Maior prêmio do patrimônio cultural brasileiro está com inscrições abertas
- Atualizado em 23/03/2020 15:08
Honraria é destinada aos atuantes na gestão, preservação, valorização e promoção do patrimônio cultural
Honraria é destinada aos atuantes na gestão, preservação, valorização e promoção do patrimônio cultural / Divulgação
Todos os brasileiros que atuam na gestão, preservação, valorização e promoção do patrimônio cultural podem participar do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade. Promovido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) desde 1987, é a maior premiação nacional no campo do patrimônio cultural e tem como objetivo valorizar aqueles que atuam em favor da preservação dos bens culturais do país. O edital, disponível no site do Iphan e publicado nesta segunda-feira (23) no Diário Oficial da União, traz novos segmentos na premiação, visando atender a uma maior gama de ações que já acontecem em todo o território nacional. As inscrições vão até dia 18 de maio.
Serão selecionadas 12 ações no campo do patrimônio cultural brasileiro. Cada premiado receberá o valor de R$ 20 mil. Para participar, os proponentes deverão preencher o formulário de inscrição, disponível no site do Iphan. As ações serão pré-selecionadas pelas comissões estaduais, compostas por representantes das diferentes áreas culturais de cada estado, presidida pelo superintendente. As ações vencedoras na etapa estadual serão analisadas pela Comissão Nacional de Avaliação, formada pela presidência do Iphan e por 21 jurados que atuam nas áreas de preservação ou salvaguarda do patrimônio cultural. O resultado final do concurso deverá ser divulgado até o dia 30 de agosto de 2020, no site do Iphan.
Nesta edição, o Prêmio Rodrigo traz duas grandes categorias subdivididas em seis segmentos: iniciativas de excelência no campo do patrimônio cultural material, referentes às ações nas áreas de preservação de bens de natureza material como paisagens culturais, cidades históricas, sítios arqueológicos, edificações, monumentos e outros; e iniciativas de excelência no campo do patrimônio cultural imaterial, alusivas às ações nas áreas de salvaguarda de práticas e domínios da vida social que se manifestam em saberes, ofícios e modos de fazer; celebrações; ritos e festas que marcam a vivência coletiva do trabalho, da religiosidade e do entretenimento; formas de expressão cênicas, plásticas, musicais ou lúdicas; e nos lugares que abrigam práticas culturais coletivas. Ainda, coleções e acervos associados a estas manifestações culturais, assim como ações de comunicação, difusão e educação relacionadas.
Fonte: Iphan.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS