ESTÁ ENCHENDO
16/12/2013 | 12h48
Está enchendo Entra ano, sai ano, e já estão enchendo a paciência as enchentes e as defesas civis que entram em alerta quando chove mais um pouquinho. Uma pergunta não quer calar: por qual razão não estão alertas o tempo todo? E mais do que isso, em período de clima estável e propício a serem feitas as obras necessárias, para quando chegarem as chuvas não entrarmos em pânico pelos desastrosos efeitos das tempestades e do excesso de água. No meu entender, como médico que sabe ser infinitamente mais acertado prevenir a remediar, os gestores estaduais e municipais - por mais ou menor que seja o município, mais rico ou mais pobre - deveriam ter um plano com início, meio e continuidade em relação a esta problemática. A impressão que fica é a de que depois da dor de barriga passada ou da dor no peito vencida, sente-se um alívio e acredita-se na não repetição de chuvas fortes no futuro. Esquecem-se de que as estações do ano se sucedem e graças a Deus, nunca irá parar de chover, pois, se dependesse dos “competentes gestores” e dos predadores da natureza o nosso planeta já teria acabado há muito tempo. Só que Deus fez da Terra um organismo vivo, com uma capacidade de recuperação que supera em muito a imbecilidade humana. Senhores gestores, visto que não é permitido a vocês modificarem a natural seqüência das estações do ano, certamente se o fosse, inventariam uma lei para isso, a exemplo de um vereador que, pasmem, desejou mudar a Lei da Gravidade, sendo alertado por outro edil, não ser possível mexer nesta lei já que era uma lei federal. Quero alertar os doutos gestores da universalidade dessa lei; não dá para mexer mesmo. Temos mais é que nos adequar e tomar as medidas necessárias para que não sejamos “surpreendidos” pelas recorrentes enchentes. Não são os rios que avançam no quintal das casas construídas contra o bom senso e sim são elas que invadem os quintais dos rios e depois ficam lamentando quando os rios retornam ao seu quintal. Será mesmo difícil alcançar tão simples entendimento; existirão outras motivações ou, ainda, explicações por trás de tamanha imprevidência.   Makhoul Moussallem         Médico, Conselheiro do CREMERJ e do CFM
 
Comentar
Compartilhe
Leitor sugere ajuda à PM
18/10/2012 | 01h29
Por gentileza solicito por este espaço: VAMOS AJUDAR A PM A PRENDER MAIS LADRÓES E TRAFICANTES…DISQUE DENÚNCIA: 27231177 OU 190!!! VAMOS ACABAR COM ESTE ALTO ÍNDICE DE VIOLÊNCIA E CRIMES EM NOSSA CIDADE AMADA!! 27231177!! ADOTE ESTA IDÉIA!!! NOSSA UPP (UNIÃO DA POLÍCIA COM A POPULAÇAO)!!! TODOS TEMOS A OBRIGAÇÃO E O DEVER MORAL DE AJUDAR A POLÍCIA!!! SÓ DEUS É ONIPRESENTE!!
Comentar
Compartilhe
Vice-Governador em Campos
09/01/2012 | 11h56
A pedido do governador Sérgio Cabral, Pezão está presente em Campos. Veio na função de Coordenador de Infra-Estrutura do estado. Após reunião com seis prefeitos das regiões norte e noroeste  fez questão de em Campos pernoitar, não sem antes ir ao encontro da Prefeita Rosinha.  Amanhã, agendadas outras vistorias e uma reunião que acontecerá as 9:20h - em Campos - com os Ministros da Integração Nacional, Fernando Bezerra e dos Transportes, Paulo Sérgio Passos. Irão também a Sapucaia. A previsão do serviço de metereologia para o sudeste e região não dá alívio. No estado, já são mais de 10000 os desabrigados e uma morte. Nada de alarme mas novas providências terão que ser acionadas. Somar esforços e minimizar perdas, a razão da presença do vice-governador pelos municípios do norte e noroeste. Vistoriar de perto a situação para poder planejar as ações da Defesa Civil. Há possibilidade de novas chuvas. E os rios (totalmente assoreados) e já com suas cotas bastante ultrapassadas nada mais absorvem. Por verões diversos, vivenciei esta realidade lá em Ernesto Machado, São Fidélis. Sei a aflição que é. Se chover aqui piora tudo ainda mais. A abertura de uma barragem em Além Paraíba - pode ser necessária lá para o manejo das águas da barragem - aqui em nada facilitará a vida dos que habitam as margens do rio Paraíba.  É uma vazão artificial - tremenda e repentina - que só fará o nível do Paraíba invadir áreas ainda não atingidas. Asseguro, dá medo ver na largura em que o rio Paraíba se transforma. Com suas águas barrentas vem raspando tudo pela frente e laterais. Além do trabalho e da preocupação no pico, o prejuízo é grande.  
Comentar
Compartilhe