Comércio de Campos se prepara para reabrir a partir desta quarta-feira
Virna Alencar 29/06/2020 17:22 - Atualizado em 29/06/2020 17:22
Rodrigo Silveira
O comércio de Campos se prepara para abrir as portas a partir desta quarta-feira (1º), após a prefeitura anunciar a liberação do comércio de rua, por meio de decreto, na noite deste sábado (27). Comerciantes apostam em estratégias como oferta de peças promocionais para recuperar os clientes, mas também temem o momento de incerteza por conta da pandemia do Coronavírus (Covid-19). O prefeito Rafael Diniz (Cidadania), que informou na última sexta-feira (26) ter testado positivo para Covid-19, disse que é preciso manter a prevenção e não descartou a possibilidade de voltar a adotar medidas mais rígidas, caso o número de casos volte a aumentar no município.
Em uma loja de roupas no Calçadão do Boulevard Francisco de Paula Carneiro, no Centro, vendedoras organizavam mercadorias nas prateleiras e araras. Segundo a gerente comercial, Isabela Viana, de 36 anos, entre as estratégia para voltar a aquecer as vendas será oferta de promoção e investimento em marketing.
"Até então estamos prestando atendimento condicional, ou seja, os produtos são levados aos clientes. A partir de quarta-feira vamos manter o contato com os clientes através de ligações e mensagens. As redes sociais são ferramentas que se mostram como grande aliadas nesse momento. Estamos com um estoque bastante variado e a nova coleção de inverno também tende a aquecer as vendas. Vamos reabrir a loja com muitas peças promocionais, descontos que chegam até 70%. O marketing da empresa estará se empenhando para trazer os clientes de volta", disse ressaltando que investimentos foram feitos com compra de termômetro e álcool em gel para atender as regras de higienização.
Em outra loja, que comercializa peças de bijuterias na rua Barão do Amazonas, a comerciante Bianca Soares, de 34 anos, falou sobre o receio de voltar abrir o estabelecimento e surgir novo decreto determinando o fechamento do comércio.
"Entendemos que o momento é difícil, o mais importante é a saúde, mas está difícil sobreviver nessas condições. São custos com aluguel, funcionários, energia, entre outros, que não damos conta de honrar se não vendermos. Temos outra loja, no shopping da Pelinca e até que não seja permitida a reabertura vamos apostar nessa do Centro, mas a ideia é fechá-la quando passarmos toda mercadoria pra lá", lamentou.
Entenda - O prefeito anunciou que a partir desta quarta-feira o município vai entrar no nível 3 do isolamento social, a fase amarela. Com isso, ele liberou o comércio de rua e todos os estabelecimentos comerciais terão de controlar a entrada e saída dos consumidores, além de seguir regras de higienização. Igrejas e templos religiosos ficam autorizados a funcionar com limite de 30% da capacidade e distância mínima de 2 metros entre as pessoas. Além de salões de beleza e estética, barbeiros, cabeleireiros e manicures, lojas de automóveis e concessionárias também voltam a funcionar. O prefeito também informou que shoppings estão passando por adaptações para que sejam incluídos na fase amarela, mas ainda não está permitida a reabertura.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS