Italva com eleição adiada para junho
- Atualizado em 17/03/2020 20:44
Por unanimidade, o colegiado do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio de Janeiro aprovou, na sessão desta terça-feira, o adiamento, para 21 de junho, da data de votação das novas eleições para prefeito e vice do município de Italva, com mandato que termina em 31 de dezembro deste ano. Com a mudança, outras datas do calendário das eleições suplementares terão que passar por adequações. No dia 30 de março, quando a Corte volta a se reunir, o calendário eleitoral com as novas datas deverá ser divulgado. O adiamento das eleições suplementares faz parte de um conjunto de medidas institucionais anunciadas pelo Tribunal para ajudar a conter a propagação do coronavírus.
A prefeita e o vice-prefeito de Italva eleitos em 2016 — Margareth do Joelson (PP) e Bruninho (PV), respectivamente — foram cassados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Margareth diz que ainda recorre ao Supremo Tribunal Federal (STF) para voltar ao cargo. A cassação, em dezembro do ano passado, foi por compra de votos no pleito de 2016.
O ministro relator da ação no TSE, Og Fernandes, afirmou que o TRE comprovou a prática de compra de votos pelos candidatos eleitos. Na operação de busca realizada, às vésperas do pleito, no comitê de campanha situado na residência da candidata, o ministro informou que os fiscais apreenderam 204 bonecas, diversas cópias de títulos eleitorais, documentos de identidade, contas de energia elétrica de eleitores, entre outras peças.
Por enquanto, quem responde pelo Executivo municipal é Alcirley Lima (Patri), que presidia a Câmara quando o TSE confirmou a cassação. (A.N.)
Mais sobre coronavírus nas páginas 3, 6, 7 e Folha Dois (capa)

ÚLTIMAS NOTÍCIAS