrado de forma simples, com mudanças cotidianas.
Uma das sugestões desse ramo científico tradicional é o estímulo ao uso de manteiga ghee. Este subproduto do leite é uma manteiga sem sal, clarificada obtida pelo aquecimento da manteiga comum. Muito aplicada há milhares de anos na culinária indiana. Entretanto, se analisarmos em termos químicos, trata-se de gordura saturada,como as manteigas tradicionais. 
Os entusiastas dessa manteiga sugerem, que o processo de clarificação removeria os componentes de risco da ghee, mas isso não possui base científica. Tanto que a população indiana apresenta altos índices de aterosclerose, dentre outras doenças coronarianas.
A manteiga ghee apresenta sim a comodidade de permanecer fora de geladeira, mas há estudos em toda a Ásia, que correlacionam o seu consumo regular ao risco aumentado de Infarto Agudo do Miocárdio. 
Se você gosta muito do paladar da ghee, a nossa sugestão é que use um óleo vegetal de qualidade no preparo dos alimentos e acrescente uma pequena proporção dessa manteiga, ao invés de usá-la em maiores quantidades diariamente. 
Compartilhe
Manteiga e Pressão Arterial
21/09/2018 | 05h40
cpt.com
Todos sabem que a manteiga, tão apreciada por muitos, é uma rica fonte de gorduras (cerca de 83%), sendo a maior parte gorduras saturadas. 
Que o seu consumo deve ser moderado, pois sua carga calórica é alta também é notório. 
Contudo um artigo publicado na NUTRITION realizado com 34 homens durante 4 semanas, sugere que o consumo moderado de manteiga (45 g por dia) é capaz de reduzir a pressão arterial. 
Esse efeito surpreendente é atribuído a substâncias presentes na gordura da manteiga durante seu preparo (nata batida). Essas pequenas proteínas (peptídeos) que se formam teriam vários efeitos positivos sobre a saúde, como ação antiviral e antibacteriana, mas só demonstrados em modelos animais. 
Apesar de animador, o estudo não abona o consumo desenfreado de manteiga, que apresenta cerca de 50% de gorduras saturadas (que elevam o mau colesterol, LDL). Mas se pensarmos bem... o óleo de côco apresenta mais de 80% dessas gorduras e, comparativamente, a manteiga ainda seria menos problemática.
_lembrando que as gorduras apresentam 9 Calorias por grama e sobem bastante a carga calórica de qualquer refeição, mesmo sendo azeite, óleo de côco, manteiga, óleo de girassol... 
Mas venhamos e convenhamos, quem não gosta de um pão francês quentinho com manteiga derretendo ? Se está de dieta para emagrecimento, deixe para os domingos, afinal ninguém é de ferro.
Compartilhe
Adoçantes e Câncer
14/09/2018 | 07h27
Galileu.com.br
Assisti a entrevista em um jornal local com uma nutricionista neófita, que foi mais do que enfática sobre os riscos de desenvolver-se câncer com o consumo de edulcorantes artificiais (adoçantes). 
Sou formado há quase 25 anos pela UFF, pós-graduação na UFRJ e mesma UFF, mestrado e doutorado na nossa querida UENF nos seus áureos tempos. Pela forja dos grandes pesquisadores da época, me baseio em artigos científicos de fato e sempre o farei.
Pois bem, não há um artigo sequer que traga relação científica entre causa e efeito no consumo moderado de adoçantes e surgimento de tumores em humanos. 
Nem mesmo o aspartame teve essa correlação comprovada.
Há poucos anos um pesquisador na UNICAMP (químico) publicou um artigo sobre a sucralose, que ao ser aquecida sofreria alterações químicas a tornando tóxica aos mamíferos...
Obviamente fui ler o tal artigo...os dados são categóricos, onde o aquecimento a mais de 97 graus centígrados provocaria tais alterações, abaixo dessa temperatura nada. 
A água ferve (ebule) a 100 graus...fervura...ao invés de polemizar e sugerir a proibição do uso do adoçante, o pesquisador deveria trazer a simples sugestão de só se utilizar sucralose alguns momentos após a passagem do café (p quem usa coador) e nunca na cocção dos alimentos.
Outra questão é que as cafeteiras aquecem a água a até 90 graus, não é à toa que a recomendação é que se use água filtrada. 
Um outro estudo de 1970 relacionou sacarina e ciclamato ao surgimento de câncer em ratos...os mesmos pesquisadores fizeram posteriormente uma "mea culpa"onde assumiram que as dosagens usadas no estudo eram absurdas: equivalente a um humano consumir meio frasco de adoçante por dia, em 30 dias consecutivos...
A stévia segue sendo a mais abonada, devido à sua origem "natural", mas o paladar costuma desagradar bastante, sendo que surgiram formulações recentes que a tornam mais agradável.
O xilitol, queridinho de muitos colegas é um álcool, com metade das calorias do açúcar e, que promove alteração no paladar, com sensação de "menta", pois trata-se de um álcool...mas também não temos relação científica com tumores. 
E por aí vai....sugiro como sempre, pesquisa científica e não achismo. Discurso politicamente correto é lindo, quero ver na prática promover o consumo de alimentos completamente sem o uso de açúcar nem adoçantes. 
É claro que o abuso de adoçantes não é prudente, assim como de qualquer outro aditivo sintético, mas que o açúcar continua sendo o maior dos problemas, isso continua.
Abaixo link da página do National Cancer Institute (Instituto Nacional do Câncer) com a posição do mesmo sobre os adoçantes...
https://www.cancer.gov/about-cancer/causes-prevention/risk/diet/artificial-sweeteners-fact-sheet
Compartilhe
Sobre o autor

Leonardo Gama

[email protected]