CHEGA DE CRENDICES
19/04/2013 | 02h45
Através das gerações, histórias e um conjunto de valores passam de um para o outro. Transformam-se em crendices. Criam-se os mitos, confundem-se com verdades. Muitas delas passam a fazer parte das nossas atitudes. O quê a ciência através da medicina pode esclarecer e ajudar a desmitificar sobre certos hábitos? A Folha Dois foi ouvir a médica, pós-graduada em dermatologia — área da medicina em que se concentram muitas dessas “ditas verdades”— Laura Terra. Ela que trabalha na Clínica Renova, também dá consulta ambulatorial e faz plantões em emergências da cidade, testemunha o quanto esses comportamentos estão entranhados na população. [caption id="attachment_6088" align="aligncenter" width="500" caption="Ft. Valmir Oliveira"][/caption]

 

— É senso comum dizer que chocolate causa espinhas. Posso afirmar: não é o chocolate o vilão da história. Quem tem tendência à acne deve evitar qualquer tipo de alimento gorduroso, como amêndoas, crustáceos e castanhas. Portanto, os derivados do leite devem ser consumidos com moderação, entre eles o chocolate. Eles pioram a acne, não criam. É comum também acharem que o furúnculo é uma doença do sangue, por isso volta. Não, não é. O furúnculo é uma infecção no folículo por conta de uma bactéria. A sudorese, as áreas de calor aumentam a quantidade das bactérias — esclarece. Às vezes, esses hábitos ao contrário de ajudar, atrapalham como, por exemplo, tratar queimadura com borra de café, colocar manteiga na queimadura, passar creme dental na espinha ou pegar sol para secar a espinha. “Creme dental na espinha faz uma crosta, engana, não resolve e pegar sol ao contrário piora as manchas e cicatrizes, disfarça na hora, depois o resultado não é bom”, frisa Laura Terra, também especializada em Medicina Estética e Cirurgia Dermatológica. É preciso lembrar que assim como o calor, o gelo queima a pele, ou seja, para aplicar o gelo na queimadura, nunca pode ser diretamente no tecido cutâneo. Outro fato é achar que o uso do boné provoca a queda do cabelo ou que a caspa é sinônimo de sujeira. “Não. Caspa é dermatite seborreica, nada a ver com higiene. Para quem tem dermatite seborreica o uso do boné não é indicado, pois, abafa a cabeça, no calor a oleosidade aumenta, potencializa a queda”, diz. Outra dessas verdades que circulam, mais entre as mulheres, é a de que lavar a cabeça diariamente enfraquece os cabelos, apará-los regularmente os fortalece, ou ainda, não secá-los após o banho produz queda. “Sem fundamento científico as três afirmações”, fala ela. Mais uma vez reafirma a oleosidade do couro cabeludo e o uso da química nos fios como causadora da queda e não a higiene. Um dos “recursos” das mães na educação dos filhos é dizer aos pimpolhos que mentir gera aquelas pintinhas brancas nas unhas. “Não, de forma alguma”, responde sorrindo. “As pintinhas podem ter como origem uma hipovitaminose, um trauma na unha, o uso contínuo de produtos químicos, umidade constante e a aplicação de esmaltes sem intervalo, entre outras possíveis causas”, fala. São tantas as crendices que circulam na sociedade, algumas até excludentes como as de que vitiligo e pano branco são contagiosos ou de que o adolescente que tem espinhas se masturba em demasia, que é altamente recomendado confrontá-las com um profissional. da área médica. Luciana Portinho
Capa da Folha Dois de ontem, 18/04.
 
Comentar
Compartilhe