São Fidélis tem um caso de Covid-19 a cada 348 habitantes, maior índice proporcional da região
Matheus Berriel 15/05/2020 15:53 - Atualizado em 22/05/2020 20:22
Equipe da Saúde considera que número deve-se à testagem também de pessoas assintomáticas que tiveram contato com pacientes confirmados
Equipe da Saúde considera que número deve-se à testagem também de pessoas assintomáticas que tiveram contato com pacientes confirmados / Divulgação/Secom
“As pessoas que ainda não acreditam só vão acreditar quando chegar em suas casas. É muito difícil a gente falar isso, mas é a verdade”. A declaração é da secretária de Saúde de São Fidélis, Janine Palagar, que lamenta o baixo índice de cumprimento da quarentena no município. Segundo a secretária, até a última terça-feira (12), menos de 50% da população estava respeitando as recomendações de isolamento social, bem abaixo dos 70% tidos como ideais. Com 38.669 habitantes pela estimativa de 2019 do Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE), São Fidélis tinha, até a manhã de sexta (15), 111 casos confirmados de Covid-19, com índice de um caso a cada 348,3 moradores, o maior entre todos os municípios do Norte e Noroeste Fluminense. Destes, 73 pacientes já estavam recuperados, e 32 ainda infectados, além de seis óbitos. Na quarta (13), o comércio foi fechado após ordem judicial.
Para a superintendência de Vigilância em Saúde fidelense, Hítalla Valentim, a grande quantidade de casos confirmados deve-se às ações de testagem em massa realizadas pela Prefeitura.
— Eu acho que, realmente, é um número alto comparado aos municípios vizinhos. Mas, acredito que a gente está com esse número por estar fazendo a buscativa. Quanto mais você testar, mais vai descobrir. Como é protocolo, muitos municípios estão testando apenas as pessoas sintomáticas. Nós, não. A partir do momento em que a gente descobre um caso confirmado, é feito o teste em todos os contatos diretos deste paciente confirmado, estando todas essas pessoas sintomáticas ou assintomáticas. Todos são testados. Eu acredito que, assim, a gente consegue ter esse número maior, abranger melhor, descobrir e cercar mais rapidamente — afirmou Hítalla.
A secretária Janine Palagar citou como exemplo a primeira ação feita no distrito de Cambiasca, no último dia 28. A partir dos resultados das testagens, foi descoberto que estava havendo aumento considerável no número de casos a partir de pessoas que mantinham contato com trabalhadores e/ou clientes da feira na Central Estadual de Abastecimento (Ceasa), no distrito de Ponto de Pergunta, em Itaocara. No dia seguinte, um mapeamento foi realizado na Ceasa junto à Prefeitura itaocarense.
— Costumo dizer que nós estamos pecando pelo excesso, porque esse não é o protocolo. Mas, se a gente conseguir cercar o vírus, como tem conseguido, graças a Deus, a gente vai no foco. Detectamos todos os contatos diretos e indiretos, e conseguimos, mais ou menos, ter o controle dessa situação — pontuou a secretária de Saúde.
Atualmente, São Fidélis conta com cinco leitos equipados exclusivamente para tratamento de pacientes infectados pelo novo coronavírus, todos no Hospital Armando Vidal, além de 10 leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). A Prefeitura pretende inaugurar neste mês a extensão do Centro de Operações de Emergência da Covid-19, montado em um espaço cedido pelo Clube dos Passarinheiros no bairro Vila dos Coroados.
— Até o final de maio, teremos mais 20 leitos prontinhos, com respiradores, com tudo. Os nossos leitos de Covid-19 não estão nem 10% ocupados, graças a Deus — frisou Janine.
É exatamente na Vila dos Coroados que se encontra o maior número de pacientes confirmados com o novo-coronavírus, 17, de acordo com o boletim divulgado na noite de quinta-feira pela Prefeitura. Na zona urbana, também há confirmações nos seguintes bairros: Penha (15), Centro (14), Barão de Macaúbas (8), Ipuca (7), Parque Tinola (6), Igualdade (4), São Vicente de Paula (4), Cristo Rei (3), Jonas de Almeida e Silva (2), Montese (2) e Parque São José (2). No interior, o distrito de Colônia tem 13 casos confirmados, seguido por Cambiasca (5), Pureza (3) e as localidades de Rio do Colégio (2), Santa Rita do Brejinho (1), Angelim (1) e Barro Branco (1).
Na quinta, havia ainda 14 pacientes suspeitos e quatro óbitos em investigação no município. Entre pacientes monitorados, oito estavam em isolamento hospitalar, e 34 em isolamento domiciliar. Os casos se resumem basicamente em pessoas que retornaram recentemente de viagem ao Rio de Janeiro, familiares e/ou outros com quem estes tiveram contato e profissionais de saúde.
— Acredito que não temos 10 casos de pessoas que não souberam onde possam ter se infectado, como, por exemplo, provavelmente em um banco ou supermercado — afirmou na terça a superintendente Hítalla Valentim.
Comércio fechado após decisão judicial
Na noite de quarta-feira, a Prefeitura de São Fidélis voltou a fechar o comércio por meio do Decreto Municipal 3.852/2020, que prorrogou até 31 de maio as medidas preventivas de enfrentamento à pandemia, entre elas a obrigação do uso de máscaras em locais públicos. A publicação foi feita dois dias após o desembargador José Carlos Paes, da 14ª Vara Civel do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, ter determinando a adequação do Decreto Municipal nº 3.823/2020, de 28 de abril, que havia reaberto o comércio, ao Decreto Estadual nº 47.068, publicado na última segunda (11). Foi resguardado o funcionamento apenas das atividades essenciais.
Antes do fechamento do comércio no município pela terceira vez durante a pandemia, a Folha já tentava entrevista com o prefeito Amarildo Alcântara (PL), sem êxito. Em nota, a Prefeitura informou ter cumprido a ordem judicial antes do recebimento da intimação. E ressaltou que a reabertura do comércio, anteriormente, aconteceu após a Associação Comercial ter apresentados soluções com nova regulamentação do funcionamento, “que estava sendo bem executada pelos comerciantes”.
Sobre a possibilidade de lockdown, recomendado no último dia 6 em relatório da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) ao estado do Rio, o poder público vinculou ao comportamento dos populares: “Tudo depende da população. O que podemos garantir é que qualquer medida que seja em benefício dos munícipes será tomada”. A nota cita o fato de São Fidélis ter sido um dos primeiros municípios da região a iniciar as barreiras sanitárias, em 24 de março.
Na última terça, a secretária de Saúde disse não considerar o lockdown necessário no momento. “Até pelo número de altas que estamos tendo. Porém, não deixa de ser uma possibilidade futura. A gente está mensurando, com uma equipe revendo os casos”, pontuou Janine Palagar.
Só com os serviços essenciais funcionando, movimento caiu consideravelmente no Centro na quinta-feira
Só com os serviços essenciais funcionando, movimento caiu consideravelmente no Centro na quinta-feira / Divulgação/Secom
Pela primeira vez em 239 anos, a Festa de São Fidélis não aconteceu, com decisão de cancelamento tanto da Prefeitura quanto das paróquias locais, que realizaram apenas programação interna, com transmissão pela internet. Segundo a Prefeitura, o dinheiro que seria gasto no evento foi revertido em cestas básicas para os alunos da rede municipal de ensino, beneficiando mais de 4 mil famílias. “Não mexemos nos valores da merenda escolar. Com isso, quando as aulas voltarem, as refeições dos alunos estão garantidas”, complementa a nota. Não foi passada informação sobre os valores.
A secretária de Saúde garantiu haver Equipamentos de Proteção Individual (EPI’s) para os profissionais de saúde, mesmo que os casos dobrem, bem como máscaras para os pacientes em eventual aumento de casos. Há uma semana, foi iniciada a distribuição de 36 mil kits com máscara e álcool em gel à população. As informações sobre EPI’s e máscaras foram solicitadas no último dia 8 pela promotora Maristela Naurath, da 3ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Campos, que também pediu relatórios técnicos sobre a necessidade, o planejamento, a forma de implantação e a divulgação das barreiras sanitárias.
No Norte Fluminense, embora a maior média proporcional de casos confirmados por habitantes seja registrada em São Fidélis, até a manhã de sexta-feira, outros dois municípios de população consideravelmente maior tinham quantidade superior de confirmações: Macaé, com 401, e Campos, com 292.
Datas importantes da pandemia em São Fidélis
Datas importantes da pandemia em São Fidélis / Eliabe Souza
Eliabe Souza

ÚLTIMAS NOTÍCIAS