Acusado de matar sanjoanense em Vila Velha é indiciado por latrocínio
16/07/2017 19:02 - Atualizado em 16/07/2017 21:29
Leandro Matheus Marins, de 28 anos, que confessou ter matado a universitária sanjoanense Luiza Mariano Silva, de 23 anos, foi indiciado por latrocínio, que é roubo seguido de morte. Segundo a polícia, ele cometeu o crime para roubar o celular da vítima e uma quantia de R$ 65 do caixa da lavanderia onde ela trabalhava, em Vila Velha.
No dia 29 de junho, a jovem foi encontrada morta com marcas de perfurações e agressão física dentro do banheiro da lavanderia onde trabalhava. Estudante da Universidade de Vila Velha, a jovem foi sepultada no dia seguinte em São João da Barra. A família de Luiza é proprietária da tradicional fábrica de Picolé N.Silva.
No dia 7 de julho, Leandro foi preso pelo crime. A polícia acreditava que o suspeito tinha ido à lavanderia cobrar o pagamento referente à rescisão de contrato da esposa, que trabalhava no local. Entretanto, nessa sexta-feira (14), o delegado Janderson Lube informou que ele queria dinheiro, provavelmente, para usar drogas.
— Os indícios são de que ele efetivamente tentou adquirir esse dinheiro que, em tese, seria da mulher dele, um pagamento a receber. Como não conseguiu, tentou fazer saque na casa lotérica e, não conseguindo, foi na lavanderia obter de forma violenta a quantia em dinheiro que ele desejava, para, ao que tudo indica, continuar usando drogas — disse o delegado.
Indiciado
Câmeras de segurança de prédios da região gravaram a movimentação de Leandro no dia do crime. As imagens mostram ele entrando duas vezes na lavanderia. Na segunda vez, ele ficou dentro do estabelecimento por cerca de 26 minutos.
Segundo a polícia, Leandro é casado com uma ex-funcionária da lavanderia e disse ao delegado que foi ao local para pegar o telefone do dono do estabelecimento, mas Luiza negou. Ele deixou a lavanderia e retornou minutos depois, para pedir o telefone do proprietário mais uma vez.
Diante da segunda negativa de Luiza, ele matou a funcionária. “Ele pediu que ela buscasse uma sombrinha e um chinelo da mulher dele, ex-funcionária da lavanderia. Quando Luiza foi ao banheiro buscar o objeto, ele se aproveitou e deu uma gravata nela”.
Ao delegado, Leandro confessou o crime. Ele disse que tinha usado drogas na noite anterior ao assassinato e que se arrepende do crime.
Fonte: G1

ÚLTIMAS NOTÍCIAS