TSE já comunicou ao TRE sobre soltura de Garotinho
27/09/2017 | 12h22
  • Militantes em frente à casa da Lapa

    Militantes em frente à casa da Lapa

  • Rosinha falou sobre decisão

    Rosinha falou sobre decisão

  • Rosinha falou sobre decisão

    Rosinha falou sobre decisão

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já comunicou ao TRE sobre a decisão de ontem que determinou a revogação da prisão do ex-governador Anthony Garotinho. Ele cumpria prisão domiciliar desde 13 de setembro, após ser condenado na Chequinho. Agora cabe ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) informar ao Juízo da 100ª Zona Eleitoral. Em frente à casa de Garotinho, na Lapa, a ex-prefeita Rosinha informou que o advogado do ex-governador entrou com uma petição comunicando ao TSE a não notificação do juiz de Campos pelo TRE.
Desde a manhã desta quarta-feira (27), militantes se concentram em frente à “casinha da Lapa”, onde prestam apoio ao ex-governador. Nesta tarde, um trio elétrico chegou à Lapa, onde se encontram também o filho dos ex-governadores Wladimir Garotinho e políticos do grupo, como Patrícia Cordeiro, Auxiliadora Freitas, Albertinho e Edilson Peixoto.
Atualização:
Nota da defesa de Garotinho:
"A defesa de Anthony Garotinho informa que foi protocolada no TSE, na tarde desta quarta-feira, um pedido para que seja determinado o cumprimento imediato da decisão do tribunal no sentido de revogar a prisão do ex-governador.
Até o momento, passadas mais de 15 horas, a desembargadora do TRE Cristina Feijó ainda não enviou um ofício ao juiz da 100ª Zona Eleitoral comunicando a decisão de ontem do Tribunal Superior Eleitoral.
Relatora do HC no TRE, Feijó foi notificada pelo TSE às 24h04m desta quarta-feira, poucas horas após o julgamento dos ministros do Tribunal Superior Eleitoral, que consideraram a prisão “arbitrária”.
Mais cedo, o advogado Maurício Costa ligou para a assessoria da desembargadora e foi informado que ela só iria analisar o ofício a questão após a sessão do TRE na noite desta quarta-feira".
Confira a petição da defesa de Garotinho.
Comentar
Compartilhe
No HC de Garotinho no TSE, relatório com suspeita de violação do monitoramento eletrônico
21/09/2017 | 01h09
No Habeas corpus (HC) que tramita desde de ontem no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e que pede a liberdade do ex-governador Garotinho, em prisão domiciliar desde quarta-feira (13), após ser condenado a nove anos e 11 meses no caso Chequinho, consta relatório do Sistema de Acompanhamento de Custódia 24 Horas da Seap.
O relatório aponta suspeita de violação do monitoramento eletrônico de Anthony Garotinho, no último dia 16.
Diz o documento, encaminhado ao juízo da 100 Zona Eleitoral: "Sirvo-me do presente para encaminhar relatório, em anexo, gerado pelo sistema de monitoração eletrônica (SAC24), onde consta violação de área no dia 16 set 2017 do monitorado Anthony William Garotinho Matheus de Oliveira" (Confira imagens acima).
Ainda segundo o documento, a esposa, a ex-prefeita Rosinha, foi procurada pelo sistema de monitoramento e disse que a tornozeleira eletrônica do ex-governador estava funcionando sem problemas.
Diante da suspeita, o juiz Ralph Manhães determinou a Polícia Federal que investigue o caso. E encaminhou a suspeita ao ministro Tarcísio Vieira de Carvalho Neto, relator do HC. (Confira na imagem abaixo)
Já o ministro, que já havia dado prazo de 24 horas para que o Ministério Público se manifestasse no caso, concedeu, também, 24 horas para que a defesa se manifeste. (Confira a imagem abaixo)
Atualização para nota da defesa de Garotinho:
"O advogado Carlos Azeredo informa que a Polícia Federal comprovou, em inspeção na última terça-feira, que a tornozeleira eletrônica apita em determinados locais da casa do ex-governador Anthony Garotinho, devido às grandes dimensões da residência.
Esse problema, que afeta também o funcionamento dos celulares, já tinha sido avisado à Seap pela própria ex-governadora Rosinha Garotinho anteriormente.
Azeredo reafirma que Garotinho está cumprindo rigorosamente todas as medidas cautelares a ele impostas. O advogado acredita ainda que esse relatório da Seap seja uma forma mascarar a condenação de Sérgio Cabral, a quem o atual governo é ligado".
Comentar
Compartilhe
TRE sobre Garotinho: "Caso permaneça em liberdade, poderá cometer novos crimes"
18/09/2017 | 08h57
Por unanimidade, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro negou, na sessão plenária desta segunda-feira (18), pedido de liminar em habeas corpus em favor de Anthony William Garotinho Matheus de Oliveira, preso cautelarmente no último dia 13 por decisão do Juízo da 100ª Zona Eleitoral. "A sentença expõe minuciosamente os motivos concretos embasadores do juízo de periculosidade, pelo qual o paciente, caso permaneça em liberdade, poderá cometer novos crimes", afirmou a relatora do processo, desembargadora eleitoral Cristina Feijó.
A magistrada acrescentou ainda que "a gravidade e a repercussão da conduta delituosa, além do comportamento do paciente - que, de acordo com o apurado pelo juízo a quo, vem reiteradamente praticando outras infrações para impedir a sua condenação e difundindo ataques às autoridades que atuam no caso, incitando a população contra elas e contra as instituições que elas representam - revelam a necessidade de acautelar o meio social e assegurar a credibilidade das instituições públicas, em especial do Poder Judiciário".
Comentar
Compartilhe
Rosinha é a voz do marido condenado
16/09/2017 | 12h32
A voz
A ex-prefeita Rosinha tem cumprido o que prometeu: Tem sido a voz do marido Garotinho, condenado a nove anos e 11 meses de prisão por corrupção eleitoral, associação criminosa, coação de testemunhas e supressão de documentos no caso Chequinho. Uma voz que dispara para todos os lados, repetindo o mantra da perseguição pelas denúncias que ele faz contra “poderosos”. Ontem, o alvo foi o Tribunal Regional Eleitoral, que, até então, não havia julgado um Habeas corpus impetrado pela defesa do ex-governador.
Na fila
Antes deste Habeas corpus, que pede para que Garotinho responda em liberdade, havia outro, impetrado dois dias antes da prisão, em que a defesa tentava, mais uma vez, tirar da 100ª Zona Eleitoral a Ação Penal da Chequinho, suspendê-la e passar o caso para a Justiça Federal. No mesmo dia da prisão, a desembargadora Cristina Feijó analisou e viu perda de objeto, já que a sentença tinha saído horas antes. Também passou o caso para o plenário do Tribunal julgar.
Culpa
Durante a tarde de ontem, a ex-governadora voltou à carga, disparando contra o TRE e acusando o órgão de estar agindo politicamente, mais uma vez em função de denúncias feitas “contra poderosos” e citando, de novo, o presidente do Tribunal de Justiça, Luiz Zveiter, o ex-governador Sérgio Cabral, preso desde novembro do ano passado, a mulher de Cabral, Adriana Anselmo, além de outros políticos e empresários. Disse, ainda, que o TRE teria “gente que prende inocentes e protege os corruptos”.
Aposta
Em meio ao tiroteio, contra praticamente tudo e todos, Rosinha apostava no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para que o marido, ao menos, passasse a responder em liberdade. Mas, à noite, outra derrota: O ministro do TSE Tarcísio Vieira negou pedido de liminar, afirmando que a Reclamação apresentada pela defesa não era o instrumento jurídico correto para o caso. Assim, caso não tenha uma mudança no meio do caminho, a tendência é que Garotinho continue em prisão domiciliar, pelo menos até segunda-feira, quando o grupo aposta em um julgamento pelo Tribunal Regional. Até lá, haja Rivotril.
E o restante?
Ontem, o Governo do Estado pagou os servidores ativos da Educação, Degase e Segurança, além dos servidores ativos, inativos e pensionistas, de todas as categorias, que recebem vencimento líquido até R$ 2.052,00. Apesar disso, o próprio governo confessou que os vencimentos de agosto ficarão pendentes para 113.626 servidores ativos, inativos e pensionistas e não deu nenhum prazo para regularizar essa pendência. Ao que parece, a injeção de ânimo com o acordo de recuperação fiscal, assinado há duas semanas, já acabou.
Prevenção
Hoje acontece o Dia D da Campanha Nacional de Multivacinação. Em Campos, além das 50 salas de vacinação disponíveis, a população também poderá ainda se dirigir ao Jardim São Benedito, onde também haverá um ponto de atendimento disponível à população. A ação acontece das 9h às 16h. Uma boa oportunidade para atualização do cartão de vacina de crianças e adolescentes de até 15 anos.
Até quando?
Ultimamente, os casos de intolerância religiosa têm sido frequentes no estado do Rio e gerado bastante repercussão em veículos de imprensa. Em Nova Iguaçu, pelo menos sete terreiros de Candomblé, religião afro-brasileira, foram depredados. Em Campos, casos de intolerância também já chegaram a ser registrados, principalmente com ataques em redes sociais. Um desses episódios aconteceu este mês, quando ministros religiosos do culto afro participaram de uma solenidade para entrega de CNPJ às Comunidades Tradicionais de Terreiro. Em um país baseado na miscigenação de culturas, um ato de intolerância é, no mínimo, contraditório. Até quando vamos presenciar essa falta de respeito com o próximo?
Charge do dia:
José Renato
Comentar
Compartilhe
Expectativa em torno da chegada de Garotinho para ficar preso na casa da Lapa
13/09/2017 | 03h08
Clarissa chega a casa da Lapa
Clarissa chega a casa da Lapa / Suzy Monteiro
Uma pequena classe está na frente da casa do ex-governador Anthony Garotinho, preso pela Polícia Federal, no Rio de Janeiro, na manhã desta quarta-feira (13). Ele está nesse momento na delegacia da Polícia Federal, em Campos, e de lá segue para prisão domiciliar. A filha dele, Clarissa Garotinho, chegou à casa da família, de onde seguiu para a delegacia da PF, local onde se encontra também a irmã Clara Garotinho. Mais cedo, a ex-prefeita de Campos, Rosinha Garotinho, esteve no Instituto Médico Legal (IML) de Campos, onde falou sobre a prisão do marido. Veja o vídeo:
Comentar
Compartilhe
Garotinho preso pela Polícia Federal no Rio de Janeiro
13/09/2017 | 10h53
"O ex-governador Anthony Garotinho (PR) foi preso pela Polícia Federal, na manhã desta quarta-feira (13), no Rio de Janeiro. Ele estava apresentando o seu programa na rádio Tupi. Logo no início da manhã, os agentes da PF estiveram no apartamento dele no bairro Flamengo, mas Garotinho não foi encontrado no local.
Garotinho foi condenado a nove anos de prisão e a sentença foi do juiz Ralph Manhães.
Na última semana, o atual advogado de Garotinho, Carlos Fernando dos Santos Azeredo, havia entregado as alegações finais do processo. A decisão do juiz Ralph Manhães já era aguardada para esta semana.
A jornalista Clícia Cruz publicou a informação em primeira mão no Facebook, na página do blog “Dizem por aí”.
Em breve novas informações."
Fonte : Blog do Bastos
Comentar
Compartilhe
Juiz Geraldo Batista passa a Ralph Manhães decisão sobre (outra) suspeição pedida Garotinho
04/09/2017 | 07h11
O juiz Geraldo Batista, que esteve à frente da 100 Zona Eleitoral durante as férias de Ralph Manhães, repassou hoje ao juiz titular o pedido de trancamento da Ação Penal, da qual Garotinho é réu no caso Chequinho, e de suspeição do magistrado. No caso, o próprio Ralph.
O pedido já foi feito outras vezes e negado em primeira e segunda instâncias.
Segundo Geraldo Batista, no despacho, além da acumulação de quatro áreas, havia ainda "a complexidade dos inúmeros feitos eleitorais trazidos à apreciação judicial nos últimos dias, não foi possível apreciar o presente feito durante o curto espaço de tempo em que estive designado para responder pela 100ª ZE".
Comentar
Compartilhe
Novo advogado de Garotinho, velho pedido: suspeição de juiz e trancamento de AP
28/08/2017 | 05h53
O novo advogado atuando na defesa de Anthony Garotinho apresentou pedido de suspeição do juiz Ralph Manhães e trancamento da Ação Penal na qual o ex-governador é réu no caso Chequinho.
Mesmo pedido já foi apresentado pelos advogados anteriores e negado em primeira e segunda instâncias.
A informação foi postada primeiro no blog de Fernando Leite.
Comentar
Compartilhe
Advogado dativo apresentou alegações finais de Garotinho dia 22
25/08/2017 | 02h40
O advogado dativo Antônio Carlos Guzzo havia entregado as alegações finais da defesa de Anthony Garotinho no último dia 22.
O documento, com 86 páginas, pede absolvição sumária do réu ou, caso o juiz não concorde, que estabeleça pena mínima.
O dativo também pediu nulidade da Ação Penal e suspeição dos agentes envolvidos.
Resta saber como ficará a questão, uma vez que o ex-governador apresentou procuração com um novo advogado no último dia 17, no dia seguinte ao início das férias do juiz da 100ª Zona Eleitoral Ralph Manhães.
E no dia 24, portanto depois da entrega das alegações finais por parte do dativo, o juiz interino à frente da 100ª, Geraldo Batista, deferiu o pedido de Garotinho e estipulou até 6 de setembro o prazo para alegações finais do novo advogado contratado pelo réu, Carlos Fernando dos Santos Azeredo.
Comentar
Compartilhe
Chequinho: advogado dativo devolve autos e ação de Garotinho está para conclusão
14/08/2017 | 03h27
O advogado dativo — aquele nomeado pelo juiz Ralph Manhães em fevereiro — Amyr Moussallem entregou, no fim da manhã de hoje, os autos conclusos da ação penal que tem o ex-governador do Rio e ex-prefeito de Campos, Anthony Garotinho, como réu da Chequinho. Os autos agora estão para conclusão.
(Com atualização no texto e imagem)
Comentar
Compartilhe
Próximo >
Sobre o autor

Suzy Monteiro

[email protected]