Inelegível pelo TSE, Garotinho repete situação de Arnaldo em 2008
27/09/2018 | 02h30
O ex-governador Anthony Garotinho foi considerado, por unanimidade, inelegível hoje pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em notícia divulgada aqui, no blog Na Curva do Rio, da jornalista Suzy Monteiro. O TSE confirmou a inelegibilidade da candidatura de Garotinho ao Governo do Estado decretada pelo plenário do Tribunal Regional Eleitoral (TRE).
Garotinho foi barrado por ser ficha suja, pelos critérios da Lei da Ficha Limpa, uma vez que foi condenado por tribunal colegiado já em 2ª instância. O mesmo critério que barrou, na campanha presidencial, outro político de linhagem populista, o ex-presidente Lula, que, além de condenado, se encontra preso em Curitiba.
A 10 dias da eleição, Garotinho terá em sua reta final de campanha, suspensa oficialmente pelo TSE, a pecha de inelegível. As urnas já foram inseminadas com o seu nome e não poderão ser alteradas. Porém seus votos serão considerados nulos e não serão totalizados.
Por ironia do destino, a situação é análoga à ocorrida com o seu ex-aliado e depois desafeto Arnaldo Vianna nas eleições municipais de 2008. Naquela ocasião, Arnaldo, também ficha suja, concorreu à Prefeitura de Campos contra Rosinha, conseguindo arrastar a disputa e o imbróglio judicial até o 2º turno, tendo sido derrotado ao final, tanto nas urnas, quanto na justiça.
Naquela campanha Garotinho martelava que o adversário era inelegível e que seu nome não estaria nas urnas. Agora ocorre o mesmo com ele.
Caso o ex-governador não reverta a situação, ao menos temporariamente, como Arnaldo conseguiu em 2008, Eduardo Paes, líder das pesquisas, poderá liquidar a fatura no 1º turno, uma vez que os possíveis votos dados a Garotinho serão nulos e não serão considerados nos votos válidos.
Comentar
Compartilhe
Há 20 anos
19/01/2017 | 08h25
Arquivo Folha - 02 de janeiro de 1997
Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Christiano Abreu Barbosa

[email protected]