Comércio se reinventa para o Dia dos Namorados
Joseli Matias 05/06/2020 23:48 - Atualizado em 17/06/2020 18:15
Presentes para o Dia dos Namorados
Presentes para o Dia dos Namorados / Genilson Pessanha
O Dia dos Namorados, a ser comemorado na próxima sexta-feira (12), é mais uma data que costuma impulsionar as vendas de produtos e serviços e, neste ano, desafia a logística e a criatividade dos empresários. Com as lojas fechadas devido ao isolamento social imposto pela pandemia de Covid-19, a divulgação e a relação com consumidores têm sido feitas por meios digitais e telefone. Decoração diferenciada, cardápio especial, “mimos” aos clientes e até promoções têm sido artifícios usados por lojas, vendedores autônomos e restaurantes para atrair e envolver os namorados.
Proprietária de uma loja de roupas femininas e masculinas e acessórios no Centro, Camile Feydit acredita que as vendas para o Dia dos Namorados não serão como em anos anteriores, devido às medidas de restrição implantadas, mas tem usado as ferramentas digitais para divulgar os produtos e fazer as vendas. Ela trabalha com delivery e take away e atende por meio de agendamento.
— Neste momento de crise mundial, as expectativas não serão como nos anos anteriores, porque acredito que o setor mais prejudicado com a pandemia foi o comércio de roupas. Se as pessoas estão em isolamento, por que vão comprar roupas? Mas o marketing digital está sendo essencial. Divulgamos nossos produtos nas mídias sociais, atendemos com agendamento de acordo com a demanda e oferecemos delivery ou take away. E para incentivar a compra, não cobramos taxa de entrega e estamos em promoção — conta Camile, que também vende produtos de uma rede de perfumaria.
A empresária afirma que tem obedecido às medidas de proteção ao coronavírus. “Buscamos trabalhar de forma que beneficie a loja e os clientes e preserve a saúde de todos”, afirmou Camile, destacando que a loja funciona há 24 anos e tem clientes fidelizados. “Conhecemos o perfil de cada cliente e isso nos facilita bastante”.
Sérgio de Souza ainda não decidiu o que comprar para presentear no Dia dos Namorados, mas tem pesquisado em sites e redes sociais de lojas de Campos. “Com as lojas fechadas, o canal tem sido o comércio virtual, e por ter tantas opções de presentes, a pessoa fica indeciso do que escolher”, ressaltou Sérgio.
Os tradicionais bombons e flores ainda têm seu espaço na hora de presentear, mas também recebem reforço de outros produtos em kits mais incrementados. “Os buquês com flores vermelhas são o forte desta data tão romântica, mas temos também alguns clientes que gostam de caixas personalizadas com chocolates ou produtos de beleza. Estamos nos adaptando a essa nova fase tão delicada que estamos passando, trabalhando intensamente nas redes sociais e pelo WhattsApp”, afirma a proprietária de floricultura Xayanna Corrêa.
De acordo com ela, é difícil ter uma expectativa de vendas em uma situação como essa. “Mas estamos dispostos a proporcionar que as pessoas que vão receber esses presentes se sintam abraçadas e beijadas”, disse.
Incentivo — Com o objetivo de valorizar o comércio local e impulsionar as vendas durante a pandemia, a CDL Jovem lançou a campanha “Compro onde moro”. Além das ações para incentivar o consumidor, foi criado um portal para ajudar o empreendedor a ter resultados no marketing digital.
Setor gastronômico se prepara para data
“O que mais vai fazer falta neste período é sair para algum lugar legal e comemorar o Dia dos Namorados”. A afirmação de Sérgio de Souza revela que o setor gastronômico é outro que precisou se adaptar durante a pandemia do novo coronavírus, principalmente para uma das datas de maior movimento para os restaurantes.
A empresária e integrante da Liga Gastronômica de Campos Carla Tinoco destaca que o novo cenário levou os empresários a inovarem para reduzir os prejuízos com o cenário de pandemia, mas reconhece que, apesar dos esforços e a tentativa de compensar com o delivery e take way, haverá queda nas vendas, em relação a anos anteriores.
— O Dia dos Namorados é uma das melhores datas para o nosso segmento. Acredito que dentro da nova realidade que vivemos, os restaurantes que funcionam com delivery ou retirada terão uma oportunidade de minimizar os prejuízos causados pela pandemia. Cardápios especiais, decoração diferenciada e mimos para os clientes geralmente incrementam esse dia. Temos que ter criatividade e responsabilidade para enfrentar o desafio imposto ao setor pelo isolamento social. Nunca vivemos o que estamos passando hoje. É tudo novo — ressaltou Carla.
Programa de retomada econômica
Após mais de dois meses de restrições ao comércio e serviços não essenciais por conta da pandemia do novo coronavírus, a Prefeitura de Campos anunciou nessa segunda-feira (1) um plano para retomada gradual das atividades econômicas.
O programa, chamado de “Campos daqui para frente”, é dividido em cinco fases, que vai desde o lockdown total (nível 5, identificado pela cor vermelha), até o nível 1, representado pela cor branca, e que é de atenção moderada. Com base em estudos que levam em consideração a capacidade clínica de atendimento e taxa de infecção por coronavírus, as medidas serão reavaliadas semanalmente. Atualmente, Campos está no nível 4 (lockdown parcial), que permite a flexibilização de alguns setores.
Segundo a nova medida, no nível de lockdown parcial, além das atividades essenciais, foram autorizados o funcionamento do delivery após as 23h; o funcionamento de lojas de informática e comunicação (em formato take away); clínicas médicas que ofereçam consultas eletivas; escritórios de advocacia, contabilidade, agências de seguro e de planos de saúde.
— Estamos em processo de flexibilização, temos que pensar no comércio, na indústria, na preservação dos empregos, mas, acima de tudo, na preservação das vidas. Todas as medidas que estamos tomando são com base científica e estatística. Se os números apontarem que podemos flexibilizar, vamos flexibilizar. Mas se for necessário voltar ao nível mais rígido, também faremos.
 

ÚLTIMAS NOTÍCIAS