Lembrando o Velho Cury
25/02/2011 | 12h47
CLIQUE AQUI E OUÇA JORGE CURY Se vivo fosse, Jorge Cury estaria hoje completando 95 anos. Nascido em Caxambu, interior de Minas Gerais, Cury se projetou no rádio do Rio de Janeiro, onde se tornou um dos mais importantes narradores do futebol brasileiro, atuando em nove Copas do Mundo. Nesta postagem, um áudio com a sua forte despedida da Rádio Globo, onde mostra a mesma firmeza que caracterizou suas transmissões.
Comentar
Compartilhe
"Eu sou o rádio"
06/10/2010 | 03h23
ÁUDIO AQUI >>> CLIQUE E OUÇA 'EU SOU O RÁDIO' São tantos os grandes profissionais de Comunicação que o Rádio nos ofereceu ao longo desses anos que vou preferir apresentá-los ao invés de elencar posições numa ou outra escala de importância; vamos colocar todas essas vozes mágicas no lugar mais alto do pódio, expondo nossa gratidão pelos capítulos dessa longa e bela história do Rádio em cada cantinho desse país e reafirmando nossa responsabilidade de continuar realizando um Rádio verdadeiro, responsável e voltado para divertir, informar e prestar serviço às comunidades. Na primeira postagem, citei de forma especial e singular o companheiro Talvanes Coutinho apenas pelo fato de ter sido ele o grande ídolo radiofônico de minha infância e um dos incentivadores dessa minha paixão pelo microfone. Hoje, estamos postando um áudio com a voz do radialista Hélio Ribeiro, para muitos o maior comunicador que Rádio brasileiro já teve. Ele inspirou Chico Anísio na criação do personagem Roberval Taylor. Neste trecho de áudio, Helio nos apresenta um texto de sua autoria, intitulado “Eu sou o rádio”. Helio Ribeiro é o nome artístico de José Magnoli, nascido em São Paulo, onde se tornou célebre na década de 70, na Rádio Bandeirantes, onde apresentava suas crônicas no Jornal do Meio Dia. Ninguém conseguiu fazer o que Helio fazia nas traduções das músicas internacionais. Ele simplesmente buscava o contexto da música e declamava sobre ela, sem o menor compromisso de mostrar exatamente e que dizia verso por verso. Morreu no ano 2000.  Visite o Memorial Helio Ribeiro.
Comentar
Compartilhe
O Rádio é uma cachaça
05/10/2010 | 06h32
O Rádio pode não ser o mais completo meio de comunicação criado pelo homem, mas é o mais eficiente e encantador. Desde menino sempre fui um apaixonado por aquela caixinha mágica que, mesmo sem contar com a imagem da TV ou do Cinema, nos traz cenas e mais cenas cheias de cores e luzes. A arte dos grandes comunicadores é algo notável. E foram tantos que pude ouvir, admirar e me tornar companheiro ao longo dessas quatro décadas de paixão pelo Rádio que me vejo na obrigação de fazer das postagens do “Valvulado e a luz” um tributo a esses homens e mulheres dotados por Deus do mágico poder de comunicação pura e cristalina, do relato perfeito que denuncia, reivindica, diverte, conforta e aconselha. Nesta primeira postagem gostaria de homenagear quatro pessoas especiais na minha pequena jornada dentro do rádio, iniciada oficialmente em agosto de 1992, na Rádio Continental de Campos, do Grupo Folha da Manhã. Primeiro gostaria de agradecer a acolhida de Arnaldo Garcia, Fernando Antônio e Fabiano Venâncio, três padrinhos e amigos especiais que me permitiram uma oportunidade na Prova Ciclística do Santíssimo Salvador, uma ponta que acabou por me abrir as portas do Rádio. Gostaria ainda de falar da saudade de Talvanes Coutinho, o meu grande ídolo no Rádio e o maior comunicador da minha época. Agradeço a Deus a oportunidade de ter trabalhado com Talvanes e ter me tornado seu amigo. Foram muitas as tardes cheias de alegria na Continental (quando os estúdios ainda eram na Rua 13 de Maio). Talvanes e sua secretária Claúdia davam um verdadeiro show de comunicação na condução do programa e eu na sala de jornalismo apurando as notícias a partir de um velho Motorádio, já que naquela época ainda não contávamos com internet. Gostaria também de agradecer a Aluysio Abreu Barbosa, Diretor de Jornalismo da Folha da Manhã, a oportunidade de assinar um blog falando sobre Rádio no portal do mais importante jornal do interior do Estado do Rio de Janeiro. Apesar de ser genuinamente um homem de jornal, especialista na comunicação a partir das teclas, Aluysio sempre demonstrou respeito e carinho pelo Rádio e quando resolveu que a Folha teria um blog com essa temática me “elegeu”, o que me deixa orgulhoso e ciente da responsabilidade que terei. Pra finalizar, quero dizer que neste espaço colocarei as novidades do universo do Rádio, um pouco de sua história, as historinhas de bastidores (só as publicáveis), as características e a evolução dos aparelhos receptores ao longo dos anos, além de pequenos textos biográficos de profissionais radialistas (do microfone e da técnica). Novidades, sugestões e colaborações podem ser encaminhadas para o e-mail [email protected] Roubando um verso de Cazuza, finalizo dizendo que “mais uma dose, é claro que estou a fim”.
Comentar
Compartilhe