Sobre o nosso Equilíbrio de cada dia
19/08/2017 | 18h07
O Equilíbrio e sua manutenção dependem da integração e coordenação de subsistemas sensoriais (visual, proprioceptivo e vestibular) citados na literatura como os principais subsistemas envolvidos na manutenção desta Qualidade Física. ••• O sistema visual fornece informação sobre a localização e a distância dos objetos no ambiente; ••• O proprioceptivo supre o corpo com informações sobre o ambiente imediato (receptores tendinosos, musculares, macanorreceptores articulares e barorreceptores localizamos na PLANTA DO PÉ); ••• O sistema vestibular fornece ao SNC informações sobre o movimento da cabeça e a direção da gravidade (Matsumura & Ambrose, 2006 apud Avelar BP, 2013). Sobre a PLANTA DO PÉ, em fotos que seguem, com novas tendências para este fim, vide @vibramfivefingers @injinji @lunasandals @vivobarefoot @getarion nos indicam um novo caminho a seguir. •••Na foto, interessante mapa do sistema sensorial do corpo com pontos mais e menos sensíveis, com destaque para a mão e PÉ (Bear, Connors & Paradiso, 2006).
MA
Compartilhe
Premissa esportiva
17/08/2017 | 21h17
No universo do treinamento, existe uma premissa que diz: quanto mais treinado, menos treinável, ou seja, quanto mais você progride nos seus treinamentos maior será a dificuldade de quebrar a homeostase do corpo e provocar mudanças em busca da evolução. A corrida, assim como outros esportes, é um jogo de disciplina e paciência, sendo a continuidade, um item muito importante no grande quebra cabeça chamado Treinamento Desportivo. Vqv!
MA
Compartilhe
Projeto novo (em breve)
16/08/2017 | 21h01
Projeto Corrida e Caminhada
 
Introdução
O Esporte e o lazer são meios largamente utilizados como forma de proporcionar integração, desenvolvimento, educação e saúde, contribuindo desta forma para a melhoria da qualidade de vida da população. A corrida e a caminhada são modalidades esportivas que proporcionam benefícios para todo o organismo, podendo ser praticada, em linhas gerais, por todos
 
Objetivos
Promover qualidade de vida para a população
Despertar o esporte como canal de promoção à saúde
Promover o convívio social mais amplo
Agregar valor às instituições parceiras pelo fato do esporte envolver forte relação com superação, boa alimentação e saúde
 
Público Alvo
População (jovens, adultos e idosos).
 
Descrição do Projeto
O Projeto Esportivo Corrida e caminhada será realizado na praça do Liceu uma (1) vez por semana, aos domingos, no horário de 8 às 14 horas
 
Equipe de Apoio e necessidades
Professores de educação física
Estagiários de educação física
Kit de Primeiros Socorros
Tenda
Som
 
Justificativa
Acredita-se nesta ação como um meio de proporcionar saúde e lazer para a população, onde a atividade física e o lazer se mostram como ferramentas de primeira necessidade em busca de saúde
 
Metodologia
A administração do Projeto ficará a cargo da FME em parceria com à Câmara dos Vereadores em conjunto com a iniciativa privada
 
-FME- Professores de educação física (2), responsáveis técnicos pelo projeto
-IMTT- Cones (50)
-Camara dos Vereadores- Segurança (2), auxiliar de serviços gerais (1), banheiro
Universidade- Estagiários (2)
-Iniciada Privada- Som
 
AÇÕES:
Aquecimento
Caminhada
Corrida
Alongamento
Correções técnicas
Compartilhe
Sozinho, exercício não emagrece, mas aumenta músculo e limita fome
14/08/2017 | 15h54
Fonte: Folha de São Paulo
Folha de São Paulo
Como dar a má notícia para um paciente obeso de que o exercício provavelmente não vai emagrecê-lo? E que, mesmo assim, ele deve se esforçar para manter uma prática regular? "É um assunto delicado", resume Pedro Hallal, cientista brasileiro de renome e entusiasta dos benefícios da atividade física.
O exercício comumente é listado entre as boas práticas para quem quer perder peso, mas, sozinho, ele parece ser capaz de fazer pouco por aqueles que almejam ver algum resultado na balança.
"O emagrecimento depende essencialmente de uma conta simples: é o total de energia ingerida na alimentação menos o quanto o organismo gasta diariamente", diz Hallal, que coordenou, para a revista médica "Lancet", uma série de estudos sobre o impacto da inatividade física na saúde global.
BRASIL ACIMA DO PESO
Conheça 36 'fórmulas mágicas' para emagreceSe o plano é não mexer muito na dieta –fator mais importante para o emagrecimento—, a alternativa seria então aumentar o gasto energético. A questão, porém, é mais complicada do que parece, começando pela quantidade.
A prática de atividade física moderada por 30 minutos diários tem impacto pequeno no combate à obesidade, afirma Hallal. "Todas essas diretrizes da OMS e do Ministério da Saúde de praticar meia hora diária de atividade física diária foram pensadas para outros desfechos, como prevenir infarto, diabetes, hipertensão, acidente vascular cerebral e cânceres. Além disso, há melhora da saúde óssea e da saúde mental, diminuindo também o risco do mal de Alzheimer."
Quando a meta é combater a obesidade, pode ser necessária uma dose maior de exercício: de 45 minutos a 1 hora por dia. Mas não de qualquer tipo. Estudos recentes têm apontado que exercícios de força, como lutas e musculação, são mais eficazes do que caminhadas, por exemplo.
MÚSCULO
A educadora física e professora da Unifesp Ana Dâmaso e colaboradores constataram, após dez anos de pesquisa, que corrida e caminhada em esteira até ajudam a reduzir a massa gordurosa, mas também fazem o indivíduo perder músculo, o que atrapalha o emagrecimento.
O músculo é um tecido metabolicamente mais ativo do que a gordura, ou seja, quanto mais músculo uma pessoa tem no corpo, mais energia ela gasta diariamente. A melhor opção, no caso, seria fazer um exercício misto, combinando as duas modalidades.
Segundo Ana Dâmaso, o desafio é preservar, com o exercício, a quantidade elevada de músculo ao mesmo tempo em que se controla a alimentação, mantendo a taxa metabólica e evitando o efeito sanfona.
Outra dica para o obeso que quer fazer exercício e emagrecer –e não se frustrar no caminho– é não ficar olhando para a balança.
Isso porque o exercício costuma aumentar a quantidade corporal de massa magra (composta principalmente de músculos) e diminuir o de massa gorda. Como a primeira é mais pesada do que a segunda, é possível se assustar e achar que a prática de exercício engorda.
"Por isso que todo o meio acadêmico recomenda medir o emagrecimento não apenas em quilos, mas sim em quilos de gordura ou percentual de gordura", diz Hallal.
Os especialistas elencam mais motivos para que a atividade física não fique relegada a um segundo plano na vida de quem quer emagrecer.
Um deles é que o exercício regular é capaz de controlar a fome e reduzir a ingestão de carboidrato e de gordura, afirma Ana Dâmaso.
Outra razão para levantar do sofá e se mexer, diz Pedro Hallal, é que é melhor para a saúde ser "fat and fit", gordo e ativo, do que só gordo (e, de repente, até mais saudável do que algumas pessoas magras e sedentárias).
Mas uma precaução que o obeso deve adotar é não exagerar –especialmente para evitar lesões e outras frustrações, que podem ser descontadas na comida.
Como o plano só dará resultados no médio ou longo prazo, o ideal é que a prática seja, acima de tudo, sustentável.
Compartilhe
Bernardinho subindo
12/08/2017 | 13h46
 
Fonte: Folha de São Paulo
Pela primeira vez em 22 anos, Bernardinho, 57, não passou seu suposto período de férias à frente de treinamentos e campeonatos com as seleções de vôlei.
 
Em janeiro, quando anunciou que deixava a equipe brasileira masculina após mais de 15 anos de trabalho, o técnico se deparou com a situação incomum e, em vez de propriamente descansar, decidiu não desgrudar do esporte.
 
Com o tempo livre entre junho e julho, Bernardinho investiu menos tempo e energia no vôlei. Preferiu se aventurar em maratonas de ciclismo.
 
Disputou três provas de longo percurso. Uma na cadeia montanhosa de Dolomitas (Itália) e duas do circuito Gran Fondo, em Nova York e, no último domingo (6), em Conservatória (RJ).
 
Tais provas têm até 160 km de percurso. O Gran Fondo, cuja etapa fluminense foi a primeira no Brasil, ocorre em 11 países. Podem participar ciclistas profissionais ou não.
 
"Trato essas provas de ciclismo como grandes passeios onde o objetivo é completar e se sentir bem", afirmou o carioca, que dirigiu a seleção feminina entre 1994 e 2000 e a masculina, entre 2001 e 2016.
 
"Também é um trabalho de disciplina, pois o ciclismo é um esporte duro em vários aspectos, que te faz acordar cedo e sempre manter uma conduta."
 
Quando deixou a seleção masculina de vôlei há sete meses, na esteira do bicampeonato com o time nos Jogos do Rio, ele atribuiu a decisão à necessidade de ficar mais perto da família e se dedicar a novas atividades. O ciclismo surgiu como opção.
 
"Pedalar é um exercício de humildade permanente. Somos muito pequenos diante de tudo, e essa é uma terapia interessante", comentou.
 
Além do lado esportivo, ele ainda investiu em capacitação. "Tenho estudando, lido, dado palestras e participado de alguns eventos na área de educação. E fui aos EUA para um curso de liderança."
 
Bernardinho quer se manter dedicado ao ciclismo nos próximos anos, mas também disputar provas de triatlo como o Ironman. "É sempre no sentido de desafio. Não adianta cobrar dos outros se eu também não melhorar", disse.
 
Recentemente, Bernardinho fez uma movimentação na política. Ele, cujo nome tem sido ventilado ao Governo do Rio, deixou o PSDB, partido ao qual estava filiado desde 2013, e aderiu em abril ao Novo, que foi fundado em 2011. A assessoria do treinador informou que ele não quer fazer comentários sobre política neste momento. Em fevereiro, quando ainda não tinha deixado o PSDB, afirmou à Folha que não concorreria a cargos públicos em um futuro próximo.
 
PÉ NO VÔLEI
 
Mesmo longe durante as férias, ele não se desconectou totalmente do vôlei. Assistiu às partidas da seleção, que passou a ser dirigida por Renan Dal Zotto e terminou com o vice-campeonato da Liga Mundial ao perder para a França, em Curitiba.
 
Dal Zotto não foi o nome indicado pelo ex-técnico da equipe nacional –ele preferia que fosse seu ex-assistente, Roberley Leonaldo, o Rubinho, mas Bernardinho se pôs à disposição para ajudá-lo.
 
Chegou até mesmo a participar de reuniões para definição de planejamento da equipe nacional, no início do ano. Hoje, porém, não quer interferir no trabalho.
 
Com o final das férias, ele agora volta esforços ao time do Rio de Janeiro, que comanda há mais de uma década e que é atual campeão da Superliga feminina. Desde o final de julho o treinador voltou a comandar a equipe para a próxima temporada.
Compartilhe
O que vc acha?
10/08/2017 | 19h09
No dia 17 de agosto de 2016 (aqui), quando o País ainda não estava tão profundamente envolvida nesta crise política e econômica, as vagas para correr na tão festejada XC Run Búzios, tinham acabado. Agora em 2017, em pleno olho do furacão, será que as inscrições se encerram ou continuam? Vamos aguardar mais um pouco para conferir. Deixo claro que não estou torcendo contra, muito pelo contrário, até quero correr por lá este ano, estou apenas tentando entender até onde foi a tal crise. Bons treinos!
 
Compartilhe
Vencedores de fato
07/08/2017 | 15h16
Fernando
Fernando
Ontem (6) na 73ª edição da Prova
Fernando
Ciclística de São Salvador, conhecida como a competição de ciclismo mais antiga do Brasil, foram vários os vencedores em inúmeras categorias, mas esta abaixo, merece uma homenagem especial. Parabéns a todos estes verdadeiros heróis (alô Fernando!). Bons treinos! 
Fernando
Fernando
Compartilhe
Alegria e ousadia
04/08/2017 | 21h25
Bicampeã olímpico e mundial dos 10.000 metros, o fenômeno britânico Mo Farah, cruzou a linha de chegada no   Campeonato Mundial de Atletismo, disputada hoje (4), com o tempo de 26m49s53, sendo o vencedor da prova na sua despedida da modalidade. Bons treinos! 
Compartilhe
Esporte e calor
02/08/2017 | 20h24
Apesar de estarmos num período ótimo para treinos e competições,  relacionado e temperatura - e está um luxo mesmo - em breve vai acabar. Na figura abaixo, que correlaciona distâncias do atletismo e a influência do calor, entende-se na teoria onde se pode ter melhoras e pioras da performance. 
Lembrando que a tão falada aclimatação, e que muitos corredores tentam, tem seus segredos. Como exemplos cito: o corpo precisa de 10 a 14 dias de exercícios no calor para ajustar-se (ou aclimatar-se). Nesse período é indicado diminuir a intensidade do exercício em busca das adaptações corretas. 
Estes 10 a 14 dias funcionam próximo à prova alvo, onde o organismo vai estar no ápice da sua adaptação. Somente tenha muito cuidado com a hidratação. Também se faz necessário a orientação de um profissional habilitado e de preferência, atualizado. Bons treinos! 
Mysportscience
Compartilhe
2º Desafio
01/08/2017 | 20h12
CorporArte
Evento em prol do Asilo do Carmo que vale o registro e convite a todos. 
Vai ser realizado na Corporarte, dia 12 de agosto, a partir das 8 horas.
Bons treinos!
Compartilhe