Presidente do Americano promete conclusão do novo estádio Godofredo Cruz em 2024
28/12/2023 | 19h34
Edson Rangel, Paulo César Paes de Freitas e Tolentino Reis
Edson Rangel, Paulo César Paes de Freitas e Tolentino Reis / Foto: Reprodução de vídeo
Sem estádio desde 2013, quando trocou a sua antiga sede, no Parque Tamandaré, pelo espaço do complexo esportivo que desde 2015 sedia o Centro de Treinamento Eduardo Viana, no Parque Aeroporto, o Americano terá o novo Godofredo Cruz a partir do final de 2024. Pelo menos é o que garantiu nesta quinta-feira (28) o novo presidente alvinegro, Tolentino Reis, em vídeo divulgado pelo clube nas redes sociais. A promessa ocorreu após reunião com o presidente da construtora Imbeg, Paulo César Paes de Freitas.
Originalmente, o novo Godofredo Cruz deveria ter sido concluído em 2017. Após adiamento, foi criada uma comissão com diretores, conselheiros e sócios do Americano, para acompanhar o processo, ficando a conclusão da obra prevista para 2020. Novos adiamentos ocorreram desde então, por diferentes motivos alegados pela Imbeg, sendo um deles a pandemia da Covid-19. Atualmente, a obra tem cerca de 75% realizados.
Aclamado e empossado presidente do Americano no último dia 21, o empresário carioca Tolentino Reis colocou a entrega do estádio entre as suas prioridades, junto à de transformar o Cano num clube-empresa. No dia da eleição e posse, ele inclusive anunciou que já havia marcado uma reunião com representante da Imbeg, agora realizada.
— A gente vai se ajudar. Já está alinhado, e nós vamos concluir a obra. No final do ano que vem, o estádio vai estar pronto — prometeu Tolentino no vídeo divulgado pelo Americano.

Também foi mencionado pelo presidente alvinegro o desejo de contar com mais um campo no CT Eduardo Viana, para que seja usado em treinos das categorias de base. O encontro entre Tolentino Reis e Paulo César Paes de Freitas foi alinhado pelo recém-aclamado presidente do conselho deliberativo alvinegro, o advogado Edson Carvalho Rangel, que em 2013 também presidia o conselho e participou do acordo para o Americano trocar a antiga sede pelo atual complexo.
Compartilhe
Filho e netos de Gilberto Gil, Gilsons estão construindo a própria história
21/12/2023 | 20h44
Show dos Gilsons na praia dos Cavaleiros
Show dos Gilsons na praia dos Cavaleiros / Foto: Matheus Berriel
Pela primeira vez no Norte Fluminense, o trio Gilsons animou a noite de quarta-feira (20) de moradores e visitantes de Macaé. Um grande público compareceu à praia dos Cavaleiros para curtir o som de José, Francisco e João Gil, que desde 2018 têm se notabilizado por ilustrar a pluralidade da música brasileira mesclando com qualidade gêneros como samba, pop, rap e afoxé.
— Já tocamos em Búzios, na Região dos Lagos, e vamos estar em Rio das Ostras também. Aqui em Macaé, nunca tínhamos vindo. Estamos amarradões. Tivemos um almoço muito agradável, pegamos uma praia, demos um mergulho, curtimos o dia. Passamos o som mais cedo, e algumas pessoas já ficaram assistindo; deu para trocar um pouquinho com o pessoal daqui. Está sendo muito bacana — disse José Gil minutos antes do show, descrevendo uma receptividade que seria maior a cada sucesso executado, como “Várias queixas”, “Algum ritmo”, “Deixa fluir”, “Devagarinho” e “Love love”.
Filho do célebre cantor e compositor Gilberto Gil, José é tio dos outros dois integrantes do trio. Afinal, Francisco e João são filhos das cantoras Preta e Nara Gil, respectivamente, e netos do ex-ministro da Cultura do Brasil. Contudo, engana-se quem pensa que o trio se limita a seguir os passos das mães e do avô.
— A gente não busca defender uma bandeira; na verdade, a gente tem a nossa. A gente faz o nosso som e vem construindo o nosso trabalho, nos últimos anos, com muita inspiração vindo da nossa família. Estamos construindo a nossa história, já no segundo ano do projeto “Pra gente acordar”, e felizes por estar aqui em Macaé fazendo esse show, trazendo o nosso primeiro disco para cá — destacou Francisco Gil.
Em junho, os Gilsons foram duplamente reconhecidos no Prêmio da Música Brasileira. O trio venceu as categorias melhor grupo de pop/rock e melhor projeto audiovisual, justamente com o álbum que empresta nome e canções à atual turnê.
— Essa coisa da premiação é sempre subjetiva. É legal estar lá, é legal participar, mas os momentos mais incríveis sempre são em cima do palco, as histórias que a gente vai vivendo nessa troca real da música. O Prêmio da Música Brasileira é muito legal, estava voltando (após cinco anos) e é um prêmio muito importante. A gente também já esteve em outros legais. É isso: a gente fica feliz por ver o reconhecimento acontecendo, mas o que a gente mais gosta é de show na praça, show popular para a galera, de graça. Temos feito essa turnê pelo Rio, girando por algumas lonas culturais, com alguns shows assim, e a gente fica muito amarradão — finalizou Francisco, corroborado pelo primo João Gil.
O show dos Gilsons em Macaé foi realizado pela Fundação de Artes do Rio de Janeiro (Funarj), em parceria com a secretaria municipal adjunta de Turismo. Amiga dos músicos e moradora da cidade, a cantora Kinnye fez participação especial. Na noite desta quinta-feira (21), o trio segue a turnê com um show na Concha Acústica de Rio das Ostras, às 20h30, em mais uma iniciativa do projeto Funarj Musical.
Compartilhe
Tolentino Reis é aclamado e empossado presidente do Americano
21/12/2023 | 18h14
Posse de Tolentino Reis como presidente do Americano
Posse de Tolentino Reis como presidente do Americano / Foto: Matheus Berriel
O empresário carioca Tolentino Reis, atuante no Rio de Janeiro e em Armação dos Búzios, é o novo presidente do Americano. Conforme antecipado pela Folha, ele foi o único candidato na eleição alvinegra, realizada na tarde da última quinta-feira (21), no Clube de Regatas Saldanha da Gama, em Campos. Aclamado e já empossado, Tolentino assumiu um mandato inicialmente válido por três anos, mas trata como prioridade ampliar o período de gestão para tornar viável um projeto de clube-empresa a longo-prazo. Essa, inclusive, foi uma contrapartida para a sua candidatura.
— Estou assumindo a presidência para a gente trabalhar nos moldes que eu preciso para transformar o Americano num clube-empresa. Posteriormente, é a minha empresa que vai tomar conta do clube, e a gente vai trazer investimentos. Vou trazer todos os meus investidores. Estou muito entusiasmado com o que estou vendo no clube, com a qualidade dos atletas da base e a receptividade que estou tendo. Ficou tudo muito alinhado. A gente está muito tranquilo para trabalhar da forma como tem que trabalhar, e o conselho também apoiando isso — disse Tolentino Reis após a posse, prestigiada por torcedores, ex-dirigente e ex-torcedores do Americano.
Entre as mudanças previstas está a atualização do estatuto alvinegro, permitindo um trabalho mais duradouro enquanto clube-empresa. Segundo Tolentino, ele está alinhado com o conselho deliberativo para colocar o projeto em prática. “Essa é a solução. O Americano não pode viver da forma que vive: de um que chega e bota um dinheiro, outro que tem um coração voltado à torcida e quer ajudar. Tem que ter dinheiro. Futebol é recurso, não tem outra história. Se a gente continuar nesse sistema de associação, está fadado ao fracasso”, enfatizou.
O nome de Tolentino Reis surgiu oficialmente no Americano após adiamentos da eleição a presidente em três oportunidades, todas elas devido à ausência de candidatos. Fundador do projeto social Instituto Formando Campeões (IFC) e do evento de lutas Gringo Super Fight, ele foi candidato a prefeito de Búzios em 2020, ficando em quarto naquela eleição, com 852 votos.
No projeto original apresentado a personagens da política alvinegra, Tolentino Reis propôs um contrato de clube-empresa com validade de no mínimo 10 anos. Esse acordo se dará junto à empresa de consultoria em gestão empresarial ATR Company, administrada pelo próprio Tolentino.
Constam na lista de metas do projeto, a curto ou médio prazo, recolocar o Americano na primeira divisão do Campeonato Estadual, investir nas categorias de base e criar um projeto sólido de sócio-torcedor, com direito a clube de vantagens. Já para médio ou longo prazo, é almejado recolocar o clube no cenário nacional, buscando a entrada na Série D do Campeonato Brasileiro e acessos até a primeira divisão, bem como finalizar a construção do novo estádio Godofredo Cruz, em Guarus. Durante o evento desta quinta, Tolentino Reis informou já ter agendado para a próxima terça-feira (26) uma reunião com representantes da Imbeg, empresa responsável pela obra, buscando avanços para a realização dos cerca de 25% restantes. Também é planejada a criação de escolinhas de futebol e projetos sociais.
Um dos principais fundos de investimento dos Emirados Árabes Unidos, o Mubadala é mencionado como possível parceiro ou patrocinador do Americano enquanto clube-empresa.
Na chapa de Tolentino Reis, também foram aclamados e empossados o novo vice-presidente-executivo do Cano, Francisco Barros, que já havia integrado a diretoria alvinegra durante a recente gestão de Vagner Xavier; e a nova vice-presidente de comunicação, Laila Póvoa. Estão definidos os nomes do diretor-executivo, Bruno Mercante, e do diretor de futebol, o agente Fifa Francis Leonardo, ambos presentes na cerimônia de posse.
O conselho deliberativo do Cano, por sua vez, será presidido pelo advogado Edson Carvalho Rangel. Ex-jogador alvinegro, ele foi presidente administrativo do clube do final dos anos 1980 ao início da década de 1990, além de ter presidido o próprio conselho deliberativo, por vários anos, e de ter integrado a diretoria durante parte da gestão do ex-presidente César Gama, encerrada em 2014. No atual conselho deliberativo, Edson terá como vice-presidente Rider Gonçalves, outro que fez parte da última diretoria.
Posse da nova diretoria do Americano
Posse da nova diretoria do Americano / Foto: Matheus Berriel
Compartilhe
Ronaldo Júnior é aclamado presidente da Academia Campista de Letras
19/12/2023 | 14h41
Ronaldo Júnior, ao centro, encabeça a chapa aclamada nessa segunda
Ronaldo Júnior, ao centro, encabeça a chapa aclamada nessa segunda / Foto: Divulgação.
Recém-premiado no 58ª Festival de Música e Poesia de Paranavaí (Femup), no Paraná, o escritor e poeta Ronaldo Júnior será o próximo presidente da Academia Campista de Letras (ACL). Candidato em chapa única, ele foi aclamado na noite dessa segunda-feira (18) para ficar à frente da ACL nos dois próximos anos. Substituirá o advogado e escritor Christiano Fagundes, que presidiu a entidade no biênio 2022-2023.
Carioca radicado em Campos desde 2005, Ronaldo Júnior tem 27 anos e é membro da ACL desde outubro de 2018. Também integra a Academia de Letras do Brasil (ALB) seccional Campos e a Academia Pedralva Letras e Artes, além de já ter sido vice-presidente do Conselho Municipal de Cultura. Em 2019, seu livro “Ideário poético da Independência” recebeu nota máxima no Prêmio de Incentivo à Publicação Literária, do Governo Federal. Já este ano, Ronaldo teve a sua poesia “Dobradura de poema” reconhecida no Femup, ficando entre as nove premiadas na categoria nacional. No portal Folha1, ele é autor do blog “Extravio”, em que divulga a sua produção literária.
Além de Ronaldo Júnior, a chapa aclamada na ACL nessa segunda-feira também conta com os professores e escritores Adriano Moura e Carlos Augusto Souto de Alencar, eleitos primeiro e segundo vice-presidentes, respectivamente, e Sylvia Paes e Sérgio Arruda de Moura, primeira e segundo secretários; a médica e escritora Vanda Terezinha Vasconcelos, diretora de patrimônio; o historiador Genilson Paes Soares e o advogado Christiano Fagundes, primeiro e segundo tesoureiros. A nova assessoria cultural é formada pelo jornalista e poeta Aluysio Abreu Barbosa, diretor da redação da Folha da Manhã, junto às professoras Ana Raquel Pourbaix e Edinalda Maria Almeida da Silva. Já o conselho fiscal tem o economista Alcimar Chagas, o advogado Levi Quaresma e o médico e memorialista Welligton Paes, com a contista Cândida Albernaz de suplente.
Compartilhe
Agora com pré-candidato a presidente, Americano pode se tornar clube-empresa
16/12/2023 | 15h55
CT do Americano
CT do Americano / Foto: Folha da Manhã
Após um longo impasse, o Americano caminha para definir a sua próxima diretoria executiva. Em Assembleia Geral neste sábado (16), ficou pré-entendido que o empresário carioca Tolentino Reis, atuante no Rio de Janeiro e em Armação dos Búzios, deve ser o próximo presidente do clube. A candidatura dele é dada como certa, não havendo atualmente outro postulante ao cargo. O conselho deliberativo, por sua vez, tende a ser encabeçado pelo ex-presidente Edson Rangel. A eleição de ambos os poderes está prevista para os próximos dias, com a posse marcada para quinta-feira (21), em evento no Clube de Regatas Saldanha da Gama.
Em abril, setembro e neste sábado, a eleição do Americano precisou ser adiada devido à inexistência de chapas para a diretoria executiva. Dessa vez, porém, foi apresentado o interesse de Antônio Carlos Reis Tolentino em assumir o clube. Tolentino Reis, como é conhecido, inclusive já visitou e fez elogios à sede alvinegra. Fundador do projeto social Instituto Formando Campeões (IFC) e do evento de lutas Gringo Super Fight, ele foi candidato a prefeito de Búzios em 2020, pelo Podemos, ficando em quarto na eleição, com 852 votos.
O projeto apresentado pelo pré-candidato a personagens da política alvinegra é condicionado a tornar o Americano um clube-empresa, com contrato de no mínimo 10 anos. Esse acordo seria feito junto à empresa de consultoria em gestão empresarial ATR Company, administrada por Tolentino Reis.
Entre os objetivos a curto ou médio prazo do projeto de clube-empresa, destacam-se os de recolocar o Americano na primeira divisão do Campeonato Estadual, investir nas categorias de base e criar um projeto sólido de sócio-torcedor, com direito a clube de vantagens. Já para médio ou longo prazo, é almejado recolocar o clube no cenário nacional, buscando a entrada na Série D do Campeonato Brasileiro e acessos até a primeira divisão, bem como finalizar a construção do novo estádio Godofredo Cruz. Um dos principais fundos de investimento dos Emirados Árabes Unidos, o Mubadala, é mencionado como possível parceiro ou patrocinador.
Também integram a provável chapa de Tolentino Reis os pré-candidatos a primeira vice-presidente, Laila Siqueira Póvoa Gonçalves Cordeiro, e a segundo vice-presidente, Francisco Barros (este, membro da diretoria alvinegra durante a recém-encerrada gestão de Vagner Xavier).
Já para a presidência do conselho deliberativo, foi definido neste sabado o nome do advogado Edson Carvalho Rangel, ex-jogador do Americano e que presidiu o clube do final dos anos 1980 ao início da década de 1990. Ele também já foi presidente do próprio conselho deliberativo, por vários anos, e membro da diretoria durante parte da gestão de César Gama, encerrada em 2014. No atual conselho deliberativo, Edson terá como vice-presidente Rider Gonçalves.
Desde setembro, o Americano é dirigido por uma junta administrativa, cuja validade iria até o final de novembro. Formada pelo então presidente, Vagner Xavier; o então presidente do conselho deliberativo, Octávio Fernandes; além de Francisco Barros, Roberto Pessanha, Rider Gonçalves, Jonas Mendes, Luiz Carlos Mattos Tavares e Élcio dos Santos, a junta foi criada após os adiamentos da eleição, em razão da ausência de candidaturas.
Compartilhe
Pela terceira vez, eleição para presidente do Americano não tem chapas registradas
15/12/2023 | 14h55
CT do Americano
CT do Americano / Foto: Folha da Manhã
Pela terceira vez, o prazo para inscrição de chapas na eleição do próximo presidente do Americano terminou sem postulantes ao cargo. Apesar disso, está mantida para este sábado (16) a Assembleia Geral Ordinária, em que deverá ser definido o futuro da gestão. A informação foi confirmada ao blog pela assessoria de imprensa do clube campista.
Em setembro, o Americano passou a ser dirigido por uma junta administrativa, cuja validade iria até o final de novembro. Formada pelo então presidente, Vagner Xavier; o então presidente do Conselho Deliberativo, Octávio Fernandes; além de Francisco Sérgio de Oliveira Barros, Roberto Pessanha, Rider Gonçalves, Jonas Mendes, Luiz Carlos Mattos Tavares e Élcio dos Santos, a junta foi criada após não terem sido registradas chapas no pleito original, que aconteceria em abril, nem no primeiro adiamento, para setembro.
Teoricamente, o Cano está sem presidente desde a eliminação nas oitavas de final da Copa Rio, no dia 6 de setembro. Àquela altura, o mandato de Vagner Xavier já havia terminado, mas ele o prorrogou para que o clube tivesse uma transição tranquila e não ficasse sem administração durante a disputa da Série A2 do Campeonato Estadual sub-20, da qual o Cano foi vice-campeão. Embora o futebol profissional do clube esteja temporariamente inativo, pois não há competições em andamento, a base continua ativa, tendo inclusive conquistado o Campeonato Regional sub-17 na última semana. Junto ao mandato de Vagner, também terminou o de Octávio Costa Fernandes no Conselho Deliberativo.
— Continuo apenas assinando como representante do clube, porque a gente precisa ter um representante junto à Federação e a própria Justiça. O meu mandato e o do conselho terminaram em 30 de agosto — disse Vagner Xavier quando foi criada a junta admnistrativa. — Eu já dei a minha contribuição. Depois de César Gama, eu sou o presidente que ficou mais tempo no mandato, por três anos e meio — complementou.

Compartilhe
Tavinho, de São Fidélis, recebe prêmio de melhor jogador de futevôlei do Brasil
13/12/2023 | 19h04
Tavinho com o anel de melhor do país
Tavinho com o anel de melhor do país / Foto: Reprodução/Instagram
Natural de São Fidélis, o atleta Tavinho recebeu o prêmio de melhor jogador de futevôlei do Brasil em 2023. O anel alusivo à honraria foi entregue na noite dessa terça-feira (13), em evento de gala promovido pela organização Novo Futevôlei Brasil (NFVB), realizadora do evento Jogo Contra. Dois dias antes, no Rio de Janeiro, o fidelense foi campeão da Liga Nacional de Futevôlei, defendendo o Botafogo.
Com 26 anos, Otávio Souza conquistou vários títulos na modalidade durante este ano. Destaque para o do Campeonato Mundial, no mês de outubro, em Santa Catarina, tendo como parceiro o manauara Amaury Gomes. Tratou-se do segundo título mundial para o fidelense, tendo o primeiro sido conquistado em 2017, na Espanha, em dupla com o carioca Eduardo Papel. 
Compartilhe
Revelação do Grêmio, Nathan Fernandes fará jogo beneficente em Campos no próximo domingo
13/12/2023 | 15h24
Nathan Fernandes balançou a rede contra o Flamengo
Nathan Fernandes balançou a rede contra o Flamengo / Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA
Criado no Parque Santa Rosa, em Campos, o atacante Nathan Fernandes fará uma pelada beneficente em sua cidade natal neste domingo (17), arrecadando alimentos para serem doados a pessoas carentes. Revelação do Grêmio de Porto Alegre, ele tem se destacado pelo time profissional, aos 18 anos, e será a grande atração do evento Nathan e amigos, marcado para as 9h, no campo do Grêmio de Custodópolis. Também estão confirmados atletas campistas das categorias de base de Flamengo, Vasco, Grêmio, Bahia e Atlético Goianiense.
Vinculado ao Grêmio até maio de 2028, com multa rescisória de U$ 60 milhões (cerca de R$ 316 milhões), Nathan Fernandes foi relacionado para 18 jogos do Campeonato Brasileiro. Atuou em 11 deles, com destaque para a vitória por 3 a 2 sobre o Flamengo, em outubro, quando marcou o gol da virada, e o triunfo por 1 a 0 sobre o Vasco, no último dia 3, dando assistência para o gol de Luis Suárez. O bom desempenho rendeu elogios do técnico Renato Gaúcho.
Local do jogo beneficente de domingo, o campo do Grêmio de Custodópolis foi onde Nathan Fernandes deu seus primeiros passos no futebol. Além da equipe do subdistrito de Guarus, ele também defendeu em Campos a Academia de Futebol André Pimpolho (Afap). Está no Grêmio Portoalegrense desde os 11 anos de idade, tendo passagens pelas Seleções Brasileiras sub-16 e sub-20. Nos últimos anos, foi observado por clubes como Ajax, da Holanda; Real Madrid e Barcelona, da Espanha; Bayer Leverkusen, da Alemanha; e Roma, da Itália. Também integrou uma lista da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) com nomes de 18 jogadores que demonstram potencial para disputar as Olimpíadas de 2024 e 2028 e as Copas do Mundo de 2026 e 2030.
Na última segunda-feira (11), Nathan recebeu uma homenagem na Câmara dos Vereadores de Campos. Ele está na cidade desde a semana passada, participando de alguns eventos e divulgando o deste domingo, que também terá presença do zagueiro Samuel, do sub-13 do Flamengo; do zagueiro Bruno André, do lateral-direito Thallis Azevedo e do meia-atacante Fábio Junior, jogadores do sub-17 do Vasco; do meia Gabriel Mec, que defende o sub-15 do Grêmio; do também meia Inácio Silva, atleta do sub-17 do Atlético Goianiense; e do volante Marcello, este atuante no sub-20 do Bahia.
Nathan Fernandes quando criança, na base do Grêmio de Custodópolis
Nathan Fernandes quando criança, na base do Grêmio de Custodópolis / Foto: Reprodução
Compartilhe
Compositor Zé Roberto elogia músicos de Campos e destaca resiliência do samba: 'Não pode e não vai morrer'
11/12/2023 | 16h06
Zé Roberto elogiou músicos de Campos que o acompanharam
Zé Roberto elogiou músicos de Campos que o acompanharam / Foto: Matheus Berriel
Autor de sucessos gravados por Zeca Pagodinho, Jorge Aragão, Arlindo Cruz, Almir Guineto, Fundo de Quintal, Reinaldo, Xande de Pilares, Revelação e Grupo Raça, o veterano compositor Zé Roberto se apresentou em Campos pela primeira vez. Foi na tarde do último domingo (10), no Malandro Botequim, onde cantou por uma hora algumas das suas principais músicas. E o que se viu e ouviu foi uma demonstração de resiliência tanto do samba quanto do próprio Zé Roberto, que, em entrevista ao blog, revelou ter relação familiar com Campos.
— Minha saudosa mãe, que partiu há 52 anos, é nascida aqui em Campos. Até perguntei no show se havia alguém com sobrenome Rangel, porque ela tem sobrenome Rangel, e apareceram umas três pessoas (risos). Acho que tenho alguns parentes aqui, pode ser que exista uma relação — diz o carioca Zé Roberto, autor de sambas como “Conselho”, “Inigualável paixão”, “Retrato cantado de um amor”, “Amar é bom”, “Vacilão”, “O penetra”, “O pai coruja”, “Pra que brigar?”, “Amar é bom”, “Em um outdoor”, “Além do normal”, entre outros.
Além do público lotando o bar, o compositor foi recepcionado por músicos da planície goitacá, responsáveis por acompanhá-lo no show. Conhecidos no cenário musical campista, os cantores Ed Ébano e Irene Rufino integraram a mesa.
— Nota 10 para a rapaziada. A galera é fantástica, participativa. Encontrei uma mesa maravilhosa, com músicos maravilhosos. Só tenho que elogiar a rapaziada, que é muito boa — diz Zé Roberto.
Dar destaque a sambistas em ascensão, aliás, é algo que ele aponta como essencial para o futuro do gênero.
— O samba sempre tem que ter renovação. Assim como existiu Candeia, viemos eu, Arlindo, Zeca, e vão aparecer outros também. A renovação tem que existir. A gente pede a Deus que o samba continue se renovando, porque a gente está encontrando algumas dificuldades. Hoje, se dá mais atenção para o sertanejo. O samba já não está mais na ponta. Então, a gente pede a Deus que pelo menos haja um lugarzinho para o samba. O samba não pode morrer e não vai morrer. Agoniza, mas não morre — enfatiza o compositor, mencionando o título do mais famoso samba de Nelson Sargento.
Dono de uma extensa e exitosa obra, Zé Roberto reduziu a produção nos últimos anos. Em evidência no álbum “Zeca apresenta o quintal do Pagodinho ao vivo”, lançado por Zeca Pagodinho em 2012, ele passou a se dedicar à divulgação das músicas que o consagraram durante os mais de 40 anos de estrada.
— Não tenho muito tempo para compor. Nem estão mais gravando. Hoje, é tudo nas redes sociais. Eu fiz um EP e provavelmente vou fazer um audiovisual no ano que vem. Vai acontecer o que tiver que acontecer nas redes sociais. O caminho agora é esse, e a gente tem que se adaptar, não tem jeito. Eu não entendo muito disso, mas tenho uma galera que trabalha para mim: minhas filhas, meu genro... É por aí! — finaliza.
Compartilhe
Campista é convocado para o Campeonato Sul-Americano de Pesca
06/12/2023 | 16h43
Marcelo Fernandes da Silva durante pesca no Rio Negro, em Manaus
Marcelo Fernandes da Silva durante pesca no Rio Negro, em Manaus / Foto: Wellington Cordeiro
Campos terá um representante no Campeonato Sul-Americano de Pesca. Terceiro colocado com a Seleção Fluminense no Brasileiro de Seleções, em junho, Marcelo Fernandes da Silva foi um dos quatro convocados pela Confederação Brasileira de Pesca e Lançamento - Nova Pesca Brasil (CBPL NPB) na categoria master, nessa terça-feira (5). A competição será disputada de 4 a 8 de março do próximo ano, em Pilar, no Paraguai.

Marcelo é o primeiro campista a ser convocado para o Campeonato Federativo da Confederação Sul-Americana de Pesca e Lançamento. Além de atleta de pesca esportiva, ele é também guia turístico, levando pessoas de vários países para praticar a modalidade na Amazônia. O campista é ainda diretor da ONG Ecoanzol.
Compartilhe