Bacellar para Garotinho e Godoy: "Quem faz aqui, paga aqui"
25/04/2017 | 07h52
Antes da primeira sessão após ser empossado, o vereador Marcos Bacellar (PDT) usou a tribuna para falar sobre seu retorno e os meses de angústia até ser diplomado, na quinta-feira passada (20), por decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).
Com o plenário cheio de militantes, familiares do vereador e políticos da região, como o prefeito de Bom Jesus, Roberto Tatu, e o vice de Cardoso Moreira, além de vereadores de vários municípios, Bacellar dirigiu-se aos filhos, especialmente os menores.
Ele lembrou que eles esperaram a diplomação em dezembro, o que não aconteceu porque houve uma ação do também candidato e ex-subsecretário de Governo, Thiago Godoy, contra ele:
"Vocês imaginem a ansiedade durantes todos estes meses para tentar me livrar das amarras jurídicas que estavam impedindo de eu tomar posse. Tudo obra e graça do senhor Anthony Garotinho e de seu capachão Thiago Godoy. Não tem problema: Quem faz aqui, paga aqui. Ele (Godoy) vai assumir o cargo, mas ele vai sair. Ele me prejudicou muito. Godoy vai assumir o cargo, mas vai sair. Não torço por isso não. Mas é a realidade. Ele levantou calúnias na Justiça para evitar minha posse”", disse em referência ao processo sobre Chequinho, que Godoy e Garotinho também são réus e que já levou à condenação de 15 pessoas.
Muito emocionado, Bacellar, por recomendação médica do vereador Abdu Neme, não participou da sessão, sendo "dispensado" pelo presidente Marcão.
Leia a matéria completa na edição de amanhã da Folha da Manhã.
Comentar
Compartilhe
Sessão relâmpago após afastamento de vereadores
18/04/2017 | 06h07
Sessão na Câmara de Campos
A Câmara Municipal de Campos teve uma sessão relâmpago nesta terça-feira (18), após o afastamento de cinco vereadores — Thiago Ferrugem, Vinicius Madureira, Cecília Ribeiro Gomes, Roberto Pinto e Jorge Magal —, determinado nessa segunda-feira (17) pela Justiça Eleitoral. 
No início da sessão, o presidente Marcão Gomes leu nota oficial da Câmara explicando o que foi decidido pela Justiça Eleitoral e as medidas que serão tomadas para o cumprimento. Nesta terça, a Câmara funcionou com 18 vereadores. Além dos cinco afastados, não estiveram presentes na sessão Álvaro César e Geraldinho de Santa Cruz.
Comentar
Compartilhe
Testemunha detalha esquema do Chequinho
29/03/2017 | 01h16
Quem organizava as reuniões para uso político do Cheque Cidadão?
Desde quando o esquema funcionava?
Como eram feitas as entregas?
Quem e por quê teria colocado fogo em documentos?
Onde aconteciam as reuniões?
Estas e mais perguntas foram respondidas durante depoimento-chave na audiência da Ação Penal do caso Chequinho, ocorrida na última segunda-feira. Todos os detalhes na edição desta quarta-feira da Folha da Manhã.
Comentar
Compartilhe
Por desenvolvimento, Fátima Pacheco recebe Marcão
27/03/2017 | 06h30
A prefeita de Quissamã, Fátima Pacheco, recebeu, hoje, o presidente da Câmara de Campos, Marcão Gomes (Rede). Na pauta, geração de emprego e renda, especialmente através de Barra do Furado e do turismo.
Comentar
Compartilhe
Chequinho: TRE nega HC e encaminha recurso ao TSE
20/03/2017 | 10h01
A presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), desembargadora Jacqueline Montenegro, encaminhou, em segundo publicação no Diário Oficial do último dia 17, ao Tribunal Superior, em Brasília, recurso de Habeas corpus negados aos vereadores eleitos e não diplomados Ozéias, Kellinho, Linda Mara, Thiago Virgílio, Miguelito e Jorge Rangel, além de outro, do ex-governador Garotinho.
Comentar
Compartilhe
Rafael e equipe debatem planos de ações no final de semana
05/03/2017 | 10h29
O prefeito Rafael Diniz aproveitou o final de semana para reunir-se com a Comissão de Gestão Governamental. Segundo ele, foram discutidos planos de ações para recolocar Campos no caminho certo.
Comentar
Compartilhe
Garotinho quer ensinar no Estado o que não soube fazer em Campos
02/03/2017 | 11h07
No seu programa diário no Facebook, no qual dedica boa parte a criticar seus adversários políticos, o ex-secretário de Governo de Campos, Anthony Garotinho afirmou que iria mostrar como tirar o Estado do buraco.
Deve ter aprendido há pouco tempo, já que a própria esposa, quando ainda era prefeita de Campos, admitiu que a cidade administrada por eles estava no buraco...
Comentar
Compartilhe
Em plenário, vereador relata estar sofrendo ameaça de morte
21/02/2017 | 08h49
Rodrigo Silveira
Câmara / Rodrigo Silveira
O vereador Roberto Pinto (PTC) fez uma grave denúncia na sessão plenária da Câmara hoje. Segundo o parlamentar, ele e a família estão sofrendo ameaças de morte por parte de um policial militar.
Roberto Pinto chegou a se emocionar, ao falar que seus netos não querem mais ir à escola por conta das ameaças: "Estou com medo e trago este assunto aqui porque não tenho mais o que fazer", afirmou.
Presidente do Legislativo, Marcão Gomes (Rede) considerou gravíssima a situação e solicitou apoio do corpo jurídico da Casa para auxiliar o vereador, além de orientar para que fosse feito registro de ocorrência.
Vereadores que são policiais militares — Genásio e Alonsimar — também prestaram solidariedade e se comprometeram em procurar o comando da PM para relatar o fato. Todos os demais vereadores também ficaram solidários com o vereador.
Comentar
Compartilhe
Ponto Final: Garotinho Show
21/02/2017 | 11h47
Garotinho show
Na audiência de ontem, Garotinho mostrou o que mais o aflige no momento: Não poder falar sobre o caso Chequinho. Citou a Constituição de 88, falou da liberdade de imprensa, mas não teve jeito. Ao negar, o juiz ponderou que era uma forma de resguardar as testemunhas, os agentes envolvidos (promotores e juiz) e até o próprio o réu.
 
Quer falar
A negativa de Ralph Manhães tem fundamento no comportamento do próprio Garotinho que por várias vezes, já utilizou meios de comunicação para atacar juízes que deram decisões contra ele e promotores, inclusive neste caso. Ano passado, a Amaerj realizou ato em Campos em apoio aos juízes atacados por ele.
 
Longe da cidade natal
Impedido de vir a Campos desde novembro do ano passado, Garotinho foi intimado pelo juiz a voltar à sua cidade natal, abrindo uma exceção à restrição do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), quando o mandado de prisão do ex-governador do Rio foi revogado. Os ministros proibiram Garotinho de ter contato com testemunhas do processo, inclusive barrando sua vinda a Campos.
 
Serpente da ganância
Uma das conversas na porta do Fórum, ontem, durante o circo montado para a audiência de Garotinho era de que a maior culpada pelo infortúnio de Garotinho e do seu grupo político teria sido a ganância por votos, de certa candidata a vereadora, já condenada por envolvimento no “escândalo esquema” chequinho e que também lhe rendeu dias de prisão. Teria sido ela, a levar Beth Megafone, hoje principal testemunha de acusação, para a intimidade do lar Garotinho.
 
Ausência
Vários ex-secretários do ex-governo Rosinha estiveram no Fórum ontem para dar aquela “forcinha” ao líder político Garotinho. Uma ausência sentida foi do ex-vice-prefeito Doutor Chicão. Será que não foi convidado ou por que não quis mesmo? Muitos garantem que a relação de Chicão com Garotinho não anda nada bem, principalmente após o resultado das últimas urnas. O ex-vice prefeito estaria ainda tendo muita dor de cabeça.
 
 
Volta às aulas
O secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Social, Pedro Fernandes, anunciou, ontem, que renegociou os contratos da Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) e conseguiu, com isso, redução de 40% nos custos de cada um. Segundo Fernandes, a economia não afetará a qualidade dos serviços prestados e possibilitará que as unidades estejam em bom funcionamento no retorno das aulas, marcado para o próximo dia 6 de março.
 
Mutirão
Antes disso, porém, a equipe da secretaria, servidores, voluntários e membros da comunidade escolar farão um grande mutirão – nos dias 4 e 5 de março – para deixar salas de aula, refeitórios e laboratórios, além da área externa dos campi, prontos para serem utilizados. Fernandes garantiu ainda que, nesta quarta-feira os fornecedores voltam ao trabalho.
 
Ordenamento
Instituto Municipal de Trânsito e Transporte (IMTT) inicia procedimentos para o melhor ordenamento do fluxo viário, para que os serviços de transporte coletivo de passageiros com ônibus urbanos e o transporte alternativo com vans se complementem, evitando a “sobreposição” observada atualmente. Essa é a proposta de um estudo que está sendo realizado pelo IMTT para otimizar o sistema, que desde a administração passada apresenta problemas que prejudicam diretamente os usuários.
Comentar
Compartilhe
Ponto Final: Cerco se fecha
18/02/2017 | 11h02
Cerco se fecha
Desde que iniciou a Chequinho e a posterior citação de quem é acusado de liderar o esquema, o ex-governador, prefeito, secretário, deputado, Anthony Garotinho, tenta de todas as formas invalidar a investigação. Agora, com a proximidade da audiência de instrução e julgamento, a defesa usa de todas as fichas para evitar a vinda do político a Campos, para acompanhar o ato do processo, como foi determinado pelo próprio Tribunal Superior Eleitoral (TSE), quando o liberou da prisão, em novembro.
 
Medo de que?
De acordo com a coluna Radar Online, da revista Veja, já foram 26 Habeas corpus negados. Sem falar em Mandados de Segurança e outros recursos jurídicos impetrados até agora e que, com certeza, movimentarão os bastidores jurídicos até segunda-feira. Para quem acompanha todo esse esforço, fica a dúvida: Não seria mais lógico “partir para a briga” e mostrar que é inocente?
 
Calendário
O Governo do Estado do Rio de Janeiro dará início na próxima quarta-feira (22) ao pagamento de janeiro dos 29% restantes do funcionalismo e pensionistas, que não receberam na última terça. O calendário de pagamento será feito em até seis vezes. A primeira parcela será depositada na próxima quarta-feira (22), com valor estimado de R$ 577. O calendário, que se encerra em 15/03, só será cumprido se não houver bloqueios das contas do Estado. Mas a situação está longe de ser a ideal para os servidores, que sofrem com os constantes atrasos.
 
RPAs são ouvidos
Equipes da secretaria de Governo estão recebendo grupos de pessoas que trabalhavam na Prefeitura de Campos, até dezembro do ano passado, através de Recibo de Pagamento Autônomo (RPA). O objetivo é ouvir os pedidos de informações de todos. O atendimento e acontece na sede da secretaria, nos altos da Rodoviária Roberto Silveira, no Centro. Cerca de 400 pessoas estão sendo atendidas por dia. A secretaria de Gestão Pública abriu tomada de conta em relação ao pagamento dos RPAs referente ao mês de dezembro/2016 e os valores devem ser liberados assim que uma auditoria for concluída.
 
Já receberam
Na última terça-feira, 10º dia útil, o Estado depositou R$ 920 milhões referentes aos pagamentos dos servidores ativos da Educação; ativos, inativos e pensionistas da Segurança - policiais militares e civis, bombeiros, agentes penitenciários e demais funcionários das secretarias de Segurança e Administração Penitenciária e órgãos vinculados. O pagamento ocorreu de acordo com o calendário regular do Estado. Os servidores da Segurança receberam o pagamento de janeiro com até 10,22% de aumento, referente a uma acordo em 2014.
 
Prejuízo na estrada
O estado do Rio registrou 9.862 casos de roubo de cargas em 2016, o terceiro recorde consecutivo em 25 anos. De acordo com o estudo “O impacto econômico do roubo de cargas no estado do Rio de Janeiro”, divulgado pelo Sistema Firjan. Nessa quinta-feira, dia 16, o prejuízo chegou a R$ 619 milhões. Das 139 delegacias da Polícia Civil no estado, 12 concentram mais da metade das ocorrências.
 
BR 101 na rota
O Sistema Firjan ressalta que estes locais ficam no entorno das principais rodovias (Avenida Brasil, BR 040, BR 101-Norte e BR 116) e possuem trechos dominados pelo crime organizado, notadamente o tráfico de drogas. De 2011 a 2016, foram mais de 33,2 mil ocorrências - uma a cada 1h35. De acordo com a análise da Federação das Indústrias, elaborada com dados do Instituto de Segurança Pública (ISP-RJ), o aumento foi de 220,9% no período, com prejuízo de R$ 2,1 bi.
 
Custos elevados
Para a Federação, o roubo de cargas afeta negativamente o setor produtivo, elevando os custos relativos ao frete e gerando perda de competitividade, e também para a sociedade, por conta do aumento do preço final das mercadorias. A Federação destaca ainda que regiões com grande incidência passam a ser evitadas e a população local enfrenta o risco de desabastecimento ou de se tornar refém do crime organizado, que controla o comércio local.
Comentar
Compartilhe
Próximo >