UFRJ realiza pesquisa com pacientes no Centro de Controle e Combate ao Coronavírus
23/06/2020 14:33 - Atualizado em 23/06/2020 14:43
Centro de Controle do Coronavírus ainda sem funcionar
Centro de Controle do Coronavírus ainda sem funcionar / Genilson Pessanha
Para avaliar a taxa de prevalência e incidência de coronavírus em Campos quem procura o Centro de Controle e Combate ao Coronavírus vai poder participar de uma pesquisa realizada na unidade de saúde. A pesquisa visa investigar a proporção de pessoas que possuem anticorpos IgM e/ou IgG e também realizar testagem molecular RT PCR para medir a incidência da Covid-19 e a proporção de moradores que têm anticorpos contra a Covid e os que estão ativamente infectados. O resultado da pesquisa vai colaborar na tomada de ações de saúde pública para controle de forma mais eficiente da Covid-19 em todo o estado.
O projeto de Inquérito de Soroprevalência e Incidência de Covid-19 no Estado do Rio de Janeiro é conduzido pelo Instiituto de Biologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro em parceria com o Hospital Universitário Clementino Fraga Filho (HUCFF), a subsecretaria de Vigilância em Saúde e o Laboratório Central Noel Nutels (Lacen-RJ).
De acordo com a diretora de Vigilância em Saúde de Campos, a médica Andréya Moreira, o conhecimento sobre o vírus SARS COV 2 na fase inicial do surto ainda é limitado e toda pesquisa pode contribuir para melhorias de atuação do sistema de saúde.
— A pesquisa pode ajudar com dados sobre a transmissibilidade do vírus pelo ser humano no período de incubação da infecção. O resultado possibilita avaliar essa taxa de prevalência e fazer comparações demográficas que vão contribuir na tomada de decisão em relação ao enfrentamento a doença — informou.
Em todo o estado, 25 unidades de saúde participam da pesquisa colhendo amostras quinzenalmente, durante seis ciclos, até três meses.
Durante a pesquisa serão utilizados testes de fluxo lateral (imunocromatográficos) e para detecção qualitativa de anticorpos IgM e IgG por meio de punção digital. Além disso, também era realizada coleta de sangue para detecção de IgG anti proteína do SARS COV e swab para coleta de secreção pela narina para realização de RT-PCR.
Fonte: Prefeitura de Campos

ÚLTIMAS NOTÍCIAS