Empresário de Niterói e Maria da Penha indicados ao Nobel da Paz
26/09/2017 | 12h20
O turismólogo Luiz Gabriel Tiago, de 39 anos, natural de Niterói, foi indicado ao Prêmio Nobel da Paz de 2018.
Há sete anos ele criou a Pontinho de Luz, empresa social responsável pelo "Treinamento Gentileza", um programa pago, com 22 horas de duração, dedicado a promover a empatia. Quem passa pela formação tem acesso à Pontinho de Luz, uma rede de solidariedade que conta com 35 mil pessoas, responsáveis por ações sociais realizadas no Brasil e no exterior com os recursos arrecadados por treinamentos e doações.
A iniciativa é inspirada na atuação do Profeta Gentileza. De sua referência, Luiz Gabriel Tiago tirou também um nome profissional: Senhor Gentileza, com o qual é encontrado nas redes sociais. Ele explica que, até 2010, conduzia as pesquisas que resultaram no conteúdo do programa "Treinamento Gentileza" e ministrava palestras, quando se sentiu obrigado a fazer algo mais prático para interferir na realidade.
A Pontinho de Luz coleciona feitos relevantes: já arrecadou 500 toneladas de alimentos para doação a famílias carentes, promove doações mensais de cestas básicas no Rio e em São Paulo e ações solidárias, como abraços públicos e distribuição de doces em frente à estação das Barcas, no Centro de Niterói. A cidade continua presente no cotidiano da empresa social: sua sede fica na casa onde Luiz Gabriel Tiago cresceu, em Várzea das Moças.
As pesquisas do empresário resultaram no livro "Gentileza no trabalho", publicado em 2009. Embora seja destinado a propósitos variados, seu treinamento tem maior procura por empresas que pretendem melhorar o relacionamento interpessoal entre funcionários e colaboradores diversos.
A história de Pedro reúne também momentos de dificuldades financeiras, enfrentadas entre a adolescência e o início da vida adulta. Para poder cursar um pré-vestibular, vendeu cafezinho na Praça Quinze, no Centro do Rio, e foi office boy. Foi naquela época que se tornou mais sensível para as necessidades da camada mais humilde da população. Por isso, garante não ligar para o rótulo de assistencialista.
O resultado do prêmio está previsto para o fim do ano que vem. Até março, a Academia Sueca, responsável pela organização do evento, deverá divulgar uma lista com os finalistas. Atualmente, há também uma brasileira indicada: a farmacêutica Maria da Penha Maia Fernandes. Vítima de agressões do ex-marido que, sua atuação em defesa das mulheres resultou na lei federal 11.340/06, popularmente conhecida como Lei Maria da Penha, destinada ao combate à violência familiar. Nunca um brasileiro venceu um Prêmio Nobel.
 (Fonte: O Globo)
* Torcendo muito pelos dois, mas, especialmente por Maria da Penha. Mulher guerreira, que conseguiu dar luz à violência contra a mulher, crime que, até então, era tratado como algo menor, confinado ao sofrimento das vítimas e suas famílias.
Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Suzy Monteiro

[email protected]