Efeito delação
02/06/2017 | 02h35
Os números da economia, referentes ao primeiro trimestre de 2017, puxados pelo setor agropecuário, foram animadores, depois de longa recessão iniciada no governo Dilma Rousseff. Porém, quando o horizonte parecia mais claro, veio a delação da JBS e a conversa nada republicana do presidente Michel Temer, que balança no cargo, em cenário que traz novamente instabilidade para a maltratada economia do país.
Coincidência ou não, após a delação da JBS os números do comércio não foram nada animadores, com uma segunda quinzena de maio para se esquecer. Novamente com a confiança abalada, o consumidor, naturalmente, tira o pé no consumo.
Comentar
Compartilhe