Ponte da Integração sem definição
Daniela Abreu - Atualizado em 27/07/2019 15:47
Obra da ponte da Integração
Obra da ponte da Integração / Isaías Fernandes
Iniciada em 2014 e com orçamento inicial de R$ 105,7 milhões, a ponte da Integração está com obras paradas desde dezembro do ano passado e já teve a sua conclusão prometida por três governadores do Estado. Os trabalhos para a fixação dos 35 pilares que sustentariam os 1.355 metros de comprimento e 16,2 de largura da estrutura, que promete encurtar em 80 quilômetros a distância entre São Francisco de Itabapoana e São João da Barra, foram iniciados no governo Sérgio Cabral, que deixou a conclusão para Luiz Fernando Pezão, que prometeu a conclusão antes do fim do mandato e acabou preso na Lava-jato. Em sua primeira visita a Campos, em janeiro deste ano, o atual chefe do Palácio Guanabara, Wilson Witzel, ao falar da ponte, disse que "falta vontade política", no entanto o projeto não esteve entre as prioridades dos 100 e 180 dias de governo e ainda se encontra indefinido, para tristeza dos dois municípios que tem no empreendimento uma expectativa de ganho no escoamento da produção e contrariando os incontáveis pedidos de deputados da região.
A última previsão do governo do Estado era de que seriam necessário R$ 32 milhões para a conclusão da obra e destes, R$ 6 milhões para o reinício. Perguntado sobre a atualização dos valores o Departamento de Estradas de Rodagem do Rio de Janeiro (DER-RJ) disse que “neste momento, está fazendo um levantamento de todas as ações feitas, em gestões passadas, na ponte. Em breve, o departamento terá um novo cronograma de obras”.
Em maio deste ano, Witzel esteve na localidade de Sapucaia, em Campos, onde participou de evento de abertura da safra da Coagro e, apesar de ter prometido investimentos nos setores agrícola e de infraestrutura, disse apenas que a conclusão da ponte está entre suas prioridades.
Antes de vir à região, o governador já tinha encontrado com a prefeita de São João da Barra Carla Machado e já tinha prometido retorno breve sobre a questão.
Procurada pela Folha, a prefeitura sanjoanense disse que “a conclusão da Ponte da Integração, uma obra do Governo do Estado, é esperada com grande expectativa para o município de São João da Barra devido a sua importância nos aspectos geográfico, econômico – por interligar toda região e passando a ser um dos principais acessos ao Porto do Açu, e histórico, interligando dois municípios que formaram um só território. O assunto tem sido pauta de todas as agendas com representantes do Governo do Estado, inclusive com o governador Wilson Witzel, que assegurou a sua finalização”.
A prefeitura de São Francisco de Itabapoana também foi procurada, porém não enviou nota até o fechamento desta edição.
Reivindicação de deputados da região
Além das prefeitas dos dois municípios que se beneficiarão diretamente com a ponte da Integração é pauta dos deputados da região.
Em nota, o deputado Wladimir Garotinho (PSD) disse que: “Abordei o assunto várias vezes, inclusive disse que estou disposto a colocar emendas tanto individuais quanto articular de bancada. A ponte é fundamental para a economia da região e é uma promessa antiga. O governador tem a chance de marcar seu nome na memória da região”.
Logo que assumiu o mandato, João Peixoto (DC) e mostrou confiante no governador. “Sei que há um grande interesse do governador Wilson, na ascensão do interior do Estado. Devemos ressaltar, que o Porto do Açu é uma obra gigantesca para o Brasil e sem dúvida alguma, a ponte da Integração Dodozinho Mendonça está inserida nesse contexto.”
Cidadão sanjoanense, Bruno Dauaire (PSC) também mostrou confiança e disposição para intervir. “O novo governador sabe da importância da conclusão da obra. Vamos cobrar não só a conclusão, como recapeamento da vias que dão acesso a ela, que estão péssimas.
Expectativa que já duram mais de 30 anos
A não conclusão da ponte João Figueiredo, iniciada nos anos 1980, foi fator preponderante para emancipação do antigo sertão de São João da Barra, que, desde 1997, é o município de São Francisco de Itabapoana. Em 2014, os pilares foram descartados para construção de outra ponte, que ficaria pronta em um ano, batizada de Integração. À espera da conclusão, a população não só dos dois municípios, mas da região vê o terceiro governador prometer o término e se mantém confiante.
Pelo lado de São João da Barra, a estrutura está compreendida entre a intersecção com a BR 356, próximo ao trevo do Açu, em São João da Barra e a RJ 194, na localidade de Campo Novo, em SFI.
Em janeiro deste ano, o DER-RJ disse que analisaria o contrato e abriria licitação para que os acessos da ponte, fossem construídos. O órgão informou, à época, que estaria elaborando um diagnóstico para mensurar o que falta para a conclusão do sistema viário que engloba a ponte e também não informou o prazo para a conclusão deste trabalho.
O pedido foi levado ao secretário estadual de Desenvolvimento Econômico e Geração de Emprego e Renda, Lucas Tristão, que levaria o caso à secretaria de Fazenda.
Dos órgãos citados, somente o DER-RJ respondeu à demanda.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS