Campistas visitam Centro de Pesquisa Astronômica no Chile
25/08/2011 | 15h55
Welliton Pacheco Rangel, o querido Peninha, que já integrou o time da Folha da Manhã e hoje é coordenador de Eventos e Multimídia do campus Campos-Centro do IFF, está realizando uma visita à Organização Européia de Pesquisa Astronômica no Hemisfério Austral (ESO), no Chile, integrando uma equipe de professores e estudantes. O grupo permanecerá no Chile até sábado (27/08) e foi recepcionado pelo doutor Michael West, chefe do Escritório para Ciência no Chile. A viagem conta com apoio da Sociedade Astronômica Brasileira (SAB). O ESO é hoje o maior conjunto de astronomia do mundo. No último dia 8, no campus Campos-Centro, foi inaugurada a Escola de Astronomia e Astronáutica de Campos, implantada pelo IFF. Nesta postagem, duas fotos realizadas por Peninha no primeiro dia de visita ao complexo científico.
Comentar
Compartilhe
Severino e o jabá
23/08/2011 | 15h23
No meio do jornalismo uma das palavras mais folclóricas é “jabá”, no rádio convertida para “bizzi”. Pra quem não sabe, trata-se de compensação financeira por conta da exposição em mídia de um determinado produto ou personagem. Estou nesse meio (não do jabá, mas da Comunicação) desde 1992, quando iniciei a carreira na Rádio Continental. Não sou “bom samaritano”, mas sempre procurei comportamento diferente dos jabazeiros. Sempre acreditei que me comportando assim capitalizaria em outro campo, junto da empresa em que atuo e também diante da sociedade. Creio que assim acabou acontecendo. Cheguei a fazer algo que rotulo de “jabá com nota”, apresentando programas de rádio com participação de nomes da política local, como o deputado Paulo Feijó (Continental), Geraldo Venâncio (Continental), o Vereador Jorge Magal (atualmente apresento seu programa nas manhãs de sábado na Difusora), além de um programa em Quissamã, com participação de Armando Carneiro, hoje prefeito. Da prática do chamado “jabá-jabá” sempre procurei me esquivar. Entretanto, em algumas oportunidades (raríssimas) isso não foi possível. Severino Veloso foi um desses personagens que por umas, duas ou três vezes me deixaram sem alternativa. Meu contato maior com ele se deu quando estava na Editoria de Esportes da Folha da Manhã e ele era nadador vitorioso na categoria máster, ganhando medalhas aqui e ali, atravessando piscinas e países do mundo inteiro, representando o Automóvel Clube Fluminense e o Fluminense Futebol Clube, com apoio da Folha. Depois de um de nossos encontros para uma reportagem, quando o Natal se aproximava, me lembro que Severino me enfiou uma nota de 50 no bolso da camisa. Lembro-me que retruquei e parti pra recusar, ante sua voz conciliadora. “Menino, gosto de você. Você tem filhos pequenos. Estamos perto do Natal, compre um presente pra sua filha”, disse, ressaltando que “não vou falar pro Aluysio Barbosa”. Fiquei todo encabulado e não sabia com que cara voltaria a fazer uma reportagem com Severino caso uma nova pauta surgisse. Passados alguns meses, Severino me liga dando conta de novas medalhas conquistadas numa competição internacional realizada nas piscinas do Fluminense, no Rio de Janeiro. Marcou na casa dele, num horário bem próximo do almoço, e acabei à mesa, como se fosse um velho amigo, junto de seus familiares. Uma atitude daquele velho homem, que mostrou aquilo que ele realmente era capaz e o que ele pensava a meu respeito. Severino Veloso, uma boa conversa a respeito de Nossa Terra e Nossa Gente. Saudades.
Comentar
Compartilhe