Entidades propõem uso de redes digitais para comércio amenizar crise
- Atualizado em 24/03/2020 22:51
Diante da situação ameaçadora que vive o comércio local em razão da paralisação das atividades devido ao Covid-19, entidades empresariais como a Câmara de Dirigentes Lojistas de Campos(CDL), Associação Comercial e Industrial de Campos (Acic), Sindicato do Comércio Varejista, Federação das Indústrias do Estado do Rio (Firjan), além do Sebrae e Prefeitura divulgaram uma carta de apoio e conscientização aos comerciantes para meios de amenizar os impactos da crise.
A carta enfatiza que “o coronavírus está mudando, de forma dramática, a forma como vivemos no mundo. As pessoas, por quanto tempo ainda não sabemos, não podem ir ao trabalho, as crianças não podem ir às escolas e a circulação está restrita. As economias mundial, nacional e local sofrerão graves impactos. É preciso encontrarmos, juntos, alternativas para a minimização desses impactos”.
As entidades então pregam união na luta para manter o trabalho ativo nas empresas de Campos dos Goytacazes, garantindo, ou minimizando a perda, da renda de empresários, trabalhadores e microempreendedores individuais (MEI). “Nesse sentido, as entidades abaixo nomeadas manifestar sua união na luta para manter o trabalho ativo nas empresas de Campos garantindo, ou minimizando a perda, da renda de empresários, trabalhadores e microempreendedores individuais (MEI)”.
O documento destaca ainda a criação e um grupo de trabalho para ajudar empresários, MEIs e trabalhadores a encontrarem caminhos para a comercialização de seus produtos e serviços. “Convidamos startups, empresas de base tecnológica, pesquisadores e professores de universidades, desenvolvedores e programadores a juntarem-se a nós na busca de soluções. Se você possui uma empresa de tecnologia que permite o canal direto e gratuito entre empresas e consumidores entre em contato para divulgarmos e contribuirmos ainda mais com o ecossistema local”.
As entidades frisam também que “existem soluções disponíveis a serem usadas como iFood, ‘WhatsApp Business’, ‘Facebook para Empresas’ e outras redes. Outras são de abrangência local como: Achei Campos, Pediu Farma e Uny. Vimos assim, encorajar empresários e MEIs a utilizarem essas ferramentas e nos colocar à disposição para orientarmos aqueles que tiverem dificuldades em usá-las”, finaliza. (A.N.)

ÚLTIMAS NOTÍCIAS