BANHO DE MAR
30/11/2013 | 08h45
Banho de mar O câncer de pele é o mais prevalente na raça humana incluindo aí, mama, colo de útero, pulmão e próstata. A importância do assunto, por isso mesmo, é ditada pela frequência em que acomete indistintamente a todos. Pela proximidade do verão, por ser amanhã o Dia Nacional de Combate ao Câncer de Pele, procurei o colega dermatologista, Edilbert Pellegrini, de onde extraí algumas orientações que repasso a você, leitor. O Instituto Nacional do Câncer estima para o ano corrente – 2013 – 134 mil novos casos de câncer de pele. Desses, seis mil e 200 serão de melanoma, o mais agressivo de todos. Segundo Edilbert, o grande responsável por essa prevalência do câncer de pele sobre os demais é a exposição solar, seu dano é cumulativo: o de ontem se soma ao de hoje. Portanto, fica claro que os cuidados devem se iniciar na infância. O uso do chapéu, da camisa, óculos escuros e filtro solar, ajudam na proteção. Devem ser utilizados sempre. Evita-se assim a queimadura solar tão comum nas crianças e, por tabela, o envelhecimento da pele naqueles com mais idade. Basta observar a evidência na diferença da pele exposta ao sol e em a que fica coberta pela roupa. [caption id="attachment_7254" align="alignleft" width="350" caption="Ft. Google"][/caption] Dr. Edilbert destaca, “A Sociedade Brasileira de Dermatologia orienta que a exposição solar deve ser evitada entre às 10h e 16h, fato não obrservado na prática e sim o inverso: a chegada de praxe à praia da família é por volta do meio dia”, frisa ele. Bom lembrar, diz o colega, “Nós, dermatologistas também indicamos o uso do filtro solar em crianças com mais de seis meses de vida. Sua reaplicação é preconizada a cada duas horas”.  Ou seja, cada mergulho é um “flash”. Os cânceres cutâneos mais frequentes são o epitelioma basocelular, o epitelioma espinocelular e o melanoma. As suspeições da ocorrência procedem quando há o surgimento na pele de feridas, elevações, lesões sangrantes, “pintas” com mudança de cor ou formato, especialmente aquelas localizadas nas regiões expostas ao sol. Nesses casos, é aconselhável a busca de uma avaliação profissional médica, não obrigatoriamente de um dermatologista, dadas as notórias dificuldades que a população enfrenta em agendar uma rotineira consulta no SUS.
Makhoul Moussallem
Médico, Conselheiro do CREMERJ e do CFM *artigo publicado na Folha da Manhã, ontem ( 29/11).
Comentar
Compartilhe
Marco não marco. Ida e partida.
24/08/2013 | 12h28
[caption id="attachment_6877" align="aligncenter" width="550" caption="Facebook"][/caption]

Parto de férias. Vou para onde desejei ir. Dias de refrescar os olhos, banhar os sentimentos, estender a alma ao vento, amarrada para não sumir por aí. Vou para experimentar sabores, me impregnar de cheiros novos, entabular trocas curiosas, bater o pé em outros chãos. Desdobrar horizontes e descobrir.

Quando voltar, não mais integrarei a Redação da Folha da Manhã. Me afasto da lida impressa, não do blog. Caminho para outros projetos que me desafiam e para os quais sou chamada a produzir resultados.

De todos os colegas, ficam lembranças de uma saudável convivência. Agradeço o tratamento respeitoso que me foi dispensado pela direção do Grupo Folha da Manhã. Em especial, agradeço ao Diretor da Redação, Aluysio Abreu Barbosa, a franca acolhida profissional e companheira.

A toda essa robusta equipe que faz a cada dia acontecer um jornal novo, minha amizade e admiração. Aos queridos leitores, razão de ser do blog, o tempo é só uma fração. Continuamos ligados!

Um forte abraço, Luciana Portinho  
Comentar
Compartilhe
La?os latino-americanos
06/02/2013 | 02h42
Amigos, Dias que anunciam o Carnaval. A não ser que outra tragédia nos esmague, a próxima semana haverá de ser razoavelmente previsível. O comércio venderá as geringonças da folia, as marcas de cerveja disputarão palmo a palmo para vender mais, as rodovias federais começarão a emitir os sinais dos insuportáveis engarrafamentos, as rodoviárias superlotadas darão os sinais da movimentação humana. O Congresso se retira da cena burlesca, sufocam-se os golpaços das óperas bufinhas municipais. Rico, facinho vira pobre; pobre, arremedo de rico; transformista, macho fica; vagabundo vira lady e dama vira periguete. É o tal faz de conta - por uns dias -  em que o povo pensa que sobe ao palco. Eu então aproveito, raspo as minhas férias. Saí de fininho com minha mãe, dar uns passeios com ela. Vim para a terra do Gabo. Nem tão longe, nem tão perto. No calor úmido, refrescar a mente, me defrontar com o outro, absorver novas paragens. Não prometo frequência, mas, algo interessante que observe no caminho, com gosto trarei aqui para vocês. No domingo (17/02), se a vela inflada da vida colaborar, retorno ao batente firme. Até lá, é esperar que o janeiro brasileiro (em matéria de espantos) tenha nos valido por alguns meses do ano corrente. Bons momentos de prazeroso relaxamento para todos! Ah! Só não vale fantasia dos Renãrinhos... Um abraço, Luciana [caption id="attachment_5738" align="aligncenter" width="600" caption="ft. Google"][/caption]    
Comentar
Compartilhe
FÉRIAS
08/08/2012 | 11h34
Parti de férias, um período de 18 dias. Vim para longe. Hoje as distâncias virtuais não se alteram um milimetro sequer. A atenção é que se dirige a outras paisagens, novas histórias, diferentes culturas. Tempo de reciclagem. Reafirmo o compromisso - firmado quando da abertura do blog - com você, leitor que me acompanha: alguma vivência interessante será aqui repartida. A todos, deixo o meu abraço!

Comentar
Compartilhe