Conscientização da Importância do Setembro Amarelo com a Psicóloga Luciane Mina Abrindo a Boca para Marco Barcelos
16/09/2019 | 20h47
 
1) Luciane Mina , estamos no setembro amarelo onde o tema em voga é o Suicídio. Existe uma maneira efetiva de prevenção ?
 Quando propomos as pessoas que busquem ajuda externa é a possibilidade de identificar uma alternativa diferente. Quero me justificar. Albert Einstein diz que ao se analisar um objeto da mesma perspectiva onde ele se encontra, não é produtivo, pois não vemos nada de novo, é importante olhar de lugar diferente, para que se veja um lado não percebido da questão. Isso é o que acontece quando se procura uma pessoa completamente fora da situação que causa pressão, e se for um profissional, vale lembrar, que a diversão dele é buscar meios diferentes de resolver o mesmo problema. O profissional tem um arquivo de alternativas, está treinado em resolver o problema apresentado e ainda conseguir se manter saudável na sociedade. O que temos observado é que muitos entram em questões delicadas para resolver e ficam ao final tão perdidos quanto os supostos clientes.
 2) Existe um crescimento significativo em suicídio entre adolescentes e a terceira idade . A que fatores que são atribuídos este triste fenômeno ?
  A distância familiar, as mesmas tem motivos reais, contudo não são mais, em grande maioria, presentes na rotina dos jovens e do idoso. Os jovens têm desconfortos e questionamentos naturais da idade e se encontram uma forma de diluir esse bloco de tensão no inicio, muito se previne.
A escuta dentro de casa e o elaborar e diluir duvidas são básicos para o fortalecimento da estima. Quem tem para onde voltar afetivamente no fervor de uma questão, sabe que nunca estará só e os desafios deixam de ser tão ameaçadores.
Os idosos já não tem mais companhia, são deixados isolados, Como pode melhor? Antigamente conversar com o idoso era aprender; hoje tem que ter paciência. Ou mesmo o que ele pode contribuir se eu já sei TUDO, assim pensa o mais jovem. Mas esta valorização com os avós quem ensina são os pais. E essa onde segue de forma improdutiva, mas segue.
 3)Luciane Mina , existe algum grupo de apoio às pessoas que têm tendência suicida ou que passaram por situações de tentativas , para fazer um acompanhamento , evitando o pior ?
 O CVV – Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email e chat 24 horas todos os dias.
O telefone de contato é o 188.
Existem também abordagens que oferecem ampliação de consciência e são as mais indicadas. Atualmente venho estudando e me especializando em Barra de access, uma ferramenta que empodera pessoas e destrói e descria limitações. Contudo existem muitas abordagens. Os relatos de resultados positivos tem sido em larga escala.
O principal é a pessoas querer transformar seu quadro ou pelo menos se dar a oportunidade de analisar sua questão com um olhar diferente e mais amplo. Quem tem histórico de tentativas pode ser um grande orientador; se ele usou a situação como aprendizado. Infelizmente não acontece em grande número, então o indicado é procurar um profissional que possa acompanhar a questão de perto. 
 
4) A depressão, pode ser considerada a maior causa dos suicídios?
 Pode sim, contudo ela é a aparência final de muitas situações. O que percebemos são pessoas que não conseguem detectar outra saída para sua dor e ao exterminar a dor, talvez o preço seja o próprio corpo. Mas o grande foco a ser exterminado é a DOR. Estamos aqui, terapeutas das mais variadas origens para lhe ajudar. A depressão tem muitas faces diferentes e sutis, precisamos estar atentos e tomar atitude o mais rápido possível.
 5) Luciane Mina , tenho uma amiga , que fala que o sonho dela de infância é se matar , e fico muito triste, pois volta e meia ela fala. O que fazer para ajudar ?
 Primeiro ouça o que verdadeiramente ela está dizendo atrás das palavras. O que percebo é um grito de socorro. Precisa de alguém que possa lhe oferecer um novo olhar para aquilo que a principio lhe causa muita dor. FOCO NA LUZ, em toda Desgraça existe uma graça, devemos com calma tatear de "mãos dadas" a pessoa e descobrir o que pode ter de grande lição por trás de todo o desafio enfrentado.
 Obrigada Marcos pela oportunidade
Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Marco Barcelos

[email protected]

Arquivos