Ceciliano convocado pela defesa de Pezão
- Atualizado em 13/01/2020 20:14
O presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), André Ceciliano (PT), foi ouvido nesta segunda-feira pela Justiça como testemunha de defesa do ex-governador Luiz Fernando Pezão (MDB) no âmbito da operação Boca de Lobo. Pezão chegou a ser preso ainda no exercício do mandato, no final de 2018, acusado de receber mesada de R$ 150 mil, além de 13º e bônus, em forma de propina, para beneficiar empresários do transporte.
Ceciliano foi questionado se houve pedido de Pezão para a Alerj conceder benefício fiscal a alguma empresa, se o ex-governador advogou em favor da Fetranspor e se teve conhecimento de algum pedido de propina em favor de Pezão. Para todas as perguntas, o deputado estadual respondeu “não”.
As mesmas perguntas foram feitas a Wagner Victer, ex-secretário de Estado e presidente da Cedae e da Faetec na gestão Pezão. Victer também disse “não” para todas elas.
O emedebista foi solto no 10 de dezembro por ordem do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Os ministros entenderam que não estão mais presentes as condicionantes para a manutenção da prisão preventiva, entre as quais a possibilidade de voltar a delinquir ou de interferir na apuração dos fatos pelas autoridades.
Luiz Fernando Pezão é acusado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) de receber mais de R$ 39 milhões em propina em um esquema de corrupção instalado entre 2007 e 2015 no Governo do Estado. As investigações tiveram como base a delação premiada de Carlos Miranda que era operador financeiro do ex-governador Sérgio Cabral (MDB). (A.N.) (A.S.)

ÚLTIMAS NOTÍCIAS