Movimento intenso e pouco cuidado no Centro de Campos
23/06/2020 15:11 - Atualizado em 23/06/2020 19:01
O Centro de Campos, na área de maior concentração de estabelecimentos comerciais populares, está se transformando em um ambiente de risco, em tempo de pandemia do novo coronavírus. O motivo é a falta de consciência de alguns lojistas, funcionários e clientes, que não zelam pela própria saúde. Fiscais da superintendência municipal de Posturas atuam, mas não dão conta de coibir a ação de ambulantes e de lojistas que agem irregularmente e, com uso de walkie talkies, monitoram a presença dos fiscais.
Em toda a extensão da rua João Pessoa as lojas de tecidos acumulavam clientes em filas, nesta terça-feira (23). Somente em uma delas, um funcionário colhia os pedidos para adiantar o negócio. Em frente à loja, o chão estava com locais demarcados para os clientes e com o espaçamento devido para atendimentos.
Várias lojas de roupas estavam com portas semiabertas e diversos clientes no interior, olhando produtos. Outras fixaram avisos na porta avisando a data e horário de abertura para pagamentos de crediários, conforme permitido por decreto da Prefeitura de Campos.
Lojas de balas e biscoitos com espaço pequeno também eram áreas de aglomeração de pessoas que manuseiam os produtos sem higienização.
Nas ruas Tenente Coronel Cardoso e Lacerda sobrinho, foi verificada concentração de pessoas em lojas de artigos de festa e de bicicletas. Já na rua Barão do Amazonas, em frente a uma loja de embalagens, foi verificada uma grande fila e aglomeração. No restante da via, o comportamento de lojistas e clientes era igual ao notado na rua João Pessoa.
A equipe da Folha da Manhã encontrou uma equipe da fiscalização de Posturas e relatou as irregularidades observadas. Os agentes explicaram que pessoas podem fotografar as irregularidades e enviar para a Ouvidoria do órgão. Eles percorreram os locais apontados, mas a equipe observou que as lojas com irregularidades estavam fechadas quando os fiscais passaram. Tais estabelecimentos contam com um funcionário munido com um comunicador, que avisa aos demais a presença da fiscalização e as portas são rapidamente baixadas.
Na avenida Pelinca, não foi observada aglomeração de pessoas e, nesta terça, já no início da tarde, também não havia movimentação em agências bancárias e lotéricas.
Em nota, a Prefeitura de Campos informou que, "de acordo com a Secretaria Municipal de Segurança Pública, durante as fiscalizações, ocorrências de comércio abertos irregularmente neste período de lockdown (nível 4) têm sido frequentes. O órgão ressalta ter a consciência das dificuldades do comércio neste período, mas enfatiza que o decreto Municipal que visa a segurança da população, precisa ser cumprido. Não há previsão de aumentar o efetivo neste momento, mas as fiscalizações têm sido intensificadas e continuarão sendo cumpridas".

ÚLTIMAS NOTÍCIAS