Mestre organeiro alemão visita Campos
- Atualizado em 17/06/2017 15:37
Markus Roth esteve na Igreja Principal
Markus Roth esteve na Igreja Principal / Antônio Filho
A Administração Apostólica São João Maria Vianney recebeu a visita do mestre organeiro alemão Markus Roth, que esteve em Campos entre domingo (11) e quinta (14). A Administração Apostólica, que completa 15 anos em 2017, ganhou, no início do ano, em sua Igreja Principal, no Parque Leopoldina, um órgão de tubos Steinmeyer, de 1950, doado pela Igreja Luterana Kleine Kirche, da cidade de Karlsruhe, na Alemanha. Roth é responsável pela manutenção do órgão de tubos e fez uma vistoria do órgão e do espaço, etapa para a realização da montagem do instrumento.
Markus veio do município de Krauchenwies, localizado no distrito de Sigmaringen, em Baden-Württemberg, na Alemanha. Ele, que trabalhou na fábrica da Steinmeyer — empresa de fabricação de órgãos — e monta órgãos de tubos há 52 anos, explicou sobre a doação do instrumento pela igreja Kleine Kirche.
— Este órgão de tubos funcionava há 50 anos na igreja da Alemanha. A paróquia lá é muito grande e chegou uma hora em que houve um orçamento maior para a igreja, que pôde, então, adquirir um novo órgão, com tamanho mais adequado à reforma que ela iria fazer. Com isso, a igreja teve essa condição de doar o antigo. Mas é uma situação muito rara. Pegar um instrumento como este como uma doação, e em boas condições, é excepcional — disse.
O alemão contou que já foi a vários países para montar órgãos de tubos.
— Porém, sempre na Europa. Já estive na Polônia, Romênia, Bulgária, Noruega, Suíça, Áustria, Croácia, Eslovênia, Luxemburgo, Hungria. É a primeira vez que saio do continente europeu para fazer isso. Uma coisa diferente é que eu geralmente viajava de carro, por conta do equipamento que preciso carregar. Foi diferente atravessar o oceano — falou Markus.
  • Markus Roth esteve na Igreja Principal

    Markus Roth esteve na Igreja Principal

  • Markus Roth esteve na Igreja Principal

    Markus Roth esteve na Igreja Principal

De acordo com o mestre organeiro, será necessário entre de dois e três meses para a montagem do órgão de tubos na Igreja Principal.
— O tempo varia por vários motivos. Eu posso, por exemplo, precisar de alguma peça que não tenha aqui, a gente ter que comprar e esperar que ela chegue. Porém, a minha preocupação não é uma data precisa, mas o bom resultado do trabalho.
Markus Roth falou, ainda, sobre a complexidade e a montagem do órgão de tubos.
— É um instrumento muito complexo, até porque são 1.326 tubos. A variedade do som vem desses diferentes tipos de tubos. Há tubos de madeira, de metal e de lingueta, sendo que cada tipo tem características diferentes. Uma das maiores dificuldades é que cada tubo tem que ser checado para ver se está tudo certo, o que é fundamental para que haja um resultado harmonioso dentro do ambiente em que ele vai funcionar. Para fazer isso, é necessário adquirir muitos e muitos anos de experiência — disse, continuando:
— A montagem do órgão demanda tempo, também, porque é um instrumento de grandes proporções, tendo cinco metros de altura, seis de largura, três de profundidade e um peso de duas toneladas e meia. São muitos detalhes.
O pároco da Igreja Principal, padre Claudiomar Silva, explicou sobre o processo de doação.
— A candidatura nossa, junto com outras igrejas, para receber a doação foi há dois ou três anos. Em agosto de 2016, recebemos uma carta informando que havíamos sido contemplados. Logo começamos a tomar as iniciativas para trazer o órgão. O instrumento, que veio em 44 caixotes, em dois contêineres, embarcou na Alemanha em 28 de novembro de 2016 e desembarcou no Rio de Janeiro em 24 de dezembro, sendo que chegou a Campos no dia 1º de fevereiro deste ano. Então, a candidatura, a contemplação e a importação do instrumento foram as três primeiras etapas — falou Claudiomar, acrescentando:
— A quarta fase do processo, que é a que estamos agora, é o projeto de montagem do órgão. Isto justifica a vinda do Markus. Ele está em Campos para ver o espaço da igreja, ver como estão as condições do órgão depois da viagem e, então, preparar o projeto e o orçamento para podermos começar a captar recursos para a montagem do órgão, que é a última etapa.
Segundo o pároco, a doação marca a concretização de um sonho da Administração Apostólica.
— O órgão de tubos é um instrumento próprio para a liturgia da igreja católica. O nosso bispo, Dom Fernando Rifan, que é organista, sempre teve o projeto e o sonho de ter um órgão de tubos aqui, e esta doação possibilitou isso. Agora somos a segunda igreja de Campos a possuir um órgão de tubos. A Catedral possui um, que infelizmente está com defeito — disse ele, finalizando: “Inclusive, ainda estamos pagando os gastos para trazer o instrumento. Para a concretização deste sonho, os interessados em colaborar podem doar qualquer valor para a conta da Paróquia — CNPJ 05.517.423/0002-88 / Banco do Brasil / Agência: 3127-5 / Conta Corrente: 81.386-9”.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS