Dr Alexandre Buchaul, Diretor Geral do Instituto Teotônio Vilela em Campos Dos Goytacazes Abrindo a Boca Para Marco Barcelos.
21/07/2017 10:43 - Atualizado em 21/07/2017 13:26
01- DR ALEXANDRE BUCHAUL, COMO DIRETOR DO INSTITUTO TEOTôNIO VILELA O OBJETIVO E PROMOVER AÇÕES, EVENTOS, PUBLICAÇÕES E PESQUISA ENTRE OUTRAS ATIVIDADES?
Marco, essas são algumas das estratégias a serem adotadas para atingir o objetivo que é aprofundar e divulgar os ideais da socialdemocracia brasileira, que apesar de inspirar-se nas socialdemocracias europeias difere das mesmas e está perfeitamente alinhada a nossa realidade com todas as suas peculiaridades. Um dos maiores ideais da socialdemocracia, mas não o único, é a inclusão social e produtiva, inclusive será tema do encontro do grupo de estudos que teremos amanhã (sábado, 22 de julho de 2017, às 9 horas na CDL). Esse evento faz parte do projeto de interiorização do grupo de estudos do ITV, do qual assumi recentemente a coordenação, e terá edições congregando outras regiões do Estado no cronograma que inclui 2017 e 2018.
Anteriormente, aqui em Campos, quando da instalação do núcleo local do ITV, tivemos o I Fórum do ITV- Campos dos Goytacazes sobre “Organização Produtiva e Desenvolvimento Regional”.
02- QUAL O SEU PLANEJAMENTO PARA ADEQUAR A VISÃO POLITICA DA NOSSA REALIDADE ?
Mudar a visão política, ou ao menos esclarecer as pessoas o jogo político e suas consequências, é tarefa árdua e de muitos anos. Planejo dar seguimento a construção de uma nova visão a partir dos alicerces deixados pelos que me antecedem e deixar um legado aos que me sucederão neste infindável trabalho que é fruto de muitos esforços de todo um grupo. A realização de eventos, reuniões, entrevistas como esta, entre outros meios, fazem parte da estratégia de chamar as pessoas à reflexão, ao amadurecimento de ideias sobre a realidade que gostaríamos de ver acontecer. Trazer as pessoas comuns, profissionais, pais e mães para a política, não permitindo que dinastias se revezem no poder conduzindo as decisões de acordo com interesses que não são os da sociedade brasileira.
03- QUAL A FUNÇÃO POLÍTICA DO ITV?
O ITV é um órgão autônomo de assessoramento ao PSDB (Partido da Social Democracia Brasileira). Estuda e propõe políticas públicas que deem resposta aos anseios do povo à luz da social democracia brasileira. Cabe destacar que por mais que o instituto seja ligado ao partido, PSDB, é independente. A discussão acerca da privatização da CEDAE é exemplo claro de discordância entre a política defendida pelo ITV e a aplicada pelos parlamentares. Tal fato reflete a independência e as liberdades de pensamento e convicção tão caros a quem, assim como nós, defende a democracia como um fim em si mesma.
04- QUAL A APLICABILIDADE DO ITV NA REGIÃO NORTE E NOROESTE FLUMINENSE?
O ITV fomenta e subsidia as discussões sobre os problemas da sociedade e suas soluções. As Regiões Norte e Noroeste Fluminense são extremamente carentes de políticas públicas inclusivas, modernas e sustentáveis. O Estado do Rio de Janeiro, e as Regiões Norte e Noroeste em especial, sofrem as consequências de historicamente serem governadas por projetos populistas de poder, sem que em momento algum houvesse planejamento para atingir o desenvolvimento humano e social de forma integrada. Os municípios acabaram por ter uma relação de isolamento entre si e dependência em relação a capital, o que, aliado a ausência de projeto de desenvolvimento endógeno, nos condenou a todos a um imenso atraso quando comparados às regiões mais prósperas, como o interior de São Paulo (governado por vários anos pelo PSDB), por exemplo. Aí é que entra o ITV com as análises e propostas de políticas para o progresso sustentável e integrado não apenas da região, mas de todo o estado e do país.
05- EM UM MOMENTO ADVERSO POLÍTICO, DE UMA TOTAL CRISE ECONÔMICA, QUAL A MENSAGEM DE INCENTIVO E CONFORTO PARA NOSSA SOCIEDADE?
Vivemos problemas que advém do mau uso de uma ferramenta maravilhosa, a política. Esse instrumento capaz de levar a paz, de aplacar sofrimentos e de construir realidades de prosperidade e progresso precisa estar nas mãos de pessoas de bem, de cidadãos que vivam em seu dia a dia a realidade da maioria dos brasileiros, trabalhadores, empreendedores e pagadores de impostos, pessoas qualificadas para a tarefa de representar de fato o nosso povo. As pessoas de bem precisam ocupar a política e fazer com que todo o potencial benéfico desta ferramenta seja posto a serviço da sociedade.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS