O PRESIDENTE OBAMA E SEU SÉQUITO
22/03/2011 | 16h00
Caro José Eduardo como petroleiro e cidadão brasileiro, como você vê a vinda do presidente da maior potência Mundial ao Brasil? O PRESIDENTE OBAMA E SEU SÉQUITO No final da semana passada e nesta semana que se inicia, notadamente até esta 2ª feira, tivemos a honra (ou privilégio ou ... nada disso...) da visita de um de nossos maiores investidores (ou colonizadores) – Sua Excelência, o Presidente dos Estados Unidos da America, Barack Obama. Em seu discurso, bem orquestrado, nunca se viu tanta semelhança entre o Brasil e os E.U.A; nem parece que nossos nacionais são caçados como vermes na prodigiosa terra do Tio Sam ou que quase todos nossos produtos são sobretaxados e sofrem com os incentivos leoninos aplicados pelo Governo Americano, mesmo sendo tal prática condenada pela O.M.C, Organização que os Americanos, simplesmente, fingem não existir. O Presidente Obama (nos permita a licença literária) veio ao Brasil, como diziam nossos avós, “mais para espreitar do que para falar”. Veio ver a quantas andam o prestígio de nossa Presidente Dilma em seu próprio País (“se há vida” no pós-Lula!); veio para deixar claro que sabe e cobiça um pedaço do Pré-Sal (sob a disfarçada ótica positivista da livre concorrência, nem sempre ética, quando se trata dos Americanos); veio alertar que a energia nuclear não é salutar para o Mundo (salvo para as ogivas americanas e seu poderio bélico); veio para afirmar que seus aviões (leia-se caças F-18) são melhores que os outros e que transferirão a tecnologia destes (de uma forma tão hermética, como tem feito em todas transferências tecnológicas até agora); veio para, sublinharmente, nos esclarecer que devemos “esperar sentados” por uma vaga no Conselho de Segurança da ONU (principalmente porque não votamos com “eles”); enfim, veio para ver se as visitas dos Presidente Americanos ainda surtem os mesmos efeitos que os Maias sentiram quando os “Deuses Extraterrestres” aqui nos visitaram no passado andino (como diz a lenda!). O fato é que nosso País não mais representa apenas um “número” no cenário político-econômico Mundial. O Brasil, financeiramente, já produz renda e se notabiliza, cada dia mais, no cenário econômico do mundo moderno e, se não sofrermos uma hecatombe (política), estaremos ainda muito mais adiante neste cenário nos próximos 30 anos. O Brasil, como é sabido em todo Mundo (e este talvez seja o princípio de nosso fim) é o celeiro e o aqueduto do Globo Terrestre. Temos terras férteis que produzem por todo ano, em quantidade abundante (onde mais se tem isso?); temos os principais reservatórios de água potável do mundo (certamente a nova moeda-ouro do futuro!); temos toda uma costa que sobrenada por uma imensa reserva de petróleo, que de tão grande ainda é desconhecida; temos um dos maiores reservatórios do mundo de isótopos radioativos e tecnologia para produzir nossos próprios combustíveis enriquecidos (e bombas atômicas também). Em contrapartida, ante os colonizadores, temos um Povo dócil, receptivo, as vezes débil; uma Marinha sucateada que se contenta com “porta-aviões museus” de outros países, com aviões que não decolam, com navios que mal podem navegar; temos um exército despreparado, sem profissionais (pouquíssimos), que usa recrutas para serviços de agentes militares; temos uma aeronáutica inexistente, que sequer consegue dar conta do espaço aéreo que possuímos, quanto mais defendê-lo. Por fim, temos governantes imediatistas, que somente de preocupam com seus mandatos e não preparam esta Nação para um futuro que poderia ser Glorioso. Nossos visitantes sabem de tudo isso (e vieram aqui para checar!). O Presidente Obama, se observarmos bem, a despeito da estudada polidez e simpatia política, não “veio a passeio”; veio nos dizer que todos os nossos pleitos serão negados ou dificultados (ou vocês notaram alguma concessão que nos privilegiasse?). Bem fez, ao que percebi, ainda que disfarçadamente, nossa Chefe de Estado que, aparentemente, também não deu ao Alcaide Norte-Americano maior importância que ele realmente mereceria (apesar dos bajuladores e “papagaios de piratas”) ou seja, um ilustre turista! Dr. José Eduardo Pessanha da Silva – Advogado da PETROBRAS S.A.
Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Marco Barcelos

[email protected]

Arquivos