PT:UNIDADE NA RENOVAÇÃO
09/12/2013 | 05h35
Na presença de todas as sociedades médicas municipais, o médico campista Makhoul Moussallem - ou simplesmente como é conhecido, Dr. Makhoul -  foi eleito Médico do Ano de 2013 pela Sociedade de Medicina do Estado do Rio de Janeiro. A solenidade de premiação aconteceu no fim de semana passado, em Búzios. Pelo município do Rio de Janeiro, foi eleito o neurocirurgião Paulo Niemeyer Filho. Agora, chega a hora de assumir  a presidência do Diretório do PT de Campos.  Na ocasião de sua eleição, o médico declarou ao blog, “Precisamos formatar projetos necessários para o desenvolvimento da região independente do petróleo e do pré-sal, projetos que contemplem a sustentabilidade. Áreas como saúde, educação, agricultura, mobilidade urbana e rural, segurança e polo de tecnologia requerem nossa atenção. Enquanto presidente do PT, penso que o partido tem que mudar a política regional e municipal, criar uma agenda para 2014 e 2016, um partido político não pode deixar de buscar o poder sob pena de não existir”. A  posse de Makhoul, inicialmente prevista para fevereiro de 2014, foi antecipada. Será  hoje, às 20h, na sede do partido localizada na Av. Alberto Torres. Termina movimentada a agenda profissional e política do médico campista que foi o segundo colocado na eleição a prefeito de 2012. Mais sobre a renovação do PT em Campos, veja aqui. [caption id="attachment_7302" align="aligncenter" width="620" caption="Ft. Luciana Portinho"][/caption]

 

Como disse a colega Suzy Monteiro em seu blog, "Assim, o ano eleitoral de 2014 já será iniciado com o PT de cara nova", ver aqui.
Comentar
Compartilhe
Deu no que deu e o que deu foi pouco
08/10/2013 | 04h56
Repercute na mídia nacional,até os dias de hoje, o disparate do uso indevido dos equipamentos públicos urbanos pintados de rosa, rosinha, lilás ou roxo paixão pela prefeitura de Campos. Em qualquer tempo seria  absurdo, naquele, às vésperas das eleições de 2012, uma despropositada arrogância. Quem não se lembra, o que é bem improvável, releiam aqui o post em que fizemos a denuncia. "É intensa a disposição da PMCG para pintar a cidade de lilás ou roxo paixão. Domingo (23/09), às 14.15h, esquina da Beira Valão com Formosa, lateral do  Mercado Municipal,  e a equipe da EMUT fazendo hora extra". Também fizemos este outro aqui, passem os olhos. Hoje, o blog do colega Gustavo Matheus, trás o seguinte:

Ricardo Boechat sobre os postes rosáceos: “Imbecil, idiota e criminosa”

Por Gustavo Matheus, em 08-10-2013 - 14h58
 
Na TV, o jornalista apresenta o Jornal da Band 
O jornalista Ricardo Boechat disse o seguinte, hoje, no programa de rádio Band News FM, no Rio de Janeiro: “Imbecil, idiota e criminosa… Uma pessoa que usa dinheiro público para pintar postes com as cores da sua campanha eleitoral. Nunca vi tamanha babaquice”. Fecha a conta e passa régua! (ver aqui)
Comentar
Compartilhe
Odisséia Carvalho, uma baixa na oposição
11/10/2012 | 09h41
[caption id="attachment_5001" align="alignleft" width="400" caption="Ft.Antônio Cruz"][/caption] Não há dúvida que a vereadora de oposição Odisseia Carvalho (PT) incomodava e bem a majoritária bancada da situação na Câmara de Vereadores. Não por acaso foi para as páginas, no dia de hoje (11/10), do jornal simpatizante às ações do poder publico municipal. Esclareço que a vereadora não conquistou seu mandato com o meu voto, mas, ao fazer a cobertura jornalística semanal para o jornal Folha da Manhã, me conquistou pela seriedade, assiduidade e firmeza incansável na lida da tribuna parlamentar. Desagradaria, por óbvio, à uma maioria insegura ainda que numericamente maior; a bancada situacionista bateu de 12x5, e o rolo compressor rechaçou toda e qualquer indicação contrária aos interesses do poder local. Assim é que o mesmo Sêneca afirmou, “Na vida pública, ninguém olha para os que estão piores, mas apenas para os que estão melhores”. É o tal do pescoço torto que o povo na sua simplicidade fala. Por mais que o contraditório político incomode, o pensamento crítico é necessário a qualquer sociedade desenvolvida,  por excelência nos impulsiona rumo à superação. A vereadora fará falta sim, na nova Câmara Municipal que se empossa em 2013.
Comentar
Compartilhe
Tudo passa..."eu passarinho"
09/10/2012 | 12h09
Afinal o quê são 539 votos para quem poucos anos atrás obteve das urnas 120 mil votos? É mesmo espantoso. Deve estar sendo penoso ao ex-secretário de Saúde de Campos, ex-vereador, ex-presidente da Câmara Municipal e ex-prefeito Alexandre Mocaiber (PSB) calmamente digerir o resultado abaixo do que certamente projetou ter. Muitas são as variantes de análise, desde a política conjuntural à de natureza financeira. De todas, asseguro ao ex-prefeito duas são realidades incontestes. A primeira diz respeito ao poder e às suas circunstâncias - aduladores do poder e os interesses imediatos do  cordão de puxa-sacos aos portadores deste. A outra é compreender  o quão volátil é a cabeça do ser humano especialmente este, que quando em vez,  transforma-se em eleitor. De tempos em tempos a sociedade passa o cerol em um e  dá linha para um outro. Assim foi, assim tem sido. Líderes foram amados, idolatrados, depois sumarizados, jogados às feras ou ao ostracismo. É mesmo impiedosa essa nossa raça humana. É o que tenho para transmitir ao pai de família, médico e ex-prefeito: solidariedade em momento nada confortável de baque nas urnas - também passageiro como tudo o mais. [caption id="attachment_4965" align="aligncenter" width="400" caption="Foto de campanha"][/caption]

 

Para você leitor, copio abaixo post que fiz quando ainda no início das eleições, o recebi em minha residência.  

Dois cafés e uma conversa

Por lucianaportinho, em 02-08-2012 - 6h04
Recebi esta semana uma visita. Veio em minha casa tomar um café. Ele o ex-prefeito Alexandre Mocaiber. Ele que além de prefeito também foi por 6 anos secretário municipal de saúde, no tempo presente é candidato a vereador nas próximas eleições pelo PSB.  Conhecemo-nos quando então presidente da Câmara Municipal assumiu o cargo de prefeito interino de Campos – naqueles episódios conturbados das eleições de 2004 – que repercutiram no ano de 2005. Naquele ano, no mês de maio, o prefeito eleito Carlos Alberto Campista após derrotar o grupo político de Garotinho, enfrentou uma batalha judicial que lhe retirou sumariamente o cargo conquistado nas urnas. Mocaiber entrou sem açodamento, encontrou uma administração em andamento já com as primeiras ações de governo em curso e os cargos de direção política preenchidos. Teve discrição e tino político em saber compor e sem criar um vácuo no governo imprimir sua marca de conciliador por natureza. Convidou-me a permanecer à frente da presidência da Fundação Cultural Jornalista Oswaldo Lima. O primeiro projeto – do qual guardo maior orgulho – já com ele prefeito e com seu integral apoio, foi o do traslado dos restos mortais do ex-prefeito Barcelos Martins para o Pantheon dos Heróis de Campos (que reformamos), um ato simbólico de reparação histórica. Deposto pela força do golpe militar de 64, Dr. Barcelos tomado pelo desgosto faleceu. Foi então proibido pela junta militar de ser sepultado em Campos, sua terra natal, tendo sido sepultado então no cemitério São João Batista, Rio de Janeiro. Tantas foram as iniciativas que a equipe da FCJOL, tomou à época de sua gestão, desde a inauguração do Museu Olavo Cardoso, da consolidação das Bienais do Livro de Campos como o maior evento literário do interior do estado, da ampla reforma do Auditório Prata Tavares, da realização da Conferência Municipal de Cultura “toda gente é cultura”, da criação oficial do Conselho Editorial da FCJOL, da criação do Conselho Municipal de Cultura, da realização do I Salão Internacional de Humor Ecológico de Campos, da implantação da Biblioteca Infantil Lúcia Miners, e de inúmeras outras ações no campo da cultura e da preservação do patrimônio. Em todas, sem exceção, Alexandre Mocaiber nos depositou irrestrita confiança e liberdade. Todos sabem que no meio de seu mandato, Mocaiber, enfrentou a mais espalhafatosa, violenta e estranha ação policial desta planície. Criado um palco com luzes, microfones de longo alcance e muita encenação massivamente repetida em meios de comunicação nada idôneos,  transformado em vilão da noite para o dia. Sofreu calado junto aos seus filhos e sua corajosa mulher a perseguição ensandecida que até agora, passados quase 5 anos, nada de concreto apurou. Recentemente, até um juiz federal se manifestou sobre a suposta evidência da incorreção original do gigantesco processo.
Ft.Luciana Portinho
No seu jeito de ninguém atacar e como afirma “fazer política olhando para frente e não para o retrovisor”, Mocaiber vai nessas eleições próximas buscar a conquista de seu terceiro mandato de vereador. Passados quatro anos do nosso afastamento, entre nos dois ficou um respeito e consideração benéfica a ambos. Faço aqui o meu registro.
 
Comentar
Compartilhe
No horizonte: futuros possíveis
07/10/2012 | 09h55
Hoje (7 de outubro) cedo na rua, pelo jornal Folha da Manhã, em entrevistas com candidatos a prefeito de Campos. Logo me deparei com duas das futuras possibilidades da renovação na política em Campos. São eles: Rafael Diniz e Rogério Matoso. Dois jovens de passado limpo, de presente atuante, de futuro em construção. Sou daquelas que carrego a certeza de que a via da transformação social é pela POLÍTICA. Uma essencial atividade humana - tão nobre quanto antiga – que tem sido irresponsavelmente achincalhada na última década em nosso país, continua a tocar fundo em mim, é vital à permanência da vida em sociedade. Deixo aqui os dois depoimentos colhidos. Por uma coincidência, os dois pertencem ao mesmo partido político, o Partido Popular Socialista (PPS), legenda que saiu das entranhas do antigo Partido Comunista Brasileiro (PCB), carinhosamente chamado Partidão. Muita água rolará e...  pedras também. [caption id="attachment_4948" align="alignleft" width="300" caption="ft.Folha da Manhã"][/caption] Rogério Matoso (PPS) Confiante de ter feito a opção correta, ao abrir mão da sua reeleição de vereador, Rogério Matoso (PPS) vice-prefeito na chapa junto com Arnaldo Vianna (PDT), afirma ter aprendido bastante nessas eleições municipais. Sem querer detalhar projetos futuros, afirma: “Meu passo sempre foi um passo atrás do outro, não tenho sangria desatada pelo poder. Lutamos e prometo continuar na luta de maneira propositiva que é o meu modo de fazer política. Fizemos um trabalho altivo, ainda acredito na possibilidade de um segundo turno nesta eleição judicializada ao extremo o que é ruim para o processo político de Campos. Quais são os desdobramentos? A morosidade da justiça põe o eleitor em dúvida; é mais um pleito sub judice?, indagações que deixou no ar Matoso.       [caption id="attachment_4949" align="alignleft" width="400" caption="Ft. Luciana Portinho"][/caption]   Rafael Diniz (PPS) Realizando o sonho de poder votar em si próprio pela primeira vez, o candidato a vereador Rafael Diniz (PPS) se mostra satisfeito com o trabalho alcançado. “Persigo no sonho, de meu pai o ex-deputado Sérgio Diniz e de meu avô o ex-prefeito Zezé Barbosa, de lutar para que a nossa cidade seja melhor. Surpreendi-me com a quantidade de pessoas que não só acreditaram em mim com também abraçaram a ideia tornando a nossa candidatura coletiva. Pela minha história familiar, não nego, estou emocionado. O trabalho está só começando. Temos que mudar um pouco o perfil da política. Pela importância da política em nossas vidas não podemos ter nojo da atividade. É o início para voos futuros”, declarou Rafael.    
Comentar
Compartilhe
TRE-RJ: Eleição com Centro de Inteligência
05/10/2012 | 09h18
TRE-RJ inaugura centro de inteligência para monitorar segurança das eleições O presidente do TRE-RJ, desembargador Luiz Zveiter, vai inaugurar, às 13h deste sábado, dia 6, as instalações do Centro de Controle e Comando das Eleições 2012. Imediatamente após a cerimônia, o local passa a centralizar o processamento das informações que vão servir de base para a tomada de decisões sobre a segurança do pleito. O Centro vai funcionar de forma ininterrupta até a conclusão da totalização dos votos de todo o Estado do Rio, o que inclui a madrugada de domingo, quando haverá patrulhamento ostensivo para coibir o crime de boca de urna. Trata-se da primeira vez que o TRE-RJ monta um centro de inteligência deste porte para as eleições. Articulado ao Disque Denúncia Eleitoral, ao Disque Denúncia da Polícia Civil e ao telefone 190 da Polícia Militar, o Centro de Controle e Comando vai filtrar as informações por cada força de segurança, para separar os delitos segundo o grau de potencial ofensivo. Crimes eleitorais mais graves, como a compra de votos, receberão prioridade. O Centro terá 13 computadores interligados em rede de banda larga com velocidade de 10 Mb. Para garantir a estabilidade da conexão, haverá a presença de representantes da Anatel, Embratel e Oi no local, que também está equipado com um telão com datashow. Além do TRE-RJ, integram o Centro de Comando e Controle representantes da Marinha, do Exército, da Secretaria de Estado de Segurança Pública e das Polícias Federal, Civil, Militar e Rodoviária Federal. * por e-mail, Ascom TRE-RJ
Comentar
Compartilhe
Fiscais falsos são presos em ação
05/10/2012 | 02h53
?Abram os olhos, apurem os sentidos que tem de tudo... A equipe de fiscalização da 143ª ZE flagrou um policial militar e um bombeiro, armados, atuando ilegalmente como fiscais da propaganda na praça Araribóia, no centro de Niterói. Os dois militares, vestidos à paisana, estavam retirando placas e faixas de campanha quando foram abordados pelos fiscais do TRE. De acordo com o depoimento do bombeiro, a dupla estava atuando a mando do Partido dos Trabalhadores (PT). A juíza Rita de Cássia Vergette, responsável pela fiscalização da propaganda no município, determinou a prisão em flagrante por crime eleitoral e o encaminhamento dos dois à Delegacia da Polícia Federal em Niterói. *por e-mail da Ascom do TRE-RJ
Comentar
Compartilhe
Cabral com Fátima
04/10/2012 | 06h39
  Na reta final de campanha o governador Sérgio Cabral (PMDB) em apoio  a candidata a prefeita de Quissamã, Fátima Pacheco (PT, esteve presente em Quissamã, na   quarta-feira (03/10). Cabral movimentou o centro da cidade ao participar da caminhada de Fátima. Cerca de duas mil pessoas andaram junto do governador  e também ao lado do vice-governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), do prefeito Armando Carneiro (PSC) e do candidato a vice, Arnaldo Mattoso (PMDB). Ao término da caminhada foi realizado um comício relampago ao meio de populares e militantes. O governador mandou um recado ao adversário da petista, o ex-prefeito Octávio Carneiro (PP). “Se ele estivesse aqui, na minha frente, eu diria pra ele: é preciso saber a hora de parar”. E afirmou, "É um prazer estar aqui em Quissamã para apoiar esta chapa vencedora: Fátima e Arnaldo. A aliança política que tem dado certo no governo federal, com o PT e o PMDB de Dilma e Michel Temer, eu tenho certeza que também dará certo aqui em Quissamã”, discursou. Cabral reafirmou a importância do apoio dos governos federal e estadual para a futura prefeita do município dar continuidade ao projeto do Complexo Logístico Farol/Barra do Furado. Fátima agradeceu o apoio e disse que Quissamã precisa estar em sintonia com as políticas públicas implementadas em outras esferas de governo. “O estado do Rio nunca cresceu tanto. Graças ao trabalho do governador Cabral na áreas de saúde, educação e geração de emprego. Hoje, ao contrário das gestões anteriores, o Rio tem um governador que dialoga com o governo federal e pode trazer grandes avanços, como o combate a violência”, frisou a candidata. Também divulgado no blog Na Curva do Rio, da jornalista e colega Suzy Monteiro, ver aqui.
Comentar
Compartilhe
Orientação ao eleitor
04/10/2012 | 04h43
Em contagem regressiva para o 1º turno das eleições, que se realizará no próximo domingo, dia 7 de outubro, o TRE-RJ alerta os eleitores quanto a alguns cuidados que devem ser observados no dia do pleito. Um dos pontos principais diz respeito à proibição do uso, na cabine de votação, de celular, equipamento de radiocomunicação ou qualquer outro equipamento que possa comprometer o sigilo do voto. E o Tribunal volta a lembrar aos eleitores que não aceitem qualquer tipo de intimidação: a urna é totalmente inviolável e o voto absolutamente secreto. Ninguém tem como saber em quem o eleitor votou. No dia da votação, são proibidos também a aglomeração de pessoas e veículos com material de propaganda, o uso de alto-falantes, a realização de comícios, carreatas, transporte de eleitores e boca-de-urna, e qualquer espécie de propaganda de partidos políticos ou de candidatos em publicações, como panfletos e cartazes. Porém, não é considerada propaganda a manifestação individual e silenciosa da preferência do eleitor por partido político, coligação ou candidato, através de adesivos, bandeiras e broches. “Está proibido tudo que não seja button, adesivo e bandeira. A manifestação silenciosa tem que ser desta maneira. Fora isso, é propaganda irregular”, avisa o presidente do TRE-RJ, desembargador Luiz Zveiter. No dia 7, o cidadão deve comparecer ao local de votação com um documento de identidade com foto e, preferencialmente, o título de eleitor. Caso tenha perdido o título, o eleitor pode consultar qual a sua seção eleitoral e local de votação no site do TRE-RJ (www.tre-rj.gov.br) ou do TSE (www.tse.gov.br), na aba “Eleitor”, opção “Título e local de votação”. É importante que o eleitor leve uma “cola” no momento de votar, para não errar o número de seus candidatos. De acordo com a Constituição Federal, o voto é obrigatório para os maiores de 18 anos e menores de 70, e facultativo para o eleitorado entre 16 e 18 anos, para os maiores de 70 anos e para os analfabetos. Tem preferência na hora de votar os candidatos, os juízes, seus auxiliares e servidores da Justiça Eleitoral, os promotores eleitorais, os policiais militares em serviço, os eleitores maiores de 60 anos, os enfermos, as gestantes e as lactantes. Para votar, o eleitor com deficiência poderá contar com o auxílio de pessoa de sua confiança, ainda que o acompanhante não tenha sido requerido antecipadamente ao juiz eleitoral. A votação terá início às 8 horas da manhã e será encerrada às 17 horas. Após esse horário, só poderão votar os eleitores que já estiverem na fila às 17h, aos quais serão distribuídas senhas numeradas. No dia da eleição, o eleitor que estiver fora de seu domicílio eleitoral deverá justificar sua ausência, em qualquer local de votação ou posto de justificativa, munido do título eleitoral ou de um documento oficial de identificação com foto e o respectivo formulário devidamente preenchido. O formulário Requerimento de Justificativa Eleitoral pode ser obtido, na Internet, por meio do link www.tse.jus.br/eleitor/justificativa-eleitoral/justificativa-eleitoral. Caso o eleitor não apresente a justificativa no dia da eleição, deverá apresentá-la, em até 60 dias, ao juiz da zona eleitoral onde é inscrito. O eleitor com domicílio eleitoral no Brasil que esteja em trânsito no exterior e não tenha votado nas eleições terá ainda o prazo de 30 dias após seu retorno ao Brasil para justificar sua ausência. Ascom TRE-RJ
Comentar
Compartilhe
Uso e abuso
01/10/2012 | 08h16
Assim,  as últimas semanas das eleições municipais em Campos têm sido.  Um uso indevido, um abuso no uso da máquina pública.Por essas e outras  é que o instituto da reeleição não pode continuar no Brasil. Sou contra por criar uma absoluta disparidade um desequilíbrio constante que a Justiça Eleitoral por mais que se esforce não dá conta. Além dos postes e banheiros químicos pintados, alugados e pagos com recursos públicos, agora há índicios de que chegaram à máxima de utilizar o sítio oficial da Prefeitura Municipal de Campos dos Goytacazes para não só noticiar como também para propagandear. Resultado:  até a página oficial, sofreu intervenção da Justiça Eleitoral. Permanece o site no ar, mas, sem qualquer "notícia", ver aqui. Complicado,  e triste. * Notícia veiculada no blog do Claudio Andrade, ver aqui
Comentar
Compartilhe
Próximo >
Sobre o autor

Luciana Portinho

[email protected]