Obesidade Na Infância Causa Sequelas
30/01/2014 | 14h45
Para muitos adultos obesos, a sorte foi lançada no momento em que foram 5 anos de idade. Um novo grande estudo de mais de 7.000 crianças revelou que um terço das crianças que estavam acima do peso na infância eram obesos por oitava série. E quase todas as crianças que era muito obesa permaneceu assim. Alguns kindergartners obesos ou com sobrepeso perdeu seu excesso de peso, e algumas crianças de peso normal tem gordura ao longo dos anos. Mas todos os anos, as chances de que uma criança teria deslizam para dentro ou fora de excesso de peso ou obesidade diminuiu. Aos 11 anos, houve poucas alterações adicionais: Aqueles que eram obesos ou com sobrepeso ficou assim, e aqueles cujo peso era normal não se tornou gordura. "A mensagem principal é que a obesidade é estabelecido muito cedo na vida, e que, basicamente, segue até a adolescência até a idade adulta", disse Ruth Loos, um professor de medicina preventiva da Faculdade de Medicina Icahn no Monte Sinai, em Nova York, que não foi envolvido no estudo. Estes resultados, surpreendente para muitos especialistas, surgiu a partir de um estudo raro que lagartas peso corporal da criança, durante anos, do jardim de infância até a oitava série. Especialistas dizem que eles podem reformular abordagens para combater a epidemia de obesidade do país, sugerindo que os esforços devem começar muito mais cedo e se concentrar mais nas crianças com maior risco.
Comentar
Compartilhe
"A esperança vê o invisível, sente o intocável e alcança o impossível! Tudo no seu momento",
27/01/2014 | 20h04
O ex-BBB e atleta paralímpico Fernando Fernandes, 33, publicou uma foto em que aparece em pé em seu Instagram. Fernando, que participou do "BBB2", ficou paraplégico em 2009, após bater o carro em um poste em São Paulo. Desde então, ele vem se dedicando à canoagem paralímpica, modalidade em que é tetracampeão. Fernando ainda não pode andar, mas já consegue se sustentar em pé por alguns segundos, se apoiando com a mão. "A esperança vê o invisível, sente o intocável e alcança o impossível! Tudo no seu momento", escreveu o atleta.
Comentar
Compartilhe
Pólo Norte vai descongelar totalmente no verão de 2016
24/01/2014 | 13h46
O gelo do Pólo Norte vai derreter totalmente durante o verão de 2016, segundo Peter Wadhams, um especialista em gelo marinho. Wadhams qualifica este fenómeno de "desastre global", mas recorda que já tinha avisado para o perigo. Peter Wadhams é um dos principais especialistas do mundo em gelo marinho e afirmou, em entrevista ao jornal "The Guardian", que, durante o verão de 2016, todo o gelo que existir no Ártico vai derreter. O investigador defende que, para tentar inventer este "desastre global", é necessário fazer muito mais do que tem sido feito. Já não basta planear medidas para travar as alterações climáticas, é preciso "analisar urgentemente outras vias de travar o aquecimento global, como as soluções da geoengenharia propostas até agora". Wadhams é responsável por um projeto que analisa a espessura do gelo no ártico com recurso a submarinos que conseguem navegar por baixo das placas de gelo. O perito recorda que, durante anos, avisou que este fenómeno poderia acontecer. "Previ [o colapso do gelo marinho durante os meses de verão] durante anos. A causa é o aquecimento global: devido ao clima, houve menos formação de gelo durante o inverno e mais degelo no verão", explica. Assim, no verão de 2016, Wadhams prevê que o processo de degelo do Pólo Norte culminará e os glaciares atualmente existentes não vão ser mais do que água.
Comentar
Compartilhe
Gordura faz câncer crescer e pode ser alvo de tratamento, dizem estudos
20/01/2014 | 18h47
As células de gordura podem se tornar o mais novo alvo de tratamentos contra o câncer. Estudos nessa área ainda são experimentais, mas bastante promissores, pois há comprovação científica de que o tecido adiposo – que reúne as células de gordura do corpo – ajuda no crescimento dos tumores. "Provamos ao longo dos últimos cinco anos que o tecido adiposo promove diretamente o câncer, além do estilo de vida e da dieta já relacionados à obesidade", afirmou o pesquisador russo Mikhail Kolonin, que trabalha com essa linha de pesquisa no Centro de Ciências da Saúde da Universidade do Texas, nos Estados Unidos. "Há alguns anos, essa era uma questão em aberto, e agora sabemos que é um fato", completou o pesquisador, que veio ao Brasil para participar do Simpósio Célula-Tronco na Biologia do Desenvolvimento e no Câncer, realizado pelo Hospital do Câncer A.C. Camargo, em São Paulo. Pesquisa da USP mostra que trabalho dificulta disciplina com dieta (Foto: Reprodução EPTV) Dentro do tecido adiposo, existem células-tronco adiposas. Quando um tumor se forma, essas células vão até ele e contribuem para a formação de vasos sanguíneos no local. Com isso, o câncer cresce mais rapidamente. A lógica serve para os tumores chamados primários, que se instalam antes do processo de metástase – quando o câncer se espalha para vários órgãos. Isso só acontece nos órgãos que têm contato com o tecido adiposo, como intestino, mamas, próstata, esôfago e pâncreas. Onde não há gordura por perto, como no caso do cérebro e do pulmão, o efeito não é percebido. Naturalmente, os resultados apontam para mais um aspecto da importância de combater a obesidade para defender a saúde, mas não é só isso. A descoberta também pode levar a um novo tratamento contra o câncer, focado nas células-tronco adiposas. Kolonin pensa em eliminar essas células-tronco com um medicamento específico para os pacientes com câncer, na tentativa de evitar que elas favoreçam a alimentação dos tumores. No entanto, o tratamento precisaria ser bem dosado, porque a eliminação dessas células deve ser apenas parcial, e não total, porque a gordura tem funções essenciais para a defesa do organismo. "O tecido adiposo pode fazer mal à saúde, mas também é essencial", afirmou o cientista, que citou estudos em que camundongos com baixa quantidade de gordura apresentaram saúde muito frágil e desenvolveram doenças como diabetes. A ideia ainda é vista como uma aposta, e somente novas pesquisas é que poderão comprovar se é viável controlar o câncer atacando essas células. "Ninguém fez isso ainda, acabamos de começar os primeiros experimentos nesse sentido", explicou Kolonin. A perda de peso comum entre pacientes com câncer, porém, não serve para proteger o corpo contra esse processo. O tecido adiposo reduz de tamanho, mas não perde muitas células-tronco. Além disso, o emagrecimento ocorre nos estágios mais avançados da doença, depois que a gordura já desempenhou seu papel no crescimento do tumor. O pesquisador também considera perigoso fazer dietas para perder peso após o diagnóstico de câncer, pois a falta de nutrientes poderia acelerar o processo de migração das células adiposas para os tumores – uma hipótese que sua equipe ainda não conseguiu comprovar.
Comentar
Compartilhe
Bicarbonato De Sódio Cura Câncer
16/01/2014 | 17h24
Inicialmente banido da comunidade médica italiana, foi aplaudido de pé na Associação Americana contra o Câncer quando apresentou sua terapia. O médico observou que todo paciente de câncer tem aftas. Isso já era sabido da comunidade médica, mas sempre foi tratada como uma infecção oportunista por fungos - Candida albicans. Esse médico achou muito estranho que todos os tipo de câncer tivessem essa característica, ou seja, vários são os tipos de tumores mas têm em comum o aparecimento das famosas aftas no paciente. Então, pode estar ocorrendo o contrário, pensou ele. A causa do câncer pode ser o fungo. E, para tratar esse fungo, usa-se o medicamento mais simples que a humanidade conhece:bicarbonato de sódio. Assim ele começou a tratar seus pacientes com bicarbonato de sódio, não apenas ingerível, mas metodicamente controlado sobre os tumores. Resultados surpreendentes começaram a acontecer. Tumores de pulmão, próstata e intestino desapareciam como num passe de mágica, junto com as Aftas. Desta forma, muitíssimos pacientes de câncer foram curados e hoje comprovam com seus exames os resultados altamente positivos do tratamento. Para quem se interessar mais pelo assunto, siga o link (em inglês):não deixem de ver o vídeo, no link abaixo. O medico fala em italiano, mas tem legenda em português . http://www.curenaturalicancro.com/ Lá estão os métodos utilizados para aplicação do bicarbonato de sódio sobre os tumores. Quaisquer tumores podem ser curados com esse tratamento simples e barato. Parece brincadeira, né? Mas foi notícia nos EUA e nunca chegou por aqui. Bem que o livro de homeopatia recomenda tratar tumores com bórax, que é o remédio homeopático para aftas. E os macrobióticos consideram o câncer uma manifestação natural do meio ácido. Afinal, uma boa notícia em meio a tantas ruins.
Comentar
Compartilhe
CIENTISTAS DESENVOLVEM A PRIMEIRA CÓRNEA ARTIFICIAL
09/01/2014 | 17h38
Cientistas chineses afirmam ter desenvolvido a primeira córnea artificial. A descoberta pode ajudar milhares de deficientes visuais em todo o mundo. Os pesquisadores da Quarta Universidade Médica Militar, na cidade de Xi´an, no noroeste da China, anunciaram a descoberta após mais de uma década de esforços. O tecido artificial é baseado na córnea dos porcos. De acordo com os cientistas, os suínos são muito parecidos com os humanos em termos de órgãos e estruturas biológicas. Apesar da similaridade, eles enfrentaram, no entanto, o desafio de remover as células que poderiam causar rejeição no corpo humano e ao mesmo tempo preservar as fibras de colágeno. Os novos tecidos foram testados em 115 pacientes, que após o transplante foram submetidos a observações clínicas. Os resultados mostraram que 70% dos voluntários tiveram melhorias substanciais na visão. A córnea é a película protetora do olho, que também tem como função focar a luz. Qualquer dano ou opacidade nas córneas pode causar a cegueira.
Comentar
Compartilhe
Uma História Saborosa
06/01/2014 | 22h09
Histórias saborosas sobre o sucesso de uma das maiores produtoras de champanhe, programa de primeira para quem aprecia vinhos borbulhantes. Com tijolos aparentes e vitrines pós-modernas, a mansão de dois andares impressiona. A verdadeira riqueza do lugar, no entanto, reside 20 metros abaixo da terra, onde ficam as chamadas crayères. O nome designa um labirinto de 24 quilômetros de túneis que abrigam, devidamente trancadas em armários com cadeados, garrafas de até 106 anos de idade. Estamos em Reims, cidade do nordeste francês, a 140 quilômetros de Paris, onde nasceu e funciona a empresa produtora do champanhe Veuve Clicquot, um dos mais famosos do mundo. Fica na Place des Droits de l’Homme, num bairro afastado do centro. Da calçada não se vê muito do que acontece atrás dos altos muros e dos portões de ferro que dão acesso a uma propriedade de 5 quilômetros quadrados. Dali saem, por ano, estimados 8 milhões de unidades da tradicional bebida dourada. VEJA SÃO PAULO percorreu parte dessas galerias subterrâneas, num tour bem acessível — conforme a duração e as variedades de espumante que se quer degustar, a entrada custa entre 40 e 170 reais. Divulgação A Grande Dame rosé leva esse nome em homenagem à viúva Clicquot e tem no rótulo o ano da safra em que foi produzida: na Europa, a garrafa custa, no mínimo, 250 euros (cerca de 600 reais) A Grande Dame rosé leva esse nome em homenagem à viúva Clicquot e tem no rótulo o ano da safra em que foi produzida: na Europa, a garrafa custa, no mínimo, 250 euros (cerca de 600 reais) (Foto: Divulgação) A Grande Dame rosé leva esse nome em homenagem à viúva Clicquot e tem no rótulo o ano da safra em que foi produzida: na Europa, a garrafa custa, no mínimo, 250 euros (cerca de 600 reais) O programa, como era de esperar, encanta apreciadores de vinhos. Mas não só. Quem curte boas histórias vai se impressionar com as da empresa familiar que virou uma das mais importantes grifes de luxo do mundo. O negócio foi fundado em 1772 por Philippe Clicquot. Não se engane pelo sobrenome: quem protagoniza a trama daria as caras somente duas décadas mais tarde. Trata-se, em escala crescente de importância, de seu filho, François, e da mulher dele (aí, sim, a verdadeira estrela), Barbe-Nicole Ponsardin. Recém-casados, os dois apostaram na fabricação de champanhe. Acontece que a vida na Europa andava dura na época em que o primeiro carregamento ficou pronto, em 1803. Devido à guerra iniciada por Napoleão Bonaparte, o comércio no continente se complicou. Ruim para os franceses, que acabaram isolados por um embargo econômico, e pior para os que forneciam produtos não considerados de primeira necessidade. Vitimado pela febre tifoide, François morreu dois anos depois — segundo uma versão extraoficial, teria cortado a garganta diante da perspectiva de falência. Aos 27 anos e com uma filha de 6, sua viúva (veuve, em francês) tomou as rédeas. É uma elegante funcionária caribenha, Mélissa Gaillard, quem relata as dores e delícias de madame Clicquot durante o passeio por Reims. E o faz, conforme a nacionalidade do visitante, em inglês, holandês, francês ou espanhol. Intercala a narração com peculiaridades sobre a maison e seus arredores. Uma delas diz respeito ao solo da região de Champanhe, que possui uma camada de terra de 40 a 60 centímetros sobre um substrato de calcário. Condições, em princípio, precárias para a agricultura. No entanto, isso funciona como um regulador de umidade e de calor, o que acaba beneficiando os vinhedos — sobretudo nos 5 quilômetros quadrados que são de propriedade da marca. A combinação única desses fatores faz com que as uvas dali sejam diferentes de todas as outras. Essa é a justificativa para que apenas possam ter o nome de 'champanhe' as bebidas produzidas com frutos provenientes de uma área de 350 quilômetros quadrados, delimitada por lei. Por essa razão, o valor do hectare nos grands crus, terrenos que combinam solo perfeito e exposição adequada ao sol, chega a 1 milhão de euros (2,3 milhões de reais). As condições geográficas favoráveis não dão conta de explicar o sucesso da Veuve Clicquot Ponsardin. Ah, sim, passou a ser esse o nome da empresa pouco depois que Barbe assumiu a liderança. “Um cometa mudou a vida dela”, conta Mélissa. Foi em 1811, quando um deles cruzou o céu da região. Por causa do astro, acredita-se, a colheita seguinte apresentou qualidade acima da média.
Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Marco Barcelos

[email protected]

Arquivos