O Rio vai parar neste domingo! Grande ato PAREM DE NOS MATAR!
25/05/2019 | 19h43
Amanhã (domingo), dia 26 de maio, acontecerá no Posto 8, em Ipanema, às 10h, o Grande Ato "PAREM DE NOS MATAR"! #AsFavelasExigemPaz
 Os moradores das favelas do Rio de Janeiro convocam a população da cidade para o grande ato de protesto Parem De Nos Matar!, exigindo o fim das políticas públicas de ocupações e intervenções policiais e militares nas áreas residenciais que continuam nos matando e aos nossos familiares e amigos.
Formaremos um cordão humano desde o posto 12 até o Arpoador. Cidadãos de todas as idades e de todos os bairros e favelas da cidade darão as mãos e formarão uma corrente de protesto, exigindo segurança e a garantia da integridade das suas vidas.
 Na Segunda-feira de Páscoa o gari comunitário William Mendonça dos Santos, conhecido por todos como Nera, foi assassinado com dois tiros na favela do Vidigal, Zona Sul, pela polícia militar. Dias antes o músico Evaldo Rosa dos Santos e o catador de papel Luciano Macedo foram executados pelo exército com 80 tiros na Estrada do Cambotá em Guadalupe, Zona Oeste e o estudante Lucas Brás de 17 anos, foi abatido com um tiro nas costas no Parque Royal, Zona Norte.
William, Evaldo, Luciano e Lucas, todos negros. Todos assassinados pelo estado do seu país. Dezenas de tiros saídos das armas daqueles cujo juramento e dever é proteger e servir os cidadãos brasileiros. Polícia e exército existem para garantir a segurança e a integridade física dos cidadãos, nunca para os matar.
 Segundo dados do Instituto de Segurança pública, divulgados pelo Jornal Extra (2842019), o primeiro trimestre de 2019 registrou 434 homicídios em decorrência de ações policiais. Esse número representa uma média de 4 mortes por dia ocasionadas pela intervenção policial e o aumento de 18% em relação ao ano anterior.
 A violência de estado nas favelas e periferias excedeu, há muito, todos os limites humanamente admissíveis em qualquer país civilizado. O horror atingiu dimensões insuportáveis.
A ação das forças policiais e das ocupações militares, disfarçada de guerra às drogas, não é mais do que um muro segregador, instrumento para a dominação, repressão e extermínio de pobres favelados. Daqueles que não podem ser absorvidos pela “cidade mercadoria” dos grandes empreendimentos e do lucro a qualquer custo.
Policiais e soldados, na sua maioria cidadãos pretos e pobres recebem ordens e licença para matar outros cidadãos pretos e pobres. “A polícia vai mirar na cabecinha e… fogo” anunciou o novo governador do estado incitando ao massacre da população das favelas.
Embora a truculência faça parte das táticas policiais desde sempre, os atuais governos estadual e federal ampliaram a Licença Para Matar atribuída às já extremamente violentas forças de segurança pública.
 Oitenta tiros, dois tiros, um tiro, vale tudo nessa guerra política que, quando não nos mata, quer nos calar. Não calarão!
 Pelo fim dos assassínios de estado, pela paz nas favelas, juntem-se a nós. 
PAREM DE NOS MATAR!
 ORGANIZAÇÃO:
Associação de moradores do Vidigal
Politilaje
Favela no Feminino
Coletivo Jararaca RJ
Movimento popular de favelas
Movimento Moleque
B’nai B’rith
Redes da Maré
Coletivo Feminista Classista Ana Montenegro
Coletivo Juntos pela Paz
Nós do Morro
Bando Cultural Favelados da Rocinha
Associação de Moradores da Rocinha
Mães e Familiares Vítimas de Violência do Estado
Rede de Comunidades
Movimentos Contra a Violência
Rede de Mães e Familiares da Baixada
Levante Popular da Juventude
Favelação
Funperj
MTST
Fórum de Educação de Jovens e Adultos
Comissão Popular da Verdade
Movimento Negro Unificado
Favela não se cala
Frente Brasil Popular
Radio Estilo Livre Vidigal
Frente de Juristas Negras e Negros do Estado do Rio de Janeiro
Frente Democrática da Advocacia
UNEGRO - União de negras e negros por igualdade
Movimento Nosso Jardim
Coletivo União Comunitária
Ser Consciente
Frente Favela Brasil
Militantes em Cena
Frente Povo Sem Medo
Quilombo Raça e Classe
Torcedores pela Democracia
FAFERJ
FAM-RIO
Conselho Popular
MST
Grupo de Resistência Bando Cultural Favelados
ASA - Associação Scholem Aleichem.
RioOnWatch
Movimento dos Atingidos por Barragens
Copa por Diretas e por Direitos
Movimento Nenhum Serviço de Saúde a Menos!
Movimento Somos
ADDH-RJ, Associação da diversidade em direitos humanos
Fórum de Saúde do Estado do Rio de Janeiro
Rede de Médicas e Médicos Populares
AJD - Associação Juízes para a Democracia
Rede Rio Criança
Casa Nem
FIST - Frente Internacionalista dos Sem Teto
RUA - Juventude anticapitalista
Marcha das Favelas pela Legalização
CEN - Coletivo de Entidades Negras
ONDA - Observatório Nacional do Direito à Água e ao Saneamento
Sons das ruas
NAPAVE - Núcleo de Atenção Psicossocial a Afetados pela violência do Estado.
Policias Antifascismo RJ
Fórum Basta de Violência
Outra Maré é Possível
Juristas pela Democracia
Comentar
Compartilhe
URGENTE! AJUDE A ÍNDIA, cachorrinha que ficou sem andar, pela cinomose
19/05/2019 | 23h00
>> URGENTE << AJUDE NO TRATAMENTO DA ÍNDIA, CACHORRINHA AMOROSA RESGATADA DAS RUAS QUE FICOU SEM ANDAR, SEM ENXERGAR E COM PROBLEMA DE PELE E IMUNIDADE, POR CAUSA DA CINOMOSE! DOE O QUANTO PUDER, NA VAKINHA!
Link da Vakinha: www.vaka.me/495768
CINOMOSE TEM CURA! AJUDE!
A Índia, uma cachorrinha muito linda e amorosa resgatada das ruas, hoje moradora do Santuário Salvando Vidas (www.instagram.com/santuariosalvandovidas), teve cinomose, que avançou para o quadro neurológico, deixando-a sem andar, sem enxergar e com um problema de pele complicado, grave. Precisamos bater os 100% da vakinha para que a Índia tenha seu tratamento custeado. Os gastos com medicamentos são absurdos – a cada mudança do quadro de saúde os medicamentos são modificados, de acordo com a forma como seu organismo responde à medicação. São antibióticos, antiinflamatórios, antivirais, corticoides, remédios para a pele, pastas e pomadas, além de medicação reforçada (para levantar a imunidade) e transporte até veterinários para consultas e exames.
A cinomose é uma doença gravíssima, e fica ainda pior no quadro neurológico, mas tem cura, mesmo o tratamento sendo demorado. 
Todo dia é um dia vencido para a guerreira Índia. Assim que ela melhorar do quadro grave dermatológico e de imunidade, irá para as sessões de acupuntura, para tentar voltar a andar! Ajude como puder, no custeio desse tratamento delicado!
>> O link da Vakinha está aqui: vaka.me/495768
.
>> Você também pode doar no PayPal, na conta: [email protected]
Ou na conta bancária: >> Caixa Econômica Federal // Agência: 2524 // Operação: 013 // Conta poupança: 28264-9 //Titular da conta: Thaís Tostes (CPF: 124.287.127-64)
Por amor, ajude a Índia! S2 # Força, Índia! Guerreira!
#animals #loveanimals #sanctuary #animalsanctuary #vegan #love #india#dog #lovedogs #animal protection #animalrescue #animalliberation#dogprotection #animalrights #govegan #animalhealth
Comentar
Compartilhe
Roda: DIREITOS ANIMAIS E JUSTIÇA SOCIAL - Amanhã, no Caps Infantil
15/05/2019 | 15h26
Amanhã (quinta-feira, dia 16), o Coletivo Vegano promove a roda de conversa "O que o veganismo tem a ver com as lutas por justiça social?" e uma oficina culinária de amendoim. Com início às 9h30, no Caps Infantil, a roda e a oficina acontecem dentro da programação da 5a Semana da Luta Antimanicomial de Campos, organizada pelo Coletivo Estamira.
O Coletivo vai falar sobre a interseccionalidade do veganismo - sobre como os direitos dos animais estão totalmente ligados à luta pelos outros direitos sociais. 
A entrada é gratuita! Não perde! 
RODA DE CONVERSA "O que o veganismo tem a ver com as lutas por justiça social?" + Oficina culinária de amendoim
QUINTA-FEIRA (16 de maio),às 9h30
No Caps Infantil (Centro de Atendimento Psicossocial Infantil Dr. João Castelo Branco - Endereço: Rua João Barreto, 70, Parque Rosário - Campos-RJ
Confira a programação completa da Semana, aqui: www.facebook.com/events/454362662001485
E confirma presença na roda de conversa e oficina: https://www.facebook.com/events/301190087478336/
Comentar
Compartilhe
As mães que não podem ser mães, e os filhos órfãos, por causa da agropecuária
12/05/2019 | 14h45
O blog deseja a todas as mães um dia especial, cheio de afeto. E faz esse post como homenagem principalmente às mães de outras espécies, que são exploradas pela espécie humana. Sobre o Dia das Mães, podemos perguntar: Feliz Dia das Mães pra quem? Feliz Dia das Mães pra quais mães? Mãe é mãe e ponto final, não é mesmo? Mas, para as mães de outras espécies, exploradas pela indústria do leite, dos ovos e da carne, todo dia é uma tortura. Você sabia que as fêmeas de outras espécies, como as vacas e as galinhas, não possuem o direito à maternidade, e seus filhos ficam órfãos logo que nascem?
A luta pelo Direito Animal é também a luta pelo direito à maternidade, e a luta pelo direito dos filhos terem uma mãe e um pai, direitos estes que são tirados dos animais pelas indústrias da carne, leite/laticínios e ovos – a indústria agropecuária. Além do feminismo, por exemplo, área de luta de muitas mulheres, existe um degrau acima, que é o feminismo antiespecista, que defende as fêmeas não apenas da espécie humana.
A indústria da propaganda e do marketing é muito bem paga pela indústria da agropecuária para produzir as imagens de vaquinhas felizes nas caixas de leite, num campo verde com o nascer do Sol, assim como pra defender que “está tudo bem em tomar leite porque nenhum animal foi morto pra dar leite”. Só que isso é uma grande mentira. Há também a defesa de que "o que eu como é uma escolha pessoal minha", mas nesse caso se está esquecendo de alguém, como ele:
Neste Dia das Mães escolhemos um vídeo em animação muito bem feito, que mostra um pouco sobre o que a indústria agropecuária, especificamente a indústria do leite, faz com as vacas e com seus filhos, para que o leite chegue até você nas prateleiras dos supermercados. Se você não aguenta ver imagens fortes, pode ver essa animação tranquilamente, porque ela é "suave". Mas tem aquele ditado, né?! Se algo não é bom pra você ver ou ouvir não deve ser bom pra você comer! Leite é morte, dor e sofrimento. São mães que não puderam ser mães – que sentiram a dor de perder um filho. São filhos que não puderam beber o leite que era deles, pra esse leite ir pra você, e que não puderam ter contato algum com sua mãe. Órfãos da indústria do leite. 
Veja o vídeo, que é bem curtinho, clicando abaixo:
É omitido da população, no geral, que vacas em fazendas produtoras de leite vivem em galpões sujos e superlotados. Para que produzam leite ininterruptamente, essas vacas são repetidamente inseminadas (seres humanos as forçam a engravidar). Assim que seus filhos nascem, os bezerros, eles lhe são retirados para que o leite que deveria ser deles chegue até você. Em alguns casos, eles mantêm o filho perto da mãe (para que, pelo amor, ao vê-lo, esta vaca produza leite), mas neste bezerro é colocado um "anel de desmame", que o machuca assim que ele tenta mamar em sua mãe. Você já viu, pelos pastos brasileiros, bezerros com uma espécie de "argola" no nariz, não viu?! Então: é isso. 
 Se o bebê da vaca for do sexo masculino, ele simplesmente é “descartado” da rota do leite e encaminhado pra uma fazenda de vitela, onde é mantido em uma baia minúscula onde ele basicamente não consegue se mover. E, em poucas semanas, esse filho é morto, pra comercialização da carne de vitelo, vendida em restaurantes. Mas, se o bebê da vaca for fêmea, esta vai seguir o mesmo “destino” da mãe (se tornará mais uma “vaca leiteira”, sem direito à maternidade, e com filhos órfãos). Isso não é natural.
Uma vaca leiteira, normalmente, vive a média de 20 anos ou mais, mas por conta dessa exploração sem fim feita pela indústria do leite, engravidando sem parar para a produção do leite, manteiga, requeijão e tudo isso que a sociedade consome, essa vaca vive apenas quatro anos, ou até menos. E então, quando o ser humano não consegue mais explorá-la dessa maneira, quando ela “deixa de dar leite”, ela é enviada para o “abate”– é morta em matadouros para a produção de carne, geralmente carne moída.
Na internet você encontra vários documentários e outras fontes de informação que mostram como as vacas são tratadas pela indústria do leite – funcionários de fazenda costumam chutar, espancar e perfurar esses animais, quando querem que eles façam algo.
A cada dia que passa, mais médicos se tornam veganos, assim como nutricionistas, formando uma grande rede de profissionais que chegam pra desmentir, por exemplo, que “você tem que consumir laticínios”, que “se você não tomar leite você vai ficar fraco”. Essas coisas eram crenças da época da nossa avó e o mundo caminha para um mundo justo, onde os direitos sejam respeitados – o direito de todos, incluindo o outro, o animal -, como o direito à vida, à felicidade e à maternidade.
Luto por todas as mães e filhos explorados e mortos pela indústria agropecuária!
 
 
Comentar
Compartilhe
Animais apreendidos no Mercado: da rota do abate direto para um santuário
07/05/2019 | 21h55
O Santuário Salvando Vidas, um dos únicos santuários, no mundo, coordenado por veganos (dentre eles a jornalista que escreve este texto e ativista antiespecista, Thaís Tostes) e grupo de defesa do Direito Animal que sobrevive de forma independente (sem apoio de governos ou da iniciativa privada), está muito feliz por ser o guardião de grande parte dos animais que foram apreendidos no Mercado Municipal de Campos-RJ no último dia 25, na operação do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro e outros órgãos. O Santuário, como grupo antiespecista, está de luto pelo caminhão de galinhas que foram mortas por “falta de espaço”, e ainda porque “protetores de animais” que conhecem o trabalho do Santuário não acionaram este grupo de defesa do Direito Animal, mesmo sabendo que o grupo tem estrutura o suficiente onde as galinhas poderiam viver, na zona rural de São Francisco do Itabapoana-RJ. A informação de que as galinhas não foram mortas, como circula nas redes sociais, não procede. Elas foram mortas, como confirma um dos documentos obtidos por esse blog. Sentimos muito por cada vida interrompida. No entanto, o Santuário Salvando Vidas conseguiu salvar vários animais, que, da rota do abate, agora estão na rota da proteção e defesa do Direito Animal. E na rota do amor.
 
 
O Santuário agradece imensamente aos delegados da 134ª Delegacia de Polícia de Campos, Natália Patrão e Bruno Cleuder, por confiarem no trabalho de resgate e defesa do Direito Animal mantido por esse grupo. Agora, os animais que viviam dentro do caos sonoro e de calor do Centro de Campos vivem livres na natureza, com direito a matas, patas na terra, lagos, rio e até piscina, e em harmonia com diferentes espécies de animais. São preás, coelhos, gansos, patos, perus que talvez tenham visto agora, pela primeira vez, bois, cavalos, gatinhos, cachorrinhos, cabritos, ovelhas e outras espécies.
 
 
O Santuário, como grupo antiespecista e de luta pela construção do animal como indivíduo sujeito de direitos, é contra o comércio de animais e acredita que essa prática acabará ao longo dos anos, por meio de muita educação e luta jurídica. E, ao mesmo tempo, defende que os órgãos públicos apoiem os comerciantes de animais neste momento, para que consigam pagar suas dívidas e outras despesas, como alimentação.
 
 
O Santuário está mais colorido por cada ser sensciente que saiu do risco de morte e agora viverá feliz e morrerá de morte natural; e está, também, com uma vaquinha aberta para o suporte à alimentação (milho, ração, vitaminas) e demais gastos (medicamentos, exames) dessas dezenas de animais pelos próximos meses. Ajude como puder! Link da vaquinha: www.vakinha.com.br/vaquinha/ajude-na-alimentacao-dos-animais-resgatados-do-mercado-municipal
NAS FOTOS ABAIXO:
1) COELHINHO QUE ERA COMERCIALIZADO NO MERCADO, NESTA FOTO NUMA GAIOLA DE SEU ANTIGO "DONO", APÓS TER SIDO RETIRADO DO MERCADO MUNICIPAL.
2) O MESMO COELHINHO DA PRIMEIRA FOTO, BRINCANDO COM OS OUTROS, CORRENDO, JÁ NO SANTUÁRIO SALVANDO VIDAS
3) GANSOS QUE AGORA TÊM UMA PISCINA INTEIRA SÓ PRA ELES
Comentar
Compartilhe
DOMINION, doc novíssimo sobre Direito Animal, nesta quarta, em Campos
06/05/2019 | 19h11
Nesta quarta-feira (8 de maio), vamos exibir o documentário Dominion (2018), uma das produções mais atuais sobre DIREITOS ANIMAIS. Às 19h, no Edifício Medical Center, no centro de Campos-RJ. Entrada livre! Vamos também debater Direito Animal, incluindo os atrasos que existem nessa área e que se tornaram ainda piores, no Brasil, no desgoverno de Jair Bolsonaro.
 Exibição: Coletivo Vegano, Thaís Tostes e Santuário Salvando Vidas // Dentro da programação do Cineclube Goytacá
O DOCUMENTÁRIO - Dominion foi filmado na Austrália e, com o uso de drones, câmeras escondidas e câmeras portáteis, denuncia os bastidores da cruel agropecuária moderna, questionando a moralidade e a validade do domínio da humanidade sobre os animais. Embora fale principalmente sobre os animais explorados pela indústria da "alimentação", o documentário também mostra outras maneiras pelas quais os animais são explorados, abusados e exterminados pelos humanos, como, por exemplo, nos setores de roupas, entretenimento e pesquisa.
O audiovisual é narrado por Joaquin Phoenix, Rooney Mara, Sia, Sadie Sink e Kat Von D, e co-produzido pelo criador do documentário clássico da causa animal Earthlings ("Terráqueos"), Shaun Monson. A direção é de Chris Delforce e Lissy Jayne.
Exibição do documentário DOMINION
QUARTA-FEIRA, 19h
Edifício Medical Center (Rua Treze de Maio, 286 - Centro - Campo-RJ)
ENTRADA LIVRE
Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Thaís Tostes

[email protected]