Investimentos em inteligência e tecnologia podem fazer a Polícia Federal alcançar a excelência em rendimento e produtividade. Dr. Paulo Cassiano DPF
12/04/2011 | 12h25
1 -Após várias apreensões de drogas em Campos pela Polícia Federal tendo inclusive a maior de todos os tempos, na sua visão esta grande apreensão está ligada a inteligência da PF,ou Campos hoje esta na rota de grandes traficantes de droga? As duas coisas. A repressão ao tráfico de entorpecentes é uma atribuição constitucional do Departamento de Polícia Federal e uma das prioridades da atual gestão da Delegacia de Polícia Federal aqui em Campos dos Goytacazes. Diante da escassez dos recursos do Estado e das crescentes limitações impostas pelo ordenamento jurídico ao trabalho policial, só os investimentos em inteligência e tecnologia podem fazer a Polícia Federal alcançar a excelência em rendimento e produtividade. 2- Com asfixia no grande Rio com a ocupação das favelas e instalação de UPPs, você acredita que Campos hoje está sendo ocupado por estes traficantes que estão fugindo da capital? De fato a Polícia Federal possui documentos de inteligência que dão conta que alguns desses criminosos deixaram a capital e migraram para o interior do Estado, inclusive para Campos. A maior parte deles, todavia, tem procurado se estabelecer na região do Grande Rio, da Baixada Fluminense ou encontrar abrigo nas favelas de Macaé. 3- Com o crescimento de toda a região com a vinda do porto do Açu, não esta na hora da Polícia Federal que investe em tanto equipamento de segurança, investir no material humano aumentando seu efetivo para dar maior suporte a região? As demandas da Delegacia de Polícia Federal em Campos são enormes, e tendem a aumentar com o trabalho no porto do Açu e com a previsão de explosão demográfica e econômica na região para os próximos anos. Com base nisso, já elaborei documentos solicitando a adequação de todos os recursos da unidade e os encaminhei aos canais administrativos superiores. Penso que o investimento na Polícia Federal não deva acontecer de maneira episódica, mas ser de tal modo constante que caracterize verdadeira política de Estado. 4- Esta chacina na escola municipal Tasso da Silveira no Rio de Janeiro faz com que façamos algumas reflexões, você não acha que este indivíduo com transtorno de personalidade anti-social não é um fruto social? Minhas observações, feitas à distância, indicam que o criminoso sofria não apenas de uma patologia psíquica, mas também que ele alimentou friamente, durante anos, um rancor por ter sido vítima de hostilidades por parte de colegas, naquela mesma escola. Mais do que auxílio psicológico ou aceitação social, penso que ele precisava ter tido um encontro genuíno com Deus. Apenas a fé em Jesus Cristo nos dá a verdadeira dimensão de quem nós realmente somos e nos faz transformados para a prática de atos de justiça e de amor, livrando-nos do domínio de todo sentimento negativo que há em nossos corações.
Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Marco Barcelos

[email protected]

Arquivos