Criadas Áreas de Proteção ao Ciclista de Competição - APCCs
21/10/2020 | 21h04
Projeto de Lei que foi sancionado pela Câmara Municipal de Campos e que é extremamente importante para todos nos que temos na bicicleta uma meio saúde, bem estar, alegria e companheirismo.
 
PROCESSO N° 1060/2020/SEC/CMCG
PROJETO DE LEI N° 0075/2020
 
Dá nova redação ao Art. 1º, ao Paragrafo Único do Art. 2º e ao Art. 4º da Lei nº. 8.719/ 2016.
 
A CÂMARA MUNICIPAL DE CAMPOS DOS GOYTACAZES
 
R E S O L V E:
 
Art. 1° - Dá nova redação ao Art. 1º da Lei Municipal nº. 8.719/2016
 
com o seguinte teor:
 
“Art. 1º - Ficam criadas as Áreas de Proteção ao Ciclista de Competição – APCCs em número não inferior a 1 (uma), nos limites urbanos do Município”
Art. 2º - O Paragrafo Único do Art. 2º da Lei Municipal nº. 8.719/2016 terá a seguinte redação:
 
“Paragrafo Único - Os horários e dias de funcionamento serão definidos pelo órgão incumbido de sua instituição, na forma do caput, observado o número mínimo de 04 (quatro) dias semanais e 01:30 (uma hora e trinta minutos) de duração por dia, a fim de se permitir o estabelecimento de planejamento de treino minimamente adequado aos praticantes”.
 
Art. 3º - O Art. 4º da Lei Municipal nº. 8.719/2016, terá a seguinte redação:
 
“Art. 4º - O Poder Executivo regulamentará em 60 (sessenta dias), o valor da multa aplicável em razão de seu descumprimento, fixando inclusive a operacionalização da segurança de trafego.”
 
Art. 4° - Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
 
Sala das Sessões, 05 de outubro de 2020, 343º da Vila de São Salvador dos Campos, 185º da Cidade de Campos dos Goytacazes e 368º de criação da Câmara Municipal de Campos dos Goytacazes.
 
LUIZ ALBERTO OLIVEIRA DE MENEZES
 
- Vereador –
J U S T I F I C A T I V A
 
A singularidade, longevidade e versatilidade da bicicleta, são os principais atributos que fazer com que há mais de dois séculos seja utilizada como meio de transporte sustentável simples, acessível, confiável, limpo e ambientalmente adequado. Ultrapassa, contudo, a sua natureza de meio de transporte, e serve como uma ferramenta para o desenvolvimento humano e social e como acesso à educação, saúde e esporte, e a promoção de sua utilização constitui dever do Estado.
 
Adicione-se a isso, que, no contexto espaço temporal, as Olimpíadas próximas de Tóquio/Japão, acontecerá com a estreia de várias modalidades, dentre elas destacamos o Triathlon, que acabará certamente por promover o crescimento de sua prática pelos nacionais, e em especial, os nossos munícipes.
 
Apesar de representar um fato nacional e mundialmente já reconhecido, o crescimento de modalidades esportivas como o Triathlon e o Ciclismo é ainda mais notório nas ruas de nossa cidade de Campos dos Goytacazes.
 
No contexto da Pandemia (COVID-19) Mundial, dados científicos demonstraram a fragilidade do corpo humano, em específico para enfrentar essa classe de vírus, em especial daqueles indivíduos sedentários ou que possuem hábitos de vida “ não saudáveis”, tais como tabagismo, dentre outros.
 
A pandemia também nos obrigou a experimentar do isolamento social até o Lockdown, e daqui em diante vai nos exigir, enquanto sociedade, comportamentos sanitários mais específicos, como distanciamento físico entre os praticantes esportivos, quando possível, até atos de higiene simples que se pensavam, até então, desnecessários. Neste ambiente amedrontador e inspirador, é palpável a possibilidade do surgimento de novas gerações de atletas de alta performance assim como de praticantes de forma recreativa, mas sempre com um viés competitivo.
 
Por outro lado, o crescimento normal das cidades, não sendo diferente com a nossa, promove o crescimento do número de veículos, impondo ao Poder Público, a necessidade de criação de modais alternativos de transporte com maior eficácia, aumento e alargamento das vias, etc.
 
Nesse interim, apesar do crescimento da malha cicloviária em nossa cidade, ainda muito aquém da ideal, não dispomos de nenhum espaço físico urbano adequado para a prática do ciclismo esportivo.
 
A sua prática em ruas, avenidas e estradas, disputando espaço com automóveis, caminhões ou ônibus, com total desvantagem e perigo para o ciclista, tem levado o ciclismo a ostentar, mundialmente, o esporte com mais vítimas fatais.
 
A realidade municipal tem incontáveis histórias de acidentes ao longo dos anos que ceifaram ou prejudicaram a vida de verdadeiras promessas no esporte, como também de profissionais liberais, estudantes, donas de casa e empresários que têm a atividade esportiva como instrumento de qualidade de vida.
 
São as principais razões para criação de Áreas de Proteção ao Ciclista de Competição (APCCs) em vias públicas no Município de Campos dos Goytacazes, como forma de fomentar o esporte e preservar vidas ambos, deveres do Estado.
Assim conclamo os nobres Pares a aprovação desta Lei.
 
Sala das Sessões, 05 de outubro de 2020, 343º da Vila de São Salvador dos Campos, 185º da Cidade de Campos dos Goytacazes e 368º de criação da Câmara Municipal de Campos dos Goytacazes.
 
LUIZ ALBERTO OLIVEIRA DE MENEZES
 
- Vereador
Compartilhe
GUIA TRIATHLON BRASIL DE PREVENÇÃO A COVID-19 PARA ORGANIZADORES DE EVENTOS DE TRIATHLON
19/10/2020 | 20h38
Por aqui, guia do TRIATHLON BRASIL DE PREVENÇÃO A COVID-19 PARA ORGANIZADORES DE EVENTOS DE TRIATHLON que se fazem muito importante diante do novo normal da vida cotidiana e esportiva.
O Guia foi elaborado com base noGuia da União Internacional de Triathlon (ITU) e Recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS).
Eventos Internacionais realizados no Brasil devem utilizar o Guia da ITU. Este Guia serve de orientação para organizar eventos de Triathlon seguros enquanto houver risco de contaminação por COVID 19, sempre respeitando as normas regidas pelo Ministério da Saúde, Secretarias de Saúde Estaduais e Municipais. Bons treinos! 
Compartilhe
Bom senso das damas e cavalheiros
18/10/2020 | 19h33
Diante da falta de uma boa área de lazer em Campos para a prática de esportes, dentre eles ciclismo, corrida e caminhada, com segurança e em local amplo, a "pista do Damha" parece estar dominando a preferência pelos desportistas da cidade (assessorias esportivas, grupos de ciclismo, caminhantes, corredores, motoqueiros, pessoas aprendendo a dirigir...).
Importante frisar que esta é uma das nossas grandes deficiências, de forma que um Parque Municipal seria muitíssimo bem vindo por todos, mas que pelo visto, não me recordo de ter ouvido falar que está presente como plano de campanha de nenhum candidato a prefeito (me corrijam se eu estiver errado).
Fundamental neste momento, ao meu ver, seria tentar regulamentar de alguma forma esta via para que todos convivam em harmonia, sem causar prejuízos a outrem e o espaço de cada um seja respeitado.
Não tenho nada em mente para propor, além talvez, de uma divisão entre ciclistas e demais (os ciclistas ficariam com a pista do lado esquerdo, liberando o lado direito para todos os outros que se encontram no local).
 Por estes dias mesmo, na terça-feira (6/10), um acidente aconteceu por lá, uma casualidade que envolveu um corredor e um ciclista que são bem cuidadosos e experientes, mas que poderia ser ainda mais grave do que foi. Não precisamos deixar que acidentes mais sérios aconteçam assim como algum tipo de desentendimento entre pessoas ocorra para arrumarmos uma solução, que talvez seja tardia.
 Sei que a área é pública e todos tem direito ao lazer, mas que isso seja feito sem precisar colocar a segurança de outras pessoas em risco.
 Bons treinos!
Compartilhe
Bom senso das damas e cavalheiros
16/10/2020 | 20h07
Diante da falta de uma boa área de lazer em Campos para a prática de esportes, dentre eles ciclismo, corrida e caminhada, com segurança e em local amplo, a "pista do Damha" parece estar dominando a preferência pelos desportistas da cidade (assessorias esportivas, grupos de ciclismo, caminhantes, corredores, motoqueiros, pessoas aprendendo a dirigir...).
Importante frisar que esta é uma das nossas grandes deficiências, de forma que um Parque Municipal seria muitíssimo bem vindo por todos, mas que pelo visto, não me recordo de ter ouvido falar que está presente como plano de campanha de nenhum candidato a prefeito (me corrijam se eu estiver errado).
Fundamental neste momento, ao meu ver, seria tentar regulamentar de alguma forma esta via para que todos convivam em harmonia, sem causar prejuízos a outrem e o espaço de cada um seja respeitado.
Não tenho nada em mente para propor, além talvez, de uma divisão entre ciclistas e demais (os ciclistas ficariam com a pista do lado esquerdo, liberando o lado direito para todos os outros que se encontram no local).
Por estes dias mesmo, na terça-feira (6/10), um acidente aconteceu por lá, uma casualidade que envolveu um corredor e um ciclista que são bem cuidadosos e experientes, mas que poderia ser ainda mais grave do que foi. Não precisamos deixar que acidentes mais sérios aconteçam assim como algum tipo de desentendimento entre pessoas ocorra para arrumarmos uma solução, que talvez seja tardia.
Importante frisar que a área é pública e todos tem direito ao lazer, mas que isso seja feito sem precisar colocar a segurança de outras pessoas em risco.
Bons treinos!
Compartilhe
Esgotadas!
14/10/2020 | 19h30
Florianópolis (SC) - 14 de outubro de 2020 - A Unlimited Sports anunciou nessa quarta-feira, 14 de outubro, que as vagas para o Itaú BBA IRONMAN Brasil e Itaú BBA IRONMAN 70.3 Florianópolis estão esgotadas para 2021. Confirmadas para o primeiro semestre do ano que vem, as provas celebrarão os vintes anos da chegada da maior franquia de triathlon do mundo na capital catarinense.
 
O Itaú BBA IRONMAN Brasil acontece no dia 30 de maio, com as tradicionais distâncias de 3.8 km de natação, 180 km de ciclismo e 42.2 km de corrida. Já o Itaú BBA IRONMAN 70.3 Florianópolis está marcado para 25 de abril, abrindo o calendário de provas de 2021, nas distancias 1.9 km de natação, 90 km de ciclismo e 21.1 km de corrida.
 
“Os atletas estão extremamente ansiosos para o retorno do nosso calendário de eventos. Com certeza serão provas que seguirão todos os protocolos de saúde e orientações de órgãos governamentais, mas com a essência que só o IRONMAN traz. Florianópolis é a capital nacional do triathlon e celebrar vinte edições é algo que nos motiva e ao mesmo tempo mostra a importância da prova para a cidade”, avalia Carlos Galvão, CEO da Unlimited Sports.
 
Desde 2001, o circuito IRONMAN se faz presente no calendário de eventos de Florianópolis, sendo considerado a maior competição esportiva do estado, movimentando o turismo e a cadeia de serviços. Somente em 2019, a prova movimentou cerca de R$50 milhões em negócios na cidade.
 
“Florianópolis é um dos berços da modalidade no país. Desde 2001, somos muito bem recebidos pelo povo e pelas entidades locais que entendem a importância da prova para a cidade. O circuito IRONMAN, além de movimentar o esporte, traz inúmeros benefícios para a capital catarinense, movimentando o turismo, a cadeia gastronômica e hoteleira. Nossa edição de vinte anos, com certeza, será um sucesso”, finaliza Carlos Galvão.
 
Calendário 2021:
 
Além das duas provas em Florianópolis, o Itaú BBA IRONMAN 70.3 Maceió também já está confirmado par ao dia 8 de agosto. A Unlimited Sports pretende anunciar nos próximos dias as datas do Itaú BBA IRONMAN 70.3 de São Paulo e Rio de Janeiro.
 
O IRONMAN Brasil é organizado pela Unlimited Sports e realizado pela Associação Brasileira Esportiva Social e Cultural Endurance (ABEE). Conta com o patrocínio de Itaú BBA, Track&Field e Omint, apoio da Secretaria de Estado de Turismo, Esporte e Cultura de Santa Catarina (Fundesporte), Governo do Estado de Santa Catarina, Prefeitura Municipal de Florianópolis e Fundação Municipal de Esportes (FME/Fpolis).
Compartilhe
Nota da Garmin sobre o ataque sofrido
28/07/2020 | 19h41
 
Comunicado da Garmin sobre motivos dos seus serviços ficarem fora do ar por alguns dias, afetando vários segmentos, em especial os desportistas com ausência de dados de treinos como distância e tempo usados em cada modalidade. Também prejudicou outras ferramentas que utilizam o Garmin Connect como forma de entrada para posterior visualização e avaliação de treinos.
Importante observar que há 10 anos atrás não faria nenhuma diferença esta ausência no cumprimento das metas esportivas, já hoje em dia, sem dados em tempo real assim como em tempo posterior, muitos ficaram desmotivados para treinar. Fato.
“A Garmin Ltd foi vítima de um ataque cibernético que criptografou alguns de nossos sistemas na quinta-feira, 23 de Julho. Como resultado, muitos de nossos serviços on-line foram interrompidos, incluindo funções web, atendimento ao cliente, aplicações de usuário final e comunicações da empresa. Imediatamente, a natureza do ataque foi avaliada e foram tomadas medidas para remediá-lo.

Não temos sinais de que se tenha acedido, perdido ou roubado nenhum dado de nossos clientes, incluindo informações de pagamento, de Garmin Pay. Além disso, a funcionalidade dos produtos Garmin não foi afetada além da capacidade de aceder aos serviços online. Os serviços afetados estão sendo restaurados e esperamos retornar às operações normais nos próximos dias.

Como nossos sistemas afetados foram restaurados, estimamos alguns atrasos devido a acumulação de informação. Queremos agradecer aos nossos clientes a sua paciência e compreensão durante o incidente e esperamos continuar oferecendo o melhor serviço e atenção que têm sido a nossa marca e tradição.”
Dúvidas esclarecidas pela empresa:

Quando poderei sincronizar meu dispositivo Garmin com o Garmin Connect?
Temos o prazer de informar que a recuperação de Garmin Connect está de caminho. Queremos agradecer pela compreensão e paciência ao retornarmos à operação normal. O status do Garmin Connect pode ser encontrado aqui.

Alguma informação do cliente foi perdida no Garmin Connect durante o incidente?
Embora Garmin Connect não estivesse disponível durante o incidente, as informações de treinos e wellnes foram salvas no dispositivo e prevemos que todos os dados aparecerão no Garmin Connect assim que o dispositivo for sincronizado.

A minha informação foi afetada pelo incidente?
Não temos sinais de que se tenha acedido, perdido ou roubado nenhum dado de nossos clientes, incluindo informações de pagamento de Garmin Pay

Sou cliente de inReach SOS. O serviço e as mensagens do SOS ainda funcionam?
O InReach SOS e as mensagens ainda estão totalmente funcionais e não foram impactados pelos incidentes. Isso inclui o site MapShare e a página de mensagens. O status de inReach pode ser encontrado aqui.

Os sistemas Garmin Aviation estão totalmente operacionais?
Os sistemas da Garmin Aviation estão totalmente operacionais. Isso inclui as aplicações Garmin Pilot, flyGarmin, Connext Services, fltplan.com. O status de aviação pode ser encontrado aqui.
Bons treinos!
 
Compartilhe
Reis de volta
23/07/2020 | 19h38
 
O professor de natação Luciano Reis, o mais renomado técnico da modalidade na cidade, retorna de mala e cuia para o Tênis Clube de Campos, após breve período em academia, ao qual parece que não deu liga.
Luciano é reconhecido por desenvolver um ótimo trabalho com jovens além de orientar atletas de piscina, águas abertas, triathlon e praticantes recreacionais.
Uma ótima contratação por parte do clube onde torço para que desta vez o sucesso para ambos seja ainda maior. Bons treinos!
Compartilhe
Se sente tonto após treinos ou provas? Entenda!
15/07/2020 | 20h13
 
Por que a tontura é um fenômeno relativamente comum nos esportes de resistência? E por que parece mais provável que ocorra na linha de chegada do que no percurso?
Muitos atletas de resistência experimentam tonturas após corridas ou treinamentos. Anos atrás, a sabedoria convencional era que a desidratação era a principal causa do colapso no final de longas corridas de resistência.
Embora a perda de líquidos e eletrólitos possa muito bem ser um fator que contribui para o que está acontecendo, supõe-se que algo chamado 'Hipotensão Postural Associada ao Exercício' (EAPH) seja muito mais provável de ser culpado na grande maioria dos casos.
Para entender melhor o que é EAPH (e por que isso acontece), é útil apreciar alguns princípios básicos sobre como o fluxo e a pressão sanguínea são regulados durante o exercício.
Quando você se exercita, a pressão arterial tende a aumentar à medida que a freqüência cardíaca aumenta e o sangue é bombeado com mais força pelo corpo para ajudar no resfriamento e fornecer mais oxigênio aos músculos que trabalham.
As artérias e veias (levando para a pele e músculos que trabalham em particular) se abrem (dilatam), enquanto aquelas que alimentam áreas menos agudas (por exemplo, o intestino) se contraem como um meio de redirecionar o sangue para onde é necessário e ajudar a regular a pressão global no sistema vascular.
Como seu coração está localizado relativamente alto no corpo, ele precisa combater a gravidade ao bombear grandes volumes de sangue das pernas para o peito e manter o cérebro abastecido com a quantidade de oxigênio e sangue rico em nutrientes necessária quando necessário. 
Para enfrentar esse desafio, o corpo depende de um efeito secundário de bombeamento, que provém da contração dos músculos das pernas para ajudar a devolver o sangue ao coração. Esse efeito ocorre porque a contração dos músculos aperta fisicamente os vasos sangüíneos maiores dos membros inferiores; portanto, ela age um pouco como a bomba adicional que você ajusta ao sistema de encanamento, se você decidir colocar um novo chuveiro no piso superior da sua casa.
Ao chegar à linha de chegada de um evento, muitos atletas passam de razoavelmente difíceis para subitamente parar na rampa de chegada. Com os vasos sanguíneos nas extremidades inferiores bem abertos neste momento, deixar de funcionar efetivamente 'desliga' a bomba externa de contração muscular nas pernas, e o resultado é que o fluxo sanguíneo para o coração e a cabeça fica temporariamente comprometido.
O corpo pode tentar reagir contraindo os vasos sanguíneos novamente para aumentar a pressão, mas às vezes isso não acontece com rapidez suficiente e o resultado é uma falta de sangue oxigenado que flui para o cérebro por um curto período de tempo.
Tonturas e até desmaios são o efeito indireto e explicam o impressionante que você vê com tanta frequência dos atletas na linha de chegada, pois seu cérebro de repente tem menos oxigênio do que precisa para funcionar corretamente.
É claro que a desidratação contribui significativamente para esse problema em alguns casos, pois resulta em menor volume sanguíneo, dificultando ao organismo manter a pressão sanguínea em geral. No entanto, é muito mais preciso dizer que o principal problema é o acúmulo de sangue nos membros inferiores devido à vasodilatação repentinamente, em vez de simplesmente estar com pouco líquido por si só.
Por esse motivo, os médicos na linha de chegada dos eventos esportivos estão se tornando cada vez mais conscientes do valor de ajudar os atletas tontos ou em colapso a deitar-se com as pernas elevadas. Isso pode ajudar o retorno venoso ao coração. Na grande maioria dos casos, essa ação corrige a condição muito rapidamente e geralmente é tudo o que é inicialmente necessário para colocar um atleta de pé (sem a necessidade de tratamentos mais invasivos e caros, intravenosos ou uma ida ao pronto-socorro) .
Obviamente, coisas como baixo nível de açúcar no sangue e condições mais sérias, como hiponatremia e insolação, podem ser envolvidas em extensões menores ou maiores quando os atletas se sentem desmaiados ou caem na linha de chegada das corridas, portanto não devem ser descartados (como explicado neste artigo abrangente sobre o assunto).
Pensa-se que o EAPH seja o culpado número um quando se trata de incidentes "benignos" na linha de chegada, envolvendo atletas que se sentem mal.
Bons treinos!
Compartilhe
Vc está se hidratando?
13/07/2020 | 20h06
Cientificamente falando, a desidratação ocorre quando você usa mais água do que está ingerindo, geralmente devido a sudorese, vômitos / diarréia / micção excessiva ou ingestão insuficiente de água. Entre outros sintomas, a desidratação causa uma redução no plasma sanguíneo, o que aumenta a viscosidade ou espessura do sangue. Isso torna mais difícil para o coração bombear sangue com eficiência, causando uma freqüência cardíaca elevada e uma redução na transpiração, um aumento na temperatura central e um aumento na taxa de utilização de glicogênio. Nenhum desses sintomas pode ser considerado ideal para o desempenho atlético. Se hidrate. Bons treinos!
Compartilhe
Lista completa de todas as marcas de bicicletas e a origem de todos os fabricantes
07/07/2020 | 05h40
Lista completa de todas as marcas de bicicletas e a origem de todos os fabricantes, por ordem alfabética.
A-bike – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Abici – Origem: Itália
Accell – Origem: Holanda
Adler – Origem: Alemanha
AIST – Origem: Bielorrússia
ALAN – Origem: Itália
Alcyon – Origem: França
Alexander Leutner – Origem: Russia
Alldays & Onions – Origem: Reino Unido / Inglaterra
American – Origem: EUA
American Star – Origem: EUA
AMF (American Machine and Foundry) – Origem: EUA
Argon 18 – Origem: Canadá
Ariel – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Atala – Origem: Holanda / Itália
Author – Origem: República Tcheca
Avanti – Origem: Nova Zelândia
Basso – Origem: Itália
Batavus – Origem: Holanda
Battaglin – Origem: Itália
Benotto – Origem: Itália / México / Venezuela
Berlin & Racycle Manufacturing – Origem: Canadá
BH – Origem: Espanha
Bianchi – Origem: Itália
Bicicapace – Origem: Itália
Bickerton – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Bike Friday – Origem: EUA
Bilenky – Origem: EUA
Biomega – Origem: Denmark
Birdy – Origem: Alemanha
BMC – Origem: Suiça
Boardman – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Bohemian – Origem: EUA
Bontrager – Origem: EUA
Bootie – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Borile – Origem: Itália
Bottecchia – Origem: Itália
Bradbury – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Brennabor – Origem: Alemanha
Bridgestone – Origem: Japão
British Eagle – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Brodie – Origem: Canadá
Brompton – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Brunswick – Origem: EUA
BSA – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Burley Design – Origem: EUA
Calcott Brothers – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Calfee Design – Origem: EUA
Caloi – Origem: Brasil
Campion – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Cannondale – Origem: EUA
Canyon bicycles – Origem: Alemanha
Carrera bicycles – Origem: Reino Unido / Inglaterra (produced by Merida)
Catrike – Origem: EUA
CCM – Origem: Canadá
Centurion – Origem: Japão
Cervélo – Origem: Canadá
Chater-Lea – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Chicago – Origem: EUA
CHUMBA – Origem: EUA
Cilo – Origem: Suiça
Cinelli – Origem: Itália
Clark-Kent – Origem: EUA
Claud Butler – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Clément – Origem: França
Co-Motion – Origem: EUA
Coker – Origem: EUA
Colnago – Origem: Itália
Columbia – Origem: EUA
Corima – Origem: França
Cortina – Origem: EUA
Cube – Origem: Alemanha
Currys – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Cycle Force Group – Origem: EUA
Cycles Devinci – Origem: Canadá
Cycles Follis – Origem: França
Cycleuropa Group – Origem: Suécia
Cyfac – Origem: França
Da Bomb – Origem: EUA/Taiwan
Dahon – Origem: EUA / China
Dawes – Origem: Reino Unido / Inglaterra
DBS (Den Beste Sykkel) – Origem: Noruega
De Rosa – Origem: Itália
Demorest – Origem: EUA
Derby – Origem: Alemanha
Di Blasi Industriale – Origem: Itália
Diamant – Origem: Alemanha
Diamondback – Origem: EUA
Dolan – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Dorel Industries – Origem: Canadá
Dunelt – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Dynacraft – Origem: EUA
Eagle Manufacturing – Origem: EUA
Eddy Merckx – Origem: Bélgica
Electra – Origem: EUA
Ellis Briggs – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Ellsworth Handcrafted – Origem: EUA
Emilio Bozzi – Origem: Itália
Enigma Titanium – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Excelsior – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Falcon – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Fat City – Origem: EUA
Felt – Origem: EUA
Fleetwing – Origem: EUA
Flying Pigeon – Origem: China
Flying Scot – Origem: Escócia
Focus – Origem: Alemanha
Fondriest – Origem: Itália
Fram – Origem: Suécia
Freddie Grubb – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Fuji – Origem: EUA
Gary Fisher – Origem: EUA
Gazelle – Origem: Holanda
Gendron – Origem: EUA
Gepida – Origem: Hungary
Giant – Origem: Taiwan
Gitane – Origem: França
Gladiator – Origem: França
Gnome et Rhône – Origem: França
Gormully & Jeffery – Origem: EUA
Gräf & Stift – Origem: Áustria
Graflex – Origem: EUA
GT – Origem: EUA
Guerciotti – Origem: Itália
Gunnar – Origem: EUA
Haro – Origem: EUA
Harry Quinn – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Hase bikes – Origem: Alemanha
Head – Origem: Noruega
Heinkel – Origem: Alemanha
Helkama – Origem: Finlândia
Henley – Origem: EUA
Hercules – Origem: Alemanha / Holanda / Reino Unido / Inglaterra
Hero – Origem: Índia
Hetchins – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Hillman – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Hoffmann – Origem: Alemanha
Holdsworth – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Huffy – Origem: EUA
Humber – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Hurtu – Origem: França
Husqvarna – Origem: Suécia
Ibis – Origem: EUA
Ideal – Origem: Greece
IFA – Origem: East Germany
Indian – Origem: EUA
Iride – Origem: Itália
Iron Horse – Origem: EUA
Islabikes – Reino Unido / Inglaterra
Italvega – Origem: EUA
Itera – Origem: Suécia
Iver Johnson – Origem: EUA
Iverson – Origem: EUA
Jamis – Origem: EUA
JMC – Origem: EUA
K2 – Origem: EUA
Kent – Origem: EUA
Kestrel – Origem: EUA
Kettler – Origem: Alemanha
KHS – Origem: Taiwan and USA
Klein – Origem: EUA
Koga-Miyata – Origem: Holanda
Kogswell – Origem: EUA
Kona – Origem: EUA
Kronan – Origem: Suécia
Kross – Origem: Polônia
KTM – Origem: Áustria
Kuota – Origem: Itália
Kuwahara – Origem: Japão
Lapierre – Origem: França / Holanda
Laurin & Klement – Origem: Áustria / Hungria / República Tcheca
LeMond – Origem: EUA
Litespeed – Origem: EUA
Loekie – Origem: Holanda
Look – Origem: França
Lotus – EUA
Louison Bobet – Origem: França
Magna – Origem: EUA
Malvern Star – Origem: Austrália
Marin – Origem: EUA
Masi – Origem: EUA
Matchless – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Matra – Origem: França
Melon – Origem: EUA
Mercian – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Mercier – Origem: Holanda
Merckx – Origem: Bélgica
Merida – Origem: Taiwan
Merlin – Origem: EUA
Miele – Origem: Canadá
Milwaukee – Origem: EUA
Minerva – Origem: Bélgica
Miyata – Origem: Japão
Monark – Origem: Suécia / Brasil / Peru
Mondia – Origem: Suiça
Mongoose – Origem: EUA
Montague – Origem: EUA
Moots – Origem: USA
Moser – Origem: Itália
Motobécane – Origem: França
Moulton – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Muddy Fox – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Murray – Origem: EUA
Nagasawa – Japão
National – Origem: Japão
Neil Pryde – Origem: Hong Kong
Neobike – Origem: Taiwan
NEXT – Origem: EUA
Nishiki – Origem: EUA
Norco – Origem: Canadá
Norman – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Novara – Origem: EUA
NSU – Origem: Alemanha
Nymanbolagen – Origem: Suécia
Opel – Origem: Alemanha
Orange – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Orbea – Origem: Espanha
Orient – Origem: Greece
Pacific – Origem: EUA
Panasonic – Origem: Japão
Pashley – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Pedersen – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Peugeot – Origem: França
Phillips – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Phoenix – Origem: China
Pierce – Origem: EUA
Pinarello – Origem: Itália
Planet X – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Pocket – Origem: EUA
Pogliaghi – Origem: Itália
Premier – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Prophete – Origem: Alemanha
Puch – Origem: Áustria
Quadrant – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Quality – Origem: EUA and Taiwan
Quintana Roo – Origem: EUA
Rabasa – Origem: Espanha
Radio Flyer – Origem: EUA
Raleigh – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Rambler – Origem: EUA
Rans Designs – Origem: EUA
Razor – Origem: EUA
Redline – Origem: EUA
René Herse – Origem: França
Rhoades Car – Origem: EUA
Ridgeback – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Ridley – Origem: Bélgica
Riese und Müller – Origem: Alemanha
RIH – Origem: Holanda
Riley – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Rivendell Works – Origem: EUA
Roadmaster – Origem: EUA
Roberts – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Robin Hood – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Rocky Mountain – Origem: Canadá
Romet – Origem: Polônia
Ross – Origem: EUA
Rover – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Rowbike – Origem: EUA
Rudge-Whitworth – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Samchuly – Origem: Coreia do Sul
Santa Cruz – Origem: EUA
Santana – Origem: EUA
Saracen – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Scania – Origem: Suécia
Schwinn – Origem: EUA
SCOTT – Origem: Suiça
Serotta – Origem: EUA
Seven – Origem: EUA
Shelby – Origem: EUA
Simson – Origem: Alemanha
Sinclair Research – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Singer – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Sohrab – Origem: Pakistan
Solé – Origem: EUA
Solex – Origem: França
Somec – Origem: Itália
Sparta BV – Origem: Holanda
Specialized – Origem: EUA
Speedwell – Origem: Austrália
Staiger – Origem: Holanda
Star – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Stearns – Origem: EUA
Stelber – Origem: EUA
Stella – Origem: França
Sterling – Origem: EUA
Strida – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Sun & Fittings – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Sunbeam – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Sundown – Origem: Brasil
Surly – Origem: EUA
Suzuki – Origem: Japão
Swift Folder – Origem: EUA
Swing – Origem: EUA
Tern – Origem: Taiwan
Terrot – Origem: França
Thomas – Origem: EUA
Thorn – Origem: Reino Unido / Inglaterra
TI – Origem: Índia
Time – Origem: França
Torker – Origem: EUA
Transition – Origem: EUA
Trek – Origem: EUA
Triumph (TWN) – Origem: Alemanha / Reino Unido / Inglaterra
Tunturi – Origem: Finlândia / Holanda
Univega – Origem: EUA
Urago – Origem: França
Utopia – Origem: Alemanha
Valdora – Origem: EUA
Van Dessel – Origem: EUA
Vauxhall– Origem: Suécia
Velo Vie – Origem: EUA
Velomotors – Origem: Rússia
VéloSoleX – Origem: França
Victoria – Origem: Alemanha
Villiger – Origem: Suiça
Villy – Origem: EUA
Vindec – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Vitus – Origem: França
Wanderer – Origem: Alemanha
Waterford Precision – Origem: EUA
Wilderness Trail – Origem: EUA
Wilier Triestina – Origem: Itália
Winora – Origem: Holanda
Witcomb – Origem: Reino Unido / Inglaterra
Worksman – Origem: EUA
Wright – Origem: EUA
Yamaguchi – Origem: EUA
Yamaha – Origem: Japão
Yeti – Origem: EUA
Zenith – Origem: Argentina
Zigo – Origem: EUA
Bons treinos!
Compartilhe
Sobre o autor

Marcos Almeida

[email protected]