Despedida
21/01/2017 | 18h39

A hora é de partir. Após 11 anos ininterruptos no Grupo Folha da Manhã nesta segunda fase e ocupando diversos cargos na redação, entre eles, reportagem, chefia de reportagem, editoria especial e subeditoria de Geral, agradeço a todos que colaboraram direta ou indiretamente durante a minha permanência, como executor. Ao Grupo FM, o meu muito obrigado pela confiança e oportunidade. Nosso contato diário, porém está mantido no https://web.facebook.com/joao.noronha.7777 Mas como a vida é feita de mudanças, vamos continuar a perseguir novos caminhos, novos desafios, outras experiências. Já em março de 2016, estaremos abertos a novas propostas de trabalho. Como disse o poeta "Que eu consiga ser quem eu sou e bata palmas no final! Mesmo que eu escorregue em mim e puxe a cortina antes do espetáculo acabar. Quem vai dizer que não era essa a melhor parte do show?" Brigadum!!!!!!!!!!

Atualizado em 30/12/15 - 15h30

Aos colegas de redação — em especial aos de muitas décadas, como Rodrigo Gonçalves, Joseli Matias, Suzy Monteiro,  Dora Paes, Alexandre Bastos, Simone Barreto e Eliabe Souza com quem trabalhei diretamente — que acabaram de preparar uma homenagem surpresa, o meu muito obrigado por tudo. Poetizando ... "Talvez eu não tenha muitos amigos. Mas os que eu tenho são os melhores que alguém poderia ter...".  E a vida segue! Beijos no coração de todos!

Compartilhe
Casos suspeitos
21/01/2017 | 18h39

O número de crianças com suspeita de microcefalia no país aumentou para 2.975, segundo boletim divulgado hoje (29) pelo Ministério da Saúde. A pasta também investiga a morte de 40 bebês com suspeita de terem a malformação devido ao vírus Zika. Os dados são de registros feitos até o dia 26 de dezembro. Ao todo, 656 municípios de 19 estados e do Distrito Federal têm casos sob investigação. Tocantins, Minas Gerais e Mato Grosso apresentaram diminuição de casos. No balanço anterior, divulgado na última terça-feira (22), eram 2.782 os recém-nascidos com suspeita de microcefalia relacionada ao Zika, em 618 cidades de 20 unidades da Federação. De acordo com o boletim divulgado hoje, Pernambuco, primeiro estado a identificar o aumento de casos de microcefalia no país, continua no topo da lista, com 1.153 casos em investigação, o que representa 38,76% das suspeitas em todo o país.

Compartilhe
Às escuras
21/01/2017 | 18h39

Vários pontos de Atafona e Chapéu de Sol, no litoral de São João da Barra ficaram sem energia elétrica na noite de ontem, e segundo moradores e comerciantes, em muitos deles o serviço só foi normalizado hoje pela manhã. Ainda de acordo com moradores, uma manutenção preventiva durante todo o ano evitaria os transtornos na alta temporada e reduziria os piques de energia durante o inverno. A Ampla mantém equipes nos locais, realizando prevenção da rede e restabelecendo a distribuição. A propósito: Com o excesso de salinidade provocado principalmente nesta época do ano devido aos ventos fortes, os transformadores localizados próximo ao mar estão desarmando com frequência. A saída, de acordo com especialistas do setor energético seria a lavagem semanal dos isoladores e a substituição do material utilizado.

Compartilhe
Alterações climáticas
21/01/2017 | 18h39

A 21ª Conferência das Partes das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP21) aprovou um projeto de acordo para combater as alterações climáticas, chancelado pelos ministros dos cerca de 200 países. Com esta aprovação, encerram-se seis anos de trabalhos que começaram em Durban (2011), na África do Sul, quando as negociações para um pacto global de luta contra as alterações climáticas começaram. O projeto de acordo, que tem 48 páginas e muitas opções em aberto. O embaixador francês no plenário da COP21, Laurence Tubiana disse: "Temos uma nova base para as negociações aceita por todos (…) Trata-se de escrever (o texto) a seguir", declarou Tubiana. “O trabalho não está terminado, as principais questões políticas continuam por ser decididas. Vamos precisar de toda a nossa energia, inteligência, capacidade de compromisso, capacidade de ver ao longe para chegar a um resultado", acrescentou Laurence Tubiana. [Fonte: Agência Brasil]

Compartilhe
Controle eletrônico
21/01/2017 | 18h39

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) publicou nesta sexta-feira a Resolução 567, que torna obrigatório o uso do sistema de controle de estabilidade em veículos nacionais e importados. A tecnologia garante mais segurança aos condutores e passageiros. Os fabricantes terão de incluir o item nos carros até 2020, nos modelos novos, e 2022, em todos os veículos novos. O sistema de segurança é indicado pelas siglas ESC ou ESP, dependendo da montadora, e garante mais controle do veículo em situações de risco, como curvas em alta velocidade e pistas com baixa aderência, por exemplo, evitando que o carro saia da trajetória original. O controle eletrônico de estabilidade detecta a perda de aderência dos pneus e aciona os freios ou reduz a rotação do motor de forma automática para evitar que o carro derrape e o motorista perca o controle da direção. No mês de novembro, a organização Proteste, Associação Brasileira de Defesa do Consumidor, lançou a campanha Carro sob Controle, para que a inclusão do item nos veículos fosse obrigatória a partir do segundo semestre de 2017. A organização argumenta que testes com carros com e sem o controle eletrônico comprovaram que o sistema reduz em até 50% o risco e a gravidade dos acidentes. Nos Estados Unidos e na União Europeia, o item já é obrigatório. Na Argentina, será item de série a partir de 2018. A partir de janeiro, o sistema passará a ser item obrigatório para que o veículo ganhe quatro ou cinco estrelas nos testes feitos pelo Programa de Avaliação de Carros Novos da Latin NCAP, organização parceira da Proteste.

Compartilhe
Avançar na inclusão
21/01/2017 | 18h39

O ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Nelson Barbosa, disse que o Brasil precisa avançar na inclusão social, além da transferência de renda. “Nós temos, agora, que consolidar esses ganhos [sociais]. Manter esses programas sociais cada vez mais sustentáveis e, ao mesmo tempo, avançar na inclusão social, que não é apenas transferência de renda”, disse. De acordo com Barbosa, os demais pontos em que o país deve focar suas políticas são educação e saúde de qualidade, transporte e segurança. “São áreas que exigem grande coordenação entre governo federal, estadual e municipal”, destacou. O ministro ressaltou ainda que o atual momento, de contenção de gastos públicos, não é impeditivo para que as questões avancem. “Nós não podemos avançar tão rapidamente quanto todos desejariam, mas podemos avançar nisso. E há possibilidade de avançar não só com mais recursos, mas, principalmente, com melhora de gestão”, afirmou. Nelson Barbosa falou sobre o assunto durante seminário sobre regras fiscais no Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). No evento, ele abordou o esforço de redução de gastos do governo e medidas para retomar o investimento, como leilões na área de infraestrutura e o lançamento de uma consulta pública para construir o novo marco regulatório das telecomunicações. [Fonte: Agência Brasil]

Compartilhe
Prêmio
21/01/2017 | 18h39

A Prumo Logística foi uma das vencedoras do prêmio Rio+Empreendedor 2015, na categoria Logística, pelo desenvolvimento do Porto do Açu, em São João da Barra. O presidente da companhia, José Magela Bernardes, recebeu o prêmio e destacou a importância do empreendimento para o país. A cerimônia do evento, promovido pelo Grupo de Líderes Empresariais – LIDE Rio, aconteceu no Hotel Copacabana Palace e reuniu representantes de diversas empresas como P&G, LafargeHolcim, IBP e Hyndai Heavy Industries Brasil. Também estiveram presentes o governador do Estado do Rio de Janeiro, que entregou ao prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, uma homenagem especial concedida pelo LIDE. O prêmio Rio+Empreendedor 2015 conta com apoio do Governo do Estado do Rio de Janeiro, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços (SEDEIS) e da Codin (Companhia de Desenvolvimento Industrial do Estado do Rio de Janeiro). O objetivo é reconhecer, homenagear e divulgar ações de empresários e gestores públicos que contribuem para o desenvolvimento econômico, expansão do ambiente de negócios e geração de renda no Rio de Janeiro. Ao todo, serão contempladas 14 categorias.

Compartilhe
Limpeza nas praias
21/01/2017 | 18h39

A Prefeitura de São João da Barra  está realizando limpeza nas praias, com a remoção de entulhos (restos de materiais de construção e galhos de árvores) e lixo jogados nas áreas baldias.  O trabalho é executado com ajuda de caminhões, máquinas e homens em Atafona, Chapéu de Sol e Grussaí. A propósito: A população tem a obrigação de conservar os lugares públicos limpos. Assim evitará a proliferação de insetos, dando aos locais melhor aspecto.

Compartilhe
Calor
21/01/2017 | 18h39

O Sistema Alerta Rio, da prefeitura do Rio, que tem estações meteorológicas em vários pontos da cidade, registrou hoje a temperatura máxima de 40,2 graus Celsius (°C) , em Guaratiba, na zona oeste da cidade. No mesmo bairro, a sensação térmica chegou aos 47,4°C. De acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a sensação térmica atingiu os 43°C, na região central da cidade. Segundo o Inmet, a cidade teve temperaturas elevadas, com pouco vento e a máxima de 39,1° C, no bairro de Realengo, na zona oeste da capital fluminense. Segundo o meteorologista Thiago Sousa, do Inmet, existe uma massa de ar quente sobre a Região Sudeste. Isso é típico de verão, que começa no próximo dia 21. Ele informou que o tempo vai mudar nos próximos dias com a passagem amanhã de uma frente fria que está no oceano, próximo do estado do Rio. Isso vai fazer com que as temperaturas caiam e a máxima prevista deve chegar aos 33°C no final do dia, trazendo chuvas e trovoadas. Souza disse que,  devido à presença do fenômeno El Niño e ele estará bem ativo nos próximos meses atuando no Oceano Pacífico. “Ele [o El Niño] pode se tornar um dos três mais fortes desde 1950, trazendo para o Sudeste temperaturas bem altas no verão”. O meteorologista explicou que o El Niño muda o padrão da circulação de ventos e isso provoca influência em todo o planeta. De acordo com a meteorologista do Sistema Alerta Rio, Juliana Hermsdorff, com a proximidade do verão, as temperaturas tendem a aumentar. “Há uma massa de ar quente sobre o município, mas uma frente fria que está sobre o oceano deixará o tempo nesta quarta-feira bastante abafado, com céu mais fechado que hoje, com pancadas de chuva em áreas isoladas”. Juliana informou que já choveu no bairro de Bangu, na zona oeste do Rio, e à noite, devem ocorrer pancadas de chuva em pontos isolados da cidade. [Fonte: Agência Brasil]

Compartilhe
Sem água
21/01/2017 | 18h39

Os dados foram apresentados pela coordenadora da Aliança das Águas, Maru Whately, em uma mesa redonda — Chapa quente do aquecimento global — ocorrida no encontro global Emergências, iniciativa do Ministério da Cultura que debate desde segunda-feira, no Rio de Janeiro, a cultura como ativadora de processos na conquista de direitos civis, políticos, sociais, econômicos e ambientais. A arquiteta e urbanista, que integra o Instituto Socioambiental, disse que a Aliança das Águas se formou no ano passado, com a crise de abastecimento em São Paulo, e reúne hoje cerca de 60 entidades de diferentes áreas. O objetivo é contribuir para a segurança hídrica do estado. Segundo ela, apesar de cientistas não afirmarem que as mudanças no ciclo hídrico estão relacionadas com o desmatamento ou o aquecimento global, as mudanças são perceptíveis. — Nós somos a Arábia Saudita da água e estamos ficando secas. Temos 12% da água doce do mundo, com o aquífero Guarani, o aquífero na Amazônia. E vimos as grandes cidades ficando sem água. Desde o surgimento da água e a formação do ciclo hidrológico, tudo o que acontece com o clima a gente vê através da água. A estiagem de 2014 foi um evento climático extremo e eles tendem a ser cada vez mais frequentes. Há questões climáticas em várias partes do mundo, na Califórnia, e parte da tensão hoje na Síria é por causa disso. A previsibilidade do clima que a gente tinha está mudando — alertou. Maru convocou todos, governo e sociedade, a repensarem sua relação com a água e, também, com o saneamento básico. “Precisamos de uma nova cultura para cuidar da água. Não ter acesso à água pode ser terrível, mas não ter acesso a saneamento é horrível também. Estamos vendo a questão da microcefalia e do zika vírus, boa parte disso relacionada à falta de cuidado das pessoas com a água parada. Questões do saneamento são importantes, também. Tem que tratar, é inadmissível que haja um rio como o Tietê. Água não é responsabilidade só de uma instância, isso é muito mais complexo. Se a gente quiser ter água, precisa cuidar das fontes, dos mananciais, das nascentes. É vergonhoso o que se tem de perda da água no sistema de distribuição. Precisamos rever o valor econômico da água e precisamos de participação e controle social nisso”. [Fonte: Agência Brasil]

Compartilhe