Majestoso rio
24/11/2012 | 09h05
Em sábado ensolarado de bem com a Bienal do Livro de Campos, um pouco da poética do economista campista Ivan Vianna (falecido no ano de 2006). Majestoso rio O que pensa um rio, quando lhe sangram uma parte? Mutilado, contribuinte, encarte, usado, sofrido, maior, menor, não sei, não me fio! Sou rio majestoso, sentimentos, imagino caudaloso. Claro, você é barco sobre mim, uma ponte, ainda ínterim, construída sobre pilares enormes e passarela sem fim. Melhor será o que houver, tudo construído juntos com você, meu desejo em ter mulher, namoradinha de todos os mundos.   Ivan Vianna Julho 2003  
Comentar
Compartilhe
Sobre o autor

Luciana Portinho

[email protected]