Macaé inicia primeiro Levantamento do Índice Rápido para o Aedes Aegypti de 2024
- Atualizado em 08/01/2024 15:56
Macaé inicia primeiro Levantamento do Índice Rápido para o Aedes aegypti de 2024
Macaé inicia primeiro Levantamento do Índice Rápido para o Aedes aegypti de 2024 / Divulgação
A Prefeitura de Macaé, por meio da Coordenadoria Especial de Vigilância Ambiental em Saúde (Cevas), da Secretaria de Saúde, iniciou nesta segunda-feira (8) o primeiro Levantamento do Índice Rápido para o Aedes Aegypti (Liraa) de 2024. O objetivo é fazer uma análise, por meio de amostragem, sobre a incidência do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, contemplando todos os bairros da cidade.
Para este levantamento, o município foi subdividido em áreas, compostas por um conjunto de bairros. De acordo com informações da Cevas, serão vistoriados aproximadamente seis mil imóveis distribuídos em 26 bairros. O trabalho será feito por 120 agentes de endemias.
O coordenador da Cevas, Luan Campos, explica que o Liraa avalia o índice de infestação predial (IIP) da cidade, além da infestação por tipo de depósito e o risco para ocorrência de uma epidemia. “A partir do resultado do levantamento, iremos formular um boletim que nos ajudará a ajustar, ampliar, manter ou criar mais estratégias de combate ao vetor”, disse.
Ele ressalta que é necessária a ajuda da população para um resultado efetivo da ação. “É importante que as pessoas sejam receptivas com os agentes, que estarão devidamente uniformizados. Em caso de dúvida, poderá ser feito contato com o órgão por meio do 0800-022-6461”, frisou.
Luan alerta ainda para a tendência na alta de casos no Estado do Rio de Janeiro, como informa a Secretaria de Estado de Saúde. “Estudos apontam para a volta do soro tipo três da dengue, o que alerta para uma epidemia da doença, já que nos últimos anos os sorotipos mais comuns foram o um e o dois”, alertou.
O supervisor geral da Cevas, Marcelino Rocha, reforçou que os agentes irão percorrer as residências fazendo as inspeções em locais que possam ter objetos ou estejam sujeitos a acumular água e ser potencial foco do mosquito. “Quando o agente encontra o foco, a amostra é encaminhada para o laboratório. O resultado é inserido no relatório e se for positivo para o Aedes aegypi, esse dado é inserido no índice de infestação. Ao coletar a amostra, o agente elimina o objeto ou faz o tratamento do local”, pontuou.
Na manhã desta segunda-feira, o aposentado Ademir Ribeiro recebeu os agentes em sua residência. No local, a equipe retirou a água de alguns recipientes e recolheu material. “Mantenho o meu quintal sempre limpo, mas como estou em obras e com as chuvas, os materiais que estavam na área descoberta acumularam água. A presença dos agentes aqui foi importante, principalmente para que eu possa fazer a vistoria semanal dentro e fora de casa”, contou o aposentado.

Educação

Além do Levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti (Liraa), a Coordenadoria Especial de Vigilância Ambiental em Saúde (Cevas) iniciou as ações de Educação em Saúde, em locais de grande circulação da cidade. Nesta segunda-feira (8), agentes de endemias atuaram no Terminal Central, com uma mesa expositora mostrando o ciclo do mosquito, criadouros e jogos educativos para a garotada.

O vendedor ambulante que atua no local, Gelcimar de Azevedo, aprovou a iniciativa, pois já teve dengue e contou um pouco de sua experiência. “O trabalho de orientação é importantíssimo, pois no dia a dia as pessoas acabam esquecendo alguns detalhes e não verificam se existem vasilhas que possam acumular água. Quando tive a doença fiquei debilitado, com muitas dores no corpo”.

Dengue

A dengue é uma doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti que se reproduz em água limpa e parada. Os sintomas da doença são: dor de cabeça e nos olhos, febre alta, dor nos músculos e nas juntas, manchas vermelhas por todo corpo, falta de apetite e fraqueza. A única forma de evitar a dengue é não deixar o mosquito nascer. Para isso, é preciso acabar com os criadouros.

Para solicitações e denúncias, a população pode entrar em contato a Coordenadoria Especial de Vigilância em Saúde, que funciona à Rua Tenente Coronel Amado, 225, Centro de Macaé, ou através do email [email protected] ou, ainda, pelo Disque Dengue, com ligação gratuita: 0800-022-6461.
Fonte: Prefeitura de Macaé

ÚLTIMAS NOTÍCIAS