Garotinho: greve de fome antes de recurso no TSE
16/12/2017 | 10h00
Greve de fome
Onze anos depois da primeira vez, Anthony Garotinho (PR) anunciou, nessa sexta-feira (15), outra greve de fome. E, de novo, por injustiças que alega estar sofrendo. Em 2006, segundo sua versão, a perseguição era da mídia. Agora, seria do ex-governador Sérgio Cabral, seu inimigo político e alvo constante de suas denúncias. Em carta endereçada à direção do presídio de Bangu 8, ele informou que entraria em jejum por tempo indeterminado até que alguma autoridade “do Conselho Nacional de Justiça, de preferência” ouça seu clamor.

Por que agora?
Após três semanas preso e às vésperas do recesso do Judiciário, Garotinho corre o risco de passar Natal e Ano Novo isolado em sua cela em Bangu. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) só terá mais duas sessões na próxima semana: Uma extraordinária na segunda-feira e uma na terça. É possível que o habeas corpus de Garotinho, cuja liminar já foi negada pelo ministro-relator Jorge Mussi, vá a plenário em um destes dois dias. Com certeza, a greve de fome entrará na pauta acompanhando o pedido de liberdade. Até lá as câmeras da cela vão mostrar se desta vez Garotinho seguirá o seu jejum com rigor, não que seja o correto a ser feito por ele. Em Bangu e vigiado, os supostos sanduíches às escondidas como na outra greve são impossíveis.

Outros tempos
O Brasil de hoje é bem diferente de 11 anos atrás, quando os escândalos pipocavam, mas raramente estouravam. Sem o controle das redes sociais, com uma Polícia Federal e órgãos do Judiciário e Ministério Público ainda caminhando de maneira tímida e, principalmente, com uma infinidade de recursos, muitas vezes a ficava “o dito pelo não dito”. Mudou o tempo, mudaram os fatos, mas, parece que o estilo Garotinho continua o mesmo. Hoje, vão tentar visitá-lo a esposa Rosinha e alguns dos filhos, como já foi autorizado pela Justiça. Ele já deixou claro na carta que não quer visitas, nem dos advogados.

Moro
Procurado com o espaço franqueado para responder às críticas feitas pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em entrevista ao Grupo Folha, o juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba, Sérgio Moro, conhecido pelo estilo reservado e por conceder poucas entrevistas, através de sua assessoria, respondeu declinando do convite, com uma mensagem: “Agradeço o gentil convite para a entrevista, mas infelizmente tenho por política não responder publicamente às críticas do Sr. ex-Presidente ou de sua Defesa, já que essas questões devem ser enfrentadas nos autos. Além disso, o momento, com trabalho intenso, dificulta entrevistas. Cordiais saudações, SFM”.

Repercussão
A entrevista do ex-presidente, concedida ao jornalista e diretor de Redação da Folha, Aluysio Abreu Barbosa, ganhou repercussão nacional em grandes jornais, como Folha de São Paulo, Estadão, O Tempo (Minas Gerais) e O Antagonista. Na entrevista, Lula afirmou, entre outras coisas, que a Lava Jato produz prejuízos ao trabalhador ao punir empresas, em vez da pessoa física. Questionado se não teria dito isso ao juiz Sergio Moro, Lula respondeu que sim. “Acho que o Moro é surdo. Não ouve o que falo”, afirmou.

Para aprovação
A tão esperada PEC que é vista como uma luz no fim do túnel para as universidades estaduais, principalmente para a Uenf, deve entrar em votação na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) na próxima semana. A proposta, que diz respeito à autonomia financeira das instituições, incluirá também a sugestão do deputado Geraldo Pudim e outra de autoria do deputado Jorge Felippe Neto. Se aprovada e sancionada, há quem diga que será o fim da crise financeira vivida pelas instituição de ensino superior do Estado.

Aberto ao público
Finalmente os portões da Vila Olímpica do Parque Alphaville foram abertos para os moradores do bairro. No entanto, a “inauguração” parece ter acontecido sem muita estrutura. Ontem, sem nenhum cadastro prévio, o espaço foi utilizado sem limite. Alguns moradores se preocupam com a desordem. A Prefeitura informa que Quem deseja utilizar o espaço deve procurar a administração da Vila, de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 17h, para fazer o agendamento da quadra de futsal, aberta todos os dias. Já o banho de piscina está liberado as quartas, sextas, sábados e domingos, com limite de pessoas.
José Renato
Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Suzy Monteiro

[email protected]