Seu professor é atualizado (2)?
18/03/2019 | 21h52
Sobre tema discorrido em post anterior que cita MÁQUINAS X APARELHOS.
Estudo recente (aqui) põe lenha na fogueira ao destacar o poder de um maior AFETO em rotinas com pesos livres.
SENSACIONAL!!!
Leiam!
O treinamento de resistência com pesos livres resulta em maior PRAZER e ATIVAÇÃO comparativamente c/ treinamento em máquinas
Programas de treinamento de resistência devem considerar, junto aos aspectos fisiológicos e técnicos, também a resposta AFETIVA às diferentes modalidades de exercício, particularmente quando o objetivo é melhorar a aptidão geral
Neste estudo as análises revelaram escores mais altos em todas as variáveis quando os participantes exercitaram com PESOS LIVRES
O PRAZER foi positivamente relacionado ao esforço percebido apenas na sessão de peso livre
Ao olhar para o modelo de AFETO, os resultados mostraram que o exercício resistido realizado com pesos livres resultou em uma sensação de ativação agradável para todos os participantes, enquanto a condição de treinamento da máquina determinou estado agradável de alta ativação para a maioria, mas também casos de baixa ativação e estado de descontentamento
Ótimo estudo tendo como fonte @marcosruss0 numa tendência que parece não ter volta
Fica a pergunta: até quando máquinas de musculação existirão?
Aí já é outra história...

Prof. Msc. Marcos Almeida
Comentar
Compartilhe
Seu professor é atualizado?
08/03/2019 | 19h50
lIniciei na musculação em 1991 na Speed e após, na Projex, já como professor.
Bons tempos, ou talvez não tão bons assim, sob o ponto de vista do treinamento: era ginástica localizada ou musculação; era caneleira ou puxar ferro, sem uma 3ª opção.
Após flutuar por várias modalidades (futebol/escolas/treinamento pessoal) conheci o treinamento funcional (TF) em 2006, via Luciano D’elia, precursor no país.
Paradigmas foram quebrados, a musculação rejuvenesceu. O treino contra-resistido, numa linguagem acadêmica, mudou. O TF + os exercícios com peso corporal (EPC) ganharam corpo, invadindo espaços antes dominados por pesos/anilhas/aparelhos.
Após muita resistência, diante de conceitos estabelecidos, o jogo virou. Hoje é inconcebível academias não terem espaço para estas variações motrizes..
Força/Equilíbrio/Coordenação são Princípios que norteiam o treinamento sendo facilitados pelo TF/EPC. Um bom espaço físico tbm é primordial assim como um “teto alto” do professor.
Respeito linhas divergentes mas acho retrógrado professores abrirem mão destas ferramentas, podendo ele estar carecendo de motivação+atualização visando rotinas que sejam conceituadas pelo aluno como agradável, não repetitivo e com bons resultados.
O mercado Fitness está em ebulição. O marketing espontâneo é bem favorável. O produto que “vendemos” é fundamental para todos.
Nos últimos 13 anos o American College of Sports Medicine (ACSM) circula uma pesquisa p/ milhares de profissionais ao redor do mundo em busca de tendências de Saúde/Fitness.
Foi concebido para confirmar ou introduzir tendências que tenham impacto positivo na indústria Fitness.
Nos últimos 5 anos os EPC + o TF viraram realidade.
Se seu professor está em dia com a ciência ele não somente treina nos equipamentos como intercala musculação com EPC e TF. Talvez esta premissa não seja suficiente para avaliá-lo, se este for o seu objetivo. Observe tbm seu discurso; se somente conta até 10; se se preocupa com o seu tel ou se é comprometido com você. Fique atento.
Como diria Albert Einstein, “a mente que se abre a uma nova idéia jamais volta ao seu tamanho original”.
Msc Marcos Almeida
Ms Marcos Almeida AE
Bodytech
Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Marcos Almeida

[email protected]

Marcos Almeida é assessor esportivo, especialista em Ciência da Musculação e mestre em Ciência da Motricidade Humana.