Novos negócios abertos este ano
paulo Renato Porto 03/05/2019 22:24 - Atualizado em 03/05/2019 22:24
Leonardo Abreu
Leonardo Abreu / Isaías Fernandes
Campos aparece na sexta posição no ranking de constituição de empresas nesses primeiros quatro meses do ano, segundo dados da Junta Comercial e Industrial do Estado do Rio de Janeiro (Jucerja). Até agora, foram abertas 578 firmas no município. Em 2018, Campos também ficou em sexto, com a abertura de 1.935 negócios.
Entre os novos estabelecimentos, destaque para o comércio de medicamentos e prestadoras de serviço e do setor de alimentação.
Entre os 92 municípios, o Rio de Janeiro aparece na primeira posição, com 12.127 empresas somente este ano. Em segundo, Niterói, com 1.300 firmas abertas. Em terceiro, São Gonçalo, com 879. Em quarto, Duque de Caxias, com 827 pontos de comércio estabelecidos. Em quinto, Nova Iguaçu com 755.
Depois de Campos, vem Petrópolis com 550 firmas, seguido de Volta Redonda com 538 negócios inaugurados este ano. Macaé chega em nona posição com 516 empresas constituídas.
Entre os municípios da região produtora da Bacia de Campos, Rio das Ostras chega em terceiro, com 286 empresas constituídas, seguido de São João da Barra com 53 e Casimiro de Abreu com 45. Quissamã registrou 21 novos negócios e Carapebus assistiu a abertura de quatro.
Entre as outras cidades da região, destaque para São Fidélis, com 45 novas empresas constituídas. São Francisco de Itabapoana com 30; Conceição de Macabu registrou 19; Italva contabilizou mais sete e Cardoso Moreira com oito novas firmas legalmente estabelecidas este ano.
No Noroeste Fluminense, Itaperuna aparece em primeiro com 204 novas empresas; depois, Santo Antônio de Pádua com 65; Bom Jesus do Itabapoana com 38; e Miracema com 30 novos estabelecimentos em 2019.
O presidente da Associação Comercial e Industrial de Campos (Acic), Leonardo Abreu, saúda o surgimento de novas empresas, mas ressalva que mais de 1.000 empresas fecharam no município. “Só no Centro antigo, foram mais de 400 lojas, empresas tradicionais, que fecharam as portas. O momento exibe muita calma, mas as novas empresas no Porto do Açu certamente irão refletir em Campos”, comentou Abreu.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS