Novo Encontro em favor da Ong Orquestrando a Vida
19/08/2014 | 11h22
 

Quem ama a ARTE e reconhece o trabalho gigantesco e bonito que eleva tantas VIDAS através da música erudita em Campos, um novo momento de luta em defesa desse universo. Que a insensibilidade e os interesses mesquinhos sejam menores, que a gente possa se orgulhar de TODOS os que mantêm, no dia a dia, a garra e a disposição de TOCAR E LUTAR!

 

 

 

Comentar
Compartilhe
Boa notícia para as regiões norte e noroeste
08/07/2014 | 02h58

Vejo a notícia da aprovação de mais um curso superior na Faculdade Redentor. Desta vez é para o campus de Itaperuna. Acaba de ser autorizado pelo MEC (Ministério da Educação) o curso de Licenciatura em Ciências Biológicas.

Bom lembrar que a Faculdade Redentor tem o melhor curso de Ciências Biológicas, segundo avaliação do próprio MEC.

A íntegra da matéria você lerá, no blog do jornalista Nino Bellieny, aqui.
Comentar
Compartilhe
Resultado de construção séria
28/11/2013 | 04h04

Comentar
Compartilhe
Zica Assis em Campos
02/08/2013 | 03h53
[caption id="attachment_6760" align="alignleft" width="300" caption="divulgação"][/caption] Zica Assis é figura notável - no mundo dos cabelos - ao valorizar a beleza do cacheado na mulher brasileira. Ao invés de escondê-los ela os revela com balanço e naturalidade. Levanta a autoestima da mulher ao descobrir que possui personalidade e beleza particular, da qual pode se orgulhar e cuidar. Zica Assis, do Instituto Beleza Natural, eleita recentemente uma das "10 Mulheres de Negócios Mais Poderosas do Brasil" pela revista Forbes e "Empreendedora do Ano" pelo Estadão PME, estará em Campos no dia 14 de agosto, para um workshop de beleza gratuito. Esse encontro especial com a maior expert em cabelos cacheados do Brasil, acontecerá no Teatro Trianon, às 19h. Workshop Beleza Natural Dia 14/08, às 19h – Teatro Trianon Rua Mal. Floriano, 211 – Centro – Campos dos Goytacazes Inscrições pelo e-mail [email protected], até o dia 5 de agosto, com nome, telefone e CPF. 300 vagas  
Comentar
Compartilhe
Atenção na data
25/06/2013 | 08h59
[caption id="attachment_6556" align="aligncenter" width="550" caption="Divulgação"][/caption]

 

Comentar
Compartilhe
Enxergar pra frente
11/06/2013 | 05h25
[caption id="attachment_6470" align="alignleft" width="200" caption="ft. Facebook"][/caption]     Trago o artigo abaixo do mural de Luis Adriano Silva - rede social Facebook. Pertinente reflexão sobre configurações que já se esboçam para o mundo do trabalho e da educação/aperfeiçoamento. Luis Adriano Silva é conhecido (e reconhecido) nosso como  administrador de vanguarda, CEO da Faculdade Redentor.       MUDANÇAS NO MERCADO DE TRABALHO E EDUCAÇÃO No início do Século XX uma das previsões em relação ao mercado de trabalho era que uma das profissões de maior futuro seria a de telefonista. A explicação era a seguinte: como a transferência de ligações era manual, seria necessário uma telefonista para no máximo X (vamos dizer 100) assinantes. Como a previsão (correta) era que o número de assinantes aumentaria aceleradamente, logo, a quantidade de telefonistas também cresceria nessa velocidade. Qual foi o erro? Simplesmente a previsão não considerou a mudança de tecnologia no processo, com a automação que tornou dispensáveis as telefonistas para intermediar ligações. Será que vamos cometer esse mesmo tipo de erro nesse ainda início de século XXI? Vejo alguma projeções nas áreas do Trabalho e da Educação que parecem reforçar o caminho nessa direção equivocada. Só que dessa vez a velocidade da mudança será ainda mais acelerada e o erro aparecerá ainda mais cedo. Previsões para daqui a 10 anos que consideram que os processos serão os mesmos de hoje! Vou abordar aqui apenas algumas tendências que terão que ser consideradas ao se fazer qualquer estimativa e projeção para os próximos 10 anos e que serão provocadas por avanços que já vem ocorrendo nas tecnologias de informação e comunicação. 1- Mobilidade, acesso e conectividade – Significando: de qualquer lugar e a qualquer hora (ou permanentemente); redução dos tempos e dos espaços. 2- Desintermediação – Significando: Se posso fazer direto, ou se uma máquina pode fazer (automação), porque preciso de alguém no meio do caminho? 3- Individual, customizado – Significando: Do meu jeito, feito para mim, no meu próprio ritmo Em função apenas desses 3 itens acima, podemos vislumbrar: As relações de trabalho e governança mudarão (independente ou apesar da legislação, que deverá vir à reboque) por conta de trabalhos realizados a qualquer hora e de qualquer lugar. Primeiro nas áreas que trabalham com informações e conhecimento: jornalismo, programação, gestão, advocacia, administração (inclusive pública!), monitoramento, controle, planejamento. Depois em todas as outras, em maior ou menor grau. Quando falo de qualquer lugar e a qualquer hora, estou incluindo e destacando que isso independe de fronteiras entre países e de fusos horários. A divisão de áreas de trabalho (setores da economia) em agricultura, indústria, comércio, serviços se mostrará totalmente irreal pela superposição e interdependência entre esses conceitos. Salas de aula com 1 professor e 20/30 alunos deixarão de existir como regra geral e obrigatória. O aprendizado é individual (sempre foi), mas a tecnologia permitirá sua libertação. O foco será o que aprende (aluno) e não o que ensina (professor) ou o local onde é ensinado (sala de aula). Progresso seriado como se fosse uma linha de produção e onde todos deverão cumprir os mesmos anos de estudo não farão sentido a partir do acesso direto ao conhecimento (desintermediação) e absorção em qualquer hora e lugar e no próprio ritmo do aluno. Todo o conhecimento necessário para cada função/profissão deverá estar devidamente estruturado e mapeado pelos bons professores e disponíveis para quem quiser e quando quiser. A troca de ideias e experiências serão o complemento (essencial). Debates, reuniões, encontros, conferencias acontecerão continuamente em um ambiente similar às redes sociais. Autonomia na busca do conhecimento? Sim! O conhecimento será certificado por entidades especializadas em Certificação do conhecimento e não por quem fornece esse conhecimento. Empresas, organizações, Universidades e governos perderão suas fronteiras físicas e o conceito de dentro/fora terá que ser revisto. Regras e conceitos associados à limites de idade também terão que mudar. Alguém com 60 anos pode aprender uma nova função e realiza-la de qualquer lugar durante mais 20 ou 30 anos. Conceitos de PEA (população economicamente ativa), PIA (população em idade ativa) e aposentadoria terão que ser atualizados. A medida da escolaridade associada à idade terá que ser revista. Algumas dessas mudanças virão (já estão aí) em menos de 10 anos. Algumas outras um pouco mais, mas chegarão. Assustador? Para muitos sim, nem tanto para quem se preparar. Desafiador? Certamente. Quando vem uma onda grande, a pessoa tem 3 opções: mergulhar achando que vai passar, fechar o olho e rezar para que não a atinja, ou pegar o ritmo e seguir no mesmo rumo da onda assumindo o controle do seu deslocamento. A escolha é sua! Paulo Milet é empresário e consultor em TI, Gestão e EAD.
Comentar
Compartilhe
Conselho Regional de Enfermagem com cursos em Campos
20/03/2013 | 01h24

Conselho Regional de Enfermagem leva cursos de capacitação a Campos dos Goytacazes

O Conselho Regional de Enfermagem (Coren-RJ) leva a Campos dos Goytacazes, nos dias 20 e 21, cursos gratuitos de qualificação para a categoria. O CapacitaCoren-RJ, projeto educativo que já habilitou milhares de profissionais da enfermagem em todo o Estado do Rio, oferece a oportunidade de atualização dos conhecimentos teóricos e práticos.

Os cursos terão lugar nos Institutos Superiores de Ensino do Censa: Administração e diluição de Fármacos (dia 20) e Farmacologia aplicada à enfermagem (dia 21). As aulas serão ministradas pelo enfermeiro especialista Thiago França. Na abertura, conselheiros e o presidente do Coren-RJ, Pedro de Jesus Silva, conversam com o público sobre a nova gestão da autarquia.

Os cursos do projeto são aplicados por enfermeiros especialistas, mestres e doutores, e as disciplinas priorizam a aplicação prática do conhecimento, elaboradas a partir da observação e análise das maiores dificuldades relatadas pela própria classe, no dia a dia do serviço. Um dos objetivos do CapacitaCoren-RJ é evitar negligência ou imperícia no exercício profissional de enfermagem.

"Atualizar os conhecimentos da enfermagem é um compromisso do Coren-RJ. É uma forma de devolver à categoria o investimento que ela faz no Conselho, na forma de ensinamentos técnico-científicos aplicado por mestes, doutores e especialistas. Em 2013, vamos ampliar a área de atuação do projeto, para garantir uma cobertura melhor em todo o estado", informa o presidente da entidade, Pedro de Jesus Silva.

PROGRAMAÇÃO

Administração e diluição de Fármacos

Data: 20/03/2013 – das 9h às 18h

Farmacologia aplicada à enfermagem

Data: 21/03/2013 – das 9h às 18h

..............................................................................

Local: Institutos Superiores de Ensino do Censa

Rua Salvador Corrêa, 139 – Auditório - Centro

Vagas para cada aula: 150 lugares

Grátis para equipes de enfermagem, acadêmicos dos dois últimos anos da universidade e estudantes do último ano do curso técnico de enfermagem.
Inscrições: http://capacita-coren.econrio.com.br/

INFORMAÇÕES: Gabriel Oliven

Roda Viva Comunicação

Tels 21 2215-4106 e 8123-5296

Comentar
Compartilhe
BEM NA FITA I
28/12/2012 | 08h38
No rol das melhores notícias do final do ano que se vai em breve, está o da classificação da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF), na frente de todas as demais universidades e faculdades, do estado do Rio de Janeiro. A UENF aparece como 1º lugar na classificação do Índice Geral de Cursos (IGC), de 2011, divulgado nesse mês de dezembro pelo Ministério da Educação. Para o município de Campos a notícia levantou a moral que andava baixa ao saber que figurava como o último colocado no ranking fluminense do ensino fundamental (Ideb). Outra instituição de ensino superior, ainda mais jovem do que a UENF a despontar com uma avaliação bem positiva é a Faculdade Redentor, que se fixou em Campos a bem pouco tempo.  A Faculdade Redentor, existe há 10 anos em Itaperuna, cidade polo da vizinha região noroeste fluminense. Em 2012 a Redentor colheu pelo mesmo IGC a classificação como o melhor curso de Biologia do Brasil, obteve a nota máxima de 5 (cinco). Também pelo Índice Geral de Cursos (IGC) a Faculdade Redentor está colocada entre as 3 primeiras instituições universitárias das regiões Norte e Noroeste Fluminenses. Logo abaixo da Uenf que obteve 3,92 pontos e quociente  4, a Redentor atingiu 2,71 pontos e quociente 3 e o Isecensa 2,33 pontos e quociente 3. O Diário Oficial da União, seção 1, da quarta-feira, 19/12/12 tornou publico o fato de que não poucas universidades federais e outras tantas particulares pelo país afora, foram mal colocadas, ficaram com quociente final sofrível de  1 ou 2 no IGC. Cabe então um sonoro PARABÉNS, à nossa Uenf, bem como à agora também nossa Redentor. Nos colocaram bem na fita. Que venha 2013! Um forte abraço de esperança em todos!
Comentar
Compartilhe
SUPERAÇÃO: limites e caminhos
15/12/2012 | 10h57
Gestão Profissional no Ensino Superior brasileiro: Limites e caminhos para superação [caption id="attachment_5422" align="alignright" width="223" caption="Ft. Google"][/caption] André Raeli Gomes Perceber e entender a realidade gestora do ensino superior brasileiro tem sido objeto de pesquisa da grande maioria dos gestores educacionais. Discutiam-se mídias digitais como a grande vertente do crescimento. Recursos, tecnologias, ambientes virtuais de aprendizagem se tornariam a diferença competitiva até que, adquirir técnicas gestoras seria condição de sobrevivência nesse terreno sombrio, de intempéries constantes (BRAGA, 2010). O caminho então passa a ser avaliar o que funciona e o que não funciona na IES. Aborta uma estrutura amadora, em suas práticas; conservadora, na gestão e; negligente, quanto a cobranças de resultados (BRAGA, 2010). Começa a equilibrar a proporção atividades meio e fim. Inicia um processo de controle de inputs (entradas) e outputs (saídas), desde o mais elementar insumo até o acompanhamento do egresso como a mais nobre ferramenta de marketing da IES. Diante do cenário eminente de profissionalização do saber e da forma de ensinar o saber, o primeiro passo é enxergar o “como fazemos” e propor uma convergência com o “como fazer”. As IES crescem em forma, conhecimento e visibilidade. Discutir princípios gestores é prioritariamente definir “Planejamento Estratégico” (FALCONI, 2009) Como definir tal planejamento de ações futuras se os envolvidos são meramente “acadêmicos”? É preciso, nesse momento, aliar de forma prioritária, princípios administrativos ao conhecimento científico, já propostos por Taylor há bastante tempo (TAYLOR, 1995). Transformar o Coordenador Acadêmico em Gestor Acadêmico é sem dúvida o insight necessário nessa virada de década para tornar o Curso e, sobretudo a IES, viva e detentora de uma inteligência competitiva oriunda de um processo de gestão antecipatória, onde possibilita a Instituição adequação às mudanças de mercado (MAXIMIANO, 2002). O grande desafio então é – antes de discutir e cobrar resultados – “capacitar os escolhidos” ou “escolher os capacitados”? Sem dúvida, a primeira alternativa será a escolhida. “Garantir o papel de cada um no esforço empresarial” (FALCONI, 2009). O staff já está definido, o que se deve trabalhar é disseminação da governança corporativa, ou seja, a forma da IES pensar e agir. Uma vez adquirida, envolver os principais atores no processo gestor será conseqüência. Reduzir o turnover de pessoal é o carro chefe do processo, uma vez que o conhecimento é capturado pelo gestor, instigá-lo a participar como administrador do seu curso é uma questão de tempo. Esse profissional não pode ser substituído, ele é a essência da atividade meio da IES (GARCIA, 2005). Ele passará de crítico ao sistema para crítico do sistema. Esse processo se dará de forma gradativa, mas sólida, com investimento demandado e fomentado pela própria IES, culminando no princípio de que, educação e curto prazo são elementos que não combinam. Voltar ao nosso “chão de fábrica” e comparar processos e objetivos à indicadores pré-definidos, como o IGC, nos faz perceber em nossa essência tácita e empírica, de natureza estritamente acadêmica, a necessidade da definição de novos indicadores, que de fato representem a “medida” do nosso egresso e da nossa educação, permeando necessariamente pela figura do gestor. Não é justo virarmos reféns, muitas vezes, de indicadores qualitativos de manuais de avaliações, onde nos imputa uma classificação ordinal gerando uma nota que hoje garante a sobrevivência ou não da IES - fatalmente, e ao mesmo tempo estarmos preocupados com a coerência organizacional e com a formação plena da equipe, passando de um staff intelectual para um staff essencial, agregando o conceito de essencial àquilo que hoje é visto como periférico, garantindo a marca e a identidade institucional (NADLER e TUSHMAN, 2000)(grifo nosso). André Raeli é diretor da Faculdade Redentor Campos-RJ REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: FALCONI, V. O Verdadeiro Poder. Nova Lima: INDG Tecnologia e Serviços Ltda, BH, 2009. BRAGA, R. Evolução das Práticas de Gestão nas IES Brasileiras 2001-2010: A gestão vista como inovação para o setor educacional. HOPER Educação. São Paulo: 2010. MAXIMIANO, A. C. A. Teoria Geral da Administração: Da revolução urbana à revolução digital. 3ªed. São Paulo: Atlas S.A., 2002. NADLER, D. A., TUSHMAN, M. L. A Organização do Futuro: As lições mais importantes do século XX e os próximos desafios que levarão ao novo desenho da empresa. HSM Management, nº 18, janeiro –fevereiro, 2000. TAYLOR, F. W. Princípios da administração científica. São Paulo: Editora Atlas S.A., 1995. GARCIA, M. Três grandes tendências para o ensino superior privado no Brasil. Revista Ensino Superior, São Paulo/SP, n.77, p.41-43, fev., 2005. Texto extraído do http://bracosabertosnb.wordpress.com/2012/06/21/caminhos-para-a-superacao-artigo-de-andre-raeli-3/
Comentar
Compartilhe
BEM NA FITA
08/12/2012 | 09h43
Há pouco tempo na cidade de Campos e há 10 anos na cidade próxima de Itaperuna a Faculdade Redentor tem motivos de sobra para comemorar. Em uma única semana, dois de seus cursos de graduação obtiveram ótima avaliação. O Curso de Biologia da Faculdade Redentor Itaperuna ficou no extraordinário primeiro lugar no Brasil. Também o Índice Geral de Cursos (IGG) da Redentor cresceu 30% em relação a 2011, consolidando o crescimento contínuo da referida IES. Todos os cursos avaliados tiveram seu CPC em crescimento, ratificando a Faculdade como a melhor IES da Região e a melhor em Biologia de todo o país. (fonte-MEC) Ontem (7/12), mais um público reconhecimento. Dessa vez o curso Engenharia é classificado entre os melhores do país, ver a publicação na revista Exame aqui . Bom para a Faculdade Redentor, muito melhor para as regiões norte e noroeste fluminenses. Eu, já fiz o vestibular. Passei e me matriculei. Volto firme aos bancos universitários. Para quem ainda não fez, aproveite o mês de dezembro e se inscreva no Vestibular Agendado!  
Comentar
Compartilhe
Próximo >
Sobre o autor

Luciana Portinho

[email protected]