Janot pede, de novo, prisão e afastamento de Aécio
31/07/2017 | 21h52
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu mais uma vez a prisão do senador Aécio Neves, presidente licenciado do PSDB, no caso em que ele é acusado de pedir e receber R$ 2 milhões do empresário Joesley Batista. Janot também pediu para afastamento de Aécio do mandato de senador.
Pedidos anteriores semelhantes foram rejeitados em decisão monocrática do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF). Caberá agora a Primeira Turma decidir sobre o assunto. A defesa de Aécio criticou a ação de Janot e disse que ele está tranquilo quanto à manutenção da decisão do ministro Marco Aurélio.Para Janot, a prisão de Aécio "é urgente e imprescindível" para preservar a ordem pública e garantir a instrução criminal das investigações sobre ele e outros supostos envolvidos no recebimento de propina da JBS.
(Fonte: O Globo)
Comentar
Compartilhe
MP ajuíza ação contra Rosinha e quer devolução de R$ 302 mil aos cofres públicos
31/07/2017 | 19h42
O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 3ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva da Cidadania, ajuizou uma ação civil pública contra a ex-governadora Rosinha Garotinho e a ex-secretária de Estado de Administração e Reestruturação, Vanice Regina Lírio do Valle, pelo descumprimento de decisão judicial, o que acarretou prejuízo ao Estado no pagamento de multa a pensionistas. A ação requer o ressarcimento R$ 302 mil referentes ao dano provocado ao erário público.
O prejuízo decorreu de multa acrescida ao valor devido pelo Estado a pensionistas de servidores públicos. O grupo impetrou um Mandado de Segurança (nº 2001.004.00907) pleiteando a obtenção integral dos benefícios previdenciários sem a incidência de um limitador introduzidos pelo Decreto nº 25.168/99. A legislação estadual que embasou o limitador foi considerada inconstitucional pela Justiça e, como consequência, o Estado demandado a informar, por meio de seus gestores, os valores das diferenças devidas. Segundo a ação, as ordens judiciais foram ignoradas pelas autoridades.
Diante do não cumprimento das ordens, as impetrantes do Mandado de Segurança formularam requerimentos para a fixação de multa, o que foi determinado pelo Juízo no valor de R$ 1 mil por dia. Após as pensionistas pleitearem junto à Procuradoria Geral do Estado o pagamento dos valores devidos, em 2013, a Fazenda Pública do Estado quitou o pagamento desses precatórios com o acréscimo de R$ 302 mil de multa no valor devido de R$ 1.167.385,09.
De acordo com a ação, o prejuízo ao erário com a multa imposta decorreu da prática das gestoras em desobedecer a decisão judicial. “A irregularidade do não cumprimento da ordem judicial enseja à aplicação da Lei de Improbidade Administrativa, razão pela qual, busca-se com esta ação civil pública o ressarcimento ao erário estadual referente ao dano provocado pelas demandadas”.
(Fonte: Assessoria do MP)
Atualização para inclusão do posicionamento da ex-governadora:
A ex-governadora Rosinha Garotinho afirma que ainda não foi citada no processo e, portanto, sequer tem conhecimento oficial da existência da ação.
Comentar
Compartilhe
Thiago Godoy toma posse amanhã na Câmara
31/07/2017 | 14h36
Thiago Godoy é substituto de Jorge Magal
Thiago Godoy é substituto de Jorge Magal / Divulgação
O suplente de vereador Thiago Godoy (PR) toma posse amanhã, às 10h, na Câmara Municipal de Campos. A posse foi marcada pelo presidente do Legislativo municipal, Marcão Gomes (Rede). Ele assumirá a vaga aberta com o afastamento, por ordem judicial, do vereador eleito Magal (PSD), condenado em segunda instância na Chequinho.
Magal foi afastado em maio, mas Godoy não tomou posse, pedindo prorrogação do prazo para não ter que se afastar das suas funções como advogado. Na semana passada, a quarta suplente Roberta Moura entrou no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) pedindo informações a respeito da vaga.
Godoy já participa da sessão desta terça-feira (1), quando a Câmara Municipal retoma as atividades após o recesso. “O presidente da Câmara marcou a posse para as 10h da terça-feira, no gabinete da presidência. Não haverá solenidade e eu já vou participar da sessão de amanhã. Enquanto eu permanecer na Câmara dos Vereadores, vou defender minhas convicções com postura combativa, mas de forma elegante e respeitosa, como sempre procuro fazer”.
Comentar
Compartilhe
Amaerj contesta notícia sobre irregularidade na Ação Penal em que Garotinho é réu
30/07/2017 | 21h11
No afã de preparar a justificativa para o caso de condenação na Chequinho - o ex-governador Garotinho parece, mais uma vez, ter perdido a medida ou o bom senso.
Além de dedicar vídeos e postagens em suas redes sociais para tentar lançar dúvidas sobre as condutas das autoridades à frente da operação Chequinho, ainda afirmou, semana passada, que o juiz Ralph Manhães teria reduzido, de 10 para 5 dias, o prazo da defesa para alegações finais. Confira abaixo:
Garotinho fez a postagem em cima de nota publicada pelo jornalista Lauro Jardim, de O Globo. 
Sem retificar o contexto da nota, muito pelo contrário, foi além nas acusações diante da possibilidade de sua condenação - Termina nesta segunda-feira, dia 31, o prazo para alegações finais e, aí então, ser proferida a sentença na Ação Penal em que é réu.
Acontece que...
O próprio Lauro Jardim publicou nota, enviada pela A Associação dos Magistrados do Rio de Janeiro (Amaerj), que contesta a informação sobre a redução de prazo ou uma possível decisão fora dos autos.
Confira abaixo a nota enviada pela Amaerj:
"A Associação dos Magistrados do Rio de Janeiro enviou nota à coluna em que afirma que Manhães não decidiu fora dos autos nem reduziu o prazo de defesa. "Por lei, o prazo máximo para alegações finais é de cinco dias. Os autos ficaram com a defesa de 17 de julho a 26 de julho, a partir de quando começou a contar o prazo para alegações finais".
A associação ainda lembrou que as medidas adotadas forma confirmadas pela desembargadora do TRE Cristina Serra Feijó. A decisão da desembargadora foi divulgada no blog Ponto de Vista, de Christiano Abreu Barbosa.
Confira a errada no blog de Lauro Jardim:
O interessante é que, passados três dias do desmentido da Amaerj, Garotinho não se manifestou a respeito.
Só para lembrar, a defesa do ex-governador havia pedido o dobro do prazo legal para alegações finais, o que foi negado pelo juiz Ralph (aqui).
Atualização no texto e informações:
Ao site Conjur, o advogado Rafael Faria afirmou que seu cliente está sendo vítima de "lawfare". O termo define o uso abusivo do Direito para deslegitimar ou incapacitar um inimigo: "Com a devida deferência, uma vez o eminente Magistrado Eleitoral reconhecendo e deferindo a produção da prova solicitada pela defesa, deve ele reabrir a instrução, aguardando o seu resultado e não 'atropelar' a marcha processual a qualquer custo sob um argumento de que o Paciente tenta 'procrastinar' o feito. Não houve qualquer efeito na decisão de reconsideração! A defesa permanece cerceada!", afirmou.
A defesa também informou que recorreu ao TSE. Confira a matéria do Conjur.
Atualização:
Matéria publicada na edição de terça-feira, na Folha da Manhã, mostra que há divergências entre o que diz a Amaerj e pontos no andamento do processo que ainda não foram explicados pela entidade. Leia no Folha 1 ou abaixo:
"Porém, ao consultar a ação penal no site do TRE, é possível constatar que foi publicada no Diário Oficial do dia 25 de julho decisão deferindo diligências pedidas pela defesa e que anteriormente haviam sido negadas pelo juiz. A decisão ocorreu deferimento do pedido pela mesma desembargadora. Nesta publicação consta intimação para que a defesa apresente alegações finais no prazo de cinco dias. No dia 10 de julho, ao negar as diligências, o magistrado concedeu à defesa o dobro do prazo dado ao Ministério Público para alegações finais: 'ou seja, 10 dias, em homenagem ao princípio da ampla defesa', afirmou.
Comentar
Compartilhe
Chequinho: Pedido de Jorge Rangel para assumir cargo de vereador na presidência do TRE
28/07/2017 | 13h43
Um dos dois vereadores eleitos e ainda não diplomados - além dele há Kellinho (PR) - Jorge Rangel está com pedido para assumir o cargo nas mãos da presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE),  Jacqueline Lima Montenegro.
Outros quatro vereadores eleitos não foram diplomados em dezembro por envolvimento na Chequinho, mas conseguiram liminar no TRE em maio - Linda Mara Silva, Thiago Virgílio, Ozéias e Miguelito.
Comentar
Compartilhe
Ouça "Tua cantiga", do novo álbum de Chico Buarque
28/07/2017 | 10h23
Hoje, vou quebrar o protocolo e começar o dia com uma notícia para os apaixonados por música brasileira, e, claro, por Chico Buarque:
Conforme prometido, o cantor e compositor Chico Buarque lançou nesta sexta-feira (28) o primeiro single do próximo álbum de estúdio, anunciado para o fim de agosto em versões física e digital. O áudio de Tua cantiga foi disponibilizado nas primeiras horas do dia no canal oficial do YouTube da gravadora Biscoito Fino, selo responsável pelos últimos projetos musicais do carioca.
A verve romântica de Chico conduz a faixa, cuja letra é assinada por ele, enquanto a melodia é uma composição do pianista Cristóvão Bastos. É a segunda parceria da dupla, autora de Todo o sentimento, de 1987, cuja versão original é do LP Francisco, do mesmo ano. A gravação conta com Cristóvão Bastos (piano), Jorge Helder (baixo) e Jurim Moreira (bateria e percussão).
Confira a letra:
Leia a letra da música:
 
Quando te der saudade de mim
Quando tua garganta apertar
Basta dar um suspiro
Que eu vou ligeiro
Te consolar
 
Se o teu vigia se alvoroçar
E estrada afora te conduzir
Basta soprar meu nome
Com teu perfume
Pra me atrair
 
Se as tuas noites não têm mais fim
Se um desalmado te faz chorar
Deixa cair um lenço
Que eu te alcanço
Em qualquer lugar
 
Quando teu coração suplicar
Ou quando teu capricho exigir
Largo mulher e filhos
E de joelhos
Vou te seguir
 
Na nossa casa
Serás rainha
Serás cruel, talvez
Vais fazer manha
Me aperrear
E eu, sempre mais feliz
 
Silentemente
Vou te deitar
Na cama que arrumei
Pisando em plumas
Toda manhã
Eu te despertarei
 
Quando te der saudade de mim
Quando tua garganta apertar
Basta dar um suspiro
Que eu vou ligeiro
Te consolar
 
Se o teu vigia se alvoroçar
E estrada afora te conduzir
Basta soprar meu nome
Com teu perfume
Pra me atrair
 
Entre suspiros
Pode outro nome
Dos lábios te escapar
Terei ciúme
Até de mim
No espelho a te abraçar
 
Mas teu amante
Sempre serei
Mais do que hoje sou
Ou estas rimas
Não escrevi
Nem ninguém nunca amou
 
Se as tuas noites não têm mais fim
Se um desalmado te faz chorar
Deixa cair um lenço
Que eu te alcanço
Em qualquer lugar
 
E quando o nosso tempo passar
Quando eu não estiver mais aqui
Lembra-te, minha nega
Desta cantiga
Que fiz pra ti
Comentar
Compartilhe
Temer é pior do que Dilma para 52% da população, aponta pesquisa do Ibope
27/07/2017 | 15h44
O governo Michel Temer (PMDB) é pior do que o da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) para 52% da população, segundo pesquisa Ibope encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e divulgada nesta quinta-feira (27). Em março, a taxa era de 41%.
Já os que consideram Temer melhor que a petista apresentou queda de 18% para 11%, entre as duas pesquisas. Para 35%, os dois governos são iguais, ante 38% na pesquisa anterior. Outros 2% não sabem ou não responderam.
Ainda de acordo com a pesquisa, a aprovação do governo Temer caiu de 10% para 5%, entre março e julho deste ano. A avaliação negativa do governo aumentou para 70%. No levantamento anterior, de março, o porcentual dos que avaliavam o governo como ruim ou péssimo era de 55%.
Já a parcela que considera o governo regular caiu para 21% em julho, ante 31% na última pesquisa. Os que não souberam ou não responderam sobre a avaliação do governo representaram 3% dos entrevistados.
Também pioraram as expectativas para o tempo restante do governo Temer, segundo a pesquisa. Aqueles que acreditam que a perspectiva é ruim ou péssima aumentaram de 52% para 65% entre março e julho. Já os que avaliam o restante do governo será ótimo ou bom diminuíram de 14% para 9%. Os que preveem o restante do governo como regular oscilaram de 28% para 22% dos entrevistados. Outros 5% não souberam ou não responderam.
A pesquisa foi realizada entre os dias 13 e 16 de julho deste ano. O levantamento ouviu 2 mil pessoas em 125 municípios. A margem de erro estimada é de 2 pontos porcentuais para mais ou menos sobre os resultados encontrados no total da amostra. O nível de confiança utilizado é de 95%.
Fonte: O Dia
Comentar
Compartilhe
Presidente do IMTT: Identificamos o problema e adotamos medidas corretivas
27/07/2017 | 09h06
O presidente do IMTT, Renato Siqueira, enviou explicação ao blog a respeito da demora na entrega do cartão de estacionamento para idosos. 
Confira abaixo:
“Bom dia, Suzy.
Identificamos o problema com a emissão da credencial de idosos e adotamos as medidas corretivas. De fato, é inadmissível o que ocorreu. O IMTT se desculpa pelo transtorno causado e se coloca à disposição para qualquer problema: [email protected] ou [email protected]
Atenciosamente,
Renato Siqueira - Presidente do IMTT.”
(Atualização no texto )
Comentar
Compartilhe
Alô IMTT: 60 dias por um cartão de estacionamento para idosos?
27/07/2017 | 01h32
Um amigo do blog enviou uma reclamação para lá de pertinente. Ele conta que, há mais de um mês, solicitou ao IMTT renovação do cartão de estacionamento para idoso. Ontem, quando foi buscar, a surpresa: O IMTT mandou voltar daí a 30 dias. Ou seja: 60 dias para fazer um cartão. 
Ah, e não é o pior. Segundo o leitor, a informação recebida no órgão foi para não usar o cartão antigo porque... estão multando.
Leia, abaixo, o desabafo:
"Há 1 mês solicitei ao IMTT renovação do CARTÃO DE ESTACIONAMENTO PARA IDOSO". O meu vence hj (ontem), 26. Pedi para apanhar, mandaram voltar em 30 dias. Ainda alertaram para não usar o vencido porque estão multando... um simples cartão a burocracia emperra. Viajo, paro no estacionamento em vaga para IDOSO, vaga que conquistei sem gostar, mas, já que tamos lá, 'respeitem ao menos meus cabelos brancos'. Não poderei, por mais um mês, usar essas benditas vaguinhas conquistadas com muita vivência, porque a garotada do IMTT demora dois meses pra emitir o cartão".
Comentar
Compartilhe
Juiz nega pedido de Garotinho para prazo em dobro para alegações finais: "Má fé"
26/07/2017 | 20h56
O juiz Ralph Manhães negou, hoje, embargos de declaração da defesa do ex-governador Garotinho, réu em Ação Penal da Chequinho.
Ralph destaca, na decisão, que a petição demonstra que, "não obstante terem sido substituídos alguns procuradores do réu, a conduta continua a mesma, qual seja, a tentativa de procrastinar o máximo este feito, com requerimentos totalmente impertinentes e protelatórios.
Mesmo existindo procuradores devidamente constituídos nestes autos, tal como já reconhecido em decisões anteriores, os novos patronos, após ficarem fisicamente com os autos por 10 dias e ter prazo em dobro para apresentarem os requerimentos de diligência, requereram, vejam só, novamente o prazo em dobro para apresentar as alegações finais".
O magistrado ainda destaca que a decisão anterior, que deferiu diligências negadas anteriormente (Leia no blog do Arnaldo Neto), foi questionada pelo réu "deixando a entender que o que realmente desejava era o seu indeferimento para que a decisão fosse utilizada como instrumento procrastinatório para as vias recursais".
E conclui: "Com isso, os Embargos de Declaração não só estão desprovidos de qualquer fundamento fático ou jurídico de forma a demonstrar qualquer obscuridade, omissão ou contradição na decisão embargada, mas também eivado de má-fé, pelo que entendo serem manifestamente infundados os presentes Embargos de Declaração, razão pela qual os rejeito de plano, deixando, inclusive, de recebê-los por flagrante falta de amparo legal, inexistindo, assim, qualquer obstrução na marcha processual e a suspensão de qualquer prazo".
Comentar
Compartilhe
Venda do futuro: Rafael reunido em Brasília com presidente da Caixa
26/07/2017 | 20h41
Divulgação
O prefeito Rafael Diniz se reuniu com o presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), Gilberto Occhi, e o vice de Governo do banco, Roberto Derziê, em Brasília, nesta quarta-feira (26). Na pauta, a discussão do contrato de empréstimo assinado pela gestão passada.
— É a abertura de uma janela de negociação com a Caixa após a decisão mais recente. Mesmo sendo uma questão que já se encontra na Justiça, temos que ter a responsabilidade de dialogar com a Caixa, de buscar o melhor caminho para resolver a situação. Mesmo com essa decisão, Campos ainda atravessa um momento financeiro bastante complicado — disse Rafael Diniz, acompanhado do procurador Geral do Município, José Paes Neto, e do secretário municipal de Fazenda, Leonardo Wigand.
(Leia mais na edição de amanhã da Folha)
Comentar
Compartilhe
Fred Machado: "CPI das Rosas passará pente fino nos pagamentos a Emec"
26/07/2017 | 19h33
A CPI das Rosas se reuniu com o secretário municipal da Transparência e Controle, Felipe Quintanilha. Ele apresentou a auditoria realizada pela pasta e ressaltou alguns pontos que só aumentaram as suspeitas a respeito do contrato para manutenção de praças e jardins efetuados pela empresa Emec. Foram verificados aditivos com reflexos financeiros, efetuados ao apagar das luzes, ao final do governo anterior. O secretário também disponibilizou funcionários da secretaria para quaisquer esclarecimentos à CPI.
De acordo com o presidente Fred Machado, os processos de pagamento serão analisados detalhadamente pela Comissão: “Passaremos um pente fino nesses processos de pagamento para saber realmente onde foram aplicados estes recursos públicos”.
Comentar
Compartilhe
Comunidades de Lagoa Feia e Sossego reconhecidas como Quilombolas
26/07/2017 | 17h21
Após mais de 10 anos de expectativa, finalmente as comunidades de Lagoa Feia e Sossego serão reconhecidas como Comunidades Quilombolas. A certificação é através de uma carta dada pelo Governo Federal. O evento de legitimação acontece na próxima sexta-feira (28), às 10h, quando vai ser entregue a carta de autoreconhecimento das comunidades quilombolas.
Na oportunidade também vai ser lançado, na parte da tarde, na Câmara Municipal de Campos, o site da Rede Produtiva Quilombola. O evento conta com o apoio do vereador Abu, que justifica a importância da iniciativa lembrando que Campos é a cidade com maior numero de comunidades quilombolas do Rio de Janeiro. Sete reconhecidas e dez em pesquisa.
(Da assessoria)
Comentar
Compartilhe
CPI das Rosas recebe hoje Felipe Quintanilha
26/07/2017 | 14h39
A CPI das Rosas recebe hoje, às 17h, o secretário da Transparência e Controle, Felipe Quintanilha.
Ele irá explicar como foi realizada a auditoria nos contratos firmados durante a gestão Rosinha e o que foi apurado.
Comentar
Compartilhe
Plano Safra 2017/2018 lançado amanhã em Campos
26/07/2017 | 13h45
O Banco do Brasil vai lançar nesta quinta-feira (27) em Campos dos Goytacazes (RJ), na agência central da Praça São Salvador, o Plano Safra 2017/2018, com a destinação de R$ 103 bilhões.
O Superintendente Regional do BB, Marcel Pereira Figueiredo, explica que o Plano Safra oferece oportunidades diferenciadas para o agronegócio, a partir da relação histórica do banco que é o maior parceiro do produtor rural no país. O Superintendente Marcel Pereira destaca que a maior parte dos recursos, R$ 91,5 bilhões, será para o crédito rural aos produtores e cooperativas.
Deste montante, R$ 72,1 bilhões serão direcionados para operações de custeio e comercialização e R$ 19,4 bilhões para créditos de investimento agropecuário. Já os R$ 11,5 bilhões restantes serão destinados às empresas da cadeia do agronegócio.
Leia mais na edição de amanhã da Folha da Manhã.
(Fonte: Assessoria)
Comentar
Compartilhe
Gari de Campos faz sucesso no Encontro com Fátima Bernardes
26/07/2017 | 13h04
Rafael de Oliveira, o “gari cantor” de Campos, participou hoje do programa "Encontro com Fátima Bernardes", que está sendo apresentado por Ana Furtado.
Ele cantou com "Sorriso Maroto", mesmo grupo que ele fez o show de abertura na 58ª ExpoAgro de Campos, no último dia 13 (Lembre no blog Atemporal, de Channa Vieira). 
Tomara que esse seja, apenas, o início de uma carreira de muito sucesso. Viva, ele!
Comentar
Compartilhe
Carla antecipa pagamento dos servidores
26/07/2017 | 12h37
A prefeita de São João da Barra, Carla Machado, vai antecipar o pagamento dos servidores públicos municipais, nomeados em cargos de comissão e contratados, neste mês de julho. A informação foi postada pelo site OZK.
Os salários serão pagos na próxima sexta-feira, dia 28.
No início do governo, Carla informou que o pagamento voltaria para o último dia do mês.
Comentar
Compartilhe
Mais três aprovados em concurso são convocados após decisão judicial
26/07/2017 | 11h14
Mais três aprovados em concursos - dois realizados no governo passado e um ainda do governo Mocaiber e não homologado por Rosinha - foram convocados por decisão da Justiça.
O primeiro é CARLOS ALBERTO DOS SANTOS BARBOSA, que teve deferida tutela de urgência pela 1ª Vara Cível da Comarca de Campos dos Goytacazes. Ele será nomeado e empossado no cargo de Inspetor de Alunos, previsto no Edital do Concurso Público n.º 007/CEPUERJ/2014/ NÍVEL MÉDIO EDUCAÇÃO.
Já CRISTINA VIRGÍLIO BATISTA, que pretou concurso em 2008 para PSF, teve confirmada decisão de tutela antecipada por meio do Agravo de Instrumento pela 20° Câmara Cível do Tribunal de Justiça e será empossada no cargo de Agente Comunitário de Saúde.
Também teve decisão positiva, mas em concurso realizado em 2012, GISELE NUNES MARTINS DUNCAN VIANA, que será nomeada e empossada no cargo de Fiscal de Urbanismo.
Comentar
Compartilhe
Segundo maior porto da Europa aporta no Açu
25/07/2017 | 12h52
Porto do Açu assina parceria internacional
Porto do Açu assina parceria internacional / Paulo Pinheiro
Possibilidade de crescimento industrial e suporte foram determinantes para a escolha do Porto do Açu na parceria com o Porto de Antuérpia, segundo maior porto da Europa. A afirmação é do diretor geral do Porto de Antuérpia Internacional, Kristof Waltershoot.
Pelo contrato, o PAI irá investir U$ 10 milhões no Porto do Açu pela operação do Terminal Multicargas e aluguel de áreas.
A prefeita Carla Machado disse que a parceria significa mais desenvolvimento para região, sempre respeitando a sustentabilidade e as questões sociais.
O CEO da Prumo, José Magela, destacou que o contrato demonstra as oportunidades oferecidas pelo porto.
A visita foi acompanhada pelo embaixador da Bélgica no Brasil, Dirk Loncke, e o cônsul geral da Bélgica Christian Bula, além de uma comitiva de 70 pessoas, entre autoridades do governo municipal, estadual e federal.
A cobertura completa na edição de amanhã da Folha da Manhã.
  • Porto do Açu assina parceria internacional

    Porto do Açu assina parceria internacional

  • Porto do Açu assina parceria internacional

    Porto do Açu assina parceria internacional

  • Porto do Açu assina parceria internacional

    Porto do Açu assina parceria internacional

  • Porto do Açu assina parceria internacional

    Porto do Açu assina parceria internacional

  • Porto do Açu assina parceria internacional

    Porto do Açu assina parceria internacional

Comentar
Compartilhe
Edilson Peixoto e Albertinho condenados na Chequinho
24/07/2017 | 18h29
Mais dois réus em ações de Investigação Judicial Eleitoral (Aije) do caso Chequinho foram condenados em primeira instância.
Desta vez foram o ex-secretário de Obras Edilson Peixoto e o ex-vereador Albertinho condenados em sentença proferida pelo juiz Eron Simas.
Comentar
Compartilhe
Campista leva "HGG/Sta Rosa" para os Estados Unidos
24/07/2017 | 15h17
Viralizou nos grupos de WhatsApp um vídeo de um campista muito gozador, circulando pelas ruas de uma cidade dos Estados Unidos e oferecendo o que já é muito conhecido aqui pela planície goytacá.
Sob o olhar desconfiado dos pedestres, ele vai gritando: "HGG/Santa Rosa", "Passagem a R$ 1". E ainda acrescenta: "Tem lugar sentado".
O melhor do Brasil realmente é o brasileiro... se for campista, então...
Atualização às 16h50:
Conversei há pouco com a super simpática Tatiana Cardoso, que aparece no vídeo gravado pelo irmão Matheus Cardoso. Ela conta a brincadeira surgiu de forma espontânea e que eles não esperavam toda esta repercussão:
"A gente pegou o bondinho de São Francisco ontem e meu irmão de palhaçada pegou o Cel e começou a gravar falando HGG Santa Rosa. Pq a gente sempre escuta pelas ruas de Campos. Foi super espontâneo. Nada programado", relata Tatiana.
Comentar
Compartilhe
Adolescentes apreendidos por suspeita de envolvimento em estupro coletivo
24/07/2017 | 12h39
Quatro adolescentes, com idades entre 14 e 16 anos, foram apreendidos na manhã desta segunda-feira (24) por suspeita de participação nos casos de estupro coletivo no Colégio Estadual Padre Mello, em Bom Jesus do Itabapoana, no Noroeste Fluminense. A informação é do site Itaperuna News.
Alvo de um dos mandados de busca apreensão, o jovem apontado pela vítima como namorado não teria sido encontrado. A menina de 13 anos teria sido vítima de estupro coletivo nos últimos 45 dias. O caso foi denunciado pelo irmão dela.
O diretor da escola, que teria conhecimento do caso, mas não avisou à Polícia, foi afastado.
O caso foi destaque, em matéria de Cléber Rodrigues, ontem, no Fantástico.
Comentar
Compartilhe
Porto do Açu assina contrato com segundo maior porto da Europa
24/07/2017 | 09h29
Prumo Logística, empresa que opera e desenvolve o Porto do Açu, divulgou hoje ao mercado a assinatura de um contrato com o Porto de Antuérpia Internacional (PAI) – subsidiária da autoridade portuária da Antuérpia e segundo maior porto da Europa.
De acordo com o contrato, a PAI irá investir US$ 10 milhões na Porto do Açu SA, subsidiária da Prumo e responsável pela operação do Terminal Multicargas (T-MULT) e aluguel de áreas no complexo portuário. Pelo investimento, a empresa irá deter 1,176% do capital social da Porto do Açu, além de contar com 1 assento no conselho de administração da subsidiária. O documento também prevê a opção de investimento de outros US$ 10 milhões, em até 18 meses, ampliando a participação do PAI para 2,352%.
Para José Magela, CEO da Prumo, a parceria confirma a grande atratividade do Porto do Açu. “Esta parceria é a união da experiência e do conhecimento na operação e no desenvolvimento de um complexo Porto Industria com a eficiência e as oportunidades oferecidas pelo Porto do Açu”, disse o executivo.
“Nós escolhemos investir no Porto do Açu, entre outros portos, devido à sua localização estratégica perto de campos de petróleo e gás, além de estar na região sudeste – principal área econômica do país. Além disso, o Açu é um exemplo de porto privado de sucesso e já operacional, desenvolvido por um parceiro confiável e com foco na sustentabilidade. Finalmente, é uma oportunidade única para o PAI participar do desenvolvimento de um porto, ao mesmo tempo em que aumenta a posição da Antuérpia na América Latina, tornando-o porto preferencial para o continente”, disse Jacques Vandermeiren, CEO do Porto da Antuérpia.
Comentar
Compartilhe
Ponto Final - Não é de hoje
23/07/2017 | 10h49
Não é de hoje
Não foram apenas reflexos da crise ou armadilha para o prefeito Rafael Diniz a situação financeira deixada pelos Garotinho ao sucessor de seu governo. Matéria de Aluysio Abreu Barbosa, na página 2 da edição da Folha da Manhã deste domingo (23), traz os ex-prefeitos Sérgio Mendes e Arnaldo Vianna relatando como encontraram os cofres públicos após a passagem de Anthony Garotinho à frente da Prefeitura. A diferença é que Rafael, como opositor, não “deixou barato” e, além disso, nos tempos atuais em que se prima por transparência, é quase impossível esconder alguma coisa.
Charge do dia
Charge do dia / José Renato
Desconhecimento
Entre muitos fatos, também chama a atenção no caso da “venda do futuro”, o desconhecimento de parte da população sobre o assunto. Muitos não sabem os termos do contrato e, nem ao menos, os graves reflexos que podem ter uma eventual decisão que derrube o pagamento dos 10%, como observou o repórter Aldir Sales, que percorreu as ruas entrevistando sobre o assunto.
Na crise, criatividade
Em meio à crise econômica, São João da Barra vive neste e no próximo final de semana o seu Arraiá Gastronômico, que deverá atrair cerca de 12 mil pessoas ao Polo Gastronômico, em Grussaí. O evento é organizado pelos proprietários dos quiosques que funcionam no local, com o apoio da Prefeitura de São João da Barra, e serão oferecidos ao público pratos da culinária local ao preço de R$ 15, atrações culturais, musicais e quadrilhas.
União
O Arraiá acontece na esteira do primeiro evento deste tipo e que foi sucesso de público e vendas: o Festival Gastronômico, que ocorreu no início de abril, também em SJB. Nesse sábado (22), durante a abertura, a prefeita Carla Machado destacou a iniciativa e a união dos comerciantes tanto para alavancar as vendas e turismo em período de baixa temporada e de crise: “Parabenizo a todos esses guerreiros, permissionários dos quiosques, pelo grande evento, que irá acontecer em um clima de muita alegria”, disse.
Farol
A única praia campista também não deixou de ter eventos no inverno. O Circuito de Arraiás do Farol de São Thomé se aproxima de sua reta final. No próximo sábado será no Alambique do Lelei, com diversas atrações. O evento realizado pela Associação de Comerciantes, Hotéis e Similares do Farol (Aschom) conta com o apoio logístico da Prefeitura de Campos e acontece todos os sábados desde o início de junho.
Pé fora
O PSDB está com o pé fora do governo Temer. Lideranças tucanas comunicaram a interlocutores do presidente que, dos 46 deputados do PSDB, apenas entre 15 a 20 têm manifestado intenção de votar contra a denúncia por corrupção passiva. A conta preocupa o Palácio do Planalto, que teme que o movimento de mais da metade da bancada tucana contra Temer influencie outros partidos aliados da antiga oposição – como DEM e PPS – às vésperas da votação.
Campos em destaque
Quatro trabalhos desenvolvidos no Centro de Referência de Doenças Imuno-infecciosas (CRDI), que funciona anexo ao Hospital dos Plantadores de Campos, serão apresentados no Congresso Brasileiro de Medina Tropical, em Cuiabá, no período de 27 a 30 de agosto. As pesquisas, que depois serão publicadas em importantes revistas da área, tiveram por base casos clínicos atendidos no CRDI, que tem à frente Luiz José de Souza.
Campos em destaque 2
Os trabalhos envolvem “Aborto retido e Síndrome de Guillain-Barré pós infecção por Zika Vírus”, “Perfil epidemiológico da Chikungunya em Campos dos Goytacazes, RJ”, “Febre Amarela - Encefalite Pós-Vacinal” e “Perfil clínico-laboratorial de pacientes com Chikungunya em Campos dos Goytacazes, RJ”. Criado há 15 anos para ser um Centro de Diagnóstico e Tratamento da Dengue, o antigo CRD se transformou, ao longo do tempo em um centro de pesquisas e triagem de várias outras doenças.
Comentar
Compartilhe
Magal: "Vivemos 30 minutos de terror"
22/07/2017 | 17h20
O vereador afastado Jorge Magal relatou, há pouco, por telefone, a tensão vivida nesta madrugada, quando teve a casa invadida por homem.
A família estava dormindo no segundo andar e acordou ao perceber a movimentação, conseguindo chamar a polícia, com auxílio de vizinhos:
"Vivemos 30 minutos de terror. Ele só não chegou até onde estávamos por não ter conseguido quebrar uma porta de blindex. Mas foi um susto enorme. Não estamos seguros nem dentro de nossa própria casa", disse o político, que ainda elogiou a atuação rápida da polícia.
O suspeito foi conduzido à 146ª Delegacia de Campos (Guarus) para prestar depoimento. Ele foi autuado por invasão de domicílio e, posteriormente, liberado.
Leia mais sobre o assunto na Folha1.
Comentar
Compartilhe
Leitor reclama de fechamento dos Correios de Travessão
21/07/2017 | 13h08
 O leitor do blog, Fábio Mendes, enviou mensagem, reclamando do fechamento da agência dos Correios em Travessão. Ele fala que isso irá prejudicar a população do distrito. Para pegar uma correspondência ou pagar uma conta, já que a agência servia também como posto do Banco do Brasil, será preciso ir até o Centro de Campos.
Recentemente, falei aqui no espaço sobre fechamento de outras agências (Veja no leia mais).
Veja abaixo:
"Olá bom dia Suzy. Sempre leio os blog da folha sei que esse assunto aqui não tem nada haver. Pois bem, a partir de hoje a única agencia dos correio em travessão de Campos 7° distrito, e que atende vários BAIRRO vai ser fechada hoje e nós população vamos ficar prejudicada. Isso sem fala que agencia também servia como BANCO DO BRASIL muita gente fazia vários pagamento e recebimento. Sem falar na correspondência vamos ter que ir ate a agencia dos correios que fica na praça São Salvador para pega de uma correspondência. e não tem nenhum jornal falando sobre essa noticia".
Comentar
Compartilhe
Após decisão sobre "venda do futuro", chance para micro e pequenos negócios no DO
21/07/2017 | 10h22
Com o Município respirando, pelo menos momentaneamente, mais aliviado, o Diário Oficial de hoje traz dois decretos que podem significar, e muito, o início de recuperação financeira.
Os decretos são voltados para os pequenos negócios.
O primeiro, 147/2017, dispõe sobre a instituição do Plano Municipal de Desenvolvimento dos Pequenos Negócios - PMD, que tem por finalidade promover e coordenar políticas públicas voltadas ao desenvolvimento e fortalecimento das Micro Empresas - ME, Empresas de Pequeno Porte - EPP e Microempreendedores Individuais MEI do município. 
O segundo, o 148/2017,  trata da elaboração do Plano Estimativo de Compras Municipal para os Pequenos Negócios, doravante denominado PECOMPE, de adoção obrigatória por todos os órgãos da administração direta e indireta do Poder Executivo de Campos dos Goytacazes. Com isso, todos os órgãos municipais terão por obrigação de comprar, quando possível, de pequenos negócios locais. Uma chance para aqueles que ainda não tinham condições de ingressar nesse restrito mundo das grandes licitações públicas.
Comentar
Compartilhe
Presidente da Câmara, Marcão também comemora vitória no TRF
20/07/2017 | 22h15
O presidente da Câmara Marcão Gomes também comemorou a vitória da Prefeitura de Campos no TRF, cuja decisão impede a Caixa Econômica Federal de cobrar a “venda do futuro” nos termos firmados pelos Garotinho.
A Folha1 citou primeiro aqui.
Comentar
Compartilhe
Rafael fala sobre decisão do TRF que reverteu termos da "venda do futuro"
20/07/2017 | 16h46
O prefeito de Campos Rafael Diniz e o procurador geral do município José Paes Neto falaram há pouco, em rede social, sobre a vitória no Tribunal Federal Regional da 2ª Região (TRF 2), que reverteu a decisão que permitia a Caixa Econômica Federal (CEF) cobrar a “venda do futuro”, de maio de 2016 até maio de 2026, nos termos pactuados pelo casal que governou a cidade. A informação sobre o provimento ao embargo de declaração da Procuradoria de Campos foi publicada em primeira mão no Opiniões, de Aluysio Abreu Barbosa.
Comentar
Compartilhe
Rafael publica LDO 2018, fixa prioridades e limites para contratação de pessoal
20/07/2017 | 15h26
O prefeito Rafael Diniz sancionou e publicou hoje, em Diário Oficial a Lei 8.756/17.
A Lei traz prioridades para 2018 e estabelece regras para contratação de terceirizados.
Confira alguns trechos abaixo e a totalidade no DO.
PRIORIDADES
§ 2° - As prioridades programáticas, bem como o próprio Plano Plurianual 2018-2021 serão norteadas pelos seguintes temas e objetivos estratégicos, que também nortearam:
I-Desenvolvimento Estratégico: a)desenvolvimento econômico e sustentabilidade: competitividade e criação de oportunidades; b)desenvolvimento social: qualidade de vida, equidade, justiça e proteção social; c)desenvolvimento urbano e regional: conectividade e superação das desigualdades entre pessoas e regiões.
II - Eixos temáticos: a) Novas Economias (Criativa, Inovação e Verde); b) Agricultura e Pesca; c) Educação, Saúde, Qualidade de Vida e Bem Estar; d) Rede de Proteção Social e Segurança Alimentar; e) Gestão Pública, Cooperação e Transparência (inovação, eficiência e tecnologia a serviço do cidadão); f) Acessibilidade, Mobilidade, Habitação e Saneamento; g) Cidadania, Defesa Civil e Segurança;
PESSOAL
AS DISPOSIÇÕES RELATIVAS ÀS DESPESAS DE PESSOAL
Art. 29 - É vedada a inclusão na Lei Orçamentária Municipal de recurso para pagamento, a qualquer título, de servidor da Administração Pública Municipal Direta ou Indireta, empregado de empresa pública ou de sociedade de economia mista, por serviços de consultoria e/ou assessoria, inclusive os custeados com recursos provenientes de convênios, acordos, ajustes ou instrumentos congêneres, firmados com órgãos ou entidades de direito público ou privado.
Art. 30 - Para efeito do disposto nos artigos 37, V e X, e 169, § 1º, inciso II da Constituição Federal, bem como a Lei Complementar nº 101, de 04 de maio de 2000, fica estabelecido que: I. A contratação dos cargos ou empregos de provimento efetivo ou em comissão, somente ocorrerá se existirem cargos vagos a preencher, e prévia dotação orçamentária para atender à referida despesa, demonstrados nos quadros previstos no artigo 156, § único, inciso I da Lei Orgânica Municipal
II. Em caso de interesse público, o Município poderá contratar pessoal em caráter temporário, nos termos do disposto no artigo 37, inciso IX, da Constituição Federal; III. Serão concedidas aos servidores, as vantagens constantes do Estatuto dos Funcionários Públicos Municipais e dos Planos de Cargos e Salários, bem como o disposto na Lei Orgânica Municipal, no que couber; IV. Ficam os Poderes autorizados a reformular os Planos de Cargos, Carreira e Salários, promovendo as adequações necessárias, bem como, a realização de concursos públicos de forma a manter a qualidade dos serviços prestados aos munícipes; V. Serão contabilizadas como “outras despesas de pessoal” aquelas relativas a contratos de terceirização da mão-de-obra necessária à substituição de servidores ou empregados públicos. § 1º - Não se considera como substituição de servidores e empregados públicos, para efeito do inciso V, os contratos de terceirização relativos à execução indireta das atividades que, simultaneamente: I-sejam acessórias, instrumentais ou complementares aos assuntos que constituem área de competência legal do órgão ou entidade, na forma de regulamento; II - não sejam inerentes a categorias funcionais abrangidas por plano de cargos do quadro de pessoal do órgão ou entidade, salvo expressa disposição legal em contrário, ou sejam relativas a cargo ou categoria extintos, total ou parcialmente; III - não caracterizem relação direta de emprego; IV - sejam relacionadas ao asseio, conservação e limpeza.
§ 2º - Fica vedada a realização de serviços extraordinários, quando a despesa de pessoal extrapolar o limite prudencial de 51,3% (cinquenta e um inteiros e três décimos por cento) da Receita Corrente Liquida, exceto nos casos de relevante interesse público, especialmente aqueles voltados para as áreas de segurança e saúde, que estejam em situações de risco ou prejuízo para a sociedade.
Art. 31 - Os Poderes Executivo e Legislativo terão como base para elaboração das despesas de pessoal a folha de junho de 2017, incluindo-se as despesas decorrentes da revisão geral, a serem concedidas aos servidores municipais, de acordo com o artigo 36 desta Lei, alterações no Plano de Cargos e Salários e expansão do quadro de pessoal.
Art. 32 - A concessão de qualquer vantagem ou aumento de remuneração além dos índices inflacionários, a criação de cargos ou alteração de estrutura de carreira, bem como, a admissão de pessoal, a qualquer título, pelos poderes, só poderá ser efetivada se houver prévia dotação orçamentária suficiente para atender às projeções de despesas até o final do exercício; obedecidos os limites constitucionais vigentes, bem como o disposto na Lei Complementar n º 101, de 04 de maio de 2000 no que couber.
Art. 33 - O Regime próprio de Previdência dos Servidores Públicos de Campos observará as normas constantes da legislação federal pertinente, em especial a Lei Federal nº 9.717/98 e as disponibilidades orçamentárias e financeiras do Município de Campos dos Goytacazes.
Art. 34 - As remunerações, proventos e pensões dos servidores ativos e inativos dos Poderes Executivo e Legislativo, bem como das autarquias e fundações públicas municipais, serão revistos na forma do inciso X do art. 37 da Constituição Federal, de acordo com a variação anual de, pelo menos, o IPCA acumulado no período, cujo percentual será autorizado em lei específica.
Comentar
Compartilhe
Moro marca para setembro novo interrogatório de Lula
20/07/2017 | 14h21
O juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, marcou para 13 de setembro o interrogatório do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no segundo processo a que ele responde derivado da Operação Lava Jato.
Comentar
Compartilhe
Câmara prorroga para até 1 de agosto prazo para Godoy tomar posse
20/07/2017 | 12h57
O Diário Oficial de hoje traz Ato Executivo deixando para agosto, após o fim do recesso parlamentar, a decisão sobre a vaga do vereador Jorge Magal, afastado do cargo por ter sido condenado em segunda instância no caso Chequinho. A decisão foi antecipada ontem, aqui no blog.
O Ato Executivo prorroga para 1 de agosto o prazo para a posse do suplente Thiago Godoy (PR). 
Comentar
Compartilhe
TRE mantém decisão que suspendeu tornozeleiras em Linda Mara
19/07/2017 | 17h53
O plenário do TRE julgou hoje o mérito do Habeas corpus impetrado pela defesa da vereadora Linda Mara Silva (PTC) e manteve a liminar que impediu a colocação da tornozeleira eletrônica na parlamentar, conforme havia determinado o juiz Ralph Manhães.
A decisão sobre o vereador Thiago Ferrugem (PR), porém, continua valendo. Ele está com tonozeleira desde o início do mês.
Comentar
Compartilhe
Feijó destina R$ 5 milhões em emendas para melhorias no HGG
19/07/2017 | 17h51
O deputado federal Paulo Feijó (PR-RJ) destinou R$ 5 milhões em emendas para o Hospital Geral de Guarus (HGG).
De acordo com o deputado, o recurso de R$ 5 milhões em benefício do HGG é uma grande conquista. “Será destinado R$ 4 milhões para a reforma do HGG, que é referência na região em atendimento de emergência em consultas e exames especializados, com mais de 20 especialidades médicas, e R$ 1 milhão para a compra de equipamentos”, adianta o deputado, informando que a emenda já está em fase de execução.
Além disso, foram emendas no valor de R$ 1.895.500,00 para o município de Campos, sendo R$ 1 milhão para a Santa Casa de Misericórdia de Campos e outros R$ 895.500,00 para o município de Campos, sendo R$ 487.000,00 do Ministério do Esporte para a implantação e modernização da Praça Papa João XXIII, no Parque Aurora; e R$ 408.000,00 para a construção de Unidade Básica de Saúde.
Comentar
Compartilhe
Decisão sobre vaga de Magal fica para agosto
19/07/2017 | 12h36
Somente após o fim do recesso parlamentar é que a Câmara de Campos irá definir sobre a vaga do vereador Jorge Magal, afastado das funções públicas após ser condenado em segunda instância no caso Chequinho.
Ele  saiu da Câmara em maio e, em seu lugar, deveria assumir Thiago Godoy. Porém Godoy pediu um prazo além dos 15 dias previstos em casos como esses.
Em julho, o PR - partido de Godoy - enviou ofício à Câmara requisitando a vaga, caso Godoy não assuma, para a próxima suplente, Roberta Moura.
Roberta, aliás, enviou esta semana ao Legislativo pedido de informações sobre o assunto. 
De acordo com o presidente Marcão  ( Rede , seguindo entendimento da Procuradoria, com o recesso os prazos ficam suspensos, só voltando a correr após o fim do recesso parlamentar que é em 1 de agosto. 
Atualização nas informações e foto.
Comentar
Compartilhe
Chequinho: Altamir Bárbara condenado
18/07/2017 | 19h04
O ex-vereador Altamir Bárbara foi condenado na Aije da Chequinho pelo juiz Eron Simas à inelegibilidade por oito anos.
Comentar
Compartilhe
TRE nega recurso de (ex) advogado de Garotinho
18/07/2017 | 18h13
O TRE negou, ontem, recurso impetrado por Fernando Fernandes, de quando ainda era advogado de Garotinho, contra o juiz Ralph Manhães, da 100 Zona Eleitoral.
Fernandes questionava falta de publicidade nas audiências da Chequinho por causa da proibição de gravação por celular dos advogados.
Recentemente, ele foi demitido por Garotinho.
Comentar
Compartilhe
Em juízo, Feijó confirma ter se afastado do grupo de Garotinho
17/07/2017 | 21h21
Em depoimento hoje, na Ação Penal do caso Chequinho, o deputado federal Paulo Feijó (PR) colocou em letras, o que já se afirmava nos bastidores da política: Disse que ele, e pelo que saiba também Jorge Rangel, está afastado do grupo político de Garotinho.
Feijó não justificou seu posicionamento, mas sobre o vereador eleito e não diplomado, de quem foi testemunha de defesa, disse estar "traumatizado pelo ocorrido no processo".
Confira, acima, o depoimento.
O Blog do Arnaldo Neto também falou sobre o depoimento de Feijó.
Comentar
Compartilhe
CPI das Rosas convocará ex-secretários de Rosinha
17/07/2017 | 15h15
A CPI das Rosas, que investiga o contrato da prefeitura com a empresa Emec, irá convocar ex-secretários do governo Rosinha Garotinho.
A decisão foi tomada na manhã de hoje, durante mais uma reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito.
Porém, a primeira pessoa a ser chamada será o secretário de Transparência e Controle, Felipe Quintanilha.
De acordo com o presidente da CPI, Fred Machado, Felipe será chamado para esclarecer e detalhar a auditoria dos contratos.
Durante o encontro de hoje, outros assuntos foram abordados, como o fato de várias empresas do ramo terem se interessado pelo edita, mas apenas a Emec ter participado. Além disso, os termos aditivos beneficiando a empresa também foram analisados pelos integrantes.
A informação também foi postada no Blog do Bastos.
Comentar
Compartilhe
Dornelles reassume Governo do Estado e diz que segurança é "calamitosa"
17/07/2017 | 14h48
Aos 82 anos, o vice-governador Francisco Dornelles voltou a assumir o Governo do Estado, no lugar de Luiz Fernando Pezão, que entrou de licença médica por uma semana.
Após enfrentar uma viagem de 10 horas nesta madrugada, e de ser vaiado por populares no Aeroporto Internacional Tom Jobim (do Galeão), conforme noticiou o colunista Ancelmo Gois, de O Globo, Dornelles chegou para trabalhar no Palácio Guanabara, em Laranjeiras, por volta das 10h.
Ele classificou a situação da segurança no Rio como “calamitosa”.
Ano passado, Dornelles ficou sete meses à frente do cargo por sete meses no ano passado, durante o tratamento de Pezão de um linfoma não-Hodgkin para o governador cuidar de “problemas no quadro metabólico”, segundo sua assessoria. 
— Pezão me deu liberdade completa, por uma questão de cortesia. Mas vou dar sequência às ações dele e conversar com o secretariado, caso haja algum problema para resolver.
Dornelles falou ainda sobre o plano de recuperação fiscal do Rio. Segundo a assessoria do governo, “o estado já cumpriu a sua parte e o governo federal está preparando o decreto que vai regulamentar a lei e o texto final do acordo”.
— Estamos praticamente concluindo a negociação. Vou conversar hoje com o chefe da Casa Civil (Christino Áureo). Mas não posso dizer se conseguiremos resolver isso esta semana. Só acredito nas coisas depois de concretizadas — disse o governador em exercício.
(Fonte: O Globo)
Comentar
Compartilhe
Rosinha revendedora de produtos de beleza repercute na imprensa nacional
17/07/2017 | 10h24
A coluna Radar Online repercutiu hoje (confira aqui), a nota publicada pela blog em 2 de junho, em que mostra a nova atividade da ex-governadora Rosinha pela internet: venda de produtos de beleza.
Diz a nota na coluna do jornalista Maurício Lima, que Rosinha está vendendo os produtos "sob os protestos do marido".
Sei...
O próprio ex-governador Garotinho, como mostrei aqui semana passada, está apostando nas vendas pela internet e indicando remédios para diabetes.
Comentar
Compartilhe
"Reverter o caos dos Garotinho para não virar Estado do Rio"
16/07/2017 | 11h38
Procurador geral de Campos, José Paes Neto afirma que, se o governo não conseguir resolver o impasse em torno da cobrança da venda do futuro, celebrado pelos Garotinho em termos diferentes dos 10% aprovados pela Câmara Municipal e da Resolução do Senado Federal, a situação financeira do Município entrará em colapso já nos próximos meses.Segundo ele, em entrevista à Folha onde esteve junto com o superintendente de Comunicação, Thiago Bellotti, isso pode significar medidas ainda mais duras das que já vem sendo adotadas. Entre elas, cortes drásticos no Recibo de Pagamento a Autônomo (RPA) e otimização da atuação do servidor público: “A gestão anterior enganou a população e a Câmara”, diz, acrescentando: “Estamos tendo a coragem de por o dedo na ferida.
Leia abaixo a entrevista na íntegra e a edição de hoje da Folha da Manhã:
Folha da Manhã – Essa semana tivemos algumas novidades a respeito da venda do futuro. A decisão do STJ na terça-feira e, no mesmo dia, ingresso de terceiro, também nesta briga, de maneira oficial, a Câmara. Como está hoje a venda do futuro?
José Paes Neto – Hoje, a Caixa Econômica tem uma liminar valendo, que obriga o Município a cumprir o contrato da forma como ele foi celebrado. Houve, de fato, a decisão da ministra presidente do STJ, que indeferiu nosso pedido de suspensão da liminar. Em paralelo, o Município aguarda um posicionamento do desembargador Marcelo Pereira da Silva.
Folha - Que deu a decisão que derrubou a liminar lá atrás do Julio Abrantes.
José Paes – Isso. Houve uma interposição de embargos de declaração. No momento, a gente está aguardando a Caixa se manifestar até terça-feira. Aí, então, o desembargador vai analisar este pedido. E, muito provavelmente, vai analisar, também, este pedido de assistência que a Câmara fez esta semana.
Folha – Como você enxerga essa interpretação de Robson, procurador da Câmara, a grosso modo, de que se é cessão de crédito, só pode usar o dinheiro para capitalização de fundo de previdência ou o município para pagar dívidas com a União. Deste dinheiro, no entanto, a Caixa pega R$ 194 milhões da cessão anterior que havia feito. A partir do momento que ela pega este dinheiro, haveria uma operação de crédito, não uma cessão de crédito. E a operação de crédito deveria ser limitada a 10% dos recursos advindos da exploração de petróleo e gás. Você concorda com esta tese?
José Paes – A Câmara usou nesse pedido de assistência com dois argumentos: A Lei Municipal, que foi aprovada e que limitava a realização de operações ao que estava disposto na Resolução do Senado...
Folha – Você está falando de duas Resoluções, não é? A de 2001 e de 2015.
José Paes – Isso. A Resolução de 2015 alterou a de 2001 para poder, excepcionalmente, autorizar esse tipo de operação, impondo, dentro do limite de 10% o pagamento. Voltando, argumenta esta questão justamente em cima da argumentação da própria Caixa Econômica, de que aquilo não era uma operação e sim uma cessão de crédito. Mas, se era uma cessão de crédito, também há a regra, como bem dito pelo procurador da Câmara, só poderia ser utilizado para capitalização de crédito e amortização de dívida com a União. Então, a partir do momento que a Caixa Econômica e o Município utilizam parte deste recurso para pagamento da própria Caixa Econômica, é uma argumentação que tem bastante consistência a utilizada pela Câmara. A gente concorda. É um argumento relevante sobre outros viés que já vinham sendo discutidos dentro do processo.
Folha – Você até falou que ia acionar o Ministério Público
José Paes – Isso. A gente está finalizando uma denúncia, juntando todas as informações necessárias, para podermos enviar para o MP com o maior número de subsídios possíveis. É uma denúncia relatando o ocorrido, para que o Ministério Público possa, então, tomar as medidas que entender cabíveis com relação aos antigos gestores, sejam da Caixa ou gestores municipais de então.
Folha – Você tem projeção de quando vai entrar com isso no Ministério Público?
José Paes – Ao longo da próxima semana a gente já estará dando entrada. Estamos finalizando o trabalho, juntando as informações. As enviadas pela Câmara também serão objeto desta denúncia. Mas, em relação à questão da Câmara, o mais importante de tudo, é o próprio Poder Legislativo demonstrar ao Judiciário que autorizou que fosse feito: Uma operação no limite previsto na Resolução do Senado.
Folha – Marcão chegou a afirmar, ontem, que o contrato foi fraudulento. Você concorda com isso?
José Paes – Não poderia afirmar que o contrato foi fraudulento. Mas posso afirmar, sem sombra de dúvidas, que o Poder Executivo burlou e fraudou a vontade popular manifestada através da Câmara Municipal. Não tenho a menor dúvida. Porque o contrato não representa em nada aquilo que foi aprovado pela Câmara Municipal. E é bom destacar que o contrato não corresponde, sequer, ao que foi objeto da Procuradoria do Município da época. Há um parecer da Procuradoria em um processo administrativo que ensejou a contratação, que dizia de forma expressa, que o contrato tinha que ter uma cláusula limitando o pagamento em 10% ao ano. E o Executivo passou por cima do parecer da própria Procuradoria.
Folha – Vamos voltar um pouco na origem disso, que é uma questão econômica, administrativa, mas a origem é política. Falei com Rafael há duas semanas. Não estou dizendo que a Folha disse. Noblat, O Dia, Estadão, Globo deram. Foi notícia nacional. Você tinha Clarissa manifestando claramente a favor do impeachment de Dilma. Manifestando enrolada em bandeira. De repente Noblat, me lembro disso porque postei isso de madrugada, bota que Garotinho tinha negociado a ausência de Clarissa na votação do impeachment. E, na sequencia disso, os jornais nacionais noticiam que o acordo seria para algo que mais tarde vai se revelar como a venda do futuro. O futuro de Campos foi negociado por causa de um voto que não mudou em nada porque Dilma acabou caindo? Como você vê isso?
José Paes – Todo cenário que envolveu essa negociação dá a sensação que isso pode ter acontecido. A gente não pode afirmar que aconteceu, mas aparenta que aconteceu. E na denúncia que será encaminhada ao Ministério Público vai ser objeto de análise também. Essa informação será levada ao MP. Os fatos estão muito próximos: A votação do impeachment e a liberação desse terceiro empréstimo, o segundo com a Caixa porque o primeiro foi com o Banco do Brasil.
Folha – Se foi isso, o futuro de Campos foi vendido por nada porque Dilma caiu. Não dá uma sensação de pequenez?
José Paes – Dilma caiu. Não adiantou de nada. As vezes fico pensando, como está no meu artigo de hoje (quinta-feira) até onde a pessoa pode ir para se manter no poder. O quão irresponsável foi Garotinho quando conjecturou e elaborou este contrato que ele sabia, tenho a convicção, iria levar a essa situação. Logo após a eleição ele já afirmava que a partir de maio o Município não teria dinheiro para pagar servidor. E se a gente não tivesse, desde janeiro, não pagar o que estava no contrato e passar para uma negociação com a Caixa para num segundo momento fazer o pedido dentro do processo, certamente isso ia acontecer em maio. Não teria condições de cumprir com as obrigações. Ele vem dando algumas declarações de que o Município vai chegar a essa situação de caos porque não pagou o que estava no contrato de fevereiro até agora. Na verdade, a gente postergou o problema. Se a gente já tivesse pago, já em fevereiro, o que a Caixa estava cobrando, seria o colapso desde aquela época. O que a gente vem tentando é resolver o problema, mitigando esse dano que ele causou ao município. Ele já sabia que, a partir de janeiro ou fevereiro, já iríamos enfrentar problemas pelo que ele contratou.
Folha – Mas Garotinho também bate muito na tecla de que o contrato foi firmado em maio e que de junho a dezembro Rosinha honrou os pagamentos. E que vocês, a partir de fevereiro não fizeram. Como eles conseguiram pagar isso?
José Paes – Eles pagaram com o próprio dinheiro do empréstimo e pagaram utilizando recursos da Previcampos.
Folha – Isso é uma suposição ou um fato?
José Paes – Para mim é um fato, porque você tira dinheiro da Previcampos... Não há, de forma concreta, como dizer que ele pegou dinheiro da Previcampos e pagou a Caixa Econômica. Mas, a partir do momento, em que ele não toma medidas de austeridade para colocar a máquina em dia por conta de uma eleição e sai retirando de forma indevida dinheiro da PreviCampos e sai utilizando de forma indevida, a fazer obras atrás de obras, lançar projetos, pagar Cheque Cidadão a um número absurdo de pessoas, a gente pode afirmar que foi mantido em dia o pagamento por conta dessas artimanhas. E é importante ressaltar, também, que como o Município já tinha cedido ao Banco do Brasil, em 2014, as Participações Especiais, os pagamentos de junho a dezembro feitos à Caixa eram bem menores. A partir de janeiro e fevereiro é que estes valores aumentaram porque a gente teve que passar a entregar o que seria equivalente a Participações Especiais também à Caixa Econômica.
Folha – Por quê?
José Paes – Porque já tinha vendido para a Caixa. Vou te dar um exemplo do contrato que fixou o fluxo de barril, no ano passado são sempre parecidos (mostrando uma planilha) porque já tinha vendido para o Banco do Brasil.
Folha – Uma média de 35 mil barris
José Paes – Agora quando começou o ano, em janeiro quando tinha só royalties, manteve. Em fevereiro chega a 192 mil barris. Em maio seriam 232 mil barris e agora em agosto serão 247 mil barris.
Folha – Isso deu quanto em dinheiro?
José Paes – Em fevereiro deu em torno de R$ 34 milhões. Em maio, algo em torno de R$ 39 milhões. A gente ainda não tem o exato, mas agora já se projeta que passará de R$ 40 milhões. A perspectiva é que, em agosto, a gente receba R$ 60 milhões, e entregaria mais de R$ 40 milhões.
Folha – O que isso realmente representa para a situação financeira do Município?
José Paes – Campos executou um orçamento ano passado de quase R$ 3 bilhões. Hoje a gente tem para executar, um orçamento de pouco mais de R$ 1,5 bilhão. Então tenho um orçamento quase 50% menor do que o do ano passado. Outro dado interessante é que, de fevereiro a junho (em janeiro pagamos o valor integral cobrado pela Caixa), a diferença entre os 10% e o cobrado efetivamente no contrato, é uma diferença de quase R$ 76 milhões. Então, dentro de um cenário de um Município com orçamento 50% menor do que ano anterior, você entregar à Caixa, R$ 75 milhões a mais, representa um colapso absoluto das contas do município. Mesmo se a gente tivesse um contrato prevendo 10% o município estaria, como já está, passando uma situação econômica muito delicada. Porque as contas não fecham, era um déficit que iniciou o ano de quase R$ 60 milhões, hoje está um pouco acima de R$ 30 milhões, mas ainda é um déficit considerável. A gente fecharia o ano com uma dívida de mais de R$ 300 milhões. Tem que tomar medidas ainda mais duras ainda que as já tomadas para poder gerar esse déficit. Então a partir do momento que eu não consigo mais pagar a Caixa Econômica o que está previsto na Resolução, a gente volta para patamares de déficit até maiores que começou o ano, o que vai inviabilizar. É uma questão matemática. Não tem de onde tirar o dinheiro. Por mais que não use a totalidade de recursos de royalties para pagamento de pessoal, porque uma parcela deles é permitido, a partir do momento que não tenho mais essa receita, que representa quase um terço de meu orçamento, para custear limpeza pública, iluminação, água, pagar complementação de hospital contratualizado, instituições sociais, em algum momento vou ter que fazer uma escolha entre usar receita própria apenas para pagar pessoal e não pagar mais nenhuma conta do município, a não ser aquelas que têm recursos federais com destinação específica sobretudo na Saúde ou então não pagar parte do funcionalismo, ou atrasar momentaneamente o funcionalismo para pagar uma conta de um serviço essencial que também não pode parar. Porque senão tenho pessoal para executar o serviço e não tenho insumos para poder executar aquele serviço. Então é uma questão matemática que se a gente não resolver no campo judicial ou político, em Brasília ou no Rio, vai causar efetivamente um colapso.
Folha – Dá para coisificar este colapso?
José Paes – Hoje, mesmo pagando os 10%, a gente já tem dificuldade para manter em dia todos os contratos essenciais da Prefeitura. Em agosto, a gente entregando a Participação Especial à Caixa Econômica, na minha visão a gente já terá uma situação caótica. Dificilmente a gente chegaria até o final do mês com recursos suficientes para pagar a folha de pagamento tanto do servidor ativo quanto do inativo.
Folha – A gente está falando de fechamento de escola, hospital, creche?
José Paes – Não dá para deixar estas hipóteses de lado. Ao longo deste mês, e a equipe está trabalhando lá, a gente vem adotando medidas mais duras. O número de prestadores de serviço autônomo já vinha sendo reduzido desde o início do ano e terá um corte drástico. Várias reuniões estão sendo feitas para reduzir. Obviamente, quando a gente tira o prestador de serviço, alguns serviços deixam de ser executados. Ao longo do último governo, se inchou a máquina de tal forma, de uma maneira tão irresponsável, criando mais serviços e construindo de forma descontrolada, só que a pessoa esquece que, a partir do momento que construo uma Vila Olímpica, uma UBS ou uma escola, eu preciso de gente para trabalhar ali, eu preciso equipar. E de forma irresponsável foi-se contratando prestadores de serviço e hoje não se tem condições de manter. Um dos exercícios que está sendo feito é verificar se há alguns programas, alguns projetos, ou até algumas unidades que possam ser fechadas. A gente precisa otimizar a prestação de serviços. O fato de eu, eventualmente, fechar uma unidade de Saúde, não significa que a população daquela região vai deixar de ser atendida. Temos que otimizar os serviços porque é fato constatado por técnicos da Saúde, que várias unidades foram construídas sem nenhuma necessidade, apenas para atender interesses políticos de determinado vereador.
Thiago Bellotti – Tem unidades que têm três, quatro uma em cima da outra.
Folha – Pode exemplificar alguma?
José Paes – Tem em Três Vendas.
Bellotti – Tem em Mata da Cruz, também, uma do lado da outra.
José Paes – A partir do momento que não teremos mais esses recursos, teremos que tomar medidas ainda mais duras para tentar equilibrar o quadro. Essa é uma preocupação que a gente tem desde o início. Tanto o gestor, os servidores da Prefeitura quanto a população tem que entender que a Prefeitura tem que ser do tamanho que ela pode ser. Se a gente hoje vive com metade do orçamento, a gente tem que tentar ao máximo manter os serviços essenciais com o que tem hoje e não fazer como fez o governo anterior, fingir que a situação de crise financeira não existia, e tentar através de empréstimo atrás de empréstimo, manter uma situação que não era possível, criando uma bola de neve. A gente tem que ter responsabilidade. Fazer um freio de arrumação e dizer que, se agora a gente tem R$ 1,5 bilhão tem que viver com R$ 1,5 bilhão. Pelo menos enquanto as medidas que estão sendo adotadas para tentar aumentar a arrecadação não surtirem efeito. Porque medidas neste sentido não vão surtir efeito de imediato. São de médio e longo prazo.
Folha – Você fala em medidas drásticas. Alguns já foram feitos e repercutiram bem negativamente, como o restaurante popular (que, embora a gente saiba o contexto, municipalizar algo que era do Estado, reabrir no ano eleitoral, sem previsão orçamentária é fato que milhares de pessoas comiam ali), Cheque Cidadão, Passagem a R$ 1. Onde mais é possível cortar? E como você avalia essa repercussão?
José Paes – Acho que nenhum gestor jovem, que tem ainda um futuro político pela frente, tomaria essas medidas apenas com interesse de prejudicar alguém. Se elas foram tomadas é porque não há condições financeiras desses projetos serem mantidos e a gente tinha que ter a coragem e a responsabilidade de adotar as medidas e suspender, reduzir ou revisar os programas. Chega um determinado momento que eu não posso mais cortar porque não posso simplesmente rescindir o contrato do lixo, não posso deixar de pagar o hospital contratualizado. Nosso problema maior hoje, e não tenho a menor dúvida disso, é a folha de pagamento. Nossa folha é muito inchada, não se teve a preocupação nos últimos anos. Nós já ultrapassamos o limite da Lei de Responsabilidade Fiscal para o pagamento de pessoal. Extrapolamos esse limite.
Folha -54%, certo? E está em quanto?
José Paes – Isso. 54%. Está em 54,64%. E a gente sabe hoje que, por mais que corte todos os programas, readéque todos os contratos, para tentar cortar toda e qualquer gordura que exista nesses contratos, ainda assim a gente tem o problema do inchaço da folha de pagamento. Quer seja do servidor de carreira, quer seja desta questão dos RPAs. Por isso, já este mês a gente vai ter uma redução drástica na questão do RPA...
Folha – Ainda este mês? Julho?
José Paes – Já está acontecendo. A gente está conversando aqui e cortes estão sendo feitos agora. A gente já tinha um número menor do que tinha no governo anterior, já vinha trabalhando nisso. Mas, diante deste cenário de possibilidade de caos imediato, a gente vai fazer um corte drástico e está, também, fazendo uma revisão muito ampla na questão da Saúde porque é o maior gasto com pessoal. Praticamente 50% de todo gasto com pessoal são da Saúde. Então, vamos sim rever questão de gratificação, fazer toda uma otimização dos servidores para evitar ter que contratar RPAs e estamos intensificando o trabalho de controle de quem efetivamente está trabalhando e de quem não está trabalhando, porque isso já era algo que a gente vinha sentindo, que na Saúde havia muito este problema de falta de pessoal, de as pessoas não estarem presentes. E a gente vem avançando nisso. A licitação do ponto biométrico está para sair nos próximos dias.
Folha – Gerou muita reação em Macaé e vai gerar aqui também.
José Paes – A gente conversou muito com o prefeito de lá, Dr. Aluízio. Não temos dúvidas que vai gerar muita reação. Gerou muita lá, mas temos um dado interessante em Macaé: Depois da implementação do ponto, cerca de 300 profissionais da área de Saúde pediram desligamento.
Bellotti – Lembrando que hoje Macaé tem R$ 1,9 bilhão para tocar e a gente tem R$ 1,5 bilhão.
José Paes – E Campos é muito maior. Então, foram 300 profissionais a menos da Saúde e não se tem conhecimento que os serviços lá tenham sido prejudicados. Já era um exercício que a gente vinha fazendo junto à secretaria de Saúde e Fundação Municipal de Saúde e agora vai atuar de maneira mais incisiva. Porque a gente precisa, e sempre foi uma bandeira do prefeito, privilegiar e valorizar o servidor de carreira. Mas tem que privilegiar e valorizar o servidor de carreira que efetivamente trabalha. Que presta serviço e arregaça as mangas para trabalhar em prol do município. Aqueles servidores, e é a minoria, que acham que o serviço público é uma atividade complementar, é um extra e que não precisam estar presentes, com relação a eles vamos sim adotar medidas duras. Ou a gente toma essas medidas duras agora para poder colocar a casa no lugar ou vamos acabar prejudicando aquele servidor que trabalha e a gente não quer isso. A gente não pode chegar ao ponto que o Estado chegou.
Folha – Não vamos chegar?
José Paes – Sinceramente não posso dizer a você que não vá chegar a este ponto diante deste contrato feito com a Caixa Econômica. Mas que a gente está tendo a responsabilidade e coragem de, mesmo colocando o capital político em risco, tomar todas as medidas que precisam ser tomadas, para colocar a casa no lugar e, a partir daí, poder avançar, não há dúvidas que a gente vem adotando.
Folha – Mesmo tendo ano eleitoral ano que vem?
José Paes – Mesmo tendo ano eleitoral ano que vem. Acho que a gente não tem que pensar nisso neste momento, o foco é colocar a casa em ordem.
Bellotti – Inclusive, utilizando as verbas federais que vêm para gente, regularizando documentação.
José Paes – Antes de vir para cá a gente estava resolvendo pendência documental da Prefeitura para poder conseguir um recurso que vai garantir a realização das Olimpíadas Escolares, algo que não acontece em Campos há mais de 10 anos. Então, a gente vem fazendo um trabalho de captação destes recursos. O prefeito vem mantendo uma relação muito estreita com a bancada do Rio de Janeiro na Câmara para poder esses recursos.
Folha – Feijó?
José Paes – O próprio Paulo Feijó. A gente está em um momento em que não pode ter partido. Se Paulo Feijó é deputado federal e com base em Campos, independente de ele ser ou não do PR, a gente tem busca-lo e ter diálogo com ele para que possa ajudar o município e acredito que ele também vem tendo esta postura com a gente. Então, na atual circunstância, independente da circunstância, a gente tem que ter esta maturidade. Pouco importa se o deputado é do PT, do PR, do PSDB, do PMDB. Se ele é deputado e está exercendo cargo político e tem condição de trazer recurso para o município, a gente tem que manter relação para conseguir captar esses recursos. E é o que a gente vem fazendo, inclusive, com deputados que não tem base aqui na região Norte, mas que tem se mostrado solidários ao município para poder nos ajudar.
Folha – Você falou antes da Previcampos. Na auditoria realizada foram identificadas retiradas de dinheiro, mas não se sabia para onde tinha ido. Já foi possível descobrir?
José Paes – É difícil rastrear esse dinheiro porque, a partir do momento em que ele sai dos cofres da Previcampos e entre nos cofres do Tesouro, é difícil identificar de onde aquele recurso foi realmente alocado. Se paguei obra, pessoal com este dinheiro. Mas o importante nesta questão da Previcampos não é de onde o dinheiro saiu e para onde foi. O problema é que não poderia ter saído. Porque viola as regras de Previdência. Ainda que fosse identificado que a Previcampos devia algum recurso ao Município, que o Município tivesse feito algum deposito a maior, essa simples transferência não poderia acontecer. A própria auditoria identificou que alguns valores, algo em torno de R$ 100 milhões, não tinham nenhum documento , processo administrativo algum da Prefeitura que justificasse porque esse dinheiro saiu da Previcampos e voltou para os cofres do Tesouro.
Folha – E qual a situação da Previcampos hoje? Tenho visto no Diário Oficial muita aposentadoria voluntária.
José Paes – A Procuradoria analisa todos os processos relacionados ao Município. A gente encontrou um cenário com muitos processos parados, um volume de processos que não tinham andamento dentro da Procuradoria era muito grande. A gente encontrou processos de 2005, 2006. O fluxo era muito grande. A gente fez um trabalho junto com a secretaria de Gestão Pública para poder otimizar a tramitação desses processos. Os mais simples e que já têm decisões pacificadas dentro da Procuradoria são decididos diretamente pelo secretário de Gestão. E a gente foca nos processos mais complexos. Desde que tomamos essa medida junto com a Gestão, reduzimos muito o acervo da Procuradoria e conseguimos dar andamento aos processos de aposentadoria. Fora diversos servidores, de forma espontânea, que vem procurando se aposentar, até por receio da reforma da Previdência, do governo federal, e que está em tramitação.
Folha – Haverá um programa de aposentadoria voluntária?
José Paes – É um estudo que a gente vem fazendo, mas precisamos de recursos para isso. Porque não adianta fazer como foi feito no governo anterior, que se dava um valor muito baixo, se não me engano, um salário mínimo de incentivo. Mas, de toda forma, a situação da Previcampos não é uma situação confortável, diante da descapitalização da Previcampos. E diante dos investimentos que foram feitos na Previcampos e que mobilizaram grande parte dos recursos. Existem pouco mais de R$ 800 milhões em investimentos, mas que não pode movimentar porque vários são de longo prazo e se movimentar perde recursos. A situação da Previcampos é muito delicada. Essa semana, o antigo Ministério da Previdência, hoje secretaria, autorizou que municípios que tivessem regime próprio de Previdência façam um parcelamento das dívidas, com regime de até 200 meses. Já estamos estudando isso com a Previcampos e, provavelmente, na volta do recesso vamos encaminhar à Câmara um projeto de lei para fazer um reparcelamento das dívidas que o Município tem com a Previcampos, de forma que a gente possa reequilibrar, também, as contas da Previcampos, mas dentro deste cenário de caos que a Prefeitura vem vivendo.
Folha – Um dos primeiros presidentes da Previcampos, ainda como Caprev, foi Jonas Lopes de Carvalho Júnior, mais conhecido hoje como ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado e delator de supostas irregularidades que teriam sido cometidas por aquele tribunal. E pouco antes da eleição do ano passado, ele esteve aqui, dizendo que Garotinho e Rosinha eram muito “criativos”. Você vendo hoje por dentro, como se dá essa criatividade?
José Paes – São muito criativos, porque estamos nos deparando com situações que não seguem o que diz a legislação. Muito se fala da questão financeira e de determinadas medidas que poderíamos ter tomado no início do governo, mas um dos maiores problemas da Prefeitura era a desorganização. A falta de zelo para fazer as coisas, a falta de cuidado, talvez pensando que poderia ser feito de qualquer jeito, que haveria uma guarida no órgão de controle, que é o Tribunal de Contas. Além do exercício financeiro, temos que fazer, a cada dia, um exercício de organização administrativa. Temos que trabalhar a cabeça do servidor, tanto o de carreira, quanto o comissionado, que determinadas medidas não podem mais ser adotadas.
Folha – Pelo que você coloca, passa a ideia de um improviso na maneira como era gerado o município até o ano passado.
José Paes – Não digo que era um improviso, porque era feito propositalmente. Para camuflar determinadas situações. A partir do momento em que você não presta determinadas informações, determinados documentos, somem. Pode parecer, mas não é amadorismo. Você chega numa secretaria de Saúde, que tem orçamento maior que municípios da região, e o controle de saldo de registro de preço de compra de remédios era feito em uma planilha do excell. Não tinha um sistema gerindo. Na Procuradoria, que tem um acervo gigantesco de processos, e você tem um sistema que havia sido contratado em 2016, ao longo do ano, com 300 processos cadastrados. Sendo que, só na Dívida Ativa, temos mais de 150 mil processos em andamento. E se me perguntar hoje se sei dizer quantos processos existem e que envolvem a Prefeitura de Campos, vou dizer que não sei. Porque não havia controle de processos.
Folha – Isso é grave. Você pode perder prazo.
José Paes – Isso acontecia rotineiramente. A gente vem mantendo diálogo com Promotoria, com Judiciário para poder identificar esses processos. O Município perdia dinheiro por conta dessa desorganização. Quantos processos da área da Saúde, quantos bloqueios judiciais são feitos na conta da Prefeitura em processos. A pessoa pode perguntar: “qual a diferença que isso faz para o Município? Faz muita. Porque a partir do momento que eu deixo de responder a um processo e há bloqueio judicial para cumprimento de uma ordem para fornecimento de um remédio, mesmo às vezes eu tendo um processo licitatório vigente, acabo pagando duas vezes por um serviço ou poderia pagar mais barato. Dou exemplo da Procuradoria, mas é extensivo a todos os setores da Prefeitura. A crise financeira é gravíssima, mas o descalabro administrativo é tão grave quanto.
Folha – A gente está falando muito na iminência de caos, caso vingue a venda do futuro, nos termos celebrados pelos Garotinho com a Caixa. Pelo que você está falando, o caos interno já acontecia.
José Paes – Já existia. Nossa luta diária é mudar a mentalidade interna da administração para que se entenda que a gente precisa ter um perfil mais profissional de atuação. Vou te dar outro exemplo que demonstra como isso atrapalhava, se tinha por hábito, no anterior governo, não se responder a nada. A transparência não existia, mas não só com o cidadão comum que queria obter alguma informação ou com jornalistas que queriam ter uma informação mais detalhada. Às vezes não se respondia uma determinada demanda do Judiciário, Ministério Público ou Defensoria Pública, com receio de que aquilo pudesse causar um problema à frente. E por conta daquilo se criava uma série de problemas porque, se eu não tenho determinado medicamento, preciso informar ao Judiciário e dizer porquê. E ao invés de procurar uma solução conjunta com a Defensoria, ela tinha que ingressar no Judiciário. Se não tenho uma vaga em determinada escola porque já está cheia, ao invés de eu tentar arrumar uma vaga ou informar ao MP “Olha não tenho nessa escola, mas tenho em outra. Não tenho nessa, mas se você disser que tenho que colocar assim mesmo, coloco”, não se respondia nada e aí você tinha demandas e demandas judiciais para obrigar ao Município a fazer alguma coisa que ele poderia ter feito. Então, temos feito esse trabalho com o servidor, que foi tão amedrontado pelo governo passado, que tem que responder às demandas, tem que ser transparente. Isso não vai prejudicar o Município. Pelo contrário. Vai ajudar a encontrar uma solução. Se não tenho vaga em uma creche, não devo encaminhar, como era feito no governo anterior, o pai da criança para a defensoria, dizendo “Vai lá que é mais fácil resolver”. Isso acontecia. Aí a Defensoria ingressava com demanda judicial e a Prefeitura ia lá e cumpria. Por que não colocava logo? Isso me representa menos R$ 500 de honorários que tenho que pagar a Defensoria. De R$ 500 em R$ 500, teria dinheiro para viabilizar uma vaga nova na creche ou escola. São coisas que aparentam ser pequenas, mas que no somatório causam um dano administrativo muito grande.
Folha – O governo, de maneira geral, desde a campanha, quando ainda era só um projeto de chegar ao poder, de ser uma equipe muito nova. Críticas de opositores e críticas, inclusive, de aliados. Críticas que se mantém. Em contrapartida, por tudo que você está falando aí, não revela um modo de governar anterior um pouco envelhecido? Um pouco anacrônico?
José Paes – Não tenho dúvidas que esse modelo anterior era um modelo viciado, antigo, um modelo que não tinha mais condições de prevalecer. E a opção que o prefeito fez de uma equipe jovem, que talvez não tenha a experiência administrativa que outros dizem ter.
Folha – Vai pedir conselho a Garotinho?
José Paes – Pedir conselho para quem colocou Campos no buraco é desnecessário. Se eu quisesse afundar Campos de vez talvez eu pedisse conselhos a ele. Mas, voltando à questão da juventude, talvez se peque um pouco pela falta de experiência, de traquejo político, já que a grande maioria do primeiro escalão é formado por técnicos, mas diante dessa completa bagunça administrativa, era momento sim de fazer uma ruptura séria, que, eventualmente, desagrada tanto a oposição quanto o aliado para tentar dar um novo rumo. Tem um momento que não dá mais para dar um jeito. Ou você rompe com aquilo, ainda que num primeiro momento possa gerar um atrito, um estresse, ou você não resolve o problema. Isso não quer dizer que, o fato de a equipe ser jovem, que não se busque nos mais experientes apoio para enfrentar alguns problemas. E não significa dizer que a equipe é formada só por jovens. Existem sim secretários com experiência política, o próprio superintendente de Agricultura, Nildo Cardoso. E até fora do governo. A gente tem essa preocupação por mais que, eventualmente, sofra algumas críticas.
Folha – Murilo Dieguez escreveu há algumas semana, em sua coluna na Folha, que faltam ‘cabeças brancas’ no governo. Você concorda?
José Paes – Não concordo que falte cabeça branca. Talvez, e quando a gente erra não tem problema nenhum em reconhecer, falte um contato maior com pessoas que já tiveram essa vivência administrativa. Mas são coisas que a gente vai identificando na prática e corrigindo.
Folha – No caso das ‘cabeças brancas’ citadas por Dieguez e você a primeira pessoa que citou foi Nildo Cardoso. Curiosamente, as áreas de maior evidência e menores críticas no governo têm pessoas experientes como Nildo, Heloisa Landim, na superintendência dos idosos, Raphael Thuin, que apesar de não ser mais velho, tem experiência administrativa. Onde tem secretários mais experientes têm mais visibilidade. É coincidência?
José Paes – Na verdade, nas secretarias em que foram herdados mais problemas e mais complexas, os problemas mais difíceis de serem resolvidos e que vão demandar mais tempo, como Saúde, Educação, Assistência Social, como Brand, Sana. Dra Fabiana já tem uma experiência administrativa e como eu próprio. Mas são áreas muito mais sensíveis e que dão um trabalho muito maior para resolver. E é importante destacar, também, que ninguém trabalha de forma isolada. Thuin, por exemplo, para o trabalho dele dar certo, tem uma parceria muito boa com Suellen, da Fundação da Infância. Isso também é uma diferença: Não existe mais feudo. Todas as secretarias são secretarias do governo Rafael Diniz. Indiscutível o sucesso do trabalho de Thuin, de Landin e Nildo, mas talvez seja mais fácil por ter um volume menor para ajeitar do que outras.
Folha – O prefeito Rafael, no início do governo, disse que seria preciso um ano para por a casa em ordem. Se conseguir reverter a situação dos 10% ou se não conseguir, esse prazo será suficiente?
José Paes – Se a gente conseguir reverter os 10%, tenho certeza que, com as medidas duras que já tomamos e ainda serão tomadas, a gente tem uma boa perspectiva de entrar em 2018 com a casa um pouco mais saneada e, a partir daí, conseguir desenvolver um pouco melhor os projetos. Agora, com o contrato da Caixa da forma como celebrado, se a gente não conseguir reverter, preciso ser muito sincero: A situação vai ser muito difícil e vai demorar para colocar a casa em ordem. Pode durar todo mandato e, digo mais, comprometer os próximos prefeitos. Independente de estar ou não Rafael como prefeito, vai atingir também, o próximo mandatário. Porque a gente está falando, hoje, dentro de um cenário do barril de petróleo com pouco mais de U$ 50 e o dólar a U$ 3,20. Mas amanhã o barril pode estar a U$ 100, o dólar a U$ 4. Ou ser pior ainda e voltar a U$ 20.
Folha – Porque o indexador da transação é barril de petróleo, não é?
José Paes – Vi uma declaração do vereador Thiago Virgílio, de oposição, que disse que se aumentar a arrecadação, o município vai ganhar mais dinheiro e que é por conta da cotação. Não é. Se o barril for a U$ 150, o Município vai entregar quase tudo à Caixa do mesmo jeito. A mordida é proporcional por causa da irresponsabilidade do governo passado, que camuflou o contrato. Venho ouvindo algumas críticas na Câmara, de vereadores que estavam lá no passado. Mas é preciso esclarecer a situação: o que foi encaminhado à Câmara Municipal foi um projeto de lei que pedia autorização para fazer uma operação nos termos da Resolução do Senado. E a justificativa que foi encaminhada no projeto era exatamente essa. Limitava em 10% do que a gente arrecada. O próprio Garotinho falou isso inúmeras vezes. Só que a partir do momento que a Câmara autoriza e devolve para o Executivo e o Executivo vai colocar aquilo em prática, a Câmara não teve ciência disso. Contrato celebrado sem a anuência da própria Procuradoria do Município. Não tenho problema em afirmar que o governo anterior mentiu à população e mentiu à Câmara Municipal.
Folha – Em entrevista no último domingo, o Bispo de Campos, Dom Roberto Ferrería Paz lembrou que, à época, se argumentava que se não fosse feita a operação, o caos seria naquele momento. O que acha dessa linha de raciocínio?
José Paes – Entendo a linha de raciocínio do bispo, mas o gestor da época deveria ter tido a responsabilidade e coragem para dizer à população que o Município não poderia mais viver como vivia antes. Desde a primeira venda do futuro, em 2014, com o Banco do Brasil, eu tinha a preocupação e escrevi isso diversas vezes nos artigos que escrevi aqui na Folha, de que não iria adiantar em nada. Que iria pegar e gastar, até não poder mais pegar e tendo os mesmos problemas, a máquina inchada e ainda tendo que pagar a dívida. Por ambição de se perpetuar no poder, o governo anterior não teve a coragem de arrumar a casa. Mas nós estamos tendo a coragem de colocar o dedo na ferida e tentar resolver o problema, ainda que vá desagradar a muitas pessoas. Porque, ou é isso, ou é o cenário igual ou pior que o Governo do Estado. Ou eu resolvo agora ou daqui a pouco não terei dinheiro para absolutamente nada. Entendo a perspectiva do bispo, mas, talvez se as medidas fossem tomadas para readequar a máquina, a gente hoje estaria em uma situação um pouco mais tranquila. O que foi feito com esse dinheiro para mitigar a crise? Quais medidas adotadas pela Fazenda Pública para evitar a evasão fiscal? Melhorar a Dívida Ativa e cobrar de quem não cobra imposto? E para modernizar a máquina? Nada. Foram obras atrás de obras, que ficaram paradas e não concluíram. Gastava mal antes, teve a oportunidade de arrumar a casa, não quis fazer dessa forma e deixou o município quebrado.
Folha – Rafael bate muito na tecla de que não é caloteiro. Quer pagar, mas dentro do estipulado pela Resolução do Senado. É uma preocupação sua também?
José Paes – O governo, em nenhum momento, vislumbrou não pagar nada. Só que a gente tem que pagar o que está previsto na legislação. Se a gente não tivesse o interesse de não cumprir com a obrigação, desde janeiro não estaria pagando nada à Caixa. Porque ilegalidades contratuais que ensejam a possibilidade são muitas: contrato feito sem licitação. Contrato que não passou pelo Tesouro Nacional. Poderíamos requerer a nulidade como um todo para que, pelo menos por um tempo, não pagássemos e, lá na frente, deixasse a conta para o próximo gestor. Desde fevereiro a gente vem mantendo negociações e efetuando pagamento.
Folha – Você falou sobre sua experiência no blog, nos artigos aqui na Folha. Olhando para trás: É mais fácil ser estilingue ou vidraça?
José Paes – Sem dúvidas, estilingue. Ainda mais quando você tem responsabilidade. Porque, quando não tem, tanto faz. Bate quando não tem que bater, faz de qualquer jeito. A experiência administrativa só vai pegando mesmo na prática. E confesso, sem querer fazer qualquer tipo de alívio para o governo anterior, só quando você assume é que enxerga que o sistema é feito para que as coisas
Folha – A gente falou aqui algumas vezes de Garotinho. E o Bispo também falou uma coisa: de que o voto em Rafael não foi um voto de adesão e sim de protesto. Sem fazer juízo de valor sobre a declaração, essa vitória de Rafael se deve a esta demanda por ruptura. Quando a gente vai parar de falar em Garotinho?
José Paes – Alguns podem criticar o que vou falar, mas, politicamente, para mim, ele está sepultado, independente ou não do sucesso do governo Rafael. Ele não volta mais a governar Campos. Mas só vamos parar de falar dele, quando conseguir ultrapassar esse passado macabro com as consequências que teve para nosso futuro. O dia que a gente conseguir reverter esse quadro, o dia que operações como a Chequinho chegarem ao fim, a Lava Jato. Aí a gente vai deixar de falar dele, como deixou de falar de vários políticos, como o próprio avô do prefeito. Quando Garotinho assumiu, muito se falava, ainda, de Zezé Barbosa. Ao longo do tempo, as coisas vão avançando e a história vai ficando onde tem que ficar: Na história.
Comentar
Compartilhe
Solidariedade debate eleições 2018
15/07/2017 | 19h54
O Partido Solidariedade reuniu-se hoje, no Rio, com filiados de todo o Estado. Na pauta definições e esclarecimentos de olho nas eleições do próximo ano. Da região, marcaram presença o vereador de São João da Barra, Gersinho, presidente do SD daquele município, e o suplente de vereador Álvaro Cesar. Na coordenação dos trabalhos, o deputado Áureo e Sandro Cruz.
Comentar
Compartilhe
Pezão vai se afastar do governo para tratamento de saúde
14/07/2017 | 13h38
O governador Luiz Fernando Pezão vai se afastar temporariamente, por uma semana, a partir do próximo domingo (de 16/07 a 23/07), de suas atividades profissionais devido a problemas de saúde, relacionados ao seu quadro metabólico (descompensação do diabetes, aumento de peso, entre outros). Durante esse período, o vice-governador Francisco Dornelles estará à frente do Governo do Estado.
Ano passado, o governador também afastou-se do governo para tratamento de saúde, mas em função de um linfoma não-Hodgkin anaplásico de células T-Alk positivo, que manifestou em duas vértebras da coluna vertebral de Pezão.
Ele ficou fora por quase cinco meses.
Comentar
Compartilhe
Reunião discute hoje (re) criação da Ceasa e Nildo destaca: "Será a redenção da região"
14/07/2017 | 10h09
Secretários de Agricultura de municípios da região estarão reunidos, hoje, às 10h, na sede do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) em Campos. Será o segundo encontro do Conselho Regional de Secretários de Agricultura e Pesca da Região Norte Fluminense e terá a presença do superintendente do Mapa, Essiomar Gomes. O presidente do Conselho é o secretário de Agricultura de Campos, Nildo Cardoso, segundo o qual, constam da pauta o novo estatuto e atuação com objetivo de fortalecer o setor.
Mas o principal, ressalta, é a implantação da Ceasa em Campos.
"Vou levar um coordenador de licença do SIM (Serviço de Inspeção Municipal) para apresentar o projeto para implantar nos municípios do Norte do Estado, Só Campos presta este tipo de serviço. Mas o assunto principal será Ceasa, um projeto que está em andamento com apoio de três professores da Uenf. Esse processo será a redenção da nossa região", destaca o superintende.
O engenheiro do Ministério, Carlos Café, a cessão do prédio da Ceasa para abrigar o polo de entreposto hortifrutigranjeiro será discutida.
Comentar
Compartilhe
Novos aprovados do concurso de 2012 convocados por determinação da Justiça
13/07/2017 | 15h12
Em meio à grave crise econômica, que afeta, entre outros, programas sociais, Campos ainda vê crescer suas despesas com convocação de aprovados em concursos passados e que estão sendo nomeados por determinação judicial.
O Diário Oficial de hoje duas nomeações:
Comentar
Compartilhe
Apoio a Campos em manifesto
13/07/2017 | 11h55
Ponto Final
Ponto Final / Ilustração
Solidariedade
Antes polo e alavancador de desenvolvimento da região, Campos sofre hoje as consequências de ter sido o único a conseguir “vender o futuro”, com uma conta que chegou muito mais rápido do que se imaginava, levando ao prenúncio do caos. Em Brasília, onde estava ontem o prefeito Rafael Diniz, a solidariedade veio de municípios menores, em crise, mas longe da situação da planície goitacá. Macaé, São João da Barra, Quissamã e Casimiro de Abreu assinaram manifesto em apoio à cidade.
Câmara na briga
Quanto mais se aprofunda a análise de como foi feito o contrato dos Garotinho com a Caixa, mais ele se revela contraditório ao previsto na Resolução Modificativa 002/2015, do Senado Federal. Em reportagem na página 2 desta edição, é possível ter a dimensão de outras “irregularidades”, vistas pelo presidente da Câmara de Campos, vereador Marcão Gomes (Rede), como sendo resultado de contrato “simulado e fraudulento”. O Legislativo já reforça a briga do Executivo na Justiça com questionamentos técnicos, tendo em vista não só a resolução do Senado, mas também a lei municipal 8273/2015 aprovada na Câmara.
Na crise
A promessa do governador Luiz Fernando Pezão de equiparar a data de pagamento dos servidores das universidades vinculadas à secretaria de Ciência e Tecnologia com a secretaria de Educação parece que ainda se arrastará mais um tempo para ser cumprida. Ontem, o Tribunal Regional Federal suspendeu a decisão que obrigava Estado a pagar servidores da Uerj e da secretaria de Educação na mesma data. Se a Uerj, que chegou a entrar com uma ação na Justiça para garantir a promessa de Pezão, não conseguiu manter a decisão favorável da 10ª Vara Federal do Rio de Janeiro, tudo indica que a Uenf também continue à espera de um final feliz.
Justificativa
O desembargador Reis Friede, que concedeu a liminar, concordou com diversos argumentos da Procuradoria Geral do Estado. Em sua decisão, Friede chegou a destacar que “se o funcionalismo estadual está sendo pago em conjunto, nos termos do Decreto Estadual nº 45.593/2016, fixar uma data diferenciada unicamente para a Uerj implicaria ofensa à isonomia que se pretende garantir com o ajuizamento da Ação Civil Pública originária”.
Manifestação
Enquanto não há definições para a situação da Uenf, os servidores e alunos da universidade pretendem fazer mais uma manifestação hoje, com apoio dos servidores da Faetec. Esse será o terceiro protesto nas últimas semanas. O objetivo é não deixar a causa cair no esquecimento.
Recuperação
Mesmo diante dos impasses e incertezas em relação à regularização dos pagamentos dos servidores e equilíbrio das contas do Estado, o governo do Rio tem antecipado medidas para tentar agilizar acordo de recuperação financeira. Para isso, uma audiência pública foi marcada para o dia 25 para discutir a operação de crédito com instituições financeiras, que será autorizada assim que o Rio aderir ao Regime de Recuperação Fiscal dos Estados.
Recomendação
O Ministério Público do Estado, por meio da 1ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Macaé, expediu Recomendação ao município para que não realize o processo seletivo para contratação de 1.300 funcionários temporários, o que está previsto para acontecer nos dias 18 e 19 de julho. O MPRJ também pediu à Prefeitura que apresente, em no máximo 24 horas, justificativa para as contratações. De acordo com a Promotoria, existe decisão liminar, confirmada em segunda instância, que obriga Macaé a reservar vagas aos candidatos aprovados nos concursos realizados em 2011 e 2012.
Rodada de negócios
Empresários, produtores rurais da região, representantes de cooperativas e entidades do segmento rural, participaram na tarde de ontem (12), no auditório da Fundação Rural de Campos, de uma rodada de negócios voltada para setor hortifrutigranjeiro. O evento, promovido pelo Grupo Barcelos – da rede de supermercados Superbom - em parceria com a Fundação Rural de Campos, teve objetivo de promover novas parceiras e negociações com o Grupo. A procura superou as expectativas e, de acordo com os organizadores, o evento foi um verdadeiro sucesso.
Charge do dia 13/07
Charge do dia 13/07 / José Renato
Comentar
Compartilhe
Após Rosinha com perfume, Garotinho aposta em venda de remédio pela internet
12/07/2017 | 23h16
Tempos difíceis ... Após a ex-prefeita Rosinha ocupar seu tempo fora de cargos públicos com venda de perfumes (lembre aqui na (Na Curva do Rio), agora é o multifacetado Garotinho que está apostando nas vendas pela internet. Mas de um remédio cm composto de ervas para controlar a diabetes. Ao final do vídeo, que traz promoção para quem disser que acompanha Garotinho, o ex-governador afirma: "Esse, eu garanto".
A promoção está, também, no blog dele:
Comentar
Compartilhe
Em Brasília, Rafael fala sobre luta pelos royalties e contra "venda do futuro"
12/07/2017 | 17h55
O prefeito de Campos Rafael Diniz divulgou vídeo informando que está em Brasília, onde participou de reunião com outros prefeitos membros da Ompetro na luta pelos royalties.
Ele disse, também, que foi ao Superior Tribunal da Justiça na luta contra a venda do futuro.
Leia mais no Opiniões, de Aluysio Abreu Barbosa, e a cobertura completa na edição de amanhã da Folha da Manhã.
Comentar
Compartilhe
Ex-advogado de Garotinho fala sobre absolvição de cliente em processo com Lula
12/07/2017 | 17h47
Condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex no Guarujá, o ex-presidente Lula foi absolvido pelo juiz Sergio Moro das acusações de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo o armazenamento do acervo presidencial numa transportadora, que teria sido pago pela empresa OAS. A absolvição foi por "falta de prova suficiente da materialidade".
Neste processo, também foi absolvido o ex-presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, que tem como advogado de defesa o criminalista Fernando Fernandes, conhecido dos campistas por defender o ex-governador Garotinho no caso Chequinho.
Em maio, entre as audiências da Chequinho, Fernandes acompanhou o depoimento de Lula e seu cliente Paulo Okamotto, em Curitiba, ao juiz Moro, como foi mostrado aqui.
Sobre a absolvição, Fernandes comemorou, mas nem tanto, dizendo que a operação Lava Jato está "preenchida de irregularidades. Confira: “a absolvição do ex-presidente Lula e do ex-presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto quanto à acusação de lavagem de dinheiro pela manutenção do acervo presidencial demonstra que a Operação Lava Jato está preenchida por ilegalidades e acusações que não constituem crime. A expectativa é que, em razão do parecer da Procuradoria Geral da República perante o Superior Tribunal de Justiça (STJ) pelo trancamento da ação, o procurador Deltan Dallagnol não recorra da decisão preferida pelo juiz Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba”.
Comentar
Compartilhe
Prefeita de SFI anuncia fim da etapa de quimioterapia e início da radioterapia
12/07/2017 | 17h20
A prefeita de São Francisco de Itabapoana Francimara Barbosa Lemos comemorou em sua página no Facebook o fim dos ciclos de quimioterapia.
Francimara descobriu o câncer de mama logo após a eleição, ano passado. 
Ela dedicou a vitória sobre a doença ao pai, que faleceu semana passada.
Comentar
Compartilhe
O futuro enviou a conta. Lembra quem assinou a autorização?
12/07/2017 | 13h44
A "venda do futuro", realizada no governo da prefeita Rosinha Garotinho, já enviou a conta. E nem demorou os anos que se imaginava.
O que acontecerá agora ainda está difícil de saber.
Mas, para não cair em algum vão da história, é bom lembrar que a venda teve aval da Câmara de Campos, à época com maioria rosácea.
Em março último, a Folha da Manhã trouxe matéria, em que muitos vereadores que votaram a favor se disseram enganados, por acreditarem ter aprovado limite de 10%, o que, pelo que se viu depois, não corresponde à realidade.
Entre aqueles que votaram por lealdade ao chefe e os que foram induzidos ao erro, reverter esse imbróglio e o caos que se vislumbra no município passa, necessariamente, pelas mãos do Legislativo.
Comentar
Compartilhe
TRE nega recurso e Ferrugem continua com tornozeleira
11/07/2017 | 18h59
Vereador Thiago Ferrugem teve habeas corpus negado
Vereador Thiago Ferrugem teve habeas corpus negado / Antonio Leudo
A desembargadora do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) Cristina Serra Feijó negou mais um habeas corpus do vereador Thiago Ferrugem (PR), que pretendia revogar a sentença do juiz Ralph Manhães, da 100ª Zona Eleitoral de Campos, que determinou o uso de tornozeleira eletrônica.
Na decisão, a desembargadora lembra que “a imposição da medida cautelar já foi objeto de dois habeas corpus anteriores, e em ambos a ordem pleiteada foi denegada por esta Corte”. Cristina Feijó também considerou que “naquela ocasião, a necessidade de preservar a instrução criminal foi considerada como o motivo verdadeiramente decisivo para a manutenção das cautelares previstas no art. 319 do Código de Processo Penal, e o impetrante não aduziu nenhum fato novo a indicar, ao menos em uma primeira análise, que tal motivo não mais subsiste”.
Comentar
Compartilhe
CPI da Lava Jato pedirá ao MP cópia dos depoimentos dos delatores da Odebrecht
11/07/2017 | 15h15
O presidente da CPI da Lava Jato, vereador Genásio, informou que irá pedir ao Ministério Público Estadual (MPE), cópia dos depoimentos que os executivos da Odebrecht Benedicto Barbosa Júnior e Leandro Azevedo prestaram em Campos, no último dia 26 de junho.
A presença dos executivos, delatores na operação Lava Jato, no MP de Campos foi revelada em primeira mão aqui no blog e detalhada na edição de domingo da Folha da Manhã.
Segundo Genásio, é preciso saber tudo o que foi relatado pelos empresários, para entender e contribuir com as investigações: "Assim como, ao final da CPI, vamos encaminhar cópia ao Ministério Público. Tudo no tempo certo", afirmou.
A decisão de pedir os depoimentos foi tomada na reunião de hoje da CPI.
Comentar
Compartilhe
Secretário de Ciência e Tecnologia deixa governo Pezão
11/07/2017 | 11h33
O secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Social, Pedro Fernandes, deixou o governo. Em entrevista à rádio CBN, Fernandes se queixou da diferença do tratamento dado a servidores de sua pasta, como a Uerj e a Faetec em relação aos demais do estado. Os funcionários de áreas como Educação e Segurança recebem antes dos outros. Um servidor do Hospital Universitário Pedro Ernesto - que faz parte da Ciência e Tecnologia - recebe depois de um médico de outro hospital estadual subordinado à Secretaria de Saúde.
- Não posso admitir que outras sejam mais importantes que a nossa. Respeito a Segurança, a Educação, a Fazenda, mas tenho certeza de que nenhuma delas é mais importante que a Uerj, a Faetec ou qualquer entidade da nossa secretaria - disse Fernandes.
Fernandes, é deputado estadual pelo PMDB e disse que retornará à Assembleia assim que acabar o recesso parlamentar. Ele frisou que não brigou com o governo Pezão:
- Não estou saindo brigado com o governo. Estou saindo porque não concordo com algumas atitudes que o governador está tomando. Sou do PMDB. Já votei contra, já votei a favor e será essa minha posição - explicou.
Comentar
Compartilhe
Rafael sanciona Lei da Ficha Limpa
11/07/2017 | 11h22
O prefeito Rafael Diniz sancionou a chamada Lei da Ficha Limpa, de autoria do vereador Jorginho Virgílio (PRP). 
Pela Lei, condenados em segunda instância não poderão ser nomeados para cargos no Legislativo.
Jorginho já protocolou uma Indicação Legislativa para que a determinação passe a valer, também, para o Executivo.
Comentar
Compartilhe
Ponto Final: Inquérito do "Morar Feliz" (ainda) terá longa trajetória?
11/07/2017 | 10h53
Ponto Final
Ponto Final / Folha da Manhã
Quando?
Quase três mil páginas em seis volumes. Este é o Inquérito Civil Público que investiga contratos firmados para a construção do programa Morar Feliz, carro-chefe do governo Rosinha Garotinho. Depoimentos, levantamentos e, principalmente, provas, muitas que ainda serão entregues ao Ministério Público Estadual, como se comprometeram os executivos da Odebrecht e advogadas da Queiroz Galvão e da Carioca Engenharia. Com as investigações iniciadas em 2011, inquérito instaurado em 2015, fica a dúvida: Quando poderá ir para Justiça e ter uma decisão?
Briga por 2018 (I)
O PSDC de Campos jogou no ventiladorsua disputa interna por vagas para concorrer à Câmara Federal e Assembleia Legislativa em 2018. O vereador José Carlos Gonçalves é pré-candidato a deputado federal, assim como outros nomes devem surgir à Alerj. Acontece que João Peixoto também vai concorrer à reeleição, e fatiar esse bolo eleitoral já está causando indigestão antecipada.
Briga por 2018 (II)
É, mais uma vez, a disputa do já tradicional deputado e as novas lideranças que vêm surgindo. Em maio, quando as desavenças começaram a vir a público, João Peixoto disse que José Carlos teria vaga para disputar. Mas, em outro movimento, também convidou o colega da Alerj, Gil Vianna, líder do PSB na Assembleia, para ingressar no partido. Gil poderia disputar para estadual ou federal, enfraquecendo o grupo de José Carlos e do vereador Cláudio Andrade.
Pajelança regional
Em meio ao inferno astral dos últimos tempos — Chequinho, Odebrecht e JBS, além da derrota em Campos — o presidente regional do PR, Anthony Garotinho, reuniu as lideranças e militantes em uma sala na sede do partido, no Rio. Na pauta, também as eleições do próximo ano. Na pajelança regional, foi entoado o mantra do ser injustiçado e que está sendo perseguido por denúncias que fez contra os poderosos. Pela pouca empolgação que a plateia deixava transparecer, já passou da hora de mudar o discurso.
Movimento intenso
Além das agências da Caixa Econômica Federal, o movimento nas casas lotéricas foi intenso ontem por conta da última fase de saque do FGTS das contas inativas. No sábado, quatro agências abriram em Campos, mas o movimento foi fraco. Muita gente deixou para ontem, o que gerou grandes filas em várias lotéricas, principalmente na área central de Campos. Em tempo de crise, qualquer quantia no bolso do cidadão é algo a se comemorar.
Bancos recebem
Por falar em dinheiro e contas, os bancos começaram a receber, desde ontem, boletos em atraso de outras agências. Por enquanto, a novidade só estará disponível para os boletos de valor igual ou superior a R$ 50 mil. Porém, até dezembro é esperado que cobranças vencidas de todos os valores sejam aceitas em qualquer banco. A medida, além de ser um avanço na atualização dos sistemas bancários, traz comodidade para as pessoas.
Saúde vai debater metas
A secretaria municipal de Saúde vai realizar no dia 27 de julho uma oficina de planejamento para debater as metas do plano da saúde até o ano de 2021 e a programação anual de saúde para este ano, começando a traçar bases para 2018. Segundo o diretor de Programas Especiais, Alexandre Sereno, o evento vai acontecer das 8h às 17h, no Centro de Saúde e será dividido em duas reuniões com órgãos diferenciados.
Esgotado
Em menos de duas horas, os ingressos para o show de Liniker e os Caramellows haviam acabado. A atração faz parte do Festival X Tudo Sesi Cultural 2017. As entradas começaram a ser vendidas às 14h de ontem e por voltas das 15h30 já não havia mais ingresso disponível. O show acontece nesta sexta-feira e, nas redes sociais, algumas pessoas chegaram a pleitear um local mais amplo para a possibilidade da liberação de mais ingressos. Será que a organização do evento repensará em mais um dia de espetáculo?
Charge do dia
Charge do dia 11/07
Charge do dia 11/07 / José Renato
Comentar
Compartilhe
Edson Faes vai recorrer contra intervenção e afirma: "Há sim desentendimento no PSDC"
10/07/2017 | 20h50
Presidente destituído do PSDC de Campos, Edson Faes afirmou há pouco que vai recorrer da decisão da Regional do partido, que interviu no diretório local.
Segundo Faes, o presidente regional, e agora também da Comissão Provisória em Campos, João Peixoto "quer ser dono do partido":
"Há sim desentendimento e por culpa da regional. O deputado falta com a verdade. Ele não quer pluralismo no partido. Quer ser candidato à reeleição, mas nós vamos lançar outros nomes. O PSDC caminhou com Caio Vianna na eleição passada, mas agora, no governo Rafael, temos trabalhado junto ao governo. E foi através do trabalho do diretório, que o vereador José Carlos é vice-presidente do Legislativo e o vereador Cláudio Andrade presidente da CCJ"
Faes afirmou que entrará com recurso e tem certeza que sairá vitorioso: "Fomos eleitos em convenção. Não há respaldo jurídico para isso".
Ele também nega que tenha havido descumprimento do Estatuto: "Há uma dívida da legenda, de quando estava ainda com o antigo presidente, que está sendo paga", disse e acrescentou: "O deputado não ajuda o partido em nada. Para se ter uma ideia, não nos falamos desde janeiro".
Comentar
Compartilhe
Chequinho: Justiça indefere diligências pedidas pela defesa de Garotinho
10/07/2017 | 20h20
O juiz Ralph Manhães indeferiu pedidos de diligências feitos pela defesa do ex-governador Garotinho dentro da Ação Penal em que ele é réu no caso Chequinho.
De acordo com a decisão, os pedidos tinham caráter irrelevantes e procrastinatórios.
Ele estipulou cinco dias para alegações finais do Ministério Público e o prazo em dobro para a mesma finalidade, mas da defesa.
Confira as diligências pedidas:
"Os pedidos de diligência formulados pela defesa nas petições mencionadas alhures são meramente procrastinatórios e irrelevantes ao deslinde desta controvérsia e assim vejamos:
A) O pedido de expedição de ofício à Prefeitura deste Município para que informe os dados do servidor Eduardo Coelho Carneiro quanto à sua remuneração nada diz respeito ao caso em debate, pois em nada influenciará ao julgamento desta Ação, lembrando-se que aquela testemunha já foi ouvida, estando preclusa qualquer contradita.
B) O pedido de expedição de ofício à Secretaria Municipal de Assistência Social também é meramente procrastinatório e os seus dados já constam destes autos, até porque a narrativa do réu em seu interrogatório esclareceu aquele quantitativo.
C) O pedido constante do item III, de fls. 2600, também é totalmente irrelevante e impertinente, além de procrastinatório, haja vista que, tendo sido o réu e sua esposa gestores municipais àquela época, tais dados são de fácil acesso aos mesmos, além do que as informações ali solicitadas podem ser obtidas no Portal da Transparência.
D) Da mesma forma como o requerimento do item I, de fl. 2600, não deve ser acolhido, também o pedido formulado no item IV, daquela mesma folha não deve ser, eis que se trata da mesma hipótese, diferenciando-se, tão somente, em relação ao servidor cujas informações são requeridas, pelo que considero procrastinatório e irrelevante.
E) A diligência requerida nesta data, no item I, de fls. 2607, também não merece guarida, haja vista que todos os depoimentos prestados neste juízo foram devidamente transcritos, tendo sido utilizado em algumas audiências o método áudio-visual apenas para dar celeridade àquelas audiências, mas a sua documentação se deu através de degravação, tal como consta dos autos".
Comentar
Compartilhe
Cláudio Andrade: Estranheza diante destituição do diretório de Campos
10/07/2017 | 18h19
O vereador Cláudio Andrade divulgou nota, há pouco, em que externa sua "estranheza" diante da destituição do até então presidente do diretório local do PSDC.
Cláudio ressalta que o partido possui dois vereadores em posições estratégicas, o que "seria fruto também do valoroso trabalho do diretório municipal".
"Na atual conjuntura o PSDC de Campos possui o vice-presidente da Câmara e relator da CPI da Odebrecht, vereador José Carlos e Cláudio Andrade, Presidente da CCJ e relator da ‘CPI das Rosas’. Essas conquistas, por si só, já deixam incrédulos aqueles que entendem um pouco de política partidária", diz o vereador.
Ele ressalta que o diretório de Campos era o único constituído e cita outros que estão acéfalos - o próprio João Peixoto já havia informado alguns, como é possível conferir na postagem anterior sobre o assunto.
Confira a nota:
"Venho externar a minha posição sobre a destituição do Presidente municipal do PSDC, Edson Faes e de toda a diretoria da sigla, dando lugar a uma comissão provisória que possui como Presidente local, o mesmo que preside a regional, o deputado João Peixoto.
Estranheza maior ainda é que o PSDC de Campos dos Goytacazes possui dois vereadores em posições estratégicas, fruto também do valoroso trabalho do diretório municipal. Membros esses destituídos, mesmo faltando ainda dois anos de mandato.
Na atual conjuntura o PSDC de Campos possui o vice-presidente da Câmara e relator da CPI da Odebrecht, vereador José Carlos e Cláudio Andrade, Presidente da CCJ e relator da ‘CPI das Rosas’. Essas conquistas, por si só, já deixam incrédulos aqueles que entendem um pouco de política partidária.
Outro ponto que "salta aos olhos" é o fato de que, segundo o site do TSE o único município que possui diretório é o de Campos dos Goytacazes. Logo, porque essa destituição, a fórceps contra o diretório do PSDC de Campos se existem outros diretórios dentro do Estado do Rio de Janeiro completamente acéfalos como o de Angra dos Reis, Aperibé, Carapebus, São João da Barra e pasmem, até o da capital do estado?
Vale ressaltar que o presidente do PSDC estadual, João Peixoto, é pré-candidato a reeleição e dentro da sigla há outras pré-candidaturas como a do vereador José Carlos à Câmara Federal e de outros membros que pretendem, inclusive, disputar uma vaga na ALERJ.
Outro ponto que não pode deixar de ser dito é que os dois vereadores do partido estão sendo relatores de CPIs importantes e a tentativa de ingerência no diretório local, não impede, mas perturba o ambiente interno das CPIs e pode abrir especulações sérias até no interesse do prosseguimento ou não das investigações das CPIs.
Devemos informar que a atual direção do PSDC foi escolhida e homologada mediante convenção, ato mais importante que um partido possui.
Ao contrário do que foi noticiado em site de notícias da cidade o meu ingresso no PSDC foi trabalhado pelo até então secretário do partido Alberto Eduardo Coutinho e não pelo deputado João Peixoto.
Além disso, outra informação equivocada publicada, é a data da minha escolha como líder do partido na Câmara. Ela não aconteceu no dia 06 de julho de 2017 e sim, no dia 01 de Janeiro do corrente ano".
Comentar
Compartilhe
João Peixoto: "Não existe desentendimento no PSDC. Mas falta entendimento"
10/07/2017 | 16h42
O deputado estadual João Peixoto, presidente regional do PSDC, comentou há pouco a intervenção no partido em Campos, do qual tornou-se presidente da comissão provisória pelo prazo de seis meses.
De acordo com Peixoto, não há desentendimento, mas falta entendimento entre as principais lideranças, mas que tudo pode ser resolvido com diálogo.
"A intervenção foi por descumprimento do estatuto. Eu mesmo, como presidente regional, descumpri alguns itens e a Nacional interviu. Mas eu cumpri as exigências e fui reconduzido ao cargo. A mesma coisa em Campos: Houve descumprimento, mas o presidente local não nos procurou para tentar acertar. Existem outros diretórios com o mesmo problema, como Cabo Frio, Duque de Caxias, Nova Friburgo".
Peixoto disse, ainda, que continua valendo a determinação que levou o vereador Cláudio Andrade à liderança do partido na Câmara: "Continua sendo líder da bancada, se quiser ser candidato no próximo ano a estadual ou federal, sem problemas. Terá a vaga", afirmou.
Comentar
Compartilhe
Novo presidente da Fundação CDL toma posse hoje
10/07/2017 | 13h34
O empresário Marcelo Arêas toma posse hoje, às 19h, na presidência da Fundação CDL.
Na presidência da CDL continua o empresário Joilson Barcelos.
Confira mais aqui.
(Atualização para acerto no título e informações)
Comentar
Compartilhe
João Peixoto destitui diretório, assume PSDC local e "rebelião" inicia no partido
10/07/2017 | 13h15
/
Que relação não andava das melhores entre o PSDC de Campos e seu presidente regional, João Peixoto, já era público e notório.
Em maio, o então líder da bancada, vereador José Carlos, desabafou na tribuna da Câmara e anunciou rompimento com o Governo do Estado, do qual Peixoto é aliado.
Na ocasião, João Peixoto minimizou o fato e disse que Zé Carlos queria disputar uma vaga a Alerj e que a teria - junto com ele.
Já no último dia 6, a página do partido no Facebook anunciou um novo líder da legenda na Câmara - Cláudio Andrade, vereador em primeiro mandato levado ao partido por João Peixoto. A certidão mantinha o atual presidente Edson Faes até abril de 2019.
Confira abaixo:
/
Porém, o feito parece não ter agradado ao presidente regional, que no mesmo dia 6 registrou junto ao TRE a nova composição provisória, tendo ele como presidente.
Cláudio Andrade, por sua vez, não aceitou e postou que iria se reunir com o jurídico para analisar a situação: "Caso cheguemos à conclusão de que a possível ‘comissão provisória’ não está obedecendo aos parâmetros norteadores necessários, a questão precisará ser judicializada". Confira abaixo:
Atualização nas informações às 14h04
/
Comentar
Compartilhe
Chequinho: Recursos e pedidos de diplomação hoje na pauta do TRE
10/07/2017 | 11h21
O caso Chequinho quase domina a pauta de hoje do Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Serão julgados Mandado de Segurança que pede a diplomação de Jorge Rangel (PTB) e Kellinho (PR), além de recursos pedindo efeito suspensivo às decisões de primeira instância.
Dos seis não diplomados em dezembro, apenas Rangel e Kellinho continuam fora da Câmara. Os outros quatro voltaram através de decisão liminar no TRE, após o TSE deferir Habeas corpus favorável a eles.
Comentar
Compartilhe
Delatores da Odebrecht e o depoimento em Campos
09/07/2017 | 11h17
Vinte e seis de junho de 2017. Neste dia, entraram na sede do Ministério Público Estadual (MPE), em Campos, dois protagonistas da chamada “Delação do fim do mundo” - maior acordo de colaboração de uma empresa com a Justiça até o da JBS, ocorrido em maio último. Ex-diretores da Odebrecht Infraestrutura, Benedicto Barbosa da Silva Júnior e Leandro Andrade Azevedo estiveram na 1 Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva, onde confirmaram o que consta em depoimentos já prestados ao Ministério Público Federal (MPF): Pagamento, parte através de caixa 2, para a campanha de Rosinha Garotinho (PR), em 2008 e 2010, e para Anthony Garotinho em 2014. No total, o “investimento” foi de R$ 20 milhões. Em troca, facilidade no acesso a quem tinha “ingerência no governo municipal a tão ponto de mandar realizar eventuais pagamentos de obras em atraso. A Odebrecht foi a responsável pela construção do conjunto habitacional Morar Feliz, cujo contrato, assinado pela então prefeita e por Benedicto, em cerimônia onde Leandro representou a empresa, foi o maior já firmado pelo Município: Quase R$ 1 bilhão já com aditivos. O edital só possibilitava chance a uma grande empresa que, por “vergonha”, chamou outras duas para participar. Por sua vez, caso fosse a Odebrecht a atrasar valores acordados, era preciso reunir-se com “Bolinho”, “Bolinha” ou “Pescador”, codinome do marido da prefeita, segundo os delatores, para explicar a demora no pagamento.
Os dois executivos estiveram em Campos para depôr no Inquérito 121/2015, cujas investigações tiveram início em 2011, e já tem quase três mil páginas. Ex-superintendente da empresa no Rio, Leandro Azevedo conta que, em 2008, o então presidente da Odebrecht Benedicto Barbosa da Silva Júnior, o BJ, que comandava o Setor de Operações Estruturadas da empresa, o chamado “departamento da propina”, o informou de que havia tido reunião com Garotinho, onde este havia pedido contribuição eleitoral para a candidatura de Rosinha à prefeita de Campos. Benedicto teria acordado em torno de R$ 5 milhões “e que esse valor seria pago através de Caixa 2, dinheiro não contabilizado, através da área de operações estruturadas da Odebrecht, por ser um valor muito expressivo para uma eleição a Prefeito”.
Ainda segundo Leandro Azevedo, ele foi apresentado, em 26 de maio de 2008, a Garotinho, no escritório da “Palavra de Paz”, na Glória, Rio de Janeiro. Lá, foi questionado sobre o que fazia na empresa e conheceu o Programa de Governo de Rosinha. A reunião teria sido marcada com uma secretária de Garotinho, Lourdes, segundo Leandro, hoje já falecida. Na ocasião, Benedicto disse que Leandro era executivo de sua confiança e que seria ele a operacionar valores. Garotinho teria dito qual a intenção na área de saúde, social e de infraestrutura, dizendo que o carro-chefe da campanha de Rosinha era construção de casas populares.
Leandro conta que prometeu e voltou com planejamento de pagamento - via caixa 2, em dinheiro e entregue no escritório do “Palavra de Paz”. Relata, ainda, que os R$ 5 milhões foram entregues em programações semanais, no período que antecedeu as eleições de 2008 - segundo os dados do sistema da Odebrecht, entre maio e setembro. De acordo com ele, Garotinho fazia observações sobre o planejamento: “esse valor aqui de R$ 225 mil dá para ser na semana anterior?”. E ainda teria dado nome de duas pessoas que receberiam o dinheiro, um deles chamado “Sérgio”. A partir daí, passou a enviar emails semanais a Maria Lúcia Tavares fazendo programação do que seria desembolsado. Em outra vez,
O codinome "Bolinha”, segundo Leandro Azevedo, já existia no sistema, porque "em outras campanhas, provavelmente, o Benedicto já deve ter feito isso”. O dinheiro, entregue via doleiros, não foi sacado de nenhuma conta da empresa.
A operação se repetiu em 2012, quando Benedicto disse que recebeu a informação de Garotinho sobre a reeleição de Rosinha. Mais R$ 5 milhões em doações foram tratados, A diferença? Local de entrega: E também reuniões que tinham que ser marcadas com Garotinho para explicar que a empresa não tinha o valor naquela semana. Segundo conta, chegou a ser chamado com urgência por Garotinho, em 2012, porque o doleiro não teria entregue o dinheiro. Na data em que acredita ser 13 de agosto, foi pago um “acumulado”, de R$ 1,5 em um único dia.
Era o ônus do trabalho, segundo o executivo. O bônus? Era recebido por Garotinho sem entraves e podia telefonar para falar sobre outro tipo de atraso: de pagamento das obras: “mesmo quando ele não ocupava cargo na administração municipal, eis que ele tinha ingerência sobre a administração municipal, a ponto de determinar pagamento de faturas em atraso”. E que presenciou Garotinho telefonando para o secretário de Fazenda com esta finalidade.
Leandro disse, ainda, que para a campanha para deputado federal em 2010 não participou, por estar fora do Rio. Mas para o Governo do Estado, em 2014, Garotinho com chances de vencer e governo Cabral em crise, o valor combinado foi de R$ 10 milhões, também a serem entregues no “Palavra de Paz”, mas já em outro andar, a uma pessoa chamada Gabriela.
O empresário se comprometeu a enviar ao MP de Campos comprovantes do que disse.
Casamento acabou junto com dinheiro
Rosinha foi eleita em 2008. E, como relatou Leandro Azevedo, "um dos primeiros editais de licitação que ela colocou foi das casas populares". Antes disso, Leandro já havia colocado seu subordinado, Fernando Orsi, para ficar atento a licitações de Campos.
O edital era único para a construção de 5.100 casas, no valor aproximado de R$ 357 milhões. Segundo o executivo, isso chamava a atenção: Na sua visão, poucas empresas grandes se interessariam, porque casas populares não têm qualificação técnica muito grande e rentabilidade baixa em relação a outras obras.
Porém, para a Odebrecht havia interesse por ter uma empresa específica - a Novo Bairro - para este fim. Orsi e Leandro deliberaram para apresentar uma proposta.
Leandro e sua equipe pediram cobertura a Queiroz Galvão e Carioca Engenharia, que teriam aceitado a proposta de apresentar orçamentos maiores. Segundo ele, a troca de favores entre empresas é “normal”, quando algum executivo ficava com “vergonha” de “dar vazio”: Uma única empresa apresentar proposta. Após a reeleição de Rosinha, quando ele não estava no Rio, a vergonha foi perdida na apresentação da segunda fase do Morar Feliz.
Como em muitos casamentos, “acabou o dinheiro, acabou o amor”, a relação não terminou bem. Os executivos alegam que a Prefeitura tem uma dívida com eles de R$ 36 milhões com a empresa. Já, anteriormente, os Garotinho negaram qualquer irregularidade.
Pagamento por caixa 2 e doleiros
Com 30 anos de carreira na Odebrecht, Benedicto Barbosa da Silva Júnior chegou a ser o terceiro na hierarquia da empresa. Junto com Leandro e Angelo Eneas de Sá Freire Areal, engenheiro civil da Odebrecht, esteve em Campos em 26 de junho para depor no Inquérito que apura supostas irregularidades na construção do Morar Feliz. Os executivos estavam acompanhados por três advogadas.
Benedicto também confirmou o que já havia dito em delação premiada. Disse que conhecia Garotinho desde que este era governador. Que foi procurado por ele em 2008, com o pedido para que a empresa doasse algum valor para a campanha da esposa, que seria candidata a prefeita. Confirmou também os R$ 5 milhões através do setor de Operações Estruturadas. Além de 2008, 2012 e 2014, também teria havido pagamento em 2010. Falou, ainda, de pagamentos através do PR nacional e de empresas.
Entre as contrapartidas estavam o bom relacionamento e livre acesso ao político que a empresa acreditou que seria governador. O executivo também se comprometeu a enviar comprovantes ao MP.
Resultado de licitação antecipado
Como é possível acompanhar, no infográfico ao lado, em 29 de maio de 2009, o Ponto Final, da Folha da Manhã, trouxe nota apontando que, segundo fontes, a CBPO, incorporada ao Grupo Odebrecht, seria a vencedora da concorrência pública nº 004/2009, que ocorreria na manhã daquele dia, destinada a construção de 5.100 casas populares.
Os envelopes, porém, não foram abertos naquele dia. Eles permaneceram lacrados por decisão da Procuradoria do município, após o Tribunal de Contas do Estado (TCE) ter pedido explicações sobre o assunto. Em 23 de setembro do mesmo ano, foi divulgado no Diário Oficial do Município o resultado da concorrência pública, confirmando o que o Ponto Final havia adiantado meses antes: a CBPO foi a vencedora da licitação.
Comentar
Compartilhe
Caixa 2, doleiros, licitações: Em Campos, o que disseram ao MP executivos da Odebrecht
08/07/2017 | 19h01
Executivos da Odebrecht, e protagonistas da chamada "Delação do fim do mundo", Benedicto Barbosa Júnior e Leandro Azevedo estiveram em Campos no último dia 26 de junho. A informação foi obtida com exclusividade pelo blog.
Os dois prestaram depoimentos no Ministério Público Estadual, dentro do Inquérito Civil Público 121/2015, cujas investigações começaram em 2011 e já tem quase três mil páginas. O Inquérito investiga contrato para construção das casas do Morar Feliz.
O que disseram os executivos sobre as relações com o governo Rosinha e com o ex-governador Garotinho, caixa 2 e doleiros... Todos os detalhes, você poderá conferir na edição de amanhã, da Folha da Manhã.
Comentar
Compartilhe
Três meses após teto cair, escola ainda precisa de socorro
08/07/2017 | 18h21
Três meses após o teto de uma das salas desabar, a Escola Municipal Jacques Richer ainda não tem uma solução.
Em abril, pouco antes de completar um ano depois de ser inaugurada, o teto de gesso da sala do 5 ano desabou durante uma aula. Por sorte, nem a professora nem os alunos ficaram feridos.
A escola foi inaugurada durante a gestão Rosinha, após quase três anos de obras.
Acontece que...
Três meses depois do ocorrido, ainda não há uma solução,que nem depende de recursos financeiros, já que a está (ou deveria) em prazo de garantia. 
A reclamação foi postada em rede social pela professora Luciana Marques.
Comentar
Compartilhe
PR quer passar por cima do PR por vaga de Magal
07/07/2017 | 13h40
Se não bastassem todos os seus problemas externos – só para citar os locais: além dos 10 vereadores do partido ou aliados condenados na Chequinho, dois que ainda nem foram diplomados, a ex-prefeita Rosinha e do ex-vice Chicão também condenados, o presidente regional, Garotinho, réu em Ação Penal, mesma condição dos vereadores e outros ex-integrantes do staff rosáceo – entre tornozeleiras e medidas cautelares, o PR quer arrumar mais complicação até mesmo dentro da própria legenda.
Esta semana, o presidente municipal do partido, Kellinho – um dos dois vereadores eleitos e não diplomados – enviou ofício à Câmara Municipal, pleiteando a vaga de Jorge Magal (PSD), condenado em segunda instância e que, por isso, foi afastado das funções públicas.
A vaga é de Thiago Godoy (PR), que havia pedido prorrogação do prazo para assumir ou não a vaga ao presidente do Legislativo, Marcão Gomes (Rede). Godoy, segundo afirmou anteriormente, não assumiu ainda para não precisar afastar-se das suas funções profissionais. Só para lembrar, ele é um dos advogados na defesa de réus na Chequinho.
Como Godoy ainda não assumiu, Kellinho pediu a vaga para Roberta Moura (PR), suplente e que já chegou a ficar uns dias na Câmara no lugar de Magal, mas quando ele foi afastado pela primeira vez, junto com um grupo de vereadores, em abril (Tente entender aqui ). O argumento do PR local é para não deixar a bancada do PR “permaneça mutilada”
O vereador Marcão confirmou a informação obtida pelo blog, dizendo que os dois pedidos estão sob análise da Procuradoria do Legislativo – de Godoy, querendo a prorrogação do prazo para assumir, e Kellinho querendo a ocupação imediata da vaga de Magal por Roberta, caso Godoy insista em não assumir.
É o PR sendo o PR... Mas, fica a dúvida: De quem pode ter surgido a ideia engenhosa jogada política?
(Espaço aberto às partes se manifestarem)
Atualização:
Em contato com o blog, o advogado Thiago Godoy afirmou: "Minha atitude está gerando economia de dinheiro público, nos meus cálculos, de quase 80 mil reais até esse momento e os trabalhos na Câmara de Vereadores não sofrem nenhum prejuízo. Pedir prorrogação para tomar posse é direito meu e isso não diz respeito a mais ninguém, quem torce pelo afastamento de mais um vereador deve pacientemente aguardar a sua vez".
Comentar
Compartilhe
Chequinho: TRE nega retirada da tornozeleira de Ferrugem
06/07/2017 | 19h49
O vereador Thiago Ferrugem teve negado pedido para retirada da tornozeleira eletrônica.
Ele queria efeito extensivo da decisão que beneficiou Linda Mara Silva, na última segunda-feira. 
Porém, o pedido foi negado pela desembargadora Cristina Feijó:
"Isso porque o ora paciente não é réu na Ação Penal nº 45-02.2016.6.19.0100, em que Linda Mara figura no polo passivo, e sim na Ação Penal nº 6-68.2017.6.19.0100. E diferentemente do que ocorreu no Habeas Corpus 177-34, no presente writ não foi comprovada a situação atual da instrução criminal. Assim, não se pode saber se o principal fundamento da decisão liminar proferida naquele habeas corpus - o fato de já se ter transcorrido quase toda a instrução criminal, em especial a oitiva das testemunhas da acusação - também se aplica ao paciente do presente remédio heróico", afirmou na decisão. 
Comentar
Compartilhe
Cenas na Alerj pós Picciani: Grades retiradas
06/07/2017 | 18h46
Com o presidente Jorge Picciani, em licença médica e os ajustes já votados, as grades que circundavam a Alerj começaram a ser retirados hoje.
Comentar
Compartilhe
Expoagro será aberta hoje às 20h
06/07/2017 | 12h12
A 58 Exposição Agropecuária e Industrial do Norte Fluminense (Expoagro) será aberta oficialmente hoje, às 20h.
A programação deste ano está bastante variada. Confira abaixo:
Dia 07/07
sexta
8h – Abertura dos portões com ingressos a R$ 5 reais até as 14 h
9h – Prova de Conformação da raça mangalarga machador
16h – Prova de Laço Campista (Categorias - Master feminino e Jovem incentivo)
18h – Palestra UENF: Cuidados com os potros
Palestrante: Gabriela Bravin Lemos - Médica Veterinária residente em clínica e cirurgia de grandes animais – UENF
18:30 – Palestra UENF: Criação de bezerras leiteiras
Palestrante: Vinicius Maretto - Médico Veterinário resistente em obstetrícia veterinária – UENF
19h - 2ª Prova de Laço em Dupla FRC – R$ 40.000 em premiação com mais de 1.000 inscritos, tendo participantes de todo Brasil.
21h – Show regional com Matheus Barão / participação Léo Manhães
23h – Show com a dupla Jads e Jadson
Dia 08/07
sábado
8h – Abertura dos portões com ingressos a R$ 5 reais até as 12 h
8h – Workshop de demonstração de provas de rédeas com Gabriel Demutti, profissional de grande destaque na modalidade.
8h - 2ª Prova de Laço em Dupla FRC – Team Roping - R$ 40.000 em premiação com mais de 1.000 inscritos, tendo participantes de todo Brasil.
18h – Palestras UENF: Porque o cavalo tem cólica e Odontologia equina
Palestrante: Gabriel Carvalho dos Santos - Mestrando em ciência animal na universidade Estadual do Norte Fluminense – UENF
21h – Prova de Laço Campista (Categoria Aberta)
21h – Show regional com Junior Rizzo
23h – Show com Jammil
Dia 09/07
domingo
8h – Abertura dos portões com ingressos a R$ 5 reais até as 12 h
9h – Prova de Conformação das raças quarto de milha e paint horse
10h – Prova de Laço Campista (reinicio da categoria aberta)
11h – Provas sociais da raça margalarga marchador (coronéis, amazonas e mirins)
13h – Prova de Tambor e Baliza (aberto a todas as raças)
18h – Palestra UENF: Novas tecnologias para ao auxílio performance do cavalo atleta
Palestrante: Ítalo dos Santos Coutinho - Médico Veterinária residente em clínica e cirurgia de grandes animais –UENF
18:30 - Palestra UENF: Protocolo de vacinação em equinos
Palestrante: Veronica Vieira - Médica Veterinária residente em clínica e cirurgia de grandes animais – UENF
19 h – Show regional com Lohan Luz
21h – Show com Luan Santana
Dia 10/07
segunda
8h – Abertura dos portões com ingressos a R$ 5 reais até as 14 h
18h – Palestra UENF: Importância da vermifugação em equinos
Palestrante: Veronica Vieira - Médica Veterinária residente em clínica e cirurgia de grandes animais – UENF
18:30 – Palestra UENF: Afeções dos cascos dos bovinos
Palestrante: Bárbara Ribeiro Duarte - Mestranda em ciência animal na universidade Estadual do Norte Fluminense – UENF
Dia 11/07
terça
8h – Abertura dos portões com ingressos a R$ 5 reais até as 14 h
18h – Palestras UENF:
1- “Implementação da escrituração zootécnica e registros de produção e reprodução em propriedades de criação de ovinos na Região Norte Fluminense”.
2-Difusão da Unidade Demonstrativa de Ovinocultura Sustentável da UENF.
3-Mensuração e pesagens dos ovinos apresentados durante a Exposição
Palestrante: Profa. Celia Raquel Quirino- LRMGA/CCTA/UENF
22h – Show com Padre Omar
Dia 12/07
quarta
8h – Abertura dos portões com ingressos a R$ 5 reais até as 14 h
9h – Mostra de gado leiteiro
15h- Rodada de negócios do setor de hortifrutigranjeiro no Auditório da FRC (Superbom, GR Agrária, NTW Contabilidade e Entidades de Créditos)
18h – Palestra UENF: Monitoramento e controle da mastite bovina em propriedades rurais.
Palestrantes: Prof. Marcio Manhães Folly e Nayrana Manhães Chagas
22h – Concurso Garota Cowboa e Show com Lully (Virginia de Mauro) – Beto Carrero
Dia 13/07
quinta
8h – Abertura dos portões com ingressos a R$ 5 reais até as 14
9h – Mostra de gado leiteiro
19h - Leilão de Gado Leiteiro
19h – Palestra: Novas tecnologias para uma pecuária produtiva – gado a pasto e confinamento
21h – Show regional com o Grupo Promessa do Samba
23 h – Show com Sorriso Maroto
Dia 14/07
sexta
8h – Abertura dos portões com ingressos a R$ 5 reais até as 14 h
9h – Prova de Conformação da raça Nelore
18h – Palestra UENF: Produção de Leite a Pasto e Desmistificação da Carne Suína
Palestrantes: Prof. Alberto Magno Fernandes e Profa. Rita da Trindade Ribeiro Nobre Soares
19h – Leilão da Raça Brahman
21h – Show regional com Larice Barreto
23 h – Show com João Gabriel
01 h – Junior e Gustavo
Dia 15/07
sábado
8h – Abertura dos portões com ingressos a R$ 5 reais até as 12 h
9h – Início do grande feirão de equinos
13h – Prova de Ranch Sorting
18h – Palestra UENF: Cultivo de Peixes no Norte Fluminense: Aspectos técnicos e mercadológicos
Palestrante: Prof. Manuel Vazquez Vidal Júnior e equipe
19h – Leilão de bezerros para recria
22h – Show regional com Grupo Vem Pra Sambar / participação Serginho Pagodinho
0h – Show com Diogo Nogueira
Dia 16/07
domingo
8h – Abertura dos portões com ingressos a R$ 5 reais até as 12 h
9 h – Prova de Team Penning
10 h – Provas de Work Penning
18 h – Palestra UENF: Doença do carrapato nos equinos - babesiose
Palestrante: Bárbara Ribeiro Duarte - Mestranda em ciência animal na universidade Estadual do Norte Fluminense – UENF
18:30 – Palestra UENF: Vícios de baia dos equinos
Palestrante: Francielli Pereira Gobbi - Mestranda em ciências veterinárias na universidade federal do Espírito Santo - UFES
19h – Show com a Turma do Sítio do Pica Pau Amarelo
Comentar
Compartilhe
Bruno Dauaire quer mais policiais de volta à região
06/07/2017 | 11h07
Os 40 policiais militares do 8º BPM que tinham sido transferidos no início de maio para a Região Metropolitana do Rio estão de volta e vão passar a reforçar o policiamento no Centro de Campos, que tem registrado, nos últimos dias, um aumento no número de ocorrências. O deputado estadual Bruno Dauaire (PR), que vinha denunciando a transferência e chegou a se reunir com a cúpula da segurança pública no Rio para pedir o retorno dos PMs, ressaltou a importância da decisão do comando, mas destacou que ainda há policiais atuando fora do interior e que vai continuar lutando pelo retorno aos batalhões de origem.
São pouco mais de mil policiais nos municípios de Campos, São João da Barra, São Francisco de Itabapoana e São Fidélis. O número é insuficiente para a região, afirma Bruno, que é vice-presidente da Comissão de Segurança Pública da Alerj. "De nada adianta uma política de segurança que não pense o Estado do Rio como um todo. A violência é crescente no Norte Fluminense e em muitas regiões fora da capital e da Região Metropolitana. Não é possível que se continue insistindo em tirar policiais do interior", critica o deputado.
Comentar
Compartilhe
Mais uma aprovada do concurso 2012 nomeada por decisão judicial
06/07/2017 | 10h32
Mais uma aprovada em concurso, desta vez de 2012, obteve a nomeação e posse através de ação na Justiça.
A decisão está no Diário Oficial de hoje. Na edição de ontem houve mais duas convocações, como é possível conferir na Folha da Manhã.
Comentar
Compartilhe
Hoje na Curva: O contrário do amor
05/07/2017 | 21h45
Comentar
Compartilhe
Presidente do PT do B pede que MP investigue denúncia de Thiago Virgílio
05/07/2017 | 16h45
Presidente do PT do B de Campos, Nilo Gomes protocolou hoje, no Ministério Público Estadual, pedido de investigação a respeito da fala do vereador Thiago Virgílio (PTC), na última sessão da Câmara de Campos, antes do recesso.
Nela, Virgílio, que é réu na Chequinho, afirmou que naquela Casa de Leis não há inocentes e que "existem vereadores que gastaram R$ 1 milhão" no dia da eleição.
A afirmação, inclusive, gerou um bate boca entre Thiago Virgílio e Genásio, recentemente, no Facebook (lembre Na Curva do Rio)
"Não é possível que um vereador, representante do povo, faça acusações tão graves e fique por isso mesmo. Por isso, pedimos ao Ministério Público que apure as denúncias. O vereador tem que explicar e apresentar provas, se as tiver, como disse que tem", diz Nilo. 
Comentar
Compartilhe
Garotinho troca de advogados para "atacar"?
04/07/2017 | 21h35
Do blog de Lauro Jardim, jornal O Globo:
Comentar
Compartilhe
Juiz nomeia advogado dativo até regularização do substituto de Fernando Fernandes
04/07/2017 | 20h30
As ações penais do caso Chequinho tiveram advogado dativo nomeado pelo juiz Ralph Manhães até que seja regularizada a situação do novo advogado do caso, que substituirá Fernando Fernandes na defesa.
Fernandes foi demitido sábado e, segunda-feira, foi anunciada a contratação do criminalista Rafael Faria.
A possibilidade da nomeação de um dativo foi levantada aqui Na curvaem primeira mão, no último domingo:
Comentar
Compartilhe
Juiz ressalta que há outros advogados atuando e mantém prazos da AP de Garotinho
04/07/2017 | 19h31
A substituição do advogado Fernando Fernandes não interromperá os prazos da Ação Penal que tem o ex-governador Anthony Garotinho como réu.
Decisão do juiz Ralph Manhães, publicada agora há pouco, nega interrupção dos prazos da AP em função da substituição do advogado Fernando Fernandes, que liderava a equipe de defesa.
O magistrado lembra que há outros patronos do réu, como os advogados Carlos Eduardo Ferraz e Thiago Godoy, que não fazem parte do escritório de Fernandes e que, inclusive, já atuam no caso.
Comentar
Compartilhe
PR realiza primeira reunião preparatória para 2018
04/07/2017 | 12h44
Como nem tudo é Chequinho e denúncias no PR de Anthony Garotinho, o partido já começa a se reunir para debater as eleições do próximo ano.
O presidente regional está convocando prefeitos,vereadores,deputados federais e estaduais,membros dos diretórios municipais ou provisórias e representantes de movimentos para a primeira assembleia geral do PARTIDO DA REPÚBLICA -PR-do ano de 2017 a acontecer na próxima segunda feira dia 10 na sede do partido Avenida Rio Branco 177 19 andar,Rio de Janeiro.
Na pauta,
1-Posicionamento do partido no estado sobre a crise nacional.
2-Organização de chapas de deputados estaduais e federais.
3-Eleição para o senado e Governo do Estado.
4-Reorganização dos diretórios municipais.
5-Assuntos gerais
Comentar
Compartilhe
Após cinco dias internado, vereador Jorginho Virgílio recebe alta
04/07/2017 | 11h51
Após cinco dias internado, o vereador Jorginho Virgílio (PRP) finalmente recebeu alta nesta terça-feira (4). Ele sentiu-se mal na madrugada da última quinta-feira quando ficou sem parte do movimento do braço direito e desde então foi iniciada uma série de exames, como tomografia e uma ressonância magnética, que apontou uma severa inflação no ombro. Segundo o médico que liberou o vereador, o dano temporário foi provocado por esforço repetitivo e postura errada. A orientação médica é o tratamento em casa com antibióticos e fazer fisioterapia, além de evitar movimentos que possam agravar novamente o quadro.
"Foram dias de angústia até o diagnóstico, mas também de muito apoio da minha família, vários amigos, inclusive dos vereadores. Agradeço as orações e carinho de todos. Agora é seguir as orientações médicas para que não tenhamos problemas novamente", destacou Jorginho, que ainda terá que se manter afastado de maior parte de suas atividades por recomendação médica, mas que seguirá, através de sua chefia de gabinete com os atendimentos na Câmara e respondendo demandas nas redes sociais. Com o recesso das sessões, Jorginho seguirá participando das reuniões da CPI da Odebrecht, na qual é um dos membros.
 
Comentar
Compartilhe
TRE suspende colocação de tornozeleiras em Linda Mara
03/07/2017 | 19h27
O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) suspendeu a colocação de tornozeleiras eletrônicas na vereadora Linda Mara Silva (PTC).
A decisão liminar do TRE foi comunicada ao juízo de Campos, via telefone pelo TRE/RJ, hoje, às 18h35min.
Com isso, o juiz Ralph Manhães confirmou a suspensão, até maiores esclarecimentos.
Sobre Thiago Ferrugem (PR), que também teria que colocar a tornozeleira amanhã, ainda não há informações.
Comentar
Compartilhe
Garotinho já com novo advogado na Chequinho: Criminalista Rafael Faria
03/07/2017 | 16h37
O ex-governador Anthony Garotinho já conta com novo advogado no caso Chequinho: é o criminalista Rafael Faria.
Segundo site do RS Faria Advogados, o escritório é "Especializado em advocacia criminal, temos certificada experiência com crimes contra o sistema financeiro nacional, crimes cambiais; crimes contra a ordem tributária; crimes falimentares, crimes contra a economia popular; crimes contra a ordem econômica e relações de consumo; crimes concorrenciais; crimes contra a propriedade intelectual (direito autoral, patentes e registros); delitos contra o patrimônio; crimes contra a administração pública e a administração da justiça; crimes ambientais; crimes de trânsito; entre outros".
Rafael Faria foi responsável pelo caso do irmão de Leandro Hassum, preso por estelionato, ano passado, aplicando golpes, segundo a polícia, em camarotes da Sapucaí, se fazendo passar por representante de uma agência de turismo em São Paulo. 
 
Comentar
Compartilhe
Morre pai da prefeita de SFI, Francimara Lemos
03/07/2017 | 16h20
Faleceu na tarde de hoje, Francisco Ribeiro da Silva, o Chico Galinheiro, pai da prefeita Francimara Barbosa Lemos.
Ele já vinha doente há algum tempo, conforme compartilhava a prefeita em rede social. Francimara também passa por um momento difícil, em tratamento contra um câncer de mama.
Veja abaixo a nota da Prefeitura de SFI:
"Comunicamos com pesar o falecimento do senhor Francisco Ribeiro da Silva, 79 anos, que era carinhosamente conhecido por Seu Chico Galinheiro, pai da prefeita de São Francisco de Itabapoana (SFI), Francimara Azeredo da Silva Barbosa Lemos.
Seu Chico Galinheiro estava internado no Hospital dos Plantadores de Cana, na cidade de Campos dos Goytacazes, e faleceu na tarde desta segunda-feira (03), vítima de causas naturais. Ele deixou cinco filhos.
A família ainda não definiu os locais do velório e do sepultamento".
Comentar
Compartilhe
Chequinho: Recurso de Magal enviado ao TSE e negado a Madureira
03/07/2017 | 16h19
O recurso do vereador afastado Jorge Magal foi encaminhado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) ao Tribunal Superior, em Brasília.
Magal foi condenado em primeira instância na Aije do caso Chequinho. Recorreu ao TRE, onde a condenação foi confirmada. Em função disso, foi afastado da Câmara.
Depois, encaminhou recurso à presidência do órgão, que negou e enviou agora ao TSE.
Na mesma situação está Vinícius Madureira, também condenado em primeira e segunda instância na esfera cível- eleitoral da Chequinho e, por conta disso, afastado de suas funções públicas.
Madureira, agora, também teve recurso negado pela presidência do TRE, que deverá encaminhar ao TSE.
Comentar
Compartilhe
Garotinho se gaba de ser "pai" da venda do futuro, mas não assinou "certidão de nascimento"
03/07/2017 | 13h24
Como o Ponto Final adiantou na edição da Folha no domingo (2), confira aqui, a Prefeitura de Campos disponibilizou em seu site um link para que a população conheça todos os dados oficiais sobre a "venda do futuro", realizada no governo Rosinha.
Lá é possível acessar o pedido de empréstimo, a Resolução do Senado Federal, Cópia do Contrato e Lei da Câmara dos Vereadores, que autorizava a contratação.
O interessante é perceber os caminhos, antes só conhecidos "de ouvir falar" ou através do divulgado oficialmente.
No pedido de empréstimo, os ofícios começam com o do então secretário municipal de Controle Orçamentário e Auditoria, Suledil Bernardino. Fiel escudeiro dos Garotinho encaminha o documento para o secretário municipal de Fazenda, Roberto Landes, falando sobre as dificuldades na execução orçamentária e pede providências para equacionar os problemas financeiros.
Roberto Landes, então, envia ofício ao procurador do município, Matheus da Silva José, relatando a situação financeira do município e sugerindo e justificando a contratação da Caixa Econômica Federal:
Em seguida, consta ofício da superintendência de Petróleo, onde o superintendente Marcelo Neves, fala das projeções e valores dos royalties e participações especiais, de acordo com a ANP.
Há, também, a cópia do contrato, assinado pela então prefeita Rosinha Garotinho:
Mas o que chama a atenção não é o que está nos documentos e, sim, o que não consta nele.
 "Prefeito de fato" de Campos até 2016, segundo falou o juiz Glaucenir de Oliveira, na decisão pela prisão do então secretário de Governo em novembro passado, Garotinho faz questão de afirmar aos quatro cantos que a operação com base nos royalties só foi possível graças a sua experiência política e administrativa (Confira no blog Ponto de Vista, de Christiano Abreu Barbosa, o depoimento de Garotinho ao juiz Ralph Manhães, terça-feira passada, onde reafirma isso e na imagem abaixo:)
Curioso é que, em nenhum dos documentos da "venda", apresentados até o momento, consta nome ou assinatura de Garotinho, apesar de ele afirmar que era "que era designado para elaborar o equilíbrio fiscal do município".
Quer dizer: 
Garotinho se diz "pai" da venda do futuro, mas não deixou registro.
Comentar
Compartilhe
Na crise, proprietários de imóveis no Rio dão até 3 meses de carência
03/07/2017 | 12h02
Na crise, a cidade do Rio já tem 14,4% de imóveis residenciais vagos para locação, o maior nível em um ano. O dado faz parte do relatório de Inteligência Imobiliária da corretora Apsa referente ao mês de maio. Segundo especialistas, a faixa ideal é de, no máximo, 10%. A informação é do jornal O Globo.
Neste cenário, vale tudo para não ficar com o imóvel vazio. Nos últimos 12 meses, o preço do aluguel cobrado pelos proprietários recuou 5,74%, para R$ 34,17 o metro quadrado, segundo levantamento da FipeZap.
Os proprietários estão abrindo mão de exigências para assinatura do contrato, como fiador. Além disso, aceitam redução de 30% a 33% em relação ao valor pedido inicialmente. Já há casos em que o inquilino consegue uma carência de até três meses, período em que paga somente os encargos. O tempo médio com imóvel vazio na cidade varia de 45 a 60 dias, mas, na prática, dependendo do bairro, pode ultrapassar os três meses.
Comentar
Compartilhe
Vereadores Genásio e Thiago Virgílio batem boca no Facebook
02/07/2017 | 23h47
O clima anda quente entre os vereadores e não apenas na tribuna da Câmara.
Nesse final de semana, Genásio (PSC) e Thiago Virgílio (PTC) bateram boca no Facebook.
Virgílio postou em rede social o vídeo de sua fala, na última sessão, em que falou que se algum colega vereadores quiser "cutuca-lo" com o assunto da Chequinho em plenário, falará como cada um foi eleito foi eleito, citando, inclusive, supostas compra de votos.
Nos comentários da postagem, o vereador Genásio convocou Virgílio a dar nomes e entregar ao Ministério Público: "Não faça o papelão que o covarde fez, falou e depois apagou as provas que nunca existiram" - em referência ao ex-governador Garotinho.
Thiago Virgílio chamou Genásio para discutir "na tribuna, no MP ou na rua". E completou: "Onde for melhor pra você estará bom pra mim".
Para entender:
A fala de Virgílio que está no vídeo foi em resposta a Silvinho Martins, líder do G5, que disse naquela sessão, que Linda Mara - que tinha subido à tribuna para criticar os vereadores que fizeram parte do governo Rosinha e agora apoiavam Rafael Diniz - foi eleita, segundo sentença do juiz Eron Simas, através de compra de votos.
Confira o vídeo de Virgílio:
Comentar
Compartilhe
Jorginho Virgílio deve passar por ressonância amanhã
02/07/2017 | 14h46
/
Internado desde quinta-feira, o vereador Jorginho Virgílio continua hospitalizado, sem diagnóstico.
Mas a suspeita é de Neuropatia Compressiva. A confirmação será possível através de uma ressonância magnética, que deverá ser feita amanhã.
O que é:
As neuropatias compressivas resultam de pressão elevada no nervo, à medida que ele atravessa um espaço fechado.
Os locais mais vulneráveis à compressão são os canais osteofibrosos, em que pode existir uma desproporção entre o conteúdo e a capacidade. No entanto, a maior parte dessas neuropatias compressivas é idiopática; elas ocorrem sem um agente precipitante e não estão associadas com um processo patológico subjacente. Os mecanismos de lesão nervosa compressiva não são completamente entendidos. Geralmente, os nervos periféricos resistem a alterações microvasculares compressivas que podem ser induzidas por relativamente baixas quantidades de pressão; entretanto, com prolongada e/ou elevada pressão e deformidade, a zona entre nervo comprimido e livre sofre alteração na permeabilidade, conduzindo a edema interfascicular, um aumento no gradiente de pressão e um mais pronunciado impedimento à condutividade. Atrito e isquemia também podem desempenhar um importante papel neste processo. 
(Fonte: Revista Moreira Jr)
Comentar
Compartilhe
Chequinho: O que acontece agora?
02/07/2017 | 13h37
Com a saída de Fernando Fernandes, demitido por Garotinho, o que acontece agora no caso Chequinho?
Alguma coisa ou nada.
São duas as hipóteses:
O processo do Garotinho está em fase final e na sexta foi publicada uma decisão para a defesa falar sobre diligências. O prazo foi concedido pelo juiz, no interrogatório da última terça-feira.
A troca de advogado pode paralisar esse prazo. Neste caso, seriam entre 10 a 15 dias para o novo advogado se ambientar com a situação.
Ou...
O juiz Ralph Manhães pode nomear um advogado dativo, o que já fez no início do processo, para cumprir o prazo e dar prosseguimento normal ao caso.
Sem contar com o fato de que, apesar de o escritório de Fernandes estar à frente, existem outros advogados nos processos.
De qualquer forma, uma reunião ainda hoje deve decidir qual nome ficará à frente do "imbróglio" judicial do caso Chequinho.
Comentar
Compartilhe
Termos da "venda do futuro" disponíveis no portal da Prefeitura
02/07/2017 | 13h18
Ponto Final
Ponto Final/Reprodução
Transparência presente
Desconhecidos pela grande maioria da população e de autoridades de modo geral, os termos da “venda do futuro” estão disponibilizados na internet. Levando à frente o princípio da transparência, a Prefeitura de Campos disponibilizou em seu site todas as informações a respeito (http://www.campos.rj.gov.br). Lá, é possível conferir o pedido de empréstimo feito pelo Município à época, a Resolução do Senado Federal, a cópia do contrato assinado com a Caixa Econômica Federal e a Lei da Câmara dos Vereadores que autorizou a contratação.
Agendada
A colocação de tornozeleiras eletrônicas nos vereadores Linda Mara Silva (PTC) e Thiago Ferrugem (PR) foi agendada para a próxima terça-feira, dia 4 de julho. A informação é da secretaria estadual de Administração Penitenciária (Seap). No último dia 29, o juiz eleitoral Ralph Manhães determinou que os parlamentares agendassem, em 24 horas, a colocação dos equipamentos. Caso o agendamento não fosse feito, eles seriam presos.
Greve
Porém, em função da greve geral de sexta-feira, a Seap teve o funcionamento prejudicado. Ainda assim, os advogados dos réus receberam a orientação de telefonarem na segunda-feira. Ontem, sábado, a Seap informou que a data já foi marcada. A decisão de Ralph Manhães é em uma das ações penais originadas das investigações da troca de Cheque Cidadão por votos. Os vereadores recorreram ao TSE, mas o ministro Tarcísio Vieira, relator da Chequinho, manteve a decisão do juiz .
Internado
O vereador Jorginho Virgílio (PRP) continuava, até a noite de ontem, internado em um hospital particular da cidade. Ele foi hospitalizado quinta-feira, após passar mal e ficar com o braço paralisado. Os médicos ainda não sabem o que levou ao problema, mas têm uma boa notícia: descartaram causas neurológicas. Ontem, Jorginho recebeu visitas do presidente da Câmara, Marcão Gomes, e dos colegas Silvinho Martins, Cláudio Andrade, Genásio e Dr. Abdu Neme. Também recebeu telefonemas do prefeito Rafael Diniz e do líder do governo, Fred Machado.
Prevenção
Aconteceu ontem, em 48 salas de imunização em Campos, o Dia D de vacinação contra o HPV e a meningite. A campanha estadual tem como estimativa vacinar cerca de 90% do público alvo, que são as crianças e adolescentes com idade entre 9 e 15 anos. A campanha vai seguir até o dia 29 de julho. De acordo com a coordenadora da Vigilância Epidemiológica da secretaria de Saúde de Campos, Roberta Lastorina Rios, a vacina contra o HPV será aplicada em duas doses, com intervalo de seis meses para cada imunização. Já a de meningite será aplicada em dose única.
Viva a ciência
A Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (Uenf), o Instituto Federal Fluminense (IFF) e a Universidade Federal Fluminense (UFF) realizam, entre a próxima segunda-feira (3) e sexta-feira (7), o IX Confict. O evento, que terá a participação da superintendência municipal de Ciência, Tecnologia e Inovação, vai reunir discentes e docentes dos programas de pós-graduação das três instituições tendo como tema central “Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil: Desafios e Transformações”.
Parcerias
Durante o evento, será apresentado o “Viva a Ciência”, Programa Municipal de Bolsas de Iniciação Científica, Tecnológica e de Extensão — cujo edital será publicado em breve — que tem por objetivo a concessão de bolsas de fomento à pesquisa e inovação por meio de convênios e parcerias com as instituições de ensino superior.
Problema
Recentemente foi aprovada na Alerj, e sancionada pelo governador, lei de autoria do deputado Geraldo Pudim (PMDB) que obriga os pátios concedidos para depósito de veículos apreendidos a cobrir suas instalações para evitar a degradação dos veículos. A ideia é boa. Porém, o tiro pode sair pela culatra. Os contratos de concessão, aos quais estão vinculados os depósitos, não permitem a criação de despesa que desequilibre o contrato sem que a tarifa seja reajustada. Isso quer dizer que, fazer cumprir a lei pode gerar aumento de tarifa para aqueles que já tiveram o dissabor de terem os veículos apreendidos.
Charge do dia
/
Comentar
Compartilhe
Fernando Fernandes não é mais advogado de Garotinho e deixa todos os casos da Chequinho
02/07/2017 | 12h06
O advogado Fernando Fernandes não é mais advogado do ex-governador Anthony Garotinho (PR) e deve anunciar, amanhã, segunda-feira, a retirada de seu nome como patrono de todas as ações conexas.
De acordo com nota encaminhada por Fernandes a colegas advogados e que vazou para a imprensa, sábado ele recebeu comunicação de revogação dos poderes conferidos por Garotinho. Assim, deixará, também, as demais.
No comunicado, Fernandes elenca as vitórias obtidas até o momento, como revogação das medidas que impediam Garotinho de falar sobre o processo e afastamento dos vereadores.
Inicialmente, a informação seria que o advogado tinha postado este comunicado em rede social, mas sua assessoria informou que ele não o fez e não o faria "pela importância do caso" e "em respeito à ética que mantém com seus clientes".
Nas vezes em que Garotinho esteve em Campos para audiência houve divergência de opinião entre advogado e cliente. Na última, terça-feira, quando Garotinho foi interrogado, ele chegou a destituir o advogado na frente de todos porque queria continuar falando e a orientação era que ele parasse.
A audiência chegou a ser interrompida e o advogado só retornou à sala depois da ação da turma do "deixa disso".
Atualização no texto.
Comentar
Compartilhe
Chequinho: Fernando Fernandes deixa defesa de Garotinho?
02/07/2017 | 11h22
Segundo informações (ainda) não oficiais, recebida pelo blog, o advogado Fernando Fernandes não seria mais advogado do ex-governador Garotinho no caso Chequinho.
A confirmar.
Comentar
Compartilhe
Avanço do mar em Atafona é destaque em O Globo
02/07/2017 | 11h11
O avanço do mar na praia de Atafona, SJB, é destaque na edição deste domingo, no jornal O Globo.
A matéria, que ocupa as páginas 22 e 23, mostra relato de pescadores, fala do bar do Santana e do projeto de contenção.
A prefeita de São João da Barra, Carla Machado (PP), fala que haverá uma reunião com o Inea na próxima quarta-feira para acelerar o processo de licenciamento da obra, planejada há três anos. O projeto deve custar R$ 180 milhões.
 
— Dependemos de recursos da União, a costa brasileira é de responsabilidade do governo federal e o rio passa por três estados. Meu orçamento é de 280 milhões por ano, é impossível termos condições financeiras de assumir esse investimento mesmo que fosse da nossa competência. E agora, há menos de um mês, temos essa invasão do mar no Pontal — argumenta a prefeita, que esteve no dia 5 de junho em Brasília, onde entregou o projeto do INPH ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (PMDB).
 
 
Já uma das moradoras mais queridas e conhecidas da praia, Soninha Ferreira, mostra sua história com o balneário e o artista plástico Jair Vieira, sua coleção de fotos locais, que documentam o avanço do mar.
Vale a pena conferir.
Comentar
Compartilhe
Chequinho: Tornozeleiras serão colocadas na terça-feira, dia 4
01/07/2017 | 14h16
/
De acordo com a secretaria estadual de Administração Penitenciária (Seap), foi agendada para terça feira dia 04 a colocação das tornozeleiras nos vereadores Linda Mara Silva (PTC) e Thiago Ferrugem (PR).
Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Suzy Monteiro

[email protected]