Acadêmico de Medicina na Rússia Ronny Souza Marques Abrindo a Boca Para Marco Barcelos
22/01/2015 | 15h10
1- Ronny Souza estudar medicina na Russia é uma oportunidade ímpar. O que levou você optar por fazer uma faculdade em um país tão distante? E como é sua adaptação? As vezes nos deparamos com oportunidades únicas na vida da qual tem condições de mudar todo seu plano para o futuro, e essa foi uma que tive a oportunidade de enfrentar, o sistema de ensino rigoroso e um bom conceito a nível mundial foi determinante na minha escolha. A adaptação sempre é muito difícil, as diferenças são enormes, clima, língua, cultura. Mas o dia a dia nos faz crescer como pessoa e nos torna aptos a viver em um ambiente diferente daquilo do acostumado. 2- A Russia é um país de primeiro mundo, como é morar em um país que a cultura e o idioma são totalmente diferentes apesar de o inglês ser a língua universal? Quais os aspectos que considera positivos e negativos nessa nova experiência? É simplesmente maravilhoso... Apesar da língua russa ser de estrema dificuldade para nós que temos nossa língua derivada do latim, mas as aulas frequentes e o contato diário facilita o aprendizado obrigatório, porque por mais que a língua inglesa seja universal, poucos russos a falam. Tenho como tirar como lado positivo o crescimento como pessoa, cidadão e acadêmico. Do lado negativo fica a temperatura negativa que encontro por lá rs. O frio é uma grande barreira. 3- Na sua turma de sala de aula existem alunos de algum outro país? E como é sua relação com os professores? A minha atual turma é composta de apenas brasileiros, 12 ao total. Porém, o comum é uma mistura de nacionalidades nas turmas. A relação em sua maior parte é de professor para aluno. Em Alguns casos que a amizade é pessoal. O estilo dos professores não diferem muito dos professores de universidades no Brasil. E sempre muito rígidos. 4- Apesar de você estar morando na Russia apenas 6 meses e veio passar as férias em pleno verão não dá vontade de ficar ou a vontade de estudar fala mais alto? Hahahaha excelente pergunta. A vontade de ficar sempre existe. Quando eu sai do Brasil eu pude perceber que eu só nasci pra ser brasileiro. Entretanto, o sonho de um dia exercer a profissão médica nos leva a um sacrifício maior no qual nos ajuda a superar a saudade de família, amigos e dessa terra maravilhosa. 5- A Europa está sofrendo atentados terroristas, existe algum plano de defesa que seja noticiado? O que você pensa desses ataques? Sempre existe tensão por parte dos estrangeiros, porém a cidade onde vivo é bastante tranquila. Pouco ouço falar nas ruas sobre tais conflitos. Mas ao mesmo tempo é bom, porque se for parar para se preocupar com tudo que acontece à nossa volta, isso acabará interferindo no nosso objetivo principal, o estudo. foto para o blog
Comentar
Compartilhe
Diretor Executivo do Flamengo Rodrigo Caetano Abrindo a Boca Para Marco Barcelos
18/01/2015 | 10h59
1- Rodrigo Caetano, já que você trabalhou em vários clubes grandes e pela sua competência incontestável, como avalia sua passagem no Vasco da Gama, com o acesso a 1ª divisão e, agora, trabalhar no arquirrival, Flamengo? Acredito que mesmo com todas as dificuldades financeiras e estruturais, atingimos o maior objetivo no ano que foi colaborar para o retorno do Vasco a série A do campeonato brasileiro. Quanto a trabalhar em um rival, creio que será um grande desafio profissional, mas que terei boas condições de realizar um bom trabalho. 2- Rodrigo Caetano, o que você espera de sua relação profissional com Vanderlei Luxemburgo e quais as perspectivas? A melhor possível, pois trabalhamos juntos no Fluminense e tivemos um ótimo convívio, além dele ser um dos melhores técnicos do país. Por isso, entendo que temos ótimas expectativas em relação ao trabalho. 3- Você sabe bem das dificuldades financeiras e estruturais que atravessam os grandes clubes cariocas. O Flamengo, como tem uma torcida apaixonada, o melhor caminho seria investir no sócio-torcedor ou teria outra sugestão para sair dessa crise? Sem dúvida que o sócio torcedor já é um dos grandes projetos de receita para um clube de massa como o Flamengo. Tenho certeza absoluta que, em breve o Flamengo se tornará o clube com maior número de sócios torcedores e consequentemente aumentando cada vez mais as receitas para fortalecer o futebol do clube. 4- Na “copinha”, quais são os destaques que você espera poder aproveitar, com a indicação do técnico, no time principal, tendo em vista que o desempenho do clube vem agradando? Preferimos sempre tratar desses assuntos internamente , pois temos que ter muito cuidado em nossas avaliações para que não queimemos algumas dessas jovens promessas. 5-Dentre as prioridades deste ano, já que o Flamengo irá disputar o Campeonato Estadual, a Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro, quais as estratégias para formar uma equipe competitiva que possa fazer frente a grandiosidade do Flamengo? O primeiro passo já foi dado que foi manter a base de um ano para outro. A melhoria de qualidade se dá gradativamente e é isso que estamos fazendo, buscando reforços pontuais para tornar a equipe cada vez mais forte sempre com o objetivo de disputar todas as competições para ganhar. 8dez2014-o-tecnico-do-flamengo-vanderlei-luxemburgo-recebe-o-diretor-executivo-rodrigo-caetano-1418085270390_615x300
Comentar
Compartilhe
Depoimentos da Caminhada Religiosa a Santo Amaro
15/01/2015 | 16h25
Depoimentos da Peregrinação da Caminhada de Santo Amaro Nome- Geraldo Azevedo, design, 24 anos Tive cerca de aproximadamente de 4 meses de pagamento atrasado depois que prometi a Deus e a Santo Amaro todos esses problemas foram resolvidos daí eu decidi vir pagar minha promessa viajando de skate. Nome- Vilma Fagundes, aposentada Venho sempre em Santo Amaro agradecer as graças recebidas e frequento a paróquia Santa Terezinha e faço parte da obra do berço e do apostolado nosso pároco é PE Vilmar e peço saúde para Marco Barcelos. Nome- Neide Fagundes Nogueira, aposentada Sou devota de Santo Amaro há mais de 40 anos agradeço a Deus e a Jesus e Nossa Senhora por ouvir as intercessões de santo Amaro e obrigada Santo Amaro. Peço sempre a intercessão de Santo Amaro pela saúde a Marco Barcelos. Nome- Solange Barros, aposentada Em ato de fé venho agradecer a Deus e participar da festa e acredito que a fé é um ato de reconhecer e promover o bem na sociedade. Venho todos os anos a Santo Amaro desde que me mudei para essa cidade. Santo Amaro é um Santo em que tenho muito carinho e agradeço a ele de todas as bênçãos em minha vida. Nome- Daniel de Souza Barros, operador de produção Fiz o caminho de Santo Amaro em um ato de fé e agradecimento a Deus pela Intercessão de Santo Amaro pelas graças alcançadas e ao fazer esse caminho sinto me grato a Deus por tantas maravilhas pois através de Santo Amaro realizo minha vida, e vejo no caminho tantas pessoas com fé orando e agradecendo e somando forças através da fé para chegar a matriz de Santo Amaro. Sei que Deus que tudo fez na vida de Santo Amaro também faz em minha vida. Santo Amaro, rogai por nós e nos ensine a caminhar nos caminhos do senhor. foto de santo amaro
Comentar
Compartilhe
Novo Técnico do Americano João Carlos abrindo a Boca Para Marco Barcelos
14/01/2015 | 13h39
1- Você é novo para a torcida do americano fale um pouco de seu currículo para a torcida te conhecer. Comecei como atleta, há 17 anos como atleta de futebol profissional, comecei no Madureira, joguei também no fluminense, Figueirense e fiquei 11 anos em Portugal. Parei de jogar em 2003 onde percorri os primeiros passos na carreira de treinador na mesma forma no Madureira. E no fluminense trabalhei nas categorias de base e 2007 era um dos membros da comissão técnica campeã da copa do Brasil, logo após fui para o Catar e no mundo Árabe durante 4 anos. Retornei ao Brasil 2011 onde trabalhei na portuguesa, Audax, São João da Barra e América do RJ o meu último trabalho foi na América de Recife, onde ajudei o clube após pegar em último lugar conseguimos a manutenção na 1 divisão. 2- O Americano está sofrendo uma reestruturação maior de sua história. Como espera contribuir? E porque aceitou esse desafio? É importante frisar que quando recebi a ligação do Gilberto era que o Americano estava começando do zero, porém buscando o crescimento estrutural pois ainda não se viu em clube grande e nem em médio porte, tendo em vista conhecimento das pessoas que estão à frente desse projeto o presidente Luciano Viana, orientador executivo Gilberto, além do Kiko e do Max e sabendo de suas credibilidades fiquei muito entusiasmado com a possibilidade de fazer história no clube. 3- João Carlos qual o perfil dos jogadores a serem contratados tendo em vista o clube atravessar uma grande dificuldade financeira e quais são os jogadores? Jogadores ambiciosos que queiram crescer que e fazer um trabalho determinado que possam aliar as suas qualidades com a vontade de ganhar, e que assim como nós da comissão técnica pretendam colocar o seu nome na história do clube, todos os atletas estão sendo contactados mas no momento não podemos falar nomes. 4- Técnico João Carlos de que forma gosta de trabalhar e o que a torcida pode esperar de sua equipe? Gosto de trabalhar dando liberdade ao atleta mas com bastante responsabilidade, formando uma equipe valente, determinada e que lute a todo momento pelo resultado, uma equipe agressiva sem a bola e com a bola procure jogar um futebol envolvente e dinâmico. foto do treinador
Comentar
Compartilhe
Obrigado Por Ser Um Gigante Entre Nós
09/01/2015 | 10h50
Certamente podemos definir a cidade de Campos dos Goytacazes como uma das melhores cidades do Estado do Rio de Janeiro para se viver. Entretanto, para os mais velhos, essa qualidade de vida mudou com a chegada do Jornal “Folha da Manhã” que agora completa 37 anos de circulação ininterrupta. No início, como todo trabalho sério e de respeito, as dificuldades para manter o jornal em circulação foram grandes e o êxito dessa publicação só foi possível graças a dedicação dos seus fundadores Aluysio Barbosa e Diva Abreu Barbosa. Foram tempos de luta, contra tudo e contra todos porque chegaram com o compromisso da verdade e da transparência, trazendo um modo novo de interação com a população campista. Críticas e elogios, opiniões dos leitores, editoriais sérios, campanhas sociais, discussões políticas, sempre foram a marca da “Folha da Manhã”, um jornal que nasceu com o compromisso com a verdade: a ideologia principal dos seu fundadores. Hoje, capitaneado também pelos seus filhos Aloysio Abreu Barbosa e Cristiano Abreu Barbosa que optaram por seguir os mandamentos de seus pais colocando sempre os interesses da coletividade em primeiro lugar. A cidade de Campos dos Goytacazes sente orgulho de possuir um veículo de mídia confiável como a “Folha da Manhã” que lutou para chegar ao patamar em que hoje se encontra e cujo sucesso só podemos creditar à determinação dos seus donos em lutar pelo fortalecimento da democracia. Parabéns à “Folha da Manhã” por mais um “aniversário” e que possamos ter entre nós por muito tempo esta mídia moderna, que se renova tecnologicamente a cada ano, um gigante da informação séria.Certamente podemos definir a cidade de Campos dos Goytacazes como uma das melhores cidades do Estado do Rio de Janeiro para se viver. Entretanto, para os mais velhos, essa qualidade de vida mudou com a chegada do Jornal “Folha da Manhã” que agora completa 37 anos de circulação ininterrupta. No início, como todo trabalho sério e de respeito, as dificuldades para manter o jornal em circulação foram grandes e o êxito dessa publicação só foi possível graças a dedicação dos seus fundadores Aloysio Barbosa e Diva Abreu Barbosa. Foram tempos de luta, contra tudo e contra todos porque chegaram com o compromisso da verdade e da transparência, trazendo um modo novo de interação com a população campista. Críticas e elogios, opiniões dos leitores, editoriais sérios, campanhas sociais, discussões políticas, sempre foram a marca da “Folha da Manhã”, um jornal que nasceu com o compromisso com a verdade: a ideologia principal dos seu fundadores. Hoje, capitaneado também pelos seus filhos Aloysio Abreu Barbosa e Cristiano Abreu Barbosa que optaram por seguir os mandamentos de seus pais colocando sempre os interesses da coletividade em primeiro lugar. A cidade de Campos dos Goytacazes sente orgulho de possuir um veículo de mídia confiável como a “Folha da Manhã” que lutou para chegar ao patamar em que hoje se encontra e cujo sucesso só podemos creditar à determinação dos seus donos em lutar pelo fortalecimento da democracia. Parabéns à “Folha da Manhã” por mais um “aniversário” e que possamos ter entre nós por muito tempo esta mídia moderna, que se renova tecnologicamente a cada ano, um gigante da informação séria.Certamente podemos definir a cidade de Campos dos Goytacazes como uma das melhores cidades do Estado do Rio de Janeiro para se viver. Entretanto, para os mais velhos, essa qualidade de vida mudou com a chegada do Jornal “Folha da Manhã” que agora completa 37 anos de circulação ininterrupta. No início, como todo trabalho sério e de respeito, as dificuldades para manter o jornal em circulação foram grandes e o êxito dessa publicação só foi possível graças a dedicação dos seus fundadores Aloysio Barbosa e Diva Abreu Barbosa. Foram tempos de luta, contra tudo e contra todos porque chegaram com o compromisso da verdade e da transparência, trazendo um modo novo de interação com a população campista. Críticas e elogios, opiniões dos leitores, editoriais sérios, campanhas sociais, discussões políticas, sempre foram a marca da “Folha da Manhã”, um jornal que nasceu com o compromisso com a verdade: a ideologia principal dos seu fundadores. Hoje, capitaneado também pelos seus filhos Aloysio Abreu Barbosa e Cristiano Abreu Barbosa que optaram por seguir os mandamentos de seus pais colocando sempre os interesses da coletividade em primeiro lugar. A cidade de Campos dos Goytacazes sente orgulho de possuir um veículo de mídia confiável como a “Folha da Manhã” que lutou para chegar ao patamar em que hoje se encontra e cujo sucesso só podemos creditar à determinação dos seus donos em lutar pelo fortalecimento da democracia. Parabéns à “Folha da Manhã” por mais um “aniversário” e que possamos ter entre nós por muito tempo esta mídia moderna, que se renova tecnologicamente a cada ano, um gigante da informação séria.Certamente podemos definir a cidade de Campos dos Goytacazes como uma das melhores cidades do Estado do Rio de Janeiro para se viver. Entretanto, para os mais velhos, essa qualidade de vida mudou com a chegada do Jornal “Folha da Manhã” que agora completa 37 anos de circulação ininterrupta. No início, como todo trabalho sério e de respeito, as dificuldades para manter o jornal em circulação foram grandes e o êxito dessa publicação só foi possível graças a dedicação dos seus fundadores Aluysio Barbosa e Diva Abreu Barbosa. Foram tempos de luta, contra tudo e contra todos porque chegaram com o compromisso da verdade e da transparência, trazendo um modo novo de interação com a população campista. Críticas e elogios, opiniões dos leitores, editoriais sérios, campanhas sociais, discussões políticas, sempre foram a marca da “Folha da Manhã”, um jornal que nasceu com o compromisso com a verdade: a ideologia principal dos seu fundadores. Hoje, capitaneado também pelos seus filhos Aloysio Abreu Barbosa e Cristiano Abreu Barbosa que optaram por seguir os mandamentos de seus pais colocando sempre os interesses da coletividade em primeiro lugar. A cidade de Campos dos Goytacazes sente orgulho de possuir um veículo de mídia confiável como a “Folha da Manhã” que lutou para chegar ao patamar em que hoje se encontra e cujo sucesso só podemos creditar à determinação dos seus donos em lutar pelo fortalecimento da democracia. Parabéns à “Folha da Manhã” por mais um “aniversário” e que possamos ter entre nós por muito tempo esta mídia moderna, que se renova tecnologicamente a cada ano, um gigante da informação séria.Certamente podemos definir a cidade de Campos dos Goytacazes como uma das melhores cidades do Estado do Rio de Janeiro para se viver. Entretanto, para os mais velhos, essa qualidade de vida mudou com a chegada do Jornal “Folha da Manhã” que agora completa 37 anos de circulação ininterrupta. No início, como todo trabalho sério e de respeito, as dificuldades para manter o jornal em circulação foram grandes e o êxito dessa publicação só foi possível graças a dedicação dos seus fundadores Aloysio Barbosa e Diva Abreu Barbosa. Foram tempos de luta, contra tudo e contra todos porque chegaram com o compromisso da verdade e da transparência, trazendo um modo novo de interação com a população campista. Críticas e elogios, opiniões dos leitores, editoriais sérios, campanhas sociais, discussões políticas, sempre foram a marca da “Folha da Manhã”, um jornal que nasceu com o compromisso com a verdade: a ideologia principal dos seu fundadores. Hoje, capitaneado também pelos seus filhos Aloysio Abreu Barbosa e Cristiano Abreu Barbosa que optaram por seguir os mandamentos de seus pais colocando sempre os interesses da coletividade em primeiro lugar. A cidade de Campos dos Goytacazes sente orgulho de possuir um veículo de mídia confiável como a “Folha da Manhã” que lutou para chegar ao patamar em que hoje se encontra e cujo sucesso só podemos creditar à determinação dos seus donos em lutar pelo fortalecimento da democracia. Parabéns à “Folha da Manhã” por mais um “aniversário” e que possamos ter entre nós por muito tempo esta mídia moderna, que se renova tecnologicamente a cada ano, um gigante da informação séria.Certamente podemos definir a cidade de Campos dos Goytacazes como uma das melhores cidades do Estado do Rio de Janeiro para se viver. Entretanto, para os mais velhos, essa qualidade de vida mudou com a chegada do Jornal “Folha da Manhã” que agora completa 37 anos de circulação ininterrupta. No início, como todo trabalho sério e de respeito, as dificuldades para manter o jornal em circulação foram grandes e o êxito dessa publicação só foi possível graças a dedicação dos seus fundadores Aluysio Barbosa e Diva Abreu Barbosa. Foram tempos de luta, contra tudo e contra todos porque chegaram com o compromisso da verdade e da transparência, trazendo um modo novo de interação com a população campista. Críticas e elogios, opiniões dos leitores, editoriais sérios, campanhas sociais, discussões políticas, sempre foram a marca da “Folha da Manhã”, um jornal que nasceu com o compromisso com a verdade: a ideologia principal dos seu fundadores. Hoje, capitaneado também pelos seus filhos Aluysio Abreu Barbosa e Cristiano Abreu Barbosa que optaram por seguir os mandamentos de seus pais colocando sempre os interesses da coletividade em primeiro lugar. A cidade de Campos dos Goytacazes sente orgulho de possuir um veículo de mídia confiável como a “Folha da Manhã” que lutou para chegar ao patamar em que hoje se encontra e cujo sucesso só podemos creditar à determinação dos seus donos em lutar pelo fortalecimento da democracia. Parabéns à “Folha da Manhã” por mais um “aniversário” e que possamos ter entre nós por muito tempo esta mídia moderna, que se renova tecnologicamente a cada ano, um gigante da informação séria.Certamente podemos definir a cidade de Campos dos Goytacazes como uma das melhores cidades do Estado do Rio de Janeiro para se viver. Entretanto, para os mais velhos, essa qualidade de vida mudou com a chegada do Jornal “Folha da Manhã” que agora completa 37 anos de circulação ininterrupta. No início, como todo trabalho sério e de respeito, as dificuldades para manter o jornal em circulação foram grandes e o êxito dessa publicação só foi possível graças a dedicação dos seus fundadores Aloysio Barbosa e Diva Abreu Barbosa. Foram tempos de luta, contra tudo e contra todos porque chegaram com o compromisso da verdade e da transparência, trazendo um modo novo de interação com a população campista. Críticas e elogios, opiniões dos leitores, editoriais sérios, campanhas sociais, discussões políticas, sempre foram a marca da “Folha da Manhã”, um jornal que nasceu com o compromisso com a verdade: a ideologia principal dos seu fundadores. Hoje, capitaneado também pelos seus filhos Aloysio Abreu Barbosa e Cristiano Abreu Barbosa que optaram por seguir os mandamentos de seus pais colocando sempre os interesses da coletividade em primeiro lugar. A cidade de Campos dos Goytacazes sente orgulho de possuir um veículo de mídia confiável como a “Folha da Manhã” que lutou para chegar ao patamar em que hoje se encontra e cujo sucesso só podemos creditar à determinação dos seus donos em lutar pelo fortalecimento da democracia. Parabéns à “Folha da Manhã” por mais um “aniversário” e que possamos ter entre nós por muito tempo esta mídia moderna, que se renova tecnologicamente a cada ano, um gigante da informação séria.Certamente podemos definir a cidade de Campos dos Goytacazes como uma das melhores cidades do Estado do Rio de Janeiro para se viver. Entretanto, para os mais velhos, essa qualidade de vida mudou com a chegada do Jornal “Folha da Manhã” que agora completa 37 anos de circulação ininterrupta. No início, como todo trabalho sério e de respeito, as dificuldades para manter o jornal em circulação foram grandes e o êxito dessa publicação só foi possível graças a dedicação dos seus fundadores Aloysio Barbosa e Diva Abreu Barbosa. Foram tempos de luta, contra tudo e contra todos porque chegaram com o compromisso da verdade e da transparência, trazendo um modo novo de interação com a população campista. Críticas e elogios, opiniões dos leitores, editoriais sérios, campanhas sociais, discussões políticas, sempre foram a marca da “Folha da Manhã”, um jornal que nasceu com o compromisso com a verdade: a ideologia principal dos seu fundadores. Hoje, capitaneado também pelos seus filhos Aloysio Abreu Barbosa e Cristiano Abreu Barbosa que optaram por seguir os mandamentos de seus pais colocando sempre os interesses da coletividade em primeiro lugar. A cidade de Campos dos Goytacazes sente orgulho de possuir um veículo de mídia confiável como a “Folha da Manhã” que lutou para chegar ao patamar em que hoje se encontra e cujo sucesso só podemos creditar à determinação dos seus donos em lutar pelo fortalecimento da democracia. Parabéns à “Folha da Manhã” por mais um “aniversário” e que possamos ter entre nós por muito tempo esta mídia moderna, que se renova tecnologicamente a cada ano, um gigante da informação séria.
Comentar
Compartilhe
Operador de ROV - Veículo Submarino Controlado a Distância Helder Benjamim Abrindo a Boca Para Marco Barcelos
05/01/2015 | 14h10
1-Helder,  operar um veiculo de um navio ou plataforma de petróleo estando este robô ate 3 mil metros no fundo do mar é uma função de muita responsabilidade! Quais consequencias que um erro pode acarretar e quais cuidados que se deve tomar?
Resposta: Marco, todas as funções num navio de petróleo ou plataforma são de extrema responsabilidade e requerem muitos procedimentos operacionais e regras de seguranças que precisam ser respeitados. No caso de um robô, podemos assim chamar, um erro operacional ou gerencial na área de robótica podem trazer prejuízos na ordem de milhões pois alguns navios e plataformas podem cobrar as petrolíferas diárias no valor de mais ou menos 300 mil euros a diária. Esse valores podem ser bem maiores ou menores dependendo da embarcação, tamanho e equipamentos nela instalados. Em algumas operacoes o robo eh excencial e sem ele nenhum outro trabalho pode ser executado. Um robô são os olhos de um engenheiro de petróleo e desta forma se nos pilotos não fizermos os trabalhos devidamente corretos , toda a embarcação ficará aguardando por nos. Os maiores problemas e que mais interferem causando prejuízos para empresas de petróleo e terceirizadas são os problemas eletrônicos, elétricos e hidráulicos, pois eh um equipamentos submetido a pressões hiperbáricas, podendo alcançar 3 km de profundidade, utilizando 3 mil volts de corrente elétrica, 3000 PSI de pressão hidráulica interna e externa ( do fundo ) podendo ser superior a 4000 PSI. Eh um equipamento moldado as exigências das grandes petrolíferas e me lembro que em alguns casos engenheiros da Petrobras e outras empresas de petróleo exigiram algumas modificações. Os maiores cuidados que uma equipe deve ter durantes seus dias a bordo estah diretamente ligada a treinamento e gerenciamento de pecas de reposicao. Basicamente o sucesso de uma empresa estah focado nestes dois itens
2- Após trabalhar embarcado no Brasil por 17 anos, o que te levou a optar por exercer este trabalho longe do nosso país?
Resposta: Marco, cada um de nos somos movidos pelo proprio entusiasmo e desejo por novas descobertas. uns mais outro menos. Alguns preferem trabalhar como empregados e outros querem ter seu proprio negócio, assim caminha a humanidade. Quando tive a certeza que poderia sobreviver trabalhando e conhecendo novos paises e novas culturas com rendimentos financeiros muito superiores ao que conseguimos quando trabalhando no Brasil eu nao pensei duas vezes. Melhorei meu ingles e arrisquei o certo pelo duvidoso, pois assim eh a economia no mundo a fora, sempre duvidosa com seus altos e baixos. Hoje sao 8 anos trabalhando como diarista no exterior no total de 25 anos offshore. 
3- Acredito que trabalhar em vários países seja um grande desafio. Quais destes países por onde você esteve a trabalho estão em sua lembrança, principalmente, no que diz respeito à diferença de culturas e costumes?
Resposta: Marco, o maior desafio por incrivel q pareca eh o proprio fator humano. Uma vez trabalhando no exterior muitas vezes você eh o invasor  ( aquele que trabalha no lugar de um local,  e morando no Brasil como eh o meu caso, estou do outro lado do Atlântico e a maioria dos trabalhos acontece na europa, asia ou africa, então encontrar uma empresa disposta a pagar minha passagem e outras despesas como Hotel, táxi etc pode me obrigar estar sempre em busca de novas empresas q estejam precisando de mão de obra. Sobre Costumes e culturas cada pais tem suas caracteristicas cuturais e sociais tb. Na Africa qdo trabalhando na Nigeria, me aguardam no aeroporto com uma escolta com 4 segurancas armados com AR 15 devido problemas envolvendo sequestro de estrangeiros. Na Russia, já fiquei num hotel q ninguém falava Inglês então era difícil pedir algo pra comer ou um táxi e sair pra conhecer o local. No Egito fiquei com receio de sair do hotel. Me lembro que no porto no Egito um segurança me perguntou se eu era americano e antes q eu respondesse ele cuspiu no chão achando q eu era um americano, mas ao dizer que eu era um brasileiro ele me deu a mão e meu as boas vindas. Os paises frios sao os q gosto mais. Acho q eh devido nao termos neve aqui. No Norte da Noruega, Escocia e Russia eh comum trabalhar com neve e gelo ao redor. Tenho algumas fotos do robô todo congelado no meu facebook. Quem quizer ve-las eh so me visitar.
4- Para se embarcar no nosso país é necessário que o funcionário possua várias qualificações bem como curso de salvatagem. No exterior é diferente? Quais são as exigências internacionais?
Resposta: Marco, basicamente as regras sao semelhantes, mas alguns paises como Reino unido e Noruega tem regras diferentes nos obrigando fazer os cursos de seus respectivos paises, porem nota-se que tudo acontece no exterior primeiro pra depois chegar ao Brasil. Recentemente atualizei todos os meus certificados em Aberdeen na Escocia. A novidade eh a exigência de se usar suprimento de ar comprimido 3 a 5 minutos ( um mini aqualung ) que fornece ar e válvula reguladora de segundo estágio o CA -EBS - Compressed Air Emergency Breathing System, apos um acidente que vitimou os 12 passageiros, todos afogados e usando equipamento colete salva vidas com uma bolsa de ar na pressão atmosférica, não foi o suficiente para salva-los. Acho q no futuro este sistema vai chegar ao Brasil tambem.
5- Nesta oportunidade para os meus seguidores e interessados, gostaria muito que você divulgasse a todos que almejam oportunidades no exterior quais seriam as diferenças e acima de tudo, as exigências trabalhistas, as preocupações e ponderações para seguirem o seu exemplo.
Resposta: Depois de 8 anos trabalhando no exterior, a maior diferenca do resto de todo mundo para o Brasil e apenas o brasil, estah na possibilidade de se trabalhar como diarista e nao somente assalariado como  apenas oferece um modelo de trabalho aqui no Brasil. Nao somente eu mais um grupo considerado de brasileiros que preferem trabalhar por conta propria e nao pela CLT que na minha opiniao nos limita muito a salarios limitados e regras trqbalhistas que pode ser bom para milhares, mas nao atende a todos. Eh duro competir com estrangeiros diaristas em todo mundo e quando o trabalho eh no Brasil eu nao posso fazer pois a empresa que me emprega no exterior nao tem cede no Brasil e eu nao ter carteira assinada me impossibilita de trabalhar no meu proprio pais.
Penso que já e a hora do Brasil oferecer uma democracia de duas ou mais opções e não apenas uma como eh o que acontece no Brasil para algumas funções. Na área de petróleo por exemplo eh proibido trabalhar sem que haja uma empresa tributada e registrada dentro dos moldes brasileiros, o que nos obriga ir para exterior para fugir destas regras que apenas limitam os brasileiros que querem trabalhar mais e ganhar mais por consequência.
A maior exigência para se enfrentar bem o mercado de trabalho no exterior eh ter um inglês fluente ao máximo possível, espirito de luta, ser flexível, estar disposto a grandes períodos de tempo confinado, pois geralmente os embarques variam de 4 a 6 semanas podendo ser superior as vezes e uma vez recebendo seus pagamentos, eh importante que não se compre mais nada a prestação pois por não termos renda mensal não eh nada inteligente comprar um carro em 48 prestações. Durante o ano, os trabalhos nem sempre sao regulares, então tudo deve ser comprado a vista e sempre tendo alguma reserva eh o que eu recomendo.
foto de helder benjamim
Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Marco Barcelos

[email protected]

Arquivos