Spcine Play disponibiliza clássicos do cinema nacional gratuitamente
Matheus Berriel 25/03/2020 14:48 - Atualizado em 26/03/2020 09:32
Fã do cineasta José Mojica Marins, morto no mês passado e que tem 10 filmes na Spcine Play, Wellington Cordeiro elogiou a medida adotada pela plataforma
Fã do cineasta José Mojica Marins, morto no mês passado e que tem 10 filmes na Spcine Play, Wellington Cordeiro elogiou a medida adotada pela plataforma / Reprodução/Facebook
Única plataforma pública de streaming do Brasil, a Spcine Play, da Prefeitura de São Paulo, está desde a semana passada com todo o seu acervo liberado gratuitamente pelo período de 30 dias. A iniciativa é mais uma nos ramos de cultura, entretenimento e lazer para incentivar que as pessoas fiquem em casa durante a pandemia do novo coronavírus. No acervo, há filmes nacionais destacados, como “O Beijo da Mulher Aranha” (1985) e “Carandiru” (2003), ambos de Hector Babenco, e “Liberdade de Imprensa” (1967), de João Batista de Andrade. Também há obras de Zé do Caixão e Suzana Amaral, entre outros. Todas as produções disponibilizadas podem ser assistidas a partir do site spcineplay.com.br.
A memória musical tem espaço no acervo, com os documentários “Nelson Cavaquinho” (1969), de Leon Hirszman; “Cartola, música para os olhos” (2006), de Hilton Lacerda; “Jards Macalé, um morcego na porta principal” (2008), de João Pimentel e Marco Abujamra; “Titãs: A vida até parece uma festa” (2009), de Branco Melo e Oscar Alves; “Um Homem de Moral” (2009), de Ricardo Dias, sobre Paulo Vanzolini; e “Vou rifar meu coração” (2012), de Ana Riepper,uma viagem ao imaginário afetivo brasileiro a partir da obra dos principais nomes da música romântica (brega).
Morto em fevereiro, aos 83 anos, o cineasta José Mojica Marins tem parte de sua obra na plataforma. Podem ser conferidos os títulos “A Sina do Aventureiro” (1958), “A meia-noite levarei sua alma” (1964), “Esta noite encarnarei no teu cadáver” (1967), “O estranho mundo do Zé do Caixão” (1968), “O despertar da besta” (1969), “Finis Hominis - O fim do homem” (1971), “A estranha hospedaria dos prazeres” (1976), “Inferno carnal” (1977), “Delírios de um anormal” (1978), “Demônios e maravilhas” (1987). Fã de José Mojica, o fotógrafo e produtor cultural campista Wellington Cordeiro elogiou a iniciativa.
— Este momento de crise tem proporcionado algumas ações importantes para o isolamento social, mas também para o futuro, apresentando às pessoas outras possibilidades de arte e cultura. Espero que fique esse legado de valorização do cinema, principalmente o nacional. A disponibilização de parte da produção de José Mojica Marins é um acalanto para nós, fãs, para que sua obra seja conhecida e respeitada por um maior número de pessoas — afirmou.
Na semana passada, estrearam na Spcine Play sete filmes dirigidos por mulheres. Seis deles são da cineasta brasileira Ana Carolina: “Mar de Rosas”, “Das Tripas Coração”, “Sonho de Valsa”, Amélia”, “Gregório de Mattos” e “A Primeira Missa“. Outra novidade é“O Despertar da Formigas”, de Antonella Sudasassi Furniss.
A curadoria exibe filmes das principais mostras e festivais de cinema de São Paulo, ação inédita entre serviços do gênero. O conteúdo fica acessível simultaneamente aos eventos e segue disponível na plataforma. A Spcine Play também exibe séries e conteúdos exclusivos da programação cultural paulista, como shows, espetáculos e performances para assistir sem sair de casa.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS